Você está na página 1de 6

Esclera ou Esclerótica Sobrancelha

Também conhecida como branco Amontoado de pelos a cima dos olhos. Tem
do olho, é a membrana externa, branca, função de proteger os olhos do suor, e é
fibrosa do globo ocular. É uma camada importante para a expressão facial
opaca e densa que reveste o olho, cuja Pálpebra Superior
função é de proteção
Dobras finas de pele e músculo que
recobre parcialmente o olho

Caruncula Lacrimal Cílio ou Celha Superior e Inferior


Saliência avermelhada, no ângulo interno É cada um dos pequenos pelos que protegem
do canto palpebral nasal, correspondendo as bordas externas das pálpebras.
à glândula lacrimal acessória, cuja função Os cílios são como pequenas vassouras:
é canalizar as lágrimas até o protegem os olhos de poeira e pequenos
saco lacrimal. insetos que caiam na região.

Pálpebra Inferior
Íris
Dobras finas de pele e músculo que
É a parte colorida do olho e possui a forma de recobre parcialmente o olho
um anel. A íris é composta por fibras
musculares que, se contraem (luz intensa) Pupila
ou se dilatam (luz fraca), modificando assim
Centro Universitário Brás Cubas
o diâmetro da pupila e controlando a É a parte escura no centro do olho.
entrada dos raios luminosos no interior do
Óptica e Optometria
Um orifício da íris, responsável pela
globo ocular passagem da passagem da luz. Angélica Y. Shibuya Takahashi
RGM 24365424
PROFº Rodrigo Moura
Corpo Ciliar Retina Esclera
É a parte anterior da coróide.Tem um É uma membrana fina que cobre uma Sua Função é manter o formato do
papel fundamental na secreção do humor grande parte da superfície interna do olho e nela que se fixam os músculos
aquoso e na focagem dos raios de luz globo ocular. Sensível à luz, é formada extra oculares
para permitir a visão por células fotorreceptoras (bastonetes e
cones) e neurónios que transmitem sinais
elétricos para o cérebro Coróide
Zônulas
É um tecido do globo ocular, é a membrana
São fibras que ligam o corpo ciliar ao
nutritiva do olho, muito vascularizada
cristalino. Desempenha um importante papel
no processo da acomodação
Fóvea
Íris
É a região central da retina do olho humano
Pupila onde se concentram os cones e onde se forma
a imagem que será transmitida ao cérebro

Córnea
Nervo Óptico
É um tecido transparente, na parte anterior
do olho, que faz refracção da luz para o É o segundo nervo craniano, permite a
cristalino e para a retina. Não possui transmissão de informação visual da
irrigação sanguínea (por isso não sangra), mas retina para o cérebro.
é muito inervada

Artéria e veia central


Humor Aquoso Cristalino
Vítreo
É um líquido com aspecto É uma estrutura de
transparente e incolor que contém consistência gelatinosa e É um fluido gelatinoso e Centro Universitário Brás Cubas
em sua composição água e elástica que fica transparente que preenche o Óptica e Optometria
eletrólitos. Sua função é nutrir a interior do globo ocular e que
localizada logo atrás da Angélica Y. Shibuya Takahashi
córnea e o cristalino, além de pupila. É o cristalino que ajuda a manter a forma do olho,
RGM 24365424
contribuir com a regulação da faz o ajuste fino para o encontrando-se em contato com a
pressão interna do globo ocular superfície da retina. PROFº Rodrigo Moura
foco (acomodação)
Ponto lacrimal Canalículos Lacrimais
Existem dois pontos lacrimais em cada Canal de drenagem das lágrimas da
olho, um localizado na pálpebra superior e superfície do olho, possuem um
um pálpebra inferior. É o início do sistema comprimento de 4 a 7 mm e convergem
Glândula Lacrimal de drenagem lacrimal para o saco lacrimal.

A glândula lacrimal está localizada logo


acima do canto externo superior do olho,
dentro da órbita acima da extremidade
lateral do olho.Sua função é produzir o
fluido lacrimal para a lubrificação e
Saco Lacrimal
limpeza do globo ocular.
O canal lacrimal é uma das principais
partes do aparelho lacrimal. O saco
lacrimal desempenha um papel na
produção e drenagem de lágrimas nos
olhos.

