Você está na página 1de 27

You are free: to copy, distribute and transmit the work; to adapt the work.

You must attribute the work in the manner specified by the author or licensor

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SUA INFLUÊNCIA NAS ATITUDES DE ALUNOS


DE UMA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL DE NATAL/RN

Ana Katarina Nascimento de Azevedo1; Márcio Camilo Dias Santos2;


Handson Claudio Dias Pimenta3; Valdenildo Pedro da Silva4

RESUMO
O presente estudo tem por objetivo compreender como o nível de consciência e de atitude ambiental de alunos,
de uma escola particular de ensino fundamental da cidade de Natal-RN, são influenciados por ações de educação
ambiental. Para tanto, buscou-se inicialmente analisar as práticas de educação ambiental desenvolvidas na escola
através de uma entrevista com a Diretora responsável pela escola objeto do estudo e observações in loco, além de
um diagnóstico dos programas de controle dos aspectos ambientais da instituição. O estudo de percepção
ambiental dos alunos do ensino fundamental II (sexto ao nono ano) foi efetuado através de um questionário
estruturado em 4 de variáveis, sendo eles: perfil, concepção ambiental; participação e verificação ambiental e
atitudes ambientais. Quanto às práticas de gestão e educação ambiental desenvolvida pela escola, merece
destaque o desenvolvimento da Agenda 21 local a qual contou com um com total envolvimento da comunidade
escolar - professores, alunos e funcionários. Já em relação à percepção ambiental dos alunos, verificou-se que o
conceito de meio ambiente de acordo com a Resolução CONAMA 01/86, foi incorporado ao conhecimento de
48% da amostragem, sendo que desses, 71% sempre participam de ações de educação ambiental promovidos
pela escola. Constatou-se também que a participação dos alunos em ações de educação ambiental leva a
formação de uma consciência e aprimoramento das atitudes principalmente relacionadas ao consumo de água e
energia. Os alunos que sempre economizam estes recursos estavam em maioria do sexto ano, e que neste nível
escolar, os alunos possuem, no conteúdo formal, temas específicos como o estudo do solo, recursos hídricos e as
formas de contaminação e os resíduos sólidos e qualidade vida.
Palavras chave: Educação ambiental; ensino fundamental II; conhecimento; consciência e atitude ambiental.

ENVIRONMENTAL EUCATION AND ITS INFLUENCY ON AWARENESS AND ATTITUDES OF


STUDENTS IN AN ELEMENTARY SCHOOL FROM NATAL-RN

ABSTRACT
This study aimed to understand how the level of environmental awareness and attitudes of students of a private
elementary school are influenced by environmental education. To this end, it was initially analyzed the
environmental education practices developed at school by an interview with the principal as well as observation
in loco and a diagnose of environmental aspect control. The study on environmental perception of elementary
school students was made by a structure questionnaire divided in 4 groups of analytical variables, namely:
profile, environmental awareness, environmental participation and verification as well as environmental
attitudes. Concerning the environmental education and management practices developed by school, it was
noteworthy that local 21 agenda has been implemented with a total involvement with school community –
teacher, managers, staff and students. Regarding the environmental perception of students, it was noted that the
concept of the environment in accordance with Resolution CONAMA 01/86, was incorporated into knowledge
of 48% of sample, of these, 71% always participate in actions of environmental education promoted b school.
Also, it was revealed that the participation of students in environmental education actions leads to the formation
of awareness and improvements of attitudes related to water and energy usage. In addition, students who always
save these resource were in the majority in sixth school level, and in this level, specific subject such as soil,
water resource, pollution, waste and life quality are taught in a formal approach.
Keywords: Environmental education, elementary school, environmental awareness and attitude.

Trabalho recebido em 24/11/2011 e aceito para publicação em 10/01/2013.


1
Especialista em Gestão Ambiental; Docente efetiva de Biologia do Estado do Rio Grande do Norte. E-mail: aknazevedo@yahoo.com.br.;
2
Graduado em Ciências Biológicas; Docente de Ensino Médio de Biologia da Escola Maristela. E-mail: marcio24camilo@gmail.com.
3
Mestre em Engenharia de Produção. Professor de Sistema de Gestão Ambiental do IFRN, Coordenador do Núcleo Estudos em
Sustentabilidade Empresarial – NESE/IFRN. E-mail: handson.pimenta@ifrn.edu.br.
4
Doutor em Ciências – Geografia. Professor de ensino técnico e tecnológico do IFRN. Coordenador do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu
em Tecnologias em Gestão Ambiental do IFRN e Coordenador Operacional do Doutorado Inter Institucional em Recursos Naturais
(UFCG/IFRN). E-mail: valdenildo.silva@ifrn.edu.br.

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 40

1. INTRODUÇÃO apresenta uma proposta de gestão


O despertar da consciência em ambiental definindo diretrizes e
relação à deterioração do meio ambiente e instrumentos ou ferramentas que podem
a sucessão de impactos ambientais, ser adotadas para alcançar a
causados ao longo do tempo, trazem a conscientização de seus alunos de forma a
necessidade de se investir e desenvolver, torná-los cidadãos capazes de atuar em
cada vez mais, ações de educação prol da sociedade e do seu meio vivencial.
ambiental para mudar atitudes humanas em Nesse aspecto, a educação ambiental
relação aos tratos e a convivência (EA), que é uma das ferramentas da gestão
equitativa e equilibrada com a natureza. ambiental, emerge como uma ação base
Destaca-se nesse processo, o papel que as para formar e preparar cidadãos para a
escolas desempenham na formação de uma reflexão crítica e para uma ação social
consciência e de mudanças de atitude em preventiva e corretiva ou transformadora
seus alunos frente às questões ambientais do status quo, de forma a tornar viável o
de forma mais consciente, direcionando ao desenvolvimento integral dos seres
desenvolvimento de atitudes positivas e a humanos (GALLI, 2007).
própria formação desses enquanto Entende-se que a EA deve ser
cidadãos. implementada nas instituições de ensino,
Nesse contexto, as instituições de principalmente quando se trata de ensino
ensino devem desenvolver ações fundamental, para que os alunos aprendam
educativas voltadas para a sensibilização desde cedo à importância de se preservar
quanto à preservação e a conservação do ou conservar o meio ambiente em que
meio ambiente, tais como poluição, vive. Nesse sentido, a EA pode ser
impactos ambientais e sustentabilidade, realizada formal ou informalmente, sendo
necessários para que, ao incorporá-los, os que no aspecto formal, a escola deve
alunos assumam uma postura proativa e pautar-se por estudos e pesquisas que
desenvolvam atitudes que venham a sigam as orientações propostas pelos
contribuir com o desenvolvimento Parâmetros Curriculares Nacionais
socioambiental que garanta uma qualidade (PCN’s) e possa abordar os temas
de vida das presentes e futuras gerações relacionados aos conceitos de meio
(MELO, 2009). ambiente, tratamento de resíduos sólidos e
Essas ações podem ser incorporadas água, que envolve, em análise geral, o
ao papel da instituição quando esta conceito de saneamento básico. Já no

