Você está na página 1de 18

1

Aquisição da personalidade………………………………..…..158º CC

Abuso do direito……………………………………….……………..art 334º CC

Acto de constituição da associação ……………………….art.167º CC

Acção Directa…………………………………………………………..art 1.277º/336

Ausência ………………………………………………………..…………89º nº 1 CC

Alteração das obrigações ………………………………………..art 406º

Assunção da divida………………………………………….……….art.595º Cc

Avalista garante a satisfação do direito do credor ficando


pessoalmente obrigado perante o credor ……………….art 627º CC

Autonomia das dividas e imputações de pagamento inferior aos


montantes devidos…………….……art 147º da lei 2/06 de 22 de Março

Confirmação de negócio anuláveis…………………………………….art 288º cc

Credor lhe interessa prestação …………………………...…art.828º e 933 CC

Contrato de comadato/de entrega…………………….……art 1129º CC

Compra e venda………………………………………………..…….art 885º/1

Cessão de Credito…………………………………..……………….art 577º CC

Cessão de posição contratual …………………………………art 424 CC

Consignação em deposito ……………………………..……… art 841ºCC

Contrato de deposito ………………………………………….…..art 1185º CC

Confusão …………………………………………………………..……..art.868 a 873º CC

Causas de exclusão/compensação………………………….art 853º

Confusão é aceite qdo não prejudique 3º ………………..art 871º

Denuncia de arrendamento …………………………………..….art 1055º

Declaração Negocial……………………………………………..…..art. 217º

Declaração negocial presumida…………………………..…….art.350º

Declaração negocial fictica………………………………….……..art. 350/2

Determinação de preços de prestações ……………………..art 777º CC


2

Dação em cumprimento com negocio nulo………………art 476º, 838º

Declaração de compensação efectiva……………………..art 848, 854º

Declaração de nulidade…………………………………….……….art 289º e 476º

Devedores solidários …………………………………………….…..art.869º

Extinção da obrigação …………………art.846º especifidades de regime


jurídico de dação em cumprimento………………523 e 532º CC

Falência…………………………………………….……………..art. 1135º cc

Factos ofensivos de credito…………………………..…art 484º CC

Garantias/novação ………………………………………….art 861º cc

Insolvência civil……………………………………………..…art 1313º CC

Liberdade contratual…………………………………..…..art 405º cc

Locação /prazo…………………………………………………art.1039º

Local do cumprimento da prestação……………… art.772º

Local para entrega do legado testador…………. art. 2270º

Local para restituição de coisa móvel….art.1195º CC

Mutuo …………………………………………………...art 1142º cc

Mora do credor ………………………………….….art. 813º cc

Negócios formais (lei exige Doc autentico):

 Instituição de associações ……………art 168º CC


 Testamento ………………………………..…art 2204º
 Compra e venda de imóveis art. 875º cc Negócios jurídicos
formais (lei exige Doc particular):
 Doação de imóveis………………….. art 947º nº 2
 Contrato de promessa……………..art 410º nº 2
 Pacto de preferência ……………....art 415º
 Transacção……………………………..…art. 1248 e ss

Ninguém é obrigado o impossível……………art 790º cc

Novação ………………………………………………... art. 857º e 858º cc

Obrigações de depositário ……………………..art 1187º CC


3

Obrigações de locatário ……………………………………………………..art 1192º

Obrigações primitivas …………………………………………………………art 830

Obrigações naturais ……………………………………………………..…….art.402º

Promessa de cumprimento………………………………………………….art 458º

Promessa publica……………………………………………………………..….art.459º cc

Parceria pecuária ………………………………………………………………..art.1121º

Prestação fungível …………………………………………………………..… art. 767º

Prestação no lugar onde esta a coisa……………………………..….art. 773º cc

Proibição de cessão de credito…………………………………………...art 579º

Promessa negocial de contrato……………………………………………art 410º

Proibição de contrato certas pessoas………………art 292º, 293º, 953º cc

Proibição de venda de coisa litigiosa………………………………….art 876º cc

Proibição de venda feitas /filho, avo e netos

Renuncia de servidão…………………………………………....art. 1569º nº 5 CC

Renuncia de usufruto………………………………………….….art 1476º

Renuncia a hipoteca……………………………………………….art 731º

Renuncia a prescrição ………………………………………………………………………..


