Você está na página 1de 26

Manual de Orientação

Grupo de Trabalho
em Saúde e Natureza

Benefícios da Natureza no Desenvolvimento


de Crianças e Adolescentes

Grupo de Trabalho em Saúde e Natureza

Coordenação: Laís Fleury (Instituto Alana) e Luciana Rodrigues Silva (SBP)

Organização do texto: Maria Isabel Amando de Barros (Instituto Alana)

Autores: Daniel Becker, Dirceu Solé, Emmalie Ting, Evelyn Eisenstein, José Martins
Filho, Laís Fleury, Luciana Rodrigues Silva, Maria Isabel Amando de Barros,
Ricardo Ghelman e Virginia Resende Silva Weffort

Colaboradores: Liubiana Arantes de Araújo e Ricardo do Rego Barros

Revisão: Regina Cury (Metatexto)

SUMÁRIO

1. Introdução 5. Orientações para Crianças e Adolescentes


- Contexto 6. Benefícios da Natureza na Saúde das
- Bases Legais Crianças e Adolescentes
- Benefícios do Brincar e do Aprender 7. Material de Apoio
na Natureza
- Recomendações Gerais da Sociedade - Livros
Brasileira de Pediatria - Filmes e Entrevistas
- Ferramentas para o Lazer ao Ar Livre
2. Orientações para Pediatras
- Sugestão de Receita Verde
3. Orientações para Educadores e Escolas
8. Referências Citadas
4. Orientações para Famílias
1. INTRODUÇÃO

Contexto

Apesar do bom senso e da experiência na cioeconômica e da realidade específica de


clínica pediátrica reconhecerem os benefí- cada um. Assim, os impactos do confina-
cios que a criança e o adolescente obtêm mento e da falta de contato com natureza
através do brincar e das atividades de lazer e ambientes saudáveis são mais agudos e
e aprendizado ao ar livre, em contato com a presentes nas cidades e bairros densamente
natureza, o fato é que em contextos urbanos habitados e de alta vulnerabilidade social,
eles têm cada dia menos oportunidades de onde as condições para uma vida saudável
usufruir desse direito universal. e plena estão ameaçadas. Esse cenário vem
se agravando nos últimos anos e é particu-
É necessário refletir sobre o modo de vida larmente crítico quando se trata da infância
e de desenvolvimento que estamos adotan- e da adolescência, com indicadores que se
do nas cidades, tendo em vista que somos destacam em diversos setores.
uma sociedade predominantemente urba-
na. Como o mundo atual está acolhendo Em relação às dinâmicas familiares, nota-se
as novas gerações? É fato que há diversas que, apesar da sua multidimensionalidade,
conquistas e avanços relacionados a infân- ou seja, da diversidade que caracteriza as
cia e adolescência em nosso país, como o famílias e infâncias brasileiras, as pressões
aumento da escolaridade e o combate à ex- do dia a dia deixam pouco tempo para o
ploração do trabalho infantil.1 No entanto, convívio e o lazer, e que este está cada vez
os avanços precisam continuar. menos direcionado para atividades a céu
aberto. Com isso, as crianças perdem chan-
Não podemos deixar de considerar que os ces valiosas de correr e brincar em liberda-
efeitos da urbanização, entre eles o distan- de ao ar livre, e os adolescentes veem suas
ciamento da natureza, a redução das áreas opções de convívio social se restringirem a
naturais, a poluição ambiental e a falta de ambientes fechados.
segurança e qualidade dos espaços públi-
cos ao ar livre nos levam - adultos, jovens e O momento de crise estrutural das cidades
crianças - a passar a maior parte do tempo em decorrência de problemas como plane-
em ambientes fechados e isolados. Esse ce- jamento urbano deficiente, rápido adensa-
nário traz um ônus muito alto para o desen- mento e especulação imobiliária, aliados à
volvimento saudável das crianças e adoles- supremacia dos carros em detrimento de pe-
centes e, consequentemente, para a saúde destres ou ciclistas, levaram ao desapareci-
do planeta, pois - já é tempo de reconhecer mento tanto dos espaços verdes designados
- o bem-estar das crianças e jovens e a saú- como tal (praças, parques, jardins e arboriza-
de da Terra são interdependentes. ção de acompanhamento viário) ou não (ter-
renos baldios, campinhos, grandes espaços
Diversos fatores são responsáveis pelo con- abertos e desocupados), quanto da criança e
texto de confinamento ao qual todos esta- do adolescente nas cidades e seus espaços
mos sujeitos: dinâmica familiar, planejamen- livres. Sobre a escassez de áreas verdes, te-
to urbano, mobilidade, uso de eletrônicos, mos muitos dados disponíveis: a cidade de
consumismo, desenvolvimento econômico, São Paulo, por exemplo, dispõe de 2,6 m² de
desigualdade social, insegurança, violência, área verde por habitante, enquanto a Orga-
conservação da natureza e educação. Trata- nização das Nações Unidas (ONU) recomen-
-se de um cenário complexo, cujos fatores da 12 m² de área verde por habitante.2 Há
estão inter-relacionados e que variam de ainda a questão do cuidado e zelo: as pra-
intensidade, dependendo da condição so- ças públicas e os parques existentes sofrem

Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019 2


Introdução

com o abandono do poder público e, muitas anos de idade são usuárias de internet e
vezes, são utilizados para fins ilícitos como oque, destes, 93% acessam a rede por meio
tráfico de drogas e o vandalismo ou servem de telefones celulares, dispositivo cujo uso
de refúgio para pessoas desabrigadas. é cada vez mais habitual nessa faixa etária.
A internet também é um ambiente de risco
As pesquisas corroboram o que pode ser e insegurança para as crianças e jovens, se
afirmado por simples observação: nos últi- o seu uso não for mediado com cuidado e
mos 50 anos, mudanças sociais e econômi- atenção.
cas em nosso país vêm restringindo o aces-
so das pessoas - adultos, jovens e crianças Em relação à educação, enfrentamos inú-
- aos espaços urbanos. A rua, outrora lugar meros desafios no sentido de oferecer uma
de socialização e lazer, tornou-se via de cir- experiência significativa e valiosa para o alu-
culação de veículos e lugar de perigo, so- no. Um deles é a necessidade de refletirmos
bretudo para as crianças e adolescentes.3 A e requalificarmos as práticas, a organização,
segurança está agora nos espaços fecha- as rotinas e o tempo escolar, reconhecendo
dos e protegidos criando dois cenários pre- o brincar e o aprender com a - e na - na-
valentes: o cerceamento da liberdade das tureza como um dos elementos centrais de
crianças e adolescentes que crescem em uma educação vinculada com a própria vida.
áreas menos favorecidas e mais vulneráveis, Brincar na areia, subir em árvores, construir
permanecendo grande parte do tempo con- cabanas e encontrar os amigos ao ar livre
finados em espaços pequenos, pouco enso- são experiências importantes que permitem
larados e desprovidos de verde; e, no caso estabelecer conexões positivas com a vida e
de crianças e adolescentes de classe média, com o outro. Portanto, se esses momentos
determinando uma rotina de deslocamentos não tiverem lugar na escola ou em outros
motores entre uma atividade e outra, antes territórios educativos, talvez não aconteçam
ou depois da escola. na vida de muitas crianças e adolescentes
que hoje passam a maior parte do seu tem-
Nesse contexto de falta de tempo e de po em instituições escolares. É preciso agir
convívio escasso entre crianças e jovens de para evitar o empobrecimento do repertório
diferentes idades em espaços públicos se- de experiências que elas podem (e devem)
guros e bem cuidados, assistimos ao forte vivenciar.
impacto, cada vez mais documentado4, da
intoxicação digital a que todos estamos su-
jeitos. Tanto crianças e adolescentes quan- Bases Legais
to seus responsáveis passam boa parte do
tempo imersos no mundo digital, em expo- Diversos marcos legais garantem o direito à
sição crescente a publicidade e conteúdos natureza e ao brincar - temas tão complemen-
tóxicos, violentos ou inadequados, o que tares e intrinsecamente ligados - na infância
produz efeitos impressionantes na convi- e adolescência. A Constituição brasileira, em
vência e na saúde física e mental, além da seu Artigo 227, declara que “é dever da fa-
perda de contato com o mundo real e com mília, da sociedade e do Estado assegurar
as relações presenciais, gerando maior pro- à criança, ao adolescente e ao jovem, com
pensão ao sedentarismo, à obesidade e absoluta prioridade, o direito à vida, à saú-
suas consequências. Dados e indicadores de, à alimentação, à educação, ao lazer, à
da pesquisa realizada pelo Comitê Gestor profissionalização, à cultura, à dignidade, ao
da Internet (CGI) e pelo Centro Regional de respeito, à liberdade e à convivência familiar
Estudos para o Desenvolvimento da Socie- e comunitária, além de colocá-los a salvo de
dade da Informação (Cetic.br), a TIC KIDS toda forma de negligência, discriminação,
ONLINE-Brasil de 20175, mostram que 85% exploração, violência, crueldade e opres-
das crianças e adolescentes entre 9 e 17 são”; e em seu Artigo 225 expressa que “to-

