Você está na página 1de 38

Comportamento Alimentar na Infância e Adolescência

MÓDULO 2: COMPORTAMENTO
ALIMENTAR FAMILIAR

Professora: Danielle Andrade – Nutricionista – CRN3:34430


danielle.andrade@meunutri.com
Assuntos abordados
• Comportamento Alimentar Familiar
- Pais e cuidadores enquanto sujeitos de
formação do comportamento alimentar

- Família enquanto ambiente promotor de um


comportamento alimentar saudável
Comportamento dos pais – quando e
como influencia?

0 a 12 meses 12 a 36 meses 3 a 7 anos

• Temerosos • Medo de não • Aumento da


• Inseguros sobre comerem o exposição e
quando alimentar suficiente influência
• Interpretação • Redução na • Alimentos ‘bons’ e
• Controle rígido velocidade de ‘ruins’
crescimento • Perdem a
• Pais e filhos
ansiosos e tensos • Atendem os liderança
desejos
• Escondem os
vegetais
• Coerção

Brownell e Wadden, 1984; Birch, 1998


Comportamento dos pais – quando e
como influencia?
ESTUDO RESULTADO
Gillman et al. Family dinner and diet Aumento da frequência dos jantares em família melhorou o
quality among older children and padrão dietético em estudo feito com 16.202 crianças entre 9
adolescents, 2000. e 14 anos.
Stanek K. et al. Diet quality and the Estudo com 427 crianças mostrou que aquelas que
eating environment, 1990. realizavam refeições em família, consumiam mais porções de
cereais, verduras e vegetais, leite e derivados e carnes.

Neumark-Sztainer D. et al. Family meal Avaliação de 4.726 escolares = frequência da realização das
patterns: associations with refeições com a família esteve associada positivamente ao
sociodemographic characteristics and consumo de frutas, vegetais, grãos e laticínios.
improved dietary intake among
adolescents, 2003.
Coulthard et al. The relationship Atitudes negativas dos pais durante as refeições são fatores
between parental eating problems and preditores de problemas alimentares, principalmente a
children’s feeding behaviour: A recusa da alimentação durante a infância.
selective review of the literature,
2003.
Comportamento dos pais – quando e
como influencia?

PAIS CRIANÇA
Insegurança Recusa
Angústia Menor interesse
Estresse Pouco apetite

Brownell e Wadden, 1984; Birch, 1998


Comportamento dos pais – quando e
como influencia?
Pais

Estratégias para incentivar ou


Modelo para a cça: controlar o consumo alimentar:
Ambiente doméstico:
- Consumo/preferência por - Persuasão positiva
- Disponibilidade dos alimentos
determinados alimentos - Pressão/insistência para
- Acessibilidade dos alimentos
- Comportamento alimentar comer
- Horário das refeições (fome e saciedade, velocidade - Restrição
- Refeições em família para comer, relação com a
comida) - Estabelecimento de limites
- Acesso à TV e distrações
- Uso de prêmios

Brownell e Wadden, 1984; Birch, 1998


Comportamento dos pais – quando e
como influencia?

Pais fora de casa


51% das famílias de
alta renda faziam a
maioria das refeições
assistindo à TV
Comer
sozinho/assistindo TV

Desvalorização
Não ter espaço
do comer e
para mesa
família

Petty, 2013
Comportamento dos pais – quando e
como influencia?

Comer por
tédio/solidão

Por que a cça está


beliscando?
Comer por razões
além da fome
Comer por
Comer para acesso ao
eliminar a dor excesso

Petty, 2013
Comportamento dos pais – quando e
como influencia?

Mediana de
Tipo de refeição: Motivo do não
refeições em
Jantar – 61,5% Mínimo 1 compartilhamento:
família semanal:
Almoço: - 23,1% refeição/dia: 30% 78% rotina
AUSENTE
TODAS – 11,5% 22% estresse
(média2x/sem)

Tempo de refeição: Distrações à mesa: 65% forçam a


> 50min 81% alimentação

Instituto PENSI, 2016


Comportamento dos pais – quando e
como influencia?
 Relações familiares e o comportamento alimentar

 Em famílias em que a relação é pautada pelo afeto, disponibilidade, partilha


e promoção de autonomia, as cças aprendem a se sentirem seguras e
acarinhadas  comportamento de bem-estar físico e emocional
 Um ambiente familiar pouco aberto à expressão de sentimentos e emoções
 comportamento alimentar mais desadequado

 A cópia do comportamento dos pais é significativo pela cça em relação aos


comportamentos que levam ao aumento de peso
 As cças com relações familiares menos coesas e expressivas são as que
têm > IMC
 A média do IMC é inversamente proporcional ao evitamento da comida

