Você está na página 1de 9

LEI vs GRAÇA

Deus fez apenas duas alianças com o homem: aliança que Ele fez com Moisés, e aliança que Ele
fez em Cristo. São duas alianças. Ou você está debaixo da aliança que Deus fez com Moisés, ou
você está debaixo da aliança que Deus fez com Cristo.
"Não cuideis que eu vos hei de acusar para com o Pai. Há um que vos acusa, Moisés, em
quem vós esperais. Porque, se vós crêsseis em Moisés, creríeis em mim; porque de mim
escreveu ele. Mas, se não credes nos seus escritos, como crereis nas minhas palavras?" João
5.45-47

Quem vai acusar o homem diante de Deus? A lei de Moisés. Porque Cristo não vai acusar
ninguém. Cristo não veio condenar o mundo. Cristo é advogado. E advogado não acusa,
advogado defende. Quem faz o papel do procurador e acusa é Moisés. Então quem vive debaixo
da lei vai ser acusado por Moisés, e quem vive em Cristo vai ser absolvido. Por isso, se eu vivo e
tento ser justificado pela lei, eu estou separado de Cristo. Tem muita gente separada de Cristo. Se
o homem se justifica na lei, ele está desligado de Cristo: "Separados estais de Cristo, vós os que
vos justificais pela lei; da graça tendes caído." Gálatas 5.4, ou seja; não pode frutificar porque
está desligado da videira: "Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador. Toda a vara
em mim, que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto.
Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado. Estai em mim, e eu em vós; como a
vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não
estiverdes em mim. Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito
fruto; porque sem mim nada podeis fazer. Se alguém não estiver em mim, será lançado fora,
como a vara, e secará; e os colhem e lançam no fogo, e ardem. Se vós estiverdes em mim, e as
minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito. Nisto é
glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos." João 15.1-8

Gálatas 3
1
Ó insensatos gálatas! quem vos fascinou para não obedecerdes à verdade, a vós, perante os
olhos de quem Jesus Cristo foi evidenciado, crucificado, entre vós?

A verdade precisa ser obedecida. A graça não é ausência de obediência.

2
Só quisera saber isto de vós: recebestes o Espírito pelas obras da lei ou pela pregação da fé?

O Espírito Santo é recebido pela pregação da fé e não pelas obras da lei. Nada do que o homem
possa fazer o qualifica para receber o Espírito Santo. O Espírito Santo vem pela fé, quando o
homem crê, e não quando se comporta bem. Mas isso não quer dizer que o homem não deve se
comportar bem. Se eu recebo o Espírito pela pregação da fé, isso significa que o Espírito já foi
dado, porque nada do que é da fé pode ainda acontecer. Porque para ser da fé tem que ser algo
que já existe, algo que já foi dado. Então o Espirito Santo já foi dado. Não é algo que vai ser
dado, ele já foi dado.

3
Sois vós tão insensatos que, tendo começado pelo Espírito, acabeis agora pela carne?

Isso acontece. Pessoas que começam no Espirito e terminam na carne. Paulo não está
repreendendo os gálatas por causa do pecado. Ao falar da carne Paulo não está se referindo de
pecado. Paulo está a repreender aqueles que estão tentando se justificar pela lei, porque
justificar-se pela lei é viver na carne. A forma errada de crer também é carne. Paulo não está
repreendendo a eles porque adulteraram, fornicaram, mas porque eles estão se circuncidando.
Porque alguém ensinou a eles que para ser salvo era preciso crer em Cristo e se circuncidar. Mas
a pregação da fé não diz para se circuncidar, e sim para crer apenas em Cristo. Os gálatas
estavam se circuncidando para não abandonarem as práticas da lei. Paulo diz que se o homem se
justifica pela lei então está na carne, e não no Espírito.

4
Será em vão que tenhais padecido tanto? Se é que isso também foi em vão. 5 Aquele, pois,
que vos dá o Espírito, e que opera maravilhas entre vós, o faz pelas obras da lei, ou pela
pregação da fé?

