Você está na página 1de 3

A carne é um alimento presente na alimentação do ser humano desde a Pré-

História. Nos últimos anos, porém, algumas pessoas têm optado por abandonar
o consumo deste alimento por diferentes motivos.
 
Vegetarianos e veganos, por exemplo, consideram tirar a carne das refeições
por motivos relacionados ao sofrimento e à preservação animal. Há quem
escolha cortar de vez as carnes em busca de uma alimentação com poucas
calorias. Mas será que esta é a melhor decisão?
 
Seja branca ou vermelha, a carne é essencial para uma nutrição completa.
Hoje vamos entender as diferenças entre as carnes vermelha e branca e o
porquê delas serem tão necessárias à nossa alimentação.

Carne: alimento fundamental para a saúde


Um dos maiores benefícios da carne tem a ver com seu principal componente:
a proteína. Essa molécula orgânica é composta por aminoácidos responsáveis
pelo crescimento e reparação dos tecidos do nosso corpo.
 
As proteínas contribuem para o ganho da chamada massa magra (músculo).
Por isso que estão presentes no cardápio da maioria dos atletas, por exemplo.
Essas substâncias também fazem parte do transporte de substâncias, da
reposição de gasto energético e do metabolismo celular, por exemplo.
 
Há proteínas de origem animal e vegetal. O que as diferencia é que as de
origem vegetal são pobres e as de origem animal são ricas em aminoácidos
essenciais, que não são produzidos pelo nosso organismo. Por isso mesmo a
importância do consumo de carne para o ser humano.
 
Agora, existem diferenças entre carne branca e carne vermelha. Você sabe
quais são?

Carne Branca
As chamadas carnes brancas são provenientes de peixes e aves. Elas são
fonte de ômega 3 e 6 e ácidos graxos, gorduras essenciais para o bom
funcionamento de vários órgãos do nosso corpo. Além disso, têm poucas em
gorduras saturadas e colesterol.

Carne Vermelha
As carnes vermelhas abrangem um grupo maior de espécies, tais como boi,
cavalo, porco, cordeiro e até coelho. Elas são ricas em mioglobina, que
transporta o oxigênio para as células musculares, e em creatina, que fornece
energia durante exercícios físicos intensos.
 
A carne vermelha também é tida como alimento antidepressivo pela alta
concentração de fenilalanina.

Qual carne é melhor? Branca ou vermelha?


O aspecto mais importante na hora de se escolher a carne deve ser sempre a
saúde. Isso independe do tipo de carne, porque é possível manter uma dieta
equilibrada com carne vermelha e branca.

Carne branca - aspectos positivos e negativos


As carnes brancas (principalmente as de peixe) possuem menos gordura e
colesterol, se comparadas às vermelhas. Por isso mesmo elas são muito
utilizadas em dietas de emagrecimento. Além disso, oferecem uma digestão
mais rápida.
 
Porém, isso não quer dizer que você possa abusar do consumo de frango ou
peixe só porque eles são mais magros. Em excesso, esse tipo de carne
também engorda, ainda mais se misturada a molhos calóricos. Uma
desvantagem é que elas têm menos proteína se comparadas à carne
vermelha.

Carne vermelha - aspectos positivos e negativos


Além de uma maior quantidade protéica, as carnes vermelhas possuem
também todos os aminoácidos essenciais ao corpo humano. Eles fazem parte
de processos vitais, como produção hormonal, de proteínas e de
neurotransmissores.
 
Ela é rica em ferro e zinco, além de vitamina B12, fundamental para o sistema
nervoso e para a formação de hemácias. O ferro é bom para o coração e
previne a anemia, enquanto o zinco tem ação direta no fortalecimento do
sistema imunológico, entre outros benefícios.
 
Porém quando cozida de forma excessiva ou tem procedência duvidosa, essa
carne pode liberar substâncias nocivas à saúde. Geralmente, seus malefícios
estão ligados ao consumo demasiado, principalmente de peças mais
gordurosas, o que pode acarretar em problemas cardiovasculares e até câncer.

Equilíbrio é a chave de tudo!


Como foi dito, tanto as carnes brancas quanto as vermelhas têm aspectos
positivos e negativos. Mas um ponto em comum é que para consumí-las de
forma saudável é preciso balancear as quantidades e o tipo de corte.
 
Segundo o Ministério da Saúde, a quantidade recomendada é de 300 a 500
gramas por semana, o equivalente a um bife pequeno (71 gramas) por dia.
Com essa quantidade é possível suprir as necessidades do corpo de uma
forma saudável.
 
Em relação aos cortes, é recomendado escolher os menos gordurosos
independente do tipo da carne. Patinho, maminha, filé mignon, lombo suíno,
coxão mole e coxão duro estão no grupo das carnes vermelhas mais magras e,
portanto, mais saudáveis.
 
As carnes de aves, no geral,  são mais magras, desde que retirada a gordura
antes do seu preparo. Truta, linguado, corvina, dourado e carpa são algumas
opções de carne de peixe com menos gordura.