Você está na página 1de 36

Matemática Aplicada

Na evolução Humana, as Linguagens/Idiomas surgiram para possibilitar a comunicação de modo


a representar foneticamente (fala-audição) as idéias, analogamente os NÚMEROS foram concebidos
como a forma específica para expressar QUANTIDADE e/ou VALORES, em que neste
desenvolvimento as comunidades socialmente organizadas que originaram os povos das mais variadas
regiões adotavam artifícios para exprimirem este conceito, em que devido principalmente aos
deslocamentos migratórios e ao comércio, se difundissem entre eles.
Neste contesto histórico da humanidade, o primeiro método a que se atribui para contagem foi
uma FORMA ASSOCIATIVA entre elementos.

Cada seixo do saquitel associado a cada ovelha do rebanho.

Subsequentemente surgiram os primitivos SISTEMAS DE NUMERAÇÃO, dentre os quais


como os mais difundidos destacaram-se:
O sistema egípcio, o sistema babilônico, o sistema romano e o sistema indo-arábico.
No decurso desta evolução humana, estabeleceram-se os diversos sistemas de numeração, de
modo a atender as necessidades científico-tecnológicas, sendo eles:
N, Z, Q, II, R e C.

Contudo o nosso contesto tem por objetivo, apenas uma recapitulação dos tópicos mais
necessários, específicos ao bom desempenho da atividade que designa.

• NÚMEROS INTEIROS RELATIVOS – Apresentação e Operações fundamentais.

É a representação de valores numéricos denotados por números negativos, nulo e positivo


estabelecidas em uma escala graduada pelo posicionamento organizado desses valores da seguinte
forma.

_________________________________

-5 -4 -3 -2 -1 0 +1 +2 +3 +4 +5

Os números inteiros são representados com seu respectivo sinal entre parênteses e para que as
operações de Adição e/ou Subtração sejam efetuadas e necessário que estes parênteses com os
respectivos sinais sejam eliminados de acordo com o seguinte critério:

-Sempre que o parênteses for precedido do sinal POSITIVO elimina-se o parênteses MANTENDO-SE o
sinal original do número:

+ (+5) = +5 + (-18) = -18

+ (-7) = -7 + (+39) = +39

-Sempre que o parênteses for precedido do sinal NEGATIVO, elimina-se o parênteses Invertendo-se o
sinal original do número:

- (+5) = -5 - (-18) = +18

- (-7) = +7 - (+39) = -39

1
• ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO DE NÚMEROS INTEIROS RELATIVOS

As operações sucessivas de adição e/ou subtração entre números inteiros são efetuadas após a
eliminação dos parênteses, de acordo com a regra vista anteriormente, SOMANDO-SE todos os valores
POSITIVOS e separadamente SOMANDO-SE todos os valores NEGATIVOS e por fim SUBTRAI-SE
do MAIOR valor o MENOR, e dá-se ao resultado o sinal daquele maior.

Ex: - (+2) – (-3) + (-5) – (+1) + (-4) + 3


= -2 + 3 – 5 – 1 – 4 + 3
= +3 + 3 – 2 – 5 – 1 -4
= + 6 – 12
= -6

Ex: (-5) + (-2) – (+7) – (-1) + (+2) + (-4) – 1 + 3


=-5–2–7+1+2–4–1+3
=+1+2+3–5–2–7–4–1
= + 6 – 19
= - 13

Resolva:
a) (-5) + (-3) – (+7) + (+2) – (-4) – (+1) – 6 R: -16

b) – (-11) + (+2) + (-5) – (+7) – (-3) + (-2) – (-8) – 4 R: +6

c) (-5) + (-8) + (+4) + (-9) – (-1) + (+7) – (-2) + (+3) + (-6) + 1 R: -24

d) (+11) – (+7) + (-13) – (-6) + (+4) – (-3) + (-2) – (+8) – 1 + 4 R: -3

e) 5 + (-3) + (-11) – (-4) + (+17) – (-23) + (-15) – 8 + (-13) R: -1

f) – 2 + 4 – (-8) + (-3) – 7 – (-5) – (-3) – (2) + (-1) – (-13) R: +18

2
• MULTIPLICAÇÃO E DIVISÃO DE NÚMEROS INTEIROS RELATIVOS

Estas operações são efetuadas MULTIPLICANDO – SE ou ADIVINHANDO-SE os fatores na


ordem em que se apresentam e dando – se ao resultado o sinal;

• POSITIVO: Se a quantidade de fatores NEGATIVOS for nula (todos os fatores POSITIVOS) ou


par.

