Você está na página 1de 18

UNOPAR

PEDAGOGIA - LICENCIATURA

GABRIELLE FIGUEIREDO DE QUEIROZ

RELATÓRIO DO
ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO I: EDUCAÇÃO
INFANTIL

Itaúna
2020
GABRIELLE FIGUEIREDO DE QUEIROZ

RELATÓRIO DO
ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO I: EDUCAÇÃO
INFANTIL

Relatório apresentado à UNOPAR, como


requisito parcial para o aproveitamento da
disciplina de Estágio Curricular Obrigatório I:
Educação Infantil do curso de Pedagogia.

Itaúna
2020
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO..............................................................................................................6
1 LEITURAS OBRIGATÓRIAS..................................................................................8
2 PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO (PPP).......................................................10
3 ABORDAGEM DOS TEMAS TRANSVERSAIS CONTEMPORÂNEOS DA
BNCC....................................................................................................................12
4 PROPOSTA DE ATIVIDADE PARA ABORDAGEM DOS TEMAS
CONTEMPORÂNEOS TRANSVERSAIS DA BNCC...........................................14
5 ATUAÇÃO DO PROFESSOR E SUA INTER-RELAÇÃO COM A EQUIPE
ADMINISTRATIVA E PEDAGÓGICA...................................................................15
6 PLANOS DE AULA...............................................................................................17
CONSIDERAÇÕES FINAIS........................................................................................19
REFERÊNCIAS...........................................................................................................20
INTRODUÇÃO

A educação básica tem como etapa inicial a Educação Infantil, o ambiente em


que se desenvolvem as aprendizagens expressivas, motoras, afetivas, cognitivas,
linguísticas, éticas, estéticas e socioculturais assim oportuniza as crianças um
desenvolvimento integral. Um ambiente que propicia a aprendizagem permite a
criança sentir-se à vontade e conectar-se de forma satisfatória com o que a rodeia,
um ambiente agradável aos olhos de quem chega e de quem permanece em contato
com ele. Na Educação Infantil as interações e brincadeiras são os eixos norteadores
das práticas pedagógicas, que viabilizam o conhecimento de si e do mundo através
das experiências sensoriais, expressivas e corporais. A forma como a criança
interage com o seu ambiente de aprendizagem depende da condução das atividades
pedagógicas apresentadas ele, cabe ao professor proporcionar um ambiente alegre
e harmônico, como também situações em que ela possa manifestar seu interesse
em desenvolver seu potencial. As atividades perceptivas favorecem o
desenvolvimento da sensibilidade nos educandos com as vivencias utilizando os
sentidos (audição, visão, tato, olfato e paladar) sejam elas mediadas pelo professor,
na interação entre as próprias crianças e no seu meio social. As atividades de
interação com os colegas permitem as crianças potencializar seus conhecimentos
garantindo assim uma troca de experiências como também aprimorar suas
habilidades já adquiridas no meio em que vive. Um aspecto que muito contribui de
forma significativa, que promove a interação entre aluno, professor e a realidade em
que estão inseridos é interdisciplinaridade, em que integra as áreas do
conhecimento para que a criança seja capaz de desenvolver suas potencialidades.
Os projetos interdisciplinares são contribuintes significativos, pois a
contextualização dispõe ao educando um leque de conhecimentos e vivências que
podem ser exploradas com objetivos e práticas enriquecedoras para aprendizagem
desses educandos. Os projetos desenvolvidos em sala de aula com a
interdisciplinaridade garantem efeitos significativos na aquisição da aprendizagem
das crianças, levando em consideração seus conhecimentos adquiridos na escola e
os adquiridos nas vivências fora de sala, essas trocas de experiências aperfeiçoam
nas crianças todas as informações de forma contextualizada em que a criança passa
a ser colaborador de seu enriquecimento de conhecimentos potencializados de
acordo com sua necessidade de adquiri-lo. Podemos ver a Interdisciplinaridade no
letramento e alfabetização, na arte, na literatura, etc.
1 LEITURAS OBRIGATÓRIAS

