Você está na página 1de 29

OS CHAKRAS,

as Nadis e a Kundalini

Entenda como funciona o fluxo energético humano.

A diferença entre o sistema hindu e o de Leadbeater.

Dr. Élzio Ferreira de Souza

Fonte: Reportagem da Revista Caminhos Espiritual


- Editora Minuano nº1

Estabelecida a pluralidade dos corpos sutis de manifestação do espírito, verificamos que esses
corpos são dotados de centros de forças, com funções distintas, quer no que se refere à
transferência de energias ligada ao plano físico, quer no que se refere ao desenvolvimento
espiritual. eles são denominados de chakras (rodas). André Luiz denomina-os de centro de
força, centros perispíritos, centro vitais. Estudando-os psicologicamente, Jung afirmou tratar-
se de verdadeiros centros de consciência.
Leadbeater (1974) estuda os centros de força do duplo etérico, enquanto André Luiz refere-
se aos chakras do corpo astral. Hiroshi Motoyama, no Livro Teoria dos Chacras, também
opina no sentido de que algumas diferenças na percepção espiritual dos chacras
entre Leadbeater e Satyananda Sarawati devem ter ocorrido por terem percebidos corpos
sutis distintos. Ainda que toda a literatura clássica do hinduísmo refira-se aos chakras,
encontramos autores que lhe negam a realidade. Gopi Krishna por exemplo sustenta que em
sua fantástica experiência de despertamento da Kundalini não se deparou com os chakras. Mas
vamos ver o que diz Gopi Krishna por exemplo quando relata que viu brilhantes centros
nervosos que sustentam discos luminosos girando, discos luminosos nas junções nervosas ao
longo da espinha dorsal. Então quando ele diz que não encontrou os chakras quis dizer, da
forma descrita pelas escrituras hindus em que cada um deles é descrita de forma simbólica,
como contendo em seu interior formas geométrica (Yantra) simbólismos, letras em sancristo,
etc. Sivananda descreve que as letras existem nas pétalas de forma latente e podem se
manifestar numa concentração. Motoyama afirma que: "Em nossas experiencias, tem surgido
algumas vezes, letras sancristas sem que os videntes tenham conhecimento do assunto".
NADIS: Existem nos corpos espirituais, uma série de filamentos formando uma rede à
semelhança do sistema nervoso. Denominam-se Nadis (canais, vasos, veias, artérias e também
nervos); São condutoras de energia e existem aos milhares. Equivalem, no plano astral à rede
nervosa espalhada pelo organismo. Seu número no entanto é incerto porque nem as escrituras
hindus certificam um número exato. Porém alguns desses canais merecem destaque: Sushuma,
Idâ, Pingala, Gandhari, Hastajihv, Kuhu, Sarasvati, Pusha, Sankhini, Payaswini, Varuni,
Alambhusha, Vishvodhara, Yashavini.
Sushumna, Idâ, Pingala são as três NADIS mais importantes, Sushuma corre ao centro na
localização da coluna vertebral, enquanto que Idâ corre ao lado esquerdo e a Pingala ao lado
direito. Motoyama afirma que esses dois ultimos se erguem em linha reta ao lado do primeiro.
O livro clássico Shiva Svarodaya no sutra 34 faz referência a duas artérias que correm
enviesadas (serpenteando em zigue-zague). Grupos de videntes relatam o entrecruzamento das
nadis (ida e pingala), como mostra o simbolo do cadeceu do Deus mercúrio. Sushuma, Idâ e
Pingala são energias da Kundalini (Kundalî).
Motoyama diz ser os NADIS os mesmos meridianos da acupuntura chinesa. Já Richard
Gerber, ao contrário distingue entre NADIS e MERIDIANOS: "Os nadis são constituídos de
1
delgados filamentos de matéria energética sutil. Já os meridianos tem uma contra-parte física
no sistema de dutos meridianos".
PRANA E KUNDALINI - A energia que corre pelas NADIS é denominada de prana em sentido
amplo. A literatura Hindu costuma reconhecer cinco espécie de prana que são: Prana, samana,
apana, udana e vyana. Mas existe uma energia que corre por dentro de Sushumna, que estaria
ligada ao processo de evolução espiritual (de acordo com os Yoguis, pela Brama Nadi que se
encontra encapsulada por essa), essa energia é chamada de Kundalini.
FUNÇÕES DOS CHAKRAS - Os Chakras desempenham a função de condensadores de energia
e de transferidores de energia. Satyananda Saraswati destaca essa função dos chakras
ensinando a respeito: " Além de trabalhar como centros de controle, trabalham como centros
de permuta entre as dimensões físicas, astral e causal. É através dos chakras que as energias
sutis das dimensões Causais, astrais, podem ser transformadas para a dimensão física". -
Exemplo disso são os yoguis que se deixam enterrar vivo, no caso eles conservam suas vidas
através da ativação do chakra Laríngeo (Vishuddhi) que controla a fome e a sede. Os
chakras podem operar a conversão de energia física em energia sutil, bem como energia
mental dentro da dimensão física. Os chakras funcionam como centros de transferência e
conversão de energias entre duas dimensões vizinhas e como conversor de energia entre o
corpo físico e mente. A ativação e o despertar integral dos chakras permitiriam o conhecimento
e a entrada em dimensões mais altas, conferindo o poder para dar vida as mais baixas
dimensões. Essa conversão de energia é também destacada por Vivekananda.
O homem tende a lançar a energia sexual, originária da ação animal para o cérebro a fim de
armazená-la ali em forma de energia espiritual (Oja). Todo pensamento, se converte, toda
emoção se converge para a espiritualidade, por menor que seja esse é um principio primordial
da evolução, a energia circulante num ser tem um caminho que serve até para uma pessoa que
está em coma subir lentamente os degraus da sua escada evolutiva. Os chakras além de
centros energéticos são centros de consciência. O cérebro não é somente ele o centro da
consciência, pela filosofia yogui, existem mais dois centros cerebrais. Os chakras são
penetrados por energias sutis e cada um desses pontos torna-se sede da consciência, sede da
alma. Na visão psicológica de Carl Gustav Jung em seus Fundamentos de Psicologia Analítica,
Segundo Jung o centro da consciência sofreu alterações no decorrer do tempo na história da
humanidade, chamando atenção que ainda hoje índios Pueblos situam o coração como centro
da consciência. Na tribo Xhosa, África do Sul o indio Mongezi Tiso, fala: " Os brancos pensam
que o corpo todo é controlado pelo cérebro. Temos uma palavra: Umbelini (os intestinos), estes
é que controlam o corpo". Allan Kardec no Livros dos Espíritos na questão 146 fala o
seguinte:
146 - Tem a alma uma sede determinada no corpo, mais ou menos circunscrita?
"Não; contudo é costume dizer que ela se situa mais particularmente na cabeça em se tratando
dos grandes gênios e daqueles que usam intensivamente o pensamento, e no coração daqueles
que amam a humanidade dedicando-lhe abnegadamente todas as suas ações."
- Que se deve pensar da opinião daqueles que situam a alma num determinado centro
vital?
"Naturalmente, que o espírito se encontra de preferência na parte do organismo referida pelo
que assim pensa, um ponto ao qual dirige todas as suas sensações. Os que colocam naquilo
que consideram centro de vitalidade, confundem-na com fluído vital. Todavia. é lícito dizer que
a sede da alma se acha mais especificamente nos órgãos destinados às manifestações
intelectuais e morais."
Do mesmo modo que os plexos são formadas pela concentração da rede nervosa, os chakras ou
os centros de forças o são pela concentração das nadis . A Mundaka Upanishaddefine chakra como
local onde "as nadis se encontram como os raios num cubo cônico, como uma roda de
carruagem". Segundo Michel Coquet, os chakras maiores seriam o resultado da junção de 21
2
nadis, os médios de 14 nadis e os pequenos de 7 nadis. Para Michel a disposição das nadis
estariam relacionadas com as pétalas de cada chakra. Em geral costuma-se fazer referência a
sete chakras, mas não são únicos. Estes no entanto se destacam porque estão relacionados com o
desenvolvimento espiritual e cada um dele está relacionada com uma determinada glândula do
corpo físico. No entanto existem muitos outros, inclusive abaixo da coluna vertebral, como o
situado na planta dos pés (atala), no dorso dos pés (vitala), na articulação do pé com a perna
(nitala), no joelho (sutala), na parte inferior da coxa (mahatala), parte média da coxa (talatala) e
na parte superior da coxa (rasatala).