Ex: (+3) . (+5) . (+1) = + (3.5.1) = +15

Ex: (-2) . (+3) . (+5) . (-1) = (2.3.5.1) = +30

Ex: (-8) : (+2) : (+1) . (-3) = + (8:2:1.3) = +12

• NEGATIVO: Se a quantidade de fatores NEGATIVOS for ÍMPAR

Ex: (-3) . (-2) . (-1) = - (3.2.1) = -6

(-7) . (+2) . (+1) = - (7.2.1) = -14

(+3) . (-1) . (-2) . (+5) : (+5) = - (3.1.2..5:15) = -2

Resolva:
a) (-5) . (+2) . (-8) : (-4) = R: -20

b) (-7) . (-4) : (+2) . (-3) : (-6) = R: +7

c) (+4) . (-5) . (-3) . (+2) : (-8) = R: -15

d) (+3) . (-3) . (1) . (-4) : (-2) = R: -18

e) (-27) : (-3) . (-2) . (-14) : (-3) = R: -6

3
• POTENCIAÇÃO DE NÚMEROS INTEIROS RELATIVOS

É efetuada multiplicando o número por si mesmo tantas vezes quando for o expoente

be = b x b x ...x b
e vezes

e dando –se ao resultado o sinal:

• POSITIVO (+) : Sempre que o expoente for PAR independente do sinal original do número.

Ex: (+2)³ = + (2.2.2) = +8 (+3)² = + (3.3) = +9

(+1) 6 = +(1.1.1.1.1.1) = +1 (-1) 6 = + (1.1.1.1.1.1.1) = +1

(+3) 2 = + (3.3) = +9 (-3) 2 = = (3.3) = +9

• NEGATIVO (-): Se o expoente for ÍMPAR, especificamente quando o sinal original do número
for negativo.

Ex: (-3) 3 = - (3.3.3) = (-1) 5 = - (1.1.1.1.1) = -1

Resolva:

a) (-2) 5

b) (+2) 5

c) (-1) 7

d) (+1) 6

e) (-3) 4

f) (-3) 3

4
• RADICIAÇÃO DE NÚMEROS INTEIROS RELATIVOS

A radiciação e a operação inversa a potenciação e consequentemente a obtenção da raiz de um


número pode ser obtida pela decomposição em fatores primos do radicando com sua posterior
representação em potenciação e daí possibilitando a resolução mediante a sua simplificação.

Ex:
3
64 → 3
26 2
=22 =4

64 2
32 2
16 2 64=2 6
8 2
4 2
2 1
1

4
81 → 4
3 4
= 31

81 3
27 3
9 3
3 3
1

Obs: Acrescido a estas regras básicas devemos ter em consideração as regras que dizem respeito
do sinal dos números.

1º)Só existe Raiz de índice par de números positivos.

Ex: + 25 = +5

4
+ 256 = 4 + 28 = 2 2 = +4

6
+1 = +1 +16 = +4

Contra exemplo: (não existe raiz)

2
− 4 = ∆R

4
−1 = R

4
−16 = R

5
2º)As raízes de índice ímpar têm o sinal do resultado igual ao do radicando.

Ex:
3
−8 = 3
−2 3
= -2 8 2
4 2 8=2 3
3
− 27 = 3
−3 3
= -3 2 2
1
3
+8 = 3
+2 8
= +2

5
−1 = -1

5
+1 = +1

• Números Racionais Relativos – Representações e Operações

São valores numéricos intermediários aos números inteiros pela fragmentação da unidade a eles
acrescido, podendo ser expresso na forma de FRAÇÃO (que consiste numa operação de divisão
inexata propriamente dito), e na forma de números decimais(resultante do acréscimo da
fragmentação da unidade ao numero inteiro:

-2 -1 0 1 2

• Números Fracionários
p
São representações de valores numéricos expressos sob a formaq onde “q = 0” a qual corresponde
a divisão entre esses dois valores, sendo o valor sobre o traço chamado NUMERADOR e
correspondendo ao DIVIDENDO e o valor sob o traço chamado DENOMINADOR e correspondo
ao divisor.

Ex. 5 = 5 2 Ex. 11 = 11 3
2 10 2,5 3 20 3,66...
0 20
20

• Operações entre frações


6
As frações como qualquer outra representação numérica tem seus critérios operatórios
específicas.

Adição e Subtração de Frações

• Frações de mesmo denominador


Efetuam-se as adições e/ou subtrações sucessivas entre os numeradores das frações,
mantendo-se o mesmo denominador para toda a sentença.

