Você está na página 1de 40

Propostas de resolução

Capítulo 1 – Números racionais


50 + 50 Avalia o que sabes
Pág. 8

1. Analisemos cada uma das seguintes opções:


• Opção A:
Se a é múltiplo de b, então existe um número natural n tal que a = n × b . Logo, a ≥ b .
Exclui-se esta opção.
• Opção B:
Vejamos um contraexemplo: 3 é um número primo e, no entanto, 32 = 9 que não é um
número primo.
Qualquer quadrado de um número primo admite três divisores: a unidade, o número e o
seu quadrado.
Exclui-se esta opção.
• Opção C:
Os números 2 e 3 são números primos, mas o seu produto 2 × 3 = 6 não é um número
primo.
Qualquer produto de dois números primos admite quatro divisores: a unidade, cada um dos
fatores e o produto.
Exclui-se esta opção.
• Opção D:
Seja n um número natural divisível por 10. Então, n = 10k, para algum k ∈ ℕ .
Ora, n = 2 × 5 × k , pelo que n é divisível por 2.
Resposta: (D)

2. Atendendo aos dados do problema, conclui-se que o número de alunos era


simultaneamente divisível por 9 e por 15.
Ora:
100 não é divisível por 9 nem por 15.
81 é divisível por 9, mas não é divisível por 15.
60 é divisível por 15, mas não é divisível por 9.
45 é divisível por 9 ( 9 × 5 = 45 ) e é divisível por 15 ( 3 × 5 = 15 ) .

Resposta: (D)

3. Atendendo à relação entre o produto de dois números naturais e o produto do máximo


divisor comum pelo mínimo múltiplo comum, tem-se:

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 1
Propostas de resolução
m.d.c. ( a, b ) × m.m.c. ( a, b ) = a × b
10

a × b ab
Logo, m.m.c. ( a, b ) = = .
10 10
Resposta: (C)

4. Atendendo à relação referida na questão 2, tem-se:


23 × 3 2 × 5 × 7 × 2 2 × 3 × 5 = 2 2 × 3 × 5 × 7 × b
25 × 3 3 × 5 2 × 7 = 22 × 3 × 5 × 7 × b

Logo, b = 23 × 32 × 5 .
Resposta: (B)
50 + 50 Avalia o que sabes
Pág. 9

5.1. Determinemos o m.d.c. (120, 180).


120 = 2 × 60 = 2 × 2 × 30 = 2 × 2 × 2 × 15 = 23 × 3 × 5

180 = 2 × 90 = 2 × 2 × 45 = 2 × 2 × 3 × 15 = 2 × 2 × 3 × 3 × 5 = 22 × 32 × 5

Logo, m.m.c. (120, 180 ) = 22 × 3 × 5 = 60 .

É possível obter 60 caixas, no máximo.

5.2. Ora, 120 : 60 = 2 e 180 : 60 = 3.


Cada embalagem leva duas maçãs e três peras.

6. Determinemos o m.m.c. (6, 8), inspecionando os múltiplos naturais de cada número:


M6 = {6, 12, 18, 24, 32, ...} e M8 = {8, 16, 24, 32, ...}

Logo, m.m.c. ( 6, 8 ) = 24 .

Portanto, o António tomará os dois comprimidos ao mesmo tempo passados 24 horas, ou


seja, às 16 h do dia seguinte.

7.1. Sabe-se que dividindo ambos os termos da fração pelo m.d.c. (80, 210), obtém-se uma
fração irredutível equivalente.
Como, 210 = 3 × 7 × 10 = 3 × 7 × 2 × 5 ; 80 = 23 × 10 = 24 × 5 , então m.d.c. (80, 210) = 10.
80 :10 8
Assim, = .
210 :10 21

7.2. Determinemos o m.d.c. (45, 50), utilizando o algoritmo de Euclides.


50 45 45 5
05 1 0 9

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 2
Propostas de resolução

Logo, o m.d.c. (45, 50) = 5 .


Portanto, obtém-se a fração irredutível dividindo ambos os termos por 5:
45 :5 9
= .
50 :5 10

7.3. Determinemos o m.d.c. (120, 420) utilizando a decomposição em fatores primos:


120 2
420 2
60 2
210 2
30 2
105 3
15 3
35 5
5 5
7 7
1
1

120 = 23 × 3 × 5 420 = 22 × 3 × 5 × 7

Logo, m.d.c. (120, 420 ) = 22 × 3 × 5 = 60 .

120 :60 2
Portanto, obtém-se a fração irredutível dividido em termos da fração por 60: =
420 :60 7

7.4. Determinemos o m.d.c. (215, 1255) utilizando o algoritmo de Euclides:


1255 215 215 180 180 35 35 5
180 5 35 1 5 5 0 7
Logo, m.d.c. (215, 1255) = 5 .
1255 :5 251
Portanto, = é a fração irredutível equivalente.
215 :5 43

8.1. Determinemos o m.d.c. (720, 840) utilizando o algoritmo de Euclides:


840 720 720 120
120 1 0 6
Logo, m.d.c. (720, 840) = 120.

8.2. Dividindo ambos os termos da fração por 120 ( m.d.c. ( 720, 840 ) ) obtém-se a fração

irredutível pretendida.
720 :120 6
=
840 :120 7

n + 10 6 + 10 16
9.1. Para n = 6, F = = = = 4.
n−2 6−2 4
4 é um número inteiro.

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 3
Propostas de resolução
n + 10 58 + 10 68
9.2. Para n = 58, F = = = .
n−2 58 − 2 56
(1)
Ora, m.d.c. ( 68, 56 ) = 22 = 4 . (1) 68 = 2 × 34 = 2 × 2 × 17 = 22 × 17; 56 = 7 × 8 = 7 × 23

Logo, a fração irredutível pedida é dada por:


68 :4 17
=
56 :4 14
Aplicar
Pág. 11

1.
Simétrico Valor absoluto Simétrico do simétrico

−2 +2 +2 −2

+5 −5 +5 +5

0 0 0 0

− 10 + 10 + 10 − 10

b (sendo b < 0) −b −b b

2.1. Cada termo da sequência obtém-se a partir do anterior subtraindo duas unidades, sendo o primeiro
número da sequência 7. Assim, os três números em falta são: −7, − 5, − 3 .

2.2.

3.1. É o ponto E.

3.2. A → −4; B → −1; O → 0; C → +2; D → +4

3.3. Dois números são simétricos se e só se têm o mesmo valor absoluto e sinais contrários.
Ora, −4 = +4 = +4 .

Os pontos A e D têm abcissas simétricas.

3.4. a) −4 = +4 b) 0 = 0 c) +4 = 4

4.1. Como −2 = 2 , então o simétrico de −2 é - 2. 4.2. O simétrico de zero é zero.

4.3. 3 é o número cujo simétrico é −3. 4.4. Temos duas respostas: −8 ou 8.

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 4
Propostas de resolução
Aplicar
Pág. 13

1. −10 C, − 4 C, − 3 C, − 2 C, 0 C, 5 C, 8 C

2.1. −2 = 2 2.2. −10 < −5 2.3. 5 > −7 2.4. −3 > 2

2.5. −8 < 0 2.6. 0 > −1 2.7. −5 > −5 2.8. −2 > 0

2.9. −4 < −2 2.10. − −5 = −5

3.1. −2 , − 1 , 0, 1 , 2 , 3 e 4

3.2. a) 4, 3, 2 e 1

b) Como −5 e 5 são números simétricos, então os pontos A e B são equidistantes à


origem, o ponto O, da reta numérica. Assim, a abcissa é 0.

4.1. ℤ− ⊆ ℤ 4.2. 0∈ℤ 4.3. −5 ∉ℤ 4.4. ℤ⊇ℕ

Aplicar
Pág. 15

1. Vamos aplicar as regras para a soma de números com o mesmo sinal e sinais contrários.

1.1. −1 + 3 = + ( 3 − 1) = +2 ( +3 = +3 e −1 = +1 ; +3 > −1 )

1.2. 2 + ( −4 ) = − ( 4 − 2 ) = −2 (2 =2 e −4 = 4 ; −4 > 2 )

1.3. 5 + ( −7 ) = − ( 7 − 5 ) = −2 (5 =5 e −7 = 7 ; −7 > 5 )

1.4. −3 + 10 = + (10 − 3 ) = +7 ( −3 = 3 e 10 = 10 ; 10 > −3 )

1.5. −10 + 0 = −10 ( −10 = 10 ; −10 > 0 )

1.6. 0 + ( −5 ) = −5 ( −5 = 5 ; −5 > 0 )

1.7. −8 + ( −3 ) = − ( 8 + 3 ) = −11 ( −8 = 8 e −3 = 3 )

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 5
Propostas de resolução
1.8. −5 + ( −5 ) = − ( 5 + 5 ) = −10 ( −5 = 5)

1.9. −10 + ( −10 ) = − (10 + 10 ) = −20 ( −10 = 10 )

1.10. −4 + 4 = 0 ( A soma de dois números simétricos é nula.)