Além desses, temos que destacar os chakras mesentérico (esplênico ou baço), em geral
omitidos pela literatura Hindu. Esse chakra apesar de sua importância para a saúde e sistema
imunológico, não tem função especial com o sistema evolutivo espiritual, e não está ligado a
uma glândula, por isso omitido naquelas escrituras. Leadbeater refere-se a existência de um
segundo chakra na altura do coração abaixo do cardíaco. Aurobiando nega-o, dizendo que não
existem dois Lótus no local, mas reconhece que o centro é sede de dois poderes. Na frente, o
mais vital, mais alto ou ser emocional, atrás e escondido, o ser psíquico da alma.

Na literatura proveniente do mundo espiritual, o espírito White Eagle, guia espiritual da


famosa médium Grace Cooke, enumera sete chakras principais, incluindo o esplênico,
omitindo, porém, o centro básico como centro independente, indicando porém o sacro a quem
denomina de genial ou Kundalini. André Luiz segue o mesmo roteiro: não menciona o chakra
fundamental e inclui o esplênico, e ao frontal, denomina-o de cerebral. Não se segue disso que
esses espíritos neguem a existência do chakra básico; eles o devem encarar como o formando
um sistema juntamente com o genital que lhe fica logo encima. Esta ligação é tão profunda que
muitas vezes, indica o básico como responsável pelos impulsos sexuais, enquanto que os
impulsos do ódio, medo, ira e violência são relacionados ao genital. Satyananda
Sarawasti também relaciona o chakra básico com o sexo, considerando o genêsico como o "lar
do inconsciente".

Leadbeater ao descrever o chakra, compara-o ao pecíolo de uma flor que brotasse de um


pendúculo, de modo que a coluna vertebral assemelhar-se-ia a um talo central do qual as flores
com suas corolas brotassem. Descreveu Leadbeater, ainda, a existência de uma tela
etérica entre os chakras etéricos e os astrais correspondentes, com a função de evitar uma
"prematura comunicação entre os Planos" que poderia ser prejudicial, permitindo a influência de
entidades obsessoras.

Sentido circular dos Chakras: Shalila Sharamon e Bodo J. Baginski indicam diferentes
movimentos (Horário e anti-horários) para os chakras variando de acordo com o chakra e o
sexo.

Sharamon e Bajinski escreveram em seguida que "o movimento circular dessas rodas faz a
energia ser atraída para o interior dos chakras. quando a rotação é ao contrário a energia é
irradiada pelos chakras", o que parece desdizer a descriminação do movimento por sexo, pois
decorreria disso que existiriam sempre chakras atraindo energias e outros que a irradiariam
permanentemente. Essas diferenciações nunca foram notadas nas observações feitas. As vezes,
os chakra inicia uma rotação anti-horário e depois passa a girar no sentido horário. No entanto
recolhemos de Karangulla e Van Kunz a observação feita pela segunda, de que o chakra
sagrado é o único centro em que a direção do movimento é diferente no homem e na mulher: O
feminino movimenta-se em sentido anti-horário.

Cores dos Chakras: Muitos autores referem-se a cores fixas para cada um dos chakras. Nas
observações feitas pelo grupo, constatou-se que as cores variam, dependendo inclusive do
3
indivíduo que está sendo observado encarnado ou desencarnado. Por isso, as cores
apresentadas por aqueles não conferem entre si nem com as escrituras clássicas. Em geral os
autores limitam-se a repetir o número exato das pétalas (ou pás) dos chakras, conforme os
registros existentes na literatura hindu. A questão dos chakras é muito complexa e abrangente
e com certeza, o pesquisador que desejar se aprofundar no tema deverá pesquisar em várias
fontes, de diferentes doutrinas.

Sistema Leadbeater(Sistema incorreto) Sistema Hindu (Sistema Correto)

Fonte: Reportagem da Revista Caminhos Espiritual - Editora Minuano nº1


Diferenças na visão sobre os chakras. Parece haver muitas diferenças em que as propriedades
são atribuídas aos chakras por vários autores. Os nomes dos chakras diferem muito também.

4
Os nomes dos Chakras
O segundo chakra, aqui chamado de Chakra Sacral, é chamado às vezes de Chakra do Baço.
Esta prática parece originar no livro de C.W. Leadbeater The Chakras (que era o primeiro livro
para introduzir os chakras no oeste). Entretanto, Leadbeater é completamente explícito que o
chakra Sacral (o chakra indiano de Svadhisthana) é diferente do chakra do baço. Ele considera
que mesmo abrindo o chakra Sacral pode ser desastroso.
A descrição de Leadbeaters do chakra do baço carrega alguma semelhança às funções do baço
de Medicina Chinesa (que pertence ao meridiano do Baço). Supõe-se para tratar da energia
transportando durante todo o corpo. Não parece ter qualquer coisa na terra comum com o Baço
do medicina ocidental, que purifica o sangue, porém Leadbeater situa o Chakra do Baço no
baço.
Assim deve-se concluir que está incorreto chamar o Chakra Sacral de "Chakra do Baço".
As funções do terceiro chakra, o Chakra Umbigo, são relacionadas próxima às funções do
Fígado e Vesícula Biliar de Medicina Chinesa. É sobre fazer afirmações e decisões. Muitos povos
vieram a chamá-lo o Chakra Solar Plexus. A função do plexus solar, é distribuir sinais nervosos,
apenas não tem na que se possa fazer com as funções do Chakra Umbigo.
A posição deste chakra está não no plexus solar, mas também não no Umbigo. Está em algum
lugar dentro no meio, e não na parte dianteira do corpo, perto da espinha. Aqui o chakra
conhecido como Umbigo é preferido, porque é mais neutro do que o Chakra do Plexus Solar, e
não sugere uma função que não esteja neste chakra.
Pode ser que a pessoa goste do nome "O Chakra do Plexus Solar" como ele sugira a cor
associada para este chakra, sendo amarelo.

