Você está na página 1de 64

Cirurgia

em
Répteis
- técnicas do futuro em animais
do passado

Rui Patrício
Médico Veterinário de Animais Exóticos
INTRODUÇÃO
• Um cirurgião de animais exóticos deve ter experiência cirúrgica com
pequenos animais
• Deve ter um bom conhecimento de anatomia e fisiologia das várias
espécies
• Deve possuir material adequado aos pacientes:
– Isoflurano
– Ampliação
– Instrumentos microcirurgia
– Radiocautério
– Hemoclips
– Cotonetes estéreis
– Panos de campo transparentes
– Aquecimento
MATERIAL
• Deve ser adequado às dimensões dos animais (pequenos)
• Deve haver sistema de aquecimento durante e após a cirurgia
• Em alguns casos é necessário ampliação
• Suturas absorvidas por hidrólise

Retractor Lonestar®

Lupas cirúrgicas
Hemoclips

Ventilador Vetronics®
PREPARAÇÃO PRÉ-CIRURGICA

• Avaliação da urgência
• Avaliação do animal
• Análises sanguíneas
• Rx
• Ecografia
• Colocação de via IV ou IO
• Preparação do material

Vetscan ®
ANESTESIA
• Analgesia : opioides, aines, local
• Lagartos
– Morfina
• Cobras
– Fentanil
• Tartarugas
– Morfina
– Tramadol
• Anestesia
• Injectável
– Propofol
– Alfaxalona
– Dexmedetomidina
• Volátil
– Isoflurano
– Sevoflurano
Reptile Medicine and surgery in Clinical Practice, Wiley Blackwell

Reptile Medicine and surgery in Clinical Practice, Wiley Blackwell


MONITORIZAÇÃO
• Doppler
• Capnografia
• Pulsoximetro
RECUPERAÇÃO PÓS-CIRURGICA

• Aquecimento
• Analgesia
• Atenção ao que funciona!!!
Nutrição
• Seringa, entubação orogástrica, tubo esofagostomia
• Animais caquéticos devem receber apenas 10%-20% do REM
nos primeiros dias
• Nutrição de acordo com as necessidades energéticas
específicas:
– TMB = K (PVkg0.75) kcal/day (K-10)
– REM = TMB x f = kcal/day
• Inatividade 0.25 – 0.5
• Anorexia 0.12 – 0.725
• Hipometabolismo 0.25 – 0.98
• Cirurgia 1.0 – 1.2,
• Trauma ligeiro1.0 – 1.2
• Trauma grave 1.2 – 1.5
• Crescimento 1.2 – 1.8
• Sepsis 1.0 – 1.5.
PRINCIPAIS CIRURGIAS
Lagartos

• Principais cirurgias
– Abcessos
– Distócias
– Prolapsos
– Cistotomia
– Fraturas patológicas
ACESSOS CIRURGICOS
• Incisão ventral, paramediana ou paralombar (cavidade celómica)

B
A

Adaptado de : Mader’s Reptile and Amphibian


medicine and surgery, Elsevier,3ºEdition

• A-Ventral
• B-Paramediana • VAV – Veia abdominal
• C-Paralombar • P- Veias pélvicas
ACESSOS CIRURGICOS
• Incisão cranio-ventral ou cranio-dorsal (membros)
– Evita os vasos e nervos que estão na região ventro-caudal
– Evita os músculos da região anterior
Adaptado de : Mader’s Reptile and Amphibian
medicine and surgery, Elsevier,3ºEdition

Adaptado de : Mader’s Reptile and Amphibian


medicine and surgery, Elsevier,3ºEdition
Adaptado de : Mader’s Reptile and Amphibian medicine and surgery, Elsevier,3ºEdition
Adaptado de : Mader’s Reptile and Amphibian medicine and surgery, Elsevier,3ºEdition
Ovariosalpingectomia

• Eletivas
• Distócia pré ovulatória
• Distócia pós-ovolatoria
• Neoplasias
Castração
• Controle reprodutivo
• Neoplasias

Adaptado de : Mader’s Reptile and Amphibian medicine and surgery, Elsevier,3ºEdition


