Você está na página 1de 5

SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR DE SERRA TALHADA

FACULDADE DE INTEGRAÇÃO DO SERTÃO

LAÉRCIO GOMES DOS SANTOS

RELATÓRIO DO II CONGRESSO
SERTANEJO DE DIREITO

SERRA TALHADA-PE
2015
LAÉRCIO GOMES DOS SANTOS

RELATÓRIO DO II CONGRESSO
SERTANEJO DE DIREITO

Relatório apresentado à Faculdade


de Integração do Sertão como
requisito parcial para aprovação na
disciplina de Direito Civil III –
Contratos.

SERRA TALHADA-PE
2015
O presente relatório objetiva explicar, de forma sucinta, as principais
questões debatidas no II Congresso Sertanejo de Direito, realizado nos dias 28 a 30 de
outubro de 2015, na Faculdade de Integração do Sertão, em Serra Talhada.

Realizou a abertura do evento o conferencista Felix Lamas Jr., na noite


do dia 28 de outubro, cuja palestra intitulada “LA LEY DE NATURALEZA PENAL Y
SUS TRANSFORMACIONES”, versou sobre o desenvolvimento do Direito Romano, o
entendimento de pensadores como Claus Roxin, Von Litz e Francisco Soarez acerca da
norma penal. Além disso, fez um paralelo entre as normas propriamente penais e as
meramente penais.

A tarde de 29 de outubro teve a contribuição de Félix Araújo Neto, o


qual tratou da redução da maioridade penal. Destacou a necessidade de um olhar além
do senso comum como condição sine qua non para a compreensão do complexo e
delicado tema tratado. Realizou, outrossim, um paralelo entre o Código Penal e o
Estatuto da Criança e do Adolescente, dando ênfase aos problemas práticos verificados
nos dois diplomas. Relembrou o pequeno percentual de crimes cometidos por menores
de idade e utilizou, dentre outros argumentos, esse fato para desaconselhar a redução da
maioridade penal. Tratou, ainda, da situação do presídio de Campina Grande/PB.

Ainda na tarde de 29 de outubro, palestrou Felipe Torres sobre “ A


GRAVIDADE CONCRETA DO CRIME COMO FUNDAMENTO PARA A PRISÃO
PREVENTIVA”. Foi exposta a fundamentação constitucional da prisão preventiva, bem
como as hipóteses de admissibilidade desse instrumento processual. O palestrante
Arnóbio de Souza tratou da “A INCONSTITUCIONALIDADE MATERIAL DO
SISTEMA PRISIONAL BRASILEIRO E O PAPEL DO JUDICIÁRIO EM DEFESA
DOS DIREITOS HUMANOS”, e foi seguido por Jeane Pereira Bezerra, que abordou a
“AUDIÊNCIA DE CUSTÓDIA NO BRASIL.”

A noite do dia 29 foi marcada pelo lançamento do livro


“PENSAMENTO POLÍTICO LIBERAL E DOUTRINA SOCIAL CATÓLICA NA
FORMAÇÃO DO ESTADO BRASILEIRO”, do prof. Bruno Celso Sabino Leite. O
evento seguiu com a fala de Mariantonieta Palio Ferraz, a qual tratou da diversidade das
relações afetivas. Abordou a questão do direito à felicidade e a afetividade como núcleo
do arranjo familiar. Em seguida, Flávia Gimenes discursou sobre o acesso à informação
pública, explicando pontos controversos desse direito.

Ainda na noite do dia 29 de outubro Amiltom Bueno de Carvalho, um


dos maiores expoentes do Direito Alternativo no Brasil, deu sua contribuição ao evento
com a palestra sobre o título “PENA DE PRISÃO - UMA VISÃO CRÍTICO-
LIBERTÁRIA?” Abordou questões como senso comum, punitivíssimo e pensamento
acadêmico, criminoso como produto do meio e a falência da pena de prisão.

Na tarde do dia 30 de outubro o evento recebeu a presença do Juiz de


Direito do TJPE, Rafael Sidoni Feliciano, o qual comentou entendimentos
jurisprudenciais acerca de determinadostemas atuais.

Em seguida, André Batista discutiu a legislação Anti-drogas no Brasil,


fazendo um apanhado acerca da penalização do uso de drogas na história do país.
Tratou dos parâmetros acerca da diferenciação entre traficante e usuário, bem como do
julgamento no STF concernente ao uso de maconha.

Na mesma tarde, os conferencistas Antônio de Pádua Morais Viana e


Ritchele Vieira de Melo, abordaram o tema da “TEORIA CONSTITUCIONALISTA
DO DELITO NOS DIAS ATUAIS” demonstrando sua interligação com as lutas UFC.

Ainda na tarde de 30 de outubro, Fernanda Resende discutiu as “AS


PRINCIPAIS INOVAÇÕES DO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL”, tratando
de questões como liminares e força vinculante dos precedentes no novo Código de
Processo Civil. Em seguida, Alexandre Nunes Costa abordou a responsabilidade social
do advogado, fazendo importantes considerações de cunho ético. Na mesma tarde, Ana
Catarina Mendes Barbosa Diniz e Irena Maria Leonardo Cardoso abordaram as
condições da ação no novo Código de Processo Civil. A tarde do dia 30 de outubro foi
finalizada com os palestrantes Ritchele Vieira de Melo e Maria do Socorro de
Vasconcelos Melo, discutindo o conflito entre o direito à saúde e a reserva do possível.

O II CONGRESSO SERTANEJO DE DIREITO foi encerrado na noite


do dia 30 de outubro. Contou com a presença do advogado Alexandre Perazzo, o qual
palestrou sobre “NTEP- O NEXO TÉCNICO EPIDEMIOLÓGICO
PREVIDENCIÁRIO... A NOVA FRONTEIRA DOS ACIDENTES DE TRABALHO”.
Além disso, fez importantes esclarecimentos acerca da atividade advocatícia. Foi
seguido por Jefferson Calaça, que discutiu os malefícios da terceirização, como a
dificuldade que enfrenta o trabalhador empregado de terceirizada em reclamar na justiça
seus direitos.