Você está na página 1de 6

Avaliaçã o de Histó ria

(UFPE) - Universidade Federal de Pernambuco -


Questão 1
A grandiosidade do Império Romano criava muitos problemas administrativos e conflitos
de poder, dificultando a açã o dos seus governantes. Na arte, os romanos seguiram
soluçõ es prá ticas para facilitar sua vida urbana. A arquitetura romana, por exemplo, foi:
A - marcada pela influência dos etruscos no uso do arco e da abó bada.
B - definida pelas influências grega e egípcia, o que resultou em construçõ es grandiosas
em homenagem aos deuses.
C - marcada pela utilizaçã o de pedras e tijolos, utilizados em grandes edifícios pú blicos.
D - suntuosa nas construçõ es pú blicas, que eram de grande originalidade para a época.
E - baseada no uso exclusivo do arco, graças à influência dos mesopotâ micos.
(UFSM/RS) Universidade Federal de Santa Maria -
Questão 2:
Assinale verdadeira (V) ou falsa (F) em cada uma das afirmaçõ es sobre o
desenvolvimento tecnoló gico das sociedades da Antiguidade.
1. ( ) A prá tica da agricultura, além de permitir aumentar a produçã o de alimentos,
impulsionou inovaçõ es em diversos campos do conhecimento, como os sistemas de
escrita, a matemá tica e a astronomia, com a utilizaçã o de calendá rios para organizar a
vida social, religiosa e produtiva nas diversas estaçõ es.
2. ( ) As civilizaçõ es do Crescente Fértil aprimoraram conhecimentos para garantir o
emprego adequado do solo, empregaram sistemas de irrigaçã o para melhor aproveitar as
á guas dos rios, promoveram o conveniente armazenamento das safras, além de
alcançarem notá veis avanços na arquitetura e engenharia com a construçã o de templos
religiosos e funerá rios monumentais.
3. ( ) Mesmo sem terem desenvolvido grandes conhecimentos no campo da matemá tica e
das ciências da natureza – como a biologia, a física e a cosmologia – as polis ou cidades-
estados da Grécia antiga notabilizaram-se por legarem ao mundo posterior a filosofia e a
democracia, concretizando os princípios de justiça social, igualdade política e cidadania
para todos seus habitantes, independente de serem estrangeiros, escravos, mulheres,
iletrados ou pobres.
4. ( ) O Império Romano, além de aprimorar a tecnologia da guerra para expandir suas
conquistas militares, efetivou avanços significativos na arquitetura e na engenharia com a
construçã o de estradas, portos, aquedutos, termas, circos, mercados, edifícios pú blicos e
redes de esgoto e de á gua para as cidades.
A sequência correta é
A - V - F - V - F.
B - F - F - F - V.
C - V - V - V - V.
D - F - F - V - F.
E - V - V - F - V.

(UEPG/PR) - Universidade Estadual de Ponta Grossa -


Questão 3:
A antiguidade Greco-romana tornou a escravidã o absoluta na forma e dominante na
extensã o, convertendo-se maciça e generalizada na Grécia (séculos V e IV a.C.) e em Roma
(entre II a.C. e II d.C.). Nesse contexto, assinale o que for correto.
1 - A escravidã o e a liberdade helênicas eram indivisíveis, pois uma era a condiçã o
estrutural da outra; uma condiçã o polarizada da perda completa de liberdade justaposta a
uma nova liberdade sem impedimentos.
2 - Embora solidamente enraizado na sociedade clá ssica antiga, o sistema escravista foi
sendo paulatinamente abolido no período.
4 - Os escravos conseguiram melhores condiçõ es de vida apó s promoverem constantes
revoltas, como a de Spartacus (73-71 a.C.), que liderou o ú ltimo movimento rebelde
contra Roma.
8 - Nesse período assistiu-se ao aparecimento de uma classe média de proprietá rios
rurais e o desaparecimento do latifú ndio.
16 - Foi na Repú blica romana que se efetivou a uniã o entre a grande propriedade agrícola
e a escravidã o em grande escala, ou seja, sua sistematizaçã o por uma aristocracia urbana,
cujo resultado foi a instituiçã o rural do latifú ndio escravo extensivo.

(UFPR) - Universidade Federal do Paraná -


Questão 4:
Toda a Gá lia está dividida em três partes, uma habitada pelos belgas, outra pelos
aquitanos, a terceira por aqueles que nó s chamamos de gauleses (em sua língua, celtas).
Essas naçõ es diferem entre si pela língua, pelos costumes e pelas leis.
(Jú lio César, Guerra das Gá lias.)
Esse trecho de Jú lio César se refere à s conquistas da Roma Antiga e à maneira como os
romanos viam os povos que conquistavam. Sobre as conquistas romanas, é correto
afirmar:
A - O exército romano era composto somente por escravos.
B - Os povos conquistados eram considerados incultos e menosprezados pelos romanos.
C - As estruturas administrativas construídas pelos romanos foram pouco durá veis, o que
limitou a sua capacidade de expansã o.
D - Os romanos nã o tinham uma política de destruiçã o, nem de integraçã o cultural dos
povos conquistados, preservando a posiçã o das elites que se aliassem a eles.
E - Durante as guerras de conquista, houve uma diminuiçã o do nú mero de escravos
capturados pelos romanos.
(FUVEST/SP) - Fundaçã o Universitá ria para o Vestibular -
Questã o 5:
Cesarismo/cesarista sã o termos utilizados para caracterizar governantes atuais que, à
maneira de Jú lio César (de onde o nome), na antiga Roma, exercem um poder
A - teocrá tico.
B - democrá tico.
C - aristocrá tico.
D - burocrá tico.
E - autocrá tico.
(UFTM/MG) Universidade Federal do Triângulo Mineiro -
Questão 6:
Os romanos deram o nome de pax romana ao período de estabilizaçã o das fronteiras.
Nesse período, 300 mil soldados, deslocando-se rapidamente pelas estradas do Império,
defenderam as fronteiras junto aos rios Reno e Danú bio contra as incursõ es das tribos
germâ nicas, contiveram invasõ es orientais e sufocaram rebeliõ es internas. A paz romana
foi, antes de tudo, uma “paz armada”, o maior símbolo do apogeu do Império, que, no
entanto, já carregava em seu interior os sinais de sua decadência.
(Flavio de Campos e Renan Garcia Miranda, A escrita da Histó ria)
O fim das conquistas romanas
A - fortaleceu os plebeus, em especial os mais ricos, que conquistaram a instituiçã o do
tribunato da plebe e a permissã o do casamento com os patrícios.
B - provocou a guerra de Roma contra Cartago – as Guerras Pú nicas –, pois os cartagineses
colocaram em risco as conquistas romanas na Sicília e no norte da Á frica.
C - gerou o término do suprimento de escravos, decorrendo disso todo um processo de
desordem econô mica em Roma, com a fragilizaçã o do Exército e o avanço dos germanos.
D - estabeleceu uma nova condiçã o jurídica para os plebeus, que nã o podiam mais ser
vítimas da escravizaçã o por dívidas e foram beneficiados com a distribuiçã o de terras.
E - motivou o crescimento dos espaços urbanos no Império, com o consequente aumento
das atividades manufatureiras e comerciais, além do crescimento da populaçã o.

(UNIR/RO) – Fundaçã o Universidade Federal de Rondô nia -


Questã o 11:
O texto abaixo faz referência à tentativa do tribuno da plebe Tibério Sempronio Graco de
coibir um dos principais desdobramentos da expansã o romana dos séculos III e II a.C.
Foi, entã o, quando Tibério Sempronio Graco, cidadã o nobre animado por uma grande
ambiçã o [...] pronunciou [...] um discurso de extrema gravidade para os povos da Itá lia;
falou de como povos particularmente aptos para a guerra e vizinhos dos romanos pelo
sangue, mas em via de deslizar pouco a pouco para a miséria [...] Depois de pronunciar
este discurso, pô s em vigor a lei que proibia a posse de mais de 500 medidas de terras.
(APIANO. Guerras civis, I, 9, 35-36.)
Qual desdobramento intencionou-se coibir?
A - Crescimento de latifú ndios
B - Uso de escravos no exército romano
C - Aumento do poder pessoal dos generais romanos
D - Favorecimento econô mico aos aliados em detrimento dos senadores romanos
E - Aumento de impostos para a plebe romana
questã o 1: A, C
questã o 2: E
questã o 3: 17
questã o 4: D
questã o 5: E
questã o 6: C
questã o 7: C
questã o 8: D
questã o 9: B
questã o 10: D
questã o 11: A
questã o 12: D
questã o 13: 11
questã o 14: C
questã o 15: A
questã o 16: C
questã o 17: A
questã o 18: D
questã o 19: C
questã o 20: A
questã o 21: D
questã o 22: E
questã o 23: E
questã o 24: C
questã o 25: C
questã o 26: E
questã o 27: C
questã o 28: E
questã o 29: D
questã o 30: B
questã o 31: C
questã o 32: E
questã o 33: A
questã o 34: 43
questã o 35: C
questã o 36: C
questã o 37: A
questã o 38: B
questã o 39:
questã o 40: C
questã o 41: A
questã o 42: B
questã o 43: C
questã o 44: C
questã o 45: C
questã o 46: C
questã o 47: D
questã o 48: C
questã o 49: E
questã o 50: C
questã o 51: A
questã o 52: A, B
questã o 53: C
questã o 54: C
questã o 55: C
questã o 56: B
questã o 57: B
questã o 58: E
questã o 59: E
questã o 60: 17
questã o 61: E
questã o 62: A
questã o 63: A
questã o 64: B
questã o 65: E
questã o 66: C
questã o 67: B
questã o 68: A
questã o 69: E
questã o 70: A
questã o 71: C
questã o 72: 7
questã o 73: B
questã o 74: C
questã o 75: B
questã o 76: E
questã o 77: E
questã o 78: B
questã o 79: A
questã o 80: D
questã o 81: 5
questã o 82: 14
questã o 83: A
questã o 84: B
questã o 85: C
questã o 86: C
questã o 87: A
questã o 88: C
questã o 89: D
questã o 90: D
questã o 91: B
questã o 92: d
questã o 93: b
questã o 94: b
questã o 95: 30
questã o 96: b
questã o 97: a
questã o 98: b
questã o 99: c
questã o 100: d
questã o 101: b
questã o 102: a
questã o 103: e
questã o 104: c
questã o 105: e
questã o 106: d
questã o 107: b
questã o 108: b
questã o 109: a
questã o 110: d