Você está na página 1de 4

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

POLO UNIVERSITÁRIO DE RIO DAS OSTRAS

MATERIALS SCIENCE AND ENGINEERING


RESENHA DESCRITIVA – CAPÍTULO 4

Arielle de Contti Rosa

Rio das Ostras


2020
1. Capítulo 4 – Imperfeições em Sólido

1.1 Defeitos de Ponto

O capítulo 4 inicia com o tipo de imperfeição associada a uma ou duas


posições atômicas, os chamados defeitos de ponto. Defeitos pontuais incluem
vacâncias, que são os mais simples defeitos de pontos, que acontecem quando
há um sítio vazio da rede, ou seja, está faltando um átomo. O número de
equilíbrio de vazios depende da temperatura, crescendo exponencialmente. E
auto-intersticiais, que são átomos do cristal que são empurrados para dentro de
um sítio intersticial.
Quanto às impurezas de um sólido, um metal puro consistindo de
apenas um tipo de átomo não é possível. É difícil refinar metais até uma pureza
que exceda 99,9999%. Metais não são altamente puros, eles são ligas.Uma
liga é uma substância metálica composta por dois ou mais elementos. Uma
solução sólida pode se formar quando átomos de impureza são adicionados a
um sólido, no qual caso a estrutura cristalina original seja mantida e nenhuma
nova fase seja formada. É importante ressaltar que referente a ligas, solvente
representa o elemento ou composto que está presente na maior quantidade,
enquanto soluto é o elemento em menor concentração.
Uma solução sólida é formada quando átomos solutos são adicionados
ao material hospedeiro, a estrutura cristalina é mantida e nenhuma estrutura
nova é formada. Defeitos de ponto de impurezas são encontrados em soluções
sólidas de dois tipos:

● Para soluções sólidas substitucionais, átomos de impureza


substituem átomos hospedeiros.
● Soluções sólidas intersticiais se formam para átomos de
impureza relativamente pequenos que ocupam sites intersticiais
entre os átomos hospedeiros.

Para soluções sólidas de substituição, uma solubilidade apreciável só é


possível quando diâmetros atômicos e eletronegatividades para ambos os tipos
de átomos são semelhantes, quando ambos os elementos têm a mesma
estrutura cristalina, e quando os átomos de impureza têm uma valência igual
ou inferior ao material hospedeiro.
A composição global de uma liga é expressa em termos de
concentrações dos seus elementos constituintes. Ela pode ser especificada em
porcentagem de peso (com base na massa fração) ou porcentagem de átomo
(com base em mol ou fração de átomo).
As discordâncias são defeitos cristalinos unidimensionais, dos quais
existem dois puros tipos: aresta e parafuso. A discordância de aresta pode ser
pensada em termos de distorção da rede ao longo da extremidade de um meio-
plano extra de átomos. A magnitude desta distorção decresce com a distância
a partir da linha de discordância. Uma discordância em parafuso é formada por
uma tensão cisalhante que é aplicada para produzir a distorção. O livro
também menciona as discordâncias mistas, que são encontradas em materiais
cristalinos mas não se encaixam em nenhum dos tipos supracitados: são
compostas de ambos os tipos ao mesmo tempo.
A magnitude e direção da distorção da rede associada com a
discordância é expressa em termos de vetor de Burgers. As orientações
relativas do vetor de Burgers e da linha de discordância são (1) perpendicular
para a aresta, (2) paralela para o parafuso e (3) nem perpendicular nem
paralela para uma discordância mista.
Os defeitos inferfaciais são contornos que têm 2 dimensões e separam
regiões dos materiais que têm diferentes estruturas cristalinas ou orientações
cristalográficas. Um dos contornos mais comuns é a superfície externa, que
representa o contorno ao longo do qual a estrutura do cristal termina. O
segundo defeito mencionado no capítulo são os contornos de grão. Na
vizinhança de um limite de grão (que tem várias distâncias atômicas de
largura), há alguma incompatibilidade atômica entre dois grãos adjacentes que
têm diferentes orientações cristalográficas. Para um contorno de grão de alto
ângulo, o ângulo de discordância entre os grãos é relativamente grande; este
ângulo é relativamente pequeno para limites de grão de pequeno ângulo.
Contornos de macla é um tipo especial de contorno de grão em que átomos de
um lado do contorno estão localizados em posições de imagem de espelho dos
átomos que estão do outro lado. A região de material entre estes contornos é
denominada Macla. Defeitos interfaciais miscelâneos são outro tipo de falha
que abrangem falhas de empilhamento, contornos de fases e paredes de
domínio ferromagnético.
Ocasionalmente é necessário ou desejável examinar as características
dos materiais, como elementos estruturais e defeitos.Tamanhos e formas de
grão são apenas duas características que são denominadas microestrutura. A
microestrutura de um material consiste em defeitos e elementos estruturais que
são de dimensões microscópicas. Microscopia é a observação da
microestrutura usando algum tipo de microscópio. Ambos os microscópios
ópticos e eletrônicos são empregados, geralmente em conjunto com
equipamento fotográfico. A imagem que é registrada é chamada
fotomicrografia. Os modos transmissivo e reflexivo são possíveis para cada tipo
de microscópio; a preferência é ditada pela natureza do espécime, bem como
pelo elemento estrutural ou defeito a ser examinado. A fim de observar a
estrutura de grãos de um material policristalino usando um microscópio óptico,
a superfície da amostra deve ser esmerilhada e polida a fim de produzir um
acabamento muito liso e espelhado. Algum tipo de reagente químico deve
então ser aplicado a fim de revelar os limites de grão ou produzem uma
variedade de características de refletância de luz para os grãos constituintes.
Os dois tipos de microscópios eletrônicos são transmissão e varredura.
Para os de transmissão, uma imagem é formada a partir de um feixe de
elétrons que, ao passar através da amostra, é espalhada e / ou difratada.Os de
varredura empregam um feixe de elétrons que varre a superfície da amostra; a
a imagem é produzida a partir de elétrons retroespalhados ou refletidos.

Um microscópio de sonda de varredura emprega uma sonda pequena e


de ponta afiada que faz uma varredura na superfície da amostra. Deflexões
fora do plano da sonda resultam de interações com átomos de superfície.
Gerada por computador e tridimensional, a imagem da superfície resulta com
resolução nanométrica.

Você também pode gostar