……..art 302º cc

Ratificação do negocio ineficaz……………………….…….art 268º CC

Revogação de Mandato ………………………………….….. art.1170º

Restrições de objectos contratuais.................….art 202º, 280º,

281º e cf. 405º

Sub-rogação pessoal…………………………………………… art.589º

Sub-rogação a terceiros………………………………….…..art 590º

Requisitos de dação em cumprimento……………….art .837º cc

Requisitos da compensação ………………………..……art. 217º cc

Renuncia do credor………………………………………………….……..……art. 864º


4

Silencio como meio declarativo…………………………..………..…….art.218º

Vontade das partes na novação………………………..………………..art 859º

Carácter objectivo da responsabilidade…………………………….art 500º CC


Requisitos para se verificar……………………………………………….art 500º
Responsabilidade do Estado e demais pessoas ………..…….art.501º CC
Causas justificativas do facto ou causa de exclusão da
ilicitude
 Acção directa…………………………………………………art.336º do CC
 Legitima defesa……………………………………………..art 337º do CC
 Estado de necessidade………………………………….art. 339º do CC
Estas três figuras tem em comum as seguintes carect :
 Natureza preventiva
 Carácter subsidiaria
 Principio da proporcionalidade

Gestão de negocio …………………………………………art 464º


Negocio jurídico unilateral……………………………..art 457º
Pressupostos da gestão de negocio
a) Direcção de negocio alheio
b) O gestor actua no interesse e por conta do negocio alheio
c) Falta de autorização

Deveres do gestor de negocio………………..art 465º CC


 Continuação da gestão
 Dever de fidelidade ao interesse e a vontade do dono
 Entrega dos valores detidos e prestação de conta
 Aviso e informação do dono de negocio

Deveres do dono do negócio art 468º CC


 Obrigação de reembolso de despesas
 Obrigação de indemnização
 Obrigação de remuneração de gestor
a) Faça destrinça entre a fonte das obrigações
b) De exemplos de fonte das obrigações4 e

O Nexum foi a primeira ideia de vinculo entre dois


sujeitos. Por esta ligação contratual, caso o devedor
não cumprisse o convencionado, ele era convertido
Marcos em escravo ou respondia pela divida com o seu
Históricos do próprio corpo.
5

Direito das
Obrigações Os Contractus surgiram com o jus civiles e
reflectiam um teor de rigidez na sua estrutura. Tal
acordo preocupava-se apenas com os contratos reais
ou formais, nos quais em caso de inadimplemento, o
credor poderia se utilizar da actio (forma de
preservação do direito utilizada pelos credores)
O pactum era o acordo em que as partes não
poderiam responsabilizar o devedor em caso de
incumprimento do acordo. Tinham mero valor moral
e não possuíam carácter obrigatório. O pacto era
desprovido da actio.
Por fim com as constituições imperiais o formalismo
dos contractos foi atenuado.

O Dtº das Obrigações é uma ferramenta


indispensável para sociedade e para o seu
Importância desenvolvimento a vários níveis pois é a partir do
prática do DTº das obrigações que se desenvolvem um
Direito das conjunto de redes e vínculos jurídicos económicos
Obrigações que permitem o surgimento de produtos e serviços
de acordos negociais e protecção das posições
jurídico-patrimoniais dos cidadãos.

Importância Em termos doutrinários o direito das obrigações tem


doutrinal do grande importância na elaboração sistemática e
Direito das cientifica de todas soluções técnico-jurídicas e
Obrigações doutrinais dos problemas decorrentes das relações
creditórias

O Dtº das Obrigações é um conjunto de normas e


princípios jurídicos que regem as relações de crédito.
O termo Obrigações na acepção passiva, que é a
adoptada pelo nosso sistema jurídico correspondente
situação em que uma pessoa fica adstrita para com
Definição do a outra a realizações de uma prestação e na acepção
Dtº das activa corresponde a situação em que uma
Obrigações determinada pessoa pode exigir a outra a realização
de uma prestação.