Ex. 3 + 2 - 1 + 8 - 4
5 5 5 5 5

= 3+2–1+8-4
5

= 3+2+8–1-4
5

= 13 – 5
5

= 8
5

Obs: Sempre que o numerador e o denominador forem múltiplos eles devem ser simplificados
entre si.

Ex: 5 - 7 + 4 + 11 - 6 = 5 - 7 + 4 + 11 - 6

3 3 3 3 3 3

= 5 + 4 + 11 - 7 - 6

3
= 20 - 13

= 7

7
Resolva:

 − 2   + 4   −1   + 7   − 6 
a)   + -   -  + 
 5   5   5   5   5 

 +5  −7  1  − 3   −11 
b)   +   - + -  
 2   2  2  2   2 

 − 3   + 5   + 8   −1   − 2   − 4 
c) -  -   +  -   +  +  
 7   7   7   7   7   7 

• Frações de denominadores distintos.

Inicialmente reduz-se o denominador ao mesmo ( denominador comum), através da


decomposição em fatores primos entre eles, MMC, o qual posteriormente se tornará o
denominador comum, e este ,mesmo MMC será dividido por cada um daqueles denominadores
primitivos, e o resultado obtido multiplicado pelo numerador da respectiva fração.

2 5 1 6 +10 − 6
Ex: + - = mmc (6,4,2) = 12
4 6 2 12
3 2 6 6,4,2 2
3,2,1 2
3,1,1 3x
1,1,1 12
10 5
= =
12 6

5 3 7 1 30 − 9 +14 −1
Ex: - + - = mmc (2,4,6,12) = 12
2 4 6 12 12
8
6 3 2 1 2,4,6,12 2
1,2,3,6 2
1,1,3,3 3x
1,1,1,1 12
30 +14 − 9 −1
=
12

44 −10
=
12

34
=
12

17
=
6

Efetue:

 2  5  1   4
a)  −  -  −  +  −  + − 
 4  6  12   8 

 7  4  5  1  2
b) -  +  +  +  -  −  -  +  -  − 
 3  9  4  6  3

 7  4  5 1  2
c) -  −  +  −  -  +  + -  −  + ( −3)
 4  2  6 12  3 

• Multiplicação de frações

É efetuada multiplicando – se todos os NUMERADORES um pelo outro , entre si, e


separadamente multiplicando – se todos os DENOMINADORES um pelo outro, entre si.
9
3 5 3.5 3 7 1 3.7.1
Ex: . = Ex: . . =
4 7 4.7 5 2 2 5.2.2

15 21
= =
28 20

Obs: Sempre que houver números no numerador múltiplos de números do denominador, deve-se
simplifica-los sem necessidade de efetuá-los de modo a facilitar a resolução.

Resolva:

 3  5
a)  −  x  + 
 2  7

 3  4  5
b)  −  x  −  x  + 
 2  3  2

 3 6  4  2
c)  −  x x −  x − 
 5 2  3  7

 1  4  2  1  3
d)  −  x  −  x  −  x  −  x  + 
 3  2  5  2  2

10
• Divisão de Frações

É efetuada INVERTENDO-SE a operação para MULTIPLICAÇÃO e também a


SEGUNDA FRAÇÃO e procedendo-se de acordo com nova operação.

3 2 3 4 3 2 6
Ex: : = x = x =
5 4 5 2 5 1 5

Resolva:

 2  3
a)  −  :  − 
 5  7

 7  1
b)  −  :  +  : ( −5)
 3  2

 5  2  7
c)  +  :  −  :  − 
 3  3  4

• Potenciação de Frações

É efetuada elevando-se separadamente numerador e denominador ao mesmo expoente.

11
2
5  52 25
Ex:   = =
3  3 2 9

3
1  13 1
Ex:   = =
2 33 27

Resolva:

a)

b)

c)

• Radiciação de Frações

É efetuada extraindo-se separadamente a raiz do numerador e do denominador.

12
3
9 9 32 3 1
3
1 13 1
Ex: = = = Ex: 3 = = =
25 25 5 2 5 8 3
8 3
2 3 2

Resolva:

a)

b)

c)

• Números Decimais

São representações numéricas expressas por uma PARTE INTEIRA posicionando


anteriormente (à esquerda) de uma vírgula, que a separa da PARTE DECIMAL expressa após (a
direita) desta virgula.

