Você está na página 1de 90

Material do Aluno

Rev: 10/13 - Luis Gustavo

TREINAMENTO CORPORATIVO

Treinamento de Manutenção 777G

INSTRUTOR:

PARTICIPANTE: ______________________________________________________
Material do Aluno

SUMÁRIO

1. DESCRIÇÃO DO CURSO ............................................................................................................................. 3

2 PROGRAMA DO CURSO .............................................................................................................................. 5

3 MATERIAL DO CURSO ................................................................................................................................. 6

4 LISTA DE FERRAMENTAS ........................................................................................................................... 6

5 REGRAS DE SEGURANÇA DURANTE O TREINAMENTO ........................................................................ 7

6 INTRODUÇÃO AO EQUIPAMENTO E NORMAS DE SEGURANÇA AO TRABALHAR COM


EQUIPAMENTOS CATERPILLAR ................................................................................................................... 8

8 MOTOR C 32 ACERT ................................................................................................................................... 37

9 SISTEMA DO TREM DE FORÇA................................................................................................................ 55

10 SISTEMA HIDRÁULICO DA DIREÇÃO..................................................................................................... 65

11 SISTEMA HIDRÁULICO DE ELEVAÇÃO ................................................................................................. 71

12 SISTEMA HIDRÁULICO DOS FREIOS ..................................................................................................... 81

2
Material do Aluno

1. DESCRIÇÃO DO CURSO

1.1 Nome do curso:


Treinamento de Manutenção 777G

1.2 Conteúdo do curso:


Este curso é voltado para Operacionais de Serviço e/ou Suporte Técnico, que atuam ou estão eminentes a
trabalhar com o caminhão fora-de-estrada 777G.

Este treinamento tem como objetivo descrever o funcionamento dos sistemas de monitoramento, motor
diesel, trem de força, hidráulico dos implementos, freios e direção bem como testes e ajustes e manutenção
preventiva em cada um dos sistemas acima citados.

Os alunos receberão cópias do material didático pertinentes aos assuntos. Terão dentro de sala uma
completa apresentação através de slides, com posterior parte prática aplicando os assuntos discutidos em
sala.

1.3 Duração:
O curso será desenvolvido em sala de aula e laboratório, sendo 75% teórico e 25% prático, totalizando 32
horas ou 4 dias.

1.4 Participantes:
12 Participantes no máximo e no mínimo 6 participantes.

1.5 Quem deverá participar:


Técnicos de manutenção, Inspetores e Supervisores.

1.6 Objetivos Gerais:


Ao final do curso, sendo disponibilizado um caminhão fora-de-estrada 777G, a apresentação em sala e a
apostila do aluno, o participante será capaz de:
• Identificar e localizar na prática os componentes principais dos sistemas;
• Descrever o funcionamento básico dos sistemas;
• Realizar as calibrações e ajustagens necessárias dos sistemas;
• Realizar a manutenção preventiva conforme Manual de Operação e Manutenção.

1.7 Equipamento:
Caminhão fora-de-estrada 777G - TNM.

1.8 Ferramentas:
Caixa de Ferramenta de uso geral.

1.9 Pré-Requisitos:
Os participantes deste curso deverão ter conhecimento básico em sistemas eletrônicos de equipamentos,
motor diesel eletrônico, trem de força, sistema hidráulico e conhecimento básico do equipamento.

1.10 EPI´S:
É necessário que cada participante esteja equipado com capacete de segurança, abafador, óculos e luvas
de segurança.

3
Material do Aluno

1.11 Horários:
07:30 Horas – Inicio do Curso.
10:00 Horas (15 Min.) – Lanche.
12:00 Horas (1 Hora) – Almoço.
15:00 Horas (15 Min.) – Lanche.
16:30 Horas – Término.

4
Material do Aluno

2 PROGRAMA DO CURSO

Programação do Treinamento – 777G


Hora Hora
Dia Descriçao
Inicio Fim

Apresentação do instrutor, dos


1º dia 7:30 8:00 participantes, horários e normas do
treinamento
1º dia 8:00 09:45 Módulo 1
1º dia 09:45 10:00 Intervalo
1º dia 10:00 12:00 Módulo 2
1º dia 12:00 13:00 Almoço
1º dia 13:00 14:45 Continuação do módulo 2
1º dia 14:45 15:00 Intervalo
1º dia 15:15 16:00 Módulo 3

2º dia 7:30 8:00 Revisão


2º dia 8:00 09:45 Continuação do Módulo 3
2º dia 09:45 10:00 Intervalo
2º dia 10:00 12:00 Continuação do Módulo 3
2º dia 12:00 13:00 Almoço
2º dia 13:00 14:45 Módulo 4
2º dia 14:45 15:00 Intervalo
2º dia 15:00 16:00 Continução do Módulo 4

3º dia 7:30 8:00 Revisão


3º dia 8:00 08:45 Continuação do Módulo 4
3º dia 08:45 09:45 Módulo 5
3º dia 09:45 10:00 Intervalo
3º dia 10:00 10:45 Continuação do módulo 5
3º dia 10:45 12:00 Módulo 6
3º dia 12:00 13:00 Almoço
3º dia 13:00 14:00 Continuação do módulo 6
3º dia 14:00 14:45 Módulo 7
3º dia 14:45 15:00 Intervalo
3º dia 15:00 16:00 Continuação do módulo 7

4º dia 08:00 16:00 Parte prática

5
Material do Aluno

3 MATERIAL DO CURSO

3.1 Literatura de apoio

KENR9885 - Specification C27 & C32 Machine Engine (DRC);


KENR9886 - Systems Operation, Testing & Adjusting C27 & C32 Machine Engine (DRC);
SENR9937 - Systems Operation, Testing & Adjusting C27 & C32 Machine Engine (LRC);
RENR2223 - Systems Operation Oil Renewal System; 3.70
RENR9217 - Disassembly & Assembly C27 & C32 Engine (DRC);
KENR9795 - Troubleshooting C27 & C32 Engine (DRC);
KENR9925 – Specifications; 7.20
KENR9926 - Systems Operation Power Train; 10.90
KENR9927 - Testing & Adjusting Power Train; 7.20
KENR9929 - Systems Operation, Troubleshooting,Testing & Adjusting Power Train Electronic Control;
KENR9930 - System Systems Operation, Troubleshooting, Testing & Adjusting Brake Electronic Control
Module;
KENR9932 - Specifications Hydraulic & Braking System; 3.70
KENR9933 - Systems Operation, Testing & Adjusting Hydraulic & Braking System; 10.90
KENR9934 - Specifications Steering System; 3.70
KENR9935 - Systems Operation, Testing & Adjusting Steering System; 7.20
KENR9944 - Specifications, Systems Operation, Testing & Adjusting Fast Fill Center;
KENR9937 - Specifications, Systems Operation, Testing & Adjusting Auto Lubrication; 3.70
KENR9938 - Systems Operation, Troubleshooting, Testing & Adjusting Machine Monitoring System;
KENR9940 - Specifications, Systems Operation, Testing & Adjusting Hydraulic Fan;
KENR9941 - Systems Operation, Troubleshooting, Testing & Adjusting Vital Information Management
System (VIMS);
SEBU8227 - Operation & Maintenance (DRC);
KENR9942 - Schematic Hydraulic System; 25.50
UENR1024 - Schematic Electrical System (LRC).

3.2 Videos:
Introdução do caminhão Caterpillar 777G;

3.3 Programas:
Não será necessário.

3.4 Material Didático:


Projetor Multimídia;
Caixa de som com entrada para computador;
Quadro Branco/Flip-Chart;
Pincéis;
Apagador para quadro branco;
Caneta/Lápis.

4 LISTA DE FERRAMENTAS

Não haverá a necessidade de ferramentas especificas.

6
Material do Aluno

5 REGRAS DE SEGURANÇA DURANTE O TREINAMENTO

5.1.1 Antes de funcionar o equipamento:

1 – Todos os participantes deverão estar utilizando capacete de segurança, óculos de segurança, abafador
de ruídos e calçado adequado;
2 – Tenha certeza de que todos os participantes estejam em local seguro antes de realizar a partida no
equipamento;
3 – Aciona a buzina uma vez e aguarde 3 segundos antes de acionar o sistema de partida do equipamento.
4 – Antes de movimentar o equipamento, aciona a buzina duas vezes e aguarde 3 segundos antes de
movimentar com o mesmo.