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 41

aspecto informal, busca-se aprimorar nos Em geral, as atitudes de pessoas


alunos atitudes proativas frente a questões jovens perante o ambiente desenvolvem-se
como: apagar a luz ao sair de um cômodo muito cedo, e a escola tem fundamental
que ficará vazio, jogar os resíduos sólidos importância nessa atitude. Espera-se que
em lugares apropriados, reutilizar matérias, na adolescência elas já tenham adquirido
como forma de minimizar a extração de um nível razoável de conhecimento de
novos recursos naturais (BRASIL, 2002). questões como ecologia, tecnologia e
Enfatiza-se que o estudo da economia para terem seus próprios pontos
percepção ambiental é essencial para que de vista sobre o ambiente (CAMPBELL,
se possa compreender melhor as inter- 1992).
relações entre o homem e o ambiente, suas Deste modo, a conscientização
expectativas, anseios, satisfações e ambiental nas escolas torna-se um item de
insatisfações, julgamentos e condutas, extrema importância para despertar nossos
alem de facilitar o desenvolvimento de jovens, e ensina-lhes os benefícios das
ações de educação ambiental. A percepção práticas de proteção ambiental, que
ambiental pode ser definida como sendo minimiza riscos, principalmente aqueles
uma tomada de consciência do ambiente decorrentes das ações humanas tais como
pelo ser humano, ou seja, o ato de perceber geração de resíduos e gastos com água e
o ambiente em que se está inserido energia (LINHARES, CARDOSO,
(FAGGIONATO, 1998). Neste sentido, a CANCIGLIERI JUNIOR, 2008). Assim, a
percepção como forma de levar a uma educação e a percepção ambiental são
maior conscientização das pessoas é parte ferramentas essenciais na estratégia de
integrante da educação ambiental, sendo defesa do meio natural, ajudando a
ferramenta importante na defesa do meio reaproximar o homem da natureza e
natural, uma vez que ajuda a reaproximar o garantindo um futuro com uma maior
homem da natureza, garantindo um futuro qualidade de vida para todos, uma vez que
com mais qualidade de vida para todos, já através delas, pode-se despertar para uma
que despertam uma maior responsabilidade maior responsabilidade e respeito dos
e respeito dos indivíduos em relação ao indivíduos em relação ao ambiente em que
ambiente em que vivem, despertando-os vivem (FREITAS; MAIA, 1999).
para o cuidado e o respeito para com a Contudo, a partir dessa
Terra. Com isso, espera-se ter qualidade de contextualização, o presente estudo partiu
vida para todos e para as novas gerações da seguinte questão problema: como as
(PALMA, 2005).

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 42

ações de educação ambiental,


desenvolvidas por uma escola de ensino 2. MATERIAL E MÉTODOS
fundamental, têm influenciado na mudança 2.1 Classificação da Pesquisa
de atitude de seus alunos em casa e na
O presente estudo adotou os critérios
escola?
de classificação de pesquisa apresentados
A partir dessa indagação, o objetivo por Silva e Menezes (2001) quanto à
geral do presente estudo foi o de natureza e quanto à abordagem. No que diz
compreender os níveis de mudança de respeito à primeira classificação, a
consciência e de atitude ambiental de
pesquisa caracteriza-se como uma pesquisa
alunos, de uma escola particular de ensino aplicada, pois foi desenvolvida gerando
fundamental da cidade de Natal-RN, têm conhecimentos para aplicação prática.
sido influenciados por ações de educação
Em relação à segunda classificação,
ambiental. Os objetivos específicos são:
trata-se de uma pesquisa quantitativa, uma
diagnosticar as práticas de educação
vez que, a partir de dados estatísticos,
ambiental da escola em estudo; conhecer o
pretende-se traduzir em números opiniões
perfil dos alunos do ensino fundamental II
de alunos sobre sua percepção e atitude
que compreendem as séries iniciais (sexto
ambiental. Já quanto à abordagem, trata-se
ao nono ano); verificar as atitudes
de uma pesquisa quantitativa uma vez que,
aprendidas na escola e que tem contribuído
a partir de dados estatísticos, pretende-se
para a formação cidadã em relação com o
traduzir em números opiniões de alunos
meio ambiente.
sobre sua percepção e atitude ambiental.
Destaca-se que artigo em tela foi
elaborado a partir de algumas indagações
2.2 Instrumento de coleta de informações
que surgiram no Curso de Pós-graduação
lato sensu em Gestão Ambiental, do A coleta de informações foi

Instituto Federal de Educação, Ciência e estruturada em duas frentes. Na primeira,

Tecnologia do Rio Grande do Norte. Esses buscou-se diagnosticar as práticas de

questionamentos emergiram face a educação ambiental desenvolvidas na

problemática da difusão da educação escola através de uma entrevista com a

ambiental no ínterim da educação formal Diretora responsável pela escola objeto do

após a instituição da Lei 9.795/99 que estudo e observações in loco. As

instituiu a Política Nacional de Educação instituições de ensino apresentam diversos

Ambiental no Brasil (BRASIL, 1999). aspectos ambientais, como consumo de


recursos naturais e a geração de poluentes

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 43

(ANDRADE; PIMENTA, 2009). Partindo de seus alunos. Leite e Medina-minini


deste pressuposto, buscou-se observar a (2001) definem conhecimento ambiental
existência de programas de controle como a compreensão básica do meio
ambiental voltados para o consumo de ambiente, em sua totalidade dos problemas
água e energia e o gerenciamento de conexos. As variáveis componentes deste
resíduo sólido e efluente líquido, além de grupo foram: CA-MAc (conhecimento
observar a adequação legal da instituição e sobre meio ambiente – conceito); CA-QA
os projetos de educação ambiental (conhecimento sobre a qualidade ambiental
desenvolvidos. da cidade); CA-PAM1 (concepção se eles
A segunda frente de coleta de mesmos acreditavam trazer prejuízos ao
informações teve como foco avaliar a meio ambiente) e CA-PAM2 (concepção
percepção ambiental dos alunos. Para se eles acreditavam que escola pode trazer
tanto, a coleta de informações se baseou prejuízos ao meio ambiente). Vale destacar
em um censo com os alunos do ensino que neste grupo, foi utilizada a escala de
fundamental II de uma escola de Natal/RN, resposta descrita na Tabela 1, para todas as
sendo utilizado um questionário variáveis componentes com exceção da
estruturado em 4 (quatro) grupos de variável CON-Mac e CA-QA. Para o
variáveis, sendo eles: perfil (P), concepção conceito de meio ambiente foram
ambiental (CA); participação e verificação utilizados as seguintes opções a) como
ambiental (PVA) e atitudes ambientais sendo a natureza, b) como sendo o
(A2). conjunto de todos os seres vivos, c) como
sendo o conjunto de condições e interações
O grupo denominado de Perfil teve
de ordem física, química e biológica, que
como objetivo descrever o perfil
permite e abriga a vida em todas as suas
socioeconômico da amostra englobando
formas (BRASIL, 1986), e d) não sei. Já
informações como renda familiar,
para a qualidade ambiental da cidade
escolaridade, sexo, e idade.
foram utilizadas como escala de resposta
O grupo Concepção Ambiental foi
as opções: a) ruim, b) regular, c) bom e d)
formado por nove variáveis com o objetivo
ótimo.
de analisar o conhecimento básico dos
Enfatiza-se que estas escalas de
alunos sobre a questão ambiental, e traçar
resposta permite que os entrevistados
uma comparação deste conhecimento em
expressem em termos de graus de opinião
função de como a escola contribui através
sobre as questões referentes à temática
de suas atividades para a formação cidadã
investigada (CHIAMENTI, 2003).

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 44

Tabela 1. Escala utilizada para avaliar as respostas do grupo PA.