13
A enunciação de um número misto é feita a partir da descrição de todos os algarismos, devendo
aqueles referentes as casas das DEZENAS e das UNIDADES (exceto quando o anterior for igual
a 1), ter sua especificação precedida do conectivo “e”, e após a leitura da parte inteira ser seguida
da palavra INTEIROS e após a leitura da parte decimal ser seguida da especificação referente a
posição do último algarismo.

≠1 ≠1
e e e e ,
CENT DEZ UNID C D U D C M DEC CENT MIL
M M M E E N E E I M M M
I I I N Z I C N L I I
L L L T E D I T E L L
H H H E N A M E S E E
A A A N A D O S I S S
R R R A E S I M I I
M O M M
O S O O
S S S

Ex 1 : 54,3287 : cinqüenta “e” quatro INTEIROS, três mil duzentos “e” oitenta “e” sete
DÉCIMOS DE MILÉSIMOS.

Ex 2: 634.221,078 : seiscentos “e” trinta “e” quatro mil, duzentos “e” vinte “e” um INTEIROS
“e” setenta “e” oito milésimos.

E 1: Represente os números por extenso:

a)0,8 f)2,63
b)0,27 g)10,245
c)0,003 h)5,0016
d)1,71 i)731,258
e)12,025 j)1541,116

E 2: Represente os números

a)cinco inteiros e seis centésimos


b)vinte e oito inteiros e um décimo
c)vinte e um milésimos
d)seiscentos e cinco milésimos
e)quarenta e três inteiros e quarenta e três décimos de milésimos
f)dezoito décimos de milésimos
g)vinte inteiros e dois centésimos
h)um inteiro e um décimo
i)vinte e três mil,quinhentos e treze inteiros,duzentos e cinqüenta milésimos
j)duzentos e cinqüenta e seis inteiros e vinte e cinco milésimos

• Operações entre Números Decimais

- Adições e subtrações de frações

Estas operações são efetuadas a partir do posicionamento coincidentes das respectivas casas
decimais de ambos os valores envolvidos, estabelecidas a partir da vírgula, tanto na parte inteira
quanto na parte decimal.
14
32 ,0730
Ex:32,073+21,4919 21,4919
+
53 ,5649

32 ,0730
Ex:32,073-21,4919 21,4919

10 ,5811

Efetue as operações indicadas:


a)321,073+40,2002
b)1731,0026+814,1074
c)103,9403-17,0697
d)723,21-85,371
e)25,043-73,132

• Multiplicação de Números Decimais

Esta operação é efetuada multiplicando-se cada algarismo do MULTIPLICADOR por todos os


algarismos do MULTIPLICANDO, em que a vírgula será posicionada no resultado dado pela soma
das parcelas originadas da multiplicação a frente da casa correspondente a soma das casas decimais
daqueles dois fatores.

3,25
x 4,3
Ex:3,25 x 4,3=13,975 00975
+1300
13 ,975

Resolva:
a)23,51x 6,4

b)57,243x3,24

c)16,35x0,21

• Divisão de Números Decimais

Esta operação é efetuada igualando-se a quantidade de casas decimais com tantos zeros quanto
for necessário no DIVIDENDO ou no DIVISOR e em seguida eliminando-se as vírgulas em ambos
e efetuando-se a operação considerando-se os números como sendo naturais.
15
Ex.10,24:3,2=3,2 10,24 3,20
960 3,2
640
640
0

Ex. 21,87:2,7 21,87 2,70


21,60 8,1
270
270
0

Resolva:
a)

b)

c)

• Unidade de Medida de Comprimento

16
É o método de representação estabelecido em uma escala graduada de grandezas padronizadas
para mensurar por meio de comparação.
As unidades medidas mais comumente usadas são o METRO e seus MULTIPLOS(km,cm,mm
etc) e POLEGADA e seus MULTIPLOS( PÉ, JARDA, MILHA etc. )

• Medidas Múltiplas do Metro

São unidades de medida decimal em que seus múltiplos e sua nomenclatura variam a cada 10
unidades.

Km Hm Dam M dm cm mm
↓ ↓ ↓ ↓ ↓ ↓ ↓
1 1 1
1000m 100m 10m 1 m m
10 100 1000
100m 10dam
10hm

A especificação da unidade de medida esta relacionada à 1ª casa inteira anterior a vírgula (casa
da unidade) e sua transformação em outra unidade de medida qualquer é feita movendo-se a vírgula para
a direita ou para esquerda tantas casas quanto o necessário para o estabelecido.

