Você está na página 1de 10

APONTAMENTOS GERAIS: NAITRANS (SU) LDA

1. LISTA DO PESSOAL
 Responsavel: Franz Patane
 Responsável por Clientes: Patricio Kamunga
 Assistente do Responsavel por Clientes: Carlos Sequeira
 Criação de projectos & facturação:Dulce Santos e Paula Cabaça
 Contabilidade Aduaneira: Edson Chita; Filipe Matari; Bráulio Ferreira
 Operações portuarias: Paulo Neves; Francisco;Baião; José Cateco
 Operações aeroportuarias: António Capemba; Raimundo(Nguxi)
 Estafetas: Nelson Candeia; Joaquim Machado
2. TRANSITÁRIO: Agente de carga; prestação de serviço no transporte internacional/nacional de
mercadorias; intermediário entre o exportador e importador, bem como empresas de
transporte e logistica.
3. VISÃO GERAL DO TRANSITÁRIO
3.1 Vários tipos de expedição: Importação e exportação(áerea, maritima ) ; Cabotagem
( transporte de carga entre os portos nacionais); prestação de serviço de transporte de carga –
via rodoviaria
3.1.1 Importação: contactos dos clientes; envio por parte dos clientes de um pré-alerta(factura +
documento de transporte). As facturas com valor igual ou superior a 5.000 USD carece de
Licenciamento (DU Provisorio- Minco Online)
Carga Maritima: Licenciamento da factura antes da chegada do navio para precaver a
emissão do CNCA. Os processos após registo e contabilização aduaneira são remetidos
para desalfandegamento (operações). Maior atenção na avaliação dos documentos de
importadores ocasionais.
3.1.2 Exportação
Aérea: Solicitação de cotação do serviço (É necessário as dimensões e peso da
embalagem a enviar/cliente). Marcar reserva de envio em uma companhia aérea
(Instruções do expedidor:licenciamento necessário, factura final, bom para embarque na
carta porte final, AGT- DU+DECLARAÇÃO DE VALOR+NOTA DE
LIQUIDAÇÃO+DAR+NOTA DE DESALFANDEGAMENTO)
Maritima: Pedido de cotaçãoas linhas maritimas (após aprovação do cliente avançar com o
processo). Passam pela AGT e Inspecção (SIC+POLICIA FISCAL). Solicitação de selo e
confirmaçao de reserva nas agências de navegação.
Cabotagem: O cliente solicita a reserva do nr de cntrs necessários; elabora-se a guia de
cabotagem – DNCA ( carece de autorização de circulação dos cntrs por parte da AGT);
deve ocorrer sicronização entre o office – desalfandegamento+shipping.