3 Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019


Introdução

dos têm direito ao meio ambiente ecologica- culturas. Em um mundo cada vez mais ur-
mente equilibrado, bem de uso comum do banizado e privatizado, o acesso das crian-
povo e essencial à qualidade de vida sadia, ças aos parques, jardins, florestas, praias e
impondo-se ao poder público e à coletivida- outras áreas naturais está sendo corroído.
de o dever de defendê-lo e preservá-lo para Crianças em áreas urbanas de baixa renda
as presentes e futuras gerações”. têm mais probabilidade da falta de acesso
adequado aos espaços verdes”.6
A Convenção das Nações Unidas Sobre os
Direitos da Criança (UN-CRC) também prevê No Brasil, além da Constituição brasileira, o
a garantia do direito ao lazer e à educação direito ao brincar é assegurado pelo Estatuto
que desenvolvam o respeito ao meio am- da Criança e do Adolescente, pela Lei de Di-
biente. O Artigo 31 deste marco legal ga- retrizes e Bases da Educação e, recentemen-
rante especificamente o direito ao brincar: te, pelo Marco Legal da Primeira Infância.
“Os Estados Partes reconhecem o direito da
criança ao descanso e lazer, a participar
do brincar e das atividades recreativas e Benefícios do Brincar e do Aprender na
a participar livremente da vida cultural e das Natureza
artes”. Por outro lado, o Artigo 29 reconhe-
ce que a educação da criança deverá estar Em consonância com os marcos legais na-
orientada no sentido de “imbuir na criança cionais e internacionais, há atualmente um
o respeito ao meio ambiente”. amplo conjunto de pesquisas que relacio-
nam a falta de oportunidades de brincar
Em 2013, foi aprovado o Comentário Geral e aprender com a - e na - natureza com
#17 para o Artigo 31, decorrente da preocu- problemas de saúde na infância e na ado-
pação do Comitê dos Direitos das Crianças lescência como obesidade/sedentarismo7,
da ONU - CDC com o pouco reconhecimen- hiperatividade8, baixa motricidade9 - falta
to dado pelos governos de todo o mundo de equilíbrio, agilidade e habilidade física
a esse direito. É importante notar que esse - e até miopia.10 Outro aspecto a ser con-
comentário trata também, em diversos pon- siderado é que a principal causa de morte
tos, sobre o direito de brincar na natureza, nos adultos corresponde às doenças car-
destacando a importância disso para o de- diovasculares11, e que a síndrome metabó-
senvolvimento infantil em sua análise sobre lica, caracterizada como a associação dos
os desafios a serem considerados para o fatores de risco como sobrepeso, elevação
cumprimento dos direitos sob o Artigo 31: da glicemia, do colesterol e da pressão ar-
“Falta de acesso à natureza: as crianças terial, tornou-se uma pandemia que vem
entendem, apreciam e cuidam do mundo avançando em fases precoces da vida.12
natural pela exposição a ele, pelo brincar Apesar de ser causada por vários fatores de
autodirigido e a exploração com adultos risco, sabemos que a síndrome metabólica
que comunicam sua maravilha e significa- está diretamente ligada ao estilo de vida
do. Memórias de brincadeiras da infância das crianças e adolescentes e, portanto, a
e de lazer na natureza reforçam os recursos privação de movimento e o maior nível de
com os quais se lida com o estresse, inspi- estresse podem impactar gravemente o fu-
ram um sentimento de admiração espiritual turo desta e das próximas gerações. Esses
e incentivam a gestão da terra. Brincar em são alguns dos problemas de saúde mais
ambientes naturais também contribui para evidentes causados pelo cenário de confi-
agilidade, equilíbrio, criatividade, coopera- namento da infância e adolescência, mas
ção social e concentração. A conexão com diversas consequências menos reconhe-
a natureza pela jardinagem, colheita, festas cidas e comportamentais, como aumento
tradicionais e tempo para a contemplação de equivalentes depressivos, ansiedade e
pacífica representa uma dimensão impor- transtornos de sono, também fazem parte
tante das artes e do patrimônio de muitas desse contexto.13

Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019 4


Introdução

O jornalista Richard Louv, autor do livro A os problemas de comportamento, além de


Última Criança na Natureza14, cunhou o ter- proporcionar bem-estar mental, equilibrar
mo Transtorno do Déficit de Natureza os níveis de vitamina D e diminuir o número
para descrever esse fenômeno atual da in- de visitas ao médico. O contato com a natu-
fância e adolescência. Não se trata de um reza ajuda também a fomentar a criativida-
termo médico, mas é uma forma eficaz de de, a iniciativa, a autoconfiança, a capacida-
chamar a atenção para uma questão emer- de de escolha, de tomar decisões e resolver
gente cujos sintomas, inclusive de transtor- problemas, o que por sua vez contribui para
nos mentais e comportamentais, podem ser o desenvolvimento de múltiplas linguagens
observados por muitos pediatras em suas e a melhora da coordenação psicomotora.
clínicas. Isso sem falar nos benefícios mais ligados
ao campo da ética e da sensibilidade, como
encantamento, empatia, humildade e senso
O programa Criança e Natu- de pertencimento.15
reza do Instituto Alana pro-
duziu diversos vídeos que Em setembro de 2018, tendo em vista a pres-
são ótimos recursos comple- são para a inclusão de mais atividades didá-
mentares a esse manual, incluin- ticas de caráter cognitivo e a consequente
do uma entrevista com o jornalista e diminuição de tempo para o brincar (recreio)
especialista em advocacy pela infância nas escolas de educação infantil nos Estados
Richard Louv sobre o que é Transtorno Unidos, a Academia Americana de Pediatria
do Déficit de Natureza (disponível em: publicou uma diretriz que ressalta o papel
http://bit.ly/2FKHrOl) e uma entrevista dos pediatras no sentido de enfatizar a
com o médico pediatra e ex-presiden- importância de um currículo equilibrado,
te da Academia Brasileira de Pediatria que inclua o brincar na promoção de um
Dr. José Martins Filho sobre impor- desenvolvimento infantil saudável.16
tância do brincar ao ar livre para as
crianças e suas famílias (disponível em: A literatura16 demonstra que o ato de brin-
http://bit.ly/2Si8YIm). car durante a infância e adolescência está
associado ao desenvolvimento cerebral
ótimo, pois as experiências vivenciadas du-
rante esse período, no qual as janelas de
O Instituto Alana é uma organização da oportunidades estão abertas, são enviadas
sociedade civil, sem fins lucrativos, que e traduzidas em conexões sinápticas essen-
aposta em programas que buscam a ga- ciais para a maturação adequada do cérebro
rantia de condições para a vivência plena e para o desenvolvimento neuropsicomotor
da infância. Criado em 1994, o Alana é satisfatório. Como resultado, as crianças e
mantido pelos rendimentos de um fundo adolescentes terão melhorias nas funções
patrimonial desde 2013. Tem como mis- executivas, linguagem, habilidades mate-
são “honrar a criança”. máticas, integração sensorial, capacidade
de pensar criativamente e de realizar mul-
titarefas, contribuindo para a formação de
Paralelamente, muitas pesquisas15 surgiram adultos saudáveis com potencial cerebral
nos últimos anos mostrando que o conví- plenamente desenvolvimento.
vio com a natureza na infância e na ado-
lescência melhora o controle de doenças Crianças de 7 a 9 anos que brincam de forma
crônicas como diabetes, asma, obesidade, fisicamente ativa, e a natureza é um espaço
entre outras, diminui o risco de dependên- privilegiado para isso, apresentam melhor
cia ao álcool e a outras drogas, favorece o capacidade cognitiva e de focar a atenção,
desenvolvimento neuropsicomotor e reduz assim como diminuição dos transtornos de

5 Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019


Introdução

sono, por exemplo. Brincar com brinque- Recomendações Gerais da Sociedade


dos tradicionais (versus eletrônicos, princi- Brasileira de Pediatria
palmente os não-interativos) está associa-
do a aumento qualitativo e quantitativo da Tendo em vista o contexto exposto até
aquisição de linguagem. Por outro lado, há aqui e o importante papel que os pediatras
estudos associando a falta de brincar com têm no sentido de reconectar a criança e o
aumento da prevalência de estresse tóxico adolescente com a natureza, a Sociedade
e de transtornos comportamentais17, como Brasileira de Pediatria (SBP), que agre-
o   de déficit de atenção e hiperatividade ga 22 mil médicos pediatras, recomenda:
(TDAH) e a depressão.
• As crianças e adolescentes devem ter
Vale destacar aqui que entende-se por natu- acesso diário, no mínimo por uma hora,
reza aquela que pode ser encontrada numa a oportunidades de brincar, aprender
ampla diversidade de ambientes, construídos e conviver com a - e na - natureza para
e não construídos, especialmente aqueles a que possam se desenvolver com plena
céu aberto, compostos por elementos natu- saúde física, mental, emocional e social.
rais como pedras, chão de terra, água, mar,
rios, plantas, árvores, insetos, pássaros e to- • Responsáveis, cuidadores, educadores e
das as formas de vida e espaço (céu, estrelas, pediatras devem estar atentos sobre as
sol, lua, horizontes). Inclui a “natureza próxi- especificidades da relação com a na-
ma”, aquela a que se pode ter acesso todos tureza em cada faixa etária: crianças
os dias em casa, na escola ou no bairro: pá- entre 0-7 anos, 7-12 anos e adolescen-
tios, ruas, canteiros, jardins, praças e parques, tes. No caso das crianças pequenas, o
praias e lagoas, hortas urbanas, escolares ou foco deve ser no livre brincar, no movi-
domiciliares. E inclui também as áreas prote- mento de ir além, nas experiências sen-
gidas remotas e sem interferência humana, soriais e no papel do adulto como um
que propiciam experiências tão abundantes companheiro de exploração e desco-
quanto a natureza desses lugares. bertas, o que ao mesmo tempo fortale-
ce o binômio pais-filhos. Já as crianças
Entendemos que a criança e o adolescen- maiores estão em busca de aumentar
te têm direito ao convívio com ambientes seu raio de exploração, de curiosidade,
saudáveis e, por isso, o conceito de nature- de autonomia, de lidar com o risco per-
za adotado pelo presente documento não cebido e de alcançar a competência ao
inclui áreas degradadas, poluídas ou que lado de seus amigos. O adolescente é
ofereçam riscos à sua saúde ou segurança. uma pessoa em busca de desafios, aven-
É importante ressaltar que as áreas de risco turas e convivência social entre pares.
devem sempre conter sinais de alerta e de
segurança para proteção social da criança e • As escolas e instituições de cuidados de-
do adolescente. vem organizar suas rotinas e práticas de
forma a equilibrar o tempo destinado
às atividades curriculares com o tem-
po livre (recreio), a fim de permitir que
O vídeo Brincando com a na- as crianças e os adolescentes tenham
tureza na cidade mostra que amplas oportunidades de estar ao ar li-
mesmo nos maiores centros vre, preferencialmente em ambientes
urbanos brasileiros não é neces- naturais em contato com plantas, terra
sário ir muito longe de casa para brincar e água. Diversos estudos18 e exemplos19
com a natureza. Disponível em: http://bit. mostram que mais tempo de recreio be-
ly/2RmfGNy. neficia diretamente o aprendizado e o
comportamento dos alunos nas escolas.

Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019 6


Introdução

• Escolas, educadores e responsáveis devem • O poder público deve garantir que todas
permitir os riscos benéficos nos quais as as crianças e adolescentes tenham acesso
crianças e adolescentes se engajam por li- a áreas naturais, seguras e bem mantidas,
vre escolha, conseguindo dimensionar as a uma distância inferior a 2 km de suas re-
consequências e lidar com elas. sidências.

• Pediatras, famílias, educadores e gestores


públicos devem ter consciência de que os
Para mais informações sobre o
benefícios são mútuos: assim como a crian-
brincar que envolve risco no de-
ça e o adolescente precisam da natureza,
senvolvimento das crianças, as-
a natureza precisa das crianças e jovens.
sista à entrevista A criança que
Ter essa clareza é importante para apoiar,
se sente capaz (disponível em:
conceber e priorizar estratégias que visem
http://bit.ly/2En6OA8), com o instrutor de
promover a reconexão entre as crianças e
educação ao ar livre Fabio Raimo e ao ví-
jovens e o ambiente natural.
deo Quando o risco vale a pena (disponí-
vel em: http://bit.ly/2HaQTIa).

• Os adultos devem compartilhar seu apreço


pela natureza e pelas atividades de lazer
ao ar livre pautadas pelas relações, pelos
encontros, pelo movimento e também pela
contemplação e momentos de relaxamento.

• As crianças e adolescentes devem ser orien-


tados no sentido de buscarem o equilíbrio
no qual tanto o uso da tecno­logia como a
conexão com o mundo natural prosperem
de forma benéfica, contribuindo para o seu
desenvolvimento e bem-estar.

O vídeo O desafio da tecnolo-


gia na infância explora o concei-
to de que aprimorar o contato da
criança com a natureza é um desa-
fio coletivo: envolve a família, a escola
e também a tecnologia, entendendo que to-
dos são aliados na reconstrução desta inte-
ração. Disponível em: http://bit.ly/2r9yFPZ.

• A alimentação deve ser vista pelas esco-


las, famílias e outras instâncias como uma
importante estratégia de fomento da re-
lação entre a criança e a natureza, espe-
cialmente por meio do processo de plan-
tar, cultivar, colher e preparar alimentos.

7 Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019


2. ORIENTAÇÕES PARA PEDIATRAS

• Manter na sala de espera livros, revistas mo as de emergência médica) e correla-


e filmes sobre a natureza, especialmen- cioná-los com os sintomas apresentados
te aqueles que contenham respostas pelos pacientes (estresse tóxico, obesi-
pertinentes para as indagações feitas dade, sobrepeso, sedentarismo, aler-
frequentemente pelas crianças e adoles- gias, distúrbios de sono e alimentação e
centes, sobre como funciona o mundo falta de coordenação motora). Ao avaliar
natural. Evitar livros e filmes que mos- os parâmetros de crescimento, mostrar
trem seres vivos antropomorfizados, ou as curvas e conversar com os responsá-
que tragam conteúdos sobre as ameaças veis sobre a influência fundamental do
e danos que a humanidade tem causado movimento físico ao ar livre no desen-
ao mundo natural, pautados pelo medo volvimento infantil, especificamente na
e pela culpa. Livros e filmes podem ins- produção do hormônio de crescimento.
pirar o amor e a curiosidade pela vida lá
fora, ao ar livre. Exemplo: guias de cam- • Aconselhar e orientar sobre a importân-
po sobre as aves da sua região podem cia do brincar na rotina da criança. Des-
inspirar crianças, adolescentes e adultos tacar que atividades esportivas são muito
a lembrarem das aves que já viram e fa- importantes, mas que o brincar livre tem
zerem planos para um passeio ao ar livre. qualidades especiais que os esportes
não têm, e que os espaços naturais são
• Manter na sala de espera algum ele- fundamentalmente lugares privilegiados
mento natural, como vasos de plantas para essa atividade. Dentro desse con-
aromáticas e temperos, evitando espé- texto, perguntar sobre quanto tempo a
cies tóxicas* ou alergênicas e usando criança tem disponível todos os dias para
vasos esmaltados. Dar preferência a brincar livremente a céu aberto e desta-
brinquedos de madeira que apresentem car o papel do recreio escolar nesse ce-
peso, textura, durabilidade, vestígios nário. Perguntar sobre como são as roti-
do tempo e aroma diferenciados, em nas e os espaços da escola que a criança
detrimento dos brinquedos de plástico. frequenta. Orientar sobre a importância
do tempo destinado ao recreio e ressal-
• Aconselhar e orientar as famílias em tar que a criança precisa ter muito tempo
consultas pré-natais e de puericultura para brincar com liberdade em espaços
do lactente sobre a importância do con- abertos durante o período que passa
tato com a natureza para o bebê e sua na escola, para que possa se concen-
mãe (que também se beneficiará física trar durante as atividades acadêmicas.
e mentalmente de passeios ao ar livre).
• Aconselhar e orientar sobre a importân-
• Avaliar/ aconselhar/ orientar sobre os be- cia dos encontros e das relações entre
nefícios que o contato com a natureza pares na rotina dos adolescentes. Desta-
traz para as crianças e adolescentes car que atividades esportivas são muito
durante a entrevista ou consulta (mes- importantes, mas que os encontros li-
vres e sem direcionamento têm qualida-
des especiais que os esportes não têm,
* Mais informações em: http://www.fiocruz.br/sinitox_ e que os espaços naturais são funda-
novo/media/plantas_toxicas.pdf. Vasos de planta em geral mentalmente lugares privilegiados para
devem ser esmaltados para não criar o mofo que é comum essa atividade. Dentro desse contexto,
nos de barro pois é agente sensibilizante para indivíduos
alérgicos. perguntar sobre quanto tempo o ado-

Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019 8


Orientações para pediatras

lescente tem disponível todos os dias suas famílias um plano de “dieta de na-
para encontros sociais a céu aberto e tureza”, baseado na pirâmide apresen-
destacar o papel do recreio escolar nes- tada na próxima página, de acordo com
se cenário. Perguntar sobre como são a faixa etária de cada paciente, de forma
as rotinas e os espaços da escola que o a procurar garantir que tenham acesso à
adolescente frequenta. Orientar sobre a natureza de forma cotidiana e frequente:
importância do tempo destinado ao re-
creio e ressaltar que o adolescente pre- - Brincar no parquinho mais próximo
cisa ter tempo para a convivência social pelo menos uma hora por dia;
entre pares durante o período que pas-
sa na escola, para que possa se concen- - Fazer um passeio ou caminhada num
trar durante as atividades acadêmicas. jardim ou na orla de uma praia ou lagoa;

• Incentivar o adolescente a planejar - Fazer um piquenique num parque dife-


encontros com amigos em parques rente uma vez ao mês;
e áreas abertas. Orientá-lo sobre as
questões relativas à segurança nesses - Assistir ao pôr do sol e ao início da noi-
locais e encorajar os responsáveis a te e procurar estrelas;
encontrar espaços ao ar livre que se-
jam seguros e agradáveis (clubes, uni- - Passar o final de semana ou período de
dades do SESC etc.). Sugerir que os férias em algum lugar natural ou onde as
pais conversem com outras famílias crianças e os adolescentes possam se lo-
sobre como proporcionar oportuni- comover com autonomia e liberdade, com
dades de convívio social para os ado- regras de supervisão e proteção social.
lescentes fora dos espaços fechados
e privados como shopping centers. • Destacar a importância de que a crian-
ça e o adolescente tenham contato com
• Avaliar hábitos de sono, alimentação, animais domésticos (cães, gatos, hams-
atividade física20, comportamentos, de- ter, passarinhos e outros) e também com
sempenho escolar, uso de equipamentos plantas em vasos ou canteiros na resi-
digitais4 e dinâmica familiar, destacando dência, mostrando que crianças e ado-
a importância das experiências ao ar li- lescentes que convivem com a natureza
vre para o desenvolvimento saudável e e também com animais domésticos são
bem-estar da criança e do adolescente. frequentemente mais saudáveis, princi-
Investigar quais são as atividades ao ar palmente do ponto de vista imunoló-
livre preferidas pela família e discutir so- gico. Mostrar que mesmo em espaços
bre outras que não tenham sido aven- pequenos como apartamentos é possí-
tadas - observação de pássaros, cultivo vel cultivar vasos de plantas e até uma
de plantas, piqueniques. Avaliar junto horta, e que as crianças e adolescentes
aos pais quais são as principais barrei- se beneficiam muito com essa prática.
ras que limitam o acesso de todos à Alertar sobre a escolha das plantas e
prática de atividades de lazer a céu a vasos, evitando as espécies tóxicas ou
aberto (falta de tempo, falta de trans- alergênicas e dando preferência aos va-
porte, desconhecimento sobre onde ir sos esmaltados. Levar em conta as situ-
e o que fazer, dificuldades financeiras). ações de exceção de alergia específica
Planejar com as crianças, adolescentes e a animais e plantas.

