Você está na página 1de 18

SUMÁRIO

1. Introdução e histórico
2. Fisiologia do envelhecimento
3. Fisiologia da pele
4. Anatomia facial
5. Tipos de fios absorvíveis no mercado
Brasileiro
6. Mecanismos de ação de fios de PDO
7. Marcação facial
8. Técnicas de implante
9. Cânulas
10. Estudo fotográfico
11. Materiais necessários instrumentais
12. Correções corporais
13. Curativos
14. Complicações e tratamentos
15. Durabilidade
16. Pré e pós procedimento
17. Casos Clínicos
18. Conclusão
19. Referências bibliográficas
05
Tipos de Fios Absorvíveis
no Mercado Brasileiro
I M P L A N T E C O M F I O S D E S U S T E N TA Ç Ã O A B S O R V Í V E I S

E
m virtude do PDO ser uma técnica recente no Brasil, não exis-
tem muitas marcas no mercado, mas algumas já são conheci-
das e usadas pelos profissionais. Descreverei sobre algumas
marcas, fabricações, materiais e, sobretudo, sobre o PDO, que
pela minha experiência e após usar vários tipos cheguei à conclusão
de que é o mais indicado para bioestimulação fazendo o lifting bioló-
gico induzido.

3
FIOS BÚLGAROS®

Em primeiro lugar falarei do fio búlgaro ou elástico, fio desenvolvido pelo


Dr. Nikolay Serdev entre 1998 e 1999.

No início vinham das fábricas em pacotes de 10 metros esterilizados e


lacrados; ao serem utilizados eram cortados nos pedaços que iriam ser
colocados nos procedimentos.

O restante era deixado no próprio local de origem sendo retirado a cada


necessidade de utilização, podendo levar a contaminações.

Como os demais fios, de acordo com o fabricante existem diferentes

CAPÍTULO 05
espessuras variando de 00 a 00-06.

Feito da matéria-prima policaproamida é sintético, hipoalergênico, pos-


sui certa elasticidade, flexível e resistente, bem tolerado, mas pode cau-
sar uma fibrose considerável.

É reabsorvido em média após três anos, mas pode prejudicar futuros


liftings cirúrgicos devido à fibrose ocasionada, pois atrapalha na reposi-
ção facial e sutura muscular.

A técnica utilizada e preconizada por Serdev é a marcação de ancora-


mento, sendo sempre de duas ou mais ancoragens.

Pelo fato do fio ser trançado acaba provocando uma fibrose no local
onde foi inserido, mesmo após sua absorção. O fio é ancorado no peri-
ósteo e fixado através de nós.

No ato da inserção a tração é feita de acordo com o tecido, obtendo-se


os níveis de dermosustentação desejados.

Com ele pode-se fazer a diminuição de ptoses em supercílios, ângulo cer-


vico mandibular, face, malar e pescoço, além de levantamento (suspen-
são) e afinamento de cartilagem nasal, projeção mentoniana, aumento e
projeção glútea e correção (pouca) de flacidez.

4
I M P L A N T E C O M F I O S D E S U S T E N TA Ç Ã O A B S O R V Í V E I S

FILBLOC

Comercializado com o nome de sutura, pode ser utilizado de duas maneiras:


para ancorar e realinhar a simetria facial e para fazer um lifting total.

Dividido em duas categorias:

1. ANCORAGE

Dotado de um fio com duas agulhas, uma reta e uma curva, com garras
unidirecionais, onde a técnica permite suturas de ancoramento.

A técnica é descrita para fazer lifting do terça médio; como primeiro passo,
após assepsia e anestesia, fazer uma inserção perto da orelha na parte
superior e ir introduzindo os fios seguindo os traçados feitos anteriormente
a fim de criar uma área de tração e firmar a estrutura de amarração.

Os fios ficam unidos como um leque e são erguidos através de tensão.

Apresentam de fábrica o tamanho de 31 cm com 10 unidades.

5
2. FILBLOC DOUBLE NEEDLE

É um fio bidirecional convergente, agulhado em ambos os lados, com agu-


lhas retas.

É inserido na subderme e pode traçar percursos retos ou semicírculos


para melhor alinhar a simetria facial.