5.1.2 Com a máquina em movimento:

1 – Quando se tratar de alguém que vai movimentar a máquina pela primeira vez, antes de movimentá-la
deve-se saber para que serve cada controle de operação, colocar o acelerador em mínima rotação e
começar a movimentar o equipamento lentamente até estar familiarizado com a operação.

7
Material do Aluno

6 INTRODUÇÃO AO EQUIPAMENTO E NORMAS DE SEGURANÇA AO TRABALHAR COM


EQUIPAMENTOS CATERPILLAR

O propósito deste módulo é permitir ao participante descrever as principais caracteristicas do 777G e


entender as etiquetas e normas de segurança ao trabalhar com equipamentos Caterpillar.

6.1 Objetivos:

Utilizando a apostila do aluno, o participante será capaz de:


1 – Descrever as principais caracteristicas do 777G;
2 – Identificar as etiquetas de segurança contidas no equipamento;

8
Material do Aluno

Figura 1 – Introdução ao equipamento

6.2 Novos recursos

________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

6.3 Mensagens de Segurança

Existem vários avisos de segurança específicos nesta máquina. As localizações exatas e as descrições dos
riscos são vistas nesta seção. Familiarize-se com todos os avisos de segurança.

Certifique-se de que todos os avisos de segurança estejam legíveis. Apague ou substitua as mensagens de
segurança caso as palavras ou as imagens se tornem ilegíveis. Quando limpar os avisos de segurança, use
um pano, água e sabão. Não use solventes, gasolina ou outros produtos químicos fortes para limpar os
avisos de segurança. Solventes, gasolina ou produtos químicos fortes podem afrouxar o adesivo que
prende os avisos de segurança. Adesivos soltos fazem com que a mensagem de segurança se desprenda
da máquina.

Substitua todos os avisos de segurança que estiverem danificados ou ausentes. Se houver um aviso de
segurança afixado numa peça a ser substituída, instale um novo aviso de segurança na peça de reposição.
Qualquer revendedor Caterpillar pode fornecer avisos de segurança novos.

9
Material do Aluno

Figura 2 – Etiquetas de segurança

10
Material do Aluno

Figura 3 – Etiquetas de segurança

Não Operar (1)

Esta mensagem de segurança está localizada dentro da cabine.

Não opere ou trabalhe nesta máquina a não ser que tenha lido e entendido as
instruções e avisos no Manual de Operação e Manutenção. O não
cumprimento das instruções ou a falta de atenção às advertências poderá
resultar em ferimentos graves ou morte. Consulte qualquer revendedor Cat
para obter os manuais de reposição. É sua responsabilidade ter o cuidado
adequado.

11
Material do Aluno

Cinto de Segurança (2)

Esta mensagem de segurança está localizada dentro da cabine.

Deve-se usar sempre um cinto de segurança durante a operação da máquina,


para evitar ferimentos graves ou morte no caso de um acidente ou
tombamento da máquina. Caso não se use um cinto de segurança durante a
operação da máquina, isso poderá resultar em ferimentos graves ou morte.

Líquido Arrefecedor Quente sob Pressão (3)

Esta mensagem de segurança está localizada na tampa do radiador.

O líquido arrefecedor está quente e sob pressão. Não toque em superfícies


quentes. Consulte o Manual de Operação e Manutenção quanto ao
procedimento a seguir durante a verificação do radiador.

Calço de Roda (4) (Se Equipado)

Essa mensagem está localizada próximo ao suporte dos calços de roda (se equipado).

12
Material do Aluno

A instalação incorreta dos calços de roda pode não limitar o movimento da


máquina resultando em ferimentos graves ou morte. A máquina deve ser
estacionada sobre uma superfície nivelada adequada com os freios de
estacionamento engatados. Use os calços de roda em pares.

Os calços de roda oferecidos pela Caterpillar, se equipado, são para uso em


declives planos somente. Se a máquina precisa ser calçada em um declive
irregular, é necessária uma avaliação de campo para analisar as variáveis que
podem afetar o desempenho do calço. É decisão de cada usuário determinar
o melhor calço e método de calçamento para sua aplicação específica. É
necessário desenvolver e testar técnicas no local de trabalho para determinar
a aceitação da utilização dos calços de rodas nessas aplicações. Ou então, as
rodas dianteiras da máquina podem ser viradas para um banco adequado ou
colocadas em uma valeta para estacionamento.

Perigo de Explosão (5)

Esta mensagem de segurança fica localizada na tampa de acesso da bateria.

Perigo de Explosão! A conexão incorreta de cabos auxiliares de partida pode


causar explosões e resultar em graves ferimentos ou morte. As baterias
podem estar localizadas em compartimentos separados. Consule o Manual de
Operação e Manutenção para o procedimento correto de partida do motor
com cabos auxiliares de partida.

Não Operar (6)

Esta mensagem de segurança fica localizada na tampa das válvulas e no Módulo de Controle Eletrônico
(ECM).

13
Material do Aluno

Não opere ou execute serviços neste motor sem antes ler e entender as
instruções e advertências deste Manual de Operação e Manutenção. Deixar
de seguir as instruções ou de atender as advertências pode resultar em
ferimentos ou morte.

O ECM envia um sinal de alta voltagem às unidades injetoras. Para ajudar a evitar danos físicos,
desconecte o conector da unidade injetora. Não entre em contato com o conector do chicote da unidade
injetora enquanto o motor estiver operando.

Perigo de Incêndio (7)

Esta mensagem de segurança fica localizada na tampa das válvulas do motor.

O incêndio repentino pode resultar em ferimentos se as tampas do cárter do


motor forem removidas no período de quinze minutos após o desligamento
de emergência.

Não dê nova partida no motor até que a causa do desligamento tenha sido
corrigida.

Risco de queda (8)

Esta mensagem de segurança está localizada na capota na parte superior do radiador e na viga principal
atrás da cabine.

14
Material do Aluno

Não utilize esta superfície como um degrau ou como uma plataforma. Esta
superfície poderá não suportar peso adicional ou poderá estar escorregadia.
Ferimentos sérios ou morte poderão ocorrer como resultado de uma queda.

Perigo de Esmagamento (9)

Este aviso de advertência localiza-se em cada um dos quatro cilindros da suspensão.

CILINDRO DE ALTA PRESSÃO

Não retire nenhuma válvula, conexão hidráulica ou o núcleo de válvula, nem


desmonte qualquer componente até que a pressão tenha sido aliviada.

Para aliviar a pressão, o chassi do caminhão deve ser apoiado


adequadamente. A não observância deste procedimento pode causar
movimento inesperado da máquina resultando em sérios ferimentos ou
morte.

Consulte o seu Manual de Serviço para saber os procedimentos corretos para


aliviar a pressão e/ou carregamento.

Consulte o seu revendedor Caterpillar quanto às ferramentas e informações


detalhadas para manutenção e carregamento dos cilindros.

Para obter informações sobre a manutenção dos cilindros da suspensão, consulte Operação dos Sistemas,
Testes e Ajustes, RENR8316.

Cilindro de Alta Pressão (10)

Este aviso de advertência localiza-se em cada um dos quatro cilindros da suspensão.

15
Material do Aluno

Cilindro de Alta Pressão.

Não remova nenhuma válvula, conexão hidráulica ou núcleo de válvula, nem


desmonte qualquer peça do cilindro sem aliviar antes a pressão. Podem
ocorrer ferimentos ou morte.

Consulte o manual de serviço quanto ao procedimento correto para aliviar a


pressão e para carregar os cilindros.

Para obter informações sobre a manutenção dos cilindros da suspensão, consulte Operação dos Sistemas,
Testes e Ajustes, RENR8316.

Pino de Caçamba Suspensa (11)

Esta mensagem de segurança está localizada na traseira da caçamba basculante próximo aos pontos
usados para manter a caçamba na posição SUSPENSA.

Uma carroceria (leito) levantada pode cair inesperadamente sem aviso,


resultando em ferimentos ou morte.