Funções dos Chakras - Particularmente o chakra da coroa parece ser sujeito a idealizar-se
por várias fontes. Supõe-se deixar somente na energia positiva, para ajudar a um que sabe o
desconhecido, e para trazer um, em um estado do bliss. Isto parece ignorar que pode haver
uns aspectos negativos sobre este chakra (Ex.: quando está em um estado excessivo).
O bliss não é realmente um estado, ele é uma reação emocional. Eu duvido que esse estado
será o resultado de apenas um chakra que está sendo aberto, é muito mais provável que um
estado equilibrado e aberto de todos os chakras resultaria nos sentimentos do bliss.

Localização dos Chakras - Há algumas diferenças onde cada chakra é supostamente para ser
localizado. As diferenças estão como níveis no corpo são supostas para ser e se estão na parte
dianteira ou na parte traseira do corpo.
Os chakras são frequentemente situados na parte dianteira do corpo, particularmente em
muitos retratos bonitos, porém só as vezes na espinha. Os autores que os situam na parte
dianteira, ou em algum outro lugar no corpo, frequentemente descrevem uma conexão com a
espinha. Quase todos parecem concordar que os chakras enganam na metade do corpo
(contudo há algumas exceções).
O primeiro Chakra, por muitos autores situado entre o ânus e as genitais. Mas há também
aqueles que o localizam ao final da espinha (Ex.: Leadbeater).
O segundo chakra é geralmente localizado no osso Sacral, perto das genitais. Como discutido
antes, alguns o confundem o Chakra do Baço (que não é o Sistema Indiano dos chakras) que é
situado no baço (a costela inferior à esquerda do meio).
A localização do terceiro chakra se difere com cada autor, ou pelo menos é o que parece.
Alguns localizam isso sobre metade da largura da mão abaixo do Chakra Umbigo, dentro do

5
corpo. Esté é o mesmo tópico de Dan Tien sobre Medicina chinesa e artes marciais, portanto
aqui parecem que estes centros de duas energias estão supostos para ser a mesma coisa.
Outros o localizam na parte de trás do corpo ligeiramente acima do Umbigo. Então muitos
pensam que está situado no Plexus Solar, que é justo sob o osso do peito, dois dedos acima do
Umbigo, na parte dianteira do corpo. E há também autores que situam o ponto do Chakra
Umbigo.
No site Kundalini Yoga, é proposto que há dois chakras aqui. O Chakra Sacral tendo as
propriedades clássicas, localizado abaixo do Umbigo, e o Chakra do Plexus Solar.
O Chakra do Coração é o mais considerado para ser localizado no centro da Caixa Toráxica;
contudo Leadbeater situa-o na frente do coração, à esquerda do meio.
Muitos autores concordam sobre a localização dos outros dois Chakras, o da Garganta e o
Terceiro Olho. O Chakra da Garganta é a base da garganta em si, e o Terceiro Olho entre as
sobrancelhas.
O Chakra da Coroa. É considerado por muitos para ser a ponto mais alto da cabeça, outros o
consideram para ser acima da cabeça, não no corpo em si.

O que fazer com estas diferenças?


A pergunta é se essas diferenças importam.
As diferenças em nomear parecem ser o menor dos problemas, embora estes pareçam
pertencer também à posições diferentes.
Contudo as diferenças nas localizações à primeira vista, não parecem ter tanta importância,
este não é o caso. Muitas técnicas para abrir os chakras dependem da concentração no ponto
onde o chakra é situado. Tanta concentração no ponto errado, faz as técnincas serem menos
efetivas. As posições são sabidas mais exatamente, o melhor.
Seria bom se fosse bem claro quais funções os chakras têm. Mas desafortunadamente há
algumas diferenças em opinião. Conhecimento como este tem que vir da observação das
pessoas ou de si mesmo e há muitos fatores perturbando.

Fonte: http://www.eclecticenergies.com/portugues/chakras/diferencas.php

6
Sistema Leadbeater (Sistema incorreto) Sistema Hindu (Sistema Correto)

7
Os 7 chakras – Guia completo para equilibrar o corpo e a mente

Toda a prática do yoga e muitas outras disciplinas semelhantes são baseadas nos sete
chakras, os centros de energia que afetam o cotidiano muito mais do que se pode
imaginar. De fato, um problema de saúde específico pode ser causado por um
desequilíbrio de um ou mais chakras e, trabalhando com as técnicas apropriadas, muitas
doenças podem ser resolvidas.

Mas o que são esses chakras, onde eles estão localizados, quais são suas características,
o que acontece quando estão em desequilíbrio? Essas são perguntas que um praticante
de yoga provavelmente irá fazer um dia e é muito importante conhecer as respostas.
Neste artigo, você terá uma visão geral do que são os chakras, quais são suas funções e
as principais características de cada um.

O que são os chakras

Os chakras são um conceito pertencente às tradições


indianas, como Yoga e Ayurveda, que, no entanto, deriva da tradição tântrica. Chakra é
uma palavra em sânscrito que significa roda, círculo ou até vórtice e são considerados
centros de energia que servem para absorver a energia vital (prana), distribuí-la no
indivíduo (no corpo, na mente e no espírito) e liberá-la para o exterior.

Às vezes, eles também são chamados Padma, que significa lótus; na verdade, cada um é
representado por uma flor de lótus com pétalas diferentes. Esses verdadeiros
turbilhões de energia agem como um elo entre a mente, o corpo e o espírito,
influenciando significativamente as emoções, o comportamento, o aprendizado,
a comunicação e muitos outros aspectos.

Esses centros podem ser abertos ou fechados. Se um chakra é equilibrado, a energia é


capaz de fluir livremente nessa área, mas se for fechado, a energia é incapaz de
circular. Quando um chakra é bloqueado podem surgir desequilíbrios que se manifestam
mental, física e emocionalmente ou de outras maneiras. Por esse motivo, é importante
que funcionem bem e que não haja desequilíbrios nesses centros.

8
Os chakras são sete e cada um está associado a um elemento. Eles são organizados ao
longo de uma hierarquia evolutiva das necessidades humanas, começando com o
instinto de sobrevivência e evoluindo em direção à transformação espiritual. Mas
ao longo da jornada, o ser humano encontrou outras necessidades, como procriação,
socialização, altruísmo, comunicação e intuição.

A história dos 7 chakras

Os chakras sempre foram ligados à história do yoga, e as primeiras citações desses


centros de energia podem ser encontradas nos Vedas, que são os escritos mais antigos da
tradição indiana. Esses manuscritos, por sua vez, derivam de uma tradição oral que foi
trazida para a Índia por uma tribo indo-européia que invadiu a Índia no segundo milênio
a.C.

Dizem que eles invadiram a Índia a bordo dos coqueiros e que o termo “chakra” se
referiria às rodas desses coqueiros. Depois dos Vedas, é possível encontrar referências
aos chakras nos Upanishads. Esses também são ensinamentos que foram transmitidos de
mestre a discípulo, quando foram então escritos. Mais tarde, encontramos referência aos
chakras no Yoga Sutras de Patanjali, um dos textos clássicos do yoga, que foi escrito por
volta de 200 a.C. Finalmente, graças à tradição tântrica, composta por muitos ramos
filosóficos, os chakras se tornaram um sistema integral real da filosofia do yoga que foi
transmitida oralmente, do mestre ao discípulo, quando foi escrito e chegou até nós.