A relação obrigacional independentemente de ser


simples ou complexa, é constituída pelos seguintes
Estrutura das elementos: sujeito, objecto e um vínculo jurídico. O
Obrigações sujeito das relações obrigacionais antes de mais, é
uma pessoa jurídica titular da relação obrigacional,
tanto do lado passivo como do lado activo. Objecto
6

da relação obrigacional é a prestação e o vinculo


jurídico é o núcleo relação obrigacional, pois é
através deste que a ordem jurídica reconhece o
conjunto dos poderes e deveres dos sujeitos de uma
relação obrigacional.

A natureza jurídica das obrigações é um direito


Natureza pessoal do credor sobre uma determinada conduta
Jurídica das do devedor sendo uma relação unitária.
obrigações

O direito das obrigações tem ligações e pontos dos


contactos com outros ramos de Direito.
 Recebe influencias de determinados ramos e
 Tem pontos de contacto com Dtº da família e é
fortemente influenciado e condicionado pelo
Dtº Constitucional que de uma forma genérica
acaba se impondo sobre todas disciplinas
jurídicas do Dtº Civil e do Dtº Privado Especial
Direito das especialmente o Dtº Bancário, Comercial e do
obrigações e trabalho.
outros Ramos  Os Dtº reais e Dtº das Obrigações tem uma
Direito relação conflituosa ao nível da doutrina pois
muito se tem discutido sobre a natureza destes
dois ramos do Dtº Civil por entender se umas
vezes que estão em pólos opostos e outras que
são uma mesma realidade em vestes
diferentes.

Fala de origens e das razoes que ditaram o apuramento


tecnicismo jurídico do Dtº das Obrigações.
R: o apuramento tecnicismo jurídico deste ramo de Dtº, advêm do
facto de o mesmo ter tido varias transformações resultantes de
mutações e hibridismo que vem desde o tempo do Dtº Romano. Essas
mutações advieram por causa de se tratar de um ramo do Dtº Civil e
por isso menos sensível as tensões do poder politico ao estaticismo e a
rigidez da moral e ao dogmatismo da religião o que tornou o Dtº das
obrigações um ramo jurídico propicio a estudos profundos pois havia
espaço e liberdade para que os pensadores do Dtº se apoderassem
deste ramo e desenvolvessem teorias e princípios comprometidos de
forma objectiva tão somente.
Faça uma dissertação em torno da problemática do objecto do
Dtº das obrigações.
7

R: objecto do Dtº das Obrigações é bastante complexo complicado e de


difícil compreensão. Mas é consensual na doutrina afirmar que o
objecto principal e imediato do Dtº das Obrigações é a prestação, isto
é, o dever que cada uma das partes tem de desencadear uma conduta
para o benefício da parte oposta sendo que o bem ou produto objecto
da prestação são objectos secundários ou mediatos das obrigações.
Sendo que o dever da prestação corresponde a situação jurídica
passiva que determina a obrigatoriedade de uma pessoa executar uma
actividade, desencadear um facto, entregar uma coisa ou praticar um
acto em virtude de um parceiro de um negocio jurídico. A prestação é
aquilo a que uma determinada pessoa está obrigado, isto é, a entrega
da coisa o desencadeamento do facto que pode ser positivo ou
negativo a pratica do acto e a execução da actividade.

Mas importa advertir que o Dtº das Obg como ramo da doutrina, ou
como ramo de Direito, tem um objecto diverso do Dtº Obgç como uma
divisão do Dtº objectivo, isto é, do direito positivo. Sendo assim nesta
acepção o objecto do Direito das obrigações é a elaboração sistemática
e cientifica de todas soluções técnico-jurídicas e doutrinarias das
relações obrigacionais.

