Você está na página 1de 6

MINUTA DE TERMO DE REFERÊNCIA PARA

“ESTUDO PARA MODELO DE GESTÃO DE PROGRAMA DE FOMENTO AO


DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES LIVRES PARA A CULTURA ”

Apresentação

Desenvolver software de forma distribuída, com equipes geograficamente dis-


persas, tem sido uma opção cada vez mais adotada por empresas e organizações do
setor de Tecnologia da Informação, as quais buscam neste modelo a minimização de
custos, a utilização de recursos espacialmente dispersos e a obtenção de vantagens
competitivas. Este fato tem gerado um grande interesse em pesquisadores de diversos
campos disciplinares interessados em dar respostas às dificuldades inerentes ao desen-
volvimento distribuído de software, como o gerenciamento de processos, tecnologias e
infraestrutura de comunicação disponível, a seleção e acompanhamento de recursos
humanos, a gestão de conflitos comportamentais e diferenças culturais para citar ape -
nas algumas.
Este estudo terá como referência uma possível iniciativa do Ministério da Cultu-
ra de fomento ao desenvolvimento distribuído de aplicações livres e abertas para as
demandas da comunidade de Cultura. Por isso ele buscará gera elementos que auxili-
em a administração pública a encontrar mecanismos para avaliação, contratação e ges-
tão de projetos de desenvolvimento desta natureza.

Objetivo principal

Gerar subsídios que auxiliem o Ministério da Cultura estruturar uma iniciativa de


fomento ao desenvolvimento aberto e distribuído de aplicações livres para a Cultura.

Objetivos específicos

• Levantar e sistematizar informações relacionadas à gestão de iniciativas


voltadas ao desenvolvimento de softwares livres na administração
pública e propor mecanismos de gestão para o Ministério da Cultura;
• Levantar e sistematizar informações sobre as especificidades da
comunidade de desenvolvedores em software livre no Brasil;
• Identificar as potenciais demandas por aplicações e softwares da
comunidade de Cultura;
Conceituação

Para fins de realização deste estudo serão entendidas como aplicações


demandadas pela comunidade de Cultura: a produção e edição de conteúdos de áudio
e/ou audiovisuais; a gestão e a preservação de acervos culturais digitalizados; a
diagramação e editoração de conteúdos textuais; os softwares utilizados na
conservação de obras artísticas; os softwares de suporte a realização de espetáculos e
apresentações artistico-culturais distribuídas em rede de computadores; protocolos de
comunicação e integração de acervos culturais; aplicações Web para a produção e a
difusão de conteúdos culturais.

Atividades

• Um dos primeiros itens para o estudo é um levantamento e sistematização


da experiência acumulada pela iniciativa Portal do Software Público
(SPB) do Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão (MPOG). Este
levantamento buscará descrever e analisar o modelo de governança
utilizado pelo SPB, bem como os seus mecanismos de premiação e
fomento;

• O segundo levantamento no Portal do Software Público é o do "Mercado


Público", uma base de consultores e prestadores de serviços
cadastrados cujo o objetivo é "criar um espaço virtual para aproximar a
demanda por serviços para as soluções disponibilizadas no Portal do
Software Público Brasileiro, da oferta dos prestadores de serviços ". Com
isso será possível traçar um perfil da comunidade envolvida no
desenvolvimento de softwares livres no Brasil. Serão buscadas
informações como percentual de consultores que atuam como pessoa
física e como pessoa jurídica, distribuição geográfica dos recursos,
participação da comunidade acadêmica como prestadores de serviços,
entre outros;

• Realização e registro de entrevistas com os coordenadores de comunidades


do Portal do Software Público em virtude destes serem peças-chaves na
gestão do desenvolvimento das soluções abrigadas pelo portal;
• Consulta a estudos já realizados no Brasil sobre o tema da indústria de
software e do Software Livre. Entre os estudos estão: 1) “ Estudo
sobre o software livre: comissionado pelo Instituto Nacional da
Tecnologia da Informação (ITI)” – Escola de Direito da Fundação
Getúlio Vargas – Rio de Janeiro, 2005; 2) “O Impacto do Software
Livre e de Código Aberto na Indústria de Software do Brasil ” -
Autor: Sociedade brasileira para promoção da exportação de software
(SOFTEX), 2005; 3) “O Software Livre nas Prefeituras Brasileiras ”
- Autor: Sociedade brasileira para promoção da exportação de software
(SOFTEX), 2005; 4) “Software e Serviços de TI: A Indústria
Brasileira em Perspectiva”. Autor: Sociedade brasileira para
promoção da exportação de software (SOFTEX), 2009;

