Você está na página 1de 7

2º TESTE DE

Agrupamento de Escolas Agualva, Mira Sintra AVALIAÇÃO


ESCOLA SECUNDÁRIA MATIAS AIRES 3 º Ciclo - 7º Ano
Português
Ano Letivo 2013 / 2014  2 de dezembro de 2013
7º ano Duração: 85 minutos

 Lê atentamente todo o teste antes de o resolveres.


 Todas as questõ es devem ser respondidas a folha de respostas (folha de teste da escola), com uma caneta
azul ou preta. As questões cuja resposta forem escritas a lápis não serão alvo de correção.
 Nã o é permitido o uso de corretor. Sempre que precisares de alterar ou de anular uma resposta, risca, de
forma clara, o que pretendes que fique sem efeito.
 Para cada item, apresenta apenas uma resposta. Se apresentares mais do que uma resposta a um mesmo item,
só a primeira será classificada.
 Nã o é permitido o uso de dicioná rio.
Lê o texto. Em caso de necessidade, consulta o vocabulário apresentado após o texto. De
seguida, responde aos itens que se lhe seguem, de acordo com as orientações que te são
dadas.
Texto A

Livros à Solta
Os adeptos do bookcrossing querem transformar o mundo. E gostam tanto de livros
que são capazes de os libertar para que outros os recolham, leiam e voltem a soltar. É o
prazer partilhado da leitura.
Se encontrar um livro à solta, recolha-o. No interior, poderá ler: «Nã o estou perdido. Sou
um livro e vim parar à s tuas mã os para que me leias e me passes a outro leitor». É este o espírito
do Bookcrossing, movimento que surgiu nos EUA, em 2001, e que rapidamente cativou adeptos
em todo o mundo.
Como funciona? Deixa-se um livro num espaço pú blico, para que seja encontrado por
outros, que continuarã o a cadeia de leitura. Os livros estã o identificados com uma etiqueta, que
regista o seu percurso, e a lista de livros à solta encontra-se disponível em
www.bookcrossing.com.
«É uma emoçã o receber uma mensagem de correio eletró nico com notícias de um livro
libertado na rua, saber que encontrou novos leitores e que fez alguém feliz», diz Teresa
Laranjeiro, responsá vel pelo sítio de apoio português. Bibliotecá ria em Lisboa e leitora
compulsiva, descobriu o movimento há quatro anos. O primeiro adepto luso deste movimento
foi registado em 2001, e Portugal é hoje o décimo país com mais membros, ultrapassando 10 mil
inscriçõ es – os EUA lideram o ranking1, com mais de 287 mil participantes.
Comunidade de apaixonados pela leitura, com a ambiçã o de tornar o mundo numa
biblioteca gigante, o Bookcrossing rege-se por três prá ticas: ler um livro; registá -lo, atribuindo-
lhe um nú mero de identificaçã o e colando-lhe uma etiqueta; libertá -lo, para que seja encontrado
por outra pessoa.
Por todo o mundo, existem locais estabelecidos pelos adeptos para libertar e encontrar
livros. Em Portugal, estã o registados 47, de Viana do Castelo a Faro, da Madeira a Coimbra.
Normalmente, os livros sã o encontrados, mas apenas 10 a 20 por cento recebem
comentá rios indicando o seu caminho.
Teresa Violante, Gingko, 7 de outubro de 2008 (texto adaptado)

VOCABULÁRIO
1
ranking — tabela classificativa.

1. Associa cada elemento da COLUNA A ao ú nico elemento da COLUNA B que lhe corresponde, de
acordo com o sentido do texto. Escreve as letras e os nú meros correspondentes. Utiliza cada letra
e cada nú mero apenas uma vez.

COLUNA A COLUNA B

(a) O Bookcrossing é um movimento que tem (1)«ler», «identificar» e «colar».


como principal objetivo

(2)percurso que fizeram.


(b) O movimento nasceu nos EUA, em 2001,
mas conquistou
(3) a maior comunidade de adeptos deste
movimento no mundo.
(c) Portugal é um dos dez países do mundo
com
(4) a partilha de livros.

(d) Os EUA detêm


(5)mais praticantes de Bookcrossing.

(e) As três prá ticas que regem este movimento


podem resumir-se em três verbos: (6)a recolha de livros.

(f) Os livros sã o quase sempre encontrados, (7)comentá rio que cada leitor fez.
embora poucos contenham informaçõ es
relativamente ao (8) adeptos um pouco por todo o mundo.