1.11. 1 + ( −1) = 0 ( A soma de dois números simétricos é nula.)

1.12. −12 + ( −10 ) = − (12 + 10 ) = −22 ( −12 = 12 ; −10 = 10 )

1.13. −50 + 100 = + (100 − 50 ) = +50 ( −50 = 50 e 100 = 100 ; 100 > −50 )

1.14. −2 + ( −2 ) = − ( 2 + 2 ) = −4 ( −2 = 2 )

1.15. 20 + 80 = 100 ( +20 = 20 ; +80 = 80 )

1.16. 0 + ( −3 ) = −3 ( −3 = 3 e −3 > 0 )

1.17. −80 + ( −20 ) = − ( 80 + 20 ) = −100 ( −80 = 80 ; −20 = 20 )

1.18. −2 + ( −10 ) = − ( 2 + 10 ) = −12 ( −10 = 10 ; −2 = 2 )

1.19. −6 + 3 = − ( 6 − 3 ) = −3 ( −6 = 6 ; 3 = 3)

1.20. 12 + ( −3 ) = + (12 − 3 ) = +9 ( +12 = 12 e −3 = 3 ; 12 > −3 )

1.21. −3 + ( 2 + 1) = −3 + ( +3 ) = 0 ( Os números são simétricos.)

1.22. −3 + 20 = + ( 20 − 3 ) = +17 ( −3 = 3 e 20 = 20 ; 20 > −3 )

1.23. −8 + ( −3 ) = − ( 8 + 3 ) = −11 ( −8 = 8 ; −3 = 3 )

1.24. −10 + ( +10 ) = 0 ( Os números são simétricos e, como tal, a sua soma é zero.)

1.25. ( −2 + 3 ) + − ( −2 + 3 )  = 0
(Os números − 2 + 3 e − ( −2 + 3 ) são simétricos, pelo que a sua soma é zero.)

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 6
Propostas de resolução

Aplicar
Pág. 17

1. −5 + 10 + ( −8 ) + ( −10 ) + ( −3 ) + ( −5 ) + 5 + 15 =

= −5 + ( −8 ) + ( −10 ) + ( −3 ) + ( −5 ) + 10 + 5 + 15 , pela propriedade comutativa


= −31 + 30 ( −31 = 31 e 30 = 30 ; −31 > 30 )
= − ( 31 − 30 )
= −1
A soma dos pontos obtidos no final das oito jogadas é – 1.

2. Dado que o António tinha inicialmente 20 euros, então:


20 + ( +4 ) + ( −3 ) + ( +10 ) + ( −15 ) + ( +20 ) + ( +15 ) + ( −18 ) =
= 20 + ( +4 ) + ( +10 ) + ( +20 ) + ( +15 ) + ( −3 ) + ( −15 ) + ( −18 )
= 69 + ( −36 )
= + ( 69 − 36 ) , ( 69 = 69 e −36 = 36 ; 69 > −36 )
= +33
O António tem 33 euros no mealheiro.

3.1. De acordo com os dados, tem-se a seguinte expressão:


20 + ( −5 ) + ( +7 ) + ( −1) + ( +2 ) + ( −7 ) + ( +4 )
1.ª paragem 2.ª paragem 3.ª paragem

3.2. Efetuando a adição, obtém-se:


20 + ( −5 ) + ( +7 ) + ( −1) + ( +2 ) + ( −7 ) + ( +4 ) =
= 20 + ( +7 ) + ( +2 ) + ( +4 ) + ( −5 ) + ( −1) + ( −7 ) , pela propriedade comutativa
= 33 + ( −13 ) = 20

Quando o autocarro parou na 4.ª paragem iam 20 pessoas.

Aplicar
Pág. 19

1.1.

Logo, 7 − 5 = 2 .

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 7
Propostas de resolução
1.2.

Logo, 5 − 7 = −2 .

1.3.

Logo, −3 − ( −3 ) = 0 .

1.4.

Logo, −2 − 5 = −7 .

1.5.

Logo, −10 − 8 = −18 .

1.6.

Logo, 3 − ( +3 ) = 0 .

1.7.

Logo, 0 − 5 = −5 .

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 8
Propostas de resolução
1.8.

Logo, 2 − ( −3 ) = 5 .

2. Sabe-se que subtrair b e a é o mesmo que adicionar −b a a. Desta forma, tem-se:

2.1. 5 − ( −3 ) = 5 + ( +3 ) = 8 ( +3 é simétrico de − 3)

2.2. −8 − 3 = −8 + ( −3 ) = −11 ( −3 é simétrico de 3 )

2.3. −12 − 5 = −12 + ( −5 ) = −17 ( −5 é simétrico de 5 )

2.4. 20 − ( −5 ) = 20 + ( +5 ) = 25 ( 5 é simétrico de − 5)

3.1. a) A origem da reta numérica tem abcissa zero. Assim, a medida da distância pedida é
dada pelo valor absoluto da diferença entre −20 e 0. Assim, −20 − 0 = −20 = 20

O ponto A dista 20 unidades da origem da reta numérica.

b) −20 − ( −8 ) = −20 + ( +8 ) = −12 = 12

ou

−8 − ( −20 ) = −8 + ( +20 ) = 12 = 12

Os pontos A e B distam 12 unidades.

3.2. Se a medida da distância entre A e B é 12 unidades, então o ponto C, ponto equidistante


destes, está a 6 (12 : 2) unidades de ambos. Ora, −20 + 6 = −14 e − 8 − 6 = −14 .
Logo, o ponto equidistante aos pontos A e B tem de abcissa – 14.

Aplicar
Pág. 21

1.1. 8 − ( −3 ) = 8 + 3 = 11

1.2. −7 − ( −7 ) = −7 + 7 = 0

1.3. −2 − ( +5 ) = −2 − 5 = −7

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 9
Propostas de resolução
1.4. 0 − ( −2 ) = 0 + 2 = 2

1.5. 1 − 5 − 3 = 1 − 8 = −7

1.6. −5 + ( −2 ) = −7

1.7. 2 − ( −3 − 5 + 7 ) = 2 + 3 + 5 − 7 = 10 − 7 = 3

1.8. 3 − ( 5 − 1) + ( 2 − 3 ) = 3 − 5 + 1 + 2 − 3 = −5 + 3 = −2

1.9. ( 2 − 4 ) +  −10 − ( −4 )  = −2 + ( −10 + 4 ) = −2 − 6 = −8

1.10. −2 − 2 + ( −5 + 3 )  = −2 − ( 2 + ( −5 ) + 3 ) = −2 − ( −3 + 3 ) = −2

1.11. −  −3 − ( +4 )  = − ( −3 − 4 ) = − ( −7 ) = 7

1.12. − 10 − ( −5 − 1 + 2 )  = − (10 + 5 + 1 − 2 ) = − (14 ) = −14

2.1. − ( 3 − 5 ) −  −2 + ( −1 + 2 )  = − ( −2 ) − ( −2 + 1) = 2 − ( −1) = 2 + 1 = 3

2.2. 0 − ( 3 − 10 ) + [ 2 − 5] = 0 − ( −7 ) + ( −3 ) = 0 + 7 − 3 = 4

2.3.  −2 + ( −1) + ( +5 )  −  −3 + 2 − ( −3 )  = 2 − ( −3 + 2 + 3 ) = 2 − ( +2 ) = 0

2.4. 2 + ( −2 ) − 5 + 2 − ( −2 + 1)  = 0 − 7 − ( −1)  = 0 − ( 7 + 1) = 0 − 8 = −8

3.1. − ( −b + 5 ) = b − 5 . O simétrico de ( −b + 5 ) é b − 5 .

3.2. − ( −3 − b ) = 3 + b = b + 3 . O simétrico de ( −3 − b ) é b + 3 .

3.3. − ( b − 4 ) = −b + 4 = 4 − b . O simétrico de ( b − 4 ) é 4 − b .

Aplicar
Pág. 23

8   8  8 1
1.1. a)   b)  −2, − 1, 0,  c) 0, , 2  d) {−2, − 1, 0}
4  4  4 2

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 10
Propostas de resolução
1.2.