• Levantamento na base do GingaCDN (Code Development Network), uma


rede de desenvolvedores de componentes e ferramentas para o
middleware brasileiro de TV Digital, o Ginga. Este levantamento visa
conhecer o perfil dos desenvolvedores envolvidos no projeto, pois a
iniciativa já conta com mais de 300 desenvolvedores cadastrados.
Também serão buscados os mecanismos de gestão utilizados por esta
iniciativa. No que diz respeito às ferramentas de suporte a gestão, o
estudo fará uma breve apresentação da solução adotada nesta
iniciativa, ou seja, a customização do Redmine - um gerenciador de
projetos baseados na Web com ferramenta de gerenciamento de bugs.
Vale observar que não é objetivo deste estudo realizar comparações
aprofundadas entre as diferentes ferramentas de apoio a gestão de
projetos, como dotProject, Redmine, Git, Trac e outros;

• Levantamento e revisão bibliográfica da produção acadêmica internacional


sobre o tema do desenvolvimento aberto e distribuído. Este
levantamento também buscará identificar e sistematizar elementos das
experiências internacionais (Vide último item deste documento
“bibliografia acadêmica previamente levantada”);

• Discussão sobre os modelos e as possibilidades de licenciamento previstas


na legislação brasileira. Dar especial atenção se existe alguma
dificuldade e/ou barreira junto ao Instituto Nacional da Propriedade
Industrial (INPI) para o registro de softwares com base na General
Public License – GPL (Licença Pública Geral)1;

• Levantamento e apresentação do modelo de gestão utilizado pelo Programa


Centro de Pesquisa e do Desenvolvimento em Tecnologias Digitais para
Informação e Comunicação (CTIC). Um dos objetivos deste
levantamento é apontar o papel das redes de competências no
desenvolvimento dos projetos selecionados pelo Programa. Também
serão realizadas entrevistas com a coordenação do programa na RNP
(Avaliar se MinC deseja assistir uma apresentação presencial do
programa);

• Avaliar a possibilidade de interação da pesquisa com o IV Workshop de


Desenvolvimento Distribuído de Software (WDDS) a se realizar entre 27
de setembro e 01 de outubro, na cidade de Salvador. O WDDS é um
fórum de discussão entre pesquisadores, professores, estudantes e
profissionais para apresentar e discutir problemas e soluções
relacionados às técnicas, métodos, ferramentas, ambientes e processos
de Desenvolvimento Distribuído (vide a relação de trabalhos já aceitos
até o momento);

Publicação dos resultados

Para a publicação dos resultados parciais será construído um blog na rede


social CulturaDigital.BR, onde também serão publicados os registros audiovisuais das
entrevistas realizadas no âmbito do estudo. A alimentação e a coordenação editorial
deste blog ficarão a cargo da RNP e poderá contar com a contribuição de
colaboradores. O produto final do estudo será entregue ao Ministério da Cultura na
forma de um relatório impresso.

1 O Ministério da Cultura solicita uma atenção a variação, GNU Affero, General Public License (Licença Pú-
blica Geral Affero GNU) – é possível que seja necessário providenciar a tradução para o Português das últi -
mas versões da licença. Neste item, sublinhamos uma atenção específica à GNU Affero, que é a versão
que o MinC está utilizando no que está sendo desenvolvido pela Coordenação de Cultura Digital, e se mos -
tra mais adequada à perspectiva de softwares como serviço web. Para avaliar a validade desta licença
frente ao marco regulatório vigente, talvez seja necessário da versão em Português.
Bibliografia acadêmica previamente levantada

SCACHI, W. - “Understanding Free/Open Source Software Development


Processes” in: Software Process Improvement Practice 2006; 11: 95–105

DAVID, P. and RULLANI, F. – “Dynamics of innovation in an “open source”


collaboration environment: lurking, laboring, and launching FLOSS projects
on SourceForge”. In: Industrial and Corporate Change 2008, Volume 17, Number 4,
pp. 647–710

KOGUT, B.and METIU, A. – “Open-source software development and


distributed innovation” in: Oxford Review Economiv Policy 2001, volume 17,
número 04.