Apresentação de fábrica: dois tamanhos, 12 cm e 23 cm, com caixas de


6 fios.

CAPÍTULO 05

6
I M P L A N T E C O M F I O S D E S U S T E N TA Ç Ã O A B S O R V Í V E I S

SUTURA SILHOUETTE®

A ANVISA liberou no final de 2013 que o procedimento fosse realizado


no Brasil. O fio é composto de ácido polilático (PLA), um polímero com-
pletamente absorvível.

A colocação é feita em consultório, com anestesia local e sem cortes.

São realizadas pequenas inserções em pontos estratégicos do rosto


com uma das agulhas do fio, onde este é conduzido até o subcutâneo e
acomodado ao longo do tecido.

O efeito de lifting é imediato e discreto por ser resultante da compressão


e elevação do tecido no momento em que a sutura é ajustada.

Após inserir a sutura, é aplicada uma leve pressão na área do tratamento,


remodelando a superfície da pele e deixando-a visivelmente mais lisa.

Como nome diz este é um fio também agulhado nas duas pontas, con-
tendo cones de ácido polilático.

Conforme as indicações do próprio fabricante, ele faz a reestruturação


da face induzindo ácido hialurônico, propiciando após sua inserção, em
até 30 dias, uma pele revitalizada e rejuvenescida.

As caixas apresentam fios com 8, 12 ou 16 cones.


Imagem retirada do site do fabricante.

ANTES DO TRATAMENTO DEPOIS DE 30 DIAS ANTES DO TRATAMENTO DEPOIS DE 30 DIAS

7
FIOS DE PDO (POLIDIOXANONA)

Fios absorvíveis que trazem em sua composição o PDO, biocompativel,


não alergênico, reestruturante.

Os fios de PDO são um monofilamento sintético absorvível preparado a


partir do poliéster poli (p-dioxanona).

A fórmula empírica molecular do polímero é C4H6O3. A polidioxanona


é um polímero não alergênico, não piogênico, provocando apenas uma
ligeira reação tecidual durante a absorção.

A força tênsil se mantém em 25% aos 42 dias, comparável a materiais

CAPÍTULO 05
não absorvíveis, e a absorção é mínima aos 90 dias e completa em seis
meses. Tem baixa afinidade.

É cristalino e incolor, podendo ser colorido artificialmente para violeta,


sendo capaz de manter sua integridade não gerando a formação de
corpo estranho na derme.

É degradado no organismo por hidrólise não


enzimática. Este comportamento biológico
superior pode estar relacionado à sua com-
posição química, aliada à condição
física monofilamentar.

Dentre as características biológicas


mencionadas destaca-se a baixa an-
tigenicidade, produzindo uma leve
reação inflamatória tissular durante o
período de reabsorção.

8
I M P L A N T E C O M F I O S D E S U S T E N TA Ç Ã O A B S O R V Í V E I S

Ao se posicionar o fio na derme superficial com a introdução através de


uma agulha (cânula) destinada a este fim, ocorre uma estimulação do
tecido da derme superficial. causando uma resposta tecidual devido à
cascata de cicatrização, resultando na formação de fibroblastos com con-
sequente estrutura rica em elastina e colágeno e gerando um tecido mais
rico em turgor, tônus, hidratação e menor flacidez.

É uma nova técnica de lifting baseada na implantação múltipla de mini fios


de polidioxanona (PDO), que formam uma rede vetorial que atua como
suporte dos tecidos.

São divididos em singles, fio liso, fios duplos e fios com garras.

MONOS OU SINGLES

É uma cânula com um único fio liso fixado por uma es-
ponja em sua ponta; ao inseri-lo, a esponja fixa o final
do fio na pele.

• Ele aumenta a elasticidade e regeneração da pele


e é hidrolisado mais lentamente, proporcionando
melhor ativação de fibroblastos, dando uma apa-
rência mais jovial e eliminando linhas de expres-
são. Fio de filamento único USP 5.0 (espessura)
tem excelente efeito de tensão imediato, propor-
cionado por sua espessura.

• Tem um efeito mais longo, pois sua absorção


ocorre de forma mais lenta (mais grosso).