«…o Dtº das Obgç, vezes há que desconsidera o facto socio-


jurídico gerador do vínculo obrigacional mas vezes há que os
considera em detrimento do dever de prestação sendo que a
prestação é um elemento estranho a este cenário…» Comente e
ilustre seus exemplos.
R: É importante saber que nenhuma disciplina jurídica pode
desconsiderar o facto sócio jurídico que gera o vínculo responsável pela
relação jurídica, uma vez que é este que irá definir que tipo de relação
existe e por consequente definir que estamos numa relação jurídico-
obrigacional. Dizer que o dever de prestação é o objecto do Dtº
Obgç na sua acepção técnico-juridico, dai que não faz muito sentido
uma disciplina cientifica se separar do seu objecto de estudo pois este
é a razão da sua existência e a prestação é um elemento do dever de
prestação indissociável uma vez que enquanto o que o dever de
prestação corresponde a situação jurídica passiva, que determina a
obrigatoriedade de uma pessoa executar uma actividade, desencadear
um facto, entregar uma coisa, ou praticar um acto em virtude de um
preceito de um negocio jurídico. A prestação corresponde aquilo a que
esta determinada pessoa está obrigada, isto é, a entrega de coisa, ao
desencadeamento do facto que pode ser positivo ou negativo a pratica
do acto e a execução da actividade. Isto é, o objecto mediato da
prestação.

Faça uma analise em torno da importância pratica do Dtº Obgç,


usando exemplos próprios.
©R: Através do Dtº das Obrig se desenvolvem as operações
8

económicas entre as pessoas assente na espontânea e livre iniciativa


dos intervenientes respeitando-se apenas os limites mínimos para uma
convivência sem conflitos como a ordem publica, a boa fe, os direitos
de terceiros, e a equidade, o bom senso, as limitações impostas pela
lei natural e os bons costumes.
O Dtº Obgç, é assim uma ferramenta indispensável para a sociedade,
tanto para seu desenvolvimento a vários níveis, porque é a partitr de
Dtº Obgç que se desenvolve um conjunto de redes e vínculos jurídicos
económicos que permitem o surgimento de produtos e serviços de
acordos negociais e protecção das posições jurídico patrimonial dos
cidadãos.
A importância prática do Dtº Obgç, advêm da vastidão do seu
objecto acrescida pelo facto da sua fonte primaria serem os contratos o
que a torna uma espécie de livro ou bola de cristal de soluções
magicas pois que este ramo de Dtº ocupa-se no estudo de todas
vicissitudes e eventos formais e materiais e materiais decorrentes da
constituição e modificações e extinção dos contratos bem como as
patologias decorrentes deste processo.
O Dtº Obgç tem uma importância acrescida porque é também a
partir deste ramo de Direito que se elaboram esquemas de resolução
de problemas jurídicos que não surgem de relações contratuais e não
tem natureza criminal e uma disciplina jurídico-civil e é por meio das
relações obrigacionais que se estruturam as relações do Dtº Privado.
Porque é através deste ramo de Dtº que estabele aa autonomia da
vontade entre particulares, princípio indispensável nas relações
jurídico-privado.

A forma de pensar o Dtº Obgç por parte dos aplicadores do Dtº


é diversa da dos pensadores de Dtº. Quit iuris?
©R: os pensadores do Dtº pensam e estruturam o Dtº das obrigações
como uma disciplina jurídico-Civil virada para a elaboração sistemática
e cientifica de todas soluções técnico-jurídico e doutrinas das relações
obrigacionais, pois estes se preocupam em estudar o Dtº objectivo e a
partir dele, das filosofias jurídicas dos princípios gerais de direito e de
direito comparado criar soluções para os conflitos e problemas na
regulação das relações jurídico-obrigacionai

Identifique no caso em analise as prestações de dar, de


entregar e de restituir
©R: uma prestação de dar ocorre quando estamos na situação de
entrega da coisa em que por força contratual ou real a transmissão dos
Dtº reais sobre a coisa fica dependente da entrega efectiva desta.
Nosso caso temos uma situação idêntica na relação jurídico-
obrigacional entre Six e Cabral, em que houve um contrato de mutuo
anteriormente que so passou a ser valido por força real após a entrega
da coisa.
Prestação de dar é aquela que ocorre quando numa prestação de
9

entrega da coisa, a coisa não deve ser necessariamente transmitida no


acto da conclusão do negocio para que esteseja valido, tal como ocorre
no negocio jurídico celebrado entre Amorazinha e Six.