Ex: 0,35m para mm: 350mm

0, 3 5 0,
m dm cm mm

Ex: 12cm para dam: 0,012 dam

0, 0 1 2 ,
Dam m dm cm

Ex: 21,3 dam para cm: 21300cm

2 1 , 3 0 0 ,
dam m dm cm

Converta as medidas

a)0,17m para dm

17
b)0,0073 dam para mm

c)32,01 mm para m

d)8,106 m para mm

e)0,542 hec para dam

• Conversão da Medida em Milímetro para Polegada

Esta conversão é feita dividindo-se a medida expressa em milímetros por “25,4”, originando
daí o valor representado em polegada decimal o que não é usual nesta unidade de medida, que
originalmente é feita na forma fracionária múltipla de “2”.Para tal, desmembra-se o resultado
(quociente) tomando-se a PARTE INTEIRA e separadamente multiplica-se a PARTE DECIMAL
por “128” e desse valor obtido tomando-se a PARTE INTEIRA ARRENDONDADA representada
sobre o DENOMINADOR 128, e se possível simplificado.

Ex:82,15 mm 82,15 25,4


30 15
3,234 3 3
128 64
x 128
29,952
30

Ex:233,56mm 233,56 25,4


25
9,195 9
128
x 128
24,96
25
a)72,48mm

b)73,7mm

c)84,137mm

d)87mm

e)121,8mm

f)135mm

g)171,2mm

h)213,25mm

i)270mm

j)418mm
• Medidas Múltiplas da Polegada

18
É uma unidade de medida inglesa também conhecida como “INCH” e referenciada por “pol”,
“in” ou “,,” , sendo fracionada em múltiplos de “dois (2)” mais comumente em 1
128 unidades, e
sendo esta unidade correspondente a “25,4mm”.

1 2 1 2 3 4 5 6 7 8
32 32 8 8 8 8 8 8 8 8
1
128

0 16 4 1 2 3 1 1 3 1
16 16 16 4 2 4

2
4

• Conversão de Medida em Polegada para Milímetro

Para se transformar valores expressos em POLEGADAS para MILIMETROS devesse a


princípio converter o NÚMERO MISTO representativo da medida em polegada para fração e
posteriormente multiplica-la por “25,4” obtendo-se daí um valor em milímetros:

15 3.64 +15
Ex: 3 + pol → x 25,4 = 82,15 mm
64 64

25 9.128 + 25
Ex: 9 +“ → x 25,4 = 233,56 mm
128 128

Exemplos

Converta para milímetros

109 95
a) 2 g) 6
128 128

115 51
b) 2 h) 8
128 128

5 81
c) 3 i) 10
16 128

27 59
d) 3 j) 16
64 128

51
e) 4
128

5
f) 5
16

19
• Pressão

É a tensão exercida sobre toda a superfície de um corpo.

As unidades de medida de pressão usadas são:

N → Newton
Kgf → Kilograma força
lb → Libra
MPa → Mega Pascal
Psi → Pound Square Inch

O quadro de correspondência entre as unidades de medida de pressão para conversão e dado pela
tabela:

1N = 0,102 kgf
1 kgf = 0,454 Ib = 9,807 N
1 MPa = 1 N/mm 2 = 0,102 kgf/mm 2
1 kgf/ mm 2 = 1422,27 psi = 9,807 MPa = 9,807 N/ mm 2

Ex: Converta 20 N para:

a)MPa → 20 MPa
b)em kgf → 20x0,102= 2,04
20: 9,807=

c)em Psi → 2,04 x 1422,27


2901,43
1422 ,27 x 20
9,807

Determine a quanto corresponde 25 libras em:

• Em N
• Em Psi
• Em kgf

Determine a quanto corresponde 237,4 MPa

• Em Psi
• Em kgf
• Em lb

20
• Equações

São relações de igualdade estabelecida pelo símbolo de IGUAL associando os componentes da


sentença, em que a solução é estabelecida pela obtenção do valor da variável que constitui a sentença.
As equações são constituídas de membros, os quais são formados por termos separados pelos
sinais de “+” ou de “-”

1º 
membro
  2
º 
membro
  1
º
membro
  2
 º
membro


Ex: 2x + 5 = 13 3x + 2 = 12 - 2x
↓ ↓ ↓ ↓ ↓ ↓ ↓
Termo Termo Termo Termo Termo Termo Termo
Alg Indep. Indep Alg Indep Indep Alg

A resolução de uma equação é estabelecida transferindo-se todos os termos algébricos


(constituídos por variáveis) para o 1º membro e, simultaneamente transferindo-se todos os termos
independentes para o 2º membro, tendo-se o cuidado de se inverter o sinal operatório.