4. DICAS DO FRANZ

Os processos possuem (3) fases distintas:-

 Implementação + Execução + Finalização: Os processos têm a sua base inicial na


solicitação do serviço. E culmina com a entrega da carga no local de destino indicado pelo
cliente. Deve fluir a comunicação entre os vários intervenientes do processo.Não exitar
troca de experiência com o Sr. Franz ou Patricio. Aconselha-se a implementação de uma
planilha no excel para acompanhamento dos processos. Existe um mapa geral de registo
de projectos/processos.
5. TROCAS DE EXPERIÊNCIA COM O PATRICIO
5.1.1 Abrir pastas de email: por cliente, tipo de expedição, projecto.
5.1.2 Exemplos praticos
5.1.2.1 Expedição Importação aérea Friedlander: TGD – parceiro da Naiber em
França/Transitário; Carta de porte (Master: 02 nrs iguais no topo; House: 02 nrs diferentes
no topo); Recepcionar a carta de porte + factura por parte do cliente; rever a data da carta
de porte(previsão de chegada do vôo) e 24hrs depois levantar o original – deve conter
valor do frete;
5.1.2.2 Carga perigosa: Efectuar pré-desalfandegamento. Mencionar na capa do processo e
informar os contabilistas. Emite-se o “Procedimento de desambarço especial da
declaração aduaneira – opção desalfandegamento célere da mercadoria”.
5.1.2.3 Derivados de petroleo/Lubrificantes: carece de autorização do Ministerio dos petroleos
5.1.2.4 Cabos electricos: Carece autorização do IANORQ (instituto Angolano de Normalização e
Qualidade – Ministerio Geologia Minas e Industria). A solicitação é efectuado por uma
empresa prestadora de serviço Fazer uma avaliação minuciosa dos documentos
recepcionados e solicitar factura traduzida.
5.1.2.5 Expedição Maritima Tristan: É uma central de compras. Legalizar o B/L (Termo de
responsabilidade importador+credencial naiber+credencial cliente). Solicitar factura
proforma a companhia de navegação (NDS, CGM, DELMAS,etc).
5.1.2.6 Finalização de processo aéreo: Anexar fecho de conta, factura naitrans, factura do
importador, carta de porte, Licenciamento, DU, Declaração de valores, Nota de liquidação,
DAR, Nota de desalfandegamento, Factura Enana.
5.1.2.7 Fecho de conta: A facturação está dividida em (2) partes ( nossa prestação+nota de
débito, que inclui honorarios do despachante; carta porte/Bl; Alfandegas; Enana/Porto).
Imprimir e depois o Sr. Franz valida, posteriormente a Dulce/Paula emitem a factura de
cobrança.
5.1.2.8 Cabotagem: Solicitação de reserva cntrs ao Shipping (Elizabeth). Ver a disponibilidade.
Emissão de Guia de Cabotagem (Tipo de volume:qty cxs; qty:nrs de
cntrs;peso:kg;valor:akz). Documentos necessários – 4 vias (autorização da circulação de
cntrs-AGT;Factura Final;Guia de Cabotagem;Declaração da Naiber; Lista descriminada
dos cntrs – ordem crescente). Necessitamos de 3-4 dias úteis para aprontar o processo na
AGT(SIC, 2 dias, AGT-inspecção).
5.1.2.9 Importação aérea Eurostral: Recepção do pré-aviso. Avaliação de docts + criação de capa
de processo. Solicitação de registo do projecto/processo. Encaminhar para a contabilidade
aduaneira. Antes disso tirar uma cópia da carta de porte e colocar o nr do projecto.
Solicitar o original com bom despacho, 24hrs depois. Acompanhar o desenrolar do
processo.
5.1.2.10 Legalização do B/L: Carece de credencial do cliente, credencial da Naiber, Termo de
responsabilidade do cliente.
5.1.2.11Regiões Tributária: Luanda (3ª); Cabinda (1ª); Namibe (5ª); Benguela (4ª); Malange
(2ª);Santa Clara (6ª); Lunda-Sul (7ª).
5.1.2.12 A declaração de valores (AGT): deve ser assinada e carimbada pelo
Cliente/importador.DU PROVISORIO=LICENCIAMENTO SIMINCO ONLINE
5.1.2.13 Finalização de processo Maritimo – Cópias: Fecho de conta; Factura; Nota de
debito;BL;CNCA; Carta Ministerio do Petroleo; DU provisorio; caução Agência
Navegação;Declaração dos elementos relativos ao valor aduaneiro; Nota de liquidação
das obrigações aduaneiras;DAR;Nota de desalfandegamento;EP14/Factura e recibo do
porto;EP terminal; Factura do terminal;EP17 terminal.
5.1.2.14 Porto de Luanda – Portal de Pagamentos: Grupagem ( 2 processos ou mais em 01 cntr,
taxa-se 01 processo e carimba outros). Pedido de apgamento, consultas de conta
corrente(Factura e recibo podem ser enviados por emails para os colegas na Unicargas).O
EP 15 cobre pagamento de consumiveis administrativos e taxa de utilização do porto.
5.1.2.15 Arquivos antigos: Localizam-se junto a ex-Makambira. Files arquivados por ano.
5.1.2.16 Blocos em utilização: Nota de entrega de carga; Solicitação de valores para pagamento
(assinaturas:solicitante+Franz+Finanças).
5.1.2.17Medidas de conversão: 1 GAL = 3,78 LTS; 1 LBS = 0,453592 KG; 1” = 2,54 CM; 1 MILE =
1,6 KM.
5.1.2.18 DIMENSÕES DOS CONTENTORES: VGM (Gross weight verification, veighing method
exportação: verificação do peso+emissão certificado para exportação e cabotagem. Anexo
3.
5.1.2.19 Base Ekipas: Prestador de serviço de transporte que possui um estaleiro para
contentores. Possui equipamentos, viaturas e logistica. Faz a gestão dos cntrs cheios e
fazios. Dispõem de Harmalift.
5.1.2.20 Côr das capas de processos e utilização: Amarela (Maritimo – Cabotagem); Verde (aéreo,
Maritimo); Laranja (Exportação maritima); Azul (Mota Engil: aéreo/maritimo importação);
Pink – violeta ( Maritimo/aéreo importação:KPO/Friedlander)
5.1.2.21Códigos dos projectos: TNM (Namibe); TLO (Lobito); TLD (Luanda); TCB(Cabinda)
5.1.2.22Exemplos de carta de porte: HOUSE 020MRS56000512 – HAWBMAAE170199/01;