As maravilhas acontecem porque motivo? O que se deve fazer para Deus operar maravilhas? A
resposta será campanha de jejum, campanhas de oração, mas o que a Bíblia diz? Para que haja
maravilhas apenas tem que se pregar a fé, tem que se crer. Por que a Bíblia diz: "Os sinais
seguiram os que crerem." (Marcos 16.17), ou seja, os sinais e maravilhas não seguem os que
praticam boas obras, mas os que crerem. Não se deve confundir crer, com emocionar. Não há
sinais nos dias de hoje como nos tempos da igreja primitiva porque não se prega a fé e não se
crê. Nestes últimos tempos as pessoas estão com maior dificuldade para crer. Porque as pessoas
acreditam que se comportarem bem é que Deus vai fazer maravilhas. E isso é o problema.
Porque nenhum ser humano se comporta bem. Quando eu acho que não me comportei bem, eu
acho isso justo, porque afinal de contas não me comportei bem, e Deus não tinha que operar
mesmo; assim eu anulo completamente a graça. O que Deus opera tem a ver com a pregação da
fé e com aquilo que eu creio, e não com aquilo que eu faço ou deixo de fazer. Não porque oro
muito ou jejuo muito, porque a graça é ausência do mérito. Como se recebe a salvação? Pela fé.
Mas o que eu preciso fazer? Crer. E o quê mais? Confessar. O que diz Hebreus 10.9? Que
aquele que crer no seu coração e confessar com a boca que Deus ressuscitou Jesus dentre os
mortos esta salvo. Se o Filho de Deus eu recebo crendo e confessando, como é que eu recebo as
demais coisas? Não é pela campanha, não é pelo pagar o preço, pelo orar, pelo jejuar. Na Antiga
Aliança recebia-se quando se comportava bem, quando se cumpria a lei, mas na Nova Aliança
não é assim; na Nova Aliança recebe-se de Deus quando se crê e se confessa. Da mesma maneira
que eu recebo a Cristo crendo e confessando, eu deveria receber todas as coisas. Alguém pode
crer e não confessar, declarar; Jesus declara e a figueira seca (Mateus 11.11-14). O poder está no
dizer. Deve-se crer e declarar. Porque tudo é possível ao que crê (Marcos 9.23). Como eu vou
confessar algo se não leio a Bíblia? Como é que se recebia algo de Deus na Antiga Aliança? Se
comportando bem. Se alguém obedecesse a Lei, o céu se abria sobre ele: Se ouvires todos os
mandamentos que vos ordenho, tendo o cuidado de cumprir, então a bênção virá sobre ti
(Deuteronómio 28). Qual é o problema? Nenhum homem conseguiu obedecer. Portanto, todos os
homens tinham o céu fechado sobre eles. Só um homem teve o céu aberto sobre ele; Jesus.
Porque até os trinta anos de idade Ele viveu como um homem normal e obedeceu toda a lei. Mas
quando Ele se tornou maduro, aos trinta anos de idade, quando Ele foi batizar, Deus disse: Este é
o meu Filho amado em quem tenho prazer (Mateus 3.17) e o céu se abre sobre Ele. Porque Ele
obedeceu toda a Lei. Com trinta anos Deus já tinha prazer nEle. O único homem de facto
abençoado na Terra era Jesus. Por isso Ele aos trinta anos estava pronto para resgatar os demais.
Porque os demais estão em Cristo. Os demais são eleitos em Cristo (Efésios 1.3,4, Romanos 1.6).
O eleito de Deus é Cristo. E se o céu está aberto sobre Cristo e nós estamos em Cristo, o céu está
aberto sobre nós; não por cauda da nossa obediência, mas por causa do sacrifício de Cristo, isso,
se nós crermos. Por isso nós oramos em nome de Jesus, porque Deus não está fazendo para nós,
mas está fazendo para Ele porque o céu está aberto sobre Ele. Se você crê nele, você é salvo. Se
você crê nele, você é abençoado. Quando nós oramos em nome de Jesus, estamos dizendo, não é
para mim, é para Ele. E como Ele nos nomeou, Ele nos fez ser parte da família dele (João 15.16)

Gálatas 5
1
Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos
debaixo do jugo da servidão.

Cristo nos libertou e nós queremos voltar para a escravidão.

Gálatas 4
21
Dizei-me, os que quereis estar debaixo da lei, não ouvis vós a lei? 22 Porque está escrito que
Abraão teve dois filhos, um da escrava, e outro da livre. 23 Todavia, o que era da escrava
nasceu segundo a carne, mas, o que era da livre, por promessa.

