Você está na página 1de 163

Waltraud-Maria Mulke

A H IE R A R Q U IA ESPIRITUAL
DOS

Uma Iniciação no A m o r e na L u z
S o b re a a u to r a :

W altraud-Maria H ulke já conquistou


muitos leitores com seus best-sellers sobre o
poder terapêutico das cores e das energias.
Ela nasceu em 1942, em Kãrnten, na
Áustria, e provém de uma família de m édi-
cos, motivo pelo qual conviveu precoce-
mente com doenças e sofrimentos. Essas
experiências despertaram nela um interesse
por métodos de cura natural, que a levou a se
dedicar a eles em período integral.
As cores e a força de cura que elas têm
exerceram um enorme fascínio sobre a au-
tora, que assim dedicou anos a fio à pesquisa
do seu efeito sobre o corpo e sobre o psi-
quismo humano.
Depois desse estudo, vieram novos tra
balhos de pesquisa no campo da cromotera-
pia, dos florais de Bach e da energia magné-
tica. Atualmente, ela atua como “Obreira da
L u z ” e dá palestras e seminários sobre essas
especialidades.
Q uem quiser entrar em contato com
Waltraud-Maria Hulke, ou se interessar por
um dos seus seminários, pode escrever, en-
viando envelope preenchido e selado para
resposta, à Editora W indpferd, que terá o
prazer de fazer chegar as cartas à autora.

W indpferd Verlag

“ E rzen gel - L ic h tv o lle H e lfe r ”

Postfach

87648 Aitrang

Alemanha
A HIERARQUIA ESPIRITUAL DOS

ARCANJOS
Waltraud-Maria Hulke

A HIERARQUIA ESPIRITUAL D O S

ARCANJOS
UMA INICIAÇÃO NO AMOR E NA LUZ

Tradução
ZILDA HUTCHINSON SCHILD SILVA

EDITORA PENSAMENTO
São Paulo
Título do original:
Erzengel lichtvolle Helfer
Eine Einweihung in die Liebe und das Licht der Erzengel

Copyright © 1996 by Schneelõwe Verlagsberatung & Verlag.


Publicado mediante acordo com Schneelöw e Verlagsberatung & Verlag,
D-87648 Aitrang — Germany.

Edição Ano

1- 2 - 3 - 4 - 5 - 6 - 7 - 8-9 98 - 99-00

Direitos de tradução para a língua portuguesa


adquiridos com exclusividade pela
EDITORA PENSAMENTO LTDA.
Rua Dr. Mário Vicente, 374 — 04270-000 — São Paulo, SP
Fone: 272-1399 — Fax: 272-4770
E-mail: pensamento@snet.com.br
http://www.pensamento-cultrix.com.br
que se reserva a propriedade literária desta tradução.

Impresso em nossas oficinas gráficas.


Este livro é carinhosamente dedicado a todas as pessoas
q ue buscam novos caminhos de vida e condições básicas que
lhes possibilitem contato com os reinos espirituais, vislumbran-
do também, deste modo, um novo estilo de vida que se adapte
à espiritualidade da alma, propiciando a ela maior desenvolvi-
mento e maturidade.
O fato de Deus desejar que todas as suas criaturas sejam
livres e que vivam em harmonia pelo tempo que tiverem de
passar na Terra deve ser motivo de alegria para nós. Essa har-
monia permite que todos captem e dominem as virtudes que
lhes interessem para poder se mudar para os reinos elevados
de LUZ.
A bênção de Deus recai sobre este livro e se torna plena no
coração dos homens de boa vontade, que confiarem na voz
interior de seu coração, unindo-se assim à Vontade Divina e
aproximando-se mais da LUZ.
Que a sua crença o ajude a aceitar e a cumprir o que mostro
aqui com o uma manifestação da LUZ na Terra e com o uma
materialização da verdade que nasce no Coração de Deus.

5
Estas palavras provêm do reino superior da LUZ e devem
ser compreendidas tanto com o um chamado quanto com o um
carinhoso lembrete de que para nós, seres humanos, é da mai-
or importância viver e agir de acordo com a nossa natureza
para realizarmos o trabalho com toda a força da nossa capaci-
dade espiritual, que, com o uma revelação da centelha divina,
alça v ô o da nossa presença divina EU SOU para a LUZ; assim,
os que estiverem diante de Deus receberão a irradiação da mi-
sericórdia e do louvor divinos como recompensa e, assim, te-
rão a vida eterna.

6
ário
m
Su

Sumário
Aos Meus Leitores.............................................................. 9
A Hierarquia dos A rcanjos................................................. 13
O Arcanjo M igu el.............................................................. 18
O Arcanjo J o fie l................................................................ 33
O Arcanjo Cham uel.......................................................... 47
O Arcanjo G ab riel............................................................. 60
O Arcanjo Rafael .................. 74
O Arcanjo U r ie l................................................................. 87
O Arcanjo Zaquiel ............................................................ 99
A Purificação da A u ra......................................................... 113
Visualização da L u z ........................................................... 117
O Ritual de M aterialização................................................. 121
A Cerimônia de Realização de um D esejo ........................ 124
A Força Magnífica do Eu S o u ............................................ 130
A Magnetização do Campo Etérico de Força.................... 134
Aprenda a Ajudar a Si M e s m o ........................................... 137
O Primeiro Raio de Luz — Azul-Safira.............................. 141
O Segundo Raio de Luz — Am arelo-D ourado................. 142

7
O Terceiro Raio de Luz — Cor-de-Rosa............................ 143
O Quarto Raio de Luz — Branco-Cristal.......................... 144
O Quinto Raio de Luz — V e r d e ...................................... 145
O Sexto Raio de Luz — Vermelho-Rubi-Dourado............ 146
O Sétimo Raio de Luz — V io leta ..................................... 147
A Mandala dos Arcanjos..................................................... 148
A Meditação dos Arcanjos........................... 150

8
Aos Meus Leitores

Estou profundamente alegre e grata por poder apresentar


aos leitores um livro que trará para muitos um grande alívio.
Eles reconhecerão que, com o SEU amor, bondade e compai-
xão, Deus nos dá uma ajuda em forma de mensagens arcan-
gélicas; podemos entender essas mensagens e atendê-las assim
q ue estivermos dispostos a lidar com elas e a colocá-las em
prática.
É por isso que este livro é um presente incalculavelmente
valioso, que nos foi enviado dos planos superiores da LUZ,
pois ele contribui para transformar em formas compreensíveis
as confusões e perturbações a que estamos sujeitos desde tem-
pos imemoriais. Assim ficamos aptos a solucionar e a purificar
essas situações, fato que exige grandes transformações.
No entanto, coube-me aceitar este grande presente e trans-
miti-lo para todas as pessoas que buscam a esperança; e tam-
bém para aquelas que sentem em seu coração que Deus perso-
nifica o amor, a bondade e a compaixão, a libertação de velhos
karmas, bem com o uma renovação de vida.
Todos nós, que acreditamos nestas palavras, somos susten-

9
tados pela mão de Deus a fim de podermos analisar o caminho
da nossa vida e descobrir onde se torna necessária uma mu-
dança, uma purificação ou uma solução para que possamos
controlar e dar valor à nossa vida terrena sem nos deixarmos
influenciar, vivendo com responsabilidade, da melhor forma
possível, para depois podermos continuar em campos mais ele-
vados da nossa evolução.
Estou repleta de luz e de amor — por ter sido escolhida
com o instrumento para receber e divulgar este livro, proveni-
ente da hierarquia espiritual dos príncipes dos arcanjos. Sou
imensamente grata por isso. Sou imensamente grata por ter
conseguido superar as dificuldades do meu caminho até agora,
sã e salva; agradeço pelo fato de os meus pedidos para ser uma
portadora da luz terem sido ouvidos de forma tão maravilhosa.
Sou então um exem plo vivo de tudo o que é apresentado e
enfatizado neste livro e de tudo o que se transformou e
espiritualizou no sinal da LUZ, manifestando-se para a nossa
salvação e felicidade.
Tal manifestação da LUZ está aqui diante de nós. Trata-se
do esforço da alma para fugir das trevas e do seu empenho
para chegar à LUZ e, portanto, à misericórdia do Criador, que
nos dá a SUA bênção.
Neste sentido, transmito esta maravilhosa mensagem de luz
a todos os que puderem se reconhecer e se reencontrar nela,
buscando reforçar sua postura, confiança e segurança, poden-
do assim procurar imperturbavelmente, e sem sofrer pressão de
fora, o seu caminho pessoal e individual para a LUZ e, encon-
trando-o, caminhar por ele. Estou disposta a levar LUZ para as
trevas com todas as minhas forças e aptidões, e dessa forma
eliminar toda a falta de clareza e as dúvidas; pois eu mesma
pude constatar e vivenciar, de forma impressionante, que te-
mos à nossa disposição tudo o de que precisamos para conseguir
percorrer o nosso caminho. Quero aproveitar o ensejo para enco-
rajar aquelas pessoas que se enredaram nas confusões da vida e
que, momentaneamente, não conseguem ver nenhuma saída.

10
Não desistam, mas ergam o olhar para o alto, voltando-se
para os arcanjos, que são carinhosos, bondosos e prestativos.
Peçam ajuda, esclarecimento ou desapego de todos os tormen-
tos e sofrimentos que os oprimem.
A resposta dos arcanjos está sempre presente, clara, nítida;
portanto, trata-se de conselhos compreensíveis e fáceis de se-
rem seguidos.
Sei bem do que estou falando, pois percorri pessoalmente
esse caminho e pude colher experiências; isso me permitiu
reto rnar das profundezas e subir rumo à LUZ. Agora estou na
LUZ e recebi esta incumbência, que executo com humildade e
com o coração repleto de gratidão.

Eu sou, com luz e amor, sua

Waltraud-Maria Hulke
Páscoa, 1996

11
A Hierarquia
dos Arcanjos

O elevado reino da hierarquia dos arcanjos está inundado


da luz do Sol universal. Ele está cheio de força da luz primordi-
al que, por trás do nosso sistema solar, como força primordial
da criação, irradia a energia vital, que é transformada através do
sistema solar, chegando à Terra.
Nesses campos também impera a luz que incorpora a or-
dem original da Criação divina, apresentando-se com o uma
mugem equilibrada, harmônica e perfeita da vida.
A função dos arcanjos é trazer essa luz para baixo, para a
Terra, no intuito de colocar à nossa disposição as qualidades
que se encontram nas cores da grande luz branca e que indi-
cam todas as vibrações necessárias à harmonia, à ordem e à
realização plena da vida.
Esta é a razão de os grandes arcanjos se subordinarem aos
sete rios de cor que provêm do Sol universal, a fim de atuarem
juntamente com sua qualidade perfeita de vibração.
Cada um desses grandes sete arcanjos recebeu de Deus
amplos atributos, a fim de intervir com eficácia nos aconteci-
mentos da Terra, tornando-os mais nobres, para que, de acordo

13
com suas características de equilíbrio, se harmonizem cada vez
mais com o raio colorido a que pertencem.
Assim sendo, eles estão sob proteção especial e em missão
de Deus; eles cumprem seu serviço com o ajudantes provenien-
tes dos campos do além, seres desapegados e altruístas que
ajudam a solucionar e a equilibrar nossos problemas.
Ele se sujeitaram voluntariamente a esse trabalho e, durante
sua atividade, seu desejo é deixar fluir uma ajuda direta para
aquelas situações que exigem um apoio fora do comum.
Miguel é o líder dos arcanjos, bem como da hoste dos anjos
com o um todo, e por isso ele também é chamado de “Príncipe
das Hostes Celestes”. Ele presta sua ajuda no primeiro raio de
luz, que vibra na cor azul-safira e personifica a fé, a vontade
divina, a proteção, bem com o a libertação de todo o mal.
O segundo raio brilha na cor amarelo-dourado, e quem atua
nele é o arcanjo Jofiel, que representa a estabilidade, a ilumina-
ção, a sabedoria, o discernimento e o progresso.
O terceiro raio vibra com a energia da chama rosa e está
sob a direção do arcanjo Chamuel. Trata-se do arcanjo da cari-
dade, do amor incondicional e espiritual, da compaixão, da
tolerância e da simpatia.
O arcanjo Gabriel atua no quarto raio da esperança, do aper-
feiçoamento, do equilíbrio, da pureza e da renovação, os quais
correspondem à luz branco-cristal.
O quinto raio brilha na harmoniosa cor verde e representa a
verdade, a cura, a iluminação, a concentração e a iniciação. Rafael
é o poderoso arcanjo que se consagrou a esse raio luminoso.
A ação do arcanjo Uriel se passa na esfera vermelho-rubi-
dourado, e incorpora a prática da misericórdia, do serviço altru-
ísta, bem com o à paz e à salvação perfeitas.
O arcanjo Zaquiel atua na chama violeta do sétimo raio de
luz. É o raio da Era de Aquário, que irradia a purificação perfei-
ta, a transformação, o perdão, a justiça divina e a liberdade
ilimitada.

14
O nome de todos os arcanjos termina com a sílaba “el”, que
significa “os enviados de Deus” ou “os mensageiros de Deus”.
Correspondentemente, cada arcanjo torna explícita a presença direta
de Deus no ser iluminado por meio das vibrações do seu nome.

Miguel pode ser traduzido com o “Quem é com o Deus?”, e


a resposta dele a essa pergunta é “Deus é sem igual!”
JOFIEL significa algo semelhante a “Deus é a minha Verdade”.
CHAMUEL significa “Deus é o meu objetivo”.
GABRIEL significa “a força de Deus”.
RAFAEL personifica o conceito de “Deus cura”,
URIEL descreve “o fogo de Deus”.
ZAQUIEL seu nome revela “a benevolência de Deus”.

No cosmos há muitas galáxias que se povoaram com criatu-


ras vivas que prestam serviço em nome do sinal da luz. A o
COSMOS também pertencem os sete grandes arcanjos que esta-
beleceram o objetivo de agir para honrar a Deus e proporcio-
nar bem-estar à criação, bem com o ajudar na implosão da luz,
na medida em que fortalecem, protegem e multiplicam os seus
raios e a sua capacidade luminosa.
Isso se completa, antes de mais nada, pela constante pre-
sença dos arcanjos no âmbito da esfera terrena, pois assim eles
podem entrar e ajudar com seu âmbito de ação quando as con-
d ições exigirem e permitirem a sua intervenção.
Nesse caso, temos de imaginar uma força que está sempre à
disposição para irradiar segurança, proteção, ajuda, conselho e
cura para a humanidade por meio desses seres repletos de luz.
Eles, podem desdobrar a luz que está contida neles e assim ficar
constantemente de prontidão a serviço dos homens.
Trata-se de um serviço prestado para o louvor e a honra de
Deus e do SEU nome sagrado, com uma dedicação carinhosa
às criaturas que trazem em si a centelha divina, sendo desse modo
u m a parte do Criador e do SEU amor, bondade e misericórdia.

15
Para tanto, esses seres superiores tornam-se fortes e unidos,
formando por assim dizer um exército de luz no campo materi-
al, o qual se submete incansavelmente às exigências da encar-
nação material, para dessa maneira agir com o postos de luz
contra as sombras que se manifestaram no mundo.
Nas sombras da matéria, sua missão é trazer luz às trevas e
fortalecer as vibrações elevadas da luz e das suas cores, deixan-
do-as fluir para os corações daqueles que as reconhecem e
buscam, conscientes de que representam a única realização ver-
dadeira da vida.

No curso do desenvolvimento de uma alma, a saudade da


luz torna-se cada vez mais forte despertando sentimentos e
desejos cada vez mais intensos de se aproximar novamente da
verdadeira origem da vida.
Nisso se manifesta a compaixão divina, que é expressa quan-
do existe esse esforço; ela age apoiando e colocando à disposi-
ção o que for necessário ao cumprimento do objetivo. Esta
também é a principal pretensão dos arcanjos que, igualmente,
se oferecem com o “o prolongamento do braço de Deus” para
que possamos percorrer um caminho que leve à luz.
Talvez não consigamos avaliar suficientemente com o é bom
saber que esses ajudantes extraordinários estão do nosso lado;
eles são considerados o exército luminoso de Deus e represen-
tam uma força e um poder enormes, que interferem e ajudam
ilimitada e diretamente na vida dos homens.
A idéia fundamental que está por trás desses exércitos é nos
fazer tomar conhecimento da compaixão divina com a qual
somos confrontados. No conhecimento desse grande mistério
de amor também existe um enorme potencial de energia; isso
nos permite buscar conscientemente ajuda e apoio; é quando a
capacidade da luz se revela com mais força e de forma mais
direta, ou seja, no âmbito mais elevado da hierarquia arcangélica
que atua no círculo de neblina do Sol cósmico universal. É por

16
isso que essa hierarquia é formada por portadores de luz da
maior bondade, e eles são dotados de virtudes inimagináveis.
Co m o seres humanos a caminho da luz, somos elevados a
um conhecimento que nos dá possibilidades de descobrir uma
ligação com o poder da Criação, no sentido da auto-realização
e do auto-aprimoramento da nossa alma e do reencontro do
caminho de volta à luz.
Resumindo, isto significa exatamente a possibilidade para
nos de ter acesso e de confiar nesse potencial de ajuda com
conhecimento de causa, de analisar o caminho percorrido até o
momento, de reorganizar e de restabelecer nossos objetivos;
assim poderemos encurtar o caminho da evolução que nossa
alma ainda tem de percorrer, na medida em que o reformularmos
de modo conscientemente mais eficaz e correto.
Com esse objetivo, vamos juntos esforçar-nos para compre-
ender e conhecer melhor o elevado reino dos arcanjos, fazen-
do disso uma experiência muito pessoal que nos será útil para
seguirmos adiante, amadurecermos e crescermos, para que
possamos, por fim, voltar, como portadores da luz, aos campos
luminosos em que há tranqüilidade, paz e a verdadeira feli-
cidade .

17
O Arcanjo Miguel

O arcanjo Miguel é o príncipe da hierarquia dos arcanjos e,


assim sendo, é senhor destes reinos de luz. É ao lado dele que
se alinham legiões de hostes angélicas para fortalecer a luz e
dissipar a escuridão. Ele tem o poder de elevar a qualidade da
energia luminosa, levando-a para um âmbito em que, por assim
dizer, os “milagres” se tornam possíveis.
Isto significa que faz parte das atribuições do arcanjo Miguel
uma rede de energia sobre as profundezas da matéria, a qual
sobe até as alturas com força milagrosa, para ali assegurar a
consolidação com a luz. Nesta rede de luz se encontram todos
os pedidos, esperanças, desejos e anseios levados para o reino
luminoso no esforço de mudar situações de vida para melhor e
de atingir metas correspondentes à luz.
O arcanjo Miguel pelo direito e pela justiça e, no seu campo
de ação, está habituado a apoiar e estimular intensamente o
altruísmo, a disposição de ajudar e a solidariedade entre os
seres humanos. Todas as pessoas que se preocupam com o
bem-estar da Criação e das suas criaturas e que se empenham

18
incansavelmente pelo bem, pela verdade e pela justiça encon-
tram nele um ajudante poderoso.
Com freqüência, o arcanjo Miguel e seu exército se unem
aqueles que, com o lutadores pelo bem, se vêem confrontados
com uma força que, inflexível e praticamente intransponível, se
ergue diante deles e que não poderia ser vencida apenas com
as capacidades humanas.
É nesses momentos que a luz sai vitoriosa. Um ajudante
provindo do reino dos arcanjos sempre está na posição de p o -
d e r ,solucionar uma situação aparentemente irreversível e de
levar luz à escuridão. Podemos reconhecer a presença podero-
sa desses seres luminosos, pois, com o “guerreiros de Deus”,
eles estão sempre armados com inesgotáveis energias e, por
isso mesm o, sempre saem vitoriosos desses confrontos contra
as forças do mal.
Nesse contexto, no entanto, é muito importante mencionar
que, por sua vez, os arcanjos também estão presos à lei cósmi-
ca, tendo de levar em consideração tanto o livre-arbítrio dos
seres humanos quanto sua fase de sublimação kármica.
Aqui se reflete um privilégio divino que Deus nos ofereceu
que tem com o base, por um lado, o livre-arbítrio e, por outro,
a dissolução das causas originais de culpa pessoal. Com isso é
colocado em ação um processo que se desenrola ao redor de
cada ser humano e que, no campo da matéria sutil, revela um
pólo semelhante que está em ressonância com ele.
Isto significa que as causas primordiais que são expressas a
partir do livre-arbítrio, têm de ser vividas e compensadas numa
troca de experiências da mesma qualidade.
Aí se encontra a verdadeira bondade de Deus, que se revela
por meio de uma justiça absoluta, oferecendo assim a cada
alma a possibilidade de se livrar de enredamentos que ela mes-
ma criou, desfazendo-os e extinguindo-os.
Q uando esse processo de purificação kármica está em an-
damento, cabe aos arcanjos apenas interferir nele e harmonizá-