Quando for necessário trabalhar sob o caminhão com a carroceria (leito)


levantada, instale os pinos de retenção da carroceria (leito) através dos furos
dos pinos no chassi e dos suportes de fixação na carroceria.

Gás Sob Pressão (12)

Esta mensagem de segurança está localizada nos acumuladores do freio. Os acumuladores do freio estão
localizados no trilho externo do chassi, sob a cabine.

Gás sob pressão. A descarga rápida pela desconexão ou desmontagem

16
Material do Aluno

podem causar ferimentos ou morte. Consulte o manual de manutenção antes


de aliviar ou carregar qualquer pressão.

Product Link (13)

Esta mensagem de segurança está localizada dentro da cabine.

Esta máquina está equipada com o dispositivo de comunicação Caterpillar


Product Link. Quando os detonadores elétricos forem usados, esse
dispositivo de comunicação deverá ser desativado a uma distância de 12 m
(40 pés) do local de explosão longe dos sistemas baseados em satélite e a
uma distância de 3 m (10 pés) do local de explosão longe dos sistemas
baseados em celular ou a uma distância exigida pelos requisitos legais
aplicáveis. Se isto não for observado, poderá ocorrer interferência com as
operações de explosão, resultando em ferimentos graves ou morte.

Nos casos em que o tipo do módulo Product Link não puder ser identificado,
a Caterpillar recomenda que o dispositivo seja desabilitado a pelo menos 12
m (40 pés) do perímetro de explosão.

Não Solde nem Fure a ROPS (14)

Este aviso de segurança localiza-se dentro da cabine, na coluna dianteira esquerda da ROPS.

Dano estrutural, um tombamento, modificação, alteração ou reparo


inadequado poderá comprometer a capacidade de proteção dessa estrutura
e, portanto, anular esta certificação. Não solde ou perfure orifícios na
estrutura. Isto anulará a certificação. Consulte seu revendedor Cat para
determinar as limitações da estrutura sem anulação de sua certificação.

17
Material do Aluno

Ar Comprimido e Água Pressurizada

Ar e/ou água pressurizados podem fazer com que detritos e/ou água quente sejam lançados no ambiente.
Os detritos e/ou a água quente podem causar ferimentos.

Ao utilizar ar comprimido e/ou a água pressurizada para fins de limpeza, use roupas e sapatos protetores e
óculos de segurança. Para proteger os olhos, use óculos ou uma máscara facial de segurança.

A pressão de ar máxima para fins de limpeza deve ser reduzida a 205 kPa (30 lb/pol2)quando o bocal tiver
um cabeçote móvel e for usado com um defletor de aparas eficaz e equipamento de proteção pessoal. A
pressão de água máxima para fins de limpeza deve ser inferior a 275 kPa (40 lb/pol2).

Pressão Retida

A pressão pode ficar retida no sistema hidráulico. A descarga de uma pressão retida pode causar um
movimento súbito da máquina ou um movimento do acessório. Tenha cuidado ao desconectar tubos ou
conexões hidráulicas. A descarga de óleo sob alta pressão pode causar chicoteamento da mangueira. A
descarga de óleo sob alta pressão pode causar borrifamentos de óleo. A penetração de fluidos pode causar
ferimentos graves e morte.

Penetração de Fluidos

Após o desligamento do motor, o circuito hidráulico poderá permanecer sob pressão por um longo período.
Se não for devidamente aliviada, a pressão poderá causar a expulsão de fluido hidráulico ou de outros itens,
como bujões de tubulações.

Para evitar ferimentos, não remova nenhuma peça ou componente hidráulico até que toda a pressão tenha
sido aliviada. Para evitar ferimentos, não desmonte nenhuma peça ou componente hidráulico até que toda a
pressão tenha sido aliviada. Consulte o Manual de Serviço para obter quaisquer procedimentos necessários
para aliviar a pressão hidráulica.

Figura 4 – Penetração de fluidos

Sempre use uma placa ou pedaço de cartão duro ao verificar um vazamento. Fluidos vazando sob pressão
podem penetrar no tecido do corpo. A penetração de fluidos pode causar ferimentos graves e morte. Um
vazamento capilar pode causar ferimentos graves. Se o fluido for injetado na sua pele, será preciso tratar
imediatamente. Procure um médico familiarizado com esse tipo de ferimento para o tratamento.

Contenção de Derramamentos de Fluidos

Assegure-se de que todos os fluidos estejam cuidadosamente contidos durante a execução de testes,
serviços de inspeção, manutenção, ajuste e reparo no equipamento. Tenha um recipiente apropriado à mão
antes de abrir qualquer compartimento ou desmontar qualquer componente contendo fluido.

Consulte a Publicação Especial, NPNG2500, "Catálogo de Ferramentas de Serviço do


RevendedorCaterpillar" quanto aos seguintes itens:

• Ferramentas e equipamentos adequados para a extração de fluidos

18
Material do Aluno

• Ferramentas e equipamentos adequados à contenção de fluidos

Obedeça a todos os regulamentos locais referentes ao descarte de fluidos.

Inalação

Figura 5 – Inalação

Escape

Tenha cuidado. A fumaça do escapamento pode ser prejudicial à saúde. Se você operar a máquina em uma
área fechada, garanta ventilação adequada.

Informações sobre Amianto

Os equipamentos e as peças de reposição Cat expedidos da Caterpillar não contêm amianto. A Caterpillar
recomenda usar somente peças de reposição Cat genuínas. Se uma peça de reposição contendo amianto
for usada, siga as seguintes diretrizes para o manuseio da peça e o contato com os fragmentos de amianto.

Tenha cuidado. Evite inalar a poeira que pode ser gerada durante o manuseio de componentes que contêm
fibras de amianto. A inalação dessa poeira pode ser prejudicial à saúde. Os componentes que podem conter
fibras de amianto são pastilhas de freio, cintas de freio, material de revestimento, placas de embreagem e
algumas juntas. O amianto utilizado nesses componentes geralmente é colado com uma resina ou vedado
de alguma forma. O manuseio normal não é perigoso, a menos que seja gerada poeira levada pelo ar que
contenha amianto.

Se houver poeira de amianto no ar, siga as seguintes recomendações:

• Nunca use ar comprimido para limpeza.


• Evite escovar produtos que contenham amianto.
• Evite esmerilhar produtos que contenham amianto.
• Use um método úmido para limpar materiais de amianto.
• Um aspirador equipado com um filtro de ar particulado de alta eficiência (HEPA) pode também ser
usado.
• Utilize uma ventilação de exaustão em trabalhos de usinagem permanente.
• Use uma máscara para respiração se não houver outro meio de controlar a poeira.
• Obedeça às recomendações e regulamentos aplicáveis ao local de trabalho. Nos Estados Unidos,
observe os requisitos da OSHA (Occupational Safety and Health Administration). Os requisitos da
OSHA encontram-se na "29 CFR 1910.1001". No Japão, observe os requisitos encontrados na
"Ordinance on Prevention of Health Impairment due to Asbestos" além dos requisitos da Industrial
Safety and Health Act.
• Obedeça todos os regulamentos ambientais referentes ao descarte de amianto.
• Evite transitar em áreas onde possa haver partículas de amianto no ar.

19
Material do Aluno

Descarte Correto de Resíduos

Figura 6 – Descarte de resíduos

O descarte incorreto de fragmentos pode causar danos ao meio ambiente. Os fluidos potencialmente
prejudiciais ao meio ambiente devem ser sempre descartados de acordo com os regulamentos locais.

Sempre armazene os fluidos drenados em recipientes à prova de vazamento. Não despeje fragmentos na
terra, em ralos ou em água corrente ou parada.

20
Material do Aluno

7 PAINEL DE MONITORAMENTO

O propósito deste módulo é permitir ao participante descrever as principais caracteristicas do painel de


monitoramento VIMS/ADVISOR bem como seus menus de acesso e seus alarmes de advertência.

7.1 Objetivos:

Utilizando a apostila do aluno, o participante será capaz de:


1 – Descrever os componentes principais do sistema de monitoramento e o sistema de comunicação entre
eles;
2 – Descrever os menus do painel de monitoramento;
3 – Conhecer os alarmes de operação e também qual atitude tomar em caso de ocorrência dos mesmos.