Como os 7 chakras funcionam

Toda a fisiologia do yoga é baseada na existência de um


corpo energético que, por sua vez, contém os nadis e os chakras. A energia (prana) flui
pelo corpo através dos nadis, que são milhares e que podem ser comparados de alguma
forma aos meridianos da medicina chinesa.

Todos os nadis acabam na coluna vertebral, que é o canal de energia por excelência. Aqui
a energia flui através dos três principais nadis: ida, pingala e sushumna. Os chakras estão
na coluna e são centros onde a energia é armazenada e redistribuída. No nível físico, os
chakras correspondem a gânglios nervosos, onde existe um alto grau de atividade

9
nervosa, e glândulas do sistema endócrino. Como mencionado anteriormente, os chakras
também são chamados de “padma”, lótus, porque seu símbolo são flores de lótus e, assim
como as flores, possuem pétalas que podem ser abertas, fechadas ou em estado
intermediário. Os chakras governam não apenas aspectos físicos, mas também
emocionais e comportamentais, quando um chakra está desequilibrado, afeta
negativamente a vida da pessoa. Se um chakra estiver fechado ou bloqueado, ele é
incapaz de receber e retransmitir energia; enquanto, se estiver muito aberto, funciona
excessivamente. Também deve-se considerar que os chakras não funcionam como
entidades separadas, mas estão todos conectados; de fato, um desequilíbrio de um
chakra provavelmente também afetará os outros.

Alinhamento dos chakras - O Corpo e a mente são fortemente influenciados por sua
energia interior e pela energia dos outros. Esses centros de energia, chakras, determinam
como você se sente: Feliz e entusiasmado ou cansado e triste. Alinhar o chakra, para que
fiquem perfeitamente equilibrados e sintonizados, é importante para obter uma vida feliz
e tranquila.

Alinhar os chakras pode ajudar a alcançar o bem-estar - A meditação e o yoga


derivam do entendimento do fluxo de energia entre os principais chakras. A consciência
individual está espalhada por todos os sete chakras e alinhar todos eles traz um estado de
harmonia e bem-estar. Nesse sentido, alinhar seus chakras é como estar em um estado
de meditação o tempo todo, permitindo que alcance a calma sem esforço e tenha uma
vida rica em beleza e felicidade.

Alinhar os chakras pode ajudar no equilíbrio geral - Os chakras representam todo o


ser: físico, espiritual e emocional. Por esse motivo, eles fornecem os meios pelos
quais pode alcançar um equilíbrio geral em sua vida. Dedicando um pouco de tempo para
visualizar e apoiar ativamente cada um de seus chakras, você ajuda a melhorar cada área
de si mesmo. Dedicando alguns minutos todos os dias para focar sua consciência em cada
um dos sete chakras, você promove sutilmente, mas seguramente, os atributos que ele
representa.

Cores dos chakras - Certas cores estão ligadas a certas emoções e sentimentos. Com a
devida consciência, o uso das cores pode ser benéfico para influenciar o humor e
sentimentos, tornando a vida mais agradável para todos. Um outro aspecto que vale
ressaltar são as cores do arco-íris! Cada cor representa um chakra.

 Chakra da raiz : Vermelho  Chakra da garganta : Azul


 Sacral Chakra: Laranja  Third Eye Chakra: Índigo (Anil)
 Plexo Solar : Amarelo  Chakra da Coroa : Violeta
 Chakra do Coração : Verde
Pedras de cada chakras: Pedras ou cristais além de servirem como ótimos
amuletos, possuem a função de revigorar e equilibrar os chakras e estimular o
poder de auto-cura. Eles emitem vibrações e interagem por eletromagnetismo. Muitos
terapeutas holísticos, trabalham o alinhamento dos chakras pelo o uso de pedra ou
cristais. Uma dica quando for escolher o seu cristal é observar a sua cor!

10
1. Chakra da Terra: Rubi, Turmalina Vermelha, Granada Vermelha e Quartzo Vermelho.
2. Chakra da Água: Topázio Imperial, Pedra do Sol e Cornalina
3. Chakra do Fogo: Jaspe Amarelo, Topázio Amarelo e Âmbar
4. Chakra do Ar: Quartzo Verde, Esmeralda e Turmalina Verde
5. Chakra do Éter: Água Marinha, Turquesa, Quartzo Azul e Quartzo Lavanda
6. Chakra frontal: Safira, Sodalita, Quartzo Azul Intenso
7. Chakra coronário: Ametista, Lolita e Flurolita

Muladhara, chakra básico, o chakra da terra, primeiro


chakra

Primeiro chakra, chakra básico, onde fica - O primeiro chakra está localizado na base
da coluna, está associado à sobrevivência e sua cor é vermelha. As glândulas associadas
a este chakra são as supra-renais. O elemento desse chakra é a terra, que é o estado
mais condensado da matéria; na verdade, está conectada à parte sólida do corpo, como
ossos, músculos e intestino grosso (por onde passa a substância sólida).

Chakra basico bloqueado - Não curar este chakra e ignorá-lo significa não ter a base
para o crescimento e, sem o seu equilíbrio, se perde as raízes. Esse centro é responsável
pelo o enraizamento, tanto físico, responsável pela saúde das pernas, quanto figurativo,
porque se não está bem enraizados, corre o risco de viver nas nuvens.

Muitas pessoas que não sabem o que fazer na vida provavelmente têm esse chakra
perturbado e ainda não encontraram suas raízes.

Está relacionado ao medo que surge toda vez que há o sentimento de ameça ou quando a
sobrevivência é comprometida. O sentido associado é o olfato, porque é o sentido que
permite perceber o elemento terra. De fato, não tem como não sentir o cheiro da terra
durante uma caminhada no meio da natureza.

Se o chakra está muito fechado, sentimento de insegurança surge, medo de perder o que
tem, com pouca autoconfiança. Se aberto demais, corre o risco de ficar muito apegado a
bens materiais, com ciúmes e sem nenhum tipo de medo, podendo gerar grandes riscos.

9
Como ativar, equilibrar, e alinhar o chakra básico

Postura da montanha. O chakra raiz , ou muladhara, está localizado


na base da coluna vertebral. O chakra raiz canaliza a energia da terra para ajudar você a
sentir mais conectado, seguro e provido.

Postura da montanha, tadasana, é ótima postura para se conectar à energia da terra,


através dos quatro cantos dos pés, e convidar essa energia para cima, para nutrir todo o
corpo.

Resumo sobre o primeiro chakra, chakra da terra

 Onde é encontrado: períneo, cóccix, base da coluna vertebral


 Elemento: terra
 Função principal: sobrevivência
 Disfunções físicas: problemas nas pernas, artrite, ciática, obesidade, hemorroidas
 Glândulas supra-renais
 Cor: vermelho
 Sentido: Olfato
 Bija mantra: lam

Svadhisthana, chakra sacro,o chakra da água, chakra sexual,


segundo chakra

Posição do segundo chakra, chakra sacro: Svadisthana está localizado abaixo do


umbigo até a altura do sacro e elemento deste chakra é a água.