Valor 1 2 3 4 -
Acredito que Acredito que Acredito que sim, poucos Acredito que sim, muitos
Descrição Não sei
não talvez prejuízos ou ações prejuízos ou ações

O grupo denominado “Participação e como escala de resposta, as opções


Verificação Ambiental” teve a finalidade demonstradas na Tabela 3. Também foram
de analisar o grau de consciência ambiental analisados os principais tipos de ações
dos alunos a respeito da importância de se ambientais que os alunos participam, sendo
controlar aspectos ambientais como uso de elas, palestras, caminhadas ecológicas,
água e energia além da geração de resíduos mutirão de limpeza, abaixo assinados, etc.
sólidos. Enfatiza-se que a consciência Por fim, o grupo Atitude Ambiental
ambiental é um dos objetivos da educação teve por finalidade analisar o
ambiental e consiste na sensibilidade e na comportamento e atitude do aluno, ou seja,
consciência do meio ambiente em geral a predisposição para reagir a uma situação
(LEITE; MEDINA-MININI NANÁ, com uma resposta específica, podendo esta
2001). Desta forma, espera-se avaliar se as ser negativa ou positiva. Este grupo
atividades desenvolvidas pela escola apresentou as seguintes variáveis: A2C-
estavam refletindo em uma consciência AGUA (freqüência da realização de
relacionada à conservação/preservação dos economia de água em casa), A2C-ENER
recursos naturais por parte dos alunos. Este (freqüência da realização de economia de
grupo foi formado pelas seguintes energia em casa), A2C-COSEL (freqüência
variáveis: PVA-AGUA (importância da realização de coleta seletiva em casa),
atribuída ao controle do uso da água), A2E-AGUA (freqüência de participação
PVA-ENER (importância atribuída ao em programas de economia de água na
controle do uso de energia), PVA-RES escola), A2E-ENER (freqüência de
(importância atribuída ao gerenciamento participação em programas de economia de
de resíduos sólidos). A escala de resposta energia na escola), A2E-COSEL
adotada neste grupo segue na Tabela 2 (freqüência de participação em programas
Neste grupo, também foi analisada a de coleta seletiva na escola) e A2-luz
participação dos alunos em ações de (freqüência de atitudes positivas no sentido
educação ambiental. Inicialmente foi de apaga uma lâmpada sempre que sai de
averiguada a freqüência de participação em um cômodo vazio).
ações de EA realizadas pela escola (PVA-
AMB). Para esta variável, foi utilizada

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 45

Tabela 2. Escala utilizada para avaliar as respostas do grupo PVA


Valor 1 2 3 4 -
Não tem Talvez haja Há pouca Há muita
Descrição Não sei
importância importância importância importância

Tabela 3. Escala utilizada para avaliar as respostas do grupo AA e PVA (apenas para variável PVA-AMB)
Valor 1 2 3 4 -

Descrição Nunca Raramente Às vezes Sempre Não sei

A escala utilizada pretendia abordar A análise do cluster tem como


de forma mais especifica possível um grau finalidade identificar comportamentos
de participação, conforme Tabela 3. comuns aos respondentes, sendo
Quanto ao processo de aplicação do apresentados os resultados em gráficos e
questionário, inicialmente, foi realizado a tabelas. Para tanto se utilizou o software
aplicação de um questionário piloto “Statistic 7.0”.
(modelo em finalização) com o intuito de
avaliar eventuais inconsistências no 2.4 Universo ou amostragem do estudo
questionário, vem como duplicidade e A escola objeto do estudo apresentou
incoerência das variáveis, problema de uma maior viabilidade de acesso às
entendimento com o publico alvo, além do informações necessárias ao presente
tempo de respostas. A aplicação dos estudo, uma vez que além da fácil
questionários definitivos ocorreu no mês localização, havia um prévio conhecimento
de julho de 2010. de suas atividades e acesso a diretores e
alunos. Esta Instituição funciona há 14
2.3 Análises dos dados anos, tendo como segmento educacional
Após a aplicação dos questionários desde o infantil até o nono ano. A escola
os dados foram tabulados e analisados por possui 316 alunos, 19 professores e 07
técnicas estatísticas descritivas e por funcionários.
análise de agrupamento (Cluster). O O foco do trabalho foi o ensino
objetivo principal em se utilizar a análise fundamental II (sexto ao nono ano), já que
descritiva é o de apresentar a percepção estes apresentavam uma maior cognição
dos alunos sobre os fatores ambientais que para elaborar respostas a partir de
fazem parte de sua vida, apresentado os questionários. Sendo que o presente estudo
resultados através de tabelas e gráficos, foi realizado com grupo de 107 alunos
que foram baseadas em dados obtidos por distribuídos conforme a Tabela 4.
censo (CARVALHO; SILVA, 2009).

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 46

Tabela 4. Número de alunos participantes da pesquisa por anos iniciais no ensino fundamental II
Anos iniciais Número de alunos
Sexto ano 33
Sétimo ano 27
Oitavo ano 26
Nono ano 21
Total 107

3. RESULTADOS E DISCUSSÕES geradora. Além disso, os funcionários são


3.1 Caracterização da instituição de ensino motivados a fazer reuso de papel.
estudada Ainda em relação ao gerenciamento
Do ponto de vista da adequação dos resíduos sólidos, a escola desenvolve
ambiental legal, a instituição estudada um projeto denominado de Escola
operava com Alvará de funcionamento, Sustentável, com o apoio da
porém não possuía a licença ambiental, SESCOOP/RN dentro do programa Cooper
instrumento exigido pelo Código de Meio jovem, direcionado para os alunos nono
Ambiente municipal (Lei Complementar ano, e que se propõe levar a comunidade
4100/1992). escolar uma nova reflexão sobre o meio
ambiente e novas atitudes diante de
Por outro lado, a instituição
problemas como reutilização, redução e
desenvolveu com total envolvimento da
reciclagem de resíduo sólido urbano.
comunidade escolar - professores, alunos e
funcionários, a agenda 21. O processo teve Em termos de ações de educação
início em 2007, e contou com a ambiental, a escola possui uma
participação de agentes da secretaria programação de palestras e oficinas, e no
municipal de meio ambiente e urbanismo mês de julho, realiza um encontro anual de
que realizaram diversas palestras e oficinas meio ambiente.
com os alunos. Em adição, a instituição Quanto ao aspecto de redução de
está planejamento a implementação de um água e energia, não há nenhum controle
Sistema de Gestão Ambiental estruturado operacional específico, sendo trabalhada
na ISO 14001. apenas ao nível de conscientização.
Do ponto de vista do gerenciamento
de resíduos sólidos também foram 3.2 Análise descritiva
observados procedimentos que envolvem 3.2.1 Validação da pesquisa
os alunos. Os estudantes são orientados
O censo inicial da pesquisa
através de palestras e cartazes a efetuar a
correspondia a um universo de 107 alunos,
separação dos resíduos recicláveis na fonte