2 3
2.1. 0,2 > 0,19 2.2. −3 > −5 2.3. <
3 4

2 2 4 3 3
2.4. − >− 2.5. < 2.6. −0,15 = −
5 3 7 5 20

1 1 1 3
3.1. 3> 3.2. − >− 3.3. ∉ℕ
3 5 5 2

3.4. −1∉ ℤ+0 3.5. −2 ∈ ℕ ∪ ℤ−0 3.6. −2,3 ∉ ℤ

4. Consideremos dois números a e b nas condições indicadas. Seja, A e B os pontos de


abcissas a e b, respetivamente.

4.1. Como a < 0, b < 0 e a < b , uma possível representação é:

Logo, a > b .

4.2. Como a > 0, b > 0 e a < b , uma possível representação é:

Logo, a < b .

4.3. Como a < 0, b < 0 e a = b , então os pontos A e B coincidem na reta numérica, pelo que

a = b.

4.4. Como a > 0, b > 0 e a = b , então os pontos A e B coincidem na reta numérica, pelo que

a = b.

4.5. Como a < 0 e a > b , então uma possível representação é:

Logo, a < b .

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 11
Propostas de resolução
4.6. Sendo a > 0 e a < b , então uma possível representação é:

Logo, a < b .

Aplicar
Pág. 27

1 1 3 2 1 2 1 1
1.1. − = − = 1.2. − + =−
2 3 6 6 6 5 5 5

1 1 3 1 1 3 2 1
1.3. 0− =− 1.4. − + + =− + =−
4 4 4 4 4 4 4 4

1 1 2 1 1 2 1 1 2 2 2
1.5. − + − = + − =0 1.6. − + + =0+ =
3 3 3 3 3 3 3 3 5 5 5

2 2 2 2 4 4 1 1  16 
1.7. 1 + 3 = (1 + 3 ) +  +  = 4 + = 4 = ( 4 + 1) = 5  ou 
3 3 3 3 3 3 3 3  3 

1 1 2 5 7 1 5 3 10  10 3  7
1.8. + = + = 1.9. − = − = − − =−
5 2 10 10 10 4 6 12 12  12 12  12

1 1 3 5 5 3 2
1.10. − + =− + = − =
5 3 15 15 15 15 15

2  3  2 3 4 21  21 4  17
1.11. + −  = − = − = − − =−
7  2  7 2 14 14  14 14  14

0  7   7  7
1.12. − −  = 0 − −  =
5  12   12  12

2 1  2 1  8 5  3 60 3
1.13. 2 − 5 = ( 2 − 5 ) +  −  = −3 +  −  = −3 + =− + =
5 4 5 4  20 20  20 20 20

 60 3  57  17 
= − − =−  ou − 2 
 20 20  20  20 

 1 1  2 1 1
1.14. − −  = − −  = −
3 6 6 6 6

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 12
Propostas de resolução
1 2 3 8 11
2.1. + = + =
4 3 12 12 12

2 14 2 12  14 14 2 2 14 2
2.2. −2 + =− + =− − = e = , pelo que − > 
7 7 7 7  7 7 7 7 7 7

2 1 6 11 5
2.3. − = − =−
11 3 33 33 33

1  3 1  5 3 1   5 3  1   2 
3.1. − +  −1 +  = − +  − +  = − +  −  −   = − +  −    =
2  5 2  5 5 2   5 5  2   5 

1 2 5 4 9
=− − =− − =−
2 5 10 10 10

 7 
3.2. −2,3 + 0,3 − ( −2,7 ) = −2 + 2,7 = 0,7  ou 
 10 

  3  3 2  3 3 2  10 15 3 4 
3.3. −  −1 −  −  + +  = −  −1 + + +  = −− + + + =
  2  10 5   2 10 5   10 10 10 10 

 22 10   12  12 6
= − −  = −  = − =−
 10 10   
10 10 5

3  1  3  1  3 1 3 1  3 1 3 1
3.4. −  −2 +  +  +  −2 +   = +2− + −2+  = +2− + −2+ =
5  10   5  10   5 10  5 10  5 10 5 10

6 20 1 6 20 1 6 20 6 1 1 20 32 20 12 6
= + − + − + = + + − + − = − = =
10 10 10 10 10 10 10 10 10 10 10 10 10 10 10 5

4.1. a) A parte do trajeto percorrido nas três primeiras etapas.


b) A parte do trajeto que o Afonso percorreu a mais na 2.ª etapa que na 1.ª etapa, nas
primeiras três etapas.

4.2. Determinemos frações equivalentes às dadas:


3 1 5 1 4
; = e =
20 4 20 5 20
 3 1 1  3  17
Na 4.ª etapa, o aluno poderá percorrer 1 −  + +  . Ora, 1 −   = .
 20 4 5   20  20
Comparando as frações, conclui-se que foi na 4.ª etapa.

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 13
Propostas de resolução
Aplicar
Pág. 31

1.1. ( −3 ) × ( −4 ) = 12 1.2. ( −1) × ( −10 ) = 10

1.3. ( −5 ) × 1 × ( −7 ) = −5 × ( −7 ) = 35 1.4. ( −3 ) × 0 = 0

1  1 5 2  3 2 3 3
1.5. ( −5 ) × = −5 ×  = − 1.6. ×− = − ×  = −
3  3 3 5  4 5 4 10

 10   1  10 1 2 × 5 1 2 × 5 5
1.7. − ×− = × = × = =
 3   2 3 2 3 2 3×2 3

5 1 2 5 2 5 1 4 2  3 4 3 4
1.8. − × = − = − = = 1.9.  −  × = −  ×  = −1
6 4 3 6 12 6 6 6 3  4 3 4 3

 1   1 1 1
1.10.  × − + = ×0 = 0
 90   2 2  90

1 1 7 21 147 49  1
1.11. 2 ×5 = × = =  ou 12 
3 4 3 4 12 4  4

1 1 5 5 2 5 2 7
1.12. −2 − 2 = − −1= − − = − +  = −
2 2 2 2 2 2 2 2

1.13. 2 × ( −0,1) − 0,05 = −0,2 − 0,05 = −0,25

( −2 ) +  −
1  1 1 1
1.14.  ×  −  + 2 = ( −2 ) + + 2 =
 3  2 6 6

2 5  1 4 4 4
1.15. 1− × +  − ×  = 1− 1− =−
5 2  3 5 15 15

2 2 1 1 1 1
2.1. : ( −2 ) = =− 2.2. :2 = =
3 3 × ( −2 ) 3 2 2×2 4

1
2.3. 5: = 5 × 3 = 15 2.4. ( −5 ) : 0,1 = −5 × 10 = −50
3

 2 5  2 3 2 3 2  2  1 2 1 2 6
2.5. −  : = − × = − ×  = − 2.6. −  : −  = : = ×3 =
 3 3  3 5 3 5 5  7  3 7 3 7 7

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 14
Propostas de resolução
2 3 9 2  3 2  5 2
2.7. ( −3 ) : = ( −3 ) × = − 2.8. : −  = ×−  = −
3 2 2 5  5 5  3 3

 3  5  4  5   4   5   7  35
3.1.  − 2  × 3  : −7 =  − 2  :  − 7  =  − 2  ×  − 4  = 8
          

3.2. ( −1) × ( −2) : ( −1) = 2 : ( −1) = −2

 3 1 6 1  1  6  1  12 1 11
3.3.  −  × ( −2 ) + : ( −7 ) = + ×  −  = +  −  = − =
 7 2 7 2  7  7  14  14 14 14

 2 1  1  2 1  1  1  1
3.4. −  −  × :  −  = −  −  × :  −  = −  −  :  −  = − ( +1) = −1
 5 2  5  5 2  5  5  5

4. Atribuindo letras às partes da pirâmide vazias para evidenciar os cálculos necessários:

Cálculos auxiliares:
1 1
a = 8 : ( −2 ) = −4 c = −4 × 2 = −8 b=− :2 = −
2 4
1  4 1  1 8
d =− × − = e = 8 × ( −8 ) = −64 f = −8 ×  −  = = 4
4  3  3  2 2
1 1 1  1 4 2
g =− × =− h = −64 × 4 = −256 i = 4×−  = − = −
2 3 6  6  6 3
 2  512
j = −256 ×  −  =
 3 3

E assim, obtemos a pirâmide preenchida:

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 15
Propostas de resolução
3 3
5. Se a Patrícia leu do número de páginas, significa que lhe faltam ler 1 − do número de
7 7
3 4
páginas total do livro. Ora, 1 − = . Portanto, podemos estabelecer a proporção seguinte,
7 7
onde x representa o número total de páginas do livro:
4 160 160 × 4
= , ou seja, x = = 280
7 x 7
Como 280 − 160 = 120 significa que a Patrícia leu 120 páginas do livro.