É a partir desse elemento que as características desse chakra derivam, pois estão
associadas ao movimento, mudança e fluxo. Se o primeiro chakra é responsável por

10
enraizar e formar uma base sólida, o segundo tem o objetivo de deixar fluir. Do ponto de
vista fisiológico, o segundo chakra regula todos os processos em que líquidos estão
envolvidos, como circulação sanguínea, produção e eliminação de urina, reprodução e
sexualidade. Já no comportamental, svadhisthana influencia o prazer, a sexualidade, as
emoções e até as sensações. A cor desse elemento é laranja e o sentido associado é o
sabor.

Desequilíbrio do chakra sacro

Se este chakra é muito aberto, pode causar uma busca exagerada de prazer, não apenas
prazer sexual. Se, por outro lado, esse centro é muito fechado, pode levar a dificuldades
na relação intima com o outro, ciúmes, medos, desamparo e até frigidez.

Como equilibrar e alinhar o chakra sacro, o segundo chakra

O Chakra Sacral , ou Svadisthana, está localizado na área pélvica. Este


chakra é o centro criativo, brincalhão e o lar da auto-expressão, emoções e prazer.

A postura do triângulo,Trikonasana, estimula os órgãos abdominais para promover a


energia a circular dentro do chakra sacral e ajuda a permanecer ancorado no momento
presente.

Resumo sobre o segundo chakra, chakra sexual

 Onde está: altura do sacro


 Elemento: água
 Função principal: procriação, genitais, prazer, desejo
 Disfunções físicas: rigidez na região lombar das costas, problemas nas costas,
disfunções do útero, problemas renais, frigidez e impotência
 Glândulas: testículos e ovários
 Cor: laranja
 Sentido: Paladar
 Bija mantra: vam

11
Manipura, o chakra do fogo, chakra do plexo solar, chakra
umbilical, o terceiro chakra

Posição do terceiro chakra, chakra umbilical

Manipura é o terceiro chakra, está localizado no plexo solar, na região do umbigo, e está
associado à vontade e força. A energia que está associada a esse centro, na verdade, é
responsável pelo metabolismo, tanto no nível macroscópico, que ocorre no sistema
digestivo, quanto no nível microscópico, que ocorre nas células individuais. As glândulas
associadas à manipura são o pâncreas e as supra-renais que são importantes para a
digestão e para o bom funcionamento de todos os órgãos envolvidos nesse importante
processo, como fígado, estômago e baço.

O elemento deste chakra é o fogo que traz luz, calor, energia e poder. Assim como esse
elemento transforma a matéria em luz e calor, o terceiro chakra transforma os dois
primeiros elementos mais estáticos e passivos em energia que tende a subir. O objetivo
deste chakra é a transformação através da força de vontade. É graças a essa qualidade
que qualquer pessoa pode se libertar dos padrões mentais, mudar, adotar novos hábitos e
avançar em direção a algo novo. A cor da manipura é amarela e o sentido relacionado a
ela é a visão.

Desequilíbrio do chakra umbilical

Se este chakra estiver fechado ou bloqueado, existem problemas físicos principalmente


nos sistemas digestivo e psíquico relacionados à falta de força de vontade, auto-estima,
autoconfiança e indecisão. Caso o manipura esteja muito ativo, tenta-se a todo custo
obter poder, tem excesso de autoconfiança, podendo desenvolver arrogância
e dificuldade em ouvir os outros.

Como ativar, equilibrar e alinhar o chakra do plexo solar, o terceiro chakra?

12
O chakra do plexo solar , ou manipura, conecta à energia solar para fornecer uma
sensação de força de vontade, determinação e um calor interno dentro da barriga. Como
o Plexo Solar está localizado próximo ao umbigo, a postura do barco, Navasana é uma
ótima postura de yoga para ajudar a ativar seu núcleo e o fogo interno.

Resumo sobre o terceiro chakra, chakra do plexo solar

 Onde está: no plexo solar


 Elemento: fogo
 Função principal: vontade, poder, segurança,
 Disfunções físicas: distúrbios digestivos, diabetes, úlceras
 Glândulas: pâncreas, supra-renais
 Cor: amarelo
 Sentido: visão
 Bija mantra: ram

Anahata, o chakra do coração, o chakra do ar, o chakra


cardíaco, o quarto chakra

Região do corpo que está localizado o chakra Anahata

Anahata está localizada no nível do coração, no centro do peito e é considerada o centro


de conexão entre os chakras inferiores, mais materiais e superiores, que são mais
espirituais.

Esse chakra é o que governa o amor, mas é diferente do segundo chakra. O amor deste
último é mais sensual, apaixonado e externo porque é voltado para uma pessoa,
enquanto o do quarto chakra é puro, inconsciente e vem de dentro. O elemento deste
chakra é o ar que representa leveza, liberdade e frescor. Os principais órgãos
relacionados a esse chakra são os pulmões e o coração; na verdade, se desequilibrados,
podem causar pressão, problemas cardíacos e respiratórios. Do ponto de vista
comportamental, no entanto, ele está envolvido no amor que é sentido pelos outros, mas
também por si mesmos. A glândula associada a este chakra é o timo e a cor é verde.

Desequilíbrio do chakra cardíaco

Se estiver bloqueado ou muito fechado, poderá levar a dificuldades em expressar amor,


em demonstrar afeto e em ter compaixão. Se, por outro lado, é muito aberto, você pode
experimentar um sofrimento exagerado pelos outros ou, por coisas que não o pertencem.

13
Como ativar, equilibrar e alinhar o chakra cardíaco, o quarto chakra

Um Chakra do Coração equilibrado , ou Anahata, permite


sentir compaixão, generosidade, respeito e conexão com os outros. O Chakra do Coração
é a porta de entrada para permitir que o amor entre em nossas vidas.

A postura da lua crescente, anjaneyasana, convida o espaço do coração a se abrir para


alinhar a energia do chakra do coração.

Resumo sobre o quarto chakra, chakra do coração

 Onde está: no nível do coração, no centro do peito


 Elemento: ar
 Função principal: amor e carinho
 Disfunções físicas: distúrbios cardíacos e pulmonares, problemas de pressão,
 Glândula: timo
 Cor: verde
 Sentido: Tato
 Bija mantra: yam

Visuddha, o chakra éter, o chakra laríngeo, o chakra


purificador, o quinto chakra

Visuddha em sânscrito significa purificação, é por isso que é considerado o chakra


purificador.

Quinto chakra, chakra laríngeo, onde fica: É também chamado de chakra da garganta
porque está localizado no pescoço e nos ombros. O elemento ligado a este centro de
energia é o éter, o espaço. É o mais fino dos elementos e só podemos perceber sua
manifestação que ocorre através das vibrações. Por essa razão, o sentido associado a este
chakra é a audição graças ao qual percebemos o éter que vibra.

14
Este chakra também está associado à comunicação, à maneira de se expressar e à
criatividade. A comunicação vai além dos estados físicos da matéria e é possível graças ao
éter, espaço e vibrações.