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 47

no entanto em virtude das ausências dos apresentada pela resolução CONAMA


alunos nos dias em que se aplicou o 001/86 (Ver Figura 3).
questionário (27/07, 28/07 e 29/07/2010), o Vale salientar que as respostas
resultado obtido foi um censo com 92 apresentadas nesta variável estão dentro de
alunos, ou seja, 85% da população inicial. parâmetros de complexidade esperados
para a idade, parâmetros este definidos por
3.2.2 Perfil dos entrevistados Jacobi (2003) como sendo uma relação
entre os conceitos teóricos apreendidos na
Em relação ao perfil dos
escola e os valores culturais presentes na
entrevistados, percebe-se que há pequena
sociedade.
predominância do sexo masculino (47
entrevistados – 51%); com uma renda Em adição, observou-se que os
salarial média dos pais de R$ 500,00 alunos do nono ano apresentaram uma
(34%) (ver Figuras 1 e 2). maior concentração de resposta dentro da
esperada, podendo associar a maior faixa
Verificou-se que quanto à idade, há
etária a um maior conhecimento ambiental,
uma predominancia da faixa etaria entre 14
o que não significar uma melhor atitude.
e 15 anos (42%), conforme demostra a
Esta mesma linha de raciocínio foi
Tabela 5. Pelos resultados, observa-se que
apontada por Marczwski (2006), em sua
a maioria dos entrevistados apresentavam
pesquisa com estudantes do ensino
conssonâcia entre a faixa etária e o nível de
fundamental em uma escola rural, no qual
ensino.
obteve um índice de 50,47% ao analisar
3.2.3 Concepção Ambiental
um grupo de estudantes do sexto ao nono
O primeiro tópico analisado neste
ano. Esta relação também foi verificada no
grupo foi à consciência ambiental dos
trabalho de Campell et al (1997) com
alunos em relação ao conceito de meio
estudantes do ensino secundarista nos
ambiente (CA-Mac). Pelos resultados,
Estados Unidos.
observou-se que 45 alunos (48% da
Uma das inferências importantes
amostra em estudo) apresentaram a
observadas nesta pesquisa diz respeito à
resposta de que o meio ambiente
relação existente entre o conhecimento
compreende o conjunto de condições e
sobre o conceito de meio ambiente
interações de ordem física, química e
(BRASIL, 1986) e a freqüência de
biológicas, que permite e abriga a vida em
trabalhos ambientais desenvolvidos pela
todas as suas formas, conforme definição
escola (Ver Figura 4).

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 48

Figura 1. Perfil dos entrevistados por nivel de Figura 2. Perfil socioeconômico dos pais dos
ensino para o sexo masculino (M) e feminino alunos entrevistados.
(F).

Tabela 5. Distribuição dos alunos por faixa etária.


Faixa etária Numero de alunos %
Até 11 anos 19 20
Entre 12 e 13 anos 35 38
Entre 14 e 15 anos 38 42
Acima de 15 0 0

Figura 3. Verificação da percepção de meio ambiente – conceito (CA-Mac).

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 49

Figura 4. Relação entre a frequência de trabalhos ambientais realizados pela escola e a


compreensão do conceito de meio ambiente (CA-Mac).
Onde: 1- como sendo a natureza, 2- como sendo o conjunto de todos os seres vivos, 3- conjunto de condições e interações de
ordem física, química e biológica, que permite e abriga à vida em todas as suas formas, 4- não sei informar.

Verifica-se que 32 dos alunos por grupo foi de que 37% dos entrevistados
entrevistados, que representa 35% da acreditavam que talvez trouxessem algum
amostra, sempre participam de trabalhos tipo de prejuízos. Sendo o índice mais
com temas ambientais e responderam que elevado observado para os alunos do sexto
o meio ambiente representa um conjunto ano. Destaca-se que este grupo de alunos,
de condições e interações de ordem física, possui uma formação mais específica sobre
química e biológica, que permite e abriga a os aspectos que podem ou não trazer
vida em todas as suas formas. Em relação à prejuízos ao meio ambiente, durante o ano,
qualidade ambiental da cidade de Natal na disciplina de ciências. Quando
(CA-QA), constatou-se que 55 dos perguntados se a escola (CA-PAM2) traz
entrevistados (60%) consideraram a algum prejuízo, o resultado obtido foi de
qualidade da cidade de Natal, como bom 40% dos alunos acreditavam que sim.
(Figura 5). Dentre estes, observa-se que Comparando-se este resultado com o
69% eram do sexo feminino, 18% estavam encontrado por Prieto (2009), no qual 75%
no sexto ano, e 35% sempre tinham dos alunos responderam que trazem algum
participado de trabalhos ambientais tipo de prejuízo, pode-se perceber que em
desenvolvidos pela escola. geral as pessoas apresentam uma maior
Quando questionados sobre se eles conscientização sobre suas ações, fato
mesmos acreditavam trazer prejuízos ao relevante e atualmente atrelado a proposta
meio ambiente (CA-PAM1), o resultado dos PCN´s de realizar um ensino
multidisciplinar.

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 50

Figura 5. Nível de qualidade ambiental da cidade revelado pelos alunos (CA-QA).

3.2.4 Participação e Verificação Ambiental Por fim, em relação ao


Este grupo de estudo abrange as gerenciamento de resíduos sólidos (Figura
variáveis de verificação e participação dos 8), 61 alunos (66%) consideravam que “há
alunos em relação o consumo de água muita importância” em se fazer a
(PVA-AGUA), consumo de energia (PVA- verificação e controle dos resíduos
ENER) e geração de resíduo (PVA-RES). gerados. Enfatiza-se que tal consciência
Os dados estatísticos revelaram que este pode ser considerado um reflexo do projeto
grupo apresenta médias variando entre “Escola Sustentável” desenvolvido na
3,75 e 3,80 demonstrando que os alunos escola, o qual trabalha a política dos 3R’s
acreditam que há importância da (reduzir, reutilizar e reciclar). A partir
verificação destas variáveis ambientais destes resultados, observa-se que os alunos
(Tabela 6). É salutar destacar a da escola em tela são perceptíveis em
representatividade dos dados, já que as relação aos principais aspectos ambientais
médias destas variáveis representam mais que precisam de controle e verificação, o
de 80% dos dados. que demonstra que a instituição de ensino
está influenciando positivamente seus
Em relação à consciência ambiental
alunos através de suas práticas, como o
dos alunos sobre a importância do controle
projeto Escola Sustentável, palestras
do uso da água, 78 alunos (85%)
voltadas para a temática ambiental,
consideravam que “há muita importância”
organização da agenda 21 local, entre
(Figura 6). Quanto ao consumo de energia
outros. Além de está cumprido o que é
(Figura 7) 63 alunos (68%) afirmaram que
“há muita importância” no controle do recomendado pelos PCN´s, em relação ao
conteúdo ministrado em sala de aula.
consumo desta.

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 51

Tabela 6. Descrição Estatística do grupo PVA

Variáveis Média Mediana Variância Desvio Padrão Coeficiente de


variação
PVA-AGUA 3,80 4 0,36 0,60 15,89
PVA-ENER 3,62 4 0,52 0,72 19,99
PVA-RES 3,75 4 0,54 0,73 19,62

Figura 6. Verificação e participação dos alunos no controle do consumo de água (PVA-


AGUA).

Figura 7. Verificação e participação dos alunos no controle do consumo de energia (PVA-


ENER).

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 52

Figura 8. Verificação e participação dos alunos no gerenciamento dos residuos sólidos (PVA-
RES).

Estes resultados podem ser educação ambiental articulado com várias


corroborados a partir da Tabela 7, que disciplinas.
apresenta as principais atividades que Destaca-se que as atividades que os
alunos participam de educação ambiental, alunos mais participavam foram palestras e
seja no âmbito social ou no âmbito escolar. caminhadas ecológicas. Em relação às
Por fim, foi analisada a participação palestras, é comum a realização de palestra
dos alunos em ações de educação com profissionais de diferentes contextos
ambiental pela escola. Pelos resultados, para explanar sobre as formas de se cuidar
verifica-se que 59 dos entrevistados (64%) o meio ambiente. Quanto às trilhas,
sempre participavam de trabalhos costuma-se levar os alunos para conhecer
desenvolvidos pela escola (Figura 9). áreas de proteção ambiental, por exemplo,
Deste grupo de alunos que sempre o Parque das Dunas (Parque Estadual
desenvolviam trabalhos o sexto ano Urbano situado em Natal).
apresentou o maior índice com 17 alunos.
Com isso, percebe-se que a escola 3.2.5 Atitudes Ambientais
desempenha um importante papel para a Destaca-se que neste grupo, foram
percepção ambiental dos alunos. Todavia, trabalhadas as variáveis referentes às
faz necessária uma avaliação constante da atitudes dos entrevistados frente às
efetividade de suas ações de educação situações que envolvem um
ambiental, principalmente na mudança de comportamento na defesa do meio
atitude em prol da preservação ambiental. ambiente, incluindo a prática de coleta
Bem como é necessário um seletiva, economia de água e luz, uso de
desenvolvimento de projetos articulados de
papel reciclável, entre outras.

