Você está na página 1de 19

MAR É DESENVOLVIMENTO!

DO QUE ESTAMOS FALANDO ?

CLUSTERNAVAL.org.br 2
ATIVIDADES ECONÔMICAS DA ECONOMIA DO MAR
Economia do Mar
Iniciativa Obrigatória para adesão à OCDE

CLUSTERNAVAL.org.br 3
ATIVIDADES ECONÔMICAS DA ECONOMIA DO MAR

JÁ ESTABELECIDAS EMERGENTES
Captura de Pescado Aquicultura
Processamento de Pescado Exploração de Óleo e Gás (Águas Profundas)
Transporte Aquaviário Energia Eólica Offshore
Portos Energias Renováveis
Construção e Reparação Naval Mineração do Leito Marinho
Exploração Offshore Óleo e Gás (Águas Rasas) Defesa, Segurança e Vigilância do Mar
Construção e Manufatura de Bens Marítimos Biotecnologia Marinha
Turismo Marítimo e Costeiro Produtos e Serviços Marítimos de Alta Tecnologia
Serviços de Negócios Marítimos
Educação, Pesquisa e Desenvolvimento
Dragagem

CLUSTERNAVAL.org.br 4
O Brasil deve priorizar a “Economia do
Mar” como instrumento do seu
desenvolvimento !

www.EMGEPRON.gov.br 5
www.EMGEPRON.gov.br 6
MODELO ECONÔMICO DE DESENVOLVIMENTO

1. Descartar o intervencionismo estatal e ressaltar a parceria com agentes


privados.

2. Estimular a capacidade de auto-organização do capital privado.

3. Cabe ao Poder Público colaborar com a auto-organização do capital privado no


sentido da eficiência microeconômica.

4. Compete ao Governo efetuar investimentos públicos que maximizem a auto-


organização produtiva.

CLUSTERNAVAL.org.br 7
O modelo tem sua lógica na Economia da
Aglomeração, a partir da formação de “Clusters” de
Atividades Econômicas ou Arranjos Produtivos
Locais (APL).
CLUSTERNAVAL.org.br 8
ORIENTAÇÃO ESTRATÉGICA PARA O
DESENVOLVIMENTO DO BRASIL

CLUSTERNAVAL.org.br 9
Por que o RJ tem grande potencial
para consolidação de um Cluster
Marítimo?
Natural vocação marítima – vantagens
comparativas e competitivas

Efeito positivo de externalidades

Proximidades geográficas, sociais,


institucionais, culturais e tecnológicas
entre agentes econômicos

Estabelecimento de “pipelines”
conectando-se a outros Clusters
Regionais e Internacionais
CLUSTERNAVAL.org.br 10
Associação do

CLUSTERNAVAL.org.br 11
FOCO ESTRATÉGICO DO CTNRJ

Promoção do Mercado Interno


Capacitação & Formação
Inovação & Tecnologia
Sustentabilidade
Valorização da Identidade Local
Adensamento de Cadeias Produtivas
Expansão do Mercado Externo

CLUSTERNAVAL.org.br 12
Ações Estratégicas

▪ Fase de ESTRUTURAÇÃO (até 1 ano)

▪ Fase de ALAVANCAGEM (até 3 anos)

▪ Fase de CONSOLIDAÇÃO (até 5 anos)

CLUSTERNAVAL.org.br 13
Empresas

Governo Academia

Sociedade
CLUSTERNAVAL.org.br 14
É FUNDAMENTAL
IDENTIFICAR
ATIVIDADES
ECONÔMICAS
PRIORITÁRIAS PARA
O DESENVOLVIMENTO
DE NEGÓCIOS.
Mercado de Atuação
CONSTRUÇÃO E REPARAÇÃO NAVAL
Embarcações Mercantes, Pesqueiras, Náutica e Offshore
SERVIÇOS MARÍTIMOS
Infraestrutura e Operações Portuária, navegação e transporte,
dragagem e sinalização e balizamento
DESCOMISSIONAMENTO E
DESMANTELAMENTO
Plataformas petrolíferas e navios offshore

EXPLORAÇÃO E EXPLOTAÇÃO DE
RECURSOS DO MAR
Petróleo e gás do Pré-sal, pesca, aquicultura e industrialização
do pescado

DEFESA, SEGURANÇA E AUTORIDADE


MARÍTIMA
Programa Estratégicos da MB, Segurança Pública e Privada

CLUSTERNAVAL.org.br 16
COMO ABORDAR O PROBLEMA?

Governança

Relacionamento
Institucional Conhecimento

CLUSTERNAVAL.org.br 17
COMO DEVE ATUAR A ESTRUTURA DE
GOVERNANÇA ?
ECONOMIA DO MAR: Um dos Eixos
ARTICULAÇÃO INTITUCIONAL

Estratégicos de Desenvolvimento Brasileiro !


Ambiente Formulação de Políticas, Estratégias, Prioridades,
Governo Planos, Regulação, Sustentação Orçamentário-
Federal (CIRM) Financeira.

Ambiente Políticas Públicas Regionais Integradas, Infraestrutura


Governamental Logística, Energética e de Comunicações, Segurança,
Regulação e Estabilidade.
Regional
Normatização, Áreas Focais, Desenvolvimento de
Ambiente Negócios (Projetos), Mapear Cadeias Produtivas, “Spill
Operacional Over” do Conhecimento, Estimular Cooperação,
Competição, Especialização e Complementaridade de
(CTNRJ) Atividades e Alavancar recursos.
CLUSTERNAVAL.org.br 18
Associação do

MAR É DESENVOLVIMENTO!

CLUSTERNAVAL.org.br 19

Você também pode gostar