A prestação de restituir é aquela que corresponde a modalidade de


prestação que consiste na recuperação de posse detenção ou
propriedade da coisa pelo credor que que pode ser proprietário. No
caso em apreço temos a obrigação que Six em tem de devolver o
dinheiro de Quebrada que boa Cena tem em relação a devolução da
casa da dona Fala-Barato do tio Xingondo em relação ao Não Falha
Nada deste em relação a Boa Cena e deste ultimo em relação a
Amorazinha.

Identifique no texto obrigações unas e complexas e justifica


©R: obrigações unas são as chamadas obrigações simples que tem
um elemento constituintes nos elementos básicos da sua estrutura,
isto é, um credor, um devedor um vinculo e uma única prestação. Pela
analise que do nosso caso parece haver relações complexas que estão
em todos casos de compra e venda e prestação de serviço.

Prestações duradouras são aquelas


Cujo cumprimento se prolonga no tempo.
Neste caso temo uma que é do arrendamento estabelecida entre dona
fala-barato

Fonte Definição Exemplo Relevância

É um Contrato de Fonte primaria das


negócio compra e obrig
jurídico venda
integrado por
contrato uma ou mais
declarações
negociais
com vontades
convegentes
no sentido de
realização de
umobjectivo
comum q
justifica a
tutela de Dtº
Definição Exemplo Relevância
10

Responsa Obrigação de Incumpriment Fonte imediatamente


Bilidade indemnizar o de uma relevante depois do
civil que uma cláusula contrato, sendo
determinada contratual, também fonte primaria
pessoa tem ofensas morais das obrigações
por violar ou corporais a
clausulas alguém
obrigacionais voluntaria ou
um dtº involuntárias
subject ou ou subjectivo.
uma norma
que tutela
esse dtº
subject

Negocio jurídico unilateral => todo negocio jurídico em que há só


uma declaração e que so por si produza efeitos. Ex: testamento,
promessa publica, denuncia de arrendamento entre outros. Sua
relevância =>só a fonte de obrigações quando a lei assim o
determinar (fonte secundaria)

Gestão de negócios => fig jurídica a partir do qual uma determinada


pessoa assume a direcção de negocio alheio no interesse e por conta
do respectivo dono sem para tal estar autorizado.
Ex: um vizinho que vai cuidar do jardim e do carro do vizinho q se
encontra na situação de abandono, sem autorização daquele.
Suas relevâncias => exigem uma multiplicidade de requisitos para se
considerar fonte das obrigações (fonte secundaria).

Enriquecimento sem causa => enriquecimento de uma pessoa


relacionada com o empobrecimento de uma uma outra quando o
desequilíbrio dos patrimónios não se justifique por uma razão jurídica.
Ex: uma pessoa que compra um anel de brilhante a 100MT.
Suas relevâncias => exigem uma multiplicidade de requisitos para se
considerar fonte das obrigações (fonte secundaria).

Modalidade das
Obrigaççoes Definições exemplo
Decorrentes do contrato de
Akelas cuja inexecução compra e venda
Obgç civis é sancionada pelo Dtº
Obrigações Aquelas cuja
naturais inexecução não é Decorrentes de donativos/
sancionada pelo Dtº ou oferta
11

Obrigações de O sujeito activo está Promessa publica


sujeitos determinado no
indeterminado momento em que a
obrigação é constituída

Obrigações plurais em Divida ou credito conjunto


que prestação total de cônjuges.
Obrigações pode ser exigida ou
solidárias cumprida por apenas
um ou uma parte dos
credores ou devedores

Obrigações Obrigações plurais em Prestação ou cumprimento


conjuntas que cada um dos do xitick
devedores ou credores
está obrigado a
cumprir ou responder
apenas por uma quota
da divida ou do
credito.