Prolapsos

• Prolapso significa sair da sua localização normal


• No caso dos répteis, os prolapsos implicam
exteriorização do orgão prolapsado:
– Cloaca
– Intestino
– Oviduto
– Pénis ou hemipenis
– Bexiga
• Tentar identificar o órgão prolapsado
– Pénis - Tecido sólido sem eversão nem lúmen (negro ou
avermelhado)
– Oviduto – Apresenta estriações longitudinais na superfície
– Bexiga – bolsa de parede fina, transparente com urina no
interior
– Intestino – possui um lúmen, com material fecal no
interior
– Cloaca – tecido sólido, de pequenas dimensões
Cistotomia

• Remoção cálculos urinários


• Remoção de ovos em quelónios
Gastrotomia
• Sutura da pele deve ser evaginante pois têm tendência
invaginar quando cicatrizam
Fraturas
Fratura de cauda

• Autotomia fisiológica em algumas espécies


• Iguanas, gecos, lacertídeos
• Possível tentar suturar
Abcessos
• Ausência de enzimas proteolíticas
• Pus sólido
Acessos Cirúrgicos
Ofídios

• Acesso directo (nódulos cutâneos)


• Incisão longitudinal antero-posterior (cavidade
celómica) entre as escamas.
– 2º-3ºfileira de escamas em Pítons
– 1º-Escamas ventrais em Colubrídeos
PRINCIPAIS CIRURGIAS
Cobras

• Reprodutiva
– Ovariectomia
– Distócias
• Enterotomias
• Neoplasias
Ovariectomia/Salpingetomia
• Ovariectomia eletiva/distócia pré-ovulatória
• Salpingectomia
• Salpingotomia (permite futuro reprodutivo)
Nefrectomia

Vet Clin Exot Anim 19 (2016) 97–131


http://dx.doi.org/10.1016/j.cvex.2015.08.010
Lenticulectomia
Bullous spectaculopathy

• Obstrução dos ductos nasolacrimais


• Drenagem e cultura
• Remoção cirúrgica de um triângulo
de escama na zona ventral
• Pode dar origem a um abcesso
subespetacular
PRINCIPAIS CIRURGIAS
Tartarugas

• Principais cirurgias
– Fraturas
– Enterotomias
– Reprodutiva
• Eletiva
• Distócias
– Enterotomia
– Cistotomia
Acessos aos membros
• Tartarugas terrestres apresentam escamas na face
cranio-dorsal
• Membros
– Incisão cranio-dorsal (membros de tartarugas aquáticas)
– Incisão caudo-dorsal (membros de tartarugas terrestres)
Celiotomia Fossa Pré-femoral

• Incisão cranio-caudal
• Na zona média da fossa pre-femoral
• Desde perto da inserção da pele na ponte plastrocarapacial
até cranial à musculatura da pata
• Disseção cranial ao m.sartorius e ventral ao m.iliacus
• Exposição aponeurose m.abdominal obliquo externo - incisão
Osteotomia do Plastron

• Incisão no local de acesso


pretendido
• Cuidado veias abdominais
ventrais
• Corte com angulo 45º-60º
• Corte parcial de um dos
lados

Mader’s Reptile and Amphibian medicine and surgery,


Elsevier,3ºEdition
Mader’s Reptile and Amphibian medicine and surgery, Elsevier,3ºEdition

• Preservar músculos abdominais


• Colocar compressa humedecida
Mader’s Reptile and Amphibian medicine and surgery, Elsevier,3ºEdition
Ovariosalpingectomia
Enterotomia

• Corpo estranho
• Fecalomas
• Neoplasias
Vet Clin Exot Anim 19 (2016) 97–131
http://dx.doi.org/10.1016/j.cvex.2015.08.010
Prolapsos

• URGÊNCIA!!!
• Tentar manter viabilidade
do órgão prolapsado
• A maioria das vezes
necessita de celiotomia
Abcessos
• Tratamento cirúrgico
– Avaliar problema subjacente
– Recuperação prolongada
– Bom prognóstico
Fraturas

• Avaliar o animal antes de


reparar a carapaça
• Possibilidade de infeção
• Usar Imaginação
• Atenção a animais
aquáticos
Fraturas

• Imobilização
• Cirurgia
• Nem todos os ossos
acessiveis
• Curvatura
• Tamanho do animal
Colocação Tubo Esofágico

Vet Clin Exot Anim 19 (2016) 97–131 http://dx.doi.org/10.1016/j.cvex.2015.08.010