Aplicar
Pág. 35

1. Dado que o pedreiro construi ao longo de todos os dias a mesma quantidade de muro,
5 5 1
então, por dia, o pedreiro construiu : 5 , ou seja, = .
8 8×5 8
1
O pedreiro construiu, por dia, do muro.
8

 2  3 2  2  3 2 2 3 2 3 1
2.1.  −  × 1 −  = − × 1 +  −  ×  −  = − + × = − + =
 5  2 5  5  2 5 5 2 5 5 5

 3 1 3 1 6 1 12  1  11
2.2.  − 7  × ( −2 ) + 2 : ( −7 ) = 7 × 2 + 2 × −7 = 7 + −14 = 14 +  − 14  = 14
  ( )  

1 10 1 9
5− −
2.3. 2 = 2 2 = 2 =9× 2 = 9
1 10 1 11 2 11 11
5+ +
2 2 2 2

1   1 4  1   1 3  1  1
2.4. − −  −2 −  − :   = − −  −2 −  − ×   = − −  −2 +  =
4   3 3  4   3 4  4  4

1 1 2 1 3
=− +2− =− +2=− +2=
4 4 4 2 2

 1  1  1    10  1   1   9  1 
2.5.  −2 + 5  :  − 3 −  − 3 × 3   =  − 5  + 5  :  − 3 − ( −1)  =  − 5  :  − 3 + 1 =
              

 9  1 3  9 2  9 3 27
= −  : − +  = −  :   = − × = −
 5  3 3  5 3  5 2 10

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 16
Propostas de resolução
1 8 1 7
2− −
 2 2 1 4 = − 2× 1 − 1 + 5 − 4 4 = − 2 − 1 + 5 − 4 =
2.6. − 3  : 3 − 3 × 2 + 5 − 1  3  3 3 8 1  9  3 9
  2+ +
4 4 4 4
 2 1 7 4  2 1 7  2  3 45 7
= −  − + 5 − × = −  − + 5 − = −  − + − =
 9  3 4 9  9  3 9  9 9 9 9
 2  3 7 45 12 45 33 11
= −  − − + =− + = =
 9 9 9 9 9 9 9 3

2 5  2  5
3.1. a) O inverso de − é − , pois  −  ×  −  = 1.
5 2  5  2
7 8 7 8
b) O inverso de é , pois × = 1 .
8 7 8 7
2 −3 3 2  3
c) O inverso de é = − .Repara que ×  −  = 1.
−3 2 2 −3  2 

 2 7  2 8 16
3.2. a)  −  :   =  −  × = −
 5 8  5 7 35
2

 2  −3  2   3  2 × 3 3
b) 5 =  −  × = − ×−  = =
2  5 2  5  2 5×2 5
−3
1,2 × 3,5 1,2
4.1. =
0,5 × 3,5 0,5
2 × 3,2 2 × 3,2 3,2
4.2. = =
1,8 × 4 1,8 × 2 × 2 2 × 1,8

2 3 2 ×− 3  3
−   − 
5.1. 5 × 2 = 5  2 =  5  =  − 3  × 9 = − 27
1 2 1 2 2  5 2
×   10
3 3 3 3 9
1 5 1 5 5
×
5.2. −2× 2 = − 2 2 = − 4 = −  5 × 10  = − 50 = − 25
3 1 3 1 3 4 3 
×   12 6
5 2 5 2 10
3 7 3 7 21
×
5.3. 5 × 2 = 5 2 = 10 = 21 × 21 = 441
2 5 2 5 10 10 10 100
×
7 3 57 3 21
8,2
0,1 8,2 5,2 8,2 × 5,2 2 × 4,1 × 5,2 2 × 5,2 10,4
6. = × = = = = = 104
4,1 0,1 4,1 0,1× 4,1 0,1× 4,1 0,1 0,1
5,2

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 17
Propostas de resolução
Aplicar
Pág. 37

2
 1 1 1 1
( −2 ) = ( −2 ) × ( −2 ) = 4
2
1.1. 1.2.   = × =
3 3 3 9

1 1 1 22 2 × 2 4
1.3. = = 1.4. = =
3 2
3×3 9 3 3 3

2 2 2
 1  2 × 2 + 1 5 5×5 25 1
1.5. −2  = −  = −  = − =− ou − 6
 2  2  2 2× 2 4 4

2 2
 2   1  1  1 1
1.6. −  = −  = − ×−  =
 4  2  2  2 4

1.7. −102 = − (10 × 10 ) = −100

3
 3  3×3×3 27
1.8. −  = − =−
 10  10 × 10 × 10 1000

2.1. Pretende-se determinar o valor de q, sendo q ∈ ℚ, tal que q 2 = 16 .

Como ( −4 ) = 16 e 42 = 16 , a base da potência pode tomar dois valores: 4 e o seu


2

simétrico.

n
 1 1
2.2. Pretende-se determinar o valor de n, sendo n ∈ ℕ, tal que  −  = .
 3 9
2
 1  1  1 1
Como  −  ×  −  =  −  = , então o expoente da potência é 2.
 3  3  3 9

3.1. De acordo com os dados da figura, tem-se:


▪ 62 representa a medida da área, em unidades quadradas, do quadrado maior;
▪ 32 representa a medida da área, em unidades quadradas, do quadrado menor;
Logo, a diferença 62 − 32 representa a medida, em unidades quadradas, da parte colorida.
62 − 32
Assim, representa a medida da área, em unidades quadradas, da metade da área
2
colorida da figura.

62 − 32 36 − 9 27
3.2. = = ( ou 13,5 )
2 2 2

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 18
Propostas de resolução
2
 1  1 23  1  1 8  8  1 16 25
4.1.  − −
   − = −  − − = −  − − =−
 2   
4 8  2  16 8  16  16 16 16

2
 1 1 1 16 15
− 22 −4 − −
1  2  2 4 2 4 4 = − + 4 = − 2 +  − 15  × 9 =
2
4.2. −2 × + 2
= − × =− +  
4 2 4 1− 4 4 9 4
− 4 5 4  4  5
1−   9 9 9 9
3
2 3×5×9 2 27 29
=− − =− − =−
4 4×5 4 4 4

Aplicar
Pág. 39

2 3 2+3 5
 1  1  1  1
1.1.   ×  =   = 
2 2 2 2

( −2 ) × ( −2 ) = ( −2 ) = ( −2 )
4 4 +1 5
1.2.

2 3 2 3 2+3 5
 1  1  1  1  1  1
1.3. −  ×  =   ×  =   = 
 3 3 3 3 3 3

3 3 3 3
 2  1  2 1  1
1.4.   ×  =  ×  =  
3 2 3 2 3

2 2 −1 1
 1 1  1  1
1.5.   : =  = 
4 4 4 4

4 2 4−2 2 2
 2  2  2  2 2
1.6. −  : −  = −  = −  ou  
 5  5  5  5 5

2 5
 1 1 1 1 1  1
1.7.   :2= :2= = = 5 = 
4 16 16 × 2 32 2 2

3 3 3 3 3
 2 2  2  2   2  3   3
1.8.  − 5  :  3  =  − 5  : 3  =  − 5  × 2  =  − 5 
           

1.9. ( −2 ) × ( −2)
3 3
= ( −2 )
2+3
= ( −2 )
6
(ou 2 ) 6

( −2) × ( −2 ) = ( −2 ( −2 ) ) = 43
3 3 3
ou

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 19
Propostas de resolução
2 2 2
5 5 5 5
1.10.   :  =  :  =1
2
(por exemplo )
    
7 7 7 7 

5
2×5
 2  2  10

( ou 2 ) 2 2
2
1.11. ( −2 )3  = ( −2 )3×2 = ( −2 )6 6
1.12.    =   =  
 
 3   3 3

3 3 3
2 3 2 3 
 3  ×  2  × ( −2 ) : 4  3 × 2 × ( −2 )  : 4
3 3 3
( −2 ) : 43 ( −2 : 4 )
3 3

1.13.     =   = = =
6 4 6−4 2 3
2 2 2 2 2 2 2 2
5 :5 × 5 5 ×5 5 × 5 5
         
3
 1  1
3

 2
   − 2   1 5 3  5  3
= 3
=  = − ×  = − 
2  2   2 2   4 
5  5 
 

( −2 ) −22 × ( −2 ) = −9 × 4 = −36
3 2
2.1. − 23 = −8 − 8 = −16 2.2.

2 2 2 −1 1+ 2 3
2 2 1  1 2  1 2  1 2 1 16 5 11
2.3.   : − ×  =   −  = −  = − = − =
5 5 2 2 5 2 5 2 5 8 40 40 40

10 10 10 10
2 5 2 5 2
5 ×3 5×3 3 10 − 8 2
    2 2
=  =  8 =  
4
2.4. 8 8
=  =
 1 2 2 3 3 9
1 − 3    3
  3  

( )
3
22 − 22 = 28 − 22×3 = 28 − 26 = 256 − 64 = 192
3
2.5.