O que nasce da Lei é carne.

24
O que se entende por alegoria; porque estas são as duas alianças; uma, do monte Sinai,
gerando filhos para a servidão, que é Agar. 25 Ora, esta Agar é Sinai, um monte da Arábia,
que corresponde à Jerusalém que agora existe, pois é escrava com seus filhos.

Agar representa o monte Sinai, Sara representa o monte Sião. Agar é a Lei, Sara a graça. Agar é
Sinai, Sara é Jerusalém (Jerusalém está sobre o monte Sião). A Lei gera filhos para a escravidão
(Jerusalém e seus filhos são escravas, e só vai ser libertada na volta de Cristo).
26
Mas a Jerusalém que é de cima é livre; a qual é mãe de todos nós.

Sara é a mãe de todos livres, segundo a promessa, segundo a graça.

27
Porque está escrito: Alegra-te, estéril, que não dás à luz; Esforça-te e clama, tu que não
estás de parto; Porque os filhos da solitária são mais do que os da que tem marido.

A solitária é Agar, que Abraão mandou embora, não tem marido, não tem noivo, não tem Cristo.
Os filhos de Agar são muitos do que os filhos de Sara. Lembrando que Agar é a Lei (toda a Lei),
e gera filhos escravos debaixo da Lei. Sara é a graça. Os filhos da Lei são mais numerosos do
que os filhos da graça (Igreja)

28
Mas nós, irmãos, somos filhos da promessa como Isaque. 29 Mas, como então aquele que era
gerado segundo a carne perseguia o que o era segundo o Espírito, assim é também agora.

Ismael perseguia Isaque. Os da Lei sempre vão perseguir os da graça, os religiosos sempre vão
perseguir os da graça. Então, todo aquele que vive na graça é perseguido pelo religioso. Quem
vive debaixo da Lei persegue quem vive debaixo da graça. Isso é sempre. A igreja é perseguida
pelos filhos da escrava, pelos filhos da Lei.

30
Mas que diz a Escritura? Lança fora a escrava e seu filho, porque de modo algum o filho da
escrava herdará com o filho da livre.

Quem vive na Lei não vai herdar o Reino de Deus até lançar fora a Lei, até abrir mão da Lei.

31
De maneira que, irmãos, somos filhos, não da escrava, mas da livre. (Gálatas 4.31) 1 Estai,
pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do
jugo da servidão. (Gálatas 5.1)

Cristo libertou o homem, e há quem quer voltar para a escravidão? Não volte para a Lei. Não
queira ser filho da escrava se você já foi gerado pela livre, segundo a promessa, segundo a graça.

Gálatas 5
2
Eis que eu, Paulo, vos digo que, se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará.

Se você acha que pode ser justificado segundo a Lei, então não precisas de Cristo. Para quem
vive na Lei, Cristo não lhe serve para nada. A maioria das pessoas vive na Lei porque elas acham
que vão ser aceites por aquilo que fazem. Se você acha que vai ser aceite por Deus por aquilo
que você faz, você vive na Lei.

3
E de novo protesto a todo o homem, que se deixa circuncidar, que está obrigado a guardar
toda a lei.

Este é o problema. Se você guarda um pedacinho da Lei você deve guardar tudo, porque você
não tem Cristo. Se você decidiu confiar na Lei você não tem Cristo. Ou é Cristo ou é a Lei.

4
Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da graça tendes caído.