A educação para crianças pequenas era vista essencialmente como


ferramenta de assistência ou para preparar o aluno para o ensino fundamental e não
tinha um valor próprio. Dessa forma, cresceram os debates acerca da função do
ensino para crianças pequenas e chegou-se à conclusão que ela tem que ter como
propósito cuidar e educar, tirando o ensino como objetivo e colocando as relações
educativas dentro de um espaço de convívio coletivo. Para Vigotski, não se pode
utilizar, como principal determinante, a biologia para explicar o desenvolvimento da
criança, sendo esse desprovido de leis naturais universais pré-definidas pela
genética e dado em um contexto social e cultural. Leontiev e Elkonin tem
pensamentos parecidos ao concordarem que é preciso levar em consideração,
principalmente, a relação da criança com o meio e que a mesma é exclusiva para
cada situação. Sendo a definição de cultura, por Vigotski, tudo que foi criado e
modificado pelo homem na natureza, ele afirma que nesse processo de
transformação do meio, o homem acaba transformando sua própria conduta e que o
domínio de tal conduta (como a atenção voluntária, por exemplo) é caracterizado por
uma função psicológica superior exclusiva dos seres humanos. Esse domínio é dado
pela significação (criação de signos) e o principal signo é a linguagem, tendo, então,
grande importância no desenvolvimento psicológico. A significação é uma
característica primariamente social que depois é transferida para o interior do
indivíduo, e esta é a lei genética geral do desenvolvimento cultural, que o caracteriza
como uma operação organizada. Leontiev e Vigotski concordam, então, que as
aptidões exclusivamente humanas, são adquiridas pela criança após introdução de
signos e apropriação cultural, não sendo transmitidas biologicamente. A apropriação
cultural só é dada com a mediação de outro indivíduo, sendo caracterizada por
Leontiev como educação. Logo, o ensino, como agente educador, não pode se
basear na maturação espontânea da criança nem na hereditariedade das funções
psíquicas superiores, mas na promoção de condições e signos para que as mesmas
se formem. Sem necessariamente estar sincronizada com as etapas
desenvolvimento, a aprendizagem deve atuar na zona de desenvolvimento
potencial, no que ainda não está maduro, estando a frente e impulsionando o
desenvolvimento.
A imitação é trazida por Vigotski como principal ferramenta da aprendizagem
para o desenvolvimento, apesar de atualmente ser considerada prejudicial no
contexto pedagógico. Porém é preciso que a criança entenda a conduta para depois
imitá-la, logo ela está limitada a suas potencialidades intelectuais. Para que o
desenvolvimento atinja seu potencial total, Leontiev diz necessário que na criança
sejam cultivadas as funções psicológicas com devida orientação e organização da
atividade da mesma, indo além de um treinamento mecânico. Essa perspectiva,
defendida por Vigotski, Leontiev e Elkonin, nega os métodos passivos de educação
e assume ao educador um papel diretivo. Elkonin reforça que essa organização
deve adequar a aprendizagem às peculiaridades de cada período do
desenvolvimento, sem que o educador deixe de atuar na ZDP. Ao discursar sobre os
estágios do desenvolvimento, primeiro é afirmado que sua mudança não é somente
quantitativa, ou seja, uma evolução em graus, mas também qualitativa, muda-se o
tipo de relação da criança com o meio, e essa mudança, mesmo que brusca, não
será acompanhada por crises se for adequadamente dirigida. Tais estágios são
determinados pelo desenvolvimento de uma atividade principal, que irá auxiliar o
surgimento de outros tipos de atividade. A atividade principal do primeiro ano de
vida seria a comunicação emocional direta, seguida pela objetal manipulatória, na
qual o adulto impulsiona o domínio da linguagem, essencial para a colaboração
entre adultos e criança na atividade. De três a seis anos, geralmente, a atividade
principal é o jogo de papéis, onde as crianças aprendem sobre as relações sociais e
se adéquam a seus papéis. Nesse estágio é essencial que a realidade social da
criança seja ampla e que o educador saiba controlar o jogo pela seleção dos temas
e acessórios utilizados, sem suprimir sua criatividade e independência. Nessa idade
pré-escolar, a instrução da criança se dá por meio das brincadeiras, que são as
atividades principais dessa fase. Ao entrar na idade escolar, atividade principal muda
para a atividade de estudo. Para entrar na fase escolar alcançando seus objetivos, a
criança precisa ter tido um desenvolvimento infantil bem direcionado e que a tenha
ensinado a pensar por meio de esforços mentais. Elkonin defende ainda que essa
mudança seja feita de maneira orgânica e vinculada. No texto, chega-se a conclusão
que Vigotski, Leontiev e Elkonin defendem o ensino no desenvolvimento de crianças
pequenas por meio da intervenção consciente do educador.
2 PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO (PPP)

 O que é o PPP e qual a importância desse documento para o ambiente


escolar?  