As glândulas associadas a este chakra são a tireóide e a paratireóide, portanto, estão


envolvidas em todos os processos regulados por essa glândula, como a regulação do
cálcio, peso corporal, humor, preguiça, apetite, cansaço e sono.

Visuddha também está envolvido na saúde da garganta, pescoço e audição. A cor


associada a este chakra é azul.

Desequilíbrio do quinto chakra, chakra da garganta

Se esse chakra é bloqueado ou funciona menos do que deveria, surgem problemas de se


expressar e comunicar. As pessoas tendem a não nos ouvir, a timidez toma conta, surge
o medo de dizer a própria opinião e também não há criatividade. Se, por outro lado, sua
atividade é excessiva, a falar torna-se excessiva, sem perceber o que é dito.

Gargantas doloridas frequentes são um sinal de que pode haver um desequilíbrio neste
chakra.

Como ativar, equilibrar e alinhar o chakra laríngeo, o quinto chakra

O chakra da garganta , ou vishuddha, é a energia que ajuda a falar e comunicar


autenticamente com nós mesmos e com os outros.

O chakra da garganta pode ter um grande impacto na originalidade, e na confiança para


falar em público. Entoar mantras é uma bela prática para abrir o Chakra da Garganta e
ajudar a manter a energia alinhada.

Resumo sobre o quinto chakra, chakra do éter

 Onde está: na garganta


 Elemento: éter, espaço
 Função principal: criatividade e comunicação
 Disfunções físicas: dores de garganta frequentes, distúrbios da tireóide, problemas
auditivos e pescoço frequentemente dolorido
 Glândulas: tireóide, paratireóide
 Cor: azul claro
 Sentido: audição
 Bija mantra: ham

15
Ajna, o chakra da luz, o chakra frontal, o chakra do terceiro
olho, o sexto chakra

O nome ajna em sânscrito significa comandar, perceber, portanto, este é o chakra da


percepção que por sua vez também comanda.

Esse chakra é conhecido como o chakra de comando. Através dele é possível perceber o
mundo externo e refletir em imagens internas, para a própria realidade.

Localização do sexto chakra, o chakra do terceiro olho

Ele está localizado no centro da cabeça, atrás da testa, e o elemento associado a este
chakra é a luz através da qual enxerga o mundo exterior.

É também chamado de chakra do terceiro olho e refere-se ao olho da percepção


que permite ver além da realidade simples.

O ajna chakra está relacionado à glândula pineal, também chamada epífise, localizada no
centro da cabeça.

É uma glândula muito pequena, mas também muito importante, porque produz
melatonina, um hormônio essencial para a saúde que regula principalmente o sono e a
vigília, mas que também está envolvido no crescimento, no sistema imunológico e no
controle do estresse.

Desequilibrio do sexto chakra, o chakra do terceiro olho

Se esse chakra está desequilibrado, é difícil confiar na intuição, a imaginação não é usada
e tende a fazer escolhas que muitas vezes acabam erradas apenas por não ouvir a
intuição.

Como ativar, equilibrar e alinhar o chakra do terceiro olho, o sexto chakra

16
O Chakra do Terceiro Olho , ou Ajna Chakra, está situado no ponto da testa e é conhecido
como “olho que tudo vê”, bem como o ponto da intuição e autorreflexão. Serve como
orientação interior.

A postura dos golfinhos, ardha pincha mayurasana, aumenta a circulação no rosto e no


cérebro, o que, por sua vez, estimula o chakra do terceiro olho.

Resumo sobre o sexto chakra, chakra do terceiro olho

 Onde fica: centro da cabeça


 Elemento: luz
 Função principal: visão, intuição
 Disfunções físicas: problemas de visão, dores de cabeça, problemas de sono
 Glândulas: pineal (epífise)
 Cor: índigo
 Sentido: visão
 Bija mantra: om

Sahasrara, o chakra da coroa, o chakra coronário, o sétimo


chakra

Sahasrara em sânscrito significa milefólio, refere-se às mil pétalas da flor de lótus que
simbolizam esse chakra.

Posição do sétimo chakra, o chakra coronário

Está localizado no topo da cabeça e sua função é espiritual. De acordo com o yoga, é
graças a este centro de energia que a iluminação ocorre. O elemento deste chakra é o
pensamento que representa a manifestação de tudo ao nosso redor e a função do
sahasrara é o conhecimento.

Do ponto de vista fisiológico, no entanto, o chakra da coroa está ligado à glândula


pituitária. Essa glândula endócrina está localizada na base do crânio e é muito importante
porque regula o funcionamento de todas as outras glândulas; portanto, se desequilibrada,
haverá uma série de distúrbios no metabolismo, crescimento, equilíbrio hormonal,
reprodução e muitos outros.

17
Como ativar, equilibrar e alinhar o chakra coronário, o sexto chakra

O chakra da coroa , ou sahasrara, é o chakra mais alto e


varia dos outros chakras porque não é uma “roda” ou ponto de passagem das energias,
mas uma abertura. A postura do sirsasana convida à concentração, paz e equilíbrio –
perfeito para alinhar seu chakra da coroa.

Desequilíbrio do sétimo chakra, chakra coronário

Se esse chakra estiver desequilibrado, surge sentimento de solidão, perda de conexão


espiritual e tendência a ser cético.

Resumo do sétimo chakra, o chakra coronário

 Onde está: topo da cabeça


 Elemento: pensamento
 Função principal: compreensão
 Disfunções físicas: dificuldades de aprendizagem, confusão, depressão
 Glândulas: hipófise
 Cor: violeta
 Bija mantra: ah

Conclusão

Agora você já sabe que os chakras são verdadeiros centros de energia e que essa energia
deve circular entre todos eles, pelo corpo. Como dito acima, o funcionamento correto
deles é muito importante para ser saudável, mas se um ou mais desses centros estiver
em desequilíbrio, você poderá enfrentar desordens físicas, emocionais e até
comportamentais.

Por meio das práticas do yoga, no entanto, você pode fazer posturas, meditar, usar
mantras ou mudras para reequilibrar esses centros e melhorar sua vida.

https://yogateria.com.br/os-7-chakras/

18
CHAKRAS REVELAM QUAL ÁREA DA SUA VIDA PRECISA DE ATENÇÃO

Desarmonia em pontos energéticos do corpo reflete o que você está fazendo de


errado

Somos todos feitos de energia. Estudos milenares, hoje em dia comprovados pela
ciência (vide livro Teoria dos Chakras, de Hiroshi Motoyama – Editora Pensamento),
mostram que todo ser tem diversos pontos energéticos em seu corpo, que “comandam”
determinadas partes de nós, trazendo harmonia quando equilibrados, ou desarmonia
quando não estão fluindo da maneira adequada.
Esses pontos são chamados de Chakras e, para facilitar ainda mais o entendimento,
foram selecionados os 7 pontos mais importantes para serem estudados, já que eles
regem as questões principais de nosso corpo.
Os 7 Chakras principais do ser humano estão conectados com tudo o que
acontece conosco interna e externamente.

Eles estão localizados ao longo de nossa espinha dorsal, desde o cóccix até o topo da
cabeça, tendo uma forma energética circular que influencia os órgãos e os sistemas de
cada região. A intenção principal deste artigo é trazer o entendimento de como funciona
cada um deles e como podemos equilibrá-los para levar uma vida mais plena.