19
lo melhor, pois trata-se de uma misericórdia de Deus colocada
à disposição dos seres humanos para que elaborem e, final-
mente, eliminem velhos pesos mortos para se libertar de um a
culpa; isso valoriza o caminho da alma para a luz.
Trata-se da lei de causa e efeito, cuja justiça absoluta o ser
humano tem de aceitar e à qual todos estamos sujeitos, visto
que somos criaturas livres, com o privilégio divino do livre-
arbítrio; assim sendo, nós, voluntariamente, nos submetemos a
essa lei, pois pela lógica um fato implica seu correspondente.
No reino da luz, fica evidente quão alta é a dívida de culpas
de uma alma e as medidas que têm de ser tomadas para amor-
tização da mesma. O livro das almas, no qual tudo está devida-
mente registrado — o chamado “registro akáshico” — , não dá
margem para dúvidas ou incertezas. Nele está registrado tudo,
com o se fossem dados de um computador, com precisão e
clareza; nele está armazenado o status que uma alma atingiu
até o momento, quanta luz ela conquistou para si e que som-
bras terá de compensar e eliminar.
Os arcanjos têm acesso a esses conhecimentos a qualquer
instante; e ele os limita na sua atividade, a ponto de em situa-
ções de emergência não poderem interferir diretamente por-
que, obedecendo à lei do karma, não devem fazê-lo.
Este é um ponto muito importante ao qual temos de dar
atenção quando nos voltamos para o alto em busca de auxílio.
Uma resposta completa, milagrosa, do elevado reino da luz só
se torna possível quando se destina ao nosso maior bem e não
impede ou adia o processo de purificação kármica da alma.
Contudo, todos os nossos pedidos de socorro são registrados
com amor e simpatia no reino dos arcanjos e aceitos de boa
vontade, mesmo quando ajudas espontâneas não são possí-
veis, pois eles interfeririam nos acontecimentos se isso fosse
indispensável para o mais elevado bem da nossa alma.
No entanto, também nessas fases, nossas súplicas nunca
ficam sem ser ouvidas, pois os arcanjos são entidades que re-

20
presentam uma personificação das virtudes divinas — amor,
bondade e compaixão. Toda pessoa que pedir do fundo do
coração, receberá consolo, alívio e apoio na forma de transmis-
são de energia espiritual que cai do elevado reino da luz sobre ela.
A freqüência da luz, então, é transformada ao descer e flui
na forma de raios coloridos fortalecedores para o sistema de
matéria sutil que envolve os seres humanos.
Esse processo acontece diretamente, e sentimos com o a
esperança, a serenidade e a confiança voltam para nós — trata-
se de novas energias que, finalmente, nos permitem enfrentar
uma situação aparentemente difícil com consciência e uma con-
fiança plena de que, em última análise, usaremos a nossa
criativid ade.
Podem os observar que um raio de luz azul preenche a aura
da pessoa que reza, raio que se torna cada vez mais forte,
brilhando com mais intensidade. Nele se dissolvem cada vez
mais a desesperança e o desespero, cedendo espaço para sen-
timentos de fé, confiança em Deus e esperança.
Isso torna explícita a imensa ajuda do reino da luz e a pre-
sença constante desses seres carinhosos que se ofereceram com o
servos da luz.
O raio de luz no qual o arcanjo Miguel presta seu serviço é
de um azul-safira brilhante — o azul de um céu radiante sem
nuvens numa amplidão ilimitada. O raio azul-safira é a freqüên-
cia em que ele, com seus seres luminosos, faz jorrar ajuda para
a Terra e no qual ele está sempre em ação.
O azul é a cor da paz e da confiança, bem com o da fé e da
transform ação da vontade divina; é a cor da nossa livre decisão
e da manifestação da vontade pessoal.
O azul incorpora a qualidade da dedicação maternal, da
proteção e da união com o Eu Superior, que encontra sua ex-
pressão mais perfeita na voz interior do coração.
As intuições são as indicações perceptíveis dessa fonte de
c e n t e l h a divina em nós mesmos, e são elas que podem ser

21
intensificadas e controladas por meio da admissão consciente
da energia da cor azul.
Em seu ilimitado poder de fé e de confiança em Deus, o
azul também é a qualidade cromática da cura espontânea, do
alívio da dor e do desapego de sentimentos de desesperança,
melancolia e dúvidas pessoais.
Estes são estados anímicos que se dissolvem no raio de luz
azul e, finalmente, se transformam no seu oposto, quando a
energia azul está outra vez estabelecida no sistema de energia
sutil.
Conhecer a força da luz e de suas cores maravilhosas nos
possibilita trabalhar com elas de forma direta; e assim, com a
qualidade da cor que desejarmos captar, podemos nos tornar
mais nobres, integrando-a no nosso sistema espiritual.
Antes de tudo, faz parte desse trabalho a visualização, a
qual nos ajuda a ver com o poder da imaginação um aliado que
nos possibilita a ligação com o raio de cor desejado no cami-
nho espiritual.
Por assim dizer, este é o “elo quente” que trazemos em nós
e que nos leva entusiasticamente para o alto, para o mundo das
cores. Dessa forma, cumpre-se outro mandamento de Deus,
que diz: “Pedi e vos será dado; agradecei, e a bênção de Deus
recairá sobre vós.”
Neste axioma está uma explicação muito reveladora para o
que acabamos de dizer. Aqui se evidencia que, com nosso li-
vre-arbítrio, temos o poder de levar nosso desejos e anseios até
a luz divina, extraindo dela, com o que de uma fonte inesgotá-
vel, uma sublimação de nossa vida terrena, que não pode ser
compensada de nenhuma outra maneira.
Da mesma forma, comprova-se o poder que nos foi dado
de submeter nossa vontade à vontade divina; esse poder surge
da livre decisão de uma alma, e também deve estar em perfeito
acordo com a vontade de Deus.
No sinal da luz, portanto, é possível também levar nosso

22
livre-arbítrio para dimensões em que o princípio divino do pe-
dir e receber, junto com o agradecimento profundo, tem uma
validade ilimitada. Esse grandioso conhecimento nos possibili-
ta chegar às esferas em que fica a origem da Criação e onde a
plenitude, bem com o a liberdade sem fronteiras, fizeram sua
morada.
O sucesso concreto da realização de um desejo, possível
para nós por meio do raio azul, passa pelo seguinte processo:
Em primeiro lugar, devemos nos ligar ao raio azul de luz
por meio da respiração e pedir ajuda, com conhecimento da
imensurável força dessa torrente de energia que criamos quan-
do acreditamos na presença de Deus. Esse é um pedido que se
cristalizou nas profundezas do ser — e que, corresponden-
temente, encontra eco no plano divino para a alma.
listar em harmonia com os próprios desejos significa tam-
bém ter vontade de progredir no caminho para a luz — e este
é o segundo plano espiritual de um desejo ardente, que toma
conta da pessoa e a impele cada vez mais para a sua realização.
Nesse processo também se revela o constante crescimento
e a evolução contínua de uma alma que não quer ficar estag-
nada, mas que em seu âmago anseia por amadurecer, chegan-
•In a luz. Esse processo é semelhante ao que ocorre na natureza.
Na natureza, tudo anseia pela luz assim que brota do prote-
t o r nutritivo solo da Mãe Terra — o planeta “azul” — , subindo
para o alto em busca da luz solar para crescer e amadurecer,
sem, contudo, nunca perder a forte ligação com o solo, pois
isso significaria, com certeza, o fim desse período de crescimento.
O mesmo acontece conosco, que encarnamos aqui na Terra
a fim de passar por uma fase de crescimento e amadurecimento
para podermos nos aproximar novamente um pouco mais da
luz. Nessa comparação, reconhecemos a importância do raio
azul, que também é considerado, no coração de Deus, com o o
primeiro raio de luz.
Ele é um raio protetor, nutriente e estimulante do cresci-

23
mento, que nos presenteia com a força para continuarmos a
crescer e a amadurecer; ele é o princípio primordial da prote-
ção, da confiança e da fé no poder da Criação, que nos transmi-
te a força moral e a segurança de que precisamos para evoluir
livremente. Na luz azul encontramos tudo aquilo que é neces-
sário para nos impulsionarmos rumo ao alto, mas também aquilo
que estimula esse desenvolvimento anímico, possibilitando que
venhamos a vivê-lo melhor e com mais eficiência.
Por isso, vamos abordar mais uma vez o tema sobre a reali-
zação dos desejos, pois nele encontramos o pólo oposto, que
nos premia o esforço do crescimento e do amadurecimento
com o privilégio de podermos entrar na “Grande Fonte” e dali
extrair o apoio necessário ao nosso processo de vida.
Também nesse caso nos reencontramos no âmbito de p o-
der do arcanjo Miguel. Ele nos toma sob a sua proteção quan-
do, confiantemente, nos voltamos para a fonte primordial da
Criação para lá empreender a materialização que deverá impul-
sionar nossa vida para reinos mais elevados.
Assim, chegamos outra vez a um ponto muito importante,
pois também aqui podemos reconhecer essencialmente que a
vontade divina tem de estar em perfeito acordo com a vontade
que expressamos, para esse empreendimento ser coroado de
êxito.
A vontade divina mostra-se com toda a nitidez e não pode
deixar de ser ouvida pela v o z interior do coração — e só então,
quando essa v o z estiver totalmente de acordo com nossos de-
sejos, se concretizam os pressupostos para uma materialização
no reino espiritual. Esses desejos, dos quais falamos aqui, são
aqueles que cresceram no nosso íntimo e, portanto, se relacio-
nam com o desenvolvimento da alma, que, desta forma, pode
ser realizado com mais plenitude.
N o entanto, não se trata dos desejos que provêm de um
pensamento puramente humano e que se devem ao amor-pró-
prio na luta pelo prazer e pela posse. Dessa forma reconhece-

24
mos a necessidade de destilar a essência de nossos desejos
com muita precisão para poder, numa jogada contrária, levá-los
a uma execução concreta que nos ajude a encerrar esta vida
terrena com a melhor qualidade e com uma colheita mais farta
de sucessos.
A “receita” para um ritual de materialização concreta no
sentido do desenvolvimento da alma será dada no prossegui-
mento deste livro.
No território elevado do arcanjo Miguel existe ainda outra
ajuda para nós, uma ajuda muito importante, com a qual pode-
mos apoiar e sublinhar nossa vida e que diz respeito às curas
espontâneas, que são possíveis no raio de luz.
Na linguagem das cores, associamos a luz azul com “salva-
ção" e com ajuda rápida, competente. No plano espiritual, o
exército do arcanjo Miguel é a mais ligeira tropa de resgate, que
vem correndo e está sempre a postos quando acontece uma
emergência.
Podemos ter certeza de que, quando um veículo de resgate
com farol atende a um chamado de socorro, ou dá a um ferido
grave os primeiros socorros, também estão presentes os aju-
dantes espirituais do raio azul, irradiando consolo, alívio, salva-
ção e cura com a sua presença.
Há uma grande compaixão no raio de luz azul — e esta se
relaciona, antes de mais nada, com as qualidades de manuten-
ção e de salvamento de vidas, que nele se densificaram. No
azul floresce a semente da vida.
Hoje já temos conhecimento de que um óvulo fecundado
irradia uma luz azul e que as futuras mães têm muitas partes
azuis em sua aura. O azul também pode ser definido com o a
"mãe primordial da Criação” — e, com isso, temos uma impres-
são aproximada dessa qualidade de cor e de sua indizivelmente
poderosa atuação sobre toda a vida no cosmos.
Nossa Mãe Terra é definida com o o “planeta azul” — tam-
bém neste caso fica óbvio o imenso efeito da energia da cor
azul sobre a vida e o crescimento.

25
Considerando-se as características divinas que vibram, nes-
ta freqüência, podemos ter uma idéia aproximada dessa energia
ao observar o que acontece quando focalizamos luz azul sobre
uma ferida ou uma inflamação dolorida. A informação celular
ativada por esse raio provoca uma parada imediata nesse pro-
cesso de destruição — o que podemos compreender com a
informação dada ao condutor do trem que tem de saber quan-
do mudar de trilhos para chegar à estação. No que se refere ao
corpo humano, ocorre uma harmonização e uma recuperação
do comportamento normal de vibração das células.
Por este exemplo, podemos de certa forma intuir qual com-
paixão a irradiação azul traz em si e com o é enorme a qualida-
de de cura dessa energia com relação à estrutura vital. Mas
também no âmbito espiritual e anímico pode acontecer com
freqüência um caso de “emergência” em nossa vida, passível de
ser tratado e curado da mesma forma que no âmbito físico.
A única exigência prévia para isso é manter uma idéia clara
da luz azul irradiante e uma atividade respiratória consciente,
que transporta esse meio de cura azul do reino espiritual para
baixo, fazendo-o fluir para o sistema dos chakras.
Uma limpeza espiritual de todos os sete centros de energia
com luz azul provoca uma enorme elevação energética na aura
e, ao mesmo tempo, também uma elevação do nível de vibra-
ção de nossas células, glândulas e órgãos.
Trata-se de uma energia construtiva, impulsionadora e esti-
mulante de vida que abre espaço e traz em si a semente da
vida, que se irradia para baixo a partir da força original da luz |
de Deus para a Terra e que atua para o bem-estar e a cura da
Criação. No âmbito imaterial, a energia da luz azul também é
eficaz na atmosfera energética. Para nós, isso significa que o ar j
que respiramos, que é o combustível da nossa sobrevivência
aqui na Terra, está repleto da qualidade azul da luz, e assim,
simultaneamente, da tonalidade básica da Criação, que é leva
da a vibrar na energia da luz azul.

26
Ainda há outro aspecto muito importante no campo da vi-
bração azul. Ele se refere à interpretação da liberdade perfeita,
que aqui definiremos com mais detalhes.
A perfeita liberdade pessoal também é um privilégio de Deus
que, em algum momento, foi dado a cada uma das almas. Dela
faz parte a liberdade de podermos expressar livremente nossa
personalidade conforme os talentos que tivermos, mas também a
liberdade de sabermos reconhecer e respeitar esse grande dom.
Isso muitas vezes leva a interpretações falhas. Conforme
interpretamos a liberdade, veremos que só somos livres na vida
até o ponto em que o permitir a nossa estrutura material e o
lpano físico em que nos encontramos. Mas aqui não estamos
falando de falta de liberdade relacionada com o plano material,
mas da liberdade que um ser humano tem quando realiza seus
desejos, objetivos, planos e anseios; ou a liberdade que, por
algum motivo financeiro subjacente, é desprezada e sacrificada
pelo homem em favor de sua felicidade terrena.
Neste tema cabem muito sofrimento, decepção e desenvol-
vimentos humanos falhos; por isso é importante que nunca nos
esqueçamos de que a liberdade perfeita e ilimitada — assim
como a que nos foi concedida por Deus — pode ser encontra-
a única e exclusivamente na compreensão da nossa liberdade
interior. Esta se apresenta com toda a nitidez na forma de dese-
jo e predileção por um caminho que é o único e verdadeiro
para determinada personalidade.
Essa é a base para um crescimento sem prejuízos, para a
independência e a auto-realização, e esse é o fundamento se-
guro no qual a liberdade espiritual pode ser expressa e se de-
senvolver.
A falta de liberdade na vida terrena sempre pode ser atribu-
ída a um preconceito espiritual. Donde se pode concluir que,
novamente, nosso livre-arbítrio é quem cria as causas e efeitos,
provocando dessa forma o ritmo em que soa a melodia da
nossa vida.

27
Para encontrar uma saída da nossa prisão espiritual, conta-
mos com a grande e inestimável ajuda do raio azul de luz,
pois, com suas vibrações, ele consegue agir em estruturas e
padrões energéticos do nosso sistema sutil, os quais mudaram
sua imagem original em virtude do nosso aprisionamento. As-
sim, completa-se uma troca de freqüências de energia que tra-
zem em si um desequilíbrio, afastando-se, portanto, da ordem
cósmica.
Esse processo atua de m odo independente; basta que seja
apoiado pela nossa vontade, na medida em que fizermos uma
correção na nossa percepção de vida; essa conscientização terá
de ser feita com a força do nosso espírito.
Esse assunto também será tratado de forma mais abrangente
no decorrer deste livro.

A mudança do âmbito terreno para o espiritual também tem


muito a ver com o direito essencial à liberdade pessoal. É por
isso que agora iremos esclarecer essa situação com mais deta-
lhes.
A passagem de uma alma para outra dimensão está sempre
ligada a um forte desejo dessa alma, que em algum momento
estabeleceu esse objetivo, com pleno conhecimento do signifi-
cado dessa escolha. Pois, num primeiro instante, não é muito
fácil entender essa passagem, mas ela é uma realidade inabalá-
vel à qual temos de nos submeter.
Quando chega a hora de uma alma abandonar seus trajes
terrenos e mudar-se para outros reinos, forma-se no corpo hu-
mano um hormônio muito especial que prenuncia que a vida
dessa pessoa está chegando ao fim. Aos poucos, as forças se
interiorizam cada vez mais, e torna-se cada vez mais perceptí-
vel, na aura, que a alma quer se despedir a fim de se preparar
para um novo nascimento.

28
Por isso, é um enorme consolo e grande ajuda quando uma
se encontra à beira da morte não precisar passar pela
sensação de estar sendo retida na Terra pelos seus entes queri-
dos, é de grande ajuda quando estes lhe transmitem a energia
de cor azul com compreensão e solidariedade, no intuito de
facilitar sua passagem para o outro lado.
Envolvida pelas vibrações azuis, essa pessoa se sente muito
melhor, mais calma e protegida, e a passagem para o outro
mu n d o transcorre de forma muito mais harmoniosa e suave.
O q ue acontece no caso de morte súbita, perguntamos a
nós mesmos, ou no caso de crianças que já nascem mortas? A
resposta a essa pergunta pode ser encontrada novamente na lei
decausa e efeito.
Nesse caso, ocorre algo que esta alma decidiu sofrer volun-
tariamente, com o parte de sua sublimação de culpas, para que
possa compensar e purificar o que for necessário em virtude de
seu comportamento anterior.
Nessas tais condições, é o arcanjo Miguel que, com uma
bondade muito especial, dedica-se a essas pessoas que sentem
m edo e desespero e não conseguem sair da prisão que elas
próprias criaram.
Com a força espiritual da energia luminosa azul, ele conse-
gue provocar uma dissolução energética de bloqueios no cam-
po imaterial, e com isso, simultaneamente, também uma
reestruturação do padrão energético e emocional. Isso se torna
visível numa perceptível energia luminosa que traz inerente em
si a semente de uma nova esperança, de uma nova coragem e
confiança no futuro — virtudes ligadas ao amor divino, que se
oferecem c o
m com energia vital e estímulos renovados de vida.
Assim, torna-se novamente óbvio que, aqui na Terra, estamos
envoltos num enorme reservatório de forças, que se mantém à
nossa disposição com o as inesgotáveis energias de que precisa-
mos para podermos concretizar ilimitadamente a nossa vida
terrena.

29
O arcanjo Miguel, senhor do raio azul, no seu ilimitado
amor, está junto de nós quando pedimos sua ajuda e quando as
trevas se instalam no nosso coração porque a força da fé pare-
ce ter-se esvaído.
É justamente nessas ocasiões que sua ajuda pode ser senti-
da de forma mais nítida e duradoura, pois ele fez do seu lema a
crença na onipotência da Criação Divina e sente-se obrigado,
diante do seu Deus, a manter e a cultuar esse elevado bem.
No arcanjo Miguel encontramos um defensor fiel e podero-
so do Direito e da Ordem, o qual defende a lei da causa e
efeito, mas também é guardião da fé e um aliado leal quando
se trata de harmonizar nossa vontade pessoal com a vontade
de Deus.
A o saber que contamos com esse magnífico apoio, torna-se
mais fácil para nós percorrer nosso caminho voltados para um
objetivo e assumindo responsabilidade pessoal por ele; torna-
se mais fácil valorizar e respeitar o grande bem da liberdade
pessoal, pois é ela o pressuposto imprescindível para o cumpri-
mento e realização da vida humana, segundo a previsão divina
que nos obrigamos a cumprir.

O raio azul de luz ajuda-nos a criar em nós força, confiança,


paz e proteção, bem com o a fortalecer a crença e a confiança
em Deus — valores que são imprescindivelmente necessários
para uma vida plena no sinal da luz. Esse, por certo, é o mais
valioso tesouro de uma vida terrena, que deveríamos nos esfor-
çar por obter a fim de podermos conquistar um potencial mais
forte de energia e, ao mesmo tempo, também um crescimento
espiritual maior.
Uma alma, portanto, está neste âmbito terreno para solucio-
nar seus vínculos kármicos e para fazer jus dessa forma à lei
cósmica de causa e efeito. Contudo, faz parte da sua missão

30
criar novos laços, sem com isso criar novas causas que venham
aexigir uma reconciliação. Além disso, ela vem para aperfeiço-
ar suas qualidades e enriquecê-las com luz e amor.
O arcanjo Miguel e suas legiões se empenham em nos apoi-
arcom força de ação, para que possamos sentir uma plenitude
de luz e amor e bênçãos na forma da força criadora de Deus.
Pela sua ação, ele deve ser reconhecido com o o “prolonga-
mento do braço de Deus”, e sua tarefa é ajudar-nos a sentir e a
captar as vibrações da luz, acelerando dessa forma nossa cres-
cente evolução.
Desse modo, eleva-se aos poucos o potencial vibratório dos
átomos, do núcleo das células e dos campos eletromagnéticos
que nos cercam; assim, somos envolvidos por freqüências de
matéria sutil, o que faz com que consigamos encontrar mais
rapidamente nosso caminho de volta à origem.
A verdadeira origem primordial de todo átomo e de toda
célula do nosso corpo físico, bem com o de nossos corpos
etéricos, é a Luz Divina da perfeição absoluta e do verdadeiro
bem-estar do corpo, do espírito e da alma.
As impurezas do nosso corpo emocional e mental, de nos-
sos pensamentos e sentimentos negativos e destrutivos, fazem
surgir no âmbito imaterial uma estagnação da energia, que pas-
sa diretamente para o estado do corpo físico; e isso provoca o
desequilíbrio do sistema energético do organismo, causando
alterações generalizadas.
Esse é o caminho para a desarmonia física, que sempre se
aglomera primeiro no âmbito sutil, antes de manifestar-se na
matéria bruta.