10 2 10 2
 1  2 2  2
2 1 − 3  ×  − 3  2  3  ×− 3 
   
−32 + 23 − 22 ×   +     = −9 + 8 − 2 ×     =
1 1
2.6. 10   + 10
 
2  2  2   2
− 3  − 3
   
10 2
 2  2
− 3  ×− 3  2

= −1 − 12 +     = −1 − 1 +  − 2  = −2 + 4 = − 18 + 4 = − 14
10  
 2  3 9 9 9 9
− 3
 

( )
5
85 85 23 23×5 215
3. = = = = =1
323 ( )
25×3
3
25 215 215

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 20
Propostas de resolução
Aplicar
Pág. 41

1. 100, 121, 144, 169, 196 e 225

2.1. 1 = 1, porque 12 = 1

2.2. 36 = 6, porque 62 = 36

2
9 3 3
2.3. =   =
4 2 2

2
16 4 4
2
4
3  
9 =   = 3 3 4 2
2.4.   = = =
4 22 2
  2 6 3
 

( 0,5 )
2
2.5. 0,25 = = 0,5

2
225 152  15  15 5
2.6. = 2
=   = =
144 12  12  12 4

2
81 92  9  9
2.7. 0,0081 = = 2
=   = = 0,09
10 000 100  100  100

2.8. 2500 = 502 = 50

3. Dado um número racional q igual ao quociente de dois quadrados perfeitos não nulos,
existem exatamente dois números racionais, simétricos um do outro, cujo quadrado é igual
a q.
36 36 62
é um quociente de dois quadrados perfeitos, pois = . Assim, existe um número
25 25 52
36 6 6
racional negativo cujo quadrado é igual a . É o número simétrico de , ou seja, − .
25 5 5

4.1. Consideremos l a medida do lado do quadrado. Dado que a sua área é dada pela
expressão l2, tem-se: l = 100 = 10 cm .
A medida do comprimento do lado é 10 cm.

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 21
Propostas de resolução

81 92 9
4.2. l= cm = 2
cm = cm
16 4 4
9
A medida do comprimento do lado do quadrado é cm .
4

4.3. l = 1600 mm = 402 mm = 40 mm


A medida do comprimento do lado do quadrado é 40 mm .

1 1 1
4.4. l = 0,01 dam = dam = 2
dam = dam = 0,1 dam
100 10 10
A medida do comprimento do lado do quadrado é 0,1 dam.

2
16  4  4 2
5.1. l = 0,16 = =   = =
100  10  10 5
2 2
Logo, os números racionais cujo quadrado é 0,16 são ou − (ou 0,4 ou -0,4).
5 5

Sabe-se que 72 = 49 e ( −7 ) = 49 . Os números são −7 ou 7 .


2
5.2.

2
16 42 4 4
5.3. l= = 2
=   =
9 3 3 3

16 4 4
Logo, os números racionais cujo quadrado é são ou − .
9 3 3

Sabe-se que 82 = 64 e ( −8 ) = 64 . Os números são −8 ou 8 .


2
5.4.

2
9  3  3
6.1. a) 0,09 = =   = = 0,3 .
100  10  10

2
25 52  5  5
b) 0,000 025 = = =  3 = = 0,005
106 (10 )
2
3  10  1000

2
4 22  2  2
c) 0,04 = = 2
=   = = 0,2
100 10  10  10

6.2. Seja a um número natural, tal que n = a 2 .


2
n a2  a  a
Assim, = =  m = m.
(10 ) (10 )
m 2
2 m  10  10

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 22
Propostas de resolução
Aplicar
Pág. 43

1. 1331 e 1728

2.1. 3
1 = 1, porque 13 = 1 . 2.2. 3
27 = 3 33 = 3

−1 = −1, porque ( −1) = −1. ( −6 )


3 3
2.3. 3
2.4. 3
−216 = 3
= −6

1 1 1
2.5. 3
0,001 = 3 =3 3 = ( ou 0,1)
1000 10 10

3
8 23  2  2 1
= ( ou 0,2 ) ( −8 )
3
2.6. 3 =3 3 =3  = 2.7. 3
−512 = 3
= −8
1000 10  
10 10 5

3
8 8 8 23 2 2
2.8. − =3− = 3 =3 3 =3  =
−3 + ( −24 )
3
−27 27 3 3 3

3. 153 = 3375 e 163 = 4096

Como 153 < 4000 < 163 , então 4000 não é um quadrado perfeito, pois não existe nenhum
número natural n tal que n 3 = 4000 .

4. O número é 64, pois 43 = 64 (é um cubo perfeito) e 82 = 64 (é um quadrado perfeito).

5. Seja a a medida do comprimento da aresta do cubo.

5.1. a = 3 343 cm = 7 cm
O comprimento da aresta do cubo mede 7 cm.

343 73 7
5.2. a = 3 0,343 = 3 =3 3 = ( ou 0,7 )
1000 10 10
7
O comprimento da aresta do cubo mede cm, ou seja, 0,7 cm.
10

3
64 43 3  4  4
5.3. a= 3 = 3
3
=   =
27 3 3 3

4
O comprimento da aresta mede cm.
3

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 23
Propostas de resolução

27 33 3
5.4. a = 3 0,027 = 3 =3 3 = = 0,3
1000 10 10
3
O comprimento da aresta mede cm, ou seja, 0,3 cm.
10

3
8  2  2 1
6.1. Como a = −0,008 = −
3
= 3 −  = −3 = − , então existe um único número
1000  10  10 5

1
racional tal que o seu cubo é −0,008 que é − (ou −0,2 ).
5

3
1  1  1
6.2. Como a = 3 0,001 = 3 =3  = , então existe um único número racional tal que
1000  10  10

1
o seu cubo é 0,001 que é (ou 0,1).
10

( −2 )
3
6.3. Por definição, 3 2
= −22 = −4 . Assim, existe um único número racional cujo cubo é

( −2 )
3
2
que é −4 .

3 3
2 2 2 2
6.4. Por definição, 3
 3  = 3 , pelo que o único número racional cujo cubo é   é .
  3 3

4 4
7.1. Existe um único número racional positivo cujo cubo é o mesmo de que é o próprio .
3 3

7.2. Qualquer cubo de um número racional negativo é negativo. Logo, não existe nenhum
64
número racional cujo cubo é .
27

Aplicar
Pág. 45

1.1. 900 = 302 = 30

1.2. 10 000 = 100 × 100 = 100 × 100 = 10 × 10 = 100

1.3. 25 = 5, pois 52 = 25 .

1.4. 3
1000 = 10, pois 103 = 1000

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 24
Propostas de resolução
25 25 5 1
1.5. 0,25 = = = = (ou 0,5)
100 100 10 2

3
27 27 3
1.6. 3
−0,027 = − 3 0,027 = − 3 =−3 =− ( ou − 0,3 )
1000 1000 10

3
343 343 7
1.7. 3 =− 3 =
64 64 4

1.8. 36 × 4 = 36 × 4 = 6 × 2 = 12

1.9. 25 − 9 = 16 = 4

Nota que 25 − 9 ≠ 25 − 9 = 2 .

9 9 3
1.10. = = .
4 4 2

3
216 216 216 6 6 6
1.11. 3 = = = = = = 12
0,125 3 125 125 3
125 5 1
3
1000 1000 3
1000 10 2

1.12. (
− 3 8 − 3 −8 = −2 − − 3 8 = −2 + 2 = 0 )
3
729 729 729 9
2.1. 3 − = −3 =−3 = − = −1,8
125 125 125 5

3
27 27 3
2.2. 3
0,027 = − 3 =−3 = = 0,3
1000 1000 10

81 81 9 9
2.3. 0,000 081 = = = = = 0,009 .
(10 ) 3 2
(10 )3
2 103 1000

1 1 1
2.4. 0,0001 = = = = 0,01.
10 000 100 2 100

3. 50 = 2 × 25 e 72 = 2 × 36 . Logo:

50 = 2 × 15 = 2 × 25 = 2 × 5 = 5 2 e 72 = 2 × 36 = 2 × 36 = 2 × 6 = 6 2

Portanto, 50 + 72 = 5 2 + 6 2 = ( 5 + 6 ) 2 = 11 2 .

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 25
Propostas de resolução

4. Por definição, q 2 = q , para qualquer q > 0 . Logo, q2 × r = q2 × r = q r .

5.1. 3
8 − 3 1000 = 2 − 10 = −8 .

