Você está na página 1de 5

Introdução

O tema do artigo é o instituto da obrigação. Serão apresentados


tópicos abordando o conceito, fontes, elementos constitutivos e
classificações diversas das obrigações.

Conceito
Obrigação, no âmbito jurídico, consiste na relação transitória do
direito que nos constrange (força) a DAR, FAZER ou NÃO
FAZER alguma coisa, em regra economicamente apreciável, em
proveito de alguém, que, em virtude de uma relação jurídica, adquire
o direito de exigir uma ação ou omissão.
Características marcantes do direito das obrigações:
 Prevalecimento da autonomia privada

 Sempre haverá privilégio para a extinção da obrigação


(favor debitoris)
 Imutabilidade no tempo e espaço (lenta evolução)

 Cunho pecuniário

Fontes das obrigações


Entende-se como fonte uma obrigação o fato jurídico de onde nasce o
vínculo obrigacional: O contrato; o ato unilateral; o fato ilícito; a lei
etc.

 Fonte imediata: A lei.


 Fonte mediata: Atos jurídicos, negócios jurídicos e atos
ilícitos.
Atos jurídicos (strictu sensu) são os comportamentos humanos não
negociais capazes de gerar obrigações perante terceiros.

Negócio jurídico consiste na materialização da manifestação de


vontade, podendo o negócio ser unilateral, como o testamento, ou
bilateral, como os contratos.

Atos ilícitos são os que fazem nascer, em função da responsabilidade


civil, a obrigação de reparação dos prejuízos e danos causados.

Elementos constitutivos das obrigações


As obrigações podem ser destrinchadas em elementos subjetivos,
imaterias e objetivos.

 Elemento subjetivo: Os sujeitos, devedor e credor - Pessoa


física, jurídica ou até mesmo sociedade de fato.
 Elemento imaterial ou espiritual: O vínculo obrigacional, o
liame que une sujeito ativo e passivo.
 Elemento objetivo: O objeto da prestação, DAR (prestação
positiva), FAZER (prestação positiva), ou NÃO FAZER
(prestação negativa).

Classificação das obrigações


Quanto ao vínculo obrigacional
 Moral: Decorre apenas de dever de consciência ou princípios
morais (Ex: Comparecer em um evento familiar, cumprimentar
conhecidos etc).
 Natural: São obrigações cuja execução o devedor não pode ser
constrangido a realizar, uma vez que seu pagamento é
voluntário.
 Civil: É o vínculo jurídico transitório que confere ao credor o
direito de exigir do devedor uma determinada prestação.
Quanto ao objeto de prestação
 Dar: Consiste na entrega da coisa, nesta obrigação o devedor se
vincula ao credor ao estar obrigado a lhe entregar uma coisa (Ex:
Transferência de propriedade, contrato de compra e venda etc).
 Fazer: Tem por objeto a realização de um ato ou confecção de
uma coisa pelo devedor para o credor (Ex: Construir um muro,
manutenção de um objeto, consertos diversos etc).
 Não fazer: Tem por objeto a abstenção lícita de um ato pelo
devedor, da qual resulta benefício patrimonial para o credor (Ex:
Contrato com empresa patrocinadora exige que jogador de
futebol use roupas de outra marca).
Quanto a liquidez
 Obrigações liquidas: São certas quanto a existência e
determinadas quanto ao objeto.
 Obrigações ilíquidas: São obrigações cujo objeto depende de
apuração (prestação incerta).
Quanto a estrutura
 Simples: Apresentam todos os elementos no singular (Ex: Um
sujeito ativo, um sujeito passivo e um objeto).
 Complexa: Apresentam qualquer ou todos os elementos no
plural (Ex: Dois sujeitos ativos, um sujeito passivo e dois
objetos).
Quanto ao modo de execução
 Simples: Obrigações cuja prestação recai somente sobre uma
coisa ou um fato, ficando o devedor liberado ao cumpri-la.
 Cumulativa: Obrigações em que o devedor se compromete a
várias prestações, só ficando liberado ao cumprir todas elas.
 Alternativa: Tem por objeto duas ou mais prestações, estando
o devedor liberado ao cumprir qualquer uma delas.
 Facultativa: Confere ao devedor a possibilidade de cumprir a
obrigação com objeto diverso daquele que está em “obligatione”.
Quanto ao tempo de adimplemento
 Instantâneas ou momentâneas: São extintas em um só ato
ou fato, pois a obrigação é cumprida imediatamente após
sua constituição.
 Periódica ou de execução continuada: São concluídas em
atos reiterados num determinado espaço de tempo de forma
ininterrupta e sucessiva.
 De execução diferida (se projeta no tempo): Obrigações cujo
cumprimento deve ser realizado em um só ato, mas em momento
futuro.
Quanto aos elementos acidentais
 Pura e simples: Obrigação não sujeita a nenhum elemento
acidental (condição, termo ou encargo).
 Condicional: Obrigação subordinada a evento futuro e
incerto, podendo a condição ser suspensiva ou resolutiva.
 A termo: Obrigação subordinada a evento futuro e certo,
podendo o termo ser certo ou incerto.
 Com encargo ou modal: Obrigação onerada por cláusula
acessória que impõe ônus do beneficiário.
Quanto a pluralidade de sujeitos
 Fracionárias ou parciais: Cada sujeito responde por parte
da dívida ou cada um por si só exige sua respectiva cota (Ex:
Vários devedores responsáveis por objeto já liquidado; tendo em
vista a divisibilidade do objeto, a obrigação pode ser fracionada
entre os devedores).
 Conjuntas ou unitárias: Todos os devedores respondem por
toda a dívida, uma vez que não há divisão de responsabilidade.
 Solidárias: Cada credor com um direito, e os devedores são
obrigados a pagar a dívida toda (Ex: Uso de produto defeituoso
resulta em dano físico em razão do mal funcionamento; todos os
envolvidos na distribuição/produção do produto são
responsáveis solidariamente).
 Disjuntivas: Os devedores são obrigados à prestação do objeto
alternativamente (Ex: Vários filhos arcando com a alimentação
do pai alternadamente).
 Conexas: Obrigações que possuem causa comum, pelo qual
vários devedores devem satisfazer prestações distintas ao mesmo
credor.
Quanto ao conteúdo
 De meio: O devedor promete empregar seus conhecimentos,
meios e técnicas, porém não garante o resultado (Ex: Advogado,
professor etc).
 De resultado: O devedor se obriga não somente ao emprego
de suas atividades, mas a alcançar o resultado requerido pelo
credor (Ex: Eletricista, engenheiro, cirurgião plástico etc).
 De garantia: É a que visa eliminar um risco que pesa sob o
credor ou suas consequências.
Quanto ao objeto
 Divisível: Coisa ou fato passível de divisão.
 Indivisível: Coisa ou fato que não pode ser fracionado (por
natureza, vontade das partes, determinação ou motivo de ordem
econômica).
Obrigações reciprocamente consideradas
 Obrigações principais: São aquelas que subsistem por si só,
sem depender de qualquer outra.
 Obrigações acessórias: São aquelas que tem sua existência
condicionada a outra relação jurídica.

Você também pode gostar