Você está na página 1de 5

Farmacologia - Cardiovascular

REVISÃO

1. Renal
2. Sistema Vascular
3. Sistema Renina-Angiotensina-Aldosterona
4. Anti-hipertensivos
4.1 Antianginosos
4.2 Fármacos usados na IC
4.3 Antiarrítmicos

● Pressão Arterial
Se refere à força que o sangue exerce contra a parede das artérias. Essa força é
necessária para que o sangue possa circular por todo o corpo.

● Fator que regulam a pressão arterial

Débito Cardíaco: ​definido como a quantidade de sangue que é bombeada para o coração
no período de um minuto.
Resistência Periférica:​‘​total é o somatório das resistências que todos os pequenos vasos
do sistema circulatório opõem ao fluxo sanguíneo. As resistências vasculares sistémicas
evidenciam-se pela pressão arterial diastólica’.

● Sistemas que regulam a pressão arterial

Renina Angiotensina Aldosterona:


RECEPTORES (AT1-AT2) - farmacos que atuam na inibição (Inibidores da ECA,
Antagonistas AT-1,Inibidores de renina)

Peptídeos natriuréticos:
Peptídeos A, B e C – PNA, PNB e PNC; Regulam a eliminação de Na+;

Prostaglandinas
PGI2 : vasodilatadora e natriurética PGE2 : vasodilatadora e natriurética
Síntese induzida por: Isquemia, angiot. II, vasopressina e bradicinina

AINES

Endotélio
-1, 2 e 3 Receptores ET-A e ET-B ET-A: Et-1=ET-2>Et-3 ET-B: Et-1 = Et-2 = Et-3

ON

Fosfodiesterases
SN simpático
Sistema Imune
Hormônio antidiurético (ADH ou vasopressina)

1. Função Renal
Manter a constância do meio interno, eliminando produtos, regulando o volume, conteúdo
de eletrólitos e pH.

RIM
Funções: ​Regulação do balanço hídrico, do balanço eletrolítico, do volume e
osmolaridades corporais e do equilíbrio ácido-base.

Anatomia básica
Néfron: Unidade Funcional do Rim

Aparelho Justaglomerular
Células da mácula densa

Filtração glomerular
Cápsula de Bowman - filtração
Função tubular
a) T. Proximal: ​As células do túbulo proximal absorvem eventuais proteínas,
aminoácidos, glicose, íons bicarbonato e cerca de 67 a 80% dos íons Na+ e Cl e da
água do filtrado.
b) T. Distal:
c) Alça de Henle:
d) T. Coletor

Diuréticos

Inibidores de A.C
Diuréticos de Alça
Tiazídicos
Controle Hormonal

Aula 2. Hipertensão

Doenças Cardiovasculares

Hipertensão

Estágios

Causas

Consequência da Hipertensão

Fatores que regulam a pressão arterial

Tratamento

Diuréticos

-Polpadore de potassio

-Anidrase Carbônica

-Tiazidicos

-Diuréticos de Alça
Aula 3. Beta bloqueadores
Os β-bloqueadores são opção de tratamento para pacientes hipertensos com doença ou
insuficiência cardíaca concomitante.

Ação

Usos terapêuticos
A vantagem terapêutica primária dos β-bloqueadores é observada em pacientes hipertensos
com doença cardíaca concomitante, como taquiarritmia supraventricular (p. ex. fibrilação
atrial), infarto do miocárdio prévio, angina pectoris e insuficiência cardíaca crônica. As
condições que desaconselham o uso de β-bloqueadores incluem doença broncoespástica
como asma, bloqueio cardíaco de segundo e terceiro ​graus e doença vascular periférica
grave.
Farmacocinética
Os β-bloqueadores são ativos por via oral para o tratamento da hipertensão. O propranolol
sofre biotransformação de primeira passagem extensa e altamente variável. Os
β-bloqueadores podem demorar várias semanas até desenvolverem seu efeito pleno.
Esmolol, metoprolol e propranolol estão disponíveis em formulação intravenosa (IV).

Efeitos adversos
1. Efeitos comuns: Os β-bloqueadores podem causar bradicardia, hipotensão e efeitos
adversos no SNC, como fadiga, letargia e insônia (Fig. 17.9). Os β-bloqueadores podem
diminuir a libido e causar disfunção erétil, o que pode reduzir acentuadamente a adesão do
paciente.

2. Alterações nos padrões lipídicos séricos: Os β-bloqueadores não seletivos podem


desregular o metabolismo lipídico, diminuindo a lipoproteína de alta densidade (HDL) e
aumentando os triglicerídeos.

3. Retirada do fármaco: A retirada abrupta dos β-bloqueadores pode causar angina, infarto
do miocárdio e mesmo a morte súbita de pacientes com doença cardíaca isquêmica. Por
isso, esses fármacos devem ser reduzidos gradualmente ao longo de algumas semanas em
pacientes com hipertensão e doença cardíaca isquêmica.

INIBIDORES DA ENZIMA CONVERSORA DE ANGIOTENSINA


BLOQUEADORES Do RECEPTOR DE ANGIOTENSINA II
INIBIDORES DA RENINA
BLOQUEADORES Dos CANAIS DE CÁLCIO

BLOQUEADORES Dos ADRENOCEPTORES α

BLOQUEADORES Dos ADRENOCEPTORES α E β

ADRENÉRGICOS DE AÇÃO CENTRAL

Aula 4. VASODILATADORES

EMERGÊNCIA HIPERTENSIVA

HIPERTENSÃO RESISTENTE

TRATAMENTO COMBINADO

https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4130413/mod_resource/content/1/Fisiologia%20Ren
al%20I%20e%20II.pdf
http://www.ufrgs.br/livrodehisto/pdfs/10Urinar.pdf