O Projeto Político-Pedagógico - conhecido pela sigla PPP ou até mesmo por outros
nomes, como plano pedagógico - é um documento que deve ser produzido para
descrever os objetivos educacionais e sociais da escola, bem como explicar o seu
plano de ação para alcançar as metas de ensino e de integração da comunidade
escolar. O escrito é uma exigência pública que segue a Lei de Diretrizes e Bases da
Educação Nacional de 1996 e que se estende para todas as instituições de ensino
do país. Esse planejamento também precisa abordar os problemas e as questões
enfrentadas pela comunidade escolar, apresentando soluções que atendam às
necessidades dos setores envolvidos. Assim, o PPP funciona como um verdadeiro
guia para auxiliar a escola a cumprir seus objetivos. O planejamento pedagógico
também poderá servir como uma referência para os pais que procuram a escola.
Através do documento, é possível visualizar a identidade da instituição e saber o que
esperar para os estudos do filho. Isso é muito importante para os responsáveis
enxergarem que há um guia concreto para o desenvolvimento escolar e que poderão
considerar esse fator no momento da decisão de matricular os estudantes. O PPP
também é um importante guia para as tomadas de decisão da diretoria, da
coordenação e até mesmo do corpo docente. Por meio dele, é possível retomar toda
a proposta da escola e basear as escolhas da instituição. Nesse sentido, há vários
exemplos de situações onde o PPP poderá atuar como guia, como problemas
disciplinares com estudantes, alterações no material didático, participação em ações
sociais ou contratação de professores. Além disso, o planejamento político-
pedagógico, ao trazer metas de ensino e de formação dos alunos, coloca
parâmetros a ser atingidos ou até mesmo superados ao longo do ano letivo. O
objetivo é que as revisões periódicas do plano possam mensurar se os alvos foram
alcançados, projetando as ações futuras para continuar com o desenvolvimento e a
busca pela excelência.

 A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é um documento normativo que


define as aprendizagens essenciais que todos os alunos devem se apropriar
na educação básica. Sendo assim, todas as escolas devem organizar seu
currículo a partir desse documento. Com base na leitura que você realizou,
como as competências gerais da Educação Básica se inter-relacionam com o
PPP? 

O Projeto Político Pedagógico (PPP) se relaciona aos pressupostos básicos para a


atuação didática, estando alinhado com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC).
Partindo deste ponto, notamos que o projeto deve reunir propostas de ação concreta
a executa-las durante um determinado período de tempo. Para ser mais exato, ele
possui caráter político por considerar a escola como um espaço de formação de
cidadãos conscientes, atuando de forma coletiva e individual na sociedade. Além
disso, em sua base pedagógica ele deve ser reelaborado dependendo das
condições de cada instituição podendo levar até 10 anos, devendo definir e
organizar atividades necessárias para a aprendizagem.

 A avaliação da aprendizagem é um elemento crucial no processo de ensino e


de aprendizagem, visto que oportuniza indícios dos avanços escolares e dos
pontos que precisam ser aperfeiçoados. Com base na leitura que você
realizou do PPP, de que modo a escola apresenta o processo de avaliação? 

A escola propõe uma nova organização curricular e coloca a criança no centro do


processo educacional. Os campos enfatizam os conceitos, habilidades, atitudes,
valores e sentimentos que devem ser desenvolvidos por crianças entre 0 e 5 anos e
tentam garantir direitos de aprendizagem.
12

3 ABORDAGEM DOS TEMAS TRANSVERSAIS CONTEMPORÂNEOS DA BNCC

 Como podemos entender o termo Transversalidade? 