MASTER 020MRS56000512 - 020MRS56000512.

5.1.2.23Mercadorias: Telefones – Importação: Carece de Autorização do INACOM(Instituto


Angolano das Comunicações – Praia do Bispo Av. Agostinho Neto nr 25). O INACOM
emite uma declaração com seu parecer. A solicitação de Autorização é efectuada por uma
empresa prestadora de servço. Anexa-se a factura final + Docts de Transporte + Ficha
Tecnica.
5.1.2.24 ATT: Os casos de mercadoria retirada com processo de pré-desalfandegamento
(legalização posterior) podem ser fechados. Mas deverá ser entregue aos contabilistas
aduaneiras para regularização na AGT.
5.1.2.25 Licenciamento DU provisório: 18 digitos. 5 vias (Banco Comercial+importador+Ministerio
Comercio+AGT+CNCA). DU Definitivo: 12 digitos. Guia de cabotagem DUP 12 digitos.
5.1.2.26Nota de Liquidação oficiosa – Policia Fiscal: Cobrança pela intervenção da Policia
Fiscal(Inspecção fisica). Usados em processos de exportação e Cabotagem.
5.1.2.27 Exportações: Existe Deadline para sua execução ( entrega da carga/cntr ao navio). Pois
se perdemos o embarque incorremos em restruturação do processo e gastos adicionais.
Deve-se ter muito cuidado na gestão destes processos. Carece de inspecção das
autoridades aduaneiras.
5.1.2.28 Fecho de contas – expedição aérea – Procedures: Inserir o nr do projecto, nr da carta
carta de porte (gravar em documentos). Inserir os dados conforme docts anexos. Valor
CIF, encontra-se no DU definitivo.Mencionar tipo de serviço + coordenação aeroporto +
transporte + levantamento carta de porte + outros (depaletização, portagem,
carregamento) + inerentes + carta de porte + tax and duties + armazenagem Enana +
Adiantamento + Grand total. ATT: Os clientes no exterior devem ser facturados em dolar.
Os dados dos fechos devem estar em conformidade com a cotação inical fornecida ao
cliente.
5.1.2.29 Bromangol – produtos alimentares: Emitimos um “Termo de compromisso” com a
descrição do cliente, processo, nr da cédula/nome do despachante, nr do DU, dados do
local de recepção da carga, dados do desalfandegamento. A mesma deve ser assinada e
carimbada pelo cleinte. Este documento representa um compromisso do cliente em
aguardar a inspecção da Bromangol em sua instalações. O cliente prepara a
documentação do processo para apresentar aos tecnicos/inspectores.
5.1.2.30 Exportação maritima – pedido de booking: Saber a cotação do frete na linha maritima
(carece de confirmação do cleinte). Dados constantes do booking: shipping +
consignatario + notify party + recepção da linha maritima das provaveis viagens + outros
dados. ATT: Escolher uma viagem do navio que nos permita acautelar tempo de manobra
para desalfandegamento. Ter cuidado com as sobrestadias (20 dias livres) em posse do
cntrs vazios. A escolha primaria recai a MSC.
5.1.2.31Casos de projectos que não carecem de licenciamento – procedures: Cumpre-se os
procedimentos padrão (avaliação documental + criação de capa + criação de projecto). Os
contabilistas aduaneiros recepcionam e o analizam. Não solicitam o licenciamento.
Aguarda-se pela documentação final para solicitação do desalfandegamento(despacho).
5.1.2.32Transferência de mercadorias – Terrestre Soyo: Emitimos um “Pedido de transferência de
mercadorias” á AGT. Deve constar os elementos do remetente (cliente), despachante,
dados da mercadoria, dados do meio do transporte, outros. O mesmo será em duas vias,
sendo assindas e carimbadas pelo despachante. Anexar toda a documentação de
importação e documentos do transportador.
5.1.2.33 Bls: (2) vias originais e (3) vias copy.
5.1.2.34 Carga convencional – maritimo - importação: Não necessita de “Termo de
responsabilidade” para legalização do Bl. A legalização deve incluir a cópia do CNCA +
Credencial Naiber + Credencial Cliente + Bl original (2) vias + Termo de responsabilidade
Cliente.
5.1.2.35 Levantamento do BL original – exportação maritima: Draft do BL + Comprovativo do
pagamento do frete ( extracto bancario) + Factura emitida pela companhia de navegação +
Credencial do Cliente + Credencial ou passe de serviço da Naiber.
5.1.2.36Importação de medicamentos: Deve estar cadastrado na “Inspecção Geral da Saúde”. Se
não estiver incorre em multa equivalente a 10% do valor da mercadoria. Deve-se solicitar
autoização do Minsiteriod da Saúde/Inspecção Geral de Saúde em cada importação
realizada.
5.1.2.37 Incoterms : Consultar os anexos 1 e 2.
5.1.2.38 Regime aduaneiro 11/600 – contencioso: Dar entrada dos docts em falta (cópias). Após
recepção dos docts finais tem de se regularizar o processo. O não cumprimento incorre