21
Material do Aluno

Figura 7 – Sistema de monitoramento do VIMS

7.2 Introdução

________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

22
Material do Aluno

Figura 8 – Painel de instrumentos do operador

7.3 Grupo de instrumentos

O Sistema de Monitoramento tem como função alertar o operador sobre problemas imediatos ocorrendo
com os sistemas monitorados da máquina. O Sistema de Monitoramento também tem como função alertar o
operador sobre problemas iminentes ocorrendo com os sistemas monitorados da máquina.

23
Material do Aluno

Figura 9 – Painel Advisor

Localizado no painel à direita do volante estão a chave de partida (1), interruptor de velocidade do ventilador
(2), o botão de temperatura variável (3), o interruptor do ar condicionado (4) e o isqueiro (5).

Acima do controle HVAC está a tela do Advisor (6). No lado esquerdo do visor do Advisor está o interruptor
do ARC (7) e o interruptor do freio de compressão opcional (8).

________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________

24
Material do Aluno

Figura 10 – Painel Advisor

7.4 Menus de acesso

Esquerda/acima (1)
Direita/abaixo (2)
Botão Voltar (3)
botão Home (4)
Botão OK (5)
botões de seta (6)

Figura 11 – Menus do Advisor

A tela "Menu Home" é a tela padrão do Advisor. Essa tela permite que o operador acesse telas de função
diferentes selecionando o título adequado com os botões "para cima" e "para baixo" e pressionando o botão
Ok.

25
Material do Aluno

Figura 12 – Menu do operador

O perfil do operador é inserido selecionando-se "Operator" (Operador) no menu "Home" (Início). Pressione o
botão de seta para cima ou de seta para baixo até destacar "Operador". Em seguida, pressione o botão
"OK".

O menu "Operador" contém as seguintes opções:

• "ID do Operador";
• "Selecionar Perfil";
• "Editar/Salvar Atual"
• "Criar Perfil";
• "Excluir Perfil";
• "Configuração de Fábrica".

Figura 13 – Menu do monitor

A opção de menu "Monitor" é inserida selecionando-se "Monitor" no menu Home (Início). O menu Home
(Início) pode ser exibido em qualquer tela pressionando-se o botão Home (Início). Pressione o botão para
cima ou o botão para baixo até que o "Monitor" seja realçado para selecionar o menu. Pressione então o
botão "OK" para selecionar o menu "Monitor".

26
Material do Aluno

Figura 14 – Menu de carga útil

A opção de menu "Payload" (Carga Útil) é inserida selecionando-se "Payload" (Carga Útil) no menu Home
(Início). Pressione o botão para cima ou o botão para baixo até que a "Carga Útil" seja realçada para
selecionar o menu. Pressione então o botão "OK" para selecionar o menu "Payload" (Carga Útil).

Figura 15 – Menu de serviço

O menu "Service" (Serviço) é inserido selecionando-se "Service" (Serviço) no "Home Menu" (Menu Início).
Pressione o botão de seta para cima ou o botão de seta para baixo até que "Serviço" fique destacado para
selecionar o menu "Serviço". Pressione o botão "OK".

27
Material do Aluno

O menu "Serviço" contém sete submenus.

• "Diagnósticos"
• "Calibragens"
• "Informações do Sistema"
• "Registro Confidencial"
• "Testes do Sistema"
• "Parâmetros de Serviço"

________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________

Figura 16 – Menu de ajustagem

O menu "Settings" (Ajustes) permite que o usuário veja e ajuste os parâmetros do seguinte:

• "Configuração do Visor";
• "Freio";
• "Chassi";

28
Material do Aluno

• "Máquina";
• "VIMS".

Configuração do Visor"

A partir do menu "Configuração do Visor" utilize o botão seta para cima ou o botão seta para baixo
adequado para realçar o parâmetro desejado. Em seguida, pressione o botão "Ok" para ter acesso ao
parâmetro na tela. Siga então as instruções na tela para ajustar o parâmetro. Todos os parâmetros nesta
categoria se referem às preferências do operador em relação à tela Advisor. Os seguintes parâmetros
podem ser ajustados:

• "Idioma";
• "Unidades";
• "Contraste";
• "Luzes Acesas";
• "Luzes Apagadas";
• "Formato da Data";
• "Formato da Hora".

Motor

No menu "Engine" (Motor), use a seta "Para Cima" ou "Para Baixo" adequada para destacar a informação
desejada e pressione o botão "OK". As seguintes informações estão acessíveis:

"Máquina"

No menu "Machine" (Máquina), use o botão de seta para cima ou o botão de seta para baixo adequado para
destacar o parâmetro desejado. Em seguida, pressione o botão "Ok" para ter acesso ao parâmetro na tela.
As seguintes informações podem ser vistas:

• "Limite de Marcha Superior";


• "Limite de Velocidade da Máquina Sobrecarregada";
• "Machine Loaded Speed Limit (Limite de velocidade da máquina carregada)";
• "Limite de Velocidade da Máquina Sobrecarregada";
• "Limite de Velocidade da Máquina";
• "Modo de economia de combustível";
• "ID do produto";
• "ID do Equipamento".

"Chassi"

No menu "Chassis" (Chassi), use o botão de seta para cima ou o botão de seta para baixo adequado para
destacar a informação desejada. Em seguida, pressione o botão "Ok" para ter acesso às informações
exibidas na tela. As seguintes informações podem ser vistas:

• Duração da lubrificação automática;


• Limite de velocidade da caçamba levantada;
• Porcentagem do modo de economia;
• Caçamba de Contagem de Carga;
• Limite de Velocidade da Máquina Sobrecarregada;
• Limite Máx. de Velocidade de Avanço;
• Limite Máx. de Velocidade de Marcha à Ré;
• Iniciar segunda marcha;
• Teste de redução sonora do motor;
• Limite de Marcha Superior;
• Monitoramento do Pneu.

29
Material do Aluno

"Freio"

A partir do menu do "Freio", pressione o botão "Ok" para visualizar e ter acesso às informações desejadas.
Todas as informações nesta categoria se referem ao Retardador. As seguintes informações podem ser
vistas:

• "Rotação Desejada de Retardo do Motor".

"VIMS"

No menu "VIMS", use o botão de seta para cima ou o botão de seta para baixo adequado para ver a
informação desejada. Em seguida, pressione o botão "Ok" para ter acesso às informações na tela. As
seguintes informações podem ser vistas:

"Carga Útil" do VIMS

• "Peso da Carga Útil Alvo";


• "Limite de Sobrecarga da Carga Útil";
• "Status da Última Passagem da Carga Útil";

"Registrador Condicional" do VIMS

• "Registrador Condicional".

Figura 17 – Menu do modo de serviço

A opção de menu "Service Mode" pode ser acessada a partir do menu "Home". Pressione o botão de seta
para cima ou de seta para baixo até que "Service Mode" seja destacado. Em seguida, pressione o botão
"OK".

O menu"Modo de Serviço" é usado para acessar as opções de menu protegidas por senha. O "Modo de
Serviço" protege determinados recursos contra o acesso pelo operador. Os recursos que são protegidos
contra o acesso pelo operador podem ser "ativados" ou "desativados" com uma senha.

30
Material do Aluno

OPERAÇÃO DE ADVERTÊNCIA

Indicações de Advertência (1)

O Indicador A Luz O Alarme


de Status Indicadora de de Ação
Categoria de Pisca (2) Ação Soa Ação Requerida do Resultado
Advertência Intermitente Operador Possível (4)

1 X Nenhuma ação imediata Nenhum efeito


é necessária. O sistema prejudicial ou
precisa ser verificado causador de avarias.
logo.

2 X X Altere a operação da Danos graves aos


máquina ou faça a componentes
manutenção do sistema.

Danos graves aos


Altere a operação
2-S X X X (5) componentes da
imediatamente
máquina.

3 X X X (3) Desligue o motor Danos físicos ao


imediatamente com operador ou danos
segurança. severos aos
componentes.
(1)
As indicações de aviso ativas são marcadas com um "X".
(4)
Este é o possível resultado se nenhuma ação for realizada pelo operador.
(2)
Com base no problema detectado, o indicador de status específico acenderá.
(5)
O alarme está ligado continuamente.
(3)
Alarme pulsante.