9
Em virtude de ter um tempo maior para reabsorção ele age lentamente,
podendo estimular mais a síntese de colágeno e elastina; por este motivo;
ao serem feitos os procedimentos, o ideal é colocá-los em alternância aos
polifilamentados (doubles, screw e twins).

Não é indicado usar mais de 50% do total de fios nos procedimentos que
usam mais de 20 fios pois, dependendo de algumas expressões faciais, o
paciente poderá sentir a presença dos mesmos.

Existem empresas que vendem separados, fios soltos, para ser inseridos
com cânulas ou agulhas de raqui; o ideal é usar já canulado para não fa-
zer um pertuito maior que o indicado para a espessura do fio, uma vez que
os que já vêm em conjunto já foram testados para serem vendidos e não

CAPÍTULO 05
causarem danos nem lesionarem tecidos além do necessário.

FIOS MÚLTIPLOS

TWINS OU TRIPLE

• TWIN ou TRIPLE: fio duplo ou triplo trançado.

• Os fios juntos têm diâmetro igual a um fio USP 5.0 (mono).

• Na derme há uma separação do fio, que se apresenta em


redes, ocasionando uma maior produção de colágeno,
elastina e ácido hialurônico, pois há uma maior área da
derme em contato com os fios.

• Excelente para os resultados em médio prazo, visando


à saúde da pele.

10
17
Casos Clínicos
I M P L A N T E C O M F I O S D E S U S T E N TA Ç Ã O A B S O R V Í V E I S

CASO CLÍNICO 1

Este caso foi feito com autorização e consentimento da paciente, onde fo-
ram respeitadas as etapas e o tempo de implantação para estudo futuro.

Na avaliação da paciente foi constatado que não era portadora de doen-


ças crônicas e não fazia uso de medicações de uso contínuo, segundo
informações colhidas.

Foram seguidas todas as orientações dadas e não houve complicações,


edemas nem intercorrências.

Paciente com perda de peso, flacidez pesada na face, pele espessa,


ptose malar e no arco mandibular, proeminência de jowls. Já havia colo-
cado anteriormente toxina botulínica no terço superior da face, implan-
tes de fios de PDO no terço médio e inferior facial, fios cog em marcação
e na área do pescoço.

Optou-se por fios cog, molding, d twins, d screws e lisos em uma com-
posição única em três aplicações sucessivas com distanciamento entre
elas de 30 dias para maior indução de colágeno e fibroblastos.

Colocado total por aplicação:

1. Total 10 fios.

2. Total 20 fios.

3. 6 fios molding e 2 fios em cada lado do pescoço.

Tratamento proposto para verificação de resultados com intervalos e


múltiplos fios, observando a resposta de neocolagênese.

Após 30 dias notou-se melhora na pele e diminuição da ptose lateral;


partimos para a segunda fase do tratamento. Não houve edema nem
hematomas na primeira aplicação, a paciente não relatou algias nem
desconfortos, não necessitou ingerir nenhum medicamento para con-
forto local.

3
APÓS 30 DIAS

CAPÍTULO 17
APÓS 60 DIAS
Na segunda implantação dos fios não houve algias; apenas um hemato-
ma no malar, discreto e sem edemas, sem necessidade de medicações
de conforto.

4
I M P L A N T E C O M F I O S D E S U S T E N TA Ç Ã O A B S O R V Í V E I S

Marcação de implantes do fio molding na terceira etapa para diminui-


ção de jowls e ptose no terço inferior. Optou-se por três fios em cada
lado da face.

5
Colocação final da terceira etapa e resultados satisfatórios, sem edema,
sem algias, sem medicações de conforto, com retorno imediato às ativi-
dades laborais, seguindo apenas as orientações dadas para não haver
intercorrências tardias.

RESULTADO FINAL APÓS 9 MESES DE IMPLANTAÇÃO DE FIOS DE PDO

CAPÍTULO 17
CONCLUSÃO

Ficou provado que os fios de PDO promovem melhora da flacidez, dimi-


nuem linhas e quedas de coxins de gordura facial e melhoram contornos
faciais desde que com boa indicação, com fios e técnicas corretas.

Você também pode gostar