em multa de 3% sobre o valor aduaneiro. A AGT emite o “Aviso de transfarência do DU ao
departamento do contencioso aduaneiro”(contem data, hora da participação, regime, DU
nr, data da importação, endereço do importador, nr contribuinte, declarante, despachante
nr, estancia aduaneira, sinopse referente.
5.1.2.39 Produtos impactantes ao ambiente ( aerosol + produtos sinteticos e outros – carga
perigosa): Carece de Autorização de importação por parte do Ministerio do
Ambiente:”Unidade de apoio á monitoria ambiental e auditoria industrial” – Licença
Ambiental de Importação e Exportação.
5.1.2.40Produtos Agricolas – exportação: Exemplo a madeira em touro. O Ministerio da Agricultura
(Instituto de Desenvolvimento Florestal) emite um Certificado de Origem + Certificado
Fitossanitário.
5.1.2.41Trânsito Internacional – Transporte Terrestre: Exemplo Matadi – Noqui Angola –
Lubumbashi. O transportador no local de origem da carga emite um “ROAD FREIGHT
MANIFEST”.Depois solicita um “Rapport de Controle du Trafic Frontier”, paga uma taxa e
anexa cópias dos passaportes dos motoristas com vista do País transito.
5.1.2.42Shipping expressões: TEUS (Twenty-foot equivalent unit: medida standard utilizada para
calcular o volume de um cntr. Unidade equivalente a 20 pés). O1 cntr 40`= 2 TEUS; 01
CNTR 20`= 1 TEU. Att: Ver anexo 3. Conditions of carriage – Anexo 4.
5.1.2.43Transporte aereo Interprovincial: Exemplo Aeroporto Luanda para Lobito. Recebemos a
solicitação de cotação pelo cliente. Orientamos as operações aeroportuarias para
pesquisar a cotação em uma companhia aerea. Elaboramos e submetemos a cotação ao
cliente.
5.1.2.44Importação Maritima: Recepção do Pré-alerta com os documentos (factura + PL).Criação
do projecto e entrega a contabilidade aduaneira (Licenciamento + espelho do DU). Após a
criação do licenciamento deve-se enviar por email ao cliente para o mesmo solicitar o
CNCA e outros docts finais (BL+FACTURA+OUTROS). Quando o cliente enviar os docts
finais, deve-se analisar a mesma, submeter as cópias do BL, CNCA para emissão dos
originais (anexa-se termo de responsabilidade cliente + credencial do cliente + credencial
Naiber).
5.1.2.45Termo de exclusividade – compromisso: Para operadores petroliferos -- Isenta-os de
direitos e demais imposições aduaneiras. Contem entre outros dados, a assinatura do
importador + concessionario petrolifero . Este documento carece de aprovação do
Ministerio dos Petroleos. Para as Industrias – a aprovação é emitida pelo Ministerio da
Industria. REF 3-A/14 25.10.2014.
6. PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS
6.1 CARGA AEREA
6.1.1 Importação: (A) Após o licenciamento(DU provisorio) , elabora-se o despacho (DU
definitivo) e da-se a entrada AGT para aprovação; (B) A AGT emite DU/Direitos
aduaneiros + Nota de Liquidação das obrigações aduaneiras + DAR+ Nota de
desalfandegamento; (C) paga-se o DAR, que deve estar em conformidade com a Nota de
liquidação; (D) Efectua-se o pagamento das taxas (trafego, armazenagem, carga,
impressos) a Enana; (E) solicita-se as entidades intervenientes no processo (AGT,
POLICIA FISCAL, SIC,ENANA) o acompanhamento documental e inspecção da carga
para posterior retirada.
6.1.2 Exportação: Cumpre-se os mesmos procedimentos da importação (Pontos A,B,C). Paga-
se os emolumentos a companhia aerea/transitario e ela encarregar-se-á dos
procedimentos aeroportuarios e envio da encomenda.
6.2 CARGA MARITIMA
6.2.1 Importação: A) Após o licenciamento(DU provisorio) , elabora-se o despacho (DU
definitivo) e da-se a entrada AGT para aprovação; B) A AGT emite DU/Direitos
aduaneiros + Nota de Liquidação das obrigações aduaneiras + DAR+ Nota de
desalfandegamento; (C) paga-se o DAR, que deve estar em conformidade com a Nota de
liquidação;(D) paga-se o porto de Luanda; (E) paga-se o terminal Portuário; (F)
Cumprimrnto dos trâmites legais para retirada da carga/cntrs junto da AGT+POLICIA
FISCAL+SIC+TERMINAL PORTUÁRIO.
6.2.2 Exportação: Cumpre-se os mesmos procedimentos da importação (Pontos A,B,C,D,E,F).
A companhia de navegação encarregar-se-á de colocar a carga/cntr no navio e transporta
ao porto de destino.
6.3 CABOTAGEM: Após coordenação do transporte dos cntrs vazios e consequente enchimento
dos mesmos, procede-se a emissão da Guia de Cabotagem. Posteriormente ela é submetida a
AGT(Ela a aprova e emite uma permissão de criculação de cntrs/carga). Cumpre-se com os
procedimentos legais junto da AGT+POLICIA FISCAL+SIC+TERMINAL PORTUÁRIO. Por
final, a companhia de navegação encarregar-se-á de colocar os cntrs/carga no navio e
transportar para o porto de destino.

