Você está na página 1de 23

Ciências Naturais 9ºano Prof.

Andreia Carvalho
Até à bem pouco tempo, todos os
medicamentos eram produzidos a
partir de plantas ou de animais, ou
então sintetizados em laboratório a
partir de substâncias químicas.

Hoje em dia, e como resultado da


Engenharia Genética, os cientistas
podem utilizar bactérias ou
organismos geneticamente
modificados para produzirem
substâncias necessárias ao corpo
humano.

Exemplo: Produção de insulina


humana que deixou de ser produzida
pelos porcos e passou fabricada pela
bactéria Escheria coli, introduzindo
nesta o gene o humano que codifica
a insulina.
Os testes genéticos ou de ADN
baseiam-se no princípio de que
todos os indivíduos, com excepção
dos gémeos homozigóticos, possuem
um padrão único de ADN, que
podem ser analisados à luz dos
conhecimentos de mapeamento do
genoma humano. Estes podem ser
usados para vários fins.
O transplante de órgãos entre
diferentes espécies – xenoplante -,
pode ser uma solução para a
escassez de órgãos humanos
disponíveis para transplante.

Quando inicialmente se tentou-se o


transplante de órgãos de vários
animais em humanos, estas
falharam, pois o sistema imunitário
dos receptores rejeitava os tecidos
transplantados.

Em 1992, cientistas da Univ. de


Cambridge, criaram porcos
transgénicos, introduzindo nos
embriões dos porcos, um gene
humano específico, de forma a
minimizar a resposta imunológica Actualmente, já é possível regenerar e fabricar órgãos e tecidos humanos
ao transplante. através da clonagem de células do próprio paciente. Desta forma, o seu
sistema imunitário não os irá rejeitar aquando do transplante.
A terapia genética envolve a
reparação ou substituição de
genes que causam doenças. Esta
técnica recente mas muito
promissora pode ser usada no
tratamento de doenças
hereditárias, certos tipos de cancro
e infecções virais.

A introdução de um gene
terapêutico no genoma de uma
célula pode ser feito directamente
no tecido afectado do doente. Ou,
em alternativa, retira-se uma
amostra de tecido do paciente e
introduz-se o gene terapêutico e
posteriormente transfere-se as
células para o doente.
A clonagem consiste na criação de
uma réplica geneticamente exacta de
um segmento de ADN de uma célula
ou de um organismo.

Existem três tipos de clonagem:

- Clonagem de ADN ( produção de


várias cópias de fragmentos de ADN
usadas em testes genéticos) ;

- Clonagem Reprodutiva (criação de


uma cópia exacta de um organismo
existente);

- Clonagem Terapêutica (células


estaminais retiradas de embriões são
colocadas em meios de culturas
especiais e induzidas a
diferenciarem-se nos vários tipos de
células).
Para consolidares o que aprendeste realiza os seguintes
exercícios:

Caderno de Actividades:

 Ficha 3 : exercícios 10, 11 e 12

Você também pode gostar