Você está na página 1de 15

Resistência dos Materiais

Tensões e Deformações
2.7 Estruturas estaticamente indeterminadas

• As equações de equilíbrio fornecidas pela estática são


suficientes para o cálculo das forças atuantes em uma
estrutura desde que o número de incógnitas não ultrapasse o
número de equações. Estruturas determinadas estaticamente.

• Em uma estrutura isostática, como no exemplo,


uma barra recebendo carga uniaxial, é possível
calcular os esforços nas barras usando:
• No caso de uma estrutura HIPERESTÁTICA o número
de incógnitas será maior que o número de equações da
estática, no caso de uma barra com dois apoios
recebendo carga uniaxial.

• A única reação
da estática
resulta:

ou
• A estrutura hiperestática também é chamada
estaticamente indeterminada.

• Para resolver um problema estaticamente


indeterminado, consideramos uma equação adicional
baseada na deformação da estrutura.

• Método das forças: considera-se uma das reações como


desnecessária ao equilíbrio da estrutura (reação
redundante). Adota-se dois sistemas: o primeiro com a força
real aplicada e sem a reação redundante, e o segundo
somente com a reação como carregamento. O
deslocamento resultante desses dois sistemas deve ser
igual ao da estrutura inicial, calculado através de uma
equação de compatibilizaçao de deslocamentos.
Método das forças: escolhemos RA como redundante.
No primeiro sistema aplicando a carga real e desconsiderando
a reação redundante.
No segundo sistema considerando somente a reação
redundante como carregamento.
A equação de compatibilização de deslocamentos, é o ponto
onde compatibilizamos os deslocamentos dos dois sistemas
com o deslocamento da estrutura real. Neste caso, sabendo
que a estrutura real não sofrerá deslocamentos devido aos
apoios:

e portanto
Exercícios
1) As duas barras feitas de aço e latão se encontram no ponto C e
estão apoiadas em suportes rígidos em A e E. Para as cargas
apresentadas e sabendo que EA = 200 Pa e EL = 105 GPa, determine
(a) as reações em A e E,
(b) o deslocamento do ponto C
2) Determine o valor das reações em A e B para a
barra de aço com os carregamentos mostrado,
assumindo que não existe folgas entre os apoios e a
barra. E = 200 GPa.
3) A haste de aço mostrada abaixo tem diâmetro de 5
mm. É presa à parede fixa em A e, antes de ser
carregada, mantém uma folga de 1 mm em relação a
parede B’. Determinar as reações em A e B’ se a haste
for submetida a uma força axial P = 20 kN. Desprezar o
tamanho do colar C e supor que Eaço = 200 GPa.
Tensão Térmica

A mudança de temperatura numa barra resulta


uma mudança no comprimento da mesma
chamada de deformação térmica. Não há
tensão associada com a deformação térmica, a
menos que o alongamento seja contido pelo
apoio.

Como esta é também uma estrutura


hiperestática, tratamos o apoio adicional como
redundantes e aplicamos o princípio da
superposição.

δ T = α (∆T )L
PL
δP =
AE
2- 12
α = coeficiente de dilatação térmica
Tensão Térmica

A deformação térmica e a deformação do apoio


redundante devem ser compatíveis com a
deformação real da estrutura através da
equação de compatibilização de
deslocamentos.

δ = δT + δ P = 0

2- 13
Exercícios
1) A haste feita de dois cilindros AB e BC está restrita de
movimentação nas duas extremidades. O cilindro AB é
feito de aço, e o cilindro BC de latão. Sabendo que a
haste inicialmente não está carregada, determine a
compressão induzida quando a temperatura aumenta
50ºC.

Dados
2) Em uma sala com temperatura de 20ºC existe uma folga
de 0,5 mm entre as extremidades das duas hastes
mostradas na figura abaixo. Sabendo que a temperatura
atinge 140ºC determine
(a)A tensão normal na haste de alumínio
(b) O deslocamento da haste de alumínio