Cai da graça quem vive na Lei. Há quem aceita a graça e volta a viver na Lei, porque quer ser
aceite por aquilo que faz, através das obras. Quem está na Lei está separado de Cristo. E se você
está separado de Cristo não tem fruto. E sem fruto não tem Reino de Deus. Porque os frutos é
que dão o Reino: Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito
fruto; porque sem mim nada podeis fazer. (João 15.5), ou seja, o galho desligado da videira, não
dá fruto, e se alguém não dá fruto, esse tal não tem o Reino, porque o Reino de Deus é
conquistado pelos bons frutos. Sem graça não há Reino. Porque a graça é a videira, a graça é a
verdade que vai reinar. Se eu não estou na videira não dou bons fruto. Se eu não estou na graça
não frutifico. Por isso é: Sois salvos pela graça, e isso não veio de vós; é dom de Deus (Efésios
2.8), ou seja, sou salvo por Cristo. E também está escrito: Porque somos feitura sua, criados em
Cristo Jesus para as boas obras, as quais, Deus preparou para que andássemos nelas (Efésios
2.10). Portanto, quem está na graça produz obras dignas de galardão. Sem a graça não pode
haver Reino de deus porque não tem bom fruto. Porque ninguém consegue praticar as obras do
Reino sem a graça. O que me capacita a fazer as obras que vão me levar para o Reino é a graça,
então eu vivo a graça para reinar. Só que quem está na lei não produz bons frutos porque está
separado da graça, consequentemente não vai reinar. Quem se justifica pela lei, caiu da graça.

5
Porque nós pelo Espírito da fé aguardamos a esperança da justiça. 6 Porque em Jesus Cristo
nem a circuncisão nem a incircuncisão tem valor algum; mas sim a fé que opera pelo amor.

Na Nova Aliança o que tem valor é a fé que opera pelo amor. Essa fé é operada pelo amor de
Deus. E uma fé que funciona através do amor que Deus tem. Se eu creio que Deus me ama, se eu
recebi o amor de Deus, então eu creio que Ele me justificou. Se eu recebi o amor de Deus, como
está escrito: Não fomos nós que amamos a Deus, mas Ele nos amou a nós (1 João 4.10), então eu
creio que fui justificado, assim eu tenho fé. Nós temos que ter uma fé operado por esse amor que
Deus nos amou. Uma fé não operada por esse amor não é fé. Se você não crê que Deus te ama,
então você não crê que ele te absolveu, que ele te justificou, que ele enviou o seu Filho que
morreu e ressuscitou: Deus amou o mundo de tal maneira que enviou o Seu Filho unigênito,
para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna (João 3.16). Quando
recebemos o amor de Deus, então temos fé. Então, quem não se deixa ser amado por Deus, não
consegue crer nele. Porque está com medo o tempo todo. Todo aquele que tenta crer em Deus
por raciocínio, por intelecto não vai conseguir, porque primeiro ele tem que se sentir amado para
depois crer. Quem não recebeu o amor de Deus vive com medo. O problema é que nós somos
ensinados a amar a Deus com as nossas próprias forças. Mas nós não conseguimos amar a Deus.
Porque o nosso amor é condicional. Porque nós amamos a Deus conforme as nossas
circunstâncias. O amor humano é totalmente condicional. Alguns só amam a Deus quando Deus
faz algo que lhes agrada, algo que eles entendem, algo que eles gostam, algo que vai de encontro
aos seus gostos ou cultura. No entanto, o amor de Deus é totalmente incondicional, porque não
depende do que o homem faça. Se eu não aceitar a Jesus, Deus continua me amando, mas não me
salva, e o filho continua disponível. Porque Deus não enviou o Filho para alguns, mas sim para o
mundo todo. O amor de Deus não está condicionado ao carácter de Jesus. Porque senão Deus não
teria enviado a Cristo. Porque antes de Cristo vir, ninguém O tinha. Deus ama a todos, mas não
tem prazer em todos. O prazer de Deus em nós, aí sim está ligado ao nosso comportamento. O
pai ama todos os filhos, embora tenha prazer dos bem-comportados. Nós o amamos porque Ele
nos amou. Se Deus não te ama você não consegue amá-lo, e consequentemente não consegue
guardar os mandamentos. Quem confie no amor que tem por Deus sempre vai falhar, mas quem
confia no amor que Deus tem por ele nunca falha. Porque o verdadeiro amor lança fora o medo.
O amor que Deus tem por nós vai gerar tudo que nós precisamos para viver na nova aliança. O
diabo nos manipula pelo medo; mas o verdadeiro amor lança fora o medo (1 João 4.18). Eu
preciso de fé, o amor é que opera a fé. Eu preciso obedecer a Deus porque na graça você não está
livre para não obedecer a Deus. Nós obedecemos a Deus amando Ele, mas o amor que eu tenho
por Deus é só um reflexo do Seu amor. Nós o amamos porque ele nos amou primeiro. Quem me
ama, guarda os meus mandamentos. Só é amado quem Deus amou primeiro. Obedecer a Deus
não está ligado a reter os mandamentos, mas sim em ser amado por ele. Esses mandamentos não
são da lei, mas sãos os escritos no nosso coração, inculcadas na nossa consciência, e a lei da fé.
Nós fomos chamados para obedecer aquilo que Deus escreveu nos nossos corações e não naquilo
que Moisés escreveu nas pedras. Sem graça, ninguém obedece a Deus. Sem Cristo nada podeis
fazer (João 15.5). Perguntaram para Jesus: Senhor, qual é o maior mandamento da Lei: Amar a
Deus acima de todas as coisas. A questão é, você ainda vive na Lei? Hoje não é assim. Hoje não
temos esse mandamento. Porque Deus não deu a Lei para salvar o homem, Deus deu a Lei para
mostrar o homem o quanto estava caído. Hoje o maior mandamento é ser amado por ele. Quando
Deus diz na Lei: você tem que amar a Deus, Deus revela para o homem a sua incapacidade de
amar a Deus. A Lei foi dada para mostrar quem eu sou, e não para que eu possa cumpri-la
porque ninguém cumpriu, senão Jesus. Se a primeira aliança tivesse funcionado, não haveria
necessidade da Nova aliança. A primeira aliança não funcionou porque o homem não tem
condições de obedecer a Deus. A segunda aliança não se trata mais do que o homem oferece a
Deus, mas o que Deus oferece ao homem.