2x = 13 – 5 3x + 2x = 12 - 2

2x = 8 5x = 10

x= 8 x = 10
2 5

x= 4 x=2

S = {4} S = {2}

Resolva as equações:

a)7x – 1 = 13

b)6x = 2x + 28

c)5x – 2 = 18 + 3x

d)5x + 21 = 2x – 6

e)3(2x – 1) = 2(x + 1) + 3

Obs.: Sempre que uma equação depois de reduzidos seus Termos, apresentar o coeficiente negativo
deve-se multiplicar a equação por (-1).

Ex: 4x – 11 = 7x + 7
4x – 7x = + 7 + 11
- 3 x = - 18
x = − 18
3
x=-6
21
Resolva as equações

a)7x + 11 = 11x – 5

b)3 (2-x) = 2 (x-1)

c)2 (x-1) – 5 (x+3) = - 20

x −3 x −1
d) =
7 4

x −1 x +2
e)1 - =x-
2 3

• Problema do 1º grau com uma incógnita

É a maneira de exprimir através de uma expressão matemática, um contexto que envolve


informações a ser manipuladas de modo a se obter um dado genérico daquele enunciado.

Ex.1: O dobro de um número somado com 3 é igual a 17. Qual é esse número?

2x + 3 = 17
2x = 17 – 3
2x = 14
x = 14
2
x=7

Ex.2: Um número somado com seu triplo é igual a 60. Qual é esse número?

x + 3x = 60
4x = 60
x = 60
4
x = 15

E.1- O dobro de um número somado com 5 é igual a 91. Qual é esse número?

E.2- Qual o número que adicionado a 28 é o mesmo que três vezes esse número?

22
Ex.3: Um número tem 6 unidades a mais que outro, sendo a soma deles igual a 150. Quais são esses
números?

x + (x+6) = 150
x + x + 6 = 150
2x = 150 – 6
2x = 144
x = 144
2
x = 72

E.3- Um número tem 8 unidades a mais que outro, sendo a soma deles igual a 54. Quais são esses
números?

E.4- Quando Pedro nasceu, Guilherme tinha 3 anos. Atualmente a soma das idades é 23 anos. Qual a
idade de Guilherme?

Ex.4: A soma de dois números consecutivos é 31. Quais são esses números?

x + (x+1) = 31
x + x + 1 = 31
2x = 31 – 1
2x = 30
x = 30
2
x = 15 Os números são x = 15 e x+1 = 16

23
E.5- A soma de três números consecutivos é 48. Quais são esses números?

E.6- A soma de dois números ímpares consecutivos é 344. Quais são esses números?

E.7- A soma de três números pares consecutivos é 318. Quais são esses números?

Ex.5: Um número somado com sua metade é igual a 45. Qual é esse número?

x x 45
1 + 2 = 1
2 1 2

2x + x = 90
3x = 90
x = 90
3
x = 30 Os números são 30 e sua metade 15.

E.8- A soma de um número com seu dobro e com a sua terça parte é 30. Qual é esse número?

E.9- O dobro de um número menos 10, é igual a sua metade mais 35. Qual é esse número?

24
Ex.6: A soma de dois números é 58 e sua diferença é 12. Quais são esses números?

x + (x-12) = 58
x + x – 12 = 58
• 2x = 58 + 12 x : 35 – 12 = 23
2x = 70
x = 70
2
x = 35

E.10- A soma de dois números é 145 e a diferença é 15. Quais são esses números?

E.11- A diferença entre dois números é 2. O menor é a metade do maior mais 3. Quais são esses
números?

• Sistemas de Equações do 1º grau com duas incógnitas


São grupamentos de duas equações com duas variáveis cada, representadas após uma chave, em
que a solução corresponde a determinação do valor dessas variáveis de modo a que as duas equações
simultaneamente satisfaça o sistema, sendo representados na forma de par ordenado “(x,y)”.

 Método de adição para resolução de sistemas.

É o método utilizado quando uma das variáveis apresenta coeficientes simétricos nas distintas
equações, ao que sendo adicionadas anulam, restando apenas à outra variável para a obtenção do seu
valor, valor este que será substituído em qualquer das duas equações para a obtenção daquela primeira
variável, anteriormente eliminada.

