Você está na página 1de 1

Regras de Legalização, Apostilamento e Tradução

(Abril/2018)

 Regra geral: Os documentos emitidos no exterior deverão respeitar as regras de legalização ou


apostilamento (conforme o caso), além de tradução, respeitados os acordos e tratados de que
o Brasil seja parte (art. 68, § 3º e art. 129, § 2º do Decreto 9.199/2017).

 Regras especiais de legalização e tradução baseadas em acordos e tratados de que o Brasil é


signatário (processos migratórios):

Acordo / Necessidade Com aplicação de


Regra especial de legalização
Tratado de tradução norma mais benéfica
“Documentos deverão somente
- Legalização: pelo
Acordo sobre ser certificados pelo agente
agente consular no
Residência do consular do país de origem do Não
Brasil
MERCOSUL peticionante, credenciado no país
- Tradução: não
de recepção, sem outro cuidado.”
Acordo Brasil / “Dispensada a legalização e a - Legalização: não
Não
URUGUAI tradução de documentos.” - Tradução: não
“Os documentos apresentados - Legalização: pelo
Acordo Brasil / para trâmite migratório estão agente consular no
Não
ARGENTINA dispensados da exigência de Brasil (regra Mercosul)
tradução (...)’” - Tradução: não
“Os atos públicos expedidos no
território de um dos dois Estados
serão dispensados de legalização
Acordo Brasil / - Legalização: não
ou de qualquer formalidade Não fala nada.
FRANÇA - Tradução: sim
análoga, quando tiverem que ser
apresentados no território do
outro Estado”
“As certidões de nascimento e
Portaria
casamento (...) poderão ser - Legalização: não
Interministerial
aceitas independentemente de (para docs específicos)
09/2018 Não
legalização e tradução. - Tradução: não (para
(Países
docs específicos)
Fronteiriços)

OR 02