A transversalidade diz respeito à possibilidade de se instituir, na


prática educativa, uma analogia entre aprender conhecimentos teoricamente
sistematizados (aprender sobre a realidade) e as questões da vida real (aprender na
realidade e da realidade). A escola vista por esse enfoque, deve possuir uma visão
mais ampla, acabando com a fragmentação do conhecimento, pois somente assim
se apossará de uma cultura interdisciplinar. A transversalidade e a
interdisciplinaridade são modos de trabalhar o conhecimento que buscam
reintegração de procedimentos acadêmicos, que ficaram isolados uns dos outros
pelo método disciplinar.

 Qual a importância de se trabalhar com os TCTs na escola? 

Os temas transversais são importantes porque permitem que os


alunos construam um pensamento crítico, consigam fazer uma reflexão sobre o meio
social e os valores na sociedade. Os temas transversais são obrigatórios na escola,
os TCTs atuam dentro da Base Nacional Curricular Comum podem ser adotados em
temáticas presentes no cotidiano das pessoas. O professor pode desenvolver um
trabalho em sala de aula falando sobre como usar o dinheiro, como cuidar do meio
ambiente, como adotar a empatia com os outros, etc.

   Dos TCTs listados, quais podem ser trabalhados de forma transversal no


seu curso de graduação?   

Os Temas Contemporâneos Transversais (BNCC) que podem ser


trabalhados na Educação Infantil envolvem seis campos:
Meio Ambiente (Educação Ambiental, Educação para o consumo, os ciclos da
natureza, sociedade e meio ambiente, manejo e conservação ambiental), saúde
13

(Educação Alimentar e nutricional autocuidado, vida coletiva), multiculturalismo


(Diversidade cultural, Educação para valorização do culturalismo nas matrizes
históricas e culturais brasileiras), ciência e Tecnologia (Ciência e suas tecnologias),
cidadania e Civismo (Vida familiar e social, Educação para o trânsito, Educação em
Direitos Humanos, Direitos da criança e do adolescente, Processo de
envelhecimento, respeito e valorização do idoso), economia (Trabalho, Educação
financeira, Educação fiscal).

  O Guia apresenta uma metodologia de trabalho para o desenvolvimento dos


TCTs, baseado em quatro pilares. Quais são estes pilares? Comente sua
perspectiva sobre essa metodologia.   

Os quatro pilares apresentado no Guia para desenvolvimento dos TCTs são:


-  Problematização da realidade e das situações de aprendizagem
- Superação da concepção fragmentada do conhecimento para uma visão
sistêmica
- Integração das habilidades e competências curriculares à resolução de
problemas
- Promoção de um processo educativo continuado e do conhecimento como
uma construção coletiva.
Essa metodologia contribuiu para a aplicação do conhecimento
teórico adquirido pelos alunos, contribuindo para que assimilem o conteúdo de forma
prática em seus estudos. Portanto é um método de caráter avaliativo, que visa
garantir a eficácia do aluno, criando uma visão crítica e ampla da área de atuação
escolhida.
14

4 PROPOSTA DE ATIVIDADE PARA ABORDAGEM DOS TEMAS


CONTEMPORÂNEOS TRANSVERSAIS DA BNCC

 A alimentação no desenvolvimento infantil é um dos pilares de uma vida


saudável. Falar sobre esse assunto nunca foi tão necessário, tendo em vista
a tendência de envelhecimento que o Brasil já pode enfrentar. Sim, é isso
mesmo. Estudos apontam que, no futuro, nosso país terá mais idosos que
crianças.
Sendo assim, falar sobre hábitos alimentares que proporcionem qualidade de
vida deixou, há muito tempo, de ser tema para quem quer perder medidas ou
cortar glicose do organismo, por exemplo. Cada vez mais, pais e mães têm se
preocupado com a qualidade de vida.

 As crianças são fundamentais na propagação das informações sobre o


mosquito Aedes aegypti e as doenças por ele transmitidas, dengue, Zika e
chikungunya, principalmente no âmbito familiar. Eles são peças chaves na
mobilização, não só por levarem as informações para casa, mas na formação
de uma sociedade mais consciente no futuro.
15

5 ATUAÇÃO DO PROFESSOR E SUA INTER-RELAÇÃO COM A EQUIPE


ADMINISTRATIVA E PEDAGÓGICA

 Considerando os conhecimentos abordados sobre a docência na educação


infantil, aponte três atividades que fazem parte da rotina de trabalho do
professor e explique como essas atividades devem ocorrer.  

