Você está na página 1de 3

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA/UFPB 

Centro de Ciências Sociais Aplicadas/CCSA 


Departamento de Administração/DA 

Sistemas de Informação e Decisão


1ª Avaliação

Yago Rodrigues Araújo - 11227638

2020
1) Herbert Simon teve interesse na tomada de decisões em 1935 quando
ele foi fazer um trabalho que tinha o objetivo analisar um problema no
orçamento administrativo público. Então ele viu na empresa que as
preferencias e fidelidades do tomador de decisões influenciava mais do
que as considerações econômicas nacionais. A partir daí ele viu que
tudo vinha sendo a partir da tomada de decisões humana de
racionalidade limitada. De acordo com Herbert Simon, existe 2 tipos de
decisões, as decisões programadas que são problemas que já foram
enfrentados e que se comportam sempre da mesma maneira como as
ações do dia a dia, e o outro tipo de decisão são as decisões não
programadas que são situações novas que cabe resolver analisando
suas vantagens e desvantagens.
Daniel Kahneman foi a pessoa que mais divulgou a ideia dos 2 sistemas,
que é a nossa mente funcionando em dois ritmos. O sistema 1 mais
intuitivo, mais rápido, e o sistema 2 mais racional, mais analítico.

2) Como defesa do nosso piloto herói Sully, seria impossível chegar ao


aeroporto mais próximo e aterrissar normalmente, pois com a pani no
motor ele tomou a melhor decisão em fazer um pouso de emergência no
rio Hudson. No próprio filme mostram simulações feitas por
computadores e até por outros pilotos em simuladores. Lá mostram que
dava para fazer o pouso normalmente no aeroporto próximo, porém nas
simulações não colocaram em questão a hora repentina da parada dos
motores. Sully teve que pensar rapidamente na melhor decisão para
salvar seus passageiros, tripulantes e a ele mesmo, tomando a decisão
certa. Nas simulações eles já esperavam a parada dos motores, não
tinham a tensão do momento real e já sabiam qual decisão tomar. Com
isso os segundos que Sully pensou para tomar a decisão não tinham
sido contabilizadas na simulação. Quando levaram em consideração
esses segundos, na simulação, o avião não chegaria no aeroporto,
sendo assim matando a todos no avião. Sully tomou a melhor e mais
sábia decisão.

3) A IA vem influenciando nossas decisões de modo que nem notamos.


Assim como o documentário da Netflix “O Dilema das Redes” mostra,
somos influenciados constantemente, com anúncios que aparecem do
nada. Quando pesquisamos algo do nosso interesse, a IA baixa esses
dados e começam a aparecer mais e mais anúncios relacionado a
pesquisa de nosso interesse. Até Silvio Santos, no meio de seus
programas coloca anúncios de seus produtos do nada, para
cognitivamente termos vontade de saber mais sobre o produto e
querermos comprá-lo. Acredito que a IA pode restringir nossa liberdade,
pois ficamos escravos sem perceber de nossos aparelhos eletrônicos,
que se ficarmos 5 minutos sem entrar em uma rede social
enlouquecemos. Acho que a polarização mundial tem uma parte culpa
da IA e uma parte tem culpa quem usa dos recursos da IA para espalhar
posicionamentos, argumentos que não tem nada a haver e até com
lançamentos de Fake News que são bastante comum graças a IA.

4) As Organizações podem se beneficiar ao utilizar dados como ativos


estratégicos utilizando os dados para se diferenciar dos demais concorrentes,
para escolher o melhor funcionário para ocupar determinado cargo, para
observar o rendimento da empresa e de seus funcionários, tudo isso de modo
muito mais rápido e eficiente do que era a algum tempo atrás.

5) Para mim, essa lei é de extrema importância para todos, tanto


organizações como para as pessoas, pois estávamos muito vulneráveis
navegando nas redes, a qualquer momento podiam roubar nossos
dados e ficarem impunes. Com essa lei temos uma melhor segurança.

Você também pode gostar