1331 3 3
1331 11 −18 11 7
5.2. 3
− 64 + 3 = −8 + 3 = −2 + = + =−
729 729 9 9 9 9

6.1. 2 2 + 3 2 − 4 2 = (2 + 3 − 4) 2 = 2

6.2. 32 − 4 − 50 + 5 2 = 9 − 2 − 50 + 5 2 = 7 − 2 × 25 + 5 2 =

= 7 − 2 ×5 +5 2 = 7 −5 2 + 5 2 = 7

Atividades fundamentais
Pág. 46

1. −3 − ( −2 + 5 ) = −3 + 2 − 5 = −6

Resposta: (C)

2. −3 + ( −2 ) : ( −1) × ( −7 ) = −3 + 2 × ( −7 ) = −3 + ( −14 ) = −17

Resposta: (B)

1

3. 2 = −1× 1 = −1
3 2 3 6
Resposta: (B)

1 3 2 1 3 2 3 3 3 3 20 17
4. × − : = − × = −2= −2= − =−
2 5 3 3 10 3 1 10 10 10 10 10
Resposta: (D)

20 17 21 17 21−17 4
1  1  1  1  1 2  1
5. ×  :  =   :  =  = 
3 3 3 3 3 3 3
Resposta: (B)

23 8 8 8
 2  2  2 2
 −  ×1 =  −  ×1=  −  =  
20
6.
 5  5  5 5
Resposta: (C)

(10 )
2
7. 5
= 1010 . Logo, o simétrico deste número é −1010 . Resposta: (D)

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 26
Propostas de resolução
−25 × ( −2 ) = ( −2 ) × ( −2 ) = ( −2 ) = 212 .
7 5 7 12
8.

Resposta: (A)

Atividades fundamentais
Pág. 47

3
27 3 33 3 3 3  3  3 6 3
9. 3 × 8= 3
3
× 2 =   ×2 = ×2 = =
64 4 4 4 4 2
Resposta: (B)

10. 3
64 = 4
Resposta: (A)

11. Analisemos cada uma das seguintes opções:


• 52 × 2 não é possível escrever como um quadrado de um número natural.

• 23 × 33 = ( 2 × 3 ) pelo que não é um quadrado perfeito.


3

• 5 × 32 × 72 = 5 × ( 3 × 7 ) pelo que não é um quadrado perfeito.


2

( ) ( )
• 3 2 × 2 × 7 2 × 2 = 3 2 × 7 2 × 2 × 2 = 3 2 × 7 2 × 22 = ( 3 × 7 × 2 )
2

Resposta: (D)

12. Analisemos cada uma das seguintes opções:

• 22 × 32 = ( 2 × 3 ) é um quadrado perfeito, mas não um cubo perfeito.


2

• 23 × 33 = ( 2 × 3 ) é um cubo perfeito, mas não um quadrado perfeito.


3

( )
3
• 53 = 59 é um cubo perfeito, mas não um quadrado perfeito.

( ) = (2 )
3 2
• 22 3
é um cubo e um quadrado perfeito.

Resposta: (C)

13. Analisemos cada uma das opções dadas:


• A opção A exclui-se, pois não faz sentido em ℚ.
3
2
6
  2 2  2
2
4
• 3   = 3    =   =
3  
 3   3 9

• 3
53 = 5 . Exclui-se a opção (C).

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 27
Propostas de resolução
3
3 27 9
• 3
 7  = 3 343 ≠ 3 . Exclui-se a opção (D).
  21
Resposta: (B)

14. Analisemos cada uma das opções dadas:


• Opção (A): 5 + 2 ≠ 27

• Opção (B): −9 ∉ ℚ
2
49 72 7 7 7 1 7
• Opção (C): : 9= 2
:3 =   :3 = :3 = × =
64 8 8 8 8 3 24

49
49 64 = 49
Por outro lado, : 9=
64 9 576
3
 3 3 27
• Opção (D):  3  = ≠
 8 8 24

Resposta: (C)

15. A caixa tem de volume 83 cm3 = 512 cm3 . Cada cubo que vai ser colocado na caixa tem

512
de volume 23 cm3 = 8 cm3 . Como = 64 , então, no máximo, é possível colocar na
8
caixa cúbica 64 cubos.
Resposta: (A)

Atividades fundamentais
Pág. 48

1.1. 4 + ( −3 ) = 1 1.2. −2 + ( −7 ) = −9

1.3. −5 − ( −5 ) = −5 + 5 = 0 1.4. −18 − 5 = −23

1.5. −32 + 32 = 0 1.6. 10 − ( −5 ) = −10 + 5 = −5

1
1.7. −4 × 1.8. ( −120 ) : 30 = −4
4

 1 1 1 1
1.9. ( −50 ) × ( −3 + 3 ) = ( −50 ) × 0 = 0 1.10.  −  : ( −3 ) = : 3 = =
 3 3 3×3 9

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 28
Propostas de resolução
 1  1  1  1 1 1
1.11. 5 :  −  = −  5 :  = − ( 5 × 5 ) = −25 1.12. −  : ( −10 ) = : 10 = =
 5  5  20  20 20 × 10 200

2.1. a) O número que adicionado a −23 dá soma 2 é 2 − ( −23 ) = 2 + 23 = 25 .

b) O número que adicionado a −23 dá soma −3 é −3 − ( −23 ) = −3 + 23 = 20 .

c) O número que adicionado a −23 dá soma 30 é 30 − ( −23 ) = 53 .

2.2. a) O número que multiplicado por −5 dá como produto zero é o número zero.
b) O número que multiplicado por −5 dá como produto - 10 é −10 : ( −5 ) = 2 .

c) O número que multiplicado por −5 dá como produto 50 é 50 : ( −5 ) = −10 .

2.4. Sabe-se que o dividendo (D) é igual ao produto do divisor (d) pelo quociente (q) adicionado
do resto (r), ou seja, D = d × q + r . Neste caso, r = 0 , pelo que −36 = −9 × q . Logo,

q = ( −36 ) : ( −9 ) = 4 .

O divisor é 4.

3. 25 + ( +10 ) + ( −15 ) + ( +12 ) + ( −9 ) + ( +2 ) = 35 + ( +12 ) + ( +2 ) + ( −15 ) + ( −9 ) = 49 + ( −24 ) = 25

Posição inicial
O elevador parou no 25.º andar, ou seja, na posição inicial.

4.1. 22 − ( −20 ) = 22 + 20 = 42

A diferença da temperatura é 42 ºC, em valor absoluto.

4.2. −20 − 6 = −26 = 26 ; −20 − 4 = −24 = 24

A diferença entre a temperatura de cada parte inferior do frigorífico é 26 ºC e 24 ºC, em


valor absoluto.

5  3   1 5  3 20   1  5  23   1 
5.1. a) − − − − 5 × −  = − − − − × −  = − − − × −  =
2  4   2 2  4 4   2 2  4   2
5 23 20 23 43
=− − =− − =−
2 8 8 8 8

5  8   2 5  8 12   2  5  20   2 
b) − − − − 4 : −  = − − − − :−  = − − − :−  =
3  3   3 3  3 3   3 3  3   3

5  20 3  5 20 5 5 30 35
=− − × =− − = − − 10 = − − =−
3  3 2 3 2 3 3 3 3

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 29
Propostas de resolução
Atividades fundamentais
Pág. 49

5.2. a) 72 × 7 4 = 72+ 4 = 76
b) 56 : 53 = 56 −3 = 53
c) 33 + 32 = 27 + 9 = 36 = 62
d) 53 − 52 = 125 − 25 = 100 = 102
26 26 26
e) × 3 2
= × 3 2
= × 3 2 = 26 − 4 × 3 2 = 22 × 32 = 62
( )
2 2 4
4 2 2 2

3 4 2+ 4 7
2 2 2 2
f)   ×   =   = 
3 3 3 3
5 5 5
 1  2   1 5  1  2 1   1  2 1   1
5

g)  −   :   =  −  :  =   :  =  
 5    5   5  5   5  5  5
3
5+ 4 2×3 9−6
 2   2   2  
5 4 2 9 6 3
2 2 2 2 2 2
h)   ×   :    =   :   =   :   =   =  
 5   5   5   5 5 5 5 5 5
4 3 −1
3
 9  9  3   9
2 4 2
 9  9  9
4
 9
6
 9 
6

i)  −  :  −  ×  −  =  −  ×−  = −  ×−  = −   ou   
 7  7  7   7  7  7  7  7   7  

6.1. Efetuando a divisão:


92 6
32 15
2

O João necessita de 16 caixas. Como sobram dois bolos após colocar 90 bolos em 15
caixas, e dado que cada caixa fica com seis bolos, então faltam quatro bolos para encher a
16.ª caixa.