Podemos atuar conscientemente contra esse processo se


purificarmos com regularidade nosso campo energético e o car-
regarmos e protegermos com o raio azul de luz. A energia lumi-
nosa azul é uma poderosa fonte de força, que sempre podemos
incluir na nossa vida com a finalidade de ativar a “centelha

31
divina” no nosso interior, com o conhecimento da presença do
Deus EU SOU, que aí está ancorada.
Na palavra criativa divina EU SOU existe uma força e uma
capacidade ilimitadas de liberar poderosas torrentes de luz; com
elas podemos modificar tudo o que for preciso para uma reno-
vação no sentido da luz. EU SOU personifica a força em nós, o
p o d e r de d isp o rm o s d e uma p len itu d e de luz e de a
direcionarmos para todas as partes em que se faça necessária,
onde houver carência de luz.
Com o uso consciente do princípio EU SOU, são liberadas
as energias de que necessitamos para a complementação da
nossa vida na Terra; apenas com o pensamento EU SOU O QUE
SOU essas energias ficam disponíveis com a rapidez de um
segundo.
O arcanjo Miguel é o nosso amigo fiel; basta nos esforçar-
mos para intensificar a força da nossa fé, no intuito de conse-
guirmos uma capacidade mais elevada de percepção espiritual
e de inspiração; essa capacidade nos ajudará a cumprir melhor
e a aprender as leis divinas e os seus fundamentos.
O Arcanjo Jofiel

No reino elevado dos arcanjos, Jofiel encontra-se na vibra-


ção de luz amarelo-dourada, com toda a sua força de ilumina-
ção e abundância, representando o segundo raio de luz que
vem do coração de Deus.
Nesse raio amarelo-dourado reflete-se a imensurável Pleni-
tude da Criação, que se expressa pela maturidade e sabedoria
ilu minadas, depois de um longo e árduo caminho de cresci-
mento; ao mesmo tempo, reflete-se o chamado para a ação,
que, por meio da vibração amarelo-dourada, já começa a se
manifestar vivamente na forma de novas idéias, impressões e
percepções. Estas provêm diretamente das alturas iluminadas,
encont rando nesse raio uma forma de expressão.
No raio amarelo-dourado de luz, a vibração energética en-
tra para uma dimensão em que imperam uma movimentação e
uma atividade frenéticas; de acordo com isso, ele estimula os
seres humanos a agir por meio da própria força de vontade,
que tem de criar espaço e liberdade para se manifestar.
No dourado do sol, vemos a abundância absoluta de luz,
com seu potencial de doar calor e estímulo para a vida, bem

33
com o a claridade que traz felicidade no sentido de se poder
estar na luz para fugir das trevas. Esse é um aspecto essencial,
que atua tanto sobre o mundo dos sentimentos quanto sobre o
bem-estar do ser humano, tornando-se mais visível ao imagi
narmos com o nos sentimos felizes e inspirados quando os rai-
os quentes do sol tocam nossa pele e tudo à nossa volta fica
envolto na luz e se torna visível. Então reconhecemos nitida-
mente que somos seres da luz e que ansiamos por voltar a ela.
No dourado da Terra, ao contrário, vemos uma plenitude
de qualidade bem diferente. Aqui vemos o aspecto mais denso
da energia luminosa amarelo-dourada, que na Terra se transfor-
mou num metal nobre, para representar no âmbito terreno a
abundância e o excesso que denominamos riqueza — riqueza
no sentido do bem-estar financeiro e da realização de necessi-
dades e pretensões que trazemos em nós e que ampliam nos-
sos horizontes.
Esse é o significado da energia luminosa amarelo-dourada
no plano terreno, e também torna-se óbvia a comunicação es-
piritual com essa parte da luz, que personifica a riqueza em
todos os âmbitos. No raio amarelo-dourado está uma energia
abrangente de plenitude e amplidão e, da mesma forma, uma
tendência a expandir-se que se encontra sempre em movimen-
to para corresponder à plenitude.
Plenitude e movimento estão, portanto, na respiração, pois
estão ligados inseparavelmente e em mútua ressonância. Nesse
conhecimento revela-se para nós o grande mistério do raio
amarelo-dourado. Este está na possibilidade da plenitude, e ela
corresponde à lei cósmica do perfeito equilíbrio entre o dar e o
receber.
Trata-se da lei da vida, que aqui exige seus direitos e faz
questão de que o dar e o receber estejam em sintonia harmoni-
osa com a plenitude e a mobilidade, se quisermos que nossa
vida fique repleta de generosidade e receptividade, na melhor
forma possível.

34
Esta é uma indicação segura de que vale a pena pensar
n i so com mais empenho. O princípio básico do raio amarelo-
dourado torna-se claro na força de irradiação da luz primordial,
com sua qualidade penetrante e doadora de vida.
No que se refere à nossa vida, reconhecemos na luz amare-
lo-dourada uma energia que nos dá plenitude e, da mesma
forma, também a motivação para agir, tanto no âmbito espiri-
tual quanto no físico.
Por trás disso está o significado do bem dosado equilíbrio
entre esses dois fatores, onde se torna clara a lei cósmica: “Dar
e receber num jogo equilibrado de troca resultam num todo
integro.”

l Esta é a tonalidade básica em segundo plano desse tipo de


cor, que se apresenta aqui para tornar sublime a vida com a
energia quente da plenitude associada à da força do espírito.
O lado espiritual de uma pessoa sempre está voltado para o
ma i o r desenvolvimento e amplidão possível de sua capacida-
de. Ela sofre a influência única e exclusivamente no seu livre-
arbítrio que, muitas vezes, resulta numa limitação no mundo
material, impedindo o seu progresso espiritual.
Então surgem as experiências e os trabalhos que, a seu modo,
possibilitam que saiamos outra vez dessa situação que se trans-
formou num beco sem saída, a fim de, amadurecidos e esclare-
cidos, podermos desenvolver novos traços característicos, esta-
belecendo novas perspectivas para o uso do livre-arbítrio.
Esse amadurecimento é proporcional pela luz amarelo-dou-
rada da Criação Divina, na medida em que ela irradia as energi-
as quentes e luminosas necessárias para chegarmos sãos e sal-
vos a ele. A maturidade está multiplamente ligada a sofrimen-
tos, decepções, privações, bem com o à perda da alegria de
viver - donde podemos deduzir que há uma bênção no raio
amarelo-dourado, que se irradia para nós na Terra com o intui-
to de fortalecer a capacidade de resistência e possibilitar o cresci-
m ento.

35
Na mesma relação está o estímulo para a atividade e a cap-
tação de energias, sejam elas espirituais ou físicas. Ambas exer-
cem enorme influência sobre os acontecimentos e são igual-
mente importantes para o reconhecimento do que é mais inten-
samente exigido de nós. Temos de perceber que dependemos
do tempo, do espaço e do cosmos e que, aqui, nosso corpo,
espírito e estrutura anímica têm de viver, crescer e amadurecer
segundo regras determinadas.
Todos esses três aspectos encontram-se numa constante
mudança de energias e, por isso, estão sempre em movimento
para poder controlar sua disposição conforme for preciso.
Em poucas palavras, nesse contexto está a revelação de
toda a vida humana, que se prontificou a entrar na matéria para
nela viver tomando as medidas necessárias de purificação de-
terminadas pelo plano kármico.
N o entanto, aí também encontramos, simultaneamente, uma
grande ajuda, à disposição de toda alma que percorre esse ca-
minho terreno, para que ela consiga chegar um pouco mais
perto de sua pátria de luz.

O arcanjo Jofiel, com sua ilimitada bondade, está disposto a


nos fortalecer com abundância de luz amarelo-dourada, para
que possamos ser pessoas melhores e possamos agir com mais
eficácia; assim, nossa vida terrena poderá evoluir até a com ple-
ta maturidade, permitindo-nos usufruir de maiores vantagens
espirituais.

Na essência desse grande arcanjo estão a sabedoria e a pa-


ciência, que se tornam perceptíveis quando estamos dispostos
a dar novo impulso à nossa vida, empreendendo uma mudan-
ça de rumo que pode nos parecer intransponível no momento,
por acharmos que está muito além do que podemos conseguir.
A s almas esforçadas, lutadoras, nessa interminável busca
têm no arcanjo Jofiel um apoio seguro, forte e inabalável, que
está à disposição sempre que uma incumbência desse porte lhe
é entregue. Aí se incluem, inclusive, as perguntas relativas ao
conhecimento espiritual, como também problemas concretos,
mundanos, que exigem uma solução apropriada.
Nesse contexto cabem todos os âmbitos que se relacionam
mm o aprendizado e com o ensino e que, portanto, exigem
compreensão e abertura para se obter mais conhecimento que
leve à evolução, e à sua confirmação.
O arcanjo Jofiel, com seus portadores de luz que prestam
serviço no raio amarelo-dourado, também fica do lado daque-
les que se sentem estimulados a fazer descobertas, invenções e
pesquisas renovadoras, e que, com o pioneiros em seus ramos
de atividade, estejam fortemente envolvidos no trabalho a pon-
to de não conseguir evitar o desânimo, as dúvidas pessoais e as
humilhações.
Co m sua tocha luminosa, o arcanjo Jofiel posta-se bondosa-
mente ao lado dos caluniados e dos traídos, que têm de lutar
contra o mais profundo desespero e desesperança. Da mesma
forma, ele sempre está ao lado daqueles que negam a existên-
cia da luz em seus corações, tendo perdido totalmente a alegria
de viver.
O cansaço de viver provém de sentimentos profundos da
alma, que se sente sufocada, visto que não consegue reconhe-
cer nenhuma luz de esperança e de consolo, nem achar saída
para uma situação insuportável.
As horas mais negras sempre são aquelas em que uma pes-
soa não consegue mais tomar conhecimento da sua luz interior
e , por isso, desiste, pondo fim a esse estado.
Portanto, o término de uma vida terrena orientada pelo li-
vre-arbítrio, por livre e espontânea vontade, é um dos erros
m ais graves que uma alma pode cometer. Significa interferir
exatamente num processo que foi planejado pela criação, que
se manifestou para o bem dessa alma e que não conseguiu

37
cumprir o seu objetivo. Isso parece muito simples. Entretanto, é
difícil descrever seu significado mais profundo.
É aí que se revela o poder da criação, que, com o uma ener-
gia doadora, protetora e nutriente, se dispôs a proteger a vida,
irradiando uma bênção imensurável, possibilitando dessa ma-
neira que a alma encontre o caminho de volta à pátria de luz.
A o se jogar fora uma vida, revela-se um desprezo por essa
força poderosa e, ao mesmo tempo, também uma desvaloriza-
ção das suas leis cósmicas. Com tal atitude, uma alma se coloca
na sombra e se submete a uma fase de reconciliação dolorosa,
que se cumpre nos reinos espirituais em que não existe luz.
É aí que se encontra o plano que chamamos de “inferno”,
que se manifesta pela negação do consolo da luz e das forças
regeneradoras da alma, enquanto esta não tiver reencontrado
um novo impulso para ousar dar um passo rumo à luz. Depois
que essa alma desenvolve essa decisão, torna a ser envolvida
pelas forças auxiliadoras da luz associadas à ajuda proveniente
do reino dos arcanjos e de todos os outros seres elevados que
se dedicam ao serviço da luz, em nome da missão de Deus.
Então surge para essa alma perdida um novo estado de
graça, no qual, apoiada por ajudantes espirituais, ela pode re-
ver e expressar outra vez sua decisão de permanecer na luz.
A experiência das trevas, que ainda traz firmemente grava-
da em si, provoca uma mudança de pensamentos e uma deci-
são mais firme em favor da luz.
Nesses casos terríveis, o arcanjo Jofiel sempre se esforça por
deixar fluir para a vida a luz da atividade e a abundância do
raio dourado de luz; a alma, então, torna a esforçar-se em cum-
prir o grande plano de evolução, declarando-se disposta a usar
sua liberdade para viver na luz.

Muitas vezes há situações que podem parecer uma grande


injustiça ou um castigo imerecido na vida das pessoas, visto

38
que não existe explicação para que algo tão terrível tenha acon-
tecido justamente com elas, quando não têm conhecimento de
ter cometido falta alguma.
No entanto, sempre existe uma causa básica para esse acon-
tecimento, seja por ele ter sido estabelecido nesta vida, em
alguma ocasião, ou numa vida passada, pois também as velhas
dívidas esperam por uma compensação. Por isso convém sa-
bermos que “todo destino que não merecemos” — com o gosta-
m o s de afirmar — sempre tem uma causa que nós mesmos
criamos em outra ocasião, e tem de ser levada em conta.
Ao tomar conhecimento desse fato irreversível fica mais fá-
cil aceitar com humildade os assim chamados golpes do desti-
no, sem opor resistência e sem carregar ainda mais de energia
negativa o que, seja com o for, terá de ser cumprido e resolvido
em alg um momento.
No plano elevado do arcanjo Jofiel também existe ajuda
disponível para esses casos, oferecida na forma de energias
estimulantes e consoladoras; com elas a pessoa pode obter nova
coragem e alegria, virtudes de que precisa para poder
erguer-se das profundezas da depressão, do desânimo e do
desespero, quando estes se tornarem insuportáveis e ameaça-
rem paralisar a força vital.
Essa ajuda também se aplica à nossa luta desesperada pela
sobrevivência, diante da qual ficamos desamparados e que pa-
rece nos desorientar.
Outra situação para a qual poderemos conseguir ajuda é a
que se refere às inseguranças da vida e à competitividade, tor-
nando-nos vítimas da pressão e da dependência, o que para
muitas pessoas representa grande desvantagem.
O conhecimento da força do raio amarelo-dourado oferece-
nos uma grande ajuda também nessas circunstâncias; consiste
em nos unirmos conscientemente a essa irradiação de cor, dei-
xando-a fluir perceptivelmente para o corpo, o espírito e a alma,
a fim de alcançarmos a liberdade que paira diante de nossos
olhos.

39
Limpar e recarregar de energia o sistema de chakras, modi-
ficando-o positivamente, representa outra grande ajuda. A luz
amarelo-dourada deverá ser inspirada para cada um dos chakras.
O medo, a confusão e tudo aquilo que pode nos perturbar terá
de ser eliminado conscientemente com a expiração. Essa técni-
ca de visualização maravilhosa e muito útil será tratada adiante
com mais detalhes.
Outra vantagem bem grande consiste no fato de termos à
disposição a vibração amarelo-dourada apoiando o livre de-
senvolvimento do espírito, e proporcionando-nos desapego de
pontos de vista estanques e de tradições ultrapassadas que não
correspondem mais à nossa realidade.
Esse apego representa um enorme bloqueio para o cresci-
mento espiritual de muitas pessoas, pois muitas vezes surgem
impedimentos que parecem intransponíveis. Por um lado, no
cultivo consciente de velhas tradições, está um grande tesouro
de sabedoria; mas, por outro lado, também existe certa pressão
à qual não gostaríamos de nos furtar por respeito aos nossos
antepassados. A o mesmo tempo, não as podemos seguir por-
que nossos sentimentos não estão de acordo com elas.
O mandamento mais importante para as pessoas deve ser
tomar decisões segundo a voz interior do coração, resolvendo
o que é aceitável ou o que deve ser recusado, por não ter mais
sentido ou por representar uma desvantagem.
Para podermos viver da melhor forma possível, somos im-
pelidos a dar à vida um rumo que corresponda aos nossos
conhecimentos, aos nossos pontos de vista e valores. Para isso
é necessário, antes de mais nada, ter coragem para se decidir e
força para resistir, mas também, na medida do possível, deve-
mos sentir alegria e satisfação, duas exigências prévias inevitá-
veis para elaborarmos um programa intenso de vida, rico em
conteúdo e alegria.
Alegria, satisfação e bom humor são características muito
marcantes de uma vida bem-sucedida; com elas podemos nos

40
desenvolv er e expandir mais, direcionando-nos inteiramente à
realização dos nossos desejos, sonhos e anseios.
Com freqüência, achamos que uma vida repleta de renúnci-
as e sacrifícios pessoais é muito mais valiosa do que uma vida
que se desenrola e se concretiza segundo a nossa vontade.
No entanto, esse é um dos muitos erros que levam uma
alma à dependência e roubam-lhe o livre desenvolvimento. Nós
recebemos de Deus, como um bem precioso, a liberdade, e por
is so é justo e, na verdade, até mesmo uma obrigação que con-
trolemos a vida com consciência, e sem sofrer influências, se-
gundo o rumo que nos convém, para que possamos percorrer
nossa jornada com alegria e entusiasmo e com a realização de
nossos anseios.

Sempre podemos constatar que as pessoas que trabalham


com entusiasmo, esforço e dedicação na profissão que escolhe-
ram são aquelas para as quais o sucesso, a felicidade e a satis-
fação chegam espontaneamente. Se compararmos essas pesso-
as com as que se curvam automática e indignadamente a um
dever estabelecido, veremos que as últimas têm grande tendên-
cia a adoecer, a se sentir insatisfeitas e apáticas, o que traz
como resultado infelicidade e fracasso.
O tesouro que temos em mãos ao usar a vibração do ama-
relo-dourado é, portanto, incalculável. Nela se manifesta a li-
berdade do nosso espírito em íntima associação com a nossa
liberdade material terrena, bem com o com a possibilidade de
jogarmos fora todo o velho fardo ultrapassado que carregamos
como excesso de bagagem em nossa jornada e que, por isso
mesmo, deve ser deixado para trás.
Nesse inter-relacionamento, ainda é essencial mencionar que
em toda vida sempre surgem fases em que se exige muito das
pessoas, forçando-as a enfrentar fatos que, de preferência, elas
gostariam de evitar. Nisso se define, no entanto, o ritmo natural
de uma vida terrena, que tem de lidar com processos kármicos

41
para finalizar sua programação de acordo com o plano cósmi-
co, e poder pôr fim definitivamente à evolução na matéria.
Constantemente nos perguntamos sobre o sentido da vida e
seu verdadeiro significado subjacente. A resposta é muito clara
e indiscutível: a vida é a concretização das virtudes divinas que
podem ser encontradas no amor, na bondade e na compaixão;
sendo assim, é a constante evolução ascendente para os verda-
deiros valores de uma existência orientada para a luz; portanto,
é muito importante que pautemos nossas ações e nossa auto-
realização valorizando a liberdade interior, que nos foi dada
por Deus e que sentimos que faz parte de nós. Temos de criar
uma forma de vida que englobe todos os aspectos do desen-
volvimento do livre-arbítrio, mas também as virtudes divinas —
o amor, a bondade, a compaixão — , pois esse é o pressuposto
para uma boa evolução espiritual e emocional.
Isso nos remete a uma cuidadosa análise de todas as deci-
sões tomadas por nós com vista às virtudes divinas e seu signi-
ficado no que se refere ao próximo.
Abordamos aqui um ponto muito delicado, pois também
nesse caso acontecem muitos mal-entendidos relacionados com
o sofrimento humano. Amor e auto-realização — esses são dois
“pontos cruciais” que iremos analisar com mais profundidade.
É justamente na vida a dois ou no plano familiar que sur-
gem as mais acaloradas discussões sobre a questão de onde foi
parar o caminho estreito que une ambos os membros dessa
parceria. Mas, na maioria dos casos, o amor tem a última pala-
vra, impedindo a auto-realização. Sobre isso, no entanto, deve-
mos dizer claramente que amor e auto-realização nunca devem
ser aspectos contraditórios numa vida, mas permanecer numa
interdependência segura e, juntos, lutar sem violência para, fi-
nalmente, saírem vitoriosos.
O amor e a auto-realização têm o necessário estofo para
superar barreiras e impedimentos, com o nenhuma outra força
consegue de m odo tão eficaz. O princípio básico dessas virtu-

42
des e a liberdade dada por Deus e o presente divino de amor
que cada alma traz consigo para percorrer o caminho; a pessoa
deverá vivê-los e irradiá-los para poder continuar sendo sem-
pre uma vencedora pacífica.
"O maior dos mandamentos é o amor”, diz q Antigo Testa-
mento; sendo assim, é por meio do amor que conhecemos,
também nesse caso, o que nos eleva das sombras da prisão e
das limitações para a luz.
A auto-realização muitas vezes é equiparada ao egoísmo;
contudo, também aqui é preciso corrigir esse raciocínio.
O egoísmo é uma palavra que define o comportamento de
uma pessoa que só se importa única e exclusivamente com o
próprio bem-estar e se relaciona com os outros visando obter
vantagens pessoais. O egoísmo deixa o amor fora de questão e,
por is s o , nada tem a ver com a evolução da alma mencionada
aqui, que está por trás do desejo da livre expressão da vontade.
Nesse campo também existem muitas divergências de opi-
nião, suscitando muitas discussões, o que, via de regra, leva à
vitória daquele que consegue articular melhor seus argumentos
e sabe com o impor mais respeito. Por medo, dependência ou
submissão, o mais fraco se curva, banindo seus sonhos, dese-
sejos e anseios para um reino de fantasia e para dimensões
inalcançáveis.
Já nos referimos a uma bem difundida e praticada forma de
opressão que impediu muitas almas de realizar suas pretensões
na vida terrena, o que significa que uma avaliação final levou-
as a serem reprovadas; a lição terá de ser repetida.
Não é difícil imaginar quanto sofrimento, lágrimas e decep-
ções estão por trás dessa “censura”, e também é fácil sentir a
dor de uma alma que tem de se esforçar outra vez para encerrar
de forma satisfatória seu programa de aprendizado.
O arcanjo Jofiel é o maior ajudante arcangélico para essas
almas, aceitando-as com um amor muito dedicado, sempre dis-
postoatransmitir-lhes impulsos vigorosos, úteis, que se tornam

43
especialmente densos no raio amarelo-dourado da liberdade
absoluta. Esses impulsos ficam à nossa disposição em todos os
momentos e lugares, sempre que estivermos correndo o risco
de tomar uma decisão que contrarie nosso livre-arbítrio por
fraqueza e insuficiência humanas, o que prejudicará nossa evo -
lução espiritual e anímica posterior.
Atendendo ao nosso pedido, o arcanjo Jofiel irradia imedi-
atamente para nós as forças que nos ajudam a retomar a movi-
mentação espiritual, para que possamos nos livrar outra vez do
“beco sem saída” em que nos metemos e retornar à corrente da
vida no seu ritmo e extraordinária plenitude. E faremos isso
com a certeza de que somente com essa forma de compreen-
são da vida poderemos alcançar o objetivo que estabelecemos
para nós mesmos — de forma totalmente pessoal e de acordo
com nossos desejos mais íntimos; só assim poderemos percor-
rer novos trechos do caminho ascendente para os elevados
campos luminosos, o que torna possível que, paulatinamente,
nos identifiquemos de novo com a luz.

