Você está na página 1de 3

ESTÁGIO SUPERVISONADO II

II- Acompanhamento de um processo real (criminal)


Relatório
Número do Processo: 0046774-90.2014.8.12.0001

1ª VARA DO TRIBUNAL DO JÚRI DA COMARCA DE CAMPO GRANDE/MS

ASSUNTO: HOMICÍDIO SIMPLES

DENÚNCIA:
O MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL, devidamente representado por sua Promotora
de Justiça, com fulcro no art. 129, I da Carta Magna, ofertou a denúncia, para início de
Ação Penal Pública contra:
SILVIO MISRAEL DA SILVA, buguinho, brasileiro, portador do RG N°
1096982/SSPMS, nascido em 10/08/1981, na cidade de Campo Grande/MS, filho de
Maura Cândida da Silva, residente na Rua São Sebastião, 982, Vila Taveirópolis, na
Capital.
ALEX HENRIQUE PEDRO, vulgo Negão, brasileiro, solteiro, exercendo a profissão
de servente de pedreiro, portador do RG N° 1603606/SSPMS, nascido em 31/01/1989,
na cidade de Campo Grande/MS, filho de Vera Lucia Henrique Pedro, residente na Rua
Ivo Biazoto, 195, Bairro Jardim Penfico, na Capital.

SÍNTESE DE FATOS
Segundo apurou-se, no dia dos fatos, ALEX estava discutindo com SILVIO na esquina
do Bar do Edson, momento em que a vítima Hermes apareceu no local e apontou sua
faca em direção a ALEX.
Verificou-se que, o denunciado ALEX e a vítima Hermes moravam juntos debaixo da
ponte e momentos antes do fato haviam discutido e por isso Alex teria efetuado um
golpe de faca contra Hermes, lesionando-o na mão. Em decorrência desse fato, a vítima
Hermes portando uma faca, foi tirar satisfação com Alex, no entanto, foi desarmada
pelos denunciados.
A vítima ao visualizar que Silvio e Alex também estavam armados com facas,
empreendeu fuga. Diante da situação, os denunciados começaram a correr atrás da
vítima Hermes. Conforme investigações, ALEX, com auxílio de SILVIO, esfaqueou a
vítima Hermes com a faca que havia retirado da própria vítima momento antes do fato,
causando-lhe a morte. Após o ocorrido, houve nova discussão entre os denunciados
ALEX e SILVIO, e, aproveitando da situação, SILVIO efetuou um golpe de faca contra
ALEX, não lhe causando a morte por circunstancias alheias à sua vontade, haja vista
ALEX conseguir fugir e buscar socorro médico no hospital Regional, onde passou por
procedimento cirúrgico.
O denunciado ALEX negou estar presente no momento da morte da vítima HERMES,
justificando estar no hospital regional recebendo atendimento médico. No entanto,
conforme consta no Laudo de Exame Indireto (fl. 232), Alex deu entrada no hospital
somente às 13h52min, havendo tempo suficiente para estar no momento do homicídio
de que foi vítima Hermes.
Ante ao exposto, os denunciados Alex Henrique Pedro e Silvio Misrael da Silva
incidiram nas penas do artigo 121, caput do Código Penal Brasileiro e o denunciado
Silvio Misrael da Silva incidiu ainda nas penas do artigo 121, caput, c/c artigo 14, inciso
II (tentativa), ambos do Código Penal Brasileiro em relação à vítima Alex Henrique
Pedro razão pela qual o MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL requereu após D.R. e A.
esta, fossem os denunciados citados para responderem por escrito a presente denúncia,
designando-se após, audiência para oitiva das testemunhas arroladas e, finalmente
interrogando os denunciados, pronunciando-se estes para serem submetidos a
julgamento perante o Tribunal do Júri.
DEFESA
ALEX HENRIQUE PEDRO, por intermédio da Defensoria Pública Estadual,
apresentou RESPOSTA À ACUSAÇÃO nos seguintes termos:
Primeiramente, não houve preliminares ou questões processuais a serem invocadas no
momento. Ademais, o mérito da acusação seria devidamente apreciado na fase
processual oportuna, após o término da instrução criminal, por ocasião do oferecimento
de suas alegações finais.
Arrolamento das mesmas testemunhas constantes na denúncia.
Por fim, requereu os benefícios da justiça gratuita, eis que o(a) acusado(a) é considerado
economicamente hipossuficiente, estando assistido pela Defensoria Pública Estadual.
PROVAS
A materialidade do delito com relação à vítima HERMES COEVA está comprovada
pelo Laudo de Exame de Corpo de Delito- Exame Necroscópico (Fls. 162/164), Exame
em Local de Morte Violenta (Fls. 130/141), Auto de Prisão em Flagrante Delito (fls.
02/13), Boletim de Ocorrência (Fls. 14/16), Auto de Exibição e Apreensão (Fls. 17) e
Termo de Reconhecimento Pessoal Positivo (fl. 201).
E com relação à vítima/denunciado ALEX HENRIQUE PEDRO, a materialidade do
delito esta comprovada pelo Laudo de Exame de Corpo de Delito- Exame Indireto (fls.
232).
Protesta, provar suas alegações através de prova testemunhal, cujo rol segue em anexo.
Rol de testemunhas:
1) Alex Henrique Pedro (Fls. 18);
2) Vilson Novaes da Silva (Fls. 15);
3) Nelson Santos da Costa - Policial Civil- (fl. 64);
4) Cleuza Antonia Ferreira (Fl. 96);
5) Marcelo Rodrigues de Queiroz (Fl. 102);
6) Edson José de Figueiredo (Fl. 109).
TERMO DE ASSENTADA
OCORRÊNCIAS APÓS A ABERTURA DA AUDIÊNCIA:
Pelo MM. Juiz foi determinado que os depoimentos das testemunhas comuns, VILSON
NOVAES DA SILVA, CLEUZA ANTONIA FERREIRA, MARCELO RODRIGUES
DE QUEIROZ, EDSON JOSÉ DE FIGUEIREDO e NELSON SANTOS DA COSTA,
fosse(m) gravado(s) pelo sistema de áudio e vídeo, que ficará(ão) vinculado(s) aos
autos, dentro do sistema SAJ, cabendo às partes, caso queiram, solicitarem à serventia
deste juízo cópia(s) da(s) referida(s) gravação(ões). PELA DEFESA DO ACUSADO
ALEX FOI DITO: "MM. Juiz em face do conflito da Defesa do réu Alex com a do
Silvio Misrael da Silva, requeiro a nomeação do defensor público com substituição
junto a esta Vara, para patrocinar os seus interesses. Pede deferimento".
DELIBERAÇÕES DO MM. JUIZ:
Pelo MM. Juiz foi acolhido o requerimento da Defesa por visualizar que pode haver
conflito entre as acusações dos dois acusados, sendo determinado que após a audiência
seja feita a abertura dos autos para a Defensoria Pública em substituição nesta Vara,
para atuar na Defesa dativa do acusado Silvio Misrael da Silva. Nesta audiência, foi
solicitado o comparecimento de outro Defensor, conforme acima nominado. Após a
providência mencionada no tópico anterior e tendo em vista o adiantado da hora, o MM.
Juiz deixou de aplicar os §§4º e 9º do art. 411 do CPP e converteu os debates orais em
apresentação de memoriais. Assim, determinou a abertura de vista ao MPE para
apresentação de alegações finais e, após, a abertura de vista à DPE (Defesa do acusado
Alex), para a mesma finalidade. Saem os presentes intimados. Nada mais.