7. OUTROS ASPECTOS
7.1 Requisitos quando se compra contentor: Comprovativo de compra (factura), comprovativo da
nacionalização do cntr (BL,DU,DAR,NOTA DE DESALFANDEGAMENTO).
7.2 Procedimentos operacionais para Legalização do BL.: Solicitar a factura proforma na
companhia de navegação, efectuar pagamento (por transferencia bancaria ou pagamento em
cheque). Ao solicitar a legalização anexa-se factura proforma, termo de responsabilidade
original do cleinte, copia da credencial, copia do cnca, (2) vias originais do BL.
ATT: Tirar uma cópia do dos detalhes do banco, factura e entregar a contabilidade e
finanças(com o nr do projecto). Posterior a isso, entregar o recibo e detalhes do banco
carimbado a contabilidade e finanças.
7.3 Interpretação dos nrs do DU: Exemplo a-10 b-08 c-15 d-02 e-0103
(a:dia,b:mês,c:ano,d:estancia aduaneira,e:numeração). 01 – Porto de Luanda;02 – aeroporto
Luanda; 04 – Porto do Lobito; 05 – Posto fronteiriço de Santa Clara; 64 – Porto do Namibe; 71
– Fayol estãncia para Grupagem; 72 – Filda estância para viaturas; 84 – unidade de
processamento de despachos; 89 – DHL aeroporto estância para correios Piquete.
7.4 Importação de viaturas: Após cumprimento de toda a tramitação aduaneira e portuária e
consequente retirada dos meios, deve-se:- emitir o Modelo O ( Contem dados do importador e
da viatura), anexar cópia da Nota de desalfandegamento, DAR, Nota de Liquidação das
obrigações aduaneiras, DU, BL, Livrete. Posteriormente toda esta documentação é enviada ao
despachante para emitir a Sinopse, assinando-o e carimbando.
7.5 Cabotagem de viatura: Solicitamos ao cliente uma cópia da factura de compra ou uma
declaração de valores, os documentos da viatura (incluindo o seguro automovel e taxa de
circulação).
7.6 AGT – Algumas dicas: No DU existe o Valor aduaneiro significa o valor da mercadoria
atribuido pela AGT; Direito aduaneiro significa o imposto indirecto que incide sobre o valor da
mercadoria. Incorpora taxa de 2% a 50%, imposto de consumo 2% a 30%, imposto de selo
1%, emolumentos gerais aduaneiros até 2%, sobretaxa 1%. Valor da Nota de Liquidação das
Obrigações Aduaneiras = Valor do DAR; Imposto de importação = direitos aduaneiros; Valor
DU=Valor NLOA=DAR; Na Nota de desalfandegamento de Mercadoria faz-se a descrição dos
dados da importação/exportação, sem incluir valores.