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 53

Tabela 7. Ações que os entrevistados participariam para cuidar do meio ambiente.


Abaixo Mutirão de
Faixa etária Palestra Caminhada Nenhum
assinado limpeza
6 ano 8 11 15 14 0
7 ano 3 14 09 12 0
8 ano 3 4 04 05 2
9 ano 3 12 04 07 1
Total 17 41 32 38 3

Figura 9. Frequência de trabalhos envolvendo a temática ambiental na escola (PVA-AMB).

Os dados estatísticos revelaram que casa e na escola, a maioria deles estavam


os alunos apresentavam, em sua maioria, no sexto ano e aproximadamente 80%
opiniões referentes às escalas de resposta: deles sempre participavam de ações de
às vezes e sempre (média 2,35 e 3,70 – educação ambiental promovidas pela
Tabela 8). Sendo a variável de menor escola. Vale destacar que os alunos do
média A2E-COSEL e a de maior média sexto ano possuíam, no conteúdo formal,
A2-LUZ. Enfatiza-se que as médias destas temas específicos para a área ambiental
variáveis representam de 75% a 65% dos tais como o estudo do solo, recursos
dados, conforme observa-se pela análise do hídricos e as formas de contaminação e os
coeficiente de variação. resíduos sólidos e qualidade vida. Esses
Em relação ao consumo de água em temas eram reforçados com as atividades
casa (A2C-AGUA), de 51 entrevistados informais da educação ambiental que
(59% da amostra) sempre economizavam contribuem para que este grupo de alunos
água. Já em relação à escola (A2E- tenha uma melhor atitude frente às
AGUA), 43 alunos sempre economizavam questões ambientais. O que não ocorria,
água (46%) (Figura 10). por exemplo, com os alunos do oitavo ano,

Quanto ao perfil dos alunos que que estão mais forcados no estudo dos
sistemas que formam o corpo humano.
sempre efetuavam economia de água em

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 54

Tabela 8. Descrição estatística do grupo Atitudes Ambiental (AA).


Coeficiente de
Variáveis Média Mediana Variância Desvio Padrão
variação
A2C-AGUA 3,45 4 0,64 0,80 23,26
A2C-ENER 3,37 4 0,79 0,88 26,30
A2C-COSEL 2,89 3 1,19 1,09 37,83
A2E-AGUA 3,22 3,5 0,97 0,98 30,49
A2E-ENER 3,16 3 0,95 0,97 30,83
A2E-COSEL 2,35 3 1,41 1,19 50,50
A2-Luz 3,70 4 0,25 0,50 13,58

A B

Figura 10. Freqüência de economia de água pelos entrevistados em casa (A) (A2C-AGUA) e
na escola (B) (A2E-AGUA).

Nesse contexto, pode se inferir Pimenta (2010), que analisaram o nível de


necessidade desses temas serem consciência e atitudes ambientais de
trabalhados de forma continua em todos os moradores de um condomínio horizontal
níveis aqui estudados. em Parnamirim-RN.
Vale enfatizar também que o fato de Já em relação à economia de energia
se ter uma atitude mais positiva em casa do no âmbito familiar (A2C-ENER) 53 alunos
que em relação na escola pode se ocorrer (56% da amostra) afirmaram sempre
pelo fato dos pais desempenharem um economizar este recurso natural, o que
papel importante no controle do uso do corresponde a uma freqüência 56% e na
recurso, principalmente por refletir em um escola (A2E-ENER), 41 alunos (45%)
custo nas despesas domésticas. Essa (Figura 11). Dos alunos que sempre
tendência de se atribuir maior cuidado economizavam energia em casa, a maioria
relacionados aos aspectos ambientais que também estava no sexto ano e todos os
geralmente agregam um custo maior, como alunos sempre participavam de ações de
o consumo de água e energia, também foi educação ambiental desenvolvidas pela
observada no Trabalho de Almeida e escola.

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 55

A B
Figura 11. Freqüência de economia de energia pelos entrevistados em casa (A) (A2C-ENER)
e na escolar (B) (A2E-ENER).

Já na economia de energia na escola, cômodo, 65% deles sempre participavam


também foi constatado que a maioria das ações de educação ambiental.
estava no sexto ano e que 78% deles Quanto à atitude referente aos
sempre participavam das ações de resíduos sólidos verifica-se 30 alunos
educação ambiental. Um aspecto que vale (32%) sempre faziam coleta seletiva em
ressaltar diz respeito ao fato de que quando casa (A2C-COSEL) e na escola 20 alunos
perguntados com que freqüência ao sair de (22%) faziam a coleta seletiva (A2E-
um cômodo em casa ou na escola que fica COSEL) (Figura 13). Destaca-se que a
vazio, o aluno apaga as luzes, 52 alunos maioria dos alunos que sempre praticam
(57%) afirmaram que sempre realizam esta coleta seletiva tanto em casa quanto na
ação (Figura 12). Esta mesma tendência foi escola estão no sétimo ano e 65% deles
observada por Prieto (2009), que ao sempre participam das ações de educação
estudar a percepção ambiental de alunos de ambiental. Em adição, percebe-se que, na
graduação, seu estudo revelou que 60% escola, embora se trabalhe a temática
dos pesquisados disseram que apagam a coleta seletiva nas ações de educação
luz na maioria das vezes e 35% que sempre ambiental, a mesma deve ser avaliada e
apagam. Embora seja um estudo com aprimorada uma vez que 34 alunos (37%)
alunos de graduação, o dado torna-se dos entrevistados afirmaram nunca realizá-
importante na medida em que se infere que la no âmbito escolar. Corroborando com
tais atitudes tenham sido apreendidas esta situação, vale destacar que destes
durante a formação inicial dos alunos que nunca efetuam a coleta seletiva,
entrevistados. Quanto ao perfil dos alunos 55% deles sempre participam das ações de
que sempre apagam a luz ao sair de um EA.

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 56

Figura 12. Freqüência com que os entrevistados apagam as luzes ao sair de um cômodo (A2-Luz).

Figura 13. Freqüência com que os entrevistados fazem coleta seletiva em casa (A) (AEC-COSEL) e na escola
(B) (A2E-COSEL).

3.3 Relação entre os grupos PVA e A2 coeficiente de correlação (r), o qual para as
3.3.1 Água variáveis (PVA-AGUA vs. A2C-AGUA)
apresentou como resultado 0,265. O
Sobre o consumo de água, 78 alunos
resultado positivo demonstração que há
(85%) eram conscientes que há muita
uma relação entre estas variáveis. Já a
importância em fazer a verificação e o
correlação entre PVA-AGUA e A2E-
controle do consumo de água (PVA-
AGUA foi de 0,117.
AGUA) afim de economizar este recurso.
Por outro lado, em relação à atitude de se 3.3.2 Energia
economizar água efetivamente, 51 alunos Quanto à consciência de se controlar
(55%) sempre economizavam nas suas o consumo de energia (PVA- ENER), 63
residências (A2C-AGUA) e 43 alunos alunos (68%) afirmaram que há muita
(47%) na escola (A2E-AGUA) (Figura importância. Todavia, em relação à atitude
14). Assim, nota-se que há certa relação de se economizar, 53 entrevistados (58%)
entre a consciência e a atitude de se sempre economizavam no âmbito familiar
economizar no uso da água. Esta relação (A2C-ENER) e 41 (45%) na escola (A2E-
foi corroborada também pelo cálculo do ENER) (Figura 15).

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 57

Figura 14. Relação entre a verificação/participação (PVA-AGUA) e a atitude sobre o


consumo de água (A2C-AGUA e A2E-AGUA). Para a barra azul: (1) não tem importância; (2) Talvez haja
importância; (3) há pouca importância; (4) há muita importância. Para as barras Vermelha e verde usar: nunca, sempre, às
vezes e sempre. Para as barras vermelha e verde, considerar: nunca, raramente, as vezes e sempre.

Figura 15. Relação entre a verificação/participação (PVA-AGUA) e a atitude sobre o consumo de água (A2C-
AGUA e A2E-AGUA). Para a barra azul: (1) não tem importância; (2) Talvez haja importância; (3) há pouca importância;
(4) há muita importância. Para as barras Vermelha e verde usar: nunca, sempre, às vezes e sempre. Para as barras vermelha e
verde, considerar: nunca, raramente, as vezes e sempre.

Usando uma matriz de correlação totalidade em atitudes, quanto ao uso de


entre a consciência de verificação e a energia, na escola.
atitude relacionada ao consumo energético Buscando se mais especifico na
em casa, o coeficiente de correlação (r) análise, foi relacionado a importância dada
calculado (PVA-ENER vs. A2C-ENER) ao controle do uso de energia (PVA-
foi de 0,166. A correlação entre PVA- ENER) e a atitude de se apagar a luz ao
ENER e A2E-ENER foi de 0,06. Observa- sair de um cômodo (A2-LUZ). Pelo
se que a consciência da importância de se resultado, observou-se um valor negativo,
economizar o uso de energia está refletindo “-0,08”, ou seja, a consciência em relação
na atitude de se economizar. Entretanto, ao uso energético definitivamente não está
observa-se que o valor está se refletindo em uma atitude positiva no
aproximando de zero, deixando está controle do uso deste recurso, nesta
relação menos consolidada, ou seja, a situação básica. Assim, pode-se levantar a
consciência não está refletindo na sua necessidade de revisão e aperfeiçoamento

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 58

das ações de educação ambiental pela entre a consciência de verificação e a


escola para esta temática. Vale lembrar, atitude de reduzir o volume de resíduo
que está temática não era fortemente através da coleta seletiva.
trabalhada na escola, tanto nas suas ações Contudo, nota-se que as ações de
de racionalização do uso energético, bem educação ambiental da escola está sendo
como nas ações de educação ambiental. muito provavelmente eficiente no processo
de levar conhecimento sobre a temática,
3.3.3 Resíduos Sólidos porém isto não está refletindo em atitudes
definitivas de coleta seletiva.
Finalmente, quanto à importância
atribuída ao gerenciamento de resíduos, foi
mostrado que 61 (66%) acreditam que “há 3.4 Análise de Cluster
muita importância” em se fazer a Nesta seção, buscou-se uma análise
verificação e controle dos resíduos gerados da amostragem através de técnicas de
(PVA-RES). Porém, quando analisado a estatísticas multivariadas, objetivando a
atitude de se fazer coleta seletiva em casa determinação de grupos homogêneos em
(A2C-COSEL), apenas 30 alunos (32%) relação às respostas atribuídas pelos
sempre efetuam. Já na escola, também não alunos. Ou seja, buscou-se identificar
é observado um envolvimento satisfatório, caracterizar um grupo com respostas mais
apenas 20 alunos (22%) sempre fazem a satisfatórias relacionadas à concepção e à
coleta seletiva (A2E-COSEL) (Figura 16). atitude ambiental. Vale lembrar que a
Dessa forma, observa-se também que análise de cluster consiste em uma técnica
a concepção ambiental sobre dos para classificar dados ou variáveis em
problemas causados pelos resíduos sólidos grupos ou classes (Becker, 1994; Kvanli,
não está refletindo na sua totalidade na Guynes, Pavur, 1996). Nesse sentido,
atitude de contribuir com a coleta seletiva. foram analisadas as variáveis que tiveram
Isso foi corroborado pela análise do como escala de resposta a mesma
coeficiente de correlação (r) ente as quantidade de opções (ver tabelas 1, 2 e 3),
variáveis PVA-RES e A2C-COSEL que sendo estudadas, com isso, um total de 13
apresentou negativo, “- 0,03”. Já na mesma variáveis pertencentes aos grupos CA,
análise de (r) para as variáveis PVA-RES e PVA e A2, com critério de significância
A2E-COSEL, também foi observado um (nível de probabilidade) para composição
valor negativo “- 0,08”. Desta forma, dos agrupamentos de p≤0,05. Os resultados
observa-se que não há alguma relação da análise inicial encontram-se na tabela 9.

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 59

Figura 16: Relação entre a verificação/participação (PVA-RES) e a atitude de coleta seletiva


(A2C-RES e A2E-RES). Para a barra cinza: (1) não tem importância; (2) Talvez haja importância; (3) há pouca
importância; (4) há muita importância. Para as barras azul e vermelha usar: nunca, sempre, as vezes e sempre.

Tabela 9. Análise de variância para formação de agrupamentos.


Variáveis Entre SS Df Dentro SS Df F p-valor
CA-PAM1 9,72249 1 81,7558 90 10,70290 0,001517
CA-PAM2 0,00134 1 106,4769 90 0,00113 0,973249
PVA-AGUA 0,61839 1 32,4577 90 1,71471 0,193709
PVA-ENER 2,03478 1 45,6500 90 4,01162 0,048197
PVA-RES 0,17692 1 49,0731 90 0,32448 0,570349
PVA-AMB 1,36990 1 68,3692 90 1,80331 0,182690
A2C-AGUA 13,17801 1 45,6481 90 25,98184 0,000002
A2C-ENER 19,10401 1 52,3308 90 32,85564 0,000000
A2C-COSEL 8,24381 1 100,6692 90 7,37011 0,007949
A2E-AGUA 32,55652 1 55,6500 90 52,65206 0,000000
A2E-ENER 35,98127 1 50,5731 90 64,03237 0,000000
A2E-COSEL 49,18804 1 79,9750 90 55,35385 0,000000
A2-Luz 0,22609 1 22,8500 90 0,89050 0,347869

Pelos resultados, observa-se que variáveis, foram formados dois grupos de


existe uma heterogeneidade significativa clusters distintos apresentados na Figura 17
entre os grupos de “Participação e e descritos estatisticamente na tabela 10.
verificação ambiental” e “Atitude Inicialmente vale destacar que a
ambiental”. Basicamente, observa-se uma variável CA-PAM1 embora apresente
homogeneidade entre uma variável de dentro do nível de probabilidade p≤0,05,
concepção de o próprio aluno causar observa-se que os dois clusters formados
impactos (CA-PAM1) com algumas obtiveram médias entre 2 e 3, não havendo
variáveis de atitude ambiental (A2C- na prática uma diferença entre eles, ou
AGUA, A2C-ENER, A2E-AGUA, A2E- seja, os dois clusters nem se enquadram
ENER e A2E-COSEL) quando como “acredito que as vezes” (pontuação
considerado o critério de significância 2) nem como “acredito que sim, poucos
p≤0,05. Assim, considerando estas prejuízos” (pontuação 3).