Acolhida: Esse é o primeiro momento do dia que a criança terá contato com a sala
de aula, o professor e os colegas e, por isso, é importante que ela se sinta animada
para toda a rotina .Uma sugestão é criar na sala um ambiente com jogos e
brinquedos que possam ser utilizados pelas crianças enquanto a  professora recebe
a cada um. Elas também podem ser recebidas com música, com cumprimentos
especiais e serem convidadas a ocuparem um espaço específico.
Hora da roda: Aqui cabe ao educador organizar o espaço, para que todos os que
desejam possam falar, para que todos estejam sentados de forma que possam ver-
se uns aos outros, além de fomentar as conversas, estimulando as crianças a
falarem, e promovendo o respeito pela fala de cada um. Através das falas, o
professor pode conhecer cada um de seus alunos, e observar quais são os temas e
assuntos de interesse destas. Na roda, o educador pode desenvolver atividades que
estimulam a construção do conhecimento acerca de diversos códigos e linguagens,
como, por exemplo, marcação do dia no calendário, brincadeiras com crachás
contendo os nomes das crianças, jogos dos mais diversos tipos.
 Hora da brincadeira: Brincar é a linguagem natural da criança, e mais importante
delas. Acredita-se que a brincadeira é uma atividade essencial na Educação Infantil,
onde a criança pode expressar suas ideias, sentimentos e conflitos, mostrando ao
educador e aos seus colegas como é o seu mundo, o seu dia-a-dia. A brincadeira é,
para a criança, a mais valiosa oportunidade de aprender a conviver com pessoas
muito diferentes entre si; de compartilhar ideias, regras, objetos e brinquedos,
superando progressivamente o seu egocentrismo característico; de solucionar os
conflitos que surgem, tornando-se autônoma; de experimentar papéis,
desenvolvendo as bases da sua personalidade.

 Exemplifique de que maneira a equipe pedagógica poderá orientar o


16

professor tendo como referência a utilização do Projeto Político Pedagógico e


da Proposta Curricular.  
A equipe pedagógica pode orientar o professor na execução do
projeto pedagógico de modo que muitas vezes há uma adaptação na execução de
tarefas escolares dado à inclusão de novas ementas pedagógicas, por isso, a equipe
pedagógica pode instruir os professores quanto à essas mudanças e como agir.o
pedagogo deve apresentar a proposta curricular para estabelece a maneira de
ensinar e formas de avaliação de aprendizagem. Além disso, é importante também a
organização do tempo e espaço da escola. Todos os professores devem se
organizar para cumprir com as necessidades da escola.  Nesse sentido, a equipe
pedagógica tem função de viabilizar o que for necessário para que a escola funcione
da maneira que almeja, dando o suporte ao professor na execução do PPP e
apresentar as melhores maneiras de agir no determinado momento

 No que se refere às atribuições da equipe administrativa, descreva a


importância da relação da direção com a equipe pedagógica para a qualidade
dos processos educativos no contexto escolar. 

 A equipe administrativa lida na maioria das vezes com dados, desde


tomar conhecimento a respeito de mudanças, até o gerenciamento da execução de
tarefas por diferentes membros da equipe.
17