6.2. 92 = 2 × 46 = 2 × 2 × 23 = 22 × 23

6.3. D92 = {1, 2, 4, 23, 46, 92}

6.4. a) Observando a decomposição em fatores primos, conclui-se: se multiplicarmos 92 por 23,

obtém-se a decomposição 22 × 23 × 23 = 22 × 232 = ( 2 × 23 ) que é um quadrado


2

perfeito.

b) Multiplicando 92 por 2 × 232 obtém-se: 22 × 2 × 23 × 232 = 23 × 233 = ( 2 × 23 ) que é um


3

cubo perfeito. Trata-se do número 2 × 232 = 1058 .

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 30
Propostas de resolução
7. Determinemos o comprimento da aresta, em decímetros:
a = 3 8 dm = 2 dm
De acordo com a figura, é necessário, no mínimo, 8 × 2 dm = 16 dm = 1,6 m .
Portanto, uma possível resposta seria:
A afirmação é verdadeira. O comprimento da aresta do cubo, em centímetros, é 2.
Portanto, no mínimo, é necessário 1,6 m de fita sem o laço.

8. Dado que a área de um quadrado é obtida pelo quadrado do comprimento do seu lado,
tem-se: 144 = 12 .
O quadrado tem de lado 12 cm.

9. Determinemos o comprimento da aresta do cubo: 3


512 = 8 .

O cubo tem 8 cm de comprimento da aresta. Ora, a área lateral é dada por 4 × 82 = 256 .
O cubo tem de área lateral 256 cm2.

10.1. 3 × 12 − 62 = 3 × 12 − 62 = 36 − 36 = 6 − 36 = −30

3
64 64 64 4
3

10.2.
3 27 = 27 = 3
27 = 3 = 4 = 4 = 2
8 3
8 3
8 2 3×2 6 3

3
64 64 4 4 2 8
10.3. = = = = 3× =
3 27 27 3
27 3 3 3
3
8 8 3
8 2

9 10 + 9 19
81
(2 ) 81 9 9
2
10.4. 24 − 3 2 + = 2
−3+ = 22 − 3 + = 4−3+ = 1+ = =
100 100 10 10 10 10 10

10.5. ( 3
) (
−27 + 3 33 − − 4 + 52 = ) ( 3
) ( )
−27 + 3 − −2 + 52 = −3 + 3 − ( −2 + 25 ) = 0 − ( +23 ) = −23

Exercícios, problemas e desafios complementares


Pág. 50

1.1. A = −5 ; B = −3 ; O = 0 ; C = +3 ; D = +4 ; E = +6

1.2. Os pontos B e C.

1.3. Ponto A: −5 = +5 Ponto O: 0 = 0

Ponto D: +4 = +4 Ponto O: +6 = +6

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 31
Propostas de resolução
1.4. Pela observação da reta numérica, conclui-se que a abcissa do ponto cuja distância à
origem é + 5.

2.1. O simétrico de −5 é 5. 2.2. −3 = 3

2.3. − −10 = −10 2.4. −2 = 2

3.1. 100 m 3.2. −80 m 3.3. Respetivamente, 80 m.

Exercícios, problemas e desafios complementares


Pág. 51

4.1. a) Janeiro b) 15,4 ºC c) Novembro

5.1. e 5.2.

6.1. −3 + ( −10 ) = −13 6.2. −20 + −5 = −15 6.3. 8 + ( −3 ) = 5

7. (1) Propriedade associativa da adição


(2) Existência do elemento simétrico

Pág. 52

8.1. −5 8.2. −26

8.3. 8 8.4. −17

9.1. 1 − ( −3 ) + ( −4 ) = 0 9.2. −13 − ( −10 ) − 5 = −8

10. +20 − 30 + ( −50 ) − ( −20 ) = +20 − 80 + 20 = +40 − 80 = −40

Adicionar 20 Adicionar −50


Subtrair 30 Adicionar −20

Basta adicionar −40 (ou subtrair 40) ao número em que pensamos.

11. Determinemos, geometricamente, a distância entre os pontos A e B: −20 − 2 = −22 = 22

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 32
Propostas de resolução
22
Ora, = 11 . Como −20 + 11 = −9 , então os pontos equidistantes dos pontos A e B têm de
2
abcissa −9 .

12. Por exemplo:

13.1. a) 2 − 1 = 1 b) 3 − 2 + 1 = 2
c) 4 − 3 + 2 − 1 = 2 d) 5 − 4 + 3 − 2 + 1 = 3
e) 6 − 5 + 4 − 3 + 2 − 1 = 3 f) 7 − 6 + 5 − 4 + 3 − 2 + 1 = 4
g) 8 − 7 + 6 − 5 + 4 − 3 + 2 − 1 = 4

13.2. a) De acordo com a questão 13.1., podemos afirmar que a soma coincide com o valor
absoluto do número central. Logo, 20 − 19 + 18 − ... + 2 − 1 = 10 .
b) De forma análoga, 100 − 99 + 98 − ... + 2 − 1 = 50 .

Exercícios, problemas e desafios complementares


Pág. 53

1 2 2  2 1 5
14.1. − <− 14.2. −− < −−  14.3. 2 =
2 5 5  5 2 2

1 4
14.4. > 0,3 14.5. −2 ∈ ℤ 14.6. − ∉ℕ
3 2

5 1
14.7. ∉ℤ 14.8. ∈ℚ 14.9. 3
8 ∈ℕ
3 7

1
14.10. −2 ∈ ℚ 14.11. −5 ∈ ℕ 14.12. − 0,25 ∉ ℤ
5

5 1 4 4
15.1. a) − e 1 b) c) −2 , − 1 e
4 4 2 2

3 1
d) e)
4 2

15.2.

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 33
Propostas de resolução
16. A parte do percurso não percetível é dada por:
 7 5   7 10  17 26 17 9
1−  +  = 1−  +  = 1− = − =
 26 13   26 26  26 26 26 26
9
representa a parte do percurso que não está percetível na figura.
26

1 2 3 10 30 33 10 23
17.1. − +2= − + = − =
5 3 15 15 15 15 15 15

1  1 2  7  3 12  70  45 72  70 27 97
17.2. 2 +  −1 + 2  = +  − + = + − + = + =
3  2 5  3  2 5  30  30 30  30 30 30

1   1 2  1  1 2  1  3
17.3. − −  −  2 −  + − 1 = − −  −2 + + − 1 = − −  −3 +  =
10   5 5  10  5 5  10  5

1 3 1 30 6 23
=− +3− =− + − =
10 5 10 10 10 10

5  1  1 5  4 1  4 1 5  3   3  5 3 3 5
17.4. −  −2 +  +  −2 +  = −  − +  +  − +  = −  −  +  −  = + − =
7  2  2 7  2 2  2 2 7  2  2 7 2 2 7

Exercícios, problemas e desafios complementares


Pág. 54

18.1. 18.2.

1 2
19.1. × ( −2 ) = − = −1
2 2

3 2 3×2 6
19.2. × = =
5 5 5 × 5 25

2  1 2 ×1 2
19.3. ×−  = − =−
3  5 3×5 15

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 34
Propostas de resolução
2 2×3
19.4. × ( −3 ) − 1 = − − 1 = −2 − 1 = −3
3 3

 4  1 3  3  4 1 3  3  8 5 3  3 3
19.5.  − 5 +  2 + 10   × 14 =  − 5 + 2 + 10  × 14 =  − 10 + 10 + 10  × 14 = 0 × 14 = 0
      

 3  1  3 1 3
19.6.  −  ×  −1 −  =  −  × = −
 5   2   5  2 10

( −2 ) × 
1 2 1 2 2  4 10  12  22
20.1. +  = −2 × + ( −2 ) × = − +  −  = − + −  = −
3 5 3 5 3  5 15  15  15

1
20.2. − × 3 + 1 = −1 + 1 = 0
3

 3   1 2   3   1   3   2  3 2 3 10 13
20.3. − ×− −  = − ×−  + − ×−  = + = + =
 5   5 3   5   5   5   3  25 5 25 25 25

( −5 ) ×    3
1
20.4. × ( −3 )  − ( −3 ) = ( −5 ) ×  −  + 3 = 3 + 3 = 6
5   5

1 1 1  2
21.1. :2 = =  ≠  . Logo, a igualdade é falsa.
3 3×2 6  3

2
 2 1 2 2 2
21.2. − × = − e − 5 =− =− . Portanto, a igualdade é verdadeira.
 5 3 15 3 5×3 15

1

21.3. 3 = −1 . A igualdade é verdadeira.
3 3×3

1 7
3
21.4. 2 = 2 = 7 × 2 = 7 ( ≠ 3 ) . Logo, a igualdade é falsa.
1 1 2
2 2

( −2 ) ×  −  1 2  1
1 2 2 2
22.1. + 4  − × = −2 ×  −  + ( −2 ) × 4 − = + ( −8 ) − =
 3  3 5  3 15 3 15

10  120  2 112
= + − − =−
15  15  15 15

 1 3  1  3 1 5 5
22.2. −  : = −  : −  = × =
 4  −5  4   5  4 3 12

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 35
Propostas de resolução
1 2 3  1 2 3 2  5 1 6 5 6  20 
+ ×  − 2,5  + × + ×−  + + ( −1) + + − 
4 5 4  = 4 5 4 5  2  = 4 20 20 20  20 
22.3. = =
1 1 1 1
20 20 20 20
11 20

9 20
= 20 20 = − × = −9
1 20 1
20

 1  1  2   1   1  5   1   1
22.4.  − 5  :  −2 + 5 :  − 5   =  − 5  :  −2 + 5 ×  − 2   =  − 5  :  −2 − 2  =
             

 1  5   1  2 2
= − :−  = − ×−  =
 5   2   5   5  25

Exercícios, problemas e desafios complementares


Pág. 55

23.1. A Inês escreveu no quadro três quadrados perfeitos que são 25, 81 e 100. Logo, a Inês
pensou nos números 5, 9 e 10.

