Você está na página 1de 6

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA

DE MINAS GERAIS

Julia Miranda Polizzi

RELATÓRIO 2: “CIRCUITO CC: ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES E COMPROVAÇÃO


DAS LEIS DE OHM E DE KIRCHHOFF”

Trabalho da Disciplina de Laboratório de


Eletricidade Aplicada do curso de
graduação de Engenharia de Produção
da Pontifícia Universidade Católica de
Minas Gerais, referente a aula do dia
19/08/2020.

Professor: José Augusto Leão.

Belo Horizonte
2020
ESTUDOS PRELIMINARES:

1. Defina Resistência Elétrica

É a capacidade que um corpo tem de opor-se à passagem da corrente elétrica.


Isto é conseguido através de resistores que transformam a energia elétrica em
energia térmica. A unidade de medida da resistência no SI é o Ohm (Ω).

2. Demonstrar que, na associação em paralelo, a resistência


equivalente é a soma das resistências.

Na associação de resistores em paralelo, a resistência equivalente é igual à


soma dos inversos das resistências dos resistores individuais que formam o
circuito elétrico. Observe que os resistores R 1, R2 e R3 são alimentados pela
mesma fonte de tensão V.Isso faz com que eles fiquem sujeitos à mesma
diferença de potencial (ddp), mas são percorridos por correntes elétricas
diferentes, que são proporcionais ao valor de cada um.

3. Demonstrar que, na associação em paralelo, o inverso da


resistência equivalente é a soma dos inversos das resistências.

Nesse caso, como a diferença de potencial é a mesma para todos os


resistores. Desta forma, podemos notar que a corrente que passa em um
resistor é inversamente proporcional ao valor da resistência. Assim, quanto
maior a resistência de um resistor, menor será a intensidade da corrente.

4. Apresentar as propriedades do Divisor de Tensão.

Um divisor de tensão consiste em dois resistores associados em série num


circuito elétrico, dimensionados para se obter uma dada fração da tensão (ou
diferença de potencial) fornecida pela bateria ou fonte de tensão aos terminais
de um deles, sabendo que a tensão aos terminais de cada um dos resistores é
diretamente proporcional à sua resistência elétrica.

5. Apresentar as propriedades do Divisor de Corrente.

Em eletrônica, a regra do divisor de corrente, ou simplesmente o divisor de


corrente, é uma técnica de análise utilizada para calcular a corrente que flui em
um determinado ramo de um conjunto de ramos sabendo-se apenas a
impedância equivalente presente em cada ramo e a corrente total que flui por
eles.

6. Enunciar a Lei das Tensões de Kirchhoff (LTK). Exemplificar.


As leis de Kirchhoff, conhecidas como lei das malhas e leis dos nós, são,
respectivamente, leis de conservação da carga elétrica e da energia nas
malhas e nos nós dos circuitos elétricos.

7. Enunciar a Lei das Correntes de Kirchhoff (LCK). Exemplificar .

A SOMA ALGÉBRICA DAS CORRENTES EM QUALQUER NÓ DE UM CIRCUITO É SEMPRE NULA.


SIMULAÇÃO

CIRCUITO

Tabela 3.1

R1 R2 R3 V V1 V2 V3 I1 I2 I3
Valores 50Ω 50Ω 50Ω
Nominais
Valores -12 V 8V 4V 4V 160mA -80mA -80mA
Calculados
Valores 50Ω 50Ω 50Ω -12,058 7,941 4,541 4,765 160,588mA -80,824mA -80,684mA
Medidos V V V V
Gráfico 3.1

ANÁLISE DE RESULTADOS E CONCLUSÕES

1. Comparar os valores medidos com os valores calculados. Quais são os


motivos para as diferenças entre eles?

O principal motivo é o arredendamento feito ao calcular na mão, o que não ocorre no


computador.

2. Quando se tem resistores em SÉRIE, o que se pode afirmar quanto à


resistência equivalente? Será maior, menor ou igual às resistências do
circuito?

Como os resistores do circuito percorrem na mesma corrente eletrica o valor é igual.

3. Quando se tem resistores em PARALELO, o que se pode afirmar quanto à


resistência equivalente? Será maior, menor ou igual às resistências do
circuito?

A resistência equivalente sempre é menor que a resistência de menor valor que o


circuito apresenta, quando está em paralelo.

4. A partir dos valores medidos, comprovar as Leis de Ohm e de Kirchhoff no


circuito proposto.
5. Responder as questões:
5.1.Onde é dissipada a maior potência no circuito? Qual é o seu valor?
Justificar.

160mA antes do primeiro resistor, pois depois a corrente começa a se disipar e


consequentemente diminuir

5.2.Qual é o resultado se o amperímetro for ligado em paralelo com o circuito?


Dica: meça a resistência internado amperímetro e compare-a com a resistência
do resistor em paralelo.

Quando o amperimetro é ligado em paralelo corre risco de queimar o aparelho, pois


ele possui uma resistencia muito baixa.

5.3.Qual é o resultado se o voltímetro for ligado em série com um dos


resistores do circuito? Dica: meça a resistência interna do voltímetro e
compare-a com a resistência do resistor em série.

O voltímetro ligado em série não conseguemedir a diferença de potencial, eles devem


ser ligados em paralelo ao aparelho que se pretende medir, medindo assim a tensão
aplicada a um elemento do circuito.

5.4.Se as pontas de provas de um voltímetro digital forem invertidas, o que


acontecerá com a leitura do mesmo?

Se for realizada uma medida de tensão contínua, pode acontecer de vir a indicacação
do nível de tensão e antes dos números um sinal de menos.

5.5.Se as pontas de provas de um voltímetro analógico forem invertidas, o que


acontecerá com a leitura do mesmo?

Irá se deslocar a esquerda do visor.

5.6.Como um voltímetro digital indica que a escala de medição foi excedida?

Irá aparecer o sinal de “OL” no display durante a medição e num aparelho digital
aparece no display a indicação de "-".

5.7. Como um voltímetro analógico indica que a escala de medição foi


excedida?

A indicação do excesso de medição é indicado através do triângulo à direita. Já em um


Multímetro analógico a inversão de polaridade faz com que a agulha se desloque em
sentido contrário

Você também pode gostar