QUAL ÁREA DA SUA VIDA ESTÁ PREJUDICADA?

Cada Chakra possui uma função, uma cor e uma localização. Entender essa base nos trará
clareza para saber qual área de nossa vida precisa de atenção, já que a desarmonia de
um Chakra é reflexo do que estamos fazendo de errado dentro ou fora de nós.

E isso tem a ver com nossos pensamentos, nossas ações, nossos resultados pessoais ou
profissionais, nossos relacionamentos, nossa forma de enxergar e contribuir com o mundo
e qualquer outra função que tenhamos em nossa existência.

Os Chakras se desequilibram com os excessos. Se fazemos algo demais ou de menos em


nossas vidas, um Chakra vai ser prejudicado. Chamamos isso de energias Yin e Yang,
sendo que o Yin é a energia do recesso, do descanso e da não-ação; e o Yang é a energia
do excesso, da atividade e da ação. Essa é uma das bases de todos os treinamentos que
fazemos na Pandora – Evolução Consciente. Para facilitar o entendimento, colocamos

18
abaixo as informações principais de cada Chakra, junto com dicas simples para aplicarmos
em nosso cotidiano e termos resultados efetivos para melhorar a nossa vida.

Acompanhe!

1º – O CHAKRA DE BASE

O primeiro Chakra (Chakra Base ou Raiz), situado na base da espinha dorsal, é


responsável pela energização geral do organismo.

 É o Chakra que nos conecta à terra. Ao mundano. À nossa sobrevivência.


 E, por isso, é o Chakra Básico. Controla também o sistema gênito-urinário e nossos
impulsos mais externos, como fome, sono, vícios e aspectos ligados à saúde.

Portanto, se temos um desequilíbrio em alguma dessas áreas, esse é o Chakra que temos
de ficar atentos.

DESEQUILÍBRIO DO CHAKRA: Se estivermos dormindo demais ou de menos, comendo


muito ou pouco, com vícios exagerados de qualquer tipo, isso fará com que esse Chakra
fique em uma frequência alterada, podendo nos causar problemas como doenças de
saúde (gripe, febre, etc.), medo compulsivo, raiva, entre outros sentimentos instintivos
negativos.

COMO EQUILIBRÁ-LO? O equilíbrio desse Chakra vem de atitudes de simplificação e


moderação. Temos a tendência de complexar demais nossa maneira de agir e pensar,
fazendo com que sempre estejamos ansiosos ou nervosos com as hipóteses do que pode
acontecer com nossa vida.

19
Algumas práticas podem ajudar a melhorar esses aspectos:

1. Dormir ou acordar mais cedo


2. Mastigar mais vezes cada garfada no alimento
3. Beber mais água

Esses são passos iniciais para mantermos a atenção nesse Chakra, mas procure sempre
estar atento(a) a qualquer alteração que você tenha em um dos pontos que falamos
anteriormente.

2º – O CHAKRA DO BAÇO

O segundo Chakra (Chakra Esplênico, Sacro ou do Baço), relaciona-se com o poder


criador da energia sexual.

 Quando esse Chakra está enfraquecido, indica distúrbios da sexualidade ou


disfunções endócrinas.
 Quando muito energizado, indica excesso de hormônios e sexualidade exacerbada.
 Ele também é o Chakra que controla nossos prazeres, muito conectado ao desejo e
ao vício. Portanto, é importante observarmos quais são os nossos desejos mais
profundos e por que estamos desejando tanto algumas coisas em nossas vidas.

DESEQUILÍBRIO DO CHAKRA: Se estivermos sempre baseando nossa felicidade em


prazeres momentâneos, esse Chakra poderá nos trazer distúrbios fortes de vícios ou de
sofrimento por não ter o que queremos, gerando tristeza, apatia, depressão ou até
ansiedade por não satisfazermos nossos pequenos desejos do dia a dia.

COMO EQUILIBRÁ-LO? O equilíbrio desse Chakra vem de atitudes de moderação e


ponderação. Temos a tendência de buscar fora de nós o amor, a felicidade, a paz e
qualquer outro benefício para nossas vidas. Algumas práticas podem ajudar a melhorar
esses aspectos:

20
1. Ler um livro por prazer
2. Cortar um vício (álcool, cigarro, jogos, redes sociais, etc.)
3. Controlar alimentação e quantidade de quanto come por dia

Essas são algumas atitudes que nos ajudam a moderar nossos prazeres, para que não
busquemos prazer demais ou de menos.

3º – O CHAKRA DO PLEXO SOLAR

O terceiro Chakra localiza-se na região do umbigo ou do plexo solar e está


relacionado com as emoções.

 Quando muito energizado, indica que a pessoa é voltada para as emoções e os


prazeres imediatos.
 Quando fraco, sugere carência energética, baixo magnetismo, suscetibilidade
emocional e possibilidade de doenças crônicas.
 Acredita-se que este seja o ponto no qual a energia divina circula para dentro e
para fora do corpo.
 Ele também é o Chakra que controla nossas atividades, muito conectado a qualquer
tipo de movimento que fazemos, seja pessoal ou profissional.

Portanto, é importante observarmos se nossas atividades estão realmente alinhadas com


o que queremos para nossas vidas e quais os passos para equilibrá-las.

DESEQUILÍBRIO DO CHAKRA: Se estivermos trabalhando demais ou de menos, ou


então sempre com muitas ou poucas atividades cotidianas, esse Chakra estará
desequilibrado e pode gerar doenças mais severas, como surtos de pânico, ansiedade,
fobias e outros males conectados com o excesso.

COMO EQUILIBRÁ-LO? O equilíbrio desse Chakra vem de atitudes de ponderação e


equilíbrio. Temos a tendência de sempre fazer muitas atividades em dias úteis e

21
compensar isso nos finais de semana, seja fazendo pouca atividade ou continuar fazendo
em excesso. Algumas práticas podem ajudar a melhorar esses aspectos:

1. Organizar tempos para atividades e descansos


2. Colocar limites de horário para responder e-mails ou redes sociais
3. Gerar mais atividades que estejam conectadas ao que você realmente gosta de fazer

Essas são algumas atividades que podem equilibrar seu terceiro Chakra, sempre com a
intenção de ponderar aquilo que é necessário e desnecessário para seu dia a dia.

4º – O CHAKRA DO CORAÇÃO

O quarto Chakra relaciona-se principalmente com o timo e o coração. Sua energia


corresponde ao amor e à devoção.

 Quando ativado, desenvolve todo o potencial para o amor altruísta.


 Os sentimentos humanos egoístas desaparecem e nasce em si uma canalização do
caminho para a consciência.
 Quando enfraquecido, indica a necessidade de se libertar do ego e se dedicar ao
próximo. No aspecto físico, também pode indicar doenças cardíacas.
 Ele também é o Chakra que controla nossos relacionamentos, sejam eles amorosos,
pessoais ou profissionais.

Portanto, é importante observarmos como estão nossas relações e perceber se os


contextos delas são hoje destrutivos ou construtivos para nós.