7.5 Mensagens de Aviso

Durante o modo normal de operação e no modo de menu, a tela do Advisor poderá ser interrompida por
uma mensagem de aviso. As mensagens de aviso são exibidas quando instruções ou informações
importantes precisam ser exibidas.

No caso de um aviso de Nível 1 ou de Nível 2, a mensagem poderá ser confirmada pressionando o botão
"OK". Pressionado o botão "OK", a mensagem desaparecerá da tela. Realize um ciclo de alimentação para
visualizar uma mensagem de Nível 1 ou de Nível 2, depois que a mensagem tiver sido confirmada.

Se a gravidade do aviso for do Nível 3, a mensagem não poderá ser removida com o botão "OK". A
mensagem desaparecerá somente quando o problema não existir mais ou quando a máquina for desligada.

31
Material do Aluno

Figura 18 – Painel fast fill

O centro de serviço de enchimento rápido situa-se no lado esquerdo do veículo na parte traseira da parte
frontal pára-choques.

O centro de serviço permite que os compartimentos de fluido serem preenchidos diretamente a partir da
frente do caminhão. As portas de enchimento são as seguintes:
• Óleo do motor (1);
• Liquido de arrefecimento (2);
• Óleo hidráulico (Freios e Elevação) (3);
• Óleo do trem de força (conversor de torque e transmissão) (4);
• Óleo dA direção (5);
• Autolube (6);
• Combustível (7);

O teclado (8) inclui indicadores de nível dos fluidos e um botão de teste para cada indicador.
A lâmpada (9) assegura a iluminação do centro de serviço.

Figura 19 – Indicadores de nível

Os indicadores do nível de fluido são:


• Óleo hidráulico (1);

32
Material do Aluno

• Óleo da direção (2);


• Óleo do conversor de torque e transmissão (3);
• Óleo do eixo traseiro (4);
• Combustível (5);
• Óleo do motor (6);
• Liquido arrefecimento do motor (7);
• Autolube (8).

Quando a chave de partida do motor é movida para a posição LIGAR, todos os indicadores de LED no
teclado piscarão brevemente.

Nota: A chave de partida do motor não precisa estar em LIGAR para fornecer energia para o teclado

Há um botão de teste para os indicadores de nível de fluido em cada sistema. Para testar os indicadores,
mantenha pressionado o botão de teste do sistema desejado. Enquanto o botão estiver pressionado, o
indicador do sistema correspondente piscará uma vez e, a seguir, acenderá continuamente se os
indicadores estiverem funcionando apropriadamente. Teste os indicadores antes de encher qualquer
sistema com a abertura de enchimento rápido correspondente.

33
Material do Aluno

Figura 20 – Painel de comando

O painel de comando à distância está localizado no lado direito do pára-choques frontal. A chave geral (13)
na posição OFF desliga a energia elétrica do caminhão.

O interruptor de travamento da máquina (8) trava a transmissão em neutro, bloqueia a elevação e a direção
do equipamento e bloqueia o freio de estacionamento na posição travado. A lâmpada de bloqueio da
máquina (3) será acesa e a máquina será bloqueada. A lâmpada de bloqueio da máquina irá piscar quando
o interruptor de bloqueio é ativado, mas o freio de estacionamento deverá estar aplicado e a velocidade de
solo deverá ser igual a zero.

O interruptor de travamento do motor (7) desconecta a energia da bateria para os relés de partida. quando
o interruptor de bloqueio do motor está ligado e da velocidade de solo é zero, a lâmpada de bloqueio do
motor (1) será acesa e os relés de partida serão desativados. A lâmpada de bloqueio domotor
piscará quando o interruptor de travamento do motor é ativado, mas a indicação de velocidade no solo
não é zero.

O interruptor de bloqueio do motor também energiza o painel de monitoramento para permitir realizar
download do ECM do VIMS.

Também localizado no painel de comando à distância temos os seguintes componentes:


• Lâmpada de Serviço (4);
• Conector para download do VIMS ™ 3G (5);
• Conector do ET Caterpillar (6);
• Disjuntor de 15 ampères do motor (9);
• Disjuntor de 90 ampères do circuito principal (10);
• Disjuntor de 90 ampères do alternador (11);
• Conector auxiliar de partida (12).

A lâmpada de serviço do VIMS (2) situa-se acima das lâmpadas de bloqueio.

34
Material do Aluno

Figura 21 – Conectores VIMS e ET

Localizado atrás do banco do aprendiz está localizado o conector do ET (1), o conector do VIMS PC (2) e a
porta de força 12 V (3).

Figura 22 – Painel de fusíveis e relés

Também localizados atrás do banco do aprendiz estão os paines de fusíveis. A caixa de fusíveis (1) protege
os circuitos 12 Volts, a caixa de fusiveis (2) protege os circuitos 24 Volts onde estão localizados os fusíveis
(3) e relés (4).

35
Material do Aluno

Exercícios:
Este exercício permitirá que o participante demonstre o conhecimento obtido através do treinamento e
obtenha as informações de um OHT 777G através do painel VIMS/ADVISOR.

Material Necessário:
1 – Folha de Exercícios.

FOLHA DE EXERCÍCIOS

Instruções:
Marque a coluna da direita de acordo com as opções da coluna da esquerda:

A. Permite o bloqueio dos sistemas da máquina ____Comunicação entre os ECM’s;

B. CDL/J1939 ___ Modo de serviço;

C. Nivel 2-S ___ Menu de serviço;

D. Habilita ou desabilita a senha de ____ Interruptor de bloqueio da máquina;


Serviço.

E. Permite visualizar os dados de ____ Mudança de operação imediata;


Balança de carga útil do equipamento.

F. Permite visualizar os códigos ____ Menu do payload;


Ativos no equipamento.

G. Memória que grava 5 minutos antes ____ Menu do operador;


do evento acontecer e 1 minuto depois do ocorrido

H. Memória que grava até 60 minutos e necessita ____ Datalogger;


Ser disparada.

I. Permite visualizar o número de série do motor, ____Snapshot;


Transmissão e equipamento.

J. Permite criar, salvar e alterar configuração do ____ Sub-Menu de informação do sistema.


Operador.

36
Material do Aluno

8 MOTOR C 32 ACERT

O propósito deste módulo é permitir ao participante conhecer a tecnologia ACERT aplicada no motor C32
ACERT, bem como conhecer o sistema eletrônico, sistema de lubrificação, arrefecimento,
admissão/exaustão e injeção de diesel aplicado.

8.1 Objetivos:

Utilizando apostila do aluno, o participante será capaz de:


1 – Identificar os sistemas e componentes principais do motor C32 utilizando a apostila do aluno;
2 – Conhecer o novo código E-Trim dos motores com tecnologia ACERT;
3 – Realizar o procedimento de manutenção, troca de filtros e fluidos de acordo com o procedimento do
OMM;
4 – Realizar com maior eficiência os testes/ajustes e diagnósticos no motor C32 ACERT através de
utilização da ficha de especificação do motor e das literaturas disponibilizadas pelo SIS.

37
Material do Aluno

Figura 23 – Introdução ao motor C32 ACERT

8.2 Introdução

________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________

Figura 24 – ECM do motor

O ECM do motor tem dois conectores principais para o diagnóstico. O maior conector de 120 pinos (2) é
conhecido como J2 e conecta ao chicote do motor. O menor conector de 70 pinos (3) é identificado como J1
e liga-se o chicote da máquina.

38
Material do Aluno

Figura 25 – Sistema de arrefecimento

8.3 Sistema de arrefecimento

1–
2–
3–
4–
5–
6–

Figura 26 – Conjunto de radiadores

1–
2–
3–
4–

Para verificar o nível do sistema de arrefecimento, realize o seguinte procedimento:

39
Material do Aluno

Figura 27 – Verificação do nivel de arrefecimento

Nota: Se for necessário adicionar líquido arrefecedor diariamente, verifique se há vazamentos.

1. Estacione a máquina numa superfície nivelada e desligue o motor. Certifique-se de que o controle
da transmissão esteja na posição ESTACIONAMENTO.

2. Quando o líquido arrefecedor estiver frio (temperatura ambiente), observe o visor de nível (1) para
verificar o nível do líquido arrefecedor. Mantenha o nível do líquido arrefecedor dentro do visor de
nível.