No entanto, na realização de uma missão de vida, muitas


vezes também existem pausas criativas, nas quais nos desape-
gamos do nosso desejo de auto-realização para colocar o amor
em primeiro plano, vivendo e atuando de acordo com esse
sentimento.

Essas pausas criativas incluem, sobretudo, os anos em que


uma mãe se coloca altruisticamente à disposição dos filhos que
crescem, para dar-lhes uma infância e uma juventude felizes e
sem preocupações. Também incluem situações de vida em que
uma pessoa tem de se dedicar a cuidar de parentes idosos ou
doentes que dependem dessa ajuda.
Essa dedicação carinhosa e altruísta também tem um gran-

44
de significado na vida a dois, quando a auto-realização de um
dos parceiros é ameaçada e o outro ajuda e apoia para que o
primeiro possa progredir com mais facilidade.
Renunciar aos próprios desejos por amor, para poder estar
ao lado da pessoa a quem se ama, sempre está associado a
sacrifícios e estagnação pessoal, o que, naturalmente, impede a
auto-realização.
Há épocas na vida em que ficamos cansados e em que
buscanos apoio junto a outra pessoa a fim de podermos des-
cansar e repensar no novo trecho do caminho a ser percorrido.
Esse também é um motivo plausível para deixar de lado por
algum tempo a realização de nossa vida. No entanto, para que
ocorra essa regeneração, são precisos breves períodos de tem-
po, que são decisivos para a formação de uma imagem da vida
como um todo.
Essa fase é muito útil, pois ajudará muitas pessoas a valori-
zar melhor uma fase momentânea de mudança ou de amor
atuante pelo próximo. Isso permitirá que continuem vivendo
com mais felicidade.
A necessidade de um autodesenvolvimento com base no
livre-arbítrio está relacionada com o tempo integral de uma
vida, que tem de ser vivida para desenvolver um grande todo,
o que possibilitará que a alma receba uma avaliação positiva.
No grande plano da criação, está estabelecido que um ser
humano a caminho da luz sempre contará com a ajuda de que
precisa para poder seguir adiante com sucesso. Essa afirmação
nos traz grande consolo. A ajuda proveniente de reinos supe-
riores diz respeito a um acontecimento relacionado com a pres-
tação de serviço ao próximo e com o cumprimento de uma
realização de vida — ambas as coisas inseparavelmente ligadas.
Aqui, por certo, devemos mencionar o ato da Criação, ine-
rente à força que uma semente tem para brotar, que se concre-
tiza com a força do amor, tornando-se assim visível e perceptí-
vel como planta.

45
A fase de mutação, que é a base desse acontecimento, pode
ser definida com o um “ato criativo” que, a partir da união vo-
luntária com a vontade divina, se cristalizou graças ao profun-
do desejo de autodesenvolver-se e à força do amor que desper-
tou essa semente para a vida.
O ritual de materialização que corresponde às diretrizes aqui
mencionadas será descrito ‘com detalhes num próximo capítulo.
Espero que essa afirmação seja um impulso que sirva de
consolo aos que, no rumo da realização de sua vida, ficaram
presos às limitações da vida terrena, tornando difícil o seu pro-
gresso.
O arcanjo Jofiel está sempre pronto a nos estender sua mão
carinhosa e prestativa para nos ajudar a passar pelos arrecifes
que nós mesmos construímos e que dificultam nossa jornada,
representando um empecilho para o autodesenvolvimento.
O Arcanjo Chamuel

No elevado reino do arcanjo Chamuel, o maior e mais ilimi-


tado tesouro é o amor, que se irradia com força total e imenso
potencial de iluminação, repleto da luz cor-de-rosa, também
definida com o o terceiro raio do coração de Deus.
Nas vibrações da cor rosa há harmonia e equilíbrio. Uma
pessoa que se sinta protegida e amada traz em si os mesmos
sentimentos de amor e proteção e os retribui.
Desse ponto de vista, sentimos uma vibração de cor que se
desenvolve a partir dos mais profundos sentimentos de um
coração que irradia e recebe amor na mesma medida. A ssim,
na energia luminosa rosa completa-se uma troca de estímulos
sentimentais que, na sua essência, significa ser amado e sentir-
se protegido; isso também se relaciona com a doação de amor
e de cuidados, também contidos nessa cor.
A qualidade da luz rosa é especial para nossa vida aqui na
Terra, porque nela reencontramos a proteção, que muitas vezes
nos faz falta; e ansiamos por ela nos momentos difíceis.
A energia da cor rosa tem muito a ver com a confiança
primordial, tão necessária para nós. Porém, só conseguimos

47
usufruir dela quando estamos com os pés bem fincados no
chão, ou seja, quando temos estabilidade e capacidade de re-
sistência. Aí também se encontra uma ligação direta com a Mãe
Terra, bem com o a consistência que uma vida terrena precisa
ter, para que se realize com qualidade.
Na vibração da cor rosa encontramos a luz que se irradia do
céu para a Terra, onde ela se integra na matéria, para, a partir
daí, demonstrar sua eficácia. Isso significa que na cor rosa dis-
pomos de uma vibração colorida que nos ajuda a harmonizar
os nossos sentimentos com as nossas ações, a fim de que pos-
samos viver sem medo e sem receio, de forma equilibrada e
harmoniosa.
No reino do arcanjo Chamuel existe uma abundância de
energias suaves e protetoras, repletas de amor, que nos envol-
vem, pois precisamos delas para realizar nossa vida sentimen-
tal; com essas energias podemos dominar a realidade terrena
sem prejuízo, sem precisarmos sentir a falta de amor provocada
pela falta dessa energia amorosa. Quando falta essa energia,
surgem o medo e o temor de tudo o que não possa ser definido
claramente, com o os sentimentos de solidão e abandono.
Mas numa grande carência afetiva muitas vezes se escon-
dem anseios reprimidos de amor e proteção, pois essa carência
rouba da vida o calor necessário para uma pessoa florescer
numa atmosfera saudável.
As pessoas que se queixam de falta de dedicação e de inti-
midade no relacionamento com os semelhantes, na maioria das
vezes são incapazes de demonstrar esses sentimentos pelos
outros.
Isso permite que vejamos a grande importância dessa vi-
bração de cor, pois ela oculta o maior bem de uma alma: o
amor; ela irradia o amor sobre todos aqueles que anseiam por
essa qualidade luminosa e sobre todos os que gostariam de
recebê-la.
O arcanjo Chamuel é o grande amante, aquele que abre

48
bem os braços para os que necessitam desse sentimento eleva-
do e buscam um meio de fortalecê-lo em si mesmos.
Nesse contexto, deve-se mencionar especialmente que no
amor vibra uma característica divina, que nada ultrapassa em
força e grandeza. É que no amor encarna-se a força primordial
do Criador, que se declarou disposto a manifestar a Criação
com o SEU amor, insuflando esse bem em nossas almas, para
que também nós pudéssemos nos tornar criadores de vida. N o
ato do amor foi transmitido aos seres humanos o poder de criar
uma nova vida, tornando-nos co-criadores junto a Deus, fato
que nos permite ascender às alturas.
No cosmos, a força do amor é tão valorizada e de forma tão
única que lhe foi transferida a força da Criação. A í se estabelece
o verdadeiro significado do amor, em suas múltiplas formas e
sua fo rça doadora de vida, e nele está simbolizada a força de
irradiação da luz cor-de-rosa.
Sem amor, a vida é vazia e imperfeita, pois faltam as forças
necessárias para tornar nobre o caminho através da encarnação
terrena por meio da manifestação dos sentimentos, que se man-
têm todos concentrados nas energias para que se possa progre-
dir na vida.
O amor contém em abundância as qualidades humanas que
permitem irradiar solidariedade, simpatia, preocupação com o
próximo, disposição de ajudar e de transformar essas qualida-
des numa energia que caia de volta sobre os amantes, como
uma nuvem cor-de-rosa quente e magnificamente bela, trazen-
do, ao mesmo tempo, muitas bênçãos.
O amor contém em si o mistério da vida — com o se nele
existisse o núcleo essencial da força criativa de Deus expressa
na forma, força que demonstra ter características magnéticas e
qu e por essa razão, atrai tudo o que é irradiado de si mesma.
Nessa troca perfeita de sentimentos está contido o verda-
deiro amor incondicional — o amor que nada exige, mas se dá
de todo o coração, recebendo em troca tudo o que contribui
para o bem e o enriquecimento da alma.

49
Aqui encontramos outra vez o princípio cósmico do dar e
receber em perfeito equilíbrio; reconhecemos que tudo no uni-
verso está sob uma lei que contém a ordem perfeita que, por
sua vez, corresponde a um plano divino anterior.

Sempre acontecem situações na vida de um ser humano em


que ele se questiona quanto ao seu equilíbrio no que se refere
ao amor. Ou seja, se o que se dispõe a dar está em equilíbrio
com o que recebe em troca. Essa questão, por si mesma, já
constitui motivo suficiente para ficarmos atentos às virtudes
que andam juntas, de mãos dadas com esse equilíbrio.
Dentre elas está, em primeiro plano, a compreensão de que
um amor incondicional depende sempre das virtudes da dispo-
sição ao sacrifício e do desapego pessoal, exercidas voluntaria-
mente e com prazer, dedicadas a um ser amado com toda a
sinceridade e com o desejo de fazê-lo sentir-se feliz e protegido.
Essa é uma questão que freqüentemente, no dia-a-dia, cria
algumas discrepâncias, provocando distúrbios emocionais que
geram desarmonia. Por isso, sempre é importante verificar os
motivos que levam alguém a oferecer dedicação e ajuda num
relacionamento amoroso; é preciso analisar se elas são dadas
de boa vontade e espontaneamente ou se existem outros moti-
vos que incluem aspectos relacionados com o egocentrismo.
Por essa razão, o posicionamento interior é decisivo para se
constatar se existe uma dedicação incondicional à pessoa ama-
da ou se ela se dedica à outra por motivos egoístas.
Obviamente, existe aí uma diferença bem marcante que se
reflete na qualidade dos sentimentos expressos. Uma pessoa
que dá alguma coisa visando receber algo em troca prejudica
seus sentimentos e perde o equilíbrio interior. Assim, não e
possível sentir dentro de si o sentimento elevado que surge
quando existe a vibração do amor incondicional.

50
O verdadeiro segredo do amor e de sua força enaltecedora
está única e exclusivamente no sentimento de desapego que
parte de uma necessidade interior e que, por isso mesmo, tem
um dinamismo próprio que não pode ser alcançado de nenhu-
ma outra maneira.
Esse é o segredo da felicidade que se irradia dos casais que
se amam de verdade e que vivem no calor, na dedicação e
proteção desse amor — trata-se de energias muito fortes, pelas
quais a alma anseia intimamente quando está percorrendo a
jornada terrestre, porque nelas estão contidas forças que tor-
nam a vida nobre e a coroam de êxito. Essas forças só podem
ser usadas pelos que vivem com amor.
Outra pedra no caminho da tão sonhada felicidade está
muitas vezes no desejo que se oculta sob a conquista amorosa
que, limitada ao âmbito físico, é por isso mesmo imperfeita,
visto que corpo, alma e espírito são uma unidade coesa e só
conseguem realizar-se perfeitamente como um todo.
Da desconsideração por esse princípio básico surge muito
sofrimento e humilhação, o que pode provocar graves enreda-
mentos na alma, porque nesse caso são expressas vibrações de
caráter destrutivo.
No relacionamento entre duas pessoas que se amam tam-
bém é d e grande importância que cada uma mantenha viva a
própria individualidade, expressando livremente seus desejos e
necessidades. Assim terão possibilidade de manifestar sua vi-
bração anímica, conseguindo fortalecer sua ligação com a outra
alma, criando assim uma união cheia de intimidade.
Esse é um aspecto muito importante, que não deve ser en-
carado com despreocupação, visto que ele é a base para o
comportamento que adotamos e expressamos a partir do amor
incondicional.

Nesse caso, é muito mais fácil e mais eficaz viver o potenci-


al total do amor porque, como amantes, somos confrontados

51
com o que se passa no íntimo do nosso parceiro, com seus
desejos secretos e com seus anseios adormecidos à espera de
estimulação. Por outro lado, é muito difícil conseguir entrar
nesses âmbitos, porque só temos à disposição a possibilidade
de intuir, e não a certeza proveniente de um diálogo franco.
Com freqüência, os inter-relacionamentos humanos, de di-
versas perspectivas estão sujeitos a fortes ofensas e corres-
pondentemente, a grandes oscilações emocionais que podem
se desenvolver a partir delas. Por isso, é da maior importância
que reconheçamos as possibilidades que nos foram oferecidas
com a vibração cor-de-rosa, e com o é incomensuravelmente
grande a ajuda resultante na forma de raios de luz suavizadores,
quentes e protetores; esses raios personificam a essência do
amor, e essa força amorosa nos é transmitida para que nos
elevemos e possamos aproveitá-la.

Um coração cheio de amor e simpatia pelo próxim o brilha


com uma luz interior que se oferece como fonte de energia
cósmica e que irradia e transmite calor, satisfação, dedicação c
proteção ilimitada.
Nessas virtudes da luz cor-de-rosa há um grande potencial
para nós, seres humanos. Este se transforma num poder que
nos é concedido e faz com que sejamos intermediários entre o
aquém e o além, entre a realidade e o sentimento, entre a sabe-
doria e a intuição.
Dessa forma, é construída uma ponte que possibilita a pas-
sagem para campos espirituais aos quais, de outro modo, não
teríamos acesso. Essa ajuda espiritual nos capacita a agir como
parte da Criação, com sua perfeita força criadora, transforman-
do-nos em co-criadores junto a Deus na SUA enorme força, em
SEU imensurável amor, bondade e sabedoria.
Neste livro também se diz que possuímos uma força criado-

52
ra que tem de ser ativada e fortalecida já que, com o parte da
força criadora de Deus no Cosmos, temos de ser atuantes dan-
do nossa contribuição, para que a Criação mantenha a sua for-
ma original e seja fortalecida pela luz. Isso significa que somos
chamados a ajudar, a fim de fazermos da Terra um lugar de
amor e de paz, do modo como Deus, na sua perfeição, o ima-
ginou e criou.
Depende de nós aceitar esse chamado, depende de nós
utilizar nossas energias para ajudar no desenvolvimento do amor,
do amor abrangente e iluminado, que consegue transformar a
nossa Terra num verdadeiro paraíso.
Esse é o objetivo final almejado para o planeta Terra, e ele
pode ser alcançado. Devemos nos sentir obrigados a fazer todo
o esforço para elevar cada vez mais a nossa evolução, chegan-
do finalmente aos reinos de luz em que a matéria é ultrapassa-
da e perde todo o seu poder.
Só poderemos alcançar esse estágio se nos ligarmos às vi-
brações luminosas cor-de-rosa e nos banharmos nessa luz espi-
t u a l, a fim de fortalecer e expressar cada vez mais a qualidade
penetrante desse remédio cósmico.
U ma pessoa que vive seu cotidiano envolta na luz rosa irra-
dia essa vibração de cor para o seu meio ambiente e pode
colher ricas bênçãos, pois entra, igualmente, num campo mag-
nético de força em que o fluxo energético se move de maneira
contínua de um lado para outro, em uníssono com as vibrações
cor-de-rosa do amor que dão sua força ao processo.
Então, é com o se estivéssemos integrados num fluxo contí-
nuo de energia em que as duas extremidades se expandem,
trazendo consigo uma qualidade energética dupla, que contém
o céu e a Terra, unindo essas duas grandezas.
Nesse exem plo se expressa, talvez, o poder que está nas
mãos do arcanjo Chamuel, que consiste em unir dois pólos
opostos básicos, para extrair a força e o poder da Criação, com
suasriquezas imensuráveis. Essas riquezas, por um lado, estão

53
na Terra; por outro, nos reinos celestiais, que assim se tornam
acessíveis; neles podemos encontrar um enriquecimento per-
feito, tanto no âmbito espiritual-anímico quanto no plano fí-
sico.
Reconhecemos um enriquecimento espiritual-anímico pri-
meiramente pelos sentimentos de satisfação, pela intimidade
carinhosa e pela dedicação protetora que irradiamos e que nos
é trazida de volta na mesma medida. No âmbito físico, essa
energia útil pode revelar um processo direto de cura que se
instaura subitamente e nos deixa atônitos.
Malformações malignas de células, por exemplo, são um
indício seguro de que existe uma grande carência dessa vibra-
ção da luz cor-de-rosa e, por conseqüência, a cura espontânea
só pode ser almejada quando reconhecemos em nós mesmos
as sombras escuras que levaram a esse desvio, quando desfi-
zermos conscientemente essas sombras e as substituirmos pe-
las vibrações da luz cor-de-rosa.
Portanto, temos uma possibilidade compreensível e viável
de solucionar uma situação complicada por meio de imagens
mentais, na medida que a desfazemos e substituímos as energi-
as negativas pela luz cor-de-rosa.
Não existe outro m odo de provocar curas espontâneas além
do descrito aqui, pois só a força da luz cor-de-rosa é capaz de,
com sua intensidade, liberar energias criativas dotadas de uma
perfeita capacidade de transformação.
A verdadeira essência da luz cor-de-rosa é, em primeiro
lugar, o amor; em segundo, contudo, é a força criativa e seu
poder de manifestação. Uma pessoa que se oriente por essas
dimensões está, portanto, constantemente envolta nessa ajuda
sobrenatural e intimamente ligada à esfera luminosa brilhante,
cor-de-rosa, do arcanjo Chamuel.
Em troca, essa pessoa recebe tudo de que precisa para viver
num ambiente tranqüilo e compreensivo, onde pode agir e fi-
car satisfeita por gozar de boa saúde e de um equilíbrio perfei-

54
to, pois a vibração cor-de-rosa é a garantia de que tudo conti-
nua de forma equilibrada e harmoniosa, para que o rio da vida,
segundo as leis cósmicas, flua com perfeição.
Estar envolto no amor também significa ser abençoado por
ele, dispondo de tudo o que é necessário para que se possa
desenvolver totalmente a autoconsciência, livre de quaisquer
influências. Isso quer dizer que, na vibração cor-de-rosa, também
conseguimos avistar a plenitude da matéria, que tem a
capacidade de banir a necessidade, as preocupações e as limi-
tações, bem com o de desfazer e eliminar medos de todo tipo.
O uso consciente da energia rosa coloca à nossa disposição
uma multiplicidade de ajudas materiais que dizem respeito, antes
de tudo, às necessidades surgidas no dia-a-dia e que podem
nos causar grandes embaraços, se não as controlarmos objeti-
vamente e extrairmos a força das vibrações por elas irradiadas.
um envolvim ento consciente na luz cor-de-rosa, aliado a pen-
same ntos de amor e simpatia, é uma arma direta muito eficaz
contra tudo o que encontrarmos carregado de vibrações
destrutivas.
Assim, temos o poder de amenizar situações, tirando-lhes
os espinhos; caso contrário, eles nos feririam e causariam sofri-
mento. Graças à nossa força criativa e ao seu poder de transfor-
mar os acontecimentos que chegam até nós com o ameaças,
podemos destruí-los por meio do uso adequado da luz cor-de-
rosa.
Por conseguinte, torna-se evidente que podemos formular
a qualidade da nossa vida de tal m odo que nos sintamos feli-
zes, satisfeitos e protegidos, sem com isso perder contato com
a realidade a nossos pés, nem descuidar de nossa função neste
planeta.
Qualquer situação, por mais ameaçadora que seja, pode ser
solucionada e enfrentada quando temos consciência de que a
força criadora de Deus em nós, junto com a vibração cor-de-
rosa do amor, podem causar uma reviravolta total, criando as-

55
sim uma solução melhor e mais perfeita para o bem do nosso
Eu Superior.