7
Corríeis bem; quem vos impediu, para que não obedeçais à verdade?
Quem vive na Lei não esta a obedecer a verdade. Porque quando mais Lei, mais pecado aparece.

8
Esta persuasão não vem daquele que vos chamou.

Cristo não nos chamou para isso.

9
Um pouco de fermento leveda toda a massa.

Não se deve viver nada da Lei.

10
Confio de vós, no Senhor, que nenhuma outra coisa sentireis; mas aquele que vos inquieta,
seja ele quem for, sofrerá a condenação.

Esses que vivem debaixo da Lei serão acusados pelo Moisés. Pedro levedou Tiago.

11
Eu, porém, irmãos, se prego ainda a circuncisão, por que sou, pois, perseguido? Logo o
escândalo da cruz está aniquilado.

12
Eu quereria que fossem cortados aqueles que vos andam inquietando.

13
Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não useis então da liberdade para dar
ocasião à carne, mas servi-vos uns aos outros pelo amor.
14
Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás ao teu próximo como a ti
mesmo.

O que nos faz amar o próximo e o amor de Deus por nos. Se você vive pela Lei você esta dando
ocasião a carne. Porque quem vive na Lei confia na carne. Na carne não há bem comum. Então
como podemos agradar a Deus com a nossa carne?

15
Se vós, porém, vos mordeis e devorais uns aos outros, vede não vos consumais também uns
aos outros.
Quem morde um ao outro não esta cumprir a Lei que diz que esta a cumpri. Porque se você quer
guardar a lei, cuida do outro.

RECEITA PARA VENCER O PECADO


16
Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne.

Se você andar no Espirito, você não vai satisfazer os desejos da carne. O problema é que as
pessoas atacam os frutos. Quanto mais se arranca as laranjas virão mais laranjas, a não ser que se
arranque o pé pela raiz. As obras da carne são frutos. O certo e andar no Espirito. Porque quando
se anda no Espirito, não faz as obras da carne, não aparece frutos. Porque se você lutar contra o
pecado, você vai perder. Se você não estiver no Espirito, não tem como você não cometer
pecados.

17
Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao
outro, para que não façais o que quereis.

18
Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei.

Há muitas consequências de estar debaixo da Lei. Uma delas e estar separado de Cristo. Não
produzir frutos. Satisfazer os desejos da carne.

19
Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, fornicação, impureza,
lascívia, 20 Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões,
heresias, 21 Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca
das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o
reino de Deus.

Que anda no Espirito não pratica nada do que esta acima.

22
Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé,
mansidão, temperança.
23
Contra estas coisas não há lei.
24
E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências.
25
Se vivemos em Espírito, andemos também em Espírito.
26
Não sejamos cobiçosos de vanglórias, irritando-nos uns aos outros, invejando-nos uns aos
outros.