Figura 27A – Verificação do nivel de arrefecimento

3. Se necessário, abra a tampa de acesso (2), remova a tampa do radiador (3) lentamente para aliviar
a pressão e adicione o líquido arrefecedor.

40
Material do Aluno

Nota: Sempre adicione o mesmo tipo de líquido arrefecedor que existe na máquina. Não misture
tipos de líquido arrefecedor. Isso pode reduzir a eficácia do líquido arrefecedor. Pode também
reduzir a vida útil do líquido arrefecedor.

Figura 28 – Sistema de lubrificação do motor

8.4 Sistema de lubrificação

________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________

Figura 29 – Conjunto de filtros do motor

1–
2–
3–
4–
5–

41
Material do Aluno

Para verificar o nível de óleo do motor, realize o seguinte procedimento:

Figura 30 – Verificação do nível de óleo do motor

1 - Estacione a máquina sobre uma superfície plana. Certifique-se de que o controle da transmissão está na
posição PARK.

2 - Abra a tampa de acesso (1) e remova a vareta de nível de óleo (2). Inspecione o indicador de nível de
óleo, a fim de determinar o nível de óleo do motor.

Figura 30A – Verificação do nível de óleo do motor

3 - Mantenha o nível de óleo dentro da faixa de operação (X), entre a marca "ADD" e a marca "FULL" no
indicador de nível de óleo.

A - Quando o motor é desligado e o óleo está frio (temperatura ambiente), mantenha o nível de óleo no
"motor parado com o óleo frio" escrito no lado da vareta.

B - Quando o motor está funcionando e com o óleo quente (temperatura de funcionamento), mantenha o
nível de óleo no "motor em marcha lenta baixa com óleo quente" escrito no lado da vareta.

4 - Se necessário, retire a tampa de óleo (3) e acrescente o óleo. Limpe a tampa de enchimento e instale a
tampa novamente.

42
Material do Aluno

Figura 31 – Sensor de pressão de óleo do motor

1–
2–

Figura 32 – Pressão de óleo do motor

Os resultados devem estar dentro do intervalo "aceitável" no gráfico. Um problema existe quando os
resultados se encontram dentro da faixa "inaceitável" no gráfico. O problema precisa ser corrigido. Falha do
motor ou uma redução da vida útil do motor pode ser o resultado, se a operação do motor é mantida com
uma pressão de óleo fora desta faixa.

43
Material do Aluno

Figura 33 – Sistema de pré-lube do motor

1–
2–

Figura 34 – Sistema de admissão e exaustão

8.5 Sistema de admissão/exaustão


________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________

Para realizar a manutenção dos filtros de ar primários, realize o seguinte procedimento:

44
Material do Aluno

Figura 35 – Manutenção em filtros de ar do motor

Os alojamentos do filtro de ar estão localizados atrás da tampa de acesso no capô.

Capô mostrado com tampa de acesso aberta.

1. Estacione a máquina numa superfície nivelada e desligue o motor. Certifique-se de que o controle
da transmissão esteja na posição ESTACIONAMENTO.

Figura 35A – Manutenção em filtros de ar do motor

2. Remova as tampas (1) dos alojamentos do filtro de ar.

3. Remova os elementos filtrantes principais (2) de dentro dos alojamentos do filtro de ar.

4. Limpe o interior dos alojamentos do filtro de ar.

45
Material do Aluno

Figura 35B – Manutenção em filtros de ar do motor

5. Limpe a válvula de poeira (3) do alojamento do filtro de ar.

6. Instale elementos do filtro de ar principais limpos. Instale as tampas dos alojamentos do filtro de ar.

Figura 36 – Turbo-compressor

1–
2–
3–

46
Material do Aluno

Figura 37 – Sensor de temperatura de exaustão

Dois sensores de temperatura de gases de escape (setas) estão localizados em cada coletor de escape. Os
sensores de temperatura de escape enviam um sinal para o ECM para indicar a temperatura de exaustão.

Quando o motor funciona em marcha lenta, a temperatura de um coletor de escape pode indicar a condição
de um injetor de combustível. Uma temperatura baixa indica que nenhum combustível flui para o cilindro.
Um injetor de combustível inoperante ou um problema com a bomba de injeção de combustível poderia
causar esta temperatura baixa.

Uma temperatura muito elevada pode indicar que muito combustível flui para o cilindro. Um injetor de
combustível com defeito, filtros de ar obstruidos, ou uma restrição nos turbo-compressores ou no silencioso
pode causar esta temperatura muito alta.

Figura 38 – Sistema de injeção de diesel

8.6 Sistema de injeção de diesel

________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________

47
Material do Aluno

________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________

Figura 39 – Tanque diesel

O tanque de combustivel está localizado do lado direito do equipamento e tem uma capacidade (padrão) de
1140 litros de combustível.

Figura 40 – Filtro primário

1–
2–
3–
4–

48
Material do Aluno

Figura 41 – Linhas de combustivel

1–
2–
3–
4–

Figura 42 – Unidade injetora MEUI

Cada unidade injetora possui um código E-trim, como é mostrado por exemplo na figura acima. O código E-
TRIM do motor C32 é composto por 12 digitos. Estes códigos devem ser utilizados para permitir um
balanceamento de injeção.

49
Material do Aluno

Figura 43 – Painel superior da cabine

Localizado no painel superior da cabine é mostrado os seguintes interruptores:


1 – Interruptoor dos faróis;
2 – Interruptor do desembaçador do espelho retrovisor;
3 – Interruptor de teste do TCS;
4 – Interruptor do modo de economia de combustível: Para a posição inferior aciona-se o modo de
economia manual, na posição central o sistema está desligado e na posição superior aciona-se o modo
adaptativo.
5 – Interruptor de teste da direção secundária e liberação do freio de estacionamento.

Figura 44 – Interruptor de desligamento do motor

Montado da parte frontal esquerda do equipamento está o interruptor de desligamento do motor (1) e o
interruptor da luz da escada frontal (2).

50
Material do Aluno

8.7 Sistema de renovação de óleo do motor

Figura 45 – Sistema ORS

________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________

51
Material do Aluno

Motores C32

Condições de funcionamento do ORS

A rotação do motor está acima de 1100 rpm.

A temperatura do líquido arrefecedor da água da camisa está entre


63° e 145°C (145° e 261°F).

O motor está funcionando há cinco minutos.

O óleo do motor está acima do interruptor de nível baixo.

O nível de óleo do tanque de compensação está acima de baixo.

Não há falhas na pressão do óleo.

Após o atraso de cinco minutos depois da partida, o ECM monitora o consumo de combustível por cinco minutos. O
ECM determinará a quantidade de óleo que deve ser injetada na linha de combustível pelos próximos cinco minutos.

A quantidade de combustível no tanque é de pelos menos 10% da capacidade.

Figura 46 – Tanque ORS

________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________

52
Material do Aluno

Figura 47 – Válvula do ORS

________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________

53
Material do Aluno

Exercícios:
Este exercício permitirá que o participante demonstre o conhecimento sobre motor C32 ACERT aplicado em
um OHT 777G.

Exercícios Teóricos:
Questionário sobre os componentes/circuitos do motor.

Instruções
Responda as questões abaixo, tecnicamente:

1. Qual a função das válvulas termostáticas? Explique tecnicamente.

2. Que tipo de refrigeração utiliza o sistema de admissão de ar do motor?

3. Qual a função do sistema do ORS? Explique de forma simples e tecnicamente como este funciona.

4. Que componentes fazem parte do sistema de baixa pressão do combustível?

5. Explique a importância do código E-Trim.

54
Material do Aluno

9 SISTEMA DO TREM DE FORÇA

O propósito deste módulo é permitir ao participante conhecer as principais caracteristicas do sistema do


trem de força aplicadas ao OHT 777G assim como seus principais componentes.

9.1 Objetivos:

Utilizando apostila do aluno, o participante será capaz de:


1 – Identificar os componentes principais do trem de força;
2 – Conhecer o sistema APECS;
3 – Realizar o procedimento de manutenção, troca de filtros e fluidos de acordo com o procedimento do
OMM;
4 – Realizar com maior eficiência os testes/ajustes e diagnósticos no trem de força através de utilização das
literaturas disponibilizadas pelo SIS.