Nesse contexto, gostaríamos de falar outra vez sobre o karma,


esclarecendo que tudo tem de estar em sintonia com o rigor
dessa lei para que se consiga uma transformação perfeita. Pois
o karma também é uma determinação legal que tem valor ina-
balável no cosmos e que tem de ser obedecida a contento, para
que a pessoa possa criar a trama de sua vida por m eio de uma
atividade livre, mas com responsabilidade pessoal.
Isso significa que só é possível um ser humano armar sua
estratégia de vida em perfeita liberdade quando ele se submete
à lei do karma e a torna válida.
Aqui, com freqüência, ocorre confusão entre causa e efeito.
Portanto, é importante reconhecer que o revezamento que es-
tabelecemos entre esses dois pólos tem sempre de ser feito até
o fim, com o exigem as regras do jogo — e estas estabelecem
clara e nitidamente que, para cada fato provocado pela pessoa,
haja uma resposta correspondente, que traz em si a semente
das energias que foram liberadas e que, de acordo com a lei,
fazem com que haja uma compreensão perfeita.
É então que percebemos a justiça absoluta de Deus, que
não deixa nada ao acaso, mas interfere objetivamente na solu-
ção kármica de um fato, que precisa de uma energia purifica-
dora e que cada pessoa a seu modo, e segundo suas possibili-
dades, tem de carregar e compensar.
Nesses casos não existem favoritismos nem desvios, mas
apenas a perfeita e infinita justiça que obedece a uma grande
lei universal que tem origem no amor de Deus.
A o campo do arcanjo Chamuel também se enquadram aque-
les acontecimentos que deixam a pessoa numa situação muito
difícil, visto que alteram o seu controle e a atingem com calúni-
as, difamações e com a destruição de sua dignidade e do seu
senso de amor-próprio.

56
Mas é bom esclarecer que esse confronto com as vibrações
negativas não acontece de forma nenhuma por acaso, mas re-
presenta o efeito retroativo de erros passados, que têm de ser
compensados e purificados através das próprias experiências.
Nessas situações de vida, muitas vezes nos sentimos deses-
perados e desamparados ao extremo e, sem querer, logo pen-
samos na injustiça imerecida que nos degradou à posição de
um joguete do destino. No entanto, com o consolo, indicamos
mais uma vez as úteis vibrações da luz cor-de-rosa, que com
sua notória força amorosa sempre está à nossa disposição quando
a dissolução de um processo kármico a torna necessária e quan-
do, aiém disso, temos a sensação de que estamos sobrecarrega-
dos e desamparados.
O arcanjo Chamuel irradia a essência da caridade e da com-
paixão e nos presenteia fartamente com esses dons quando lhe
pedimos; o mesmo acontece quando nos voltamos para ele
com uma pretensão que, de uma perspectiva puramente huma-
na, se desenvolveu a ponto de surgir um caos que parece imenso
indiscutível.
Nesses casos, ele é o ajudante na hora da necessidade e o
mensageiro que traz a cura; ele vem de um mundo superior,
m
e que amor e perdão ocupam posições igualmente elevadas,
e onde não se vê atribuição de culpa ou prejuízos, visto que
nesse reino tudo é feito em nome do amor, com a abrangência
de sua energia vital.
O amor ao próximo é outro capítulo muito importante no
reino da luz cor-de-rosa; ele ocupa uma posição de destaque,
pois contém em si a força do amor, que atua em segundo pla-
no. No amor ao próximo podemos perceber mais um indício
da força criativa de Deus, a qual, nesse caso, se revela no fato
de uma alma enxergar a centelha divina na outra, empreenden-
do todo s os esforços ao seu alcance para fazer com que a luz
do próximo brilhe com mais intensidade; ela faz isso na medi-
da em que o ajuda a superar uma necessidade que talvez o
banisse para o reino das trevas.

57
Essa ajuda a uma pessoa que está em dificuldade é precio-
sa, na medida em que a incentiva a superar uma situação de
desespero, possibilitando que ela volte novamente para a luz
Há necessidade de transformar — atrás da palavra “necessi
dade” existe a palavra “necessário” — e, no verdadeiro sentido
da palavra, há necessidade de transformação e, ao mesmo tem-
po, a conseqüente mudança de rumo. Pode acontecer que, de
vez em quando, nos vejamos numa situação difícil na qual nos
julgamos aprisionados e da qual não vemos possibilidade de
sair sozinhos.
Nesses momentos, muitas pessoas começam a duvidar da
presença de Deus, mergulhando fundo nas sombras repletas
de m edo e de apreensão; isso torna cada vez mais tênue a
esperança, até que, finalmente, toda a coragem de viver parece
ter-se perdido: só é possível esperar a salvação oferecida por
forças exteriores.
Esses são fatores que dão muito o que pensar às pessoas na
medida em que estabelecem limites, impedindo sua interven-
ção ativa nos fatos. Nessas situações, nunca é aconselhável a
completa resignação e a aceitação de que se trata do fim do
mundo; é preferível tentar recorrer à força da luz e às suas
cores portadoras de cura.
Quando nos sentimos sem forças e cansados de viver, e não
sabemos com o prosseguir a jornada, tudo o que temos a fazei
é erguer o olhar para a luz e levantar as mãos para o alto, a fim
de receber a sonhada “visão da luz” .
Nenhuma força do mundo pode realizar tanto, melhorando
as circunstâncias, como o podem a luz e suas cores. Por isso é
de grande importância que sigamos esse rumo quando os reve-
ses da vida nos abaterem, quando nossas forças parecerem ter
desaparecido e a energia vital se apagado. Então, olhar para
cima sempre é uma ajuda suficiente e significativa, uma salva-
ção que nos livra da necessidade e da opressão que nos fazem
sofrer tanto.

58
O arcanjo Chamuel é o imperador do raio de luz cor-de-
rosa com seu coração imenso, ele nos consola no sofrimento e
nos liberta da prisão que criamos para nós mesmos, ou na qual
caímos pela nossa incapacidade de reagir com nossas próprias
forças.
Uma profunda dedicação ao grande arcanjo do amor sem-
pre é coroada de êxito, e podemos estar seguros do seu apoio.
Ele nos ajuda a restaurar nossas forças transformando nossas
v idas e dando-lhes um estilo compatível com a lei do amor;
conseqüentemente, estaremos protegidos na grande torrente
do infinito amor divino que se derrama sobre tudo o que dela
se apro xima. Por isso, ela deve ser vista como a fonte inesgotá-
v e l q ue está à nossa disposição, para nos ajudar nas nossas
necessidades e preocupações; isso nos proporcionará o enri-
q u e c imento do nosso espírito, tornando-nos dourados de luz.
Assim, a alma alcança a felicidade definitiva de corresponder
à verdadeira determinação da luz e de aceitar um nova forma
de vida pela qual tanto ansiava; e então, poderá ascender e
espiritualizar-se, com o está escrito no Livro da V ida Eterna.
Esta é a grande perfeição que nos espera e à qual tornamos
a voltar; podem os alcançá-la com a nossa responsabilidade
pessoal e com a significativa ajuda de seres mais elevados de
luz.
O arcanjo Chamuel está no comando desses contingentes
de ajuda e, com a força do seu amor, irradia os impulsos que
possibilitam a uma alma encaminhar-se novamente à pátria, no
intuito de viver uma nova forma de vida na luz e na abundân-
cia e poder chegar à perfeição com as bênçãos de Deus.

59
O Arcanjo Gabriel

Gabriel é o príncipe da luz branca, o soberano da força do


raio que reúne em si toda a vida, porque ela é formada pelas
vibrações que se oferecem na coroa colorida de raios e são
apresentadas significativamente pela luz branca.
Aqui reconhecemos uma qualidade de energia que é com-
posta pela soma de todas as cores na luz e que, corres-
pondentemente, é poderosa e, com sua forma de ação, penetra
em tudo o que existe. Nessa energia podemos ver a perfeita
clareza, a pureza e a sinceridade na sua originalidade sem limites.
Na luz branca, então, é simbolizada a força e o poder do sol
original, que derrama sobre todo o cosmos sua imensurável
energia luminosa para dessa forma manter a base da existência.
Comparando-se a isso, a luz branca que provém do coração
de Deus é a força primordial que permite que vejamos com
mais clareza e reconheçamos o que temos de purificar, esclare-
cer e transformar em nossa vida, para podermos valorizá-la de
m odo perfeito. Na palavra “valorizar” esconde-se a idéia de
“recompensar”, “restituir” e, conseqüentemente, também “o ato
de esclarecer”.

60
Esse é o tema central que é expresso com destaque no raio
b ranco, da luz que se oferece com o ajuda para os nossos esfor-
ços; submetemos a nossa existência ao raio branco que deve
nos tornar aptos a ascender e a nos tornar cada vez maiores
graças ao aumento da quantidade de luz.
Na luz branca existe uma imensurável força de iluminação
q ue nos permite purificar toda a estrutura das células do nosso
corpo físico, mas também o obscurecimento de nosso corpo
luminoso que se tornou denso ao nosso redor. É nele que fica
a estrutura de todos os pensamentos, palavras e atos, organiza-
damente modulada e perfeitamente visível no reino do além. É
aí também que se encontra o “banco de dados” que pode ser
objetivamente analisado a qualquer momento, para que se possa
avaliar uma vida com a maior compreensão possível.
A partir desse fato, podemos, com orientação, receber o
material que fica a nossa disposição, sendo útil para relembrar
um conhecimento com força de declaração, tanto no âmbito
espiritual quanto no âmbito material, para enriquecer nossa vida
terrena, dando-lhe mais qualidade e conteúdo. A o refletir me-
lhor sobre essa afirmação, fica claro que depende de nós colo-
car em ação os impulsos que estimulam a qualidade da nossa
vida, com o intuito de elevar o nosso espírito. E nós podemos
tirar vantagem desses impulsos. Para tanto, é preciso, em pri-
Mieiro lugar, manter puros os pensamentos e as palavras. Deve-
mos examiná-los sempre com critério, antes de os lançarmos no
meio ambiente, onde irão manifestar seu tipo de vibração.
A esse padrão de pensamentos que liberamos chamamos
de "elemental” . É bom esclarecer que “elemental” significa uma
estrutura energética trazida à vida, uma estrutura que se eman-
cipou de acordo com uma dinâmica própria: ela então passa a
existir no âmbito da matéria sutil.
Portanto, um elemental é o m odelo energético criado por
um espírito livre, que, por meio da força do espírito, recebe e
armazena energias para, dessa forma, crescer até chegar a ser

61
uma entidade espiritual que, na sua especialidade, se vê dotada
de forças que fizeram parte dos pensamentos originais.
Assim é criada uma manifestação energética mais ou menos
potente, dotada de vida, que busca e encontra seu espaço; ela
sempre se une a energias de vibração igual, fortalecendo cada
vez mais o seu potencial.
Daí se conclui claramente que nem um único pensamento e
nem uma única palavra proferida a partir desse pensamento
fica sem resposta na organização cósmica; donde também se
conclui que é impossível não sermos influenciados por eles,
seja de forma positiva, seja de forma negativa.
Muitas vezes, no entanto, acontece de sermos diretamente
“pegos” pelos nossos pensamentos, sem tê-los provocado cons-
cientemente nem tê-los desejado; contudo, também nesses
momentos, precisamos estar atentos para não provocar efeitos
indesejáveis.
Isso significa que precisamos afastá-los conscientemente e
levar luz para as nebulosidades que envolvem esses pensa-
mentos, para dissolver a bruma o quanto antes e, assim, a cla-
reza possa imperar; desse modo, nosso campo emocional e
mental terão sua visão clara e repleta de luz, podendo repensar
sobre qual será sua tendência de ação.
O arcanjo Gabriel é o guardião luminoso de nossos pensa
mentos, palavras e ações; é ele que corre diretamente em nosso
auxílio quando nos sentimos feridos, confusos ou agitados,
deixando de tomar os cuidados que seriam apropriados nessas
circunstâncias. Esses momentos representam sempre uma pro-
va da excepcional bondade e uma avaliação precisa do nosso
ser, que abre seu caminho através das trevas em nome da luz
Por isso, não pode ser suficientemente enfatizado aqui como
é importante ter em mira esse poderoso fluxo de pensamentos,
não permitindo que saia do controle porque, no mais verdadei-
ro sentido da palavra, poderia provocar uma “avalanche” de
pensamentos negativos que traria conseqüências catastróficas

62
Clareza, pureza e sinceridade — essas são três virtudes que
formam o alicerce do raio branco de luz e se encontram nesse
poderoso campo de energia; com a ajuda da luz, elas têm de
ser transportadas para o nosso caráter e integradas nele.
Na luz branca, dispomos de uma força ilimitada para o con-
trole dos pensamentos e da rica abundância de palavras que
deles resultam, manifestando-se com o uma expressão concreta
desses pensamentos. Juntos, pensamentos e palavras represen-
tam um capital muito grande que se abre diante de nós e com
o qual podemos formar tudo na nossa vida terrena, que contri-
bua para nossa realização, visto que nosso espírito veio em
nosso socorro, capacitando-nos a tomar a decisão correta e a
transformar, dessa forma, o nosso débito num crédito.

Na vida, às vezes, é de primordial importância colocar nos-


so desenvolvimento natural em segundo plano, para primeiro
termos a certeza de qual é, afinal, o verdadeiro significado da
v id a e que etapas ainda têm de ser superadas para vivê-la da
forma mais perfeita possível.
Isso se relaciona, por exemplo, com as etapas de formação,
que nem sempre são vividas na medida desejável; talvez nos
concentremos em coisas básicas que não correspondem à eta-
pa específica que gostaríamos de vencer.
Nesse contexto, no entanto, temos de afirmar que sempre
voltamos a deparar com capítulos da vida que acontecem de
forma muito diferente do que havíamos imaginado e que, ao
mesmo tempo, devem ser valorizados como um meio-termo
entre trechos isolados do caminho e que, portanto, não têm
importância.
No entanto, é diferente quando orientamos nossa vida sem-
pre por diretrizes adequadas, e não temos realmente certeza do
que estamos dispostos a fazer e que centros de gravidade têm

63
de ser estabelecidos para podermos satisfazer essa vontade de
fazer da melhor forma possível.
Uma pessoa pode ser influenciada em sua vida e seus ver-
dadeiros talentos e capacidades podem ser usados em campos
diferentes. Por mera conveniência, talvez, ela permita que sua
vida seja presa a um jugo muito pesado e, por isso mesmo,
inadequado para deixar fluir a felicidade e a alegria, pressupos-
to indispensável para uma vida realizada.
No âmbito superior da luz branca impera a clareza absoluta
sobre o que uma pessoa resolveu fazer na vida humana e sabe-
se que talvez, no momento, ela esteja percorrendo alguns des-
vios que não levam ao objetivo visado de forma direta.
É por isso que uma das atribuições do arcanjo Gabriel é
ajudar as pessoas que buscam ajuda, mas estão envoltas por
névoas densas e, portanto, não têm uma visão clara dos trechos
do caminho a percorrer. Dessa forma, o arcanjo Gabriel as aju-
da a sair da situação difícil em que se encontram, do ponto de
vista espiritual.
A melhor possibilidade de realizar isso é nos unirmos espi-
ritualmente com a grande luz branca e nos colocarmos debaixo
da purificadora e esclarecedora cascata dessa luz, para sermos
completamente permeados e iluminados por ela.
Esse é um ritual bastante simples, que exige bem pouco
tempo de nós, mas que, no entanto, é de eficácia valiosa se
quisermos nos livrar de impurezas e limitações que provêm do
fato de não podermos reconhecer a realidade, o que nos deixa
com um alcance limitado de visão.
Nesse contexto, também é muito eficaz limpar e iluminar
espiritualmente nossos olhos físicos com a luz branca, para que
seu potencial de visão permaneça intacto e, assim, a força física
da visão possa formar uma unidade perfeita e íntegra com a
visão espiritual.
O arcanjo Gabriel também é aquele que, de forma carinho-
sa, tem pena de nós quando nos enredamos em situações mui

64
to perturbadoras, visto que estão em relação com o não-conhe-
cim en to de nossos passos posteriores de evolução, uma vez
que a pressão da alma e a incerteza por parte do espírito estão
uma diante da outra, exercendo pressão.
Podemos passar por isso diversas vezes em situações de
vida que exigem uma decisão, em que nos sentimos infelizes e
confusos e, além disso, oprimidos pela pressão das necessida-
des materiais.
Isso leva a grandes discrepâncias entre querer e ter de fazer,
entre alegria de viver e frustração. Nessas fases sempre é deci-
ivo ter consciência de que se exige uma libertação emocional,
s
que então, simultaneamente, também influencia as forças espi-
rituais que, através do pensamento sóbrio da análise e da ava-
liação, deixaram de atender os desejos da alma e entraram em
o posição com eles.
Por esse motivo, reconhecemos que é da maior importância
que corpo, espírito e alma sempre estejam numa determinada
intonia, se for para a vida corresponder à sua determinação
s
com sucesso e da melhor forma possível.
Por sua vez, esse é outro dogma que pede atenção especial,
e mbora seja desconsiderado pela maioria das pessoas, o que
causa tantas decepções e desrespeito à vida, provocando os
fracassos que podemos observar por toda parte. Talvez aqui se
trate, contudo, de um mal-entendido gritante, ao qual nos cur-
va m o s devido à ignorância e que, de certa forma, diz o seguin-
te: “Eu canto a canção de quem me dá o pão.” Ou também:
" T e r á s de ganhar teu sustento com o suor do teu rosto.”

No entanto, trata-se de tradições que se voltam contra a


liberdade pessoal de um ser humano que, com o criatura divi-
na, detém nas mãos o poder de determinar a própria vida de
forma inteiramente pessoal, em completa harmonia com a ima-
gem que faz de si mesmo e que é manifestada na sua alma
como uma luz brilhante.
Tudo o mais indica prisão espiritual e obediência cega a

65
uma instância que reconhecemos que está hierarquicamente
acima de nós e à qual nos submetemos.

Diante de Deus, todos os


homens são iguais!

Essa verdade inabalável está em grande oposição com o


que acabamos de mencionar e, por isso mesmo, somos obriga-
dos a revidar com o nosso pensamento tradicionalmente
desordenado e passarmos por uma transformação. Todos nós
fomos criados à imagem e semelhança de Deus e, por isso,
somos seres livres, repletos de Deus, seres que têm de se de-
senvolver e aperfeiçoar segundo a sua personalidade, além de
cumprir o seu verdadeiro destino.
No entanto, os espíritos são muito diferentes, e é por esse
motivo que existem pessoas que dominam a própria vida, de
modo livre e desimpedido, conscientemente, e a realizam se-
gundo seus desejos; e há outras que preferem aliar-se aos
cumpridores de ordens e fazer tudo o que lhes mandam fazer.
Esse é um exem plo simples para a opinião que cada pessoa
tem a respeito de si mesma e que, correspondentemente, tor-
na-se clara na medida da sua auto-estima.
E chegamos outra vez a um ponto da maior importância
para o nosso desenvolvimento aqui na Terra, diretamente rela-
cionado com a auto-estima. Essa auto-estima mostra inequivo-
camente o cuidado e a valorização da nossa personalidade,
fato decisivo para nos sentirmos senhores ou escravos.
Também nesse caso, lo go cabe uma comparação que talvez
tenha sido escolhida de forma um tanto drástica; porém, fica
bem claro para nós que, em última análise, isso se relaciona
com o grande âmbito das experiências humanas relativas ao
sofrimento, que, em suas múltiplas formas, resulta da postura
que adotamos.
Todo ser humano tem o direito de assumir responsabilida-

66
de pelo controle autoconsciente de sua vida e pelo próprio
progresso no caminho para a luz, com base em sua liberdade
pessoal.
Esse é um direito básico inatacável ao qual nada há a opor
a não ser uma derrota aceita por livre decisão. Uma pessoa
que se prejudica dessa maneira pode ser comparada com al-
guém que voluntariamente volta as costas para a luz e prefere
dirigir-se às brumas que a esperam do outro lado da vida.
Por isso, uma das grandes intenções do arcanjo Gabriel é
ajudar a nos livrar de um sentimento de dever erroneamente
compreendido, o que faz com que abdiquemos de nossa liber-
dade em favor da de outra pessoa, entrando voluntariamente
no reino das sombras e perdendo, dessa maneira, a visão da
vida como um todo; assim, não conseguiremos mais corresponder
ao que se espera da nossa responsabilidade pessoal.

Conscientes de que precisamos de uma orientação de vida


independente, responsável e satisfatória; vale a pena confirmar
o q ue trazemos no nosso íntimo, o que irradiamos para a vida
e e m que podemos nos segurar para conseguir chegar ao fim
da vida de forma significativa e com a consciência do dever
cum p rid o .
Temos de acrescentar que somos nós que escolhemos o
mod o pelo qual dominamos uma situação e que vibrações es-
senciais usamos para isso, com a finalidade de incrementar es-
sas energias de forma que elas se tornem mais fortes.
Portanto, temos nas mãos a possibilidade de usar freqüên-
cias energéticas úteis para cumprir o que se espera de nós;
podemos cumprir a nossa missão com a consciência da nossa
responsabilidade. Essa opinião ajuda-nos a fazer fluir uma fre-
qëênciaia de vibração que propicie uma base concreta para pro-
gramar de antemão bons resultados.

67
Em contrapartida, é possível relacionar as dificuldades e os
fracassos com o mau humor, o desânimo e o pessimismo. Esse
também é um ponto de ligação que tem apoio nos reinos da
luz branca, quando nos esforçamos conscientemente para for-
talecer em nós a luz, a clareza, a honestidade e a compreensão,
para, assim armados, conseguirmos abrir novas frentes de ação
que sejam capazes de nos levar ao nosso real objetivo de vida.
Portanto, sempre podemos conseguir bastante ajuda a fim
de elevar nosso potencial de forças e condicionar nossos senti-
mentos e pensamentos de modo que não haja mais desvios ou
trechos de caminho que nos inspirem medo.
O que se abre diante de nós é um reino poderoso de ener-
gia ao qual devemos nos entregar conscientemente a fim de
cuidarmos melhor de nós, defendendo-nos contra divergências
e dissonâncias; assim, obteremos, com certeza, cada vez mais
proteção.
A proteção é outro fator muito importante. N o sinal da luz
branca, ela pode aumentar e multiplicar ainda mais o seu signi-
ficado abrangente para, dessa maneira, formar um muro seguro
de proteção, que nos cerca com o uma fortaleza, impedindo
energicamente a entrada de intrusos.
Há um grande número de elementais negativos na atmosfe-
ra; aí eles se agitam a seu modo peculiar, encontrando campo
fértil de ação. Sempre que agirmos com qualquer tipo de
negatividade, deixando que ela interfira no nosso manancial de
idéias, estamos proporcionando-lhe mais espaço, o que lhe dá
a possibilidade de fazer ninhos, de se estabelecer.
Isso sempre acontece quando alimentamos idéias de cará
ter destrutivo, com o talvez a inveja, o ciúme, o espírito de vin-
gança, o ódio ou o desprezo pela vida e pelas leis do cosmos.
Trata-se de padrões de energia que buscam e encontram uma
escora na palavra falada. Por esse meio, esses padrões obtêm
vibração própria e se propagam com a rapidez do fogo, unindo-se
a estruturas energéticas que se encontram na mesma situação e
fornecendo um solo fértil para propiciar uma colheita abundante,

68
Trata-se de um processo de crescimento detonado pelo li-
vre-arbítrio da pessoa, que torna a aparecer nos empreendi-
mentos terrenos. Podemos imaginar com exatidão o que acon-
tece quando uma sementinha cai em solo fértil e encontra con-
dições adequadas de crescimento. Ela brota, cresce e floresce,
tornando-se uma fruta madura que serve de alimento para ou-
tras formas de vida, de acordo com o seu destino. Por fim, o
que sobra da planta se deteriora e se transforma em adubo para
o solo, que, dessa forma, se apronta para oferecer condições
propícias ao crescimento de novas sementes.
Esse é um processo esclarecedor que conhecemos muito
bem, e também é de grande atualidade no âmbito espiritual.
Por isso, vamos analisá-lo no âmbito espiritual para entender
melhor o significado de pensamentos, palavras e obras que se
tornam mais concretos e assumem formas de vibração perfeita-
mente adequadas à irradiação da energia.
Imaginemos que ocorra o seguinte: uma mãe preocupada
fira sabendo que o filho planeja viajar e fica extremamente
angustiada porque prevê perigos para essa viagem; contudo,
esses perigos provêm de seu excesso de fantasia e são levados
a aIturas estonteantes. “O que irá acontecer?” Seus pensamen-
tos circulam interminavelmente ao redor desse tema; mental-
mente, ela cria as piores situações e as vive, literalmente, como
realidades. Cheia de medo, ela desaconselha com vigor essa
viagem . Porém, tem uma segunda decepção, pois o jovem não
desiste de fazer a viagem.
Aconteceu o seguinte: por meio de formas de pensamento
negativos, a mãe criou seres espirituais ou “elementais” que
têm em si traços característicos que personificam o que lhes
de u vida. Assim animados, eles se põem a caminho a fim de
encontrar “camaradas” de vibração semelhante com os quais
possam formar uma fraternidade. Então, forma-se um grupo
ma ior, que procura uma atividade e logo a encontra na forma
de um campo energético humano que esteja carregado de medo,

69
preocupações e temores e que, por isso mesmo, exerce deter-
minada força de atração sobre esses elementais, força que pode
ser equiparada ao magnetismo.
Então, os elementais unidos se lançam nesse desprotegido
campo escuro de força e densificam com suas energias as ener-
gias já existentes; por fim, isso faz com que o medo, a preocu-
pação e o receio se tornem mais fortes, chegando ao pânico.
Com o tempo, esses sentimentos se intensificam tanto que, fi-
nalmente, são transferidos para o campo físico.
Essa é uma descrição breve e simples do caminho percorri-
do por um pensamento ao cair em solo fértil, onde cresce e se
desenvolve.
Assim, podemos concluir seguramente que devemos exer-
cer o controle dos pensamentos de forma muito cuidadosa e
consciente, envolvendo-nos num manto de luz, se não quiser-
mos que nosso campo de energia sutil se torne um palco para
formas energéticas indesejáveis.
Não há dúvida de que é possível fortalecer e irradiar a luz
ao nosso redor por meio de uma sintonização consciente, cons-
truindo um forte muro de proteção que nos cerca com o uma
fortaleza. Esta se destina a repelir atacantes indesejáveis, que
acabam desistindo, porque a luz é um escudo e não pode ser
ultrapassada ou dominada de m odo algum.
Essa é uma arma poderosa que nos deixa protegidos de
energias malignas e nos capacita a desenvolver cada vez mais
as nossas forças a fim de vencermos os momentos sombrios no
brilho da luz branca, pois na luz as forças obscuras não conse-
guem nos alcançar.

Um outro capítulo, bastante importante, diz respeito ao cum-


primento de um processo de limpeza, que é um ritual muito
significativo, libertador e intenso no sinal da luz branca; pode-
mos executar esse ritual para obter purificação e integridade;
ele será descrito com detalhes neste livro.
Nesse ritual de limpeza no sinal da luz branca, temos à
disposição um método imensamente poderoso, penetrante e
transcendental que nos permite purificar velhas culpas, cargas
Inúteis, absurdos e experiências dolorosas que ainda lançam
suas sombras sobre a nossa vida sentimental, enchendo-a de
luz e, finalmente, desfazendo os fios de bruma existentes.
Desse ritual se desprende uma força luminosa que está
ininterruptamente à nossa disposição na quantidade adequada;
com ela nos purificamos, nos livramos de máculas e podemos
nos envolver em brilho. Também é possível estender o efeito
da purificação ao mundo dos pensamentos e dos sentimentos,
o que nos permite ter um sentimento vital totalmente novo; ele
pode ser comparado com uma “ascensão” que desejávamos do
fundo do coração, mas não tivemos oportunidade de alcançar.
Às vezes sentimos como se um anel firme nos envolvesse
nu m aperto, fazendo com que nos falte o ar para respirar, posto
que na sua forma rígida ele é inabalável e inflexível. Sentimos
uma forte pressão no peito e, para não tornarmos esse aperto
ainda mais insuportável, diminuímos o ritmo da nossa respira-
-lo . Mas o aperto não fica mais suave, porém vai ficando cada
vez mais forte, até que, finalmente, nos ocorre libertar-nos sozi-
nhos dessa situação ou então seremos subjugados. Isso explica
a pressão do sofrimento que muitas pessoas conhecem muito
bem e que só pode ser eliminado com a luz branca e sua força
de purificação, que penetra em tudo.
O medo, o espanto, os temores e a opressão perdem seu
po der sobre nós quando os raios luminosos e brilhantes dessa
fonte de energia cósmica se derramam sobre a nossa vida cri-
a n d o condições, tanto no âmbito sutil quanto no físico, de res-
tabelecer a ordem perfeita no sentido determinado pela criação
divin a.

71
Nessa sugestão concreta estão contidos dois tipos de ajuda:
em primeiro lugar, a purificação do nosso corpo espiritual, com
todos os elementos de vibração que se formaram e densificaram
nele; em segundo lugar, nosso corpo físico, que faz parte de
um sistema estrutural que também mantém um inter-relaciona-
mento direto com a luz.
Cada célula do nosso corpo é uma centelha de luz, repleta
de cores e formas, que pode ser definida com o o ponto de
partida para uma saúde perfeita. As centelhas de luz em forma
de células se comunicam umas com as outras com a velocidade
da luz, e de modo muito preciso elas contam umas às outras
qual é seu estado no momento e que carências surgiram.
Dessa forma, cada célula tem informações corretas sobre o
estado de todas as outras células; ela detém em si mesma esse
conhecimento com o parte do todo e como parte do sistema a
que está ligada. Para nós, é muito instrutivo saber com o essas
células luminosas, mais ou menos protegidas, entram em resso-
nância com a luz no âmbito espiritual e com o se harmonizam
com as freqüências com que entram em contato.
A í vemos o caminho reto tomado por uma forma espiritual
que se instala no corpo físico repleto de vibrações destrutivas.
Supondo-se que atinja todas as estruturas celulares que estejam
enfraquecidas na sua capacidade luminosa, estas não conse-
guem opor-se à pressão exercida.
A essas formações celulares especialmente carregadas de
luz, energia e força de resistência denominamos “células assas-
sinas” que, por assim dizer, ficam à nossa disposição como
“guarda-costas”, protegendo nosso organismo dos ataques da-
quelas formações destrutivas. Contudo, às vezes a força imuno-
lógica geral do corpo já está enfraquecida demais e esses “guar-
da-costas” perdem sua eficácia e não conseguem mais enfren-
tar o ataque das formas energéticas espirituais.
Então é o momento do sofrimento físico. Nesse caso, a
densificação de energia tem de ser tratada materialmente. A

72
esse sofrimento também se acrescenta a pressão que resulta
das dores, bem como a redução da capacidade de orientar a
vida, o que tem efeito devastador sobre a psique.
Então se torna claro o impressionante acontecimento que
tem uma causa espiritual: a vibração energética densa e pobre
de luz entra em ressonância com o âmbito físico, manifestan-
do-se e propagando-se, inevitavelmente — a não ser que a
pessoa peça clemência e a obtenha, estimulando-a consciente-
mente por meio da luz.
Eis aí outra vez a força da Criação que ocultamos em nós
como a essência da Luz, formada pelo amor divino, que temos
ilimitadamente à disposição quando precisamos. Com ela p o-
deremos corrigir tudo o que não estiver correto e empreender
uma volta, mudando nossa vida, pois isso se tornou necessário
para que nos aproximemos do grande objetivo.

O arcanjo Gabriel ajuda-nos e envolve-nos com seu ser re-


pleto de luz, apoiando-nos quando precisamos compensar ve-
lhas dívidas — entre as quais também se incluem as dívidas
kármicas — , desfazer-nos de uma carga inútil ou fazer uma
renovação útil à nossa evolução, que, conseqüentemente, é um
anseio íntimo da nossa alma. Sozinhos, muitas vezes não pode-
mos realizá-lo; porém, com a força da luz branca, ele sempre é
perfeitamente explicado e organizado: basta elevar nossos olhos
para cima e nos tornarmos conscientes do poder que temos em
nós e que simboliza a incompreensível grande força que pro-
vém da força criativa.

73
O Arcanjo Rafael

O arcanjo Rafael rege o âmbito da luz verde que provém do


coração de Deus; ele é o arcanjo que cuida da verdadeira saúde
do corpo, do espírito e da alma, da ordem perfeita no sentido
da organização cósmica, da verdade abrangente e da cura, que
se realizam por meio da transformação de falsas estruturas de
pensamento e pela renovação das energias estimuladoras da
vida.
A mais importante tarefa de Rafael, o arcanjo da cura, 6
elevar certos padrões de pensamento a um âmbito de vibração
que corresponda à ordem divina e à sua verdade cósmica.
Nisso se incluem, especialmente, a simpatia e o amor ao
próximo e o inter-relacionamento humano, pois desses traços
característicos se constitui o potencial do nosso campo energético
e resulta também uma força mais ou menos vigorosa de irradi-
ação e a ressonância sobre a nossa estrutura física.
No raio verde vibra o azul da fé divina, unida com o amare-
lo da sabedoria divina numa sinfonia equilibrada que transmite
as cores da vida. O verde simboliza o novo crescimento e o
alimento que produz a vida.

74
O verde da vegetação é formado pela clorofila das folhas;
nossos pulmões recebem o oxigênio necessário por meio da
fotossíntese das plantas. No verde-escuro junta-se uma energia
q ue pode ser chamada de força mantenedora da vida, pois aí se
encontram todos os quatro elementos que representam as co-
lunas do universo sobre as quais repousa o todo da Criação.
Em outras palavras, isso significa que no verde reencontramos
todo o potencial dos quatro elementos, constituídos dos princí-
pios do Fogo, da Água, do Ar e da Terra, que vibram nas cores
azul, amarelo, verde e na cor vermelha complementar.
A o contemplar uma mistura de cores, podemos perceber
nitidamente que da junção do azul e do amarelo resulta a cor
verde. Esse verde, observado na luz solar, produz um forte
reflexo verm elho quando fechamos os olhos, e surge então na
re tina essa brilhante imagem.
Isso revela para nós que o verde da luz contém uma quali-
dade abrangente que se estende na mesma intensidade tanto
para as exigências espirituais quanto para as físicas, porque aí
fo i criado um centro equilibrado entre os dois pólos, que tanto
de um lado quanto do outro pode transmitir seu equilíbrio har-
mônico.
É por isso que Rafael também é chamado de “Arcanjo do
centro em equilíbrio”, levando-se em conta que ele se colocou
a disposição para interferir no desequilíbrio espiritual e físico,
criando com a qualidade da luz verde novas dimensões que
possibilitam um recomeço que deve ser aceito e realizado com
um impulso novo e confiança nas próprias forças.
Daí se conclui que no raio verde da luz cósmica atua uma
energia extremamente construtiva, renovadora e transformadora,
q ue nos serve de diretriz em todas as situações da vida, que
podemos seguir confiantemente, visto que ela já abriu inteira-
mente o caminho e espera apenas que a reconheçamos e este-
jamos dispostos a segui-la, a fim de alcançarmos nosso objeti-
vo de vida.

75
No verde da luz temos um dinamismo contrastante de vi-
bração, que se com põe de dois campos de ação extremamente
opostos. Estes se encontram no temperamento sangüíneo e no
temperamento melancólico, simbolizados pelas cores amarela
e azul. Trata-se de dois traços característicos humanos que se
opõem totalmente e que, por esse motivo, também não apre-
sentam nenhum denominador comum. No entanto, na essência
da cor azul vibram esses dois aspectos opostos, criando um
todo harmonioso, na medida em que se uniram pacificamente
e seus dois extremos constituíram uma união equilibrada.
Nessa grande comunidade imperam a ordem, a paz, a
descontração e a solidariedade com relação ao outro pólo, que
estranhamente é respeitado de forma total. Disso resulta uma
parceria forte, que pode criar e manter a vida, visto que está em
perfeita sintonia com os pensamentos da criação divina.
Nesse âmbito é essencial analisar mais detalhadamente as
duas vibrações básicas essenciais, para termos uma idéia das
forças opostas extremas que buscaram sua manifestação na cor
verde, para atuar numa comunidade e exercer influência tanto
sobre o domínio da vida cotidiana quanto sobre o necessário
desenvolvimento espiritual.
Essa influência constitui-se na formação harmônica de idéi-
as e sentimentos e numa opinião positiva da vida, necessária
para termos sucesso na nossa jornada.
No campo de ação da luz verde encontramos uma diversi-
dade de carências, desejos e anseios, características bem huma-
nas, que por um lado se relacionam com bem-estar, sucesso,
felicidade nos relacionamentos, auto-realização e abundância
e, por outro, com mágoas, bloqueios ao progresso, falta de
harmonia nos relacionamentos humanos ou projetos não-reali-
zados que se estagnaram no nosso íntimo.
Essas emoções tornam as pessoas mal-humoradas e não as
deixam ter esperanças. As conseqüências são o medo, a insatis-
fação e a inveja, que logo se intensificam no âmbito espiritual,

76
fazendo com que seus campos de vibração se estendam cada
vez mais, até encontrarem um ponto fraco no plano corporal
que propicie a sua manifestação.
Dessa forma, materializa-se uma formação espiritual repleta
de energia; com esse reservatório de força, ela é suficientemen-
te poderosa para colocar um processo em ação. No âmbito da
luz verde encontramos uma capacidade de vibração forte,
mantenedora da vida, que age com a velocidade da luz; pode-
mos confiar no seu poder de cura, quando sentimos que algo
na nossa vida saiu do compasso, prejudicando-nos e pertur-
bando o nosso equilíbrio, que temos a obrigação de manter.
Então é o momento de prestarmos atenção ao “sinal verde”
para podermos trilhar com segurança o caminho da vida e avis-
tar, do outro lado, uma nova margem que nos oferece apoio
para fazer o que pretendemos nessa ocasião.

Também há um significado material nos detalhes inexplicáveis


com que nos defrontamos ao analisar um trecho de vida. E para
podermos esclarecer esse assunto objetiva e concentradamente
temos de entendê-lo e empreender uma purificação.
Conhecer uma tarefa é meio caminho andado para resolvê-
la, com toda a certeza; portanto, é muito conveniente que nes-
sas situações nos detenhamos um pouco e pensemos sobre o
significado subjacente oculto no fato de a vida de repente nos
fazer exigências até então ainda não enfrentadas. Nessa forma
de análise consciente de um caminho existe um progresso con-
siderável, que podemos conquistar quando fazemos essa análi-
se logo no estágio inicial.
Muitas vezes somos prejudicados por deixar essas coisas de
lado, por negligenciarmos algo que consideramos assustador
ou desagradável, esperando que ele se extinga por si. D evido a
isso, com o passar do tempo forma-se uma barreira cada vez
maior, até que em determinado dia não é mais possível deixar
de e ncará-lo, mesmo com a melhor boa vontade, pois ele re-
presenta um bloqueio maciço no encadeamento da vida.

77
Então já não há mais tempo para voltar atrás e, conseqüen-
temente, fica mais difícil resolver a situação. Por isso devemos
ter sempre em mente a seguinte regra: convém prestar atenção
aos sentimentos que revelam um prejuízo e uma limitação em
nossa vida e com os quais não conseguimos lidar eficientemen-
te; eles diminuem a nossa alegria de viver, o que, sem dúvida,
não é o que Deus deseja para nós.
Eis-nos outra vez diante de um problema muito comum,
que dificulta a vida de muitas pessoas, que se acomodam e
aceitam isso com o algo inevitável para darem a impressão de
que são adaptáveis, tolerantes ou sociáveis.
No entanto, nesse caso, trata-se apenas de um determinado
tipo de oportunismo, e não do exercício da virtude divina do
amor ao próximo, como erroneamente se afirma. Por trás desse
comportamento existe muito mais um sentimento negativo de
auto-estima, que se declara pronto a fazer concessões, bloque-
ando ainda mais o desenvolvimento da sua personalidade. Essa
situação se enquadra no âmbito da luz verde e deve ser enten-
dida com o um alerta para nunca permitirmos que alguém de
forma alguma castre a nossa vida apenas para obtermos paz c
tranqüilidade, pois esses são “sentimentos fictícios”, que não
têm nenhum valor para a evolução posterior da alma.
Na hierarquia do raio verde está a chave para a nossa liber-
dade pessoal, e é nele que também encontramos a força e o
impulso para ansiar por ela com o pessoas livres; isso permitirá
que nossa personalidade assuma seu lugar na estrutura da Cri-
ação divina e que se firme, assim com o corresponde à nossa
orientação mais elevada, com a ajuda da nossa voz interior do
coração, que se torna nitidamente audível.
Mas também nesse ponto os espíritos se dividem. De um
lado estão os confiantes, que seguem suas inspirações e intui-
ções de forma adequada e, de outro, os pensadores frios e
realistas, que se apoiam na sua compreensão analítica e nem
sequer levam em consideração conjecturas vagas, com o eles as
chamam.

78
No entanto, o fato é que as pessoas que têm coragem de
confiar em sua orientação interior e de segui-la são aquelas que
presenteiam o mundo com grandes atos, descobertas e faça-
nhas, visto que o seu raciocínio está em ligação com o grande
lodo e não apenas com o conhecimento limitado que conse-
guiram obter aqui na Terra.
Obras significativas, que sobrevivem por muito tempo a seus
criadores, nada mais são do que a iluminação inspirada de um
espírito que se encontra na matéria e que manifestou seu te-
souro de idéias aqui na Terra.
Quando ocorre um desses atos de criação, sempre há por
perto incontáveis seres de luz, hostes de anjos e de almas
ascensionadas que no plano espiritual se esforçam por apoiar
essas fortes formas de energia, carregando-as com luz de qua-
lidade, para que suas vibrações próprias possam aumentar ade-
quadamente, o que corresponde à sua originalidade espiritual.
Suponhamos que uma pessoa alimente o pensamento de
desejar melhorar decisivamente uma situação e então comece a
refletir sobre com o realizar isso da melhor maneira. Ela, com
certeza, dispõe de muito conhecimento; no entanto, a idéia
genial que surge subitamente da sua percepção intuitiva, possi-
bilita-lhe, em última análise, esse esforço para a ruptura, visto
que então se tornou possível criar condições para obter sucesso.
Todas as grandes descobertas nasceram assim e contêm um
potencial espiritual que não teria sido alcançado pela mera com-
preensão analítica. Em todo ser humano existe “uma centelha
de genialidade” , que pode ser definida como “luz interior”, que
o ser humano personifica com a sua presença divina EU SOU.
Com essa consciência fica mais fácil entender que somos
nós que escolhemos a maneira com o levar a vida, os valores
que lhe atribuímos, pois cada um é animado pela centelha divi-
na e, portanto, é um co-criador junto a Deus num universo que
apresenta com o uma unidade global; somos uma parte do
todo - somos um microcosmos num macrocosmos.

