Você está na página 1de 4

EXMO. SR. DR.

JUIZ FEDERAL DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO


ESTADO DE ......

Maria Souza, nacionalidade, estado civil, professora, portadora da cédula


de identidade_ inscrita sob CPF_ , residente e domiciliada na Rua ____,
nº__ Bairro__ Cidade___ CEP, vem a presença de vossa Excelência ,
representada nesse ato por seu advogado regularmente constituído, inscrito
na OAB sob o nº_ , endereço eletrônico ___, com base no artigo 5º, LXIX
da Constituição Federal e Lei 12.016/2009, para propor o presente:

MANDADO DE SEGURANÇA COM PEDIDO DE LIMINAR

Pelo rito especial contra o ato do RELATOR DA UNIVERSIDADE


FEDERAL DO __ com endereço na rua __, bairro__ cidade__ CEP__
pelos fatos e fundamentos a seguir:

I-DA GRATUIDADE DE JUSTIÇA

Conforme disposto no art 5º LXXIV CFRB/88 e na Lei 1060/50, a autora


declara e requer a Vossa Excelência a concessão do beneficio da gratuidade
de justiça, tendo em vista que, sua real situação financeira devida a
demissão e por consequente desemprego da Universidade, não tem como
arcar com esta ação sem prejudicar o sustento de sua família.

II- DOS FATOS


Marcos Silva, então aluno da Universidade Federal, autarquia Federal,
inconformado com a nota que lhe foi atribuída em uma disciplina do curso
de graduação, abordou a parte autora e em meio a ameaças, exigia-lhe que
alterasse a sua nota. Nesse instante, a professora, com o propósito de repelir
a iminente e injusta agressão, conseguiu desarmar e derrubar o aluno, que,
na queda, quebrou um braço. Diante do ocorrido, foi instaurado Processo
Administrativo Disciplinar (PAD), para apurar eventual responsabilidade
da autora. Ao mesmo tempo, a professora foi denunciada pelo crime de
lesão corporal. Na esfera criminal, a professora foi absolvida, uma vez que
restou provado ter agido em legítima defesa, em decisão que transitou em
julgado. O processo administrativo, entretanto, prosseguiu, sem citação da
servidora, pois a Comissão nomeada entendeu que a professora já tomara
ciência da instauração do procedimento por meio da imprensa e de outros
servidores. Ao final, a Comissão apresentou relatório pugnando pela
condenação da servidora á pena de demissão. O PAD foi encaminhado ao
reitor da universidade para decisão final, que, sob o fundamento de
vinculação ao parecer emitido pela Comissão , aplicou pena de demissão a
servidora, afirmando, ainda, que a esfera administrativa é autônoma em
relação á criminal. Em 11/01/2017, a servidora foi cientificada de sua
demissão, por meio de publicação em Diário oficial, ocasião em que foi
afastada de suas funções, em 22/02/2017. Em que pese toda a
argumentação usada para tal decisão, a mesma não encontra guarida no
ordenamento, razão pela qual a parte autora requer a segurança para evitar,
assim, uma injustiça ainda maior,

III- DOS FUNDAMENTOS DA CONCESSÃO DA MEDIDA LIMINAR

Como é de conhecimento, para a concessão do que ora se requer, faz-se


necessário a presença de dois elementos, quais sejam, o fumus boni iuris e
o periculum in mora. A ilegalidade praticada pela autoridade coatora em
não notificar a autora acerca da PAD, descumprindo o que rege o artigo 5º,
LV da Constituição Federal e art.22 da lei 8.112/1990, e o afastamento
inconclusivo do fato da autora já ter sido absolvida na esfera criminal, por
não existir ilicitude em sua conduta, uma vez provada legítima defesa.
Logo tal fato afasta a demissão ora aplicada, por força do art.132, VII da lei
8.112/1990, caracterizando-se assim a presença do elemento fumus boni
iuris. Em contrapartida, visto a precariedade financeira que se encontra a
autora e permanecerá assim, caso não seja reintegrada ao quadro de
funcionários da Universidade, anulando assim o ato de demissão, na qual se
consiste em sua única fonte de renda, o periculum in mora pode onerar
danos irreversíveis ao sustendo da autora e de sua família,
Presentes os requisitos legais, conforme artigo 5 LXIX da CFRB/88 o
mandado de segurança, é irrefutável a necessidade de concessão da liminar
ora requerida.

IV- DO CABIMENTO DA AÇÃO

Conforme assinalada o art.5º, LXIX da Constituição Federal e o art. 1º da


lei 12.016/2009, o mandado de segurança se presta a resguardar direito
líquido e certo contra abuso contra abuso de poder ou ato ilegal praticado
por autoridade. Conforme já narrado, a situação fática se adéqua aos
moldes da ação, devendo ser concedida o mandado de segurança.

DA TUTELA DE URGÊNCIA
O artigo 300 do Novo Código de Processo Civil define como requisitos
para antecipação de tutela a probabilidade do direito e o perigo de dano ou
o risco ao resultado útil do processo.
O perigo ou receio de dano irreparável (periculum in mora) resta
demonstrado uma vez que a autora não está recebendo seus proventos
oriundos de seu labor, em razão da sua demissão arbitrária, e, por conta
disso, passa por dificuldades financeiras. A probabilidade do
direito/verossimilhança das alegações (fumus boni iuris) está
consubstanciada na nulidade do PAD por ausência de citação, com
flagrante violação aos princípios do devido processo legal, do contraditório
e da ampla defesa, capitulados no Art. 5o, LIV e LV da CRB/88 c/c Art.
143 da Lei no 8.112/90, bem como pela inobservância do fato de que a
sentença penal absolutória transitada em julgado necessariamente vinculará
o conteúdo da decisão administrativa, nos termos do Art. 125 e 126 da Lei
no 8.112/90 c/c o Art. 65 do CPP.
Visto, em razão dos vícios do PAD, ora apresentados, e do prejuízo/lesão
sofridos pela autora em decorrência de sua demissão, imperiosa é a
concessão da presente tutela de urgência, com a determinação da
reintegração da autora ao cargo público, sem prejuízo do direito ao
pagamento dos salários atrasados e de todas as vantagens do cargo.

V-DO MÉRITO

Aduz ao art 5, LIV, CFRB/88 e art 143 código civil, em conformidade com
a Lei 8112/90 no §1.
No que concerne a apuração de eventual ato ilícito cometido por servidos
publico, deve ser assegurado seu direito a ampla defesa.
Na situação citada a autora apenas fora informada de sua demissão após o
processo administrativo e ainda por DIARIO OFICIAL.
Ante os vícios do PAD é nulo o ato demissional.

DOS PEDIDOS

Ante o exposto requer-se À:

a) Concessão da gratuidade de justiça,


b) Concessão de tutela de urgência para garantir a reintegração da
autora no quadro de servidora,
c) Citação do réu,
d) Produção de provas por todos os meios admitidos em direito e
necessários para a solução do mérito,
e) Condenação do réu ao pagamento das custas processuais e
honorários advocatícios.

DO VALOR DA CAUSA
Dá-se valor a causa a forma do art 291do CPC;

Nestes termos,
Pede deferimento.

LOCAL/ DATA
ADVOGADO / OAB

Você também pode gostar