 2x + 5 y = 4
Ex.1: 

 − 2x + y = 8
6y = 12

25
y = 12
6
y=2

2x + 5y = 4 -2x + y = 8
2x + 5(2) = 4 -2x + (2) = 8
2x + 10 = 4 2x −1 = 8-2
6
2x = 4 – 10 x= −
2
6
X= − x = -3
2
X = -3

Resolva os sistemas:

 3x + 2 y = 1
a) 
 5x − 2 y = − 9

 7x + 8y = 5
b) 

 2x − 8 y = 2 2

 2x + 4 y = 2
c) 

 − 2x + y = 8

Obs: Em um sistema de equações mesmo que os coeficientes de ambas as variáveis não sejam
simétricas, pode-se multiplicar as equações pelo coeficiente referentes a uma mesma variável de modo a
torna-los simétricos.

Ex: Em um sistema de equações mesmo que os coeficientes de ambas as variáveis não sejam simétricos,
pode-se multiplicar as equações pelo coeficiente referentes a uma mesma variável de modo a torna-los
simétricos.

26
 3x + 5 y = 7 x3
Ex.: 
 2 x − 3 y = 1 1x5
9x + 15y = 21 3x + 5y = 7
10x – 15y = 55 3(4) + 5y = 7
5y = 7 - 12
5
19x = 76 y= −
5
= 76 y = -1
9

X=4

Resolva os sistemas

 3x + 4 y = 2
a) 

 2x + 5 y = − 1

 5x − 3 y = 2
b) 

 2x − 4 y = − 2

 5x − 3 y = 9
c) 

 4x + 2 y = 1 6

• Método de substituição

Este método consiste em achar o valor de uma das incógnitas em uma das equações e substituí-lo na
outra.

27
Exemplo 1:

 2x + y = 5
Resolver o sistema  no universo Q x Q

 x + 2y = 4
Solução:
1ª equação: 2ª equação:

2x + y = 5 Substituir y por (5-2x) x + 2y = 4


y = 5 – 2x x + 2 (5- 2x) = 4
x + 10 – 4x = 4
x – 4x = 4 – 10
-3x = - 6
3x = 6
6
x=
3
y=5–2.2 Substituir x por 2 x=2
y=5–4
y=1

Resposta: S = {(2,1)}

Exercícios de fixação:

1- Resolva os sistemas pelo método da substituição, sendo U = Q x Q:

 x+ y = 1 1  x = 5 − 3y
a)  c) 

 x− y = 3  2x − y = − 4

 x+ y = 6  y = 4 − 2x
b)  d) 
 2x + y = 4  5x − 2 y = 1

• Resolução de problemas com sistema


28
Para resolver um problema com duas incógnitas, procede-se do mesmo modo que nos problemas
com uma incógnita.

Exemplo 1:

A soma de dois números é 35 e a diferença é 5. Quais são esses números?

Solução:
• Número maior: x x+y=35
• Número menor: y x-y=5

Resolvendo o sistema: x+y =35


x-y = 5

40
2x =40 x= x = 20
2

Substituindo x por 20 na primeira equação: 20+y=35


y = 35 – 20
Resposta: Os números são 20 e 15. y = 15

Exemplo 2:

Em um sítio, temos galinhas e coelhos. São 80 animais e 260 pés. Quantas são as galinhas e quantos os
coelhos?

Solução:

• Números de galinhas: x
• Números de coelhos: y
• Números de pés das galinhas: 2x x+y=80
• Número de pés dos coelhos: 4y 2x+4y=260

Resolvendo o sistema:

x + y = 80 x = 80 – y 2x + 4y = 260
2 (80 – y)+ 4y = 260
160 – 2y + 4y = 260
2y = 100
y = 50

Substituindo y por 50 na equação x + y = 80, termos:


x + 50 = 80
x = 80 – 50
x = 30
Resposta: No sítio há 30 galinhas e 50 coelhos.

29
Exercícios:

1) A soma de dois números é 14 e a diferança é 2. Quais são esses números?

2)Num estacionamento há bicicletas e carros num total de 20 veículos e 56 rodas. Determine o número
de bicicletas e de carros.

3)Numa prova de 20 questões, um aluno fez 16 pontos. Sabe-se que ele ganhava 5 pontos para cada
resposta certa e perdia 2 pontos para cada resposta errada. Quantas respostas ele acertou?

4)Juntando 29 pacotes de açúcar, uns com 5 quilos, outros com 1 quilo, podemos obter um total de 73
quilos. Quantos pacotes de cada tipo foram usados?

5) O cartaz de uma lanchonete anuncia:

OFERTA
a) Qual o preço
1 sanduíche + 2 sucos = R$ 5,00 de 1
2 sanduíches + 1 suco = R$ 7,00 sanduíche?
b) Qual o preço
de 1 suco?
c)
• Noção de razão

Razão entre dois números é quociente do primeiro pelo


segundo, com o segundo número diferente de zero.