9 Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019


Orientações para pediatras

• Incluir nos protocolos de atendimento sas crianças e adolescentes tenham


rotinas que permitam tanto a prevenção tempo e espaço para movimentar-se,
como o diagnóstico e o tratamento dos gastar energia e participar de brinca-
danos à saúde física e emocional, de- deiras que despertem seu interesse
correntes do estilo de vida confinado no e concentração. Avaliar com a família
qual as crianças e jovens passam muitas as rotinas e o espaço físico da escola
horas em ambientes fechados: obesida- que a criança ou adolescente frequen-
de, sobrepeso, sedentarismo, déficit de tam e recomendar mais oportunidades
vitamina D, deficiências  nutricionais, di- de brincadeiras, encontros não diri-
ficuldades alimentares, hiperatividade, gidos e passeios ao ar livre, tendo em
déficit de atenção, desequilíbrio emo- vista a relação entre tempo na natureza
cional, baixa motricidade - falta de equi- e diminuição de sintomas de TDAH.21
líbrio, agilidade e habilidade física - e
miopia, conforme demonstram diversos • Atualizar seus conhecimentos em rela-
estudos da literatura científica. ção às evidências científicas sobre os
danos causados pelo “déficit de natu-
• Considerar e avaliar com mais atenção reza” ao desenvolvimento físico, men-
crianças e adolescentes com queixas tal e psicossocial das crianças e ado­
relacionadas ao desempenho escolar lescentes. Assim, entender melhor as
- acadêmico e comportamental - que possibilidades diagnósticas relaciona-
apresentem sintomas de hiperativida- das a essa faixa etária e prescrever as
de e déficit de atenção. Orientar sobre principais medidas de prevenção, que
a importância de assegurar que es- também são tópicos de saúde pública

Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019 10


Orientações para pediatras

e coletiva tendo em vista os enormes • Colaborar com a mídia para valorizar


benefícios do contato com a nature- o contato da criança e do adolescente
za na prevenção de diversas doenças. com ambientes naturais e abertos em
qualquer matéria ou pauta de entrevis-
• Dialogar com a família durante a con- ta em que o pediatra seja o profissional
sulta sobre mudanças de hábitos e ouvido. Sempre alertar e esclarecer so-
estilos de vida que possam ser preju- bre os problemas de saúde relaciona-
diciais, enquanto modelos referenciais dos ao “déficit de natureza” durante a
para as crianças e adolescentes, como infância e a adolescência, assim como
o sedentarismo, a escolha de ativida- ressaltar os benefícios de uma “dieta
des de lazer em espaços fechados e li- rica em natureza” durante esse período
gados ao consumo (shopping centers) da vida, sugerindo o uso das áreas ver-
e o uso excessivo de dispositivos ele- des públicas disponíveis em sua cidade.
trônicos (smartphones, tablets, compu-
tadores e videogames) em detrimento • Participar de palestras nas escolas ou em
de passeios e brincadeiras ao ar livre, campanhas de valorização de estilos de
a pé ou de bicicleta, piqueniques ou vida saudáveis, enfatizando a importân-
cultivo de plantas. Os pais e as mães cia do contato com a natureza de forma
são modelos para os filhos e os valo- cotidiana e frequente como pressuposto
res e experiências familiares tendem a do direito de todas as crianças e adoles-
se perpetuar nas gerações seguintes. centes à saúde.

• Dialogar com a família sobre como o • Colaborar na elaboração de políticas pú-


contato com a natureza por meio do blicas relacionadas à saúde que incluam
processo de plantar, colher e preparar o acesso à natureza como direito de to-
o alimento pode inspirar hábitos de ali- das as crianças e adolescentes.
mentação saudáveis, como a disposição
para experimentar vegetais diferentes • Compartilhar com as crianças, ado-
com mais frequência ou o consumo de lescentes e suas famílias suas próprias
mais frutas e hortaliças.22 histórias de vínculo com a natureza
e experiências com o ambiente na-
• Encontrar o equilíbrio ao tratar de preven- tural, especialmente as da sua infân-
ção de acidentes, abordando a diferen- cia, de forma a ajudar a construir nar-
ça entre riscos benéficos (aqueles cujas rativas positivas sobre essa relação.
consequências são baixas e os ganhos de
desenvolvimento são altos) e os perigos A relação da criança e do adolescente com a
de lesões comuns na infância (acidentes natureza no dia a dia e as oportunidades que
de trânsito, afogamento, sufocação). Co- eles têm para brincar e se relacionar livre-
locar em perspectiva de longo prazo os mente do lado de fora são aspectos relevan-
riscos que a criança e o adolescente su- tes para a prática de uma pediatria integral,
perprotegidos correm em decorrência do cujo objetivo é cuidar da saúde e do desen-
estilo de vida sedentário. Enfatizar as re- volvimento pleno da criança e do adolescen-
gras de segurança e proteção social para te do nosso tempo. O pediatra deve buscar
áreas externas (boné para proteção dos ampliar o olhar e o cuidado e não apenas
raios solares, uso de bloqueador solar e tratar e prevenir doenças, promovendo bem-
repelentes para mosquitos, por exemplo). -estar físico, emocional, mental, social e es-

11 Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019


Orientações para pediatras

piritual da criança, do adolescente e da fa- pediatra traz para o centro da reflexão a fa-
mília. Portanto, ao procurar ver a criança e mília, a cidade e o bairro onde vive, o grupo
o adolescente em seu contexto mais amplo, social, a educação, o consumo e a mídia, o
pensando como contribuir para sua saúde, o meio ambiente, a cultura e o planeta.

Essas ferramentas vão ajudá-lo a colocar mais tempo ao ar livre na rotina das famílias de
seus pacientes:

Grupo Natureza em Família: material sobre como organizar um grupo de famí-


lias interessadas em proporcionar às crianças tempo ao ar livre, em contato com
a natureza. Disponível em: http://bit.ly/2H5xYRX.

GPS da Natureza: ferramenta gratuita que auxilia no mapeamento das áreas


naturais que estão perto de você, com sugestões de atividades e brincadeiras
que podem ser feitas nestes locais. Disponível em: http://bit.ly/2I0mj6O.

Ruas de Lazer: alternativa barata e eficiente de ativação de espaços públicos


para o lazer e a convivência a céu aberto. Materiais de apoio disponíveis em:
http://bit.ly/2Rg7Dln.

Manual Como Ser Um Boa Praça: material com informações e casos práticos
sobre como revitalizar praças públicas, o que pode ser feito e qual o caminho para
torná-las excelentes locais para encontros e lazer ao ar livre. Disponível em: http://
bit.ly/2GUODaR.

Infográfico sobre o uso da bicicleta para uma infância


saudável: destaca a importância da bicicleta para o desenvol-
vimento infantil e fornece dicas e sugestões para pais e plane-
jadores urbanos. Disponível em: http://bit.ly/2P7GMWH.

Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019 12


3. ORIENTAÇÕES PARA EDUCADORES E ESCOLAS

• Desenvolver estratégias com o objetivo os demais membros da comunidade es-


de aumentar as oportunidades para o colar. Nesse caminho, os pátios e toda a
brincar e o aprender ao ar livre é fun- escola podem ser lugares de alegria, que
damental. Recomenda-se uma avaliação instigam a descoberta e a experimenta-
do processo educacional no sentido de ção e propiciam a construção de conhe-
rever os espaços, as práticas, a organi- cimentos e o desenvolvimento humano.
zação, as rotinas e o tempo escolar, re-
conhecendo no valor do brincar e do • Ainda sobre a organização dos espa-
aprender com a - e na - natureza um ços, pesquisas demonstram que o pla-
dos elementos centrais de uma edu- nejamento do pátio escolar e a inserção
cação vinculada com a própria vida. de diversos elementos organizados de
forma intencional podem aumentar não
• Em relação aos espaços, sugere-se que só as possibilidades do brincar, como
toda a escola seja pensada e planeja- também a qualidade do ensino curri-
da com o objetivo de facilitar o aces- cular – matemática, ciências, escrita – e
so da comunidade escolar ao ar livre e a motivação dos alunos e professores
à natureza. Dentro de uma concepção em engajar-se no processo de ensino e
que defende que os pátios escolares aprendizagem. Uma tendência é acre-
sejam pensados como elementos do ditar que o tamanho é o principal fator
sistema de espaços livres das cidades, para que o pátio desempenhe esse pa-
o que aconteceria se as escolas trocas- pel mas, na verdade, as experiências exi-
sem o cimento por terra, areia e árvo- tosas e também as pesquisas apontam
res? Teríamos uma rede de espaços que elementos como árvores, sombras,
livres dentro da cidade se tornando galhos soltos, sementes, flores, terra,
mais naturais, mais verdes, impactan- água, cordas e a maneira como estão or-
do positivamente toda a comunidade. ganizados exerce grande influência nas
atividades e no desejo de permanência
• Recomenda-se ampliar a concepção de no pátio, tanto dos alunos quanto dos
que o aprendizado só ocorre dentro da educadores. Cada escola deve adaptar,
escola, especialmente nas salas de aula, organizar e usar seu espaço de acordo
e valorizar todo espaço ao ar livre, as- com seu terreno, recursos financeiros e,
sim como os espaços extramuros. Procu- principalmente, de acordo com sua traje-
rar referências de sucesso de territórios tória pedagógica. Muitas vezes, as esco-
educativos, cidades educadoras e co- las contam também com a participação
munidades de aprendizado que privile- das famílias nesse processo, por meio
giam a natureza como pilar de seus pro- da doação de materiais e de mutirões
jetos pedagógicos. Visitas de campo, para organização dos espaços e constru-
estudos do meio, excursões e passeios ção de brinquedos e outras estruturas.
também são ótimas estratégias e de-
vem ser tão frequentes quanto possível. • A riqueza das experiências sensoriais é
uma das características desejáveis em
• Ouvir o que as crianças e os adolescen- um ambiente escolar, e a qualidade e
tes têm a dizer sobre os espaços escola- diversidade sensorial dos materiais
res e procurar incorporar a estes seus de- deve ser uma preocupação na seleção
sejos e suas percepções, qualificando-os dos elementos presentes. Nesse sen-
e tornando-os melhores para eles e para tido, brinquedos e utensílios de plásti-

13 Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019


Orientações para educadores e escolas

co, borracha EVA (mistura de etil, vinil análise e estudo de questões ligadas à
e acetato) e materiais descartáveis de sustentabilidade e conservação da na-
baixa qualidade devem ser evitados. tureza e são predominantemente cog-
Sempre que possível oferecer às crian- nitivas. Antes de ser apresentada aos
ças brinquedos de madeira, utensí- problemas ambientais, a criança precisa
lios de cozinha de louça, madeira ou experimentar a natureza em sua pleni-
metal e muitos elementos naturais tude e beleza, tornar-se íntima dela e
como pedras, folhas, galhos, conchas. vincular-se afetivamente. Isso acontece
por meio da experiência direta, livre e
• O consumo de alimentos na esco- ancorada no brincar. A conexão emo-
la também pode ser aproveitado para cional entre a criança e a natureza vai
promover a conexão entre a criança e auxiliá-la a adotar atitudes que contri-
a natureza. Um processo cuidadoso de buam para uma sociedade sustentável e
plantio, cultivo, colheita e preparo de que respeitem todas as formas de vida.
alimentos que envolva toda a comuni-
dade escolar pode trazer conhecimen- • Ter consciência de que os benefícios
tos e hábitos alimentares saudáveis são mútuos: assim como a criança e
duradouros, como por exemplo o maior o adolescente precisam da natureza,
consumo de verduras, frutas e legumes. a natureza também precisa das crian-
ças e jovens. Essa clareza é importan-
• Em relação ao tempo, recomenda-se a te para apoiar, conceber e priorizar
requalificação das rotinas escolares, as atividades das crianças na escola.
de forma a possibilitar que os alunos da
educação infantil e do ensino fundamen- • É fundamental planejar e executar pro-
tal tenham amplas oportunidades de es- cessos de formação que busquem o apri-
tar ao ar livre, preferencialmente em am- moramento do olhar do educador para
bientes naturais em contato com plantas, os espaços escolares e para a potência
terra e água. Para tanto é fundamental das experiências educacionais que acon-
buscar o equilíbrio entre atividades di- tecem nos pátios e em outros territórios
rigidas e o brincar livre (recreio). Nes- educativos naturais. Para desemparedar
se sentido, o papel do educador deve as crianças e jovens é preciso desem-
ser menos o de controlador e mais o de paredar-se! Portanto, é importante que
observador, espectador ativo e presente os educadores também nutram o prazer
dos gestos e desejos espontâneos das em estar na natureza, para então pode-
crianças, que precisam de tempo para rem proporcionar isso para seus alunos.
apreender o mundo por meio do brin-
car, para fazer contato consigo mesmas • Envolver as famílias no processo de
pela introspecção e para relacionar-se desemparedamento porque, mes-
com o outro pela experiência coletiva. mo que às vezes elas sejam uma das
grandes barreiras, podem transfor-
• Atentar para o fato de que o contato mar-se em importantes apoiadoras.
da criança com a natureza no ambien- A escola e os educadores têm um pa-
te escolar não deve se restringir às ati- pel fundamental nessa sensibilização.
vidades ligadas à educação ambiental.
Essas atividades são muito relevantes, • Oportunidades de correr riscos são um
mas geralmente estão associadas à componente essencial de espaços es-

Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019 14


Orientações para educadores e escolas

colares voltados para o desenvolvimen- tir às crianças e jovens atividades que


to integral da criança. Adultos e insti- envolvam assumir riscos benéficos. Ex.:
tuições têm a responsabilidade de usar subir em árvores e descer barrancos e
o bom senso ao proporcionar e permi- rampas.

Os seguintes materiais são ótimos recursos para educadores e escolas:

A publicação Desemparedamento da infância: a escola como lugar de en-


contro com a natureza. Disponível em: http://bit.ly/2MZSPZq.

Os vídeos Verdejando o Aprender (disponível em: http://bit.ly/2GU3fGA) e a


entrevista de Lea Tiriba (disponível em: http://bit.ly/2GSRSPf).

A declaração sobre os benefícios dos riscos para as crianças nos espaços es-
colares publicada pela Aliança Internacional de Espaços Escolares (International
School Grounds Alliance – ISGA). Disponível em: http://bit.ly/2GcUjwm.

Filme Muito Além do Peso. Disponível em: http://bit.ly/2Vyceln.

15 Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019


4. ORIENTAÇÕES PARA FAMÍLIAS

• Converse com o médico pediatra, he- • Se a praça ou o parque mais próximo da


biatra ou outro profissional de confiança sua casa está abandonado, mal cuidado
sobre como ajudá-lo/orientá-lo a pro- e pouco atraente para o uso, envolva-se
porcionar uma vida ativa ao ar livre para com a sua revitalização com a ajuda da
seu filho. Tire suas dúvidas, peça expli- vizinhança ou da prefeitura. Procure sa-
cações a respeito dos benefícios do ber se há outras famílias interessadas em
contato com a natureza e dos riscos en- promover a limpeza e a renovação des-
volvidos (insolação, cuidado com a pele, sa área pública. Há muitos movimentos
hidratação, prevenção de acidentes). e coletivos que mostram que é possível
Priorize o tema e, se achar necessário, transformar e revitalizar espaços pú-
peça indicação de textos, livros e vídeos. blicos que se tornam o ponto de encon-
tro de toda comunidade ao seu redor.
• Duas grandes barreiras que impedem Mais informação sobre isso no Manual
as crianças e os adolescentes de terem Como Ser Um Boa Praça (disponível em:
oportunidades para brincar e conviver http://bit.ly/2GUODaR).
ao ar livre são tempo e acesso. Não dei-
xe que a agenda do seu filho seja com- • Sirva de exemplo, vá para fora de casa.
pletamente preenchida por estudos e Reserve tempo nos finais de semana
atividades extracurriculares. Guarde al- para atividades ao ar livre com seu filho.
gum tempo - ao menos uma hora por Pode ser um simples passeio no parque,
dia - para que ele possa brincar ao lado na praça, uma brincadeira com bola ou
de fora com liberdade e autonomia. uma volta de bicicleta. Torne seu final de
Com relação ao acesso, lembre que não semana e de sua família ativo e saudá-
é preciso procurar lugares distantes ou vel. Seu exemplo será fundamental para
perfeitos - a natureza próxima, aquela que seus filhos estabeleçam uma rela-
que é acessível, é o suficiente: um pas- ção duradoura com a natureza. Nesses
seio na rua, o pátio do prédio, a praça passeios lembre-se sempre de respei-
mais próxima. Sempre que possível in- tar o ritmo das crianças, de forma que
clua outras crianças e adolescentes nes- a interação delas com o mundo natural
ses momentos, pois vai enriquecer mui- seja privilegiada: deixe que elas guiem
to a experiência. Você pode usar o GPS o passeio, mostrando o que desejam fa-
da Natureza para encontrar esses locais. zer e observar. Por isso, importa menos
a quantidade de atividades realizadas
• Realize os deslocamentos rotineiros da e mais a qualidade das experiências.
criança, do adolescente (casa - esco-
la - casa, atividades extracurriculares e • Monte um pequeno kit para levar nos
outras) e da família a pé, sempre que passeios em família com a intenção de
possível. Dê preferência ao transporte ajudar a criança a explorar ainda mais
público. Andar a pé ou usar transpor- aquilo que despertou seu interesse. Su-
te público trazem inúmeros benefícios gestões: papelão para descer barrancos,
como atividade física, conexão com os lupas para investigar pequenos animais
territórios, senso de pertencimento e ou plantas, potes para guardar achados,
vínculos afetivos. Mais informações no bola e frisbee, cordas e tecidos para
infográfico sobre o uso da bicicleta para construir uma cabana. Um kit pique-
uma infância saudável (disponível em: nique com utensílios não descartáveis
http://bit.ly/2P7GMWH). também é uma ótima ideia.

Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019 16


Orientações para famílias

• Convide outras famílias ou crianças ou conteúdos que tratem das ameaças


para passarem tempo ao ar livre em e danos que a humanidade tem causa-
atividades de lazer. A ideia é encontrar do ao mundo natural, evitando um dis-
companhia para caminhar, brincar, andar curso pautado pelo medo e pela culpa.
de bicicleta, cuidar de parques e praças, Os livros podem inspirar o amor e a
observar aves, fazer um piquenique, ou curiosidade pela vida lá fora, ao ar livre.
ainda organizar ruas de lazer temporárias Exemplo: guias de campo sobre as aves
no seu bairro. O site do programa Crian- e plantas, livros sobre aventuras na na-
ça e Natureza, do Instituto Alana (https:// tureza e sobre sua beleza inspiradora.
criancaenatureza.org.br/), apresenta um
kit de ferramentas sobre como criar seu • Não existe clima ruim, só roupas impró-
próprio Grupo Natureza em Família e o prias. Encoraje seu filho a interagir
mecanismo de busca GPS da Natureza, com o ambiente natural em todas as
que oferece sugestões de atividades e condições climáticas. Se estiver cho-
locais em São Paulo e no Rio de Janeiro. vendo, saia de casa e mostre às crianças
a alegria de pular em poças d’água, fa-
• Leve a flora e a fauna para a vida da zer represas na calçada, observar barcos
sua família. Tenha animais domésticos e de folhas. Nos dias muito ensolarados,
plantas em casa. Cultive um jardim, uma proteja-as com chapéu, roupas leves
horta ou vasos e permita que seu filho que impeçam a passagem do sol, use
tenha seus próprios vasos e plantas (dê protetor solar e permita que brinquem
preferência para plantas não tóxicas ou ao ar livre, preferencialmente à sombra.
alergênicas e use vasos esmaltados). Se Ao vestir seu filho para a escola ou du-
não for possível ter um animal domés- rante passeios em família, escolha rou-
tico, adote um gato ou um cachorro na pas que não restrinjam seu movimento,
vizinhança e leve-o para passear com a que sejam confortáveis para brincar a
criança. Leve em conta as situações de céu aberto e possam sujar e estragar.
exceção de alergia específica a animais. Com frio ou chuva, vista a criança em
camadas, usando preferencialmente
• Conte ao seu filho histórias sobre a roupas sintéticas que secam mais rapi-
sua infância, as brincadeiras que fize- damente. Bota plástica e capa de chuva
ram parte dela e o papel das áreas na- permitem que seu filho vá para o lado
turais e dos espaços abertos nesse pe- de fora mesmo que esteja chovendo.
ríodo da sua vida. Lembre-se de como
essas experiências foram importantes • Reconheça que as crianças e adolescen-
e formadoras para você e ajude seu fi- tes são capazes e competentes. Aprenda
lho a viver experiências semelhantes. a avaliar as habilidades do seu filho em
assumir riscos durante o brincar não
• Ofereça livros e revistas sobre a natu- estruturado em ambientes ao ar livre, e
reza ao seu filho, especialmente aque- ajude-o a perceber as consequências do
les que contenham respostas pertinen- que ainda não é capaz de fazer. Ao mes-
tes para suas indagações sobre como mo tempo, incentive-o gradativamente a
funciona o mundo natural. Evite livros ir além do que já é capaz, permitindo que
que mostram seres vivos antropomorfi- ele assuma os riscos com os quais se sen-
zados (desenhados com características te confortável, desenvolvendo sua capa-
humanas ou como se fossem humanos) cidade de julgamento e autorregulação.

17 Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019


Orientações para famílias

• Nas férias em família, dê preferência tunidades de convívio social para os


para visitas a áreas naturais como par- adolescentes fora dos espaços fecha-
ques nacionais e estaduais. Lembre que dos e privados como shopping centers.
as férias podem ser ótimas oportunida-
des para as crianças e adolescentes que • Converse com a escola do seu filho so-
vivem em centros urbanos vivenciarem bre as oportunidades oferecidas aos
experiências com a natureza preserva- alunos de brincar e aprender na nature-
da e livre de interferências humanas za. Quanto tempo há de recreio? Onde as
(trilhas, cachoeiras, cavernas). Passar crianças podem brincar e os adolescen-
alguns dias na praia anualmente ou tes conviver durante esse tempo? Como
acampar por uma ou duas noites tam- é o espaço? Há elementos naturais? As
bém são experiências muito enriquece- crianças e adolescentes dispõem de li-
doras para as crianças e adolescentes. berdade para interagir com eles? Como
os professores usam os espaços fora das
• Planeje festas de aniversário ao ar salas de aula em atividades educacio-
livre. Praças e parques são ótimas op- nais? Mostre que você valoriza a impor-
ções de espaço para festas infantis, além tância do contato entre as crianças e os
de terem custo baixo. Adicionalmente, adolescentes e o ambiente natural na
oferecem oportunidades de brincadei- escola e procure saber como isso ocor-
ras muito mais divertidas e saudáveis re e o que pode ser feito para melhorar.
para todos os convidados: adultos, jo-
vens e crianças. Um piquenique no par- • Use o interesse das crianças pelo proces-
que com brincadeiras tradicionais da so de plantar, cultivar, colher e preparar
infância pode ser uma ótima opção. alimentos como estratégia para promo-
ver hábitos alimentares saudáveis para
• A vida ao ar livre é um dos melhores toda a família, aumentando o consumo
antídotos contra a intoxicação digital de verduras, frutas e legumes. Uma pe-
que ameaça as crianças e adolescen- quena horta doméstica é uma excelen-
tes. Busque o uso equilibrado de dis- te ferramenta, desde que todos se de-
positivos digitais na sua vida pessoal e diquem à sua manutenção e cuidados.
no dia a dia do seu filho, e incentive-
-o a brincar ao ar livre o maior tempo • Use a natureza como parceira para for-
possível, pois o hábito de brincar sem talecer os laços familiares. Existe um
telas vai auxiliá-lo a encontrar o equilí- jeito melhor de estreitar o vínculo entre
brio entre o uso saudável da tecnolo- mães, pais e filhos do que brincar ao ar
gia e a conexão com o mundo natural. livre, deixando de lado os aparelhos ele-
trônicos e o consumo? Quando pensam
• Incentive seu filho adolescente a na infância, jovens costumam mencionar
planejar encontros com amigos em aventuras ao ar livre como suas melho-
parques e áreas abertas. Oriente-o res lembranças – mesmo que tenham re-
sobre as questões relativas à seguran- clamado desses passeios na época.
ça nesses locais e ajude-o a encontrar
espaços ao ar livre que sejam seguros
e agradáveis. Converse com outras fa-
mílias sobre como proporcionar opor-

Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019 18


5. ORIENTAÇÕES PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES

• Sempre que puder se desloque a pé se em como essa atividade se relacio-


ou de bicicleta. Seja para ir à escola, na com hábitos alimentares saudáveis.
ao parque, à casa dos amigos ou ao
supermercado. Ir a pé ou de bicicleta • Proponha que sua escola e seus pro-
pode ser muito divertido, ainda mais fessores usem espaços fora da sala de
se você estiver bem acompanhado! aula para atividades de aprendizado
e convivência. Pesquise e sugira ativi-
• Você conhece os animais e plantas que dades e aulas que podem acontecer ao
vivem perto da sua casa? Você sabe ar livre. Envolva-se com o planejamen-
qual é o parque ou a praça mais pró- to e a manutenção dos espaços natu-
xima de onde você mora? Que plan- rais da sua escola: conte para os adul-
tas e animais há nesses locais? Saia tos do que você mais gosta de brincar
de casa e investigue sua vizinhança no recreio e o que gostaria que tivesse
e seu bairro. Conheça seu território e no pátio e nos outros espaços abertos.
compartilhe o que você descobriu com
sua família e seus amigos. Observe as • Cuidado e muita atenção com o tempo
novidades que surgem todos os dias. que passa em frente às telas. Mais que
duas horas por dia jogando videogame,
• O que você mais gosta de fazer den- interagindo em redes sociais ou assis-
tro de casa? Tente fazer a mesma coi- tindo vídeos poderá ser prejudicial para
sa do lado de fora! Pode parecer es- sua saúde, atrapalhar seu rendimento
tranho e difícil no começo, mas se você escolar e fazê-lo se distanciar da família
tentar vai ver que é mais fácil e divertido e dos amigos. Dê preferência por ativi-
do que parece… algumas ideias: ouvir dades ao ar livre!
música, ler, estudar, tomar um lanche. E
se você fizer qualquer uma dessas coi-
sas com um amigo, mais legal ainda.

• Sugira que os encontros, festas e cele-


brações da sua turma de amigos sejam
sempre em espaços abertos. Parques,
praças e quintais são ótimas opções
de local para convívio e encontros.