Dutos da Glândula Lacrimal


São responsáveis pelo escoamento da lágrima
produzida pela glândula lacrimal para a
esclera.
Cavidade Nasal

Ducto Nasolacrimal
Centro Universitário Brás Cubas
O ducto nasolacrimal é parte do sistema de drenagem
responsável pelo descarte de lágrimas. Em circunstâncias Óptica e Optometria
normais, a glândula lacrimal secreta aproximadamente 10mL de Angélica Y. Shibuya Takahashi
lágrimas em um período de 24 horas RGM 24365424
PROFº Rodrigo Moura
Reto Superior
Inserção - metade anterior do globo ocular,
superiormente
Inervação - nervo oculomotor
Função - elevação, adução, rotação medial do
Reto Lateral globo ocular Oblíquo Superior
Inserção - metade anterior do globo ocular, Inserção - quadrante superior lateral
lateralmente do globo ocular, superiormente
Inervação - nervo abducente Inervação - nervo troclear
Função - abdução do globo ocular Função - depressão, abdução, rotação
medial do globo ocular

Reto Medial
Oblíquo Inferior
Inserção - metade anterior do globo
Inserção - quadrante posterior lateral do ocular, medialmente
globo ocular, lateralmente Inervação - nervo oculomotor
Inervação - nervo oculomotor Função - adução do globo ocular
Função - elevação, abdução, rotação
lateral do globo ocular

Reto Inferior
Inserção - metade anterior do globo ocular, Centro Universitário Brás Cubas
inferiormente Óptica e Optometria
Inervação - nervo oculomotor Angélica Y. Shibuya Takahashi
Função - depressão, adução, rotação lateral do RGM 24365424
globo ocular PROFº Rodrigo Moura
Face Orbital do Forames Etimoidais
Incisura Frontal
Osso Frontal Anterior e Posterior
Lâmina Orbital Canal Optico
da Etimóide

Sutura Sutura Zigomaticofrontal


Frontomaxilar

Osso Lacrimal Fissura Orbital Superior

Face Orbital da Asa Maior


Fossa Lacrimal Do Osso Esferanóide

Processo orbital do
Face Orbital do Osso
Osso Paladino
Zigomático

Face Orbital do Fissura Orbital Forame Zigomaticofacial


Maxilar Inferior
Centro Universitário Brás Cubas
Suco Sutura Óptica e Optometria
Infra-Orbital Angélica Y. Shibuya Takahashi
Forame Infra Zigomaticomaxilar RGM 24365424
Orbital PROFº Rodrigo Moura
Oculomotor (III) Olfatório (I) Óptico (II)
Relacionado aos movimentos dos olhos Condução de impulsos olfatórios Condução de impulsos visuais
Motor: Todos os músculos dos olhos Sensitivo: Nariz Sensitivo: Olho
exceto os inervados pelos pares IV e VI
Troclear (IV)
Abducente (VI)
Menor dos nervos relacionado ao
Relacionado ao movimento dos olhos movimento dos olhos
Motor: Músculos Reto lateral Motor: Músculos obliquo superior

Vestibulococlear (VIII) Trigêmio (V)


Relacionado com o equilíbrio corporal Nervo misto
e audição. Sensitivo: Pele (face, couro cabeludo),
Sensitivo: Ouvido interno gengiva, lábios, glândula lacrimal,
palpebras
Motor: Movimento mandíbula
Glossofaringeo (IX)
Nervo misto Facial (VII)
Sensitivo: Paladar (parte posterior da
língua), faringe, tonsilas Nervo misto
Motor: Glândulas salivares e músculos Sensitivo: Paladar (dois terços anteriores
faríngeos. da língua)
Motor: Expressão facial, Glândulas
lacrimal, subman(liberação de lágrima e
Vago (X) saliva).
Nervo misto – Inervação de Acessório (XI) Hipoglosso (XII)
vísceras
Sensitivo: Nervos periféricos, Inervação dos músculos Movimentação da língua Centro Universitário Brás Cubas
vísceras, faringe, laringe esqueléticos Motor: Lingua, faringe e Óptica e Optometria
Motor: Coração, brônquios e Sensitivo: Músculo laringe Angélica Y. Shibuya Takahashi
trato gastrointestinal. esternocleidomastoideo e RGM 24365424
trapézio
PROFº Rodrigo Moura

Você também pode gostar