79
Aí também é possível encontrar uma explicação para a nos-
sa vida, reconhecendo a enorme importância dela e seu signifi-
cado para o todo da Criação, que se esforça para nos mostrar
nosso caminho de volta à unidade.
Na compreensão desse plano universal existe um grande
potencial de ajuda que se oferece a todos os que sentem em si
o desejo de descobrir os grandes segredos do mundo, para
estar melhor preparados no caminho de volta à LUZ.

A chave para o sucesso da vida está no enfoque que impri-


mimos a ela. Dele depende a nossa capacidade para esgotar
todas as possibilidades e cumprir bem a nossa missão.
Isso nos dá muita esperança, porque podemos imaginar com
toda clareza o que significa percorrer um caminho com meios e
capacidades próprias, um caminho que se apresenta com pro-
messas de sucesso, que leva ao objetivo visado e que represen-
ta adequadamente o desejo da alma.
Nosso maior tesouro é termos recebido do Criador a capa
cidade de controlar tudo o que precisa ser controlado de forma
pessoal, para ficarmos satisfeitos e sermos felizes. Mas tudo
depende do nosso enfoque pessoal do que somos capazes de
realizar e do sucesso obtido.
Esse fator é muito decisivo quando resolvemos analisar nossa
personalidade e examinar com uma lente nossas características
corporais, para deduzir que ressonância direta existe entre o
plano espiritual e o físico.
Em primeiro lugar, é preciso analisar e avaliar com precisão
nossos traços de caráter a fim de reencontrá-los no corpo físico
e compreendê-los. Existe um inter-relacionamento direto entre
as características da personalidade de uma pessoa e seu estado
físico, o qual sempre reflete exatamente aquilo que lhe é sina-
lizado pelo espírito.

80
Quando se trata da causa que provoca uma doença no âmbito
da matéria bruta, sempre atuam juntos dois fatores. A eles acres-
centa-se a força espiritual que se apresenta como um ponto
cardeal quando se trata de estabelecer os propulsores espiritu-
ais — seja numa ou noutra direção.
Isso significa que nosso espírito criador construtivo ativa o
propulsor com sua força de vitalização e põe em movimento a
força motriz que, assim, começa a se tornar atuante e emite
vibrações rotativas comparáveis a giros em forma espiral. Meta-
foricamente falando, essas espirais se aparafusam para cima ou
para baixo, manifestando-se no espírito ou na matéria.
Ancoradas no âmbito espiritual, essas formas de energia em
espiral provocam um aumento de energias para dimensões mais
elevadas e, portanto, ao mesmo tempo também uma informa-
ção que libera ecos que, com a velocidade da luz, se espalham
no plano da energia etérica e irradiam sua força luminosa, dei-
xando-a cada vez mais forte e abrangente.
Poderíamos compará-la com um fogo de artifício, que se
expande num céu repleto de estrelas, alcançando com seu ful-
gor a mesma capacidade luminosa das estrelas e que, ilumina-
do por elas, aumenta a intensidade da sua luz. A troca de ener-
gia que ocorre se densifica visivelmente, na medida em que
esse fogo de artifício se junta a outros campos de força, que
também querem participar a seu m odo do acontecimento.
Essa comparação para se obter uma imagem do que aconte-
ce com as energias luminosas que se expandem com suas vi-
brações fortes, em forma de espiral ascendente, é bastante sim-
ples. Essas energias deparam com uma imensurável ressonân-
cia e entram em contato íntimo com todas as formas de energia
que, por sua vez, se elevaram para a luz, para ali encontrar seu
eco espiritual.
Em oposição a isso, as visualizações que foram preenchidas
de energias negativas caem, em queda livre, para o plano terre-
no, para aqui se estabelecerem e se expressarem. Isso se revela

81
na forma de reações descabidas, tempestuosas explosões em o-
cionais, mal-estar físico ou estados dolorosos que dão um jeito
de se expressar em alguma parte do corpo, permitindo que se
conclua qual é a verdadeira origem do pensamento.
A esse fenôm eno denominamos de “fala corporal”, e por
ela entendemos sintomas que apontam para causas espirituais
da doença, como, por exemplo, problemas digestivos e sua
clara indicação de que algo espiritualmente indigesto não pode
ser liberado, porque não nos sentimos em condições de elaborá-
lo fisicamente. Uma discrepância entre compreender, digerir e
conseguir liberar leva a distúrbios físicos que se manifestam
exatamente onde fica a correspondência física e onde se forma
o pólo contrário à posição espiritual.
Aí reconhecemos uma ligação direta entre causa e efeito,
entre nosso cabedal de idéias e nosso corpo, que serve de
Vestimenta terrena’ e, ao mesmo tempo, de marcador do nosso
desenvolvimento espiritual, do progresso e da capacidade de
elaboração do nosso tesouro de idéias para colocar em funcio-
namento uma regeneração de saúde.
Uma atuação pesada, que provoca doenças, sempre pode
ser aliviada e compensada, da mesma maneira com o foi criada:
pela força do pensamento e por formações energéticas positi-
vas, que com sua força luminosa, em forma de espiral, ascende
aos campos espirituais para ali poderem empreender uma lim-
peza e uma purificação daquilo que se manifestou no campo
terreno com o doença, necessidade, sofrimento ou privações.
São as forças espirituais aptas a modificar, com a velocidade da
luz, estados formados por substâncias espirituais sombrias que
se emanciparam.
A luz é uma força que penetra em tudo, que purifica e
transforma. E no ritual da Criação ela foi colocada em primeiro
lugar, para que com essa energia primordial pudessem se for
mar e manifestar todas as outras forças vitais.
O nosso Criador colocou a LUZ na posição mais alta para

82
com ela coroar todas as outras obras da Criação. ELE concedeu
à LUZ uma energia que penetra em tudo e que dá vida, de
forma ilimitada, para poder preencher todos os estados que
precisem de LUZ, essa substância que age liberando e nos dig-
nificando, com poder de penetrar na escuridão, inundando-
nos de brilho.
“Curas milagrosas” nada mais são do que forças luminosas
espiritualizadas que entraram em ressonância com fatos físicos
e que, dessa forma, concretizaram uma purificação perfeita na
matéria.
Para nós, isso significa, clara e nitidamente, que esse tipo
de cura no plano físico só pode ocorrer de forma perfeita quan-
do no plano espiritual as freqüências luminosas forem coloca-
das em andamento, revelando-se como uma energia purifica-
dora e liberadora bastante forte para concretizar a cura. Qual-
quer tipo de cura que seja compreendido de outro modo no
plano material ocorre graças a um deslocamento de sintomas
para outras regiões do corpo e, por isso, não tem efeito perma-
nente, com o uma cura determinada espiritualmente.
Temos, portanto, o grande privilégio do controle sobre o
nosso bem-estar físico-espiritual, o qual podemos carregar de
força luminosa de modo bastante pessoal, com a finalidade de
alcançar e manter perfeita a saúde.
Depende de nossa força criativa e da capacidade espiritual
de formação de idéias a direção em que giramos a nossa espiral
de energia e para onde voltamos o nosso olhar, quando nos
vemos presos em turbulências espirituais que precisam de pu-
rificação; para cima, rumo à luz e às virtudes divinas do amor,
da bondade e da compaixão; ou para baixo, rumo às trevas,
onde imperam a vingança e a desforra e não se pode encontrar
a LUZ.

83
Na luz tudo é claro, visível e inundado por energias que
expressam vida. Portanto, é muito importante que utilizemos
essa força de luz para realizar nossos empreendimentos, a fim
de conseguir clareza, verdade, equilíbrio, bem com o a saúde
perfeita do corpo, do espírito e da alma.
O arcanjo Rafael é o grande curador no reino da luz verde
que se relaciona com o nosso dom ínio da vida e com a
concretização da nossa missão de vida. Nele encontramos um
ajudante poderoso quando buscamos o equilíbrio e a harmo-
nia, com o também novos impulsos para resolver alguma situa-
ção estressante que nos incomoda muito.
Muitas vezes sentimos como se um enorme obstáculo se
erguesse diante de nós, destruindo todos os nossos desejos;
isso faz a nossa coragem diminuir cada vez mais, até capitular-
mos diante da situação. No entanto, isso eqüivale a desconfiar
das próprias forças e, com consciência das deficiências pesso-
ais, “jogar a toalha”. E, freqüentemente, isso ocorre num momen-
to em que o objetivo tão almejado está prestes a ser alcançado.
Nessas situações, esquecemos da luz, que teria nos dado a
força de resistência se tivéssemos nos aproximado a tempo dessa
fonte, servindo-nos das energias luminosas que estão à disposi-
ção de todos. No entanto, depende exclusivamente de nós dei-
xar fluir conscientemente para nossos empreendimentos essa
ajuda cósmica; dessa maneira, aumentaremos nossos lucros, o
que tornará possível concretizar tudo aquilo que desejamos
para enriquecer nossa vida e nos elevarmos à posição que es
colhemos.
Nesta indicação está bem clara uma exortação à ação — e
agora iremos analisar melhor esse fato, para podermos tirai
nossas conclusões: teremos em mãos uma orientação concreta
que nos possibilitará fazer o que chamamos aqui de “a obra”.
Mas para tanto é preciso, em primeiro lugar, decidir clara e
conscientemente que coisas podem nos ajudar na realização de
um desejo ou que plano é necessário seguir para nos aproxi-

84
marmos do objetivo, e quais os passos que teremos de dar para
alcançá-lo da melhor forma possível com nossas forças e possi-
bilidades.
Também é muito importante analisar detalhadamente as si-
tuações isoladas que se acercam de nós, para podermos visualizar
melhor a direção que pretendemos tomar. Para isso devemos
lançar mão da força criativa da imaginação, que se revela como
uma imagem viva e colorida quando a usamos adequadamente.
Só assim poderemos dar asas à nossa imaginação espiritual,
concentrando-nos em algo que desejamos ver. Trata-se do li-
vre-arbítrio, que é a manifestação livre e concreta dos pensa-
mentos e sentimentos.
Apenas os impulsos espirituais estimulantes, que levam ao
entusiasmo, e os impulsos animadores têm condições de ajudar
numa focalização interior com força suficiente para podermos
aceitar com o inevitáveis os obstáculos e os desvios, sem fracas-
sar ou desistir prematuramente de um desejo pelo fato de ele
ainda não se revelar suficientemente forte para conseguir reali-
zar-se.
Nesse caso, só conta a força do espírito, que se eleva até
chegar à maestria, para assim possibilitar uma realização que
de fato acontece e se materializa. Porém, muitos fracassam por-
q ue não conseguem imaginar-se fortes o bastante, o que para
els significaria ver realizado um desejo, proporcionando-lhes
uma mudança positiva, novas chances, saúde perfeita, alegria e
bem-estar.
Freqüentemente, também acontece de não entendermos o
enorme poder que temos em mãos ao realizar um ato espiritual
de criatividade. N o entanto, isso revela ausência ou insuficiên-
cia de auto-estima, motivo pelo qual não nos permitimos olhar
para alturas que nos parecem inatingíveis visto que não nos
consideramos suficientemente bons para chegar lá.
O com plexo de inferioridade é um grande mal, que só apa-
rece nas pessoas que não mostram respeito pela LUZ, e assim

85
não podem possuir a força que se oculta atrás dela. Essa força
nunca impõe a sua presença, porém coloca-se à disposição
para ser avaliada: quem estiver aberto a ela poderá se benefici-
ar nos momentos em que se sentir confuso ou inseguro. Nessas
fases da vida, a LUZ está disponível em toda a sua plenitude,
para ajudar a pessoa a vencer todas as dificuldades, para que
possa ser mais feliz e realizada.
O arcanjo Rafael tem a luz verde nas mãos e a entrega cari-
nhosamente aos que anseiam por uma realização em sua vida e
um sucesso total para a sua alma imortal.
A luz na essência de um ser humano sempre brilha de for-
ma mais maravilhosa e intensa quando, conhecedora da sua
força criativa, a pessoa se declara disposta a transformá-la em
ação, o que para a alma representa outro passo em direção ao
objetivo; isso torna a alma apta a ascender cada vez mais nas
esferas em que não existem limitações nem obstáculos, visto
que lá se encontra a LUZ. É por esse motivo que nessas esferas
se irradiam a clareza, a paz, a tranqüilidade, a ordem e a mais
perfeita harmonia.
O Arcanjo Uriel

O arcanjo Uriel e as tropas do seu exército atuam no eleva-


do reino da luz vermelho-rubi-dourada; eles se compromete-
ram com Deus a intervir e, dessa forma, contribuir para que a
dedicação consciente ao divino represente uma mobilização de
forças, e não uma súplica visando livrar-se das necessidades,
preocupações e pressões que, na maioria das vezes, são o motivo
de nossas preces.
No reino do raio vermelho-rubi-dourado imperam a alegria
e o júbilo por termos conhecimento de que Deus derrama a
compaixão e uma grande abundância de amor sobre nós. Ali
podemos avistar um plano elevado que se realiza por meio da
veneração a Deus, o que O enche de alegria; e os arcanjos
ii radiam para nós esse grande dom da alegria, a fim de que

possamos captá-lo e interiorizá-lo.


Assim obtemos as necessárias reservas de força, que nos
transmitem as energias de que precisamos sempre que enfren-
tamos uma fase da vida em que temos de percorrer terrenos
intransitáveis e nos sentimos fortemente estimulados.
Por meio da intensa vibração de cor que se forma do ver-

87
melho-rubi e do dourado, que ao misturar-se irradiam uma cor
laranja brilhante, experimentamos a alegria em sua forma mais
original e com isso também uma gratidão por ter esse senti-
mento de alegria; essa alegria transbordante e penetrante é ca-
paz de dissolver formas destrutivas e pessimistas de pensamen-
to, transformando-as no seu oposto — confiança, criatividade e
otimismo.
Essas são as características que se expressam com destaque
nesse potencial de cor laranja e que podem ser uma bênção
imensurável para dominarmos nossa vida quando nos esforça-
mos conscientemente por colorir pensamentos, palavras e ações
com esse influente fluxo de energia de cor laranja.
No arcanjo Uriel vemos o grande príncipe do céu, que se
oferece para aumentar a força da alegria em nós, para que, a
partir desse sentimento de felicidade, possamos concretizar tudo
o que a vida nos exige; também para facilitar o controle da vida
e favorecer a execução dos planos.
Na alegria temos um grande potencial de força que, com
sua influência, nos ajuda a carregar o fardo da nossa vida de
maneira bem melhor. Assim, recebemos bem mais eficácia, es-
tímulo e disposição interior de resistência, e é possível eliminar
objetivamente pensamentos sombrios e substituí-los por novas
energias que sejam estimulantes e construtivas.
Existe um aspecto muito importante ao qual ainda não de-
mos muita atenção quando queremos mudar um acontecimen-
to; em vez de, como de costume, passarmos por fadigas e pri-
vações, devemos introduzir a composição cromática da alegria
e da gratidão na nossa vida — laranja — , obtendo assim um
ponto de partida bem diferente do que no caso anterior.
Fica aqui o convite para deixarmos a alegria entrar em nos-
sa vida, porque é isso o que Deus quer e porque dessa alegria
nasce a gratidão que dedicamos ao nosso Criador sempre que
o sucesso, a ascensão social, o contentamento e a felicidade
dominarem a nossa vida. Disso podemos concluir, sem sombra

88
de dúvida, que os bons pensamentos construtivos, que afir-
mam a vida, levam-nos a progredir e a nos elevar para reinos

s
uperiores pelos quais ansiamos com grande saudade no nosso
coração.

No reino elevado do arcanjo Uriel encontramos o grande


tesouro da alegria e, portanto, também o tesouro da gratidão e
a conseqüente adoração a Deus sempre que surgir um senti-
mento de felicidade.
No que diz respeito à nossa vida terrena, isso significa que
somos estimulados a deixar a alegria e o alívio entrarem em
nosso coração e que devemos, com muita consciência do fato,
esforçar-nos para envolver nossas formas sombrias de pensa-
mento nas vibrações coloridas comparáveis, em seu fulgor la-
ranja, com o sol nascente, pois elas têm um efeito renovador e
transformador quando as deixamos fluir intensamente para o
nosso espírito.
Então, na realidade, é com o se o sol nascesse, brilhando
através da escuridão da noite, cada vez mais, até que nada reste
dela, a não ser a luz e o calor, como base para a vida que
desperta para um novo dia, com todas as perspectivas de se
poder vivê-lo com alegria.
Nessa imagem do sol nascente existe vida, com todas as
suas possibilidades e chances de um crescimento criativo e de
uma formação e organização lucrativas. Assim, avistamos uma
luz de esperança e de alegria que brota dessa vida. É a alegria
incontida de podermos encontrar e captar tudo de que precisa-
mos para alimentar nossa vida a fim de nos tornarmos uma
estrela brilhante, capaz de conquistar seu lugar no universo.
Considerando-se que na via terrena parece haver mais sofri-
mento do que alegrias, é animador e estimulante examinar esse
fato mais exaustivamente.
A perda da alegria leva às trevas e, simultaneamente, à de-
pendência, visto que as trevas se opõem à vida e a negam.
Trata-se de dois extremos, luz-vida e trevas-morte, o que torna

89
a comparação mais compreensível. Na vida, a alegria sempre é
uma centelha ígnea que fornece novas energias e nos torna
aptos a grandes realizações. As trevas disseminam medo, abor-
recimento de viver e, portanto, perda da vitalidade e da dispo-
sição para agir, pois falta o elixir vital que existe única e exclu-
sivamente na luz.
Em seguida, o medo leva à dependência, e com ela vem a
perda da auto-estima, que se torna tanto mais tênue quanto
mais nos deixarmos influenciar. Esse é o ponto final para o
livre-arbítrio, cuja força de expressão se torna totalmente para-
lisada, sem sermos mais capazes de estabelecer nossas prerro-
gativas, uma vez que nossa força de vontade parece ter sido
esmagada e não nos permite ter voz ativa.
No entanto, até nessas situações, que aparentemente se tor-
naram sem saída, é inteiramente possível, com a ajuda da luz
vermelho-rubi-dourada, criar novas fórmulas de vida que p o -
dem propiciar o retorno à luz. Aqui se impõe outra vez a com-
paração com o sol nascente, que com sua bola de fo g o de cor
laranja brilha através de tudo o que estava oculto nas trevas;
com seus raios quentes, o sol nascente anuncia vida nova, um
novo começo.

A o conhecer o poder da luz, torna-se cada vez mais claro e


compreensível que temos de incluí-lo na nossa vida, o que
exige uma transformação no sentido de um crescente desen-
volvimento.
Portanto, é necessário que estejamos seguros da grande ajuda
que está à nossa disposição na forma de raios de luz repletos
de cor, e reconhecermos com o é imensuravelmente grande o
poder do nosso espírito, com cujo apoio podemos introduzir as
forças coloridas num acontecimento que precise ser esclareci-
do e transformado.

90
Neste ponto convém explicar outra vez, de forma bem cla-
ra, que depende de nós mesmos empreender uma transforma-
ção que se realiza no plano espiritual para depois encontrar,
nos acontecimentos físicos, uma ressonância inteiramente com-
patível. É aí que está o segredo do intercâmbio de energias
sutis que acontece no âmbito espiritual e que é sinalizado auto-
maticamente para o corpo, na forma de energias luminosas com
capacidade de atuar na transformação.
Essas partículas de energia são demasiado sutis; no entanto,
têm capacidade de manifestação e, portanto, também de pro-
vocar uma mudança completa, por exemplo, nos casos de d o-
ença. Nessa troca de substâncias energéticas, pode-se divisar
nitidamente o pensamento cósmico básico: “Em cima com o
embaixo, e fora com o dentro.” É por esse motivo que nesse
processo se reflete um poder que pode ser equiparado à força
da criação.
Um intercâmbio de energias que é transmitido do plano
espiritual para o corpo tem algo em sua constituição que, no
sentido metafórico, se relaciona com a criação de uma nova
vida — e é assim que deve ser entendido: uma sustância de
caráter destrutivo se contrai e isso leva a sofrimentos e males
físicos e emocionais, os quais se instalam no organismo como
uma advertência clara de que algo tem de ser modificado em
seu padrão de raciocínio, para que se possa restabelecer o an-
tigo estado de saúde e de bem-estar.
Essas “sentinelas”, tais como estão incorporadas nas dores e
nas indisposições, servem para enviar ao espírito uma adver-
tência muda, para que este tome outra vez consciência do seu
estado original e provoque uma mudança para criar novas con-
dições de vida. O pressuposto é que a pessoa visualize essa
ajuda para os seus males e esteja disposta a empreender um
re t orno espiritual que lhe dê o impulso decisivo para revelar ao
corpo que as “sentinelas” podem ser retiradas, pois sua presen-
ça não é mais necessária.