• Pratique atividade física ao ar livre em


grupo ou com familiares. Vale qualquer
coisa: bicicleta, patins, vôlei, basquete,
futebol, natação, surf, caminhadas etc.

• Cultive plantas, vasos ou uma pe-


quena horta. É incrível acompanhar
o desenvolvimento de uma planta e
usá-la em suas próprias receitas. Se
você quiser ir ainda mais longe, come-
ce uma horta comunitária com a ajuda
de sua família e de seus vizinhos. Pen-

19 Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019


Orientações para crianças e adolescentes

• Conhecer e explorar o mundo natural, lá - Lembre de levar roupa adequada, co-


fora, pode ser uma experiência fantás- mida e água;
tica, mas há alguns cuidados que você
deve ter para evitar situações de perigo - Se você estiver acompanhado de ou-
e aproveitar ao máximo as experiências tras crianças, cuide sempre dos menores;
ao ar livre, respeitando as outras formas
de vida: - Não mexa em tocas ou ninhos, eles são
lugares muito sensíveis para os animais;
- Sempre que for sair de casa para brin-
car do lado de fora lembre de avisar um - Lembre de trazer todo o seu lixo de
adulto e obter sua autorização para o volta e colocá-lo em lugar apropriado
que você planejar fazer; para a coleta;

- Convide amigos para fazer o passeio - Se você tem vontade de observar ani-
com você; mais, seja silencioso e respeitoso e lem-
bre que todos os seres têm direito à vida.
- Preste atenção aonde está indo para
que possa encontrar o caminho de volta;

Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019 20


BENEFÍCIOS DA NATUREZA NA SAÚDE DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES

Brincar ao ar livre em um am-


biente natural pode trazer me-
lhoras para a força motora, Atividades ao ar livre podem
Experiências positivas com equilíbrio e coordenação das reduzir a tristeza, a raiva e a
a - e na - natureza podem crianças1 fadiga, melhorar a atenção e
contribuir para uma vida
demais funções cognitivas e
comprometida com o cuida-
prevenir o estresse tóxico
do e a conservação dos re-
na infância.2, 3
cursos naturais.10

Passar tempo em pai- Passar tempo ao ar li-


sagens naturais pode vre está associado com
incentivar interações so- o aperfeiçoamento da
ciais e integração entre visão à distância.4
os membros da família.9

Exposição regular ao verde


A exposição à natureza e à luz natural pode aumen-
pode melhorar os sintomas tar os níveis de vitamina D
de depressão, ansiedade e e ajudar diabéticos a alcan-
déficit de atenção associado Tempo para brincar na natureza çarem níveis saudáveis de​​
à hiperatividade.7, 8 pode contribuir para o desenvolvi- glicose no sangue.5
mento cognitivo, emocional, social
e educacional das crianças.6

Fonte: conteúdo adaptado do quadro The Health Benefits of Nature inserido no documento Healthy
Parks Health People: Bay Area - A Road Map and Case Study For Regional Collaboration.11

1 | Fjørtoft I. The natural environment as a playground for children: the impact of outdoor 6 | Strife S, Downey L. Childhood Development and Access to Nature: A New Direction
play activities in pre-primary school children. Early Child Edu J 2001; 29(2):111-117. for Environmental Inequality Research. Organ Environ. 2009; 22(1):99-122.

2 | Bowler DE, Buyung-Ali LM, Knight TM, et al. A systematic review of evidence for 7 | Sugiyama T, Leslie E, Giles-Corti B, et al. Associations of neighbourhood greenness
the added benefits to health of exposure to natural environments. BMC Public Health. with physical and mental health: do walking, social coherence and local social interaction
2010; 10:456. explain the relationships? J Epidemiol Community Health. 2008; 62(5):e9.

3 | Murray, DW, Rosanbalm, K, et al. Self Regulation and Toxic Stress: Foundations for Un- 8 | Taylor AF, Kuo FE. Children with attention deficits concentrate better after walk in the
derstanding Self-Regulation from an Applied Developmental Perspective. OPRE Report park. J Atten Disord. 2009; 12(5):402-409.
#2015-21. Office of Planning, Research and Evaluation, Administration for Children and
Families, U.S. Department of Health and Human Services. 2015; Disponível em: https:// 9 | Kweon BS, Sullivan WC, Wiley AR. Green common spaces and the social integration
www.acf.hhs.gov/sites/default/files/opre/report_1_foundations_paper_final_012715_ of inner-city older adults. Environ Behav. 1998; 30(6):832-858.
submitted_508.pdf. Acessado em 11 de fevereiro de 2019.
10 | Wells NM, Lekies KS. Nature and the Life Course: Pathways from Childhood Nature
4 | Rose KA, Morgan IG, Ip J, et al. Outdoor activity reduces the prevalence of myopia Experiences to Adult Environmentalism. Child Youth Environ. 2006; 16(1):1-24.
in children. Ophthalmology. 2008; 115(8):1279-1285.
11 | Institute at the Golden Gate. Healthy Parks Healthy People: Bay Area A
5 | Kuo FE. Parks and other green environments: essential components of healthy Roadmap and Case Study for Regional Collaboration. [2018?]. Disponível em https://
human habitat. National Recreation and Park Association. 2010; Disponível em https:// instituteatgoldengate.org/sites/default/files/documents/HPHPRoadmap_report.pdf.
www.nrpa.org/UPLOADEDFILES/NRPA.ORG/PUBLICATIONS_AND_RESEARCH/ Acessado em 15 de fevereiro de 2019.
RESEARCH/PAPERS/MINGKUO-RESEARCH-PAPER.PDF.

21 Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019


7. MATERIAL DE APOIO

O programa Criança e Natureza do Instituto eles se relacionem com os elementos do


Alana produziu diversos materiais, vídeos, mundo natural, para que possam realizar
entrevistas e campanhas sobre os benefícios plenamente seu potencial indo ao encontro
do contato com a natureza para a saúde das de sua própria natureza.
crianças e dos adolescentes. Eles são um Disponível em: http://bit.ly/2GSRSPf
ótimo recurso para sensibilizar responsáveis,
educadores e profissionais da saúde sobre a Brincando com a natureza na cidade
importância do brincar e do aprender ao ar Correr, brincar, explorar, imaginar, vivenciar,
livre na infância. Abaixo está uma pequena sujar-se, ser criança, ser livre. Este pequeno
seleção desse conteúdo. O acervo comple- filme mostra que mesmo nos maiores cen-
to pode ser acessado no site do programa tros urbanos brasileiros não é necessário ir
(www.criancaenatureza.org.br). muito longe de casa para brincar com a na-
tureza.
Disponível em: http://bit.ly/2RmfGNy
Livros
Natureza é saúde na infância
Barros, MIA. (Org.). Desemparedamento da
Infância: a escola como lugar de encontro José Martins Filho, médico pediatra e ex-
com a natureza. São Paulo: Instituto Alana; -presidente da Academia Brasileira de Pe-
2018. Disponível em: http://bit.ly/2MZSPZq diatria, fala sobre a importância do brincar
ao ar livre para as crianças e suas famílias.
Louv, R. A última criança na natureza: resga- Disponível em: http://bit.ly/2Si8YIm
tando nossas crianças do transtorno do defi-
cit de natureza. São Paulo: Aquariana; 2016. Quando o risco vale a pena
Este vídeo demonstra como é fundamental
para o desenvolvimento da criança apren-
Filmes e Entrevistas der a avaliar e correr riscos para tornar-se
um adulto resiliente e capaz de explorar o
Transtorno do déficit de natureza: mundo, em vez de temê-lo. A natureza é o
o que é isso? ambiente ideal para que a criança se depa-
Nessa entrevista, o jornalista e especialista re com situações que a ajudarão a aprender
em advocacy pela infância Richard Louv nos sobre seus limites e possibilidades.
guia em uma reflexão sobre as consequên- Disponível em: http://bit.ly/2HaQTIa
cias de manter as crianças e adolescentes
sentados e fechados em ambientes esco- A criança que se sente capaz
lares ou domésticos, privados do contato A entrevista com o instrutor de atividades ao
direto com a natureza e de seus benefícios ar livre Fabio Raimo discute o valor do risco
para a saúde física e mental. para o desenvolvimento da criança, demons-
Disponível em: http://bit.ly/2FKHrOl trando como o brincar ao ar livre na natureza
é a prática mais propícia para que as crianças
Desemparedar as crianças na escola aprendam a lidar com seus medos, superar
A professora Lea Tiriba chama a atenção limites e sentir-se capazes de interagir em
para a importância de “desemparedar” as segurança com o ambiente e com o mun-
crianças e jovens na escola, permitindo que do. Disponível em: http://bit.ly/2En6OA8

Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019 22


Material de apoio

Encontro de aprendizes na grande aventura ou seguro. Muitas vezes a praça ou parque


de viver mais próximos estão abandonados ou mal
Aprendizado e natureza caminham juntos. cuidados.
Desemparedar os alunos significa ampliar a
capacidade de conhecimento e de desco- Por isso, os pediatras precisam fazer mais do
bertas. É este justamente o papel das es- que apenas receitar natureza. Eles devem
colas, das salas de aula e dos professores, orientar os responsáveis sobre como buscar
principalmente quando eles se dispõem a alternativas de lazer ao ar livre, por meio de
compartilhar essas vivências com os alunos. recursos como os Grupos Natureza em Fa-
Disponível em: http://bit.ly/2KEsSed mília, o GPS da Natureza e as Ruas de Lazer.
Essas ferramentas vão ajudá-los a colocar
O desafio da tecnologia na infância mais natureza no dia a dia de seus pacientes
e suas famílias.
Por que nos distanciamos da natureza?
Como a tecnologia pode contribuir para Grupo Natureza em Família: reunião de
reverter esse distanciamento? Aprimorar o pessoas interessadas em proporcionar às
contato da criança com a natureza é um de- crianças tempo ao ar livre, em contato com
safio coletivo: envolve a família, a escola e a a natureza.
própria tecnologia, entendendo que todos Disponível em: http://bit.ly/2H5xYRX
são aliados na reconstrução dessa interação.
Disponível em: http://bit.ly/2r9yFPZ GPS da Natureza: ferramenta gratuita que
auxilia no mapeamento das áreas naturais
Imersão na natureza, em família que estão perto de você, com sugestões de
Nesta entrevista a médica e mãe Suzanne atividades e brincadeiras que podem ser fei-
Crooker compartilha as descobertas que tas nestes locais.
ela, seu marido e três filhos pequenos fize- Disponível em: http://bit.ly/2I0mj6O
ram ao longo de nove meses vivendo em
uma cabana, imersos na natureza de um flo- Ruas de Lazer: alternativa barata e eficiente
resta gelada de Yukon, no Canadá. para ativar espaços públicos que estimulem
Disponível em: http://bit.ly/2DSa6ym o lazer e a convivência a céu aberto.
Disponível em: http://bit.ly/2Rg7Dln
Muito além do peso
Manual Como Ser Um Boa Praça: material
Por que existem tantas crianças obesas no
com informações e casos práticos sobre
Brasil? Qual a responsabilidade das famílias,
como revitalizar praças públicas, o que pode
do governo e das escolas? Por que a indús-
ser feito e qual o caminho para torná-las ex-
tria é tão omissa? O documentário responde
celentes locais para encontros e lazer ao ar
estas e outras perguntas de forma corajosa,
livre.
estimulando o espectador a refletir sobre os
Disponível em: http://bit.ly/2GUODaR
próprios hábitos alimentares, os de seus fi-
lhos e familiares e os da sociedade.
Infográfico sobre o uso da bicicleta para
Disponível em: http://bit.ly/2Vyceln
uma infância saudável: destaca a importân-
cia da bicicleta para o desenvolvimento in-
fantil e fornece dicas e sugestões para pais
Ferramentas para o Lazer Ao
e planejadores urbanos.
Ar Livre
Disponível em: http://bit.ly/2P7GMWH
Muitos pais e mães querem ir mais para a
natureza com seus filhos mas não sabem
muito bem como, onde ir e o que fazer.
Acham que ir sozinhos não é tão agradável

23 Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019


Material de apoio

Sugestão de Receita Verde

A prescrição de natureza não é para todos ambientes e estilos de vida saudáveis. Mas
e também não é a solução de todos os pro- certamente o convívio com a natureza é um
blemas de saúde enfrentados pelas crianças fator relevante para o desenvolvimento sau-
e adolescentes. Ela deve ser utilizada den- dável das crianças, jovens e de todos nós.
tro de um contexto mais amplo de relações,

RECEITA MÉDICA PARA BRINCADEIRAS AO AR LIVRE

Para: Data:

Esta receita sugere que você:


• Brinque ao ar livre e explore mais a natureza à sua volta
• Faça passeios ao ar livre e sempre que possível ande à pé
ou de bicicleta
• Adote hábitos saudáveis em relação ao uso de tecnologias digitais

Dosagem:
• Se divertir na natureza várias vezes ao dia
• Ingerir o conteúdo desta receita com muita água, sucos naturais
e alimentos saudáveis

Advertência:
• Se persistirem os sintomas de desânimo, falta de curiosidade ou de
amigos, reforçar as doses de brincadeiras ao ar livre

Dr.
CRM:

Esse material foi inspirado na Nature Play Prescription da Children & Nature Network, www.childrenandnature.org.

Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019 24


8. REFERÊNCIAS CITADAS

1. Fundo das Nações Unidas para a Infância. 8. Christakis DA. Rethinking attention deficit/
ECA 25 anos: avanços e desafios para a infância hyperactivity disorder. JAMA Pediatr. 2016;
e adolescência no Brasil. Brasília: UNICEF; 2015. 170(2):109–110.

2. Agência Estado. Geral: SP tem só 2,6 m2 de 9. Lubans DR, Morgan PJ, Cliff DP, et al. Fun-
verde por pessoa. O Estado de São Paulo. 15 damental movement skills in children and ado-
de maio de 2012. Disponível em: https://brasil. lescents: review of associated health benefits.
estadao.com.br/noticias/geral,sp-tem-so-2-6- Sports Med. 2010; 40(12):1019–1035.
m-de-verde-por-pessoa,872978. Acessado em
05 de maio de 2015. 10. Rose KA, Morgan IG, Ip J, et al. Outdoor
activity reduces the prevalence of myopia in chil-
3. Luz GM, Raymundo LS, Kuhnen A. dren. Ophthalmology. 2008; 115(8):1279-1285.
Uso dos espaços urbanos pelas crianças:
uma revisão. Psicol Teor Prat. 2010; 11.Organização Pan Americana de Saúde.
12(3):172-184. Disponível em: http:// 10 Principais Causas de Morte no Mundo.
pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_ Folha informativa atualizada em maio de
arttext&pid=S1516-36872010000300014. 2018. OPAS; 2018. Disponível em: https://
Acessado em 16 de agosto de 2018. www.paho.org/bra/index.php?option=com_
content&view=article&id=5638:10-principais-
4. Sociedade Brasileira de Pediatria. causas-de-morte-no-mundo&Itemid=0.
Departamento Científico de Adolescência. Acessado em 20 de fevereiro de 2019.
Manual de Orientação. Saúde de Crianças e
Adolescentes na Era Digital. Rio de Janeiro: SBP, 12. Al-Hamad D, Raman, V. Metabolic syndrome
n 1; 2016. Disponível em: https://www.sbp.com. in children and adolescents. Transl Pediatr. 2017;
br/fileadmin/user_upload/2016/11/19166d- 6(4): 397–407.
MOrient-Saude-Crian-e-Adolesc.pdf. Acessado
em 20 de março de 2018. 13. Chawla L, Keena K, Pevec I, et al. Green
schoolyards as havens from stress and resources
5. Comitê Gestor da Internet e Centro Regional for resilience in childhood and adolescence. He-
de Estudos para o Desenvolvimento da alth Place. 2014; 28:1-13.
Sociedade de Informação. Pesquisa TIC KIDS
ONLINE – Brasil; 2017. Disponível em: https:// 14. Louv, R. A última criança na natureza: resga-
cetic.br/pesquisa/kids-online/indicadores. tando nossas crianças do transtorno do déficit
Acessado em 30 de março de 2018. de natureza. São Paulo: Aquariana; 2016.

6. Organização das Nações Unidas. Convenção 15. Chawla, L. Benefits of Nature Contact for
dos Direitos da Criança. Comitê dos Direitos da Children. J Plan Liter. 2015; 30(4):433-452.
Criança. Comentário Geral No17 de 2013. O di-
reito da criança ao descanso, lazer, brincar, ativi- 16. Yogman M, Garner A, Hutchinson J, et al.
dades recreativas, vida cultural e às artes (Artigo The Power of Play: A Pediatric Role in Enhan-
31). Disponível em: http://docs.wixstatic.com/ cing Development in Young Children. Pediatrics.
ugd/03465a_12f189361ffa41fd974cbfdd2e479d5e.pdf. 2018; 142(3):e20182058.
Acessado em 04 de abril de 2018.
17. Panksepp J. Can PLAY diminish ADHD and
7. Ansari A, Pettit K, Gershoff E. Combating facilitate the construction of the social brain?
obesity in head start: outdoor play and change J Can Acad Child Adolesc Psychiatry. 2007;
in children’s body mass index. J Dev Behav Pe- 16(2):57–66.
diatr. 2015; 36(8):605–612.

25 Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019


Referências citadas

18. Barros RM, Silver EJ, Stein RE. School recess Infância e Adolescência. SBP; 2017. Disponível
and group classroom behavior. Pediatrics. 2009; em: https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_
123(2):431-436. upload/19890d-MO-Promo_AtivFisica_na_
Inf_e_Adoles.pdf. Acessado em 20 de março de
19. French, J. Stretching out recess: one Alberta 2018.
school doubled its breaks and is finding more
focused kids. Calgary Herald. 13 novembro 2018. 21. Faber Taylor A, Kuo FE. Children with atten-
Disponível em: https://edmontonjournal.com/ tion deficits concentrate better after walk in the
news/local-news/doubling-recess-alternative- park. J Atten Disord. 2009; 12(5):402-9
schedule-gives-bruderheim-students-more-
wiggle-time. Acessado em 20 de setembro de 22. Sociedade Brasileira de Pediatria. Depar-
2018. tamento Científico de Nutrologia. Manual de
Alimentação: orientações para alimentação do
20. Sociedade Brasileira de Pediatria. Grupo lactente ao adolescente, na escola, na gestante,
de Trabalho em Atividade Física. Manual de na prevenção de doenças e segurança alimen-
Orientação. Promoção da Atividade Física na tar. SBP; 2018.

Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes - 2019 26