6 PLANOS DE AULA

PLANO DE AULA
DADOS DE IDENTIFICAÇÃO
Professor: Gabrielle Figueiredo de Queiroz
Nível/Ano: Primeiro Período
Período: 13h00min às 17h00min
Número de alunos: 21
TEMA: Água/ Dengue
OBJETIVOS
 Adquirir hábitos de preservação.
 Falar espontaneamente.
 Usar critérios de classificação.
 Desenvolvimento da capacidade de atenção.
 Ouvir com atenção e compreensão.
 Vivenciar jogos e brincadeiras.
 Conhecer e realizar trabalhos em cores.
CONTEÚDO
Iniciar a aula incentivando as crianças a colocarem as mochilas no lugar certo,
promovendo a autonomia em ações cotidianas. Disponibilizar jogos de encaixe para
que as crianças brinquem livremente e depois tenham o cuidado de organizá-los e
guardá-los corretamente.
Realizar as atividades diárias e iniciar a roda de conversação. Perguntar sobre o fim
de semana, o que fizeram. Reforçar sobre a hora certa de falar, cada criança deve
esperar sua vez, contar o que fez no fim de semana e introduzir o assunto Dengue
e Água.
Preparação para o lanche, organização da fila, do menos para o maior.
Já na sala, fazer o relaxamento com as crianças, depois contação de história: A
Gotinha Plim..., imitar os gestos e sons de acordo com os personagens da história,
após o fim da história, explicar que a água da chuva pode ficar acumulada em lixos
espalhados pelas ruas e quintais, em pneus velhos, etc., e com isso o mosquito da
dengue põe seus ovinhos, fazendo com que apareçam vários mosquitinhos.
Atividade: colagem, pintura, desenho livre sobre a história.
Na sala brincar de “Seu Noé” – Canção folclórica. Modo de brincar: as crianças
18

ficam à vontade caminhando pela sala. Cantam a música fazendo gestos


correspondentes a cada parte da canção, imitando o som dos animais.
Organizar a sala para a saída.

PLANO DE AULA
DADOS DE IDENTIFICAÇÃO
Professor: Gabrielle Figueiredo de Queiroz
Nível/Ano: Primeiro Período
Período: 13h00min às 17h00min
Número de alunos: 21
TEMA: Saúde: Alimentação
OBJETIVOS
Despertar a consciência para a alimentação saudável  
Reconhecer os tipos de alimentos 
Identificar os alimentos que são bons para a saúde
Conhecer a respeito da organização da pirâmide alimentar
CONTEÚDO
Iniciar a aula incentivando as crianças a colocarem as mochilas no lugar certo,
promovendo a autonomia em ações cotidianas. Disponibilizar jogos de encaixe para
que as crianças brinquem livremente e depois tenham o cuidado de organizá-los e
guardá-los corretamente.
Realizar as atividades diárias e iniciar a roda de conversação. Reforçar sobre a hora
certa de falar, cada criança deve esperar sua vez, contar o que fez no fim de
semana e introduzir o assunto Alimentação Saudável por meio de imagens,
dialogando com os alunos sobre as definições, características da pirâmide
alimentar.
Preparação para o lanche, organização da fila, do menor para o maior.
Já na sala, fazer o relaxamento com as crianças, depois fazer a construção de uma
pirâmide alimentar com os alunos. Organizar a sala para a saída.
19

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Para trabalhar com Educação Infantil, não basta só gostar de crianças, é


necessário que o educador tenha uma boa formação para que as crianças sejam
capazes de desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez
mais independente, com confiança em suas capacidades, percepções e suas
limitações, e que mais tarde venha a ser um cidadão critico, participativo e
responsável, capaz de compreender a realidade em que se vive. Portanto, um
processo pedagógico de qualidade garante que as crianças sejam atendidas em
suas necessidades e que o trabalho seja planejado e acompanhado pelos
educadores, visando contribuir para uma prática profissional mais segura e
condizente com as necessidades de cada educando. Se construirmos uma trajetória
de formação de professores que coloque em prática princípios e conhecimentos
valiosos, estamos contribuindo para o desenvolvimento cognitivo, psicomotor e
social de cada criança. É importante que na formação do professor se conheça de
perto trabalhos desenvolvidos na educação, os professores da Educação Infantil
precisam de experiências que contribuam para que se tenha uma escola viva onde
se exercite a cidadania. São inúmeras as dificuldades que se enfrenta um educador
ao trabalhar com educação, em especial a infantil, mas devemos dar a Proposta
Curricular, priorizando o enfoque social, político, cultural e histórico.
20

REFERÊNCIAS

https://educador.brasilescola.uol.com.br/gestao-educacional/os-temas-transversais-
na-escola-basica.htm#:~:text=Os%20temas%20transversais%20s%C3%A3o
%20constitu%C3%ADdos,Meio%20Ambiente%20(Os%20ciclos%20da
http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/implementacao/contextualizacao_tem
as_contemporaneos.pdf