Obrig em que há mais Decorrente do negocio de


do que um devedor ou compra e venda de um
+ q um credor e condomínio.
Obrigações presume/se dividida
divisíveis em tantas obrigações
iguais ou distintas bem
função do numero de
credores e devedores

Obrigações A obrigação é Decorrentes do negocio de


indivisíveis indivisível quando a compra e venda de um
prestacao tenha por animal de estimação (gato).
objecto uma coisa ou
facto no suceptivel de
divisão por sua
natureza por motivo
da ordem económica
ou dada a razão
determinante do
negócio jurídico.

Obrigações genéricas.aquela em que o objecto da prestação é indicado


pelo seu género numero ou quantidade sem individualiza; ao concreta do
mesmo objecto. Ex/ contrato de fornecimento de algodão, tabaco, trigo
ou materiais afins.
12

Obrigações alternativas > aquelas que tem por objecto duas ou mais
prestações sendo que o devedor se exonera cumprindo apenas uma
delas. Ex contrato de compra e venda por encomenda que o devedor
pode enviar um ou outro produto (calcas) ou sapatilhas.
Obrigações pecuniárias > aquela em que a prestação é monetária ou
consiste na prestação de uma quantia em dinheiro. Ex toda compra e
venda

Obrigações de juro incide sob a prestação do rendimento de capital em


dinheiro. Ex, contrato de mutuo ou financiamento bancário ou entidade
afim.

 Proibição do negocio de doação as pessoas abrangidas pela


indisponibilidade relativa, isto é, a proibição dos menores interditos
ou inabilitados de disporem seus bens através de uma doação a
favor do tutor, curador ou administrador legal de bens art.292 do
CC e 293º do CC conjugado com 953º do CC
 Proibição de venda de coisas litigiosas art.876º CC
 Interdição de venda feita por pais a filhos ou avo a netos sem
consentimento de outros filhos ou netos.

Conteúdo positivo das Conteúdo negativo das obrigações


obrigações

Prestação do facto Limitação na escolha da pessoa para


contratar

Prestação de coisa Limitação na retracção da proposta contratual

Prestação duradoura e Limitação na modificação e extinção da


instantânea proposta contratual

Prestações fungíveis e Limitação a liberdade de contratar


infungíveis

 O credor tem o direito de uma conduta humana por parte do


devedor que se consubstancia na prestação. Essa prestação
constitui o conteúdo e objecto da obrig em concreto este conteúdo
pode ser positivo ou negativo.

 Prestação de facto => que consiste


no dever do devedor executar uma
actividade a favor de credor.
 Prestação de coisa => consiste no
devedor a entregar uma coisa ao
13

credor.
 Prestação de dare ou obrigação de
dar
Art.1129º CC
 Prestações instantâneas = aquelas q
cumprimento se esgota num momento
e Duradouras => cujo cumprimento
se prolonga no tempo
Conteúdo positivo das  Prestações fungíveis e não
obrigações fungíveis => prestações fungíveis são
aquelas que podem ser determinadas
por género, qualidade e quantidade.
Prestação de coisa é sempre fungível
quer coisa seja fungível ou não. Art.
767 CC

A diferença de prestações de conteúdo


negativo e passivo só se aplicam nas
prestações de facto.
Conteúdo negativo das
obrigações Objecto dos contratos devem ser legalmente
possíveis. Não podem ser de substância
psicotrópicas, não se pode contratar para
comprar sonhos, sorriso, felicidade de
alguém.