18 24
23.2. Como o Pedro escreveu o dobro dos números em que pensou que são =9, = 12 e
2 2
30
= 15 .
2

23.3. Por exemplo, se pensarmos em 5 e 6, temos:


2 × 52 + 2 × 62 = 2 × 25 + 2 × 36 = 50 + 72 = 122

( −2 )
3
24.1. 23 = 8 24.2. = −8

2
 1 1
24.3. −2 = −8
3
24.4. −  =
 5 25

3 3 4
 1 1  1  1 2 16
24.5.  ×  =  = 24.6.   =
 2 5   10  1000 5 625

( −2 )
2
−2 −2 2 4
24.7. 2
= =− 24.8. =
3 9 9 3 3

( −1)
30
24.9. =1

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 36
Propostas de resolução
2 3 2 3 2+3 5
 1  1  1  1  1  1
25.1. −  ×  = −  ×  =   = 
 2 3  2 2 2 2

2
 3 5  3 5  3
2 2 2
 3 
2

25.2. − 5  × 7  = − 5 × 7  = − 7  

ou  7  
           

2
 
32 3  2
3 9
2
  9 
2

25.3. =   = 3 ×  =    ou  −  
2   2  
2  2  

2 2 
3  3 
 

4−2
4
 5  5  5
2
 5
2
 5 
2

25.4. − 3  : − 3  = − 3  = −   ou   

       3   3  

6
  3 2   3 2×6  3 12
25.5.   = = 
  5    5  5
 

32 9
2 2
25.6.   = 
9 9

2 2
 1  1 1 1 16 9 7
26.1.   −  = − = − =
   
3 4 9 16 144 144 144

3
 3   3  
4 3 4 2
 3   3 
4 3 2 4 6
 3   9  × ×    3   3 
 − 10  ×  100   10   2     
 10    10    10  ×  10 
    =    10      =
26.2. = =
( 0,3 )
8 8 8 8
 3   3   3 
 10   10   10 
     
4+ 6 10
 3   3 
 10   10  10 − 8 2
     3   3  9
= 8
= 8
=  =  =
 3   3   10   10  100
 10   10 
   

6
3× 6 4
 3 3   1 
2
 3 1 8 
16
 3
18
 2 8 
16 18
 3  6 
16

26.3.  −   :  − 0,8  =  −  :  −  =  −  : −  = −  :−  =


 5    5   5  5 10   5  10 10   5   10 
18 16 18 −16 2
 3  3  3  3 9
= −  :−  = −  = −  =
 5  5  5  5 25

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 37
Propostas de resolução
2 × 103 × 0,5 × 105 2 × 0,5 × 103 × 105 1× 103 + 5 108
26.4. = = = 8 =1
(10 ) 102×4
4
2 108 10

27. A ideia é encontrar o menor fator inteiro, tal que possamos escrever o produto como uma
potência de expoente 2.

22 × 3 2 × 5 × 5 = 2 2 × 3 2 × 5 2 = ( 2 × 3 × 5 )
2

Obtemos, assim, um quadrado perfeito.


O número é 5.

Exercícios, problemas e desafios complementares


Pág. 56

28.1. De acordo com a sequência dada, pode concluir-se que a soma dos oito primeiros
números ímpares é dada por 82 = 64.
Reparemos que 1 + 3 + 5 + 7 + 9 + 11 + 13 + 15 = 64 .

28.2. Analogamente, a soma dos dez primeiros números ímpares é dada por 102 = 100.

28.3. A soma dos n primeiros números ímpares é obtido pelo quadrado de n, ou seja, por n2
(sendo n ∈ ℕ).

29.1. Dado um quadrado perfeito, n, existe um número q e o seu simétrico de q cujo quadrado é
n. Assim, −6 e 6 são os números cujo quadrado é 36.

( −6 ) = ( −6 ) × ( −6 ) = 36 e 62 = 6 × 6 = 36
2

29.2. Da mesma forma, 92 = 9 × 9 = 81 e ( −9 ) = ( −9 ) × ( −9 ) = 81 . Os números são −9 e 9.


2

152 = 15 × 15 = 225 e ( −15 ) = ( −15 ) × ( −15 ) = 225 . Os números são −15 e 15.
2
29.3.

30.1. 36 = 6 30.2. 81 = 9

1 1
30.3. 225 = 15 30.4. =
36 6

2
 1
4
 1  2   1
2
1 225 225 15
30.5.   =    =   = 30.6. 2,25 = = =
4  2   2 2 100 100 10

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 38
Propostas de resolução
3
 1 1 4 4 2 1
  = ; ( −2 ) = 16 ; − 5 = −25 ; −
4
31. 2
=− =− =− ;
 
2 8 36 36 6 3
3
 1 1
3
−512 = − 3 512 = −8 ; 3
2 = 2
 
3 3
4  1  1
<   < 3   < ( −2 )
4
Ordenando os valores, tem-se: −52 < 3 −512 < −
36  2  2

3
49 7  7  343
32. Determinemos = e   = .
25 5  5  125
343
O António pensou no número .
125

1 1× q q q q
33.1. = = = = 2 , sendo q ∈ ℚ +
q× q × q ( q) q ×q q
2
q q q×

q q× q q× q q× q
33.2. = = = = q , sendo q ∈ ℚ+
q× q ( q)
2
q q

33.3. ( q+ r )( )
q− r = q× q+ q× − r + r × q+ r × − r = ( ) ( )
( q) ( r)
2 2
= − q× r + q× r − =q−r

Sendo q e r ∈ ℚ + , então ( q − r ) ∈ ℚ .

Autoavaliação
Pág. 57

( −1) − ( −2 ) + ( −3 ) × ( −2 ) = 1 + 2 + 6 = 9
2
1.

Resposta: (D)

1 2 2

2.1. 7 = 7 = 7 = − 2 × 7  = − 2
2 2 7 5 7 5
−1 − −   5
7 7 7 7

1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 12 2 3 13
2.2. 2− + :2+ = 2− + + =2− + + =2− + = − + =
3 2 4 3 2×2 4 3 4 4 3 2 6 6 6 6

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 39
Propostas de resolução
3. Determinemos o comprimento do ado do quadrado, em centímetros.
625 = 25 . Logo, a medida do perímetro é dada por ( 4 × 25 ) cm = 100 cm

4. 3
125 = 5 . Portanto, a aresta do cubo com 125 cm3 mede 5 cm.

3
8 1 8 2 2 2 9 7
5. 3 − 2 × 36 : = 3 − 2 × 6 : 4 = − 12 : 4 = − 3 = − = −
27 1 27 3 3 3 3 3
4

6.1. 27 = 3 × 3 × 3 = 32 × 3 . Logo, 27 = 32 × 3 = 32 × 3 = 3 × 3 = 3 3

108 = 2 × 54 = 2 × 2 × 27 = 2 × 2 × 32 × 3 = 22 × 32 × 3 = ( 2 × 3 ) × 3 = 62 × 3
2
6.2.

Logo, 108 = 62 × 3 = 62 × 3 = 6 × 3 = 6 3

6.3. 27 − 108 = 3 3 − 6 3 = ( 3 − 6 ) 3 = −3 3

(5 ) ( )
m 2
7. 2
= 5m

( )
3
Portanto, para m = 3, tem-se 52 que é um cubo perfeito.

(5 )
2
m
é sempre um quadrado perfeito para qualquer número natural m.

Assim, o menos número natural é 3.

Matemática Dinâmica, 7.o ano – Parte 1


Capítulo 1 – Página 40