(9)menos praticantes de Bookcrossing.

(10) «ler», «identificar» e «partilhar».

2. Seleciona, para responderes a cada item (2.1. a 2.4.), a ú nica opçã o que permite obter uma
afirmaçã o adequada ao sentido do texto.

Escreve o nú mero do item e a letra que identifica a opçã o escolhida.

2.1. A afirmaçã o que melhor resume o espírito do Bookcrossing é

(a) se um livro é caro, nã o o devemos perder de vista.

(b) se gostamos de livros, nã o os devemos estragar.

(c) se um livro nos cativa, nã o o devemos guardar só para nó s.

(d) se queremos uma biblioteca, nã o devemos emprestar livros.

2.2. Na expressã o «por outros» (linha 9), a palavra «outros» deve ser entendida como
(a) outros espaços. (c) outros percursos.

(b) outros livros. (d) outros leitores.

2.3. Teresa Laranjeiro é apresentada como «leitora compulsiva» (linhas 14-15), o que
significa que se trata de alguém que

(a) obriga as outras pessoas a lerem. (c) sente sempre necessidade de ler.

(b) lê apenas em certas ocasiõ es. (d) lê somente por obrigaçã o.

2.4. Na expressã o «estã o registados 47» (linha 23), o nú mero representa a quantidade de

(a) lugares destinados a deixar e a recolher livros.

(b) adeptos portugueses do Bookcrossing.

(c) livros encontrados pelos adeptos do movimento.

(d) países onde se pratica o Bookcrossing.


Lê, com atenção, o texto B:

Texto B
Responde, de forma clara, organizada e completa, às questões que se seguem. Utiliza as
tuas próprias palavras, salvo indicação contrária.

1. Este texto jornalístico apresenta características específicas.


1.1. Como se denomina?
1.2. Como se designam os seus intervenientes?

2. Mia Rosa é o nome artístico da entrevistada.


2.1. Indica o seu nome verdadeiro.
2.2. Aponta as razõ es que terã o levado Mia Rose a optar por usar este nome artístico.

3. Indica o assunto que motivou a entrevista a Mia Rose.

4. “ Temos de trabalhar para que a sorte venha ter connosco.”


4.1. Esclarece o sentido desta afirmaçã o de Mia Rose.
4.2. Apresenta a tua opiniã o sobre a afirmaçã o transcrita.

5. Identifica as causas apontadas por Mia Rose para justificar o seu sucesso.

6. Explica como Mia Rose mantém contacto com os seus fã s.

7. Quando sobe ao palco, Ma Rose sente “umas borboletas no estô mago.”


7.1. Esclarece o sentido desta expressã o.

8. Relaciona o título com o tema da entrevista.

Grupo II
1. Identifica a classe, subclasse, género, número e grau das seguintes palavras:
a) realidade c) dueto e) Visã o
b) cantora d) virtual f) portuguesa

2. Escreve o nome coletivo correspondente a cada grupo:


a) Atores d) Castanheiros f) Alunos
b) Viajantes
c) Foguetes e) Pescadores
3. Reescreve no feminino/ masculino as frases seguintes, fazendo as alterações
necessárias.

3.1. A testemunha foi falar com a ré conhecida pela princesa das ladras.
3.2. Para nã o ser morto, o sacerdote estava disfarçado de plebeu, sultã o ou czar?
3.3. A freira visitou as casas do embaixador, da duquesa, do imperador, da condessa e
até a do maestro!

4. Escreve no plural as palavras seguintes:


a) Patrã o c) Farol e) Capitã o
b) Cruz d) Réptil f) Cristã o

5. Identifica os processos de formação de palavras seguintes:

EMPRÉSTIMO TRUNCAÇÃO SIGLA ACRÓNIMO


a. Prof.
b. BD
c. Surf
d. Informática
e. Disquete
f. ONU

6. Atenta à seguinte frase retirada do texto:


“ Sinceramente, fico mais nervosa (…)”

6.1. Reformula a frase para que o adjetivo surge no grau:

a) Grau comparativo de igualdade.


b) Grau superlativo absoluto analítico.
c) Grau superlativo absoluto sintético.

Grupo III

Observa, atentamente, a seguinte fotografia:

Imagina que esta imagem seria a base para um cartaz de publicidade institucional de incentivo à
leitura.
Recordando as informaçõ es que te foram transmitidas aquando o estudo da publicidade, cria um
slogan e um texto argumentativo para apelar aos jovens a ler.

Você também pode gostar