Coelho e Pires, 2014


Modelos parentais e a influência no CA

Black e Hurley, 2007


Modelos parentais e a influência no CA
 Pontos positivos e negativos em cada estilo parental
 AUTORITÁRIO
Regras e limites claros. Exigência e obediência incondicional e indiscutível.
O diálogo e a negociação são fundamentais. Os pais devem tomar as
decisões mais importantes, porém, deve haver espaço para que o filhos
tomem pequenas decisões (qual calçado usar ou fruta escolher). Esse estilo
pode gerar uma relação fria e distante entre pais e filhos

 PERMISSIVO
Afetuoso e disponível, porém não impõe regras nem limites, deixando a cça
no controle da situação, resultando em grandes birras e tentativas de
afirmação que os pais não conseguirão controlar. Filhos de pais permissivos
tendem a tornarem-se adultos com dificuldades em estabelecer relações e
partilhar experiências

Black e Hurley, 2007


Modelos parentais e a influência no CA
 Pontos positivos e negativos em cada estilo parental
 NEGLIGENTE
Eventualmente parecem afetuosos, porém não estão disponíveis, não dão
afeto, não transmitem segurança, nem estabelecem regras. Essa conduta
pode levar desde baixa autoestima da cça a atraso no desenvolvimento ou
problemas comportamentais

 AUTORITATIVO
Disponíveis na medida, carinhosos, dão liberdade, mas sabem punir
comportamentos inadequados. Os limites são claros e a conduta
consistente, gerando cças obedientes, independentes e socialmente
adequadas, com autonomia para resolver problemas e autorreguladas no
que diz respeito às suas emoções e impulsos.

Black e Hurley, 2007


Modelos parentais e a influência no CA
Cça passiva (pais autoritários)
Baixa autoestima Cça não envolvida (pais
Empática negligentes)
Obediente Baixa competência social,
Resultados escolares emocional e cognitiva
médios/bons Baixos resultados escolares
Problemas Desordem de conduta
emocionais/alimentares

Cça líder (pais autoritativos)


Cça exigente (pais
Altas competências sociais e
permissivos/tolerantes)
emocionais
Boa autoestima
Autorregulação e socialmente
Baixa empatia
responsável
Resultados escolares
Excelentes resultados
baixos/médios
escolares
Problemas comportamentais
Curiosa/criativa/eficaz
Black e Hurley, 2007
Modelos parentais e a influência no CA

O que os pais estão realmente ensinando com as práticas indulgentes/negligentes?

A gostar/preferir
Inadequado senso Relutância em provar alimentos ‘não
de fome e saciedade novos alimentos saudáveis’

Petty et al, 2015


Modelos parentais e a influência no CA
O que os pais estão realmente ensinando com as práticas controladoras?

A comer para agradar Comer não é


A comer quando
outras pessoas ou prazeroso
não há fome
para ganhar algo

Não gostar de
alimentos que eles Gostar de alimentos
queriam que ‘não saudáveis’
gostassem

Petty et al, 2015


Comportamento dos pais nas dificuldades
alimentares

Acreditam que a saúde das Grande angústia, em


cças fica prejudicada com a especial da mãe = conflitos
recusa familiares

A família transfere o poder


Normalmente mãe perde o
de escolha para a cça, na
controle, se sente
ânsia de “resolver o
estressada, incompetente,
problema” da dificuldade
sente culpa e frustração
alimentar

Petty et al, 2015; Instituto PENSI, 2016


Influência da família nas dificuldades
alimentares
Famílias com membros que
Diversos estudos demonstram que a
maioria das causas de dificuldades apresentam “comer
alimentares não estão relacionadas emocional” aumentam a
com a alimentação, mas sim com os chance dos seus filhos
conflitos oriundos de relações
apresentarem dificuldades
intrafamiliares
alimentares

Crianças de mães com Famílias com problemas


Transtorno Alimentar alimentares apresenta 80% de
apresentam maiores chances chance da cça apresentar
de desenvolverem TA dificuldade alimentar

Petty et al, 2015; Instituto PENSI, 2016


Por que os pais usam a pressão para
comer?
 Preocupação de que os filhos não comam o suficiente/não comam bem ou
ganhem pouco peso (Trofholz et al, 2017)

 Preocupação pode ser mediada pela percepção (adequada ou não) de que


a cça tenha baixo peso (Gregory et al 2010, Webber et al, 2010)

 85% dos pais de cças entre 4-6a tentam fazer as cças SEM DIFICULDADES
comerem mais (Orrel Valente et al, 2007)

 Percepção das filhas que seus pais as pressionavam para comer  3x > do
que seus pais admitiam fazer (Birch e Fisscher, 2000)
Pressão não é apenas ‘forçar para comer’
 ↑ brigas, comentários e argumentos sobre seus hábitos alimentares
(Mascola et al, 2010)