Exemplos:
30
3
(A) razão de 3 para 5 é .
5

1 2 1 3
(B) A razão de para é , que é igual a
4 3 4 8
2
3

• Termos de uma razão

Os termos de uma razão recebem nomes especiais:

o número 4 é chamado antecedente


4
Na razão:
7
o número 7 é chamado conseqüente

Lemos: 4 está para 7.

• Razão de duas grandezas da mesma espécie

Considere a seguinte situação:


A altura de Ari é 1, 60m e a altura de Jair é 180cm. Qual a razão entre as alturas de Ari e Jair?

Temos:

160 8
Altura de Ari = =
180 9
Altura de Jair

8
Sendo 1,60m = 1,60cm, a razão entre as duas alturas é .
9

Razão entre duas grandezas de mesma espécie é o quociente dos


números que medem essas grandezas numa mesma unidade.

• Escala

Veja o desenho de uma quadra:

31
6cm
Escala: 1: 200

10cm

No caso a escala é 1: 200 (um para duzentos). Isso significa que cada 1 cm do desenho corresponde a
200cm reais.

Então:

• Comprimento da quadra: 10cm corresponde a 2 000cm ou 20m


10x200
• Largura da quadra: 6cm corresponde a 1 200cm ou 12m
6x200

As dimensões do quadrado são 20m por 12m.

Escala é a razão entre a medida utilizada e a medida real, ambas na mesma unidade.

Assim:

medida do comprimento no desenho


Escala = medida do comprimento real

Exemplo:

Uma sala tem 12 cm de comprimento. Esse comprimento é representado num desenho por 30 cm. Qual é
a escala do desenho?

Solução:
• Medida do comprimento no desenho = 30 cm
• Medida do comprimento real = 12m = 1 200cm

30 1
Logo: Escala = =
1200 40

Resposta: A escala é de 1: 40.

32
Exercícios de fixação:

1-Escreva na forma de razão:

a) 5 dias para 3 semanas. c) 1 ano pra 4 meses.

b) 3 semanas pra 5 dias. d) 4 meses pra 1 ano.

2- Observe a figura e determine:

6cm

9cm

a) A razão entre a base e a altura do retângulo.


b) A razão entre a altura e o perímetro do retângulo.

3- A planta foi feita na escala 1: 50

banheiro
Sala
Dormitório

Cozinha

a) Quais as dimensões reais da sala?


b) Quais as dimensões reais do banheiro?
c) Quais as dimensões reais do dormitório?

• Proporção
3
• A razão entre a largura e altura de uma foto é .
4

6
• A razão entre a largura e a altura de uma gravura é .
8
33
3 6
Então: =
4 8

3 6
As razões e são iguais. Dizemos que temos uma proporção.
4 8

Assim:

Proporção é uma igualdade de duas razões.

• Termos de uma proporção

Representamos a proporção por:


a c
= ou a: b = c: d
b d

Lemos: a está para b assim como c está para d.


• Os termos a e d são chamados extremos da proporção.
• Os termos b e c são chamados meios da proporção.

1º termo 2º termo 3ºtermo 4ºtermo


a : b = c : d

Meios
Extremos

• Resolução de uma proporção

Podemos descobrir o valor de um termo desconhecido numa proporção, aplicando a propriedade


fundamental.

Exemplos:

x 9
(A) Calcular o valor de x na proporção =
7 21

Solução: Produto dos extremos = Produtos dos meios

34
Multiplicando “em cruz”
Os termos da proporção.

21 . x = 7 . 9
21x = 63
63
x=
21
x=3

x −2 x
(B) Calcular o valor x na proporção =
12 20

Solução: Produto dos extremos = Produto dos meios

Multiplicando “em cruz”


Os termos da proporção.

20 . (x-2) = 12 . x
20x – 40 = 12x
20x – 12x = 40
8x = 40
40
x=
8
x=5
• Propriedades fundamentais das proporções

Sejam as proporções:
5 x 6 = 30 produtos dos meios
3 3
(A)
5 5
3 x 10 = 30 produtos dos extremos

3 x 6 = 12 produtos dos meios


2 4
(B)
3 6
2 x 6 = 12 produtos dos extremos

Isso nos permite concluir que:

Numa proporção, o produto dos extremos é igual ao produto dos meios.

Observe os exemplos:

2 4
(A) e formam uma proporção, pois 2 x 10 = 5 x 4
5 10
20 = 20

4 2
(B) e não formão uma proporção, pois 4 x 7 ≠5 x 2
5 7
35
28 ≠ 10

36