DESEQUILÍBRIO DO CHAKRA: Se estivermos sempre em conflitos pessoais e


profissionais, sejam eles internos (com nós mesmos) ou externos (com outras pessoas),
esse Chakra pode ser afetado e nos causar um excesso de orgulho, ódio e inveja, fazendo
com que o foco de nossos relacionamentos seja sempre negativo e nos gere
consequentemente um mal constante.

22
COMO EQUILIBRÁ-LO? O equilíbrio desse Chakra vem de atitudes de equilíbrio e
compaixão. Temos a tendência de focar em problemas e gerar conflitos em relações,
achando que nossos pontos de vista estão sempre mais certos do que dos outros.

Algumas práticas podem ajudar a melhorar esses aspectos:

1. Elogiar uma pessoa diferente por dia


2. Fazer ações e atividades junto com outras pessoas que você goste
3. Dar mais presentes ou demonstrações de carinho para pessoas próximas

Essas são algumas práticas que podem harmonizar nossos relacionamentos, mas a
intenção principal deste Chakra tem de ser a constante compaixão por todos os seres.

5º – O CHAKRA DA GARGANTA

O quinto Chakra está ligado à tireoide e aos órgãos respiratórios.

 Relaciona-se com a capacidade de percepção mais sutil, com a expressão e com a


voz.
 Quando desenvolvido, indica força de caráter, grande capacidade mental e
discernimento.
 Em caso contrário, pode indicar doenças tireoidianas e fraquezas de diversas
funções físicas, psíquicas ou mentais.
 Ele também é o Chakra que controla nossa autenticidade e comunicação, seja a
conexão que temos com a nossa verdade ou a forma de falarmos e nos mostrarmos
para o mundo.

Portanto, é importante observarmos se estamos realmente sendo quem queremos ser, e


falando como queremos com outras pessoas.

23
DESEQUILÍBRIO DO CHAKRA: Se estivermos constantemente contando mentira para os
outros ou para nós mesmos, esse Chakra gerará um desequilíbrio em nossa felicidade,
podendo gerar grandes frustrações por não estarmos aplicando na prática o que
acreditamos e fazer com que tenhamos, inclusive, problemas de comunicação, voz e
garganta.

COMO EQUILIBRÁ-LO? O equilíbrio desse Chakra vem de atitudes de compaixão e


clareza. Temos a tendência de sempre estar criando ilusões e pequenas mentiras, que nos
tiram do foco de quem realmente somos. Alguns autodesafios podem ajudar a melhorar
esses aspectos:

1. Cortar fofocas, lisonjas ou “puxa-saquismos”


2. Mandar mensagens de voz nas redes sociais ou ligar para as pessoas para se
comunicar
3. Cortar palavrões ou palavras negativas que você fala constantemente

Essas são algumas práticas que podem melhorar nossa maneira de atingir o mundo com
nossa comunicação, fazendo com que geremos mais harmonia para nós e para os outros.

6º – O CHAKRA DO TERCEIRO OLHO

O sexto Chakra situa-se no ponto entre as sobrancelhas.

 Conhecido como “terceiro olho” na tradição hindu, está ligado à capacidade intuitiva
e à percepção sutil.
 Quando bem desenvolvido, pode indicar uma sensibilidade de alto grau.
 Enfraquecido, aponta para um certo primitivismo de pensamentos ou, no aspecto
físico, para tumoração craniana.
 Ele também é o Chakra que controla nossa compreensão, seja ela externa ou
interna, conectado à maneira como vemos a vida.

Portanto, é importante observarmos se estamos compreendendo o que está acontecendo


em nossas vidas.

24
DESEQUILÍBRIO DO CHAKRA: Se estivermos constantemente indignados com o que
acontece conosco, ou então sempre criando conflitos mentais desnecessários, esse Chakra
pode causar severos distúrbios psicológicos, como insanidade, esquizofrenia ou qualquer
outra doença mental grave.

COMO EQUILIBRÁ-LO? O equilíbrio desse Chakra vem de atitudes de clareza e


consciência. Temos a tendência de sempre pensar em problemas ou criar hipóteses
negativas sobre nossa vida e a vida dos outros. Alguns autodesafios podem ajudar a
melhorar esses aspectos:

1. Mudar pensamentos negativos por positivos


2. Estudar um caminho espiritual (o que for do seu gosto e preferência
3. Refletir sobre sua própria missão de vida e aplicá-la em sua vida

Essas são algumas intenções de melhoria de nossos pensamentos, para gerarmos mais
consciência para nossa vida. O princípio básico é trocarmos as intenções negativas por
positivas.

7º CHAKRA – O CHAKRA DA COROA

O sétimo Chakra situa-se no alto da cabeça e relaciona-se com o padrão


energético global da pessoa.

 Conhecido como Chakra da Coroa, é representado na tradição indiana por uma flor-
de-lótus de mil pétalas na cor violeta.
 Através dele recebemos a luz divina.
 A tradição de coroar os reis fundamenta-se no princípio da estimulação deste
Chakra, de modo a dinamizar a capacidade espiritual e a consciência superior do
ser humano.
 Ele também é o Chakra que controla nossa conexão superior, seja ela com nós
mesmos ou com um ser Divino maior.

25
Portanto, é importante observarmos se estamos conectados a uma fonte maior em nossas
vidas, ou se estamos apenas vivendo um dia após o outro, sem conexão alguma com um
propósito.

DESEQUILÍBRIO DO CHAKRA: Se estivermos constantemente desconectados de nosso


ser ou de um ser superior, este Chakra poderá causar uma falta de propósito muito
grande, fazendo com que percamos o sentido da vida, o que causa problemas ainda
maiores de violência interna e externa.

COMO EQUILIBRÁ-LO? O equilíbrio desse Chakra vem de atitudes de consciência e


conexão. Temos a tendência de sempre estar somente conectados com o externo e aquilo
que fazemos na prática. Alguns autodesafios podem ajudar a melhorar esses aspectos:

1. Meditar ou orar ao Divino


2. Fazer um serviço de caridade presencial sem divulgar (apenas pela real ajuda
altruísta)
3. Contemplar situações desafiadoras na vida e pontuar quais os aprendizados profundos
em cada uma delas

Essas são algumas intenções de conexão conosco e com o Divino. O principal deste
Chakra é criarmos a percepção de que temos de estar cada vez mais conectados com o
aqui e agora.

O propósito deste texto era o de gerar uma consciência ainda maior de que somos
autores de nossas próprias vidas, destinos e caminhos – e que podemos mudar o foco de
tudo isso para o positivo assim que quisermos.

Basta colocar em prática pequenas mudanças de atitude, pequenos autodesafios, para


que possamos trabalhar em nossas vidas uma constância de paz e harmonia em todos os
aspectos.

Agradeço sua intenção amorosa de melhorar e espero ajudar sempre que possível.

Boas práticas!

CURSO DE CHAKRAS

Se você ficou curioso(a) em como se aprofundar e trabalhar ainda mais os Chakras,


convido você a conhecer um curso inteiramente online sobre a Teoria dos Chakras,
que pode mudar a sua percepção sobre a vida e gerar mais aprendizado para que você
tenha cada dia mais equilíbrio.

https://www.personare.com.br/chakras-revelam-qual-area-da-sua-vida-precisa-de-
atencao-m7817

26