 Obrigação de experimentar todos os dias (Trofholz et al, 2017)


 Viver uma ‘batalha’ para comer  aprender a não gostar do alimento

 Associação negativa com a comida


 Cças aprendem a gostar dos alimentos tbm por associação com o que
elas vivenciam (Birch e Doub , 2014)

 Pressão verbal
 Você tem que comer esta comida para crescer e ficar grande
 Por favor, seja um bom menino e dê uma mordida para a mamãe
 Todas as outras cças estão comendo, só você vai ser diferente?
Pressão para comer e o apetite/IMC
 Estresse  ↑ cortisol  ↑ inapetência (Rowel e Mc Glothlin, 2015)

 Emoções negativas  ↓ atividade intestinal (Wardle e Gibson, 2001)

Insistência exagerada
Crianças com menor
dos pais para as cças
ganho de peso/IMC
comerem

Coelho e Pires, 2014


Pressão para comer e o apetite/IMC
 Estresse  ↑ cortisol  ↑ inapetência (Rowel e Mc Glothlin, 2015)

 Emoções negativas  ↓ atividade intestinal (Wardle e Gibson, 2001)

Insistência exagerada
Crianças com menor
dos pais para as cças
ganho de peso/IMC
comerem

Restrição e proibição Crianças com maior


de comer ganho de peso/IMC

Coelho e Pires, 2014


Pressão para comer e o apetite
Práticas parentais de controle alimentar

Adaptado de Coelho e Oliveira, 2017 - Child Feeding Questionnarie (CFQ) em crianças portuguesas
Práticas parentais de controle alimentar

Adaptado de Coelho e Oliveira, 2017 - Child Feeding Questionnarie (CFQ) em crianças portuguesas
Método de divisão de responsabilidade na
alimentação infantil
Método de divisão de responsabilidade na
alimentação infantil

Pais devem prover estrutura, suporte e


oportunidades. As cças escolhem
quanto e se comerão o que os pais
proverem (Petty, 2013)
Método de divisão de responsabilidade na
alimentação infantil
‘Quando você segue a divisão de responsabilidade na alimentação (sOR), seu
filho se tornará e permanecerá capaz de comer. A divisão de
responsabilidade encoraja você a assumir a liderança com o que, quando
e onde de alimentação e deixa seu filho determinar o
quanto e se deve comer do que você fornece. A sOR aplica-se em todos os
estágios dos anos de crescimento do seu filho, desde a infância até os
primeiros anos da adolescência. A sDOR diz para alimentar seu bebê quando
necessário, permitindo que ele determine o tempo e o ritmo da
alimentação. À medida que ele se desenvolve e se torna mais regular em
seus padrões alimentares, você gradualmente assume a responsabilidade
por quando e onde se alimentar. A maioria das crianças está preparada para
participar da rotina de refeições e lanches das refeições familiares até o final
do primeiro ano ou no início do segundo ano. Depois disso, os pais precisam
manter a estrutura das refeições em família e lanches. Quando você faz o seu
trabalho com a alimentação, o seu filho faz o seu com o alimento.’ (Ellyn
Satter)
Método de divisão de responsabilidade na
alimentação infantil
 Os trabalhos para os pais com alimentação são sobre...

 Escolher e preparar a comida

 Fornecer refeições e lanches regulares

 Fazer com que os momentos de comer sejam agradáveis

 Mostrar e ensinar a cça como se comportar na hora das refeições da família

 Ser atencioso com a falta de experiência alimentar do seu filho, sem atender
a gostos e desgostos

 Não permitir que seu filho ter alimentos ou bebidas (exceto água) entre as
refeições e as refeições ligeiras

 Deixar que seu filho crescer no corpo certo para ele

Ellyn Satter
Método de divisão de responsabilidade na
alimentação infantil
 Parte do seu trabalho de alimentação é confiar em seu filho em relação...

 Comer a quantidade que ele precisa

 Aprender a comer a comida que você come

 Crescer previsivelmente da maneira certa para ele

 Aprender a se comportar bem na hora das refeições

Ellyn Satter
Método de divisão de responsabilidade na
alimentação infantil
Método de divisão de responsabilidade na
alimentação infantil
https://www.instagram.com/p/BfzCjzAHHw-/?utm_source=ig_share_sheet&igshid=guoav9jz8n6m
https://www.instagram.com/p/BlagWVenJTc/?utm_source=ig_share_sheet&igshid=6us9zxbnrqcx
https://www.instagram.com/p/BgUtcnhnAFY/?utm_source=ig_share_sheet&igshid=1pdtjeh6mhda9
Dicas de materiais do consultório
Dicas de materiais do consultório
Dicas de materiais do consultório