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 60

Figura 17. Análise dos clusters formados na escola.

Tabela 10. Característica estatística dos clusters formados.


Cluster 1 Cluster 2
Variáveis Desvio Desvio
Média Variância Média Variância
padrão padrão
CA-PAM1 2,666667 1,059626 1,122807 2,037736 0,876230 0,767779
A2C-AGUA 2,999988 0,917663 0,842105 3,792453 0,494527 0,244557
A2C-ENER 2,820513 1,022685 1,045884 3,773585 0,465812 0,216981
A2E-AGUA 2,538461 1,047457 1,097166 3,735849 0,524439 0,275036
A2E-ENER 2,461539 0,995943 0,991903 3,679245 0,546794 0,298984
A2E-COSEL 1,487180 0,823081 0,677463 3,000000 1,000000 1,000000

Desta forma, observa-se tanto e energia e a contribuição dos alunos para


estatisticamente quanto na prática que coleta seletiva.
apenas as variáveis relacionadas à atitude Este agrupamento é composto na
(A2C-AGUA, A2C-ENER, A2E-AGUA, maioria por alunos do sexo masculino,
A2E-ENER e A2E-COSEL) permitem a sendo a maioria do oitavo ano. Analisando
formação dos dois clusters, sendo o a freqüência de treinamentos deste
segundo com uma atitude ambiental mais agrupamento, 19 alunos sempre
satisfatória, conforme será caracterizado a participavam de treinamentos e 6 “às
seguir. vezes”, o que representa que 66% deste
O cluster 1, que é formado por 38 cluster está de alguma forma participando
casos, apresentou as medias variando entre de ações de educação ambiental. Quanto ao
2 e 3, que representam, respectivamente, tipo de treinamento, houve, neste
como freqüência de atitudes ambientais, agrupamento, 17 registros para mutirão de
“raramente” e “às vezes”, ou seja, observa- limpeza e 16 registros para palestras.
se uma atitude ambiental não tão Já o segundo cluster é formado por
representativa para controle do uso de água 54 casos, sendo caracterizado por

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 61

apresentar uma atitude ambiental pode corroborar com a idéia da influencia


satisfatória nas variáveis analisadas, com dos pais no controle destes recursos,
médias entre 3 (às vezes) e 4 (sempre), ou principalmente pelo fato de ser aspectos
seja, os alunos pertencentes a este ambientais que acarretam em gastos
agrupamento estão mais comumente domésticos representativos. Por fim, vale
efetuando ações em prol do meio ambiente. mencionar que a atitude de contribuir com
Este agrupamento é formado na maioria a coleta seletiva apresentou a menor média
por alunos do sexo feminino, estando a entre as variáveis selecionadas o que induz
maior parcela deles no sexto e sétimo ano. a necessidade de avaliação das ações de
Em relação à freqüência da participação educação ambiental pela a escola.
em ações de EA, 40 alunos sempre
participavam e 11 “às vezes”, ou seja, mais
4 CONSIDERAÇÕES FINAIS
de 95% deles estavam envolvidos nas
Em face dos resultados obtidos, foi
ações, principalmente em palestras (30
observado que os trabalhos desenvolvidos
ocorrências) e caminhadas ecológicas (27
pela escola, quer seja, no aspecto formal ou
ocorrências).
informal da educação ambiental exerce
Desta forma, observa-se que apenas
uma influência sobre a consciência e
em algumas variáveis de atitude ambiental atitude ambiental dos alunos.
foi possível a formação de agrupamentos,
As instituições de ensino
sendo o cluster 2 com melhor atitude.
fundamental têm um importante papel na
Neste grupo, ficou evidenciado que a
conscientização de seus alunos e esta pode
freqüência de participação dos alunos em
levar a práticas de atitudes positivas ou
ações de educação ambiental foi bem mais
negativas conforme seja o
representativa (mais de 95%) do que do
desenvolvimento dos trabalhos na escola.
cluster 1 (66%). Outro ponto importante é
Assim, o enfoque dessa pesquisa foi fazer
a existência de uma maior concentração de
uma análise de como as práticas
alunos do sexto ano, os quais estudam
ambientais sistematizadas em uma
matérias de meio ambiente na educação
instituição de ensino levam a
formal.
conscientização de seus alunos, refletindo
Nesta análise, também observa-se em suas atitudes. Nesse sentido, foram
que o controle do uso de água em casa analisadas a consciência e atitude dos
apresentou uma maior média, seguida do alunos relacionados com alguns aspectos
controle do uso de energia em casa, o que

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 62

ambientais como consumo de água, água em casa e na escola,


consumo de energia e geração de resíduos. aproximadamente 80% deles sempre
Do ponto de vista conceitual, participavam de ações de educação
verificou-se que o conceito de meio ambiental promovidas pela escola. Já em
ambiente de acordo com a Resolução relação ao consumo energético, também
CONAMA 01/86, foi incorporado ao observou-se uma relação positiva entre a
conhecimento de 48% da amostragem. consciência e a atitude de economizar este
Vale lembrar que este conceito faz parte do recurso de forma geral. Enfatiza-se que
conteúdo previsto para o sexto ano, 100% dos alunos que economizam energia
segundo os Parâmetros Curriculares em casa sempre participam das ações de
Nacionais. Destaca-se também que destes educação ambiental.
48%, 71% sempre participam de ações de Desta forma, observa-se que a
educação ambiental promovidos pela participação dos alunos em ações de
escola. educação ambiental leva a formação de
Em adição constatou-se que os uma consciência e aprimoramento das
alunos são bastante perceptíveis em relação atitudes. É salutar mencionar que para
aos principais aspectos ambientais que estes dois primeiros aspectos ambientais,
precisam de controle e verificação, o que água e energia, os alunos que sempre
demonstra que a instituição de ensino está economizam estes recursos estavam em
influenciando positivamente seus alunos maioria do sexto ano, e que neste nível
através de suas práticas. escolar, os alunos possuem, no conteúdo
formal, temas específicos como o estudo
Quanto à relação entre consciência e
do solo, recursos hídricos e as formas de
atitude ambiental, foi constatado que em
contaminação e os resíduos sólidos e
alguns aspectos ambientais a relação foi
qualidade vida.
positiva, tendo a participação dos alunos
nas ações de educação ambiental como um Por outro lado, a amostra demonstrou
fator chave. No que diz respeito ao um resultado negativo na relação entre
consumo de água a relação entre consciência e atitude ambiental quanto ao
consciência e a atitude foi positiva, ou seja, gerenciamento de resíduos sólidos, ou seja,
foi observado que a consciência está a importância atribuída ao controle dos
manifestando em atitudes de controle por resíduos sólidos para se evitar
parte dos alunos. Destaca-se que, dos contaminação, entre outros impactos, não
alunos que sempre efetuavam economia de estava refletindo na atitude de contribuir