91
Esse exem plo encerra um grande conhecimento, que se re-
laciona objetivamente com o fato de, na nossa condição huma-
na, sermos capazes de empreender uma mudança a partir do
espírito; essa mudança torna-se necessária desde que perceba-
mos que é possível renovar valores espirituais, levando em conta
a prioridade subjacente em segundo plano. Essa renovação sem-
pre, sem exceção, tem de ser empreendida a favor das leis da
vida, para colocar em andamento as partículas espirituais de
energia que ajudam a criar um recomeço de vida.

Assim ventilamos e trouxemos à consciência um dos maio-


res mistérios da história da humanidade. Temos em mãos, ilimi-
tada e poderosamente, as condições de encher nosso sistema
físico-espiritual com energias positivas, estimulantes de vida e
construtivas, se quisermos controlar conscientemente a nossa
vida para atingir a perfeição.
O poder do nosso Criador está integrado no espírito, e tam-
bém o SEU AMOR, pelo fato de nos ter dado capacidade para
escolher a forma dos nossos pensamentos e para determinar-
mos as subjacentes formações de energia que deverão motivá-
los e fortalecê-los para que eles possam ascender à luz em
forma de espiral, assumindo na luz toda a sua potência. Esta
permite que o espírito volte com a velocidade da luz para a
proteção física de um portador da luz, para aí, no corpo, em-
preender uma manifestação em favor da luz e da saúde perfeita.
Nessa afirmação está, portanto, o segredo da nossa vida.
Temos a absoluta certeza de que somos responsáveis pelo modo
com o moldamos a nossa energia espiritual e física e pelo valor
que desejamos estabelecer para nós mesmos, um valor que nos
deixe livres de desejos e opiniões que não correspondam à
nossa verdade. Assim, podemos afirmar com toda a convicção,
que toda pessoa detém a capacidade de detectar esses senti-
mentos e saber que limites e barreiras irá encontrar — mas

92
também, que chances e possibilidades estão diante dela, para
ajudá-la a obter o sucesso.
Ninguém é obrigado a suportar algo que não queira. Essa
também é uma afirmação muito clara, precisa, que nada pode
abalar, visto que é uma lei irredutível que provém da compai-
xão divina. Esta lei foi acrescentada aos acontecimentos cósmi-
cos para o bem de todos os que desejam se orientar por ela a
fim de modificar algo em seus pensamentos: isso eqüivale à
cura perfeita no campo físico e espiritual.
É possível renovar inteiramente o envoltório material da
vida de uma pessoa quando ela se declara disposta a obter uma
purificação espiritual, que pode ser realizada por meio dos se-
guintes passos: primeiro, é necessário determinar o estado físi-
co que queremos mudar e tentar descobrir a causa que provo-
cou o sintoma da doença.
Já falamos sobre “linguagem corporal”; portanto, aqui va-
mos apenas lembrar rapidamente com o é importante observar
a expressão física de algo que teve um estímulo espiritual. Po-
demos fazer isso conhecendo a linguagem clara do corpo e
aproximando-nos da energia mental original que criou esses
impulsos.
Em sentido mais amplo, é possível descrever esse processo
com o uma espécie de exame de consciência, que é necessário
para se analisar tudo o que se relacione com pensamentos que
se distanciam da luz e negam a vida no seu interior. Disso
fazem parte todas as coisas que, no relacionamento com o pró-
ximo, não puderam ser realizadas em nome do amor, da bon-
dade e da compaixão, e que contrariam as leis cósmicas da
vida, representando portanto um delito contra a Criação.
Amor, bondade e compaixão, bem como respeito pela vida
e por suas leis são as diretrizes, no contexto do livre-arbítrio e
no sinal da luz, para se estabelecer uma ordem segundo a qual
se deve agir para fazer justiça ao sistema do universo com o um
todo.

93
Cada elo isolado dessa cadeia universal está sujeito às dire-
trizes da ordem cósmica e seus axiomas. Podemos observar
isso no curso dos planetas, bem com o no fluxo da energia vital
que, segundo um plano predeterminado, percorre sua trajetó-
ria através do organismo. Tudo está subordinado a uma ordem
regular e, assim sendo, é reconhecido como uma parte do todo
e incluído na comunhão que significa vida.
Aí está a chave para a compreensão desse pensamento divi-
no essencial que se manifestou na Criação. É a VIDA, colocada
em primeiro lugar, incorporando a força que determina tudo o
que podemos alcançar com o nosso livre-arbítrio. Por isso tam-
bém torna-se possível corrigir um erro contra esse axioma de
Deus e substituí-lo pela luz da vida, no intuito de conseguir no
plano físico o que chamamos aqui de “energia vital”. Ela existe
em cada um de nós e tem de ser mobilizada para que uma nova
vida seja criada e, dessa forma, eliminar as fraquezas físicas
transformando-as, com as energias luminosas, em estruturas que
reforçam a vida, trazendo em si a saúde perfeita.
A partir desse aspecto, podemos deduzir que nós é que
escolhemos dominar a vida e as vantagens que surgem desse
domínio quando nos esforçamos conscientemente por adequar
nosso espírito à ordem cósmica; na medida em que consegui-
mos fazê-lo com a luz, estamos nos encaminhando para a vida
eterna, em que sentiremos uma felicidade sem fim.

N o coração de uma pessoa que se volta em direção à luz,


sempre existe calor e claridade, porque ela se enche com as
energias protetoras que se expressam no brilho dos raios colo
ridos, que estão em condições de equilibrar todos os fenôm e-
nos de carência objetiva e as necessidades espirituais alimen-
tando-a incansavelmente.
As pessoas que desejam equilibrar suas carências no sinal
da luz encontrarão nela nova força e estímulo.

94
Portanto, é perfeitamente possível mudar uma situação que
se apresenta com o uma forte perturbação, descontraindo-a e,
quando possível, distanciando-se dela, a fim de criar novos
padrões de pensamento que se movimentem na luz e que, a
seu modo, teriam energias que atuam transformando e purifi-
cando.
Por esse exem plo fica claro que sempre depende de nós e
do m odo com o pomos em andamento a purificação, as vanta-
gens que podemos tirar da situação.
Trata-se de uma pequena vitória que vale a pena com em o-
rar quando somos bem-sucedidos ao eliminar situações espi-
ritualmente perturbadoras com a luz, transformando-as no seu
oposto; isso recai sobre nós com o uma bênção. Acontece que
uma experiência desagradável sempre traz em si também uma
semente de energias positivas quando nos esforçamos para lim-
par essa situação com luz e a enchemos espiritualmente de
cores, as quais são necessárias para a dissolução consciente das
vibrações negativas. Depois sempre resta algo que podemos
avaliar com vantagem pessoal e que nos ajuda a seguir adiante,
com o conhecimentos que são de grande utilidade.
De um tesouro de experiências adquirido dessa maneira
sempre podemos tirar proveito e, além disso, adquirir muita
sabedoria. Em todas as situações, é possível aprender com as
situações difíceis e adquirir experiência, para podermos en-
frentar a vida cada vez com mais segurança e autoconfiança.
Partindo desse princípio, teremos capacidade para, orientados
conscientemente para a luz, provocar a modificação das turbu-
lências nos campos energéticos de outras pessoas que estejam
direta ou indiretamente envolvidas nesse processo. Isso repre-
sentará uma bênção e uma vantagem para elas, ajudando-as a
livrar-se do padrão de raciocínio que as levou para o lado erra-
do e do qual só podem se libertar por meio da influência exte-
rior da luz, ao reconhecer que erraram na escolha do caminho.
Ao nos unirmos conscientemente ao poder da luz, colocamo-

95
nos numa relação de dar e receber, e daí experimentaremos
uma transformação que nos levará a adotar as leis da vida, que
podem nos transmitir as dádivas do bem-estar e da alegria. Isso
nos dá o estímulo para servir com o portadores da luz e para
nos posicionarmos num círculo de luz que representa a base
para uma vida de qualidade excepcional.
Assim, a própria vida fica em posição de destaque, forman-
do uma base sólida para que as nossas ações sejam abençoadas
por formas espirituais de energia e apoiadas pelas que desejam
servir à luz.
Uma pessoa que fique no centro desse círculo de luz e
tenha a consciência de fortalecê-lo e ampliá-lo cada vez mais
pode ser comparada a um planeta no firmamento, que pode
ser visto e apreciado de longe graças à sua força de iluminação.
Então é como se outras entidades luminosas se aproximassem
a fim de admirá-la e transmitir mais força luminosa a essas ener-
gias construtivas, o que torna ainda mais forte o brilho dessa
pessoa.
N o entanto, podemos fazer essa comparação de outra ma-
neira. Em seu círculo de luz, uma pessoa se assemelha a uma
estrela brilhante, que pode ser percebida e observada em ou-
tros planos, tanto melhor quanto mais intenso e brilhante for
seu campo de força e quanto mais energia luminosa passar por
ela. É quando ela se torna o ponto central de admiração, ava-
liação e reconhecimento geral das forças superiores, que, por
sua vez, se sentem ligadas à luz e, portanto, sustentam essa
iluminação terrena com suas forças espirituais, estimulando-a
para que se torne cada vez mais brilhante e luminosa.
E, nesse caso, rompe-se outra vez o véu entre os dois pla-
nos da vida, o aquém e o além, e podemos reconhecer a liga-
ção direta na estrutura do grande todo e também a capacidade
de ressonância que une o plano superior ao inferior.
Para assimilarmos esse conceito, precisamos ter fé, pois ele
não pode ser com preendido apenas pela razão. Portanto, o

96
que temos a fazer, antes de mais nada, é nos desligarmos da
razão e, em seguida, analisar com o essa impressão deve ser
avaliada no nosso interior e qual é a sua ressonância quando
nos entregarmos à voz do coração.
Toda vez que adquirimos novos conhecimentos, devemos,
em primeiro lugar, verificar se esse conjunto de idéias encontra
recon h ecim en to no nosso interior e não é rejeitado ou
desconsiderado como inacreditável. Trazemos em nós essa malha
fina (a intuição) que nos permite separar o joio do trigo e man-
ter apenas o que é correto e verdadeiro, que possa ser confir-
mado no nosso íntimo.
Gostaríamos de alertar os leitores de que essas palavras vi-
eram de uma fonte que tem origem espiritual e que, por isso
mesmo, não podem ser compreendidas unicamente com o juízo
lógico-analítico. Por isso é imprescindível que tudo que lhes é
apresentado aqui seja primeiro abrigado no coração, para aí ser
examinado e considerado com verdadeiro. Só então o conteú-
do deste livro será capaz de introduzir uma mudança abrangente
de vida que constituirá, para todos os que se dispuseram a
assimilar esse conhecimento, um enriquecimento e uma ajuda
básica, que pode abrir o caminho para a luz de forma mais
eficaz, objetiva e pródiga em resultados.
No entanto, o pressuposto para tanto é a disposição interior
de aceitar essa ajuda espiritual para, de livre e espontânea von -
tade, e com a decisão de uma alma que anseia voltar para a luz,
poder realizar algo que seja analisado como misericórdia e tam-
bém com o aceleração de um processo de evolução.
Também é importante mencionar que a leitura deste livro
não produz um horizonte ampliado no que se refere às leis
espirituais e suas bases essenciais, mas desperta em cada um
uma responsabilidade maior pelo próprio progresso, pois, à
medida que adquirimos esse conhecimento, devemos aplicá-lo
de alguma forma, para justificar a nossa inteligência.
Um conhecimento adquirido vale como um apoio kármico

97
e como provisões de viagem no caminho, a fim de que possa-
mos concluir nossos empreendimentos com mais sucesso. Por
isso também seremos julgados de forma diferente se essa van-
tagem for negligenciada e não utilizada.

É bom lembrar mais uma vez que o arcanjo Uriel, no seu


reino luminoso vermelho-rubi-dourado, sempre está disposto a
ajudar os que estão determinados a conseguir mais alegria, ati-
vidade e abundância para suas vidas, vendo nisso a grande
compaixão de um Criador benevolente, para o qual devem ele-
var o coração e fazer uma prece com vontade e a gratidão mais
profunda.
Não devemos rezar movidos por um sentimento de carên-
cia e de necessidade, porque essas são formas de energia que
não trazem nenhuma força luminosa e, portanto, não têm vali-
dade.
Uma oração em honra e glória de Deus só é perfeita quan-
do contém em si a força luminosa da alegria, da satisfação e da
gratidão, o que a torna um hino de louvor à grandeza do Cria
dor, a SEU eterno amor e à SUA bondade.
O Arcanjo Zaquiel

No elevado reino da chama violeta serve o arcanjo Zaquiel


com seus exércitos de luz, os quais se puseram a serviço dessa
força de purificação divina, para dissolver e transformar o que
não corresponder às leis cósmicas do princípio universal. Nes-
ses campos superiores da luz sempre há uma atividade ani-
mada no sentido de obter a verdadeira ordem divina, que eles
defendem , protegem e sustentam com a força da chama v io -
leta.
Aí encontramos o plano que contém a bênção e a compai-
xão divinas. Estas ficam à nossa disposição para eliminar ve-
lhas culpas, erros contra as leis da vida, bem com o a negação
de seus princípios, substituindo-os por energias luminosas. Es-
sas energias podem realizar a completa extinção de tudo isso
por meio da graça do perdão, da limpeza e eliminação de tudo
o q ue estiver errado.
Nesse processo, também é possível desapegar-se de todas
velhas sombras, que ocultam em si forças negativas, as quais
podem ser eliminadas para dar maior acesso à luz. Isso revela a
grande graça do perdão, bem com o a transformação de um

99
cabedal de pensamentos destrutivos que, finalmente, se voltou
à luz numa formação espiritualizada.
Nessa espiritualização purificadora de um crime contra as
leis do cosmos existe, entretanto, um sentido muito mais eleva-
do, que se torna perceptível no fato de ser feita uma limpeza
no âmbito espiritual; essa limpeza deve ser contemplada com o
um tipo de renascimento que traz consigo novos prenúncios e
exigências que antes não seriam possíveis. O significado mais
profundo está em que, através desse processo, a substância
kármica pode ser espiritualizada e, conseqüentemente, libera-
da. De forma correspondente, aqui também se realiza a absol-
vição de culpa kármica, que pode ser compensada dessa ma-
neira.
O significado básico da chama violeta está em sua extraor-
dinária força de purificação e de transformação que aqui se
apresenta com o misericórdia divina. Sempre que sentirmos de-
sejo de libertar nossa vida de alguma coisa que se prende a nós
com o carga inútil, dificultando nossa vida e puxando-nos para
baixo, em vez de atrair-nos para cima, rumo à luz, devemos
nos aproximar da chama violeta.
Podemos comparar essa situação à de um balonista que, ao
se lançar no ar em seu balão, tem de jogar o lastro fora se
quiser subir mais. O mesmo acontece conosco, visto que so-
mos pessoas em busca do caminho da luz e queremos planejar
nossa viagem da melhor forma possível.
Sob a luz violeta somos capazes de transformar e, portanto,
liberar acontecimentos que nos oprimem e nos com ovem pro-
fundamente. Podemos transformá-los em luz e, dessa maneira,
dissolvê-los; assim, libertos deles, teremos condições de subir
mais alto na trilha predeterminada da vida. Essa palavra “prede-
terminada” precisa ser analisada melhor aqui, pois é preciso
saber, por um lado, o verdadeiro sentido do livre-arbítrio e, por
outro, o que é providência do destino, a fim de que possamos.
decidir à qual nos submeter.

100
À primeira vista, os dois conceitos, “livre-arbítrio” e “provi-
dência do destino”, parecem estar em contradição. Contudo,
depois de uma análise mais profunda, reconhecemos por trás
deles, bem nitidamente, a mão organizadora de um criador
bondoso, que com absoluta justiça se serve de um sistema que
exige que cada pessoa encontre as condições que lhe cor-
respondem para poder construir e progredir na vida, mas tam-
bém para fracassar, conforme a energia originalmente despren-
dida, provinda da manifestação do livre-arbítrio; essas condi-
ções podem ser mantidas por meio de uma limpeza e dissolu-
ção quando nos curvamos hum ildem ente diante delas e
repolarizamos as formações energéticas negativas através da
força luminosa da chama violeta.
Por meio de um tal processo, duas coisas fluem para a nos-
sa vida: primeiramente, o conhecimento de que devemos res-
peitar os fatos que nos são trazidos pelo destino, aceitando-os
com o desejados por Deus. Assim, poderemos limpar e purificar
alguma situação que precise disso. Não poderíamos ter nos
aproximado dessas situações por outros caminhos, exceto por
essa providência do destino, que está diretamente por trás dos
fatos e que, portanto, deve ser encarada como uma bênção.
A í se revela a postura espiritual à qual denominamos “hu-
mildade” e que expressa a aceitação do plano de Deus, que,
por meio de uma extraordinária clareza, verdade e ordem, se
esforça para redimir e purificar tudo o que precisa de uma
limpeza, permitindo-nos, finalmente, abandonar o que não mais
é necessário.
Esse processo de purificação proporciona imensurável for-
ça para a alma e uma impetuosa ascensão, pois ela se livra de
velhas cargas e conquista novas chances e possibilidades que
São imprescindíveis para o seu futuro desenvolvimento espiri-
lual. N o grande sistema da organização mundial está prevista a
possibilidade de livrar-se de cargas desnecessárias quando cons-
cientemente ansiamos por isso. Essa purificação se reflete no
violeta da luz primordial e, portanto, pode ser feita com perfeição.

101

Uma vida no sinal da luz também depende de uma aceita-


ção humilde de situações determinadas pelo destino, que po-
dem dizer respeito aos mais variados âmbitos e que não têm
obrigatoriamente de estar sempre associadas com o sofrimento,
a necessidade e a carência, mas também podem dizer respeito
a uma sorte inesperada ou a um “acaso” favorável, o qual, no
entanto, pode se apresentar com o um teste; por isso, sempre
devemos recebê-lo com cuidado e atenção.
Num momento de felicidade enfuziante, muitas vezes não
estamos em condições de compreender a seriedade que pode
ocultar-se por trás desse fato. Por esse motivo, convém assina-
lar mais uma vez que todo tipo de “acaso”, por mais promissor
e indicador de felicidade que seja, ou por mais que esteja asso-
ciado a fatos indesejáveis ou a decepções, sempre deve ser
analisado com o algo que provém da lei cósmica, em que estão
em ação, de forma perfeita e harmoniosa, a ordem e a justiça
divinas.

Desse ponto de vista, nossa opinião sobre os acontecimen-


tos trazidos pelo destino sempre representa um grande alívio e
um enriquecimento naqueles momentos em que os fatos im-
previstos acontecem e não temos tempo para raciocinar, visto
que, na hora, a emoção supera as forças espirituais e as consi-
derações materiais, neutralizando argumentos que, caso con-
trário, seriam mantidos pela razão.
Por isso, é essencial assumir no dia-a-dia uma posição que
fique num meio-termo entre a razão e a emoção. Assim não
perdemos o controle sobre acontecimentos imprevisíveis e fi-
camos interiormente equilibrados, o que significa segurar os
remos sempre nas mãos, não permitindo nenhuma viagem sem
rumo no barco da vida, que pode perder seu caminho no mar
revolto dos sentimentos.

102
Para aceitar uma determinada situação precisamos de hu-
mildade e do conhecimento da orientação divina, que se mani-
festa em tudo o que encontramos. No decurso de uma vida
sempre existem pontos de tensão, situações desconcertantes,
que são necessárias porque nelas existe movimento; sem elas
não haveria progresso.
Altos e baixos se alternam, para trazer à vida um movimen-
to que corresponda ao ritmo da alma e que a anime a entrar no
ritmo de vibração uniforme nas situações que, em termos musi-
cais, podem ser tocadas em qualquer tonalidade.
Nas oscilações da afinação sempre se revela com clareza
que se iniciou um movimento de modificação para fazer justiça
às novas responsabilidades e exigências. O sentido do controle
bem-sucedido dessas emoções está nas melodias harmoniosas
que obedecem ao ritmo natural dos acontecimentos.
As cores da luz estão em contato direto com as estruturas
do som, donde se pode perceber que tanto as cores quanto os
sons atuam diretamente no sistema espiritual e físico, para
modificá-lo quando for necessário, tendo em vista o aperfeiço-
amento da alma; por meio dessa modificação é liberado um
padrão de vibração que fica à nossa disposição com o um apoio.
Para explicar melhor esse conceito, vamos lançar mão de
uma imagem: suponhamos que alguém, ao pintar um quadro,
se concentre em usar as cores exatas determinadas pelo meio
ambiente no qual a obra é produzida. Esse ambiente colorido,
por sua vez, atua sobre a composição de cores do quadro e a
melhora bastante, o que se expressa por meio de elementos
vibracionais sutis, que tanto purificam as cores do quadro quanto
as do aposento, fazendo com que surja uma freqüência de ener-
gia que vibra várias oitavas acima da vibração original, antes
que o quadro e o espaço exerçam influência recíproca.
Estamos diante de um campo energético vibrante que reú-
ne em si uma porção de freqüências e que, por isso mesmo, se
expande a fim de abranger uma superfície maior. Esse espaço

103
se amplia para outros âmbitos ondulares e, assim, entra num
reino mais elevado, que tem outro tipo de afinação, mais sutil
do que a primitiva.
Nesse caso, as estruturas coloridas carregadas de vibração
tornam-se cada vez mais puras, visto que seu potencial energético
foi ampliado. Desse modo