7.7 ARC = CNCA (CONSELHO NACIONAL DE CARREGADORES ANGOLA): Os paises sem


uma delegação de representação do CNCA, podem solicitar a sua emissão em Angola. Para
tal, devem preencher o formulário de pedido de Certificado de Embarque, deve-se anexar a
documentação do processo e o Licenciamento.

7.8 LASHING DE CONTENTOR: Amarração dos contenrores/carga com cintas.

7.9 Sistema SICOEX: Decreto presidencial nr 265/10 de 26.11.10; Diário da República nr 224,
IªSerie de 26.11. É um sistema de controlo de operações comerciais externas – os
despachantes devem estar registados no sistema do Minco(NIF+Correio Electronico+Nr
tlfine+Nr da cedula); devem estar autorizados pelos importadores/exportadores; os
importadores/exportadores devem ter saldo em conta corrente; os despachantes receberão
um nome de utilizador+palavra chave+ acesso a internet (windows versão 8). ATT: Para
renovação do REI paga-se uma taxa de 100.000 akz e faz-se um reforço na conta para
validação dos licenciamentos.

7.10Sistema SIMINCO:É um sistema de informação integrado do Ministerio do Comercio de


Angola. Este sistema é composto pelos subsistemas: CADASTRO (Registo de todas as entidades,
individuais e empresas que efectuem operações comerciais e/ou importações/exportação; SICOEX
(sistema de licenciamento de exportações, importações e reexportações); SILAC(sistema de
licenciamento do comercio interno); 1ª Fase – submissão do cliente ou despachante, 2ª Fase –
avaliação do Minco, 3ª fase – Validação do Minco. Expressões no sistema:-

-- Despachante + Nr pedido + nr licença + Regime + nif + data franquia + tempo + estado + nr


de adições + nr anexos

-- 2: em validação; 4: aguarda movimentação; 3: em despacho; 1: