Você está na página 1de 2

Planejamento do layout, sis- que o autor tem de explicar passo R = roteiro (seqüência de ope-

por passo os procedimentos que rações)


tema SLP
devem ser seguidos - de novo S = serviços (de suporte}
sem amortecer a criatividade e in- T = tempo.
Por Richard Muther. Trad. teligência dos envolvidos no pro-
Elisabeth de Moura Vieira, ·cesso. O resenhista quer evitar que O autor classifica a intensidade
Jorge Aiub Hijjar e Miguel se tenha a impressão de que a obra de fluxo entre cada par de ativida-
De Simoni. Superv. da ed. é nada mais do que um livro de ins- des a fim de localizá-las em : a
bras. ·!tiro . lida. Boston, truções . Longe de tal, encontra-se absolutamente necessárias; b -
Mass., EUA, Cahners nele antes de tudo uma sistemati- especialmente importantes; c -
Books, 1973; São Paulo, Ed- zação lógica, como a abreviação importantes; d - pouco importan-
gard Blücher. 192 p. broch., SLP tenta dar a entender: syste- tes e e - desprezíveis. Nota-se
. matic layout p/anning, cuja tra- nesse ponto o maior defeito do li-
ilust., anexos, 1 régua gra-
dução em português, "sistemati- vro - a pouca precisão da lingua-
duada. _gem na tradução - pois não é a
zação de projetos de arranjo físi-
co", somente descreve parte do "intensidade do fluxo" que é im-
trabalho realizado, pois além do portante, mas "a proximidade é
projeto de Arranjo físico o autor importante devido à intensidade
descreve as atividades conexas - do fluxo". Mas mesmo se a lingua-
a avaliação do transporte interno, gem não ajudar, os diagramas, co-
o uso de modelos e papel quadri- mo no caso o da página 38, aju-
culado, etc. dam a entender.

Resumidamente, o método de Assim, o livro é ótimo apesar de


Muther pode ser descrito como uma tradução muito fraca - por
sendo um fluxograma de processo exemplo, "requerimentos de equi-
inter-relacionado com o espaço pamentos" deveria ser traduzido
disponível e as exigências de proxi- por "necessidades de equipamen"'
midade ou afastamento de seções tos", pois requirements é diferente
e serviços. Ora, como não existe de petition (requerimento). A
um "layout ótimo" deve ser procu- constante tradução de chart como
rado o "Jayout melhor" por um "carta", por exemplo na página 35 103
método heurístico. Métodos ma- como "carta de interligações", de-
temáticos falham pela extrema veria ser mudada para "diagrama
Escrever um livro sobre layout, em complexidade da distribuição es- de interligações"; ou ainda, a "car-
geral, é diferente de descrever um pacial . Assim, uma programação ta de processo" e "carta de-para"
método de obtenção de um layout de computador para achar o me- ficaria melhor como "roteiro des-
satisfatório. Muther conseguiu lhor /ayout_ que minimiza o trans- critivo do processo" e "diagrama
aperfeiçoar um sistema pelo qual porte, por exemplo, torna-se muito de origem e destino". Na página
um técnico aplicado ou um grupo trabalhosa, e a programação 20, na figura 3-9 encontra-se uma
de planejamento podem chegar a quadrática necessária é custosa provável transposição de unidade,
uma distribuição física que garanta em tempo de computador. pois "tamanho e peso por unidade
um bom fluxo de trabalho . em relação aos anos passados" re-
Métodos tais como a progra- sultaria em um peso de 1kg I cm 3 ,
O livro de Muther é a cristali- mação linear para achar o melhor
zação de uma experiência de mui- uma densidade que não existe no.
layour trabalham com restrições, nosso planeta, ou então os dois la-
tos anos, pois o autor usou o rotei-
necessárias para limitar as va- dos do gráfico não se relacionam .
ro do trabalho e o fluxograma pela
riáveis, restrições essas sujeitas a
primeira vez nos anos 30, e poste-
discussão ou mesmo alteração. Mas deve ficar claro que esses
riormente escreveu o livro Practical
Portanto, o resultado matemático fatos não diminuem a utilidade
plant /ayout, publicado pela
não é obrigatoriamente único, mas
McGraw Hill em 1955. O autor e do livro . A utilidade é absoluta, e
·um de uma série. a belíssima apresentação gráf1ca
séus colaboradores fizeram mais
de 1.000 projetos pelo método, O livro acompanha o téqnico e os diagramas permitem enten-
sendo as novidades constantes desde do arranjo dos edifícios no der todo o procedimento. O livro
dessa edição em português com- terreno, através do arranjo interno foi impresso em formato A-4
provadas em mais de 200 projetos de cada edifício e do detalhamento (21 x28/29) da ABTN, ficando as-
recentes. ·d epartamental, até à implantação. sim assegurada a clareza · dos
O autor usa um sistema chamado gráficos, mesmo nos detalhes. A
O prefácio do autor classifica o P, O, ·R, Se T para implementar a fotografia da página 119 é clara,
livro, intencLonalmente, de "ma-. sistematizacão do layout: mas antiga, como se nota pela rou-
nual de instruções" talvez muito pa das pessoas .
específico. "Numa abordagem do P = produto (ou material ou ser-
livro do ponto de vista do técnico viço) O livro, portanto, pode ser reco-
projetista ou administrador, salien- O = quantidade (ou volume exigi - mendado, sem restrição, para três
ta-se, antes de tudo, a facilidade do) tipos de usuários:

Resenha bibliográfica
1. Departamentos de engenharia Administração por objetivos A obra que aqui sintetizamos,
industrial e de planejamento de o método 3-0 apesar de suas falhas em termos
empresas industriais e de serviço, de texto em português, devido a
e mesmo de empresas comerciais. Por W. J. Reddin. 1. ed. em um tradução um pouco descuida-
português. Do original Effecti- da, apresenta-se como um dos
2. Cursos especializados de Jayout melhores trabalhos em termos de
como livro-texto básico .
ve managemenr by objecrives
- The 3-D Method of MBO. APO, dando uma nova visão da
3. Disciplinas de administração da administração das organizações .
Tradução H. de Barros. Atlas,
produção, organização do traba- Caracteriza-se, também, pelo alto
1978. 256p.
lho, planejamento, etc. em escolas grau de apl_icabilidade e praticida-
graduadas e pós-graduadas de ad- de, já que o autor deixa de lado to-
ministração e engenharia. das as considerações teóricas a
respeito do assunto, apresentando
O autor, devido à natureza somente os conceitos que sejam
prática da obra, não achou ne- de importância para o uso do
cessária a inclusão de uma biblio- método. Além disso, todo o traba-
grafia e de um índice remissivo, lho baseia-se em casos reais e vivi-
mas juntou formulários utilíssimos. dos· pelo autor, o que confere à
Kurt E. Weil obra muita riqueza de situações.

O trabalho divide-se, a nosso


ver, em duas grandes partes : uma
conceitual, na qual são apresenta-
das as bases do método, e uma se-
gunda parte que orienta a sua ím-
P lemen tação.

A administração por objetivos e o


Introdução - O Prof. William J . método 3-0 - A APO teve um
Reddin, do Departamento de Ad- grande desenvolvimento a partir
ministração da Universidade de da década de 50, com os trabalhos
104
New Brunswick, Canadá, especia- de Peter F. Drucker, mais tarde
lista em teoria das organizações e com George Odíorne e John Hum -
em mudança organizacional,_ é ble, entre outros. Atualmente,
amplamente conhecido · nos Esta- vem sendo utilizada · em todo o
dos Unidos, Canadá e Grã- mundo, nas maiores empresas .
Bretanha, através dos seus .traba -
Humble assim define a APO:
lhos como agente de mudanças
"Um siste.ma dinâmico que íntegra
em diversas organizações, tendo
as necessidades da empresa de
como base de sua atividade a sua
atingir seus objetivos de lucro e de
teoria 3-0, que pela primeira vez
crescimento com a necessidade do
incorporou aos estudos de com-
gerente de cont ri buir e
portamento e de estilo da figura
desenvolver-se. É um estilo exi-
central do líder uma nova dimen-
gente e compensador de se dirigir
são que é a eficácia gerencial. To-
uma empresa". Esta definição
dos os modelos anteriores cuida-
volta-se, de modo essencial, para
vam do binômio produção/ re-
o planejamento empresarial.
lações humanas, deixando de in -
cluir qualquer critério de eficácia
Já a definição de Odiorne ass1m
como característica primordial do
se apresenta : "(. .. )o superior e os
desempenho gerencial.
gerentes subordinados de uma
Pode-se dizer que o trabalho do empresa, conjuntamente, definem
Prof . Reddin teve uma evolução seus objetivos comuns, defin·em as
oposta às demais teorias de admi - áreas mais importantes de respon-
nistração por objetivos; como es- sabilidade de cada indivíduo, em
pecialista em estudos do compor- termos dos resultados que dele são
tamento, ele procurou estruturar esperados, e utilizam essas medi-
toda a teoria' de administração de das como guias p·ara operar a uni-
uma organização nas relações en- dade e avaliar a contribuicão de ca-
tre chefe e subordinado, e essas da um de seus membro~". Nota-
relações são, na realidade, toda a se, nesta definição, a ênfase que
base de seu trabalho, tendo como seu autor coloca na relação entre
ponto central a eficácia gerencial . gerente e subordinados . '

Revista de Administração de Empresas

Você também pode gostar