55
Material do Aluno

Figura 48 – Sistema do trem de força

9.2 Introdução

1–
2–
3–
4–
5–
6–
7–
8–
9–
10 –

56
Material do Aluno

Figura 49 – Esquema hidráulico do trem de força

9.3 Sistema hidráulico do trem de força

________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________

57
Material do Aluno

Figura 50 – Componentes do trem de força

1–
2–
3–
4–
5–
6–
7–

Figura 51 – Nível de óleo do TC

O tubo de enchimento do TC (1) e visores (2) estão localizados no lado esquerdo do cárter do conversor de
torque.

Existem três sensores de nível de óleo de transmissão que enviam um sinal para o ECM da transmissão /
Chassis indicando o nível de óleo no cárter do conversor.

Os sensores de nível de óleo do TC são:


• BAIXO (3);
• ADD (4);
• FULL (5).

58
Material do Aluno

O sensor de temperatura (6) envia um sinal para o ECM da transmissão / Chassis indicando a temperatura
de saida do óleo do conversor de torque.

Figura 52 – Tela magnética da transmissão

1–
2–

Figura 53 – Grupo de controle ECPC

1 – Linha de alimentação;;
2 – Grupo de válvula ECPC;
3 – Suprimento de lubrificação;
4 – válvula de alivio de lubrificação;
6 – Válvula de alivio principal da transmissão;
7 – Linha de saída de óleo.

59
Material do Aluno

Figura 54 – Grupo de controle ECPC

As válvulas solenoids do grupo de controle ECPC são:

• Válvula Solenóide # 1 (1);


• Válvula Solenóide # 2 (2);
• Válvula Solenóide # 3 (3);
• Válvula Solenóide # 4 (4);
• Válvula Solenóide # 5 (5);
• Válvula Solenóide # 6 (6);
• Válvula Solenóide # 7 (7).

A válvula de alivio principal da transmissão (8) controla a pressão hidráulica de alimentação da transmissão.
A válvula de alivio de lubrificação da (9) controla a pressão de lubrificação da transmissão.

Figura 55 – Matrix de engate de marcha

Nesta tabela é mostrada as solenóides que deverão estar energizadas para acoplar as embreagens. Esta
tabela é utilizada para propósito de diagnósticos da transmissão.

60
Material do Aluno

Figura 56 – Componentes do eixo traseiro

Na figua acima é mostrada os seguintes componentes:


1 – Alarme de ré;
2 – Camera WAVS;
3 – Suspenões traseiras;
4 – Injetores de lubrificação de graxa;
5 – Bujão de enchimento do diferencial;
6 – Filtro de óleo do RAX (opcional);
7 – Visor de nivel de óleo do diferencial.

Figura 57 – Sistema do RAX

9.4 Sistema de lubrificação do eixo traseiro

1–
2–
3–
4–
5–

61
Material do Aluno

Figura 58 – Sensores localizados no eixo traseiro

Os interruptores de nivel (1) alertam o ECM da XMSN/Chassis se o nivel de óleo do diferencial está baixo. O
sensor de temperature do óleo do diferencial (2) informa ao ECM do freio a temperatura do diferencial.

Figura 59 – ECM da transmissão

O ECM da XMSN/Chassis (indicado pela seta) está localizado no compartimento atrás do banco do
operador.

62
Material do Aluno

Figura 60 – Alavanca de controle da transmissão

Na cabine do operador no console do lado direito estão localizados os eguintes componentes:


1 – Alavanca de controle da XMSN;
2 – Alavanca de controle de elevação;
3 – Interruptor de seleção de marcha acima;
4 – Interruptor de seleção de marcha abaixo;
5 – Interruptor de bloqueio da alavanca da transmissão;
6 – Interruptor do back-up do acelerador;
7 – Porta de alimentação 12 V;
8 – Interruptor de controle do vidro da porta do lado esquerdo.

Figura 61 – Sensores de velocidade

Esta imagem mostra os sensores de velocidade que estão ligados ao ECM da XMSN/Chassis. Os sensores
são:

1 – Sensor de velocidade de saida do motor;


2 – Sensores de velocidade de saida da XMSN ( Protegidos pela tampa 3);
4 – Sensor de velocidade de entrada da XMSN;
5 – Sensor de velocidade intermediária da XMSN.

63
Material do Aluno

Exercícios:
Este exercício permitirá que o participante demonstre o conhecimento sobre o trem de força aplicado em um
OHT 777G.

Material Necessário:
Exercicio em sala.

Instruções
Responda as questões abaixo, tecnicamente:

1. Qual a função do conversor de torque? Explique tecnicamente.

2. Quais são as condições para que a embreagem lock-up do conversor de torque seja acoplada?

3. Quantas embreagens deverão estar acopladas para que a transmissão desloque o equipamento?
Porque?

4. Qual o modelo do grupo de controle da transmissão?

5. Qual a função da embreagem #1 ficar acoplada durante a condição de neutro?

64
Material do Aluno

10 SISTEMA HIDRÁULICO DA DIREÇÃO

O propósito deste módulo é permitir ao participante conhecer as principais caracteristicas do sistema da


direção aplicadas ao OHT 777G assim como seus principais componentes.

10.1 Objetivos:

Utilizando apostila do aluno, o participante será capaz de:


1 – Identificar os componentes principais da direção;
2 – Conhecer um sistema hidráulico SHSC;
3 – Realizar o procedimento de manutenção, troca de filtros e fluidos de acordo com o procedimento do
OMM;
4 – Realizar com maior eficiência os testes/ajustes e diagnósticos no sistema da direção através de
utilização das literaturas disponibilizadas pelo SIS.

65
Material do Aluno

Figura 62 – Componentes do sistema da direção

10.2 Introdução

1–
2–
3–
4–
5–
6–

Figura 63 – Componentes do sistema da direção

1–
2–
3–
4–
5–
6–
7–

66
Material do Aluno

8–
9–

Figura 64 – Bomba hidráulica da direção

1–
2–
3–

Figura 65 – Válvula de bloqueio da direção

1–
2–
3–
4–

67
Material do Aluno

Figura 66 – Válvula de bloqueio da direção

1–
2–
3–
Figura 67 – HMU

________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________

68
Material do Aluno

Figura 68 – Sensor de posição do cilindro da direção

________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________

Figura 69 – Sistema da direção secundária

A bomba da direção secundária (1) e o motor elétrico (2) do 777G é montado na parte frontal da estrutura
nferior do caminhão. O trocador de calor (3) pertence ao sistema de freios. A bomba (4) é do sistema de
retração do freio de estacionamento.

O interruptor de pressão (5) detecta a pessão da bomba da direção secundária.

69
Material do Aluno

Exercícios:
Este exercício permitirá que o participante demonstre o conhecimento sobre o sistema de direção aplicado
em um OHT 777G.

Material Necessário:
Exercicio em sala.

Instruções
Responda as questões abaixo, tecnicamente:

1. O que é um Sistema Hidráulico Sensível à Carga? Explique tecnicamente.

2. O que é pressão marginal?

3. O que é a condição de stand-by da bomba da direção?

4. Por quanto tempo no máximo deverá ser utilizado o sistema da direção secundária?

5. Qual a função das válvulas de alivio crossover?

70
Material do Aluno

11 SISTEMA HIDRÁULICO DE ELEVAÇÃO

O propósito deste módulo é permitir ao participante conhecer as principais caracteristicas do sistema de


elevação aplicadas ao OHT 777G assim como seus principais componentes.

11.1 Objetivos:

Utilizando apostila do aluno, o participante será capaz de:


1 – Identificar os componentes principais do sistema hidráulico de elevação utilizando a apostila do aluno e
exercícios propostos;
2 – Dado o OHT 777G, o aluno será capaz de identificar os circuitos do sistema de elevação;
3 – Dado o manual de operação e manutenção, identificar os pontos de manutenção preventiva bem como
os períodos de troca de fluidos e filtros do sistema de elevação;
4 – Realizar com maior eficiência os testes/ajustes e diagnósticos no sistema de elevação através da
utilização das literaturas disponibilizadas pelo SIS;
5 – Descrever o procedimento para abaixar a báscula com o motor desligado.

