Você está na página 1de 7

Unidade II: Exercícios sobre perda de carga

1) Analisar as perdas locais no ramal de 3/4” (A-B) que abastece o chuveiro de uma
instalação predial, verificando qual a porcentagem dessas perdas em relação à perda por atrito
ao longo do ramal. Aplique o método dos comprimentos equivalentes, considerando as
seguintes perdas acidentais:

1 - Tê, saída do lado


2 - Cotovelo, 90 graus
3 - Registro de gaveta aberto
4 - Cotovelo, 90 graus
5 - Tê, passagem direta
6 - Cotovelo, 90 graus
7 - Registro de gaveta aberto
8 - Cotovelo, 90 graus

2) Determinar a perda de carga total no esquema da figura abaixo, utilizando a expressão


hfl = K. V²/2.g para o cálculo da perda localizada e a fórmula de Flamant para o cálculo da
perda de carga norma;.

Dados:
- Material = PVC ( C = 140)
- Diâmetro = 19 mm
- Vazão = 0,4 l/s
- Peças especiais: 1 entrada de Borda (K = 0,90)
2 curvas de 90 raio longo (K = 0,30)
2 curvas de 45 (K = 0,20)
1 registro de gaveta aberto (K = 0,20)
1 saída de tubulação ( K = 1,00)

3) Uma canalização de ferro fundido com 30 anos de uso (C = 86), 800 m de comprimento e
0,3m de diâmetro está descarregando em um reservatório 601/s. Calcule a diferença de nível
(h) entre o açude e o reservatório de distribuição das seguintes formas:
a) Levando em conta nos cálculos todas as perdas de carga localizadas existentes e que são:
- 1 entrada tipo borda
- 4 curvas de 90 graus de raio longo
- 2 registros de gaveta abertos
- 1 saída de tubulação
b) Desprezando as perdas localizadas.

Use o método dos comprimentos virtuais para o cálculo da perda de carga localizada e a
fórmula de Hazen-Williams para o cálculo da perda de carga principal.
4) Estimar a vazão na tubulação esquematizada abaixo, utilizando o método dos
comprimentos virtuais para o cálculo da perda de carga localizada e a fórmula de Hazen-
Williams para o cálculo da perda de carga normal.

Dados:
- Material = ferro fundido novo (C=130)
- Diâmetro = 50mm
- Peças especiais
1 entrada de Borda
3 curvas de 90 graus raio longo
2 curvas de 45 graus
1 registro de gaveta aberto
1 saída de tubulação

5) Calcular o diâmetro da tubulação esquematizada abaixo, utilizando a expressão


hfl = K.V2/2.g para o cálculo da perda de carga localizada e a ‘formula de Hazen-Williams
para o cálculo da perda de carga normal.

Dados:
- material = ferro fundido usado (C = 100)
- vazão = 6 l/s
- peças especiais:
1 entrada normal (K = 0,5)
3 curvas de 90 raio curto (K = 1,2)
2 curvas de 45 (K = 0,2)
1 registro de gaveta aberto (K = 0,2)
1 saída de tubulação (K = 1,0)

6) Determine a perda de carga para o escoamento de 200 l/s de óleo (d = 0,9 e


ν = 1×10-5m² /s), em um tubo de ferro fundido de 800 m de comprimento e 10 cm de
diâmetro.

7) Considere o problema anterior, verifique os resultados se:


(a) o diâmetro do tubo for aumentado de D = 0,1 para D = 1 m. (com os valores de referência)
(b) se o comprimento da tubulação for diminuído para 80 m (com os valores de referência)
(c) se a densidade for igual a da água (com os valores de referência)
(d) se a vazão for aumentada para 2 m³. (com os valores de referência)

8) Amônia líquida a -20°C escoa através de uma seção de tubo ( ε = 1,5×10-6 m) de diâmetro
de 20 mm e 30 m de comprimento com fluxo de massa de 0,15 kg/s. Determine a queda de
pressão, a perda de carga (em metros) e a potência de bomba necessária para superar as perdas
no tubo.

9) Um reservatório de grandes dimensões tem uma saída cujo diâmetro interno vale 8 cm
e tem comprimento de 2500 m, como mostrado na figura.
A superfície livre do reservatório está a 1 m da linha de centro da tubulação, devendo
permanecer nesta condição durante o experimento. Considere inicialmente que o regime do
escoamento seja laminar. Pede-se determinar a velocidade de saída do jato, feito na atmosfera.
A viscosidade cinemática do fluido é igual a 6,0×10-6 m² /s .
10) Repita o problema anterior, considerando agora que a superfície livre esteja a 100 m.
Considere o tubo liso.

11) Determine a potência para bombear 0,3 m³/s de água através do sistema da figura abaixo.
A pressão do ponto B é 150 kPa (manométrica). As tubulações são feitas de aço comercial
(ε = 0,000046m). O diâmetro da primeira seção é de 1,5 metros e o da segunda seção é de
1 m. Despreze as perdas menores (isto é, as perdas nos acidentes).
A pressão no ponto A é 100 kPa.
(a) Resolva inicialmente considerando que os diâmetros são iguais a 1,25m.
(b) Considere em seguida que os diâmetros são os indicados.
12) Considere uma tubulação de ferro fundido com 5 cm de diâmetro e tendo ε /D = 0,0052.
Qual é a menor queda de pressão para o escoamento de água, 25°C, através de um trecho de
30 m que irá garantir escoamento totalmente rugoso? Qual é a vazão?

13) Cálculo de perda de carga: Dois reservatórios são unidos por uma tubulação de aço com
14 in de diâmetro nominal (Schedule 30 ST) e 2100 m de comprimento. Sabendo que a vazão
do reservatório 1 ao 2 é de 150 L/s de agua, e a tubulação possui 4 cotovelos de 90° raio curto
e duas válvulas de gaveta abertas.

Calcule a perda de carga distribuída do sistema.


Calcule a perda de carga localizada do sistema.
Calcule a perda de carga total do sistema.

Valor de tabela para C = 90


Diâmetro nominal (Dn) fornecido: 14 in.
Da tabela de propriedades de tubulações de aço para tubo Schedule 30 ST, o diâmetro interno
para o Dn = 14 in é: 13,25 in.
Valores de K:
Entrada Normal: K=1;
Cotovelo de 90°: K=0,9;
Válvula de gaveta: K=0,2;
Saída de tubulação: K=1.
14) Calcular a perdida de carga em uma tubulação de fibrocimento de 400 m de comprimento
e com um diâmetro nominal de 150 mm (FC 150), por onde circula um caudal de 1 m³/h de
água a 20 ºC. A viscosidade cinemática da água é de 0,000001 m2.s

Você também pode gostar