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 63

com um melhor gerenciamento, via coleta Assim, verifica-se que por tratar-se
seletiva. Outra constatação foi que embora de uma educação que engloba várias
se trabalhe a temática coleta seletiva nas disciplinas desde a biologia até a
ações de educação ambiental, 37% dos matemática, a educação ambiental tem em
entrevistados afirmaram que nunca si própria a essência de tornar os alunos
contribuem com a coleta seletiva na escola mais perceptíveis em relação à temática
e 55% deles sempre participam das ações ambiental e desta forma promover
de EA. Isso demonstra que embora se mudanças de atitudes que venham a
trabalhe a temática coleta seletiva nas assegurar a qualidade de vida da presente e
ações de educação ambiental, a mesma futuras gerações. Este aspecto quando
deve ser constantemente avaliada e sistematizado em uma escola contribui de
aprimorada. forma significativa para aprimorar a visão
Na análise de cluster, que buscou dos alunos neste sentido.
investigar quais os grupos de alunos com a Portanto, a partir de estudo sugere-se
melhor concepção, consciência (Grupo que ações de educação ambiental
Participação e verificação ambiental) e promovidas por uma escola sejam sempre
atitude ambiental, constatou-se uma avaliadas quanto a sua efetividade e
homogeneidade apenas entre uma variável revisadas, buscando um envolvimento
de concepção de o próprio aluno causar ainda maior dos alunos, de forma que haja
impactos (CA-PAM1) com algumas um ganho de conhecimento e mudança de
variáveis de atitude ambiental (A2C- atitude benéficas ao meio ambiente,
AGUA, A2C-ENER, A2E-AGUA, A2E- trazendo a sustentabilidade para a
ENER e A2E-COSEL) quando sociedade em que vivem.
considerado o critério de significância
p≤0,05. O cluster 2 apresentou uma
REFERÊNCIAS
melhor atitude já que as médias estavam
ALMEIDA, A. F. O; PIMENTA, H. C. D.
variando entre 3 (às vezes) e 4 (sempre). Práticas de gestão ambiental em um
Em relação à freqüência da participação condomínio horizontal fechado da
grande Natal-RN: um estudo sobre
em ações de EA, mais de 95% dos alunos a percepção de condôminos.
deste agrupamento estavam de alguma Revista Gestão Social e
Ambiental, v.4, n.1, jan./abr, 2010.
forma envolvidos nas ações,
principalmente em palestras e caminhadas
ecológicas.

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 64

ANDRADE, J. H. B.; PIMENTA, H. C. D. CARVALHO, A. P; SILVA, D. G. K. C.


Gestão ambiental no IFRN: Estudo sobre a percepção ambiental
implementação de uma política em laboratórios de análises clínicas.
ambiental considerando o papel das Revista Engenharia Ambiental –
instituições de ensino no Pesquisa e Tecnologia. Editora
desenvolvimento sustentável. Unipinhal. Espírito Santo do Pinhal
Holos, Ano 25, Vol.2, p. 73-93, – SP , v. 6, n. 1, p. 154-168,
2009. jan./abr., 2009.
BECKER, W. Statistics for business and CHIAMENTI, A. M. M. Gestão
economics. Cincinnati: ambiental na agricultura: um
International Thonson Publishing, estudo sobre fatores associados à
1994. 260p. conscientização ambiental em
BRASIL. Lei n° 6.938 de 31 de agosto de estudantes de uma escola
1981. Dispõe sobre a Política agrotécnica. 2003. 120p.
Nacional do Meio Ambiente, seus Dissertação (Mestrado em
fins e mecanismos de formulação e Engenharia de Produção) -
aplicação, e dá outras providências. Universidade Federal do Rio
Disponível no site: Grande do Norte. Natal, 2003.
<http://www.planalto.gov.br/ccivil FAGGIONATO, S. Percepção ambiental.
_03/Leis/L6938.htm>. Acessado 1998. Disponível em:
em 20/09/2010. <http://educar.sc.usp.br/biologia/te
______. Lei n° 9.795 de 27 de abril de xtos/m_a_txt4.html>. Acesso em:
1999. Dispõe sobre a educação 10 jan. 2011.
ambiental, institui a Política FREITAS, J. R. S. R.; MAIA, K. M. P.
Nacional de Educação Ambiental e Um estudo de percepção Ambiental
dá outras providências. Disponível entre alunos do ensino de jovens e
no site: < adultos e 1 ano do ensino médio da
http://www.planalto.gov.br/ccivil_0 fundação de ensino de Contagem.
3/Leis/L9795.htm>. Acessado em Revista Sinapse Ambiental.
20/09/2010. Minas Gerais, 1999. pags. 52-77.
______. Parâmetros Curriculares GALLI, A.. Educação ambiental como
Nacionais. Mistério da Educação, instrumento para o
2002. desenvolvimento sustentável.
______. Resolução CONAMA Nº. 001 de 2007. 301p. Dissertação (Mestrado
23 de janeiro de 1986. Dispõe sobre em Direito econômico e social) –
critérios básicos e diretrizes gerais Pontifícia Universidade Católica do
para o Relatório de Impacto Paraná. Curitiba, 2007.
Ambiental – RIMA. – Publicado no JACOBI, P. Educação ambiental,
Diário Oficial da União em cidadania e sustentabilidade.
17/02/1986, págs. 2548-2549. Cadernos de Pesquisa. n. 118, São
CAMPBELL, W.; BRADLEY, JM; Paulo, p. 189-205, 2003.
ZAJICEK, J. C.; TOWNSEND C. KVANLI, A.; GUYNES, S.; PAVUR, R.
D. The influence of activity-based Introduction to business statistic:
environmental instruction on high a computer integrated data
school students’ environmental analysis approach. New York:
attitudes. Hort Technology, v. 3, West Publishing Company. 1996.
1997. 267p.

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012


Azevedo, A.K.N.; Santos, M.C.D.; Pimenta, H.C.D. et al./ A educação ambiental e a sua influência na atitude 65

LINHARES, A. C. S.; CARDOSO, P. A.; PALMA, I. R. Análise da percepção


CANCIGLIERI JUNIOR, O. ambiental como instrumento ao
Logística reversa: o caso do destino Planejamento da educação
de produtos químicos e vidrarias de ambiental. 2005. 78p. Dissertação
uma instituição de ensino (Mestrado em Engenharia) -
profissionalizante em Curitiba. In: Universidade Federal de Porto
ENCONTRO NACIONAL DE Alegre. Porto Alegre 2005.
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, PIETRO, E. C. Questionário eletrônico de
28, 2008. Rio de Janeiro. Anais... percepção ambiental a estudantes
Rio de Janeiro: ABEPRO, 2008. p. de graduação, utilizando a
1-13. plataforma Googles Docs. In:
MARCZWSKI, M. Avaliação da CONGRESSO
percepção ambiental em uma IBEROAMERICANO DE
população de estudantes do EDUCAÇÃO AMBIENTAL, 6,
ensino fundamental de uma 2009. Argentina. Anais...
escola municipal rural: um Argentina: PNUMA 2009. pags. 1-
estudo de caso. 2006. 188p. 20.
Dissertação (Pós-graduação em SILVA, E. L.; MENEZES, E. M.
ecologia) - Universidade Federal do Metodologia da pesquisa e
Rio Grande do Sul. Porto Alegre, elaboração de dissertação. 2 ed.
2006. Florianópolis: Laboratório de
LEITE, A. L. T. A.; MEDINA-MININI, N. ensino a distância da UFSC, 2001.
Educação Ambiental: curso 120p. NASCIMENTO, M. C. do;
básico à distância: documentos e SOARES, V. P.; RIBEIRO, C. A.
legislação da educação ambiental. A. S.; SILVA, E.. Mapeamento dos
Brasília: MMA, 5v, 2 edição fragmentos de vegetação florestal
ampliada., 2001. nativa da bacia hidrográfica do rio
MELO, M. J. Oceano verde - uma práxis Alegre, Espírito Santo, a partir de
de educação ambiental: análise imagens do satélite IKONOS II.
da experiência desenvolvida Revista Árvore, Viçosa, v. 30, n.
numa escola pública de ensino 3, p. 389-398, 2006.
médio de Brasília. 245 f.
Dissertação (Mestrado em
Educação) - Universidade de
Brasília. Brasília, 2009.

Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 4, p. 039 -065 , out/dez 2012