71
Material do Aluno

Figura 70 – Componentes do sistema de elevação

11.2 Introdução

1–
2-
3–
4–

Figura 71 – Alavanca do sistema de elevação

________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________

72
Material do Aluno

Figura 72 – Interruptor de posição da báscula

1–

2–

3–

Figura 73 – Tanque hidráulico

1–
2-
3–
4–
5–

73
Material do Aluno

Figura 74 – Bomba do sistema de elevação

1–
2-
3–
4–
Figura 75 – Grupo de controle do sistema de elevação

A válvula de controle do sistema de elevação (1) está localizada do lado direito da estrutura atrás do motor.
O óleo piloto entra nas solenóides piloto de controle de elevação.

74
Material do Aluno

Figura 76 – Grupo de controle do sistema de elevação

1–
2-
3–
4–
5–
6–
7–

Figura 77 – Linhas de alimentação do sistema de elevação

A pressão de abaixamento da bascule também pode ser medida na tomada de pressão (1) e a pressão de
elevação pode ser medida na tomada (2). Também pode ser visualizado o grupo de válvula (3) e os cilindros
de elevação (4).

75
Material do Aluno

Figura 78 – Pino de retenção da báscula

11.3 Pino de Retenção da Carroceria

Haste da mola (A)

Haste da mola (B)

(1) Pino de retenção da caçamba

(2) Suporte de retenção da caçamba

(3) Suporte do chassi

Instalação

1. Levante a caçamba basculante até a posição totalmente levantada. Desligue o motor e assegure-se
de que o controle da transmissão esteja na posição P (Freio de estacionamento acionado).

Figura 79 – Pino de retenção da báscula

76
Material do Aluno

2. Empurre a haste da mola (A) e remova o pino de retenção da caçamba (1) da posição armazenada
no lado esquerdo.

Figura 79 A – Pino de retenção da báscula

3. Puxe a haste da mola (B) e instale o pino de retenção da caçamba (1) através do furo do pino no
suporte do chassi (3) e do suporte de retenção da caçamba (2) .

Nota: Para prender o pino de retenção da caçamba, certifique-se de que ele esteja totalmente
assentado antes de liberar a haste da mola (B) .

4. Execute os passos 2 e 3 no lado direito.

Remoção

1. Levante a caçamba basculante até a posição totalmente levantada para aliviar qualquer pressão
dos pinos de retenção da caçamba. Desligue o motor e certifique-se de que o controle da
transmissão esteja na posição P.

2. Puxe a haste da mola (B) e retire os pinos de retenção da caçamba do suporte do chassi no lado
esquerdo.

3. Puxe a haste de mola (A) e instale o pino de retenção da caçamba na posição armazenada.

Nota: Para prender o pino de retenção da caçamba, certifique-se de que o pino de retenção da
caçamba esteja totalmente assentado antes de soltar a haste de mola (A) .

4. Execute os passos 2 e 3 no lado direito.

5. Abaixe a caçamba basculante.

77
Material do Aluno

11.4 Abaixamento da Caçamba Basculante com o Motor Parado

Abaixamento com Energia Elétrica

Quando o motor estiver desligado, o guincho deverá receber pressão do óleo piloto para abaixar a
carroceria. A bomba de liberação do freio e da direção secundária pode ser usada para fornecer óleo piloto
para o guincho.

Consulte o Manual de Operação e Manutenção, "Controles do Operador" para obter a localização dos
controles usados para o abaixamento da carroceria com o motor desligado.

Figura 80 – Válvula divisora

1. Puxe o botão (1) na válvula desviadora para fornecer óleo de freio para a válvula de liberação do freio de
estacionamento.

78
Material do Aluno

Puxe o botão na válvula desviadora e gire-o para prender a válvula na posição.

2. Gire a chave de partida do motor para a posição ON (desligar).

3. Mova a alavanca do guincho até a posição LEVANTAR durante 15 segundos. Em seguida, mova a alavanca
do guincho para a posição de FLUTUAÇÃO.

Figura 81 – Interruptor de acionamento da direção secundária

4. Pressione o interruptor (2) para liberar o freio e a bomba da direção secundária para começar a abaixar a
caçamba. Mantenha a chave pressionada até que a carroceria esteja completamente abaixada.

5. Gire o botão na válvula desviadora para destravar a válvula. Empurre o botão da válvula desviadora para
retornar o sistema do guincho/freio à operação normal.

Abaixando sem Energia Elétrica

Se não for possível ligar o motor e a máquina estiver sem energia elétrica, use uma unidade de força
auxiliar (APU) como fonte hidráulica separada. A APU projetada para ser usada nesta máquina está
disponível em seu revendedor Caterpillar. Consulte seu revendedor Caterpillar para obter mais informações
sobre a escolha e a operação correta da APU.

79
Material do Aluno

Exercícios:
Este exercício permitirá que o participante demonstre o conhecimento sobre o sistema de elevação aplicado
em um OHT 777G.

Material Necessário:
Exercicio em sala.

Instruções

Responda as questões abaixo, tecnicamente:

1. Qual o modelo da bomba hidráulica do sistema de elevação?

2. Quais são as posições da alavanca de controle de elevação? E do grupo de elevação?

3. Quando não está alimentando o sistema de elevação, a bomba de elevação alimenta qual sistema?

4. Qual a função da válvula de alivio de baixa e de alta?

5. Qual o valor da corrente elétrica durante o movimento de abaixamento, elevação, flutuar e


amortecer?

80
Material do Aluno

12 SISTEMA HIDRÁULICO DOS FREIOS

O propósito deste módulo é permitir ao participante conhecer as principais caracteristicas do sistema de


freios aplicadas ao OHT 777G assim como seus principais componentes.

12.1 Objetivos:

Utilizando apostila do aluno, o participante será capaz de:


1 – Identificar os componentes principais do sistema de freios;
2 – Dado o OHT 777G, o aluno será capaz de identificar os circuitos do sistema de freios;
3 – Dado o manual de operação e manutenção, identificar os pontos de manutenção preventiva bem como
os períodos de troca de fluidos e filtros do sistema de freios;
4 – Realizar com maior eficiência os testes/ajustes e diagnósticos no sistema de freios através da utilização
das literaturas disponibilizadas pelo SIS;

81
Material do Aluno

Figura 82 – Componentes do sistema de freio

12.2 Introdução

1–
2-
3–
4–
5–
6–
7–
8–
9–
10 –

82
Material do Aluno

Figura 83 – ECM do freio

O ECM do freio (indicado pela seta) está localizado na cabine no compartimento atrás do banco do
operador.

Figura 84 – Alavanca do retardo

1–
2–

83
Material do Aluno

Figura 85 – Pedais

1–
2–
3–

Figura 86 – Bombas hidráulicas

1–
2–
3–

84
Material do Aluno

Figura 87 – Filtros do sistema de freio

1–
2–
3–
4–
5–

Figura 88 – Válvula de carga dos freios

1–
2–
3–
4–

85
Material do Aluno

Figura 89 – Acumuladores do sistema de freio

1–
2–
3–

Figura 90 – Ajustadores de freio

1–
2–
3–

86
Material do Aluno

Figura 91 – Válvula de controle do freio de estacionamento

1–
2–
3–
4–
5–
6–
Figura 92 – Componentes do sistema de freios

1–

87
Material do Aluno

2–
3–
4–
5–
6–
7–
8–
9–
Figura 93 – Sistema do TCS

12.3 Sistema de controle de tração

________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________

88
Material do Aluno

Figura 94 – Ângulo da direção

________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________

Figura 95 – Componentes eletrônicos do TCS

1–

2–

89
Material do Aluno

Exercícios:
Este exercício permitirá que o participante demonstre o conhecimento sobre o sistema de freios aplicado em
um OHT 777G.

Material Necessário:
Folha de Exercícios.

Instruções
Responda as questões abaixo, tecnicamente:

1. Como é aplicado e liberado o freio de serviço e o freio de estacionamento?

2. Qual a função do sistema ARC?

3. Qual a função do sistema do TCS?

4. Qual a função do sensor que está localizado no pedal do freio de serviço?

5. Qual a função da válvula de carga dos acumuladores?

90

Você também pode gostar