 Na escolha de pessoa para contratar e


na retracção de proposta contratual
art.230º CC
 Na modificação e extinção unilateral
(pacta sunt servanda) isto é, a lei na
Conteúdo negativo das maioria dos casos não admite que uma
obrigações das partes afaste unilateralmente os
efeitos jurídicos subsequentes sem
motivos juridicam/admissíveis)
 Restrição a liberdade de
contratar :> (promessa negocial de
contratar 410º cc, dever de contratar,
profissões de exercício condicionado,
venda de bens essenciais a vida das
pessoas, proibição de contratar com
determinadas pessoas:

Modificações das obrigações provenientes dos contratos a doutrina


ensina que a regra geral é que essas obrigações podem sempre ser
alteradas desde que haja um consenso entre as partes. art. 406 CC
Prazos de natureza supletiva para alguns contratos como a
14

empreitada (art.1211 n.2 ), compra e venda art.885º nº1, locação 1039º


nº 1 e outros.
Prazo a favor do devedor (art. 777º CC).

Ocorrem Factos Caso de força maior (navio que afunda se


inevitáveis no alto mar com mercadoria)

Circunstâncias Caso fortuito (um navio sequestrado por


imprevisíveis piratas)

Lugar da prestação de Art.773º ou por excepção 774º


coisa movel

Regime supletivo do lugar de prestação


 Compra e venda…….art.885º CC
 Pagamento do aluguer….art 1039
 Entrega do legado………art.2270º CC
 Em relação ao depositário ….art 1195º CC

A transmissão das obrigações não é mais nada se não a transferência


ou cedência de uma posição obrigacional de uma pessoa para outra, isto
é, a troca de sujeitos de uma determinada relação obrigacional mantendo
a intacta. esta posição pode ser de devedor ou credor.

Prazo da prestação é o momento


Alteração do ate o qual a prestação deve ser
prazo realizada, isto é, ate o qual a
obrigação deve ser cumprida.
Modificações
das Obrigações Alteração do Lugar da prestação é o sitio onde o
Alteração de lugar da devedor deve apresentar se para
elementos prestação realizar a prestação.
secundários de
uma relação Alteração dos deveres e direitos das
obrigacional como partes livremente mediante acordo
o prazo, lugar da Aditamento ou de forma unilateral mediante
prestação, ou supressão circunstancias de mercado de
supressão ou de deveres ordem natural ou qualquer outra
aditamento de das partes natureza que impõem a mudança
alguns deveres da relação obrigacional, mas que
sem contudo não afecta elementos essenciais da
alterar os seus estrutura da relação obrigacional
elementos (sujeito, objecto e fonte)
essenciais como a
fonte, sujeitos,
objecto e o vinculo
15

Transmissão das Cessão de credito é um contrato


obrigações pelo qual uma determinada pessoa,
(a transmissão o credor (cessante) transmite para
das obrigações é a terceiro (sucessor)
transferência ou independentemente do
cedência de uma Cessão de consentimento do devedor (devedor
posição crédito sucedido) a totalidade ou uma parte
obrigacional de do credito.
uma pessoa para
outra, isto é, a Subrogarão Substituição do credor por terceiro
troca de sujeitos que cumpre no lugar do devedor
de uma uma prestação fungível.
determinada
relação Assunção da divida ou transmissão
obrigacional singular da divida é o contrato
mantendo-a celebrado entre o devedor e um
intacta. Posição terceiro assumir a obrigação do
esta que pode ser devedor de cumprir a prestação
de devedor ou de Assunção da para com o credor com o
credor) divida consentimento deste
Cessão da
posição Cessão da posição contratual é o
contratual contrato pelo qual qualquer dos
contraentes num contrato com
prestações recíprocas, isto é,
sinalagmático, transmite a um
terceiro sua posição contratual com
todos os activos e passivos, com
ratificação da contra parte.

Dação em cumprimento (837º CC) => é uma forma de extinção das


obrigações que consiste na prestação de coisa ou facto diverso do objecto
da obrigação mediante aceitação do credor.
Requisitos 837º conjug c/ 840º
 Ocorrência de uma prestação deferente da divida
 Que tal prestação sirva para extinguir imediatamente o credito
devido.

Figuras afins da dação em cumprimento:


 Novação => tanto a dação em cumprimento como a novação são
formas de extinção das obrigações no 1º caso consiste na prestação
da coisa ou facto diverso pelo devedor ao credor mediante
aceitação deste ultimo. enquanto novação é substituição da
obrigação por uma outra não havendo nova obrigação.
16

Forma de
extinção para Conceito Regime jurídico
alem de
cumprimento
Uma forma de extinção das
obrigações que consiste na
prestação da coisa ou facto
diverso do objecto da Art.837º a 840ºCC
Dação em obrigação mediante
cumprimento aceitação do credor

Um depósito judicial da coisa


devida feita a ordem do
credor com fim de se libertar
Consignação em definitivamente da obrigação Art. 841º a 847º cc
depósito

Compensação é uma forma


Compensação de extinção de obrigação 847º a 856º cc
que se consubstancia na
eliminação do crédito do
devedor equivalente divida
que o credor dispunha sobre
si.

É uma convenção, um
acordo a partir do qual as
partes extinguem uma
obrigação com a criação de
uma nova obrigação para
Novação substituir a antiga. Art.857º a 862º cc

Remissão A remissão da divida é


renuncia do credor ao direito Art.863º a 867º CC
de exigir a prestação com a
consequência da contraparte

É uma forma de extinção


das obrigações que consiste
Confusão na reunião de uma mesma Art. 868º a 873º CC
pessoa as qualidades de
credor e devedor
17

Dação em cumprimento onde há diferença significativa entre os valores


patrimoniais da prestação devida e a prestação efectuada em
substituição, desde que haja vontade e acordos neste sentido haverá
dação em cumprimento. E não havendo o acordo, haverá a repetição do
indevido, nos termos do art. 476º CC

Natureza jurídica de dação em cumprimento => não há


renascimento da obrigação primitiva, tal como art. 838º CC.
Não prevê a possibilidade de a divida primitiva não existir por ter
prescrito, ser nula e ter sido anulada com base nisso o devedor poder
exigir a restituição da coisa dada para a dação em cumprimento com
sustentabilidade no enriquecimento sem causa.

Consignação em depósito => há vezes que a obrigação não é


cumprida por causa imputável ao credor por esse não estar a colaborar
com o devedor na recepção da coisa. Dai o devedor pode efectuar um
deposito judicial, a ordem do credor, no sentido de se libertar da
definitivamente da obrigação.

Requisitos da consignação em depósito


 A mora do credor em receber a prestação
 Impossibilidade do devedor efectuar a prestação por motivos
alheios a sua vontade

Contrato de deposito art. 1185º CC quando essa consignação em


deposito não se faz por via judicial mas mediante um individuo.

Efeitos da consignação em depósito analisa se em três momentos


 No momento em q devedor deposita a coisa num terceiro ou
tribunal a favor do terceiro
 No momento em que o credor aceita ou rejeita a consignação
 No momento em este rejeita a coisa por qualquer motivo apesar
de ter aceitado a consignação

Compensação => é uma forma de eliminação de obrigação que se


consubstancia na eliminação do credito do devedor equivalente a divida
que o credor dispunha sobre si

Modalidades,
Compensação pode ser legal quando tem previsão legal art. 847 e ss CC
Compensação contratual também chamada compensação voluntaria,
aquele que as partes convencionam
Compensação judiciaria quando depende da decisão do juiz.

Pressupostos da compensação de crédito


 Reciprocidade dos créditos (851º)
18

 Exequibilidade, validade e exequibilidade do contra credito do


credito activo 847º nº 1CC
 Punibilidade do objecto das obrigações (847º CC)
 Existência e validade de crédito principal

Causas de exclusão de compensação


 Proveniência do credito principal do facto ilícito doloso
 Impenhorabilidade do credito principal
 Pertença do credito principal ao Estado outras pessoas colectivas
publicas
 Lesão de Dtº do terceiro
 Renuncia do devedor