BALDWIN, C. and CLARKT, K. – “The Architecture of Participation:Does Code


Architecture Mitigate Free Riding in the Open Source Development Model? ”.
In: Harvard Business School 2005,

HENKEL, J. – “Champions of revealing—the role of open source developers in


commercial firms”. In: Industrial and Corporate Change 2008, Volume 18, Number
3, pp. 435–471

KOCH, S. - “Effort modeling and programmer participation in open source


software projects”. In: Information Economics and Policy 20 (2008) 345–355.

SHAH, S. "Motivation, Governance, and the Viability of Hybrid Forms in Open


Source Software Development ". In: Management Science Vol. 52, No. 7, July
2006, pp. 1000-1014.

HIPPEL, E. "Horizontal innovation networks— by and for users ". In: Industrial
and Corporate Change 2007, Volume 16, Number 2, pp. 293–315

ROBERTS, J. et alli. "Understanding the Motivations, Participation, and


Performance of Open Source Software Developers: A Longitudinal Study of
the Apache Projects". In: Management Science Vol. 52, No. 7, July 2006, pp. 984-
999.

ENAMI, L. N. M. Um Modelo de Gerenciamento de Projetos Para um Ambiente


de Desenvolvimento Distribuído de Software . Dissertação (Mestrado em Ciência
da Computação) - Departamento de Informática. Maringá-Pr: Universidade Estadual de
Maringá. Maringá, 2006.

EVARISTO, J. R; SCUDDER, R. Geographically Distributed Project Teams: A Di-


mensional Analysis. 33rd Hawaii International Conference on Systems Sciences.
2000.

FUKS, H.; RAPOSO, A.B.; GEROSA, M. A. Engenharia de Groupware: Desenvolvi-


mento de Aplicações Colaborativas. XXI Jornada de Atualização em Informática,
Anais do XXII Congresso da SBC, V2, Cap. 3, 2002.
HERBSLEB, J. D; GRINTER, R. E. Splitting the Organization and Integrating the
Code: Conway's Law Revisited. International Conference on Software Engineering.
Los Angeles, California, United States, 1999.

HUZITA, E. H. M; TAIT, T. F. C; COLANZI, T. E; QUINAIA, M. A. Um Ambiente de


Desenvolvimento Distribuído de Software – DiSEN. I WDDS – I Workshop de
Desenvolvimento Distribuído de Software. João Pessoa, 2007.

KIEL, L. Experiences in distributed development: a case study . The Interna-


tional Workshop on Global Software Development, ICSE, Portland, OR, 2003. May 9
pp. 44–47.

PILATTI, L.; PRIKLADNICKI, R.; AUDY, J. L. N.: Avaliando os Impactos dos Aspec-
tos Não-Técnicos da Engenharia de Software em Ambientes de Desenvolvi-
mento Global de Software: Um Caso Prático . III Workshop Um Olhar Sócio-Técni-
co sobre a Engenharia de Software (WOSES 07), Porto de Galinhas. 2007.

PRIKLADNICKI, R; AUDY, J. Desenvolvimento Distribuído de Software: desen-


volvimento de software com equipes distribuídas. Ed. Elsevier, 2007.

PRIKLADNICKI, R; AUDY, J. MuNDDoS - Um Modelo de Referência para Desen-


volvimento Distribuído de Software. XVIII Simpósio Brasileiro de Engenharia de
Software - Brasília, DF, Brasil. Anais. pp. 289-304. 2004.

SALLES FILHO, S; STEFANUTO, G. O impacto Software Livre e de Código Aberto


(SL/CA) nas condições de apropriabilidde na indústria de software brasileira .
In: XI Seminário Latino-americano de Gestão Tecnológica, Salvador – Bahia, 2005.

Artigos do Observatório SOFTEX:


http://www.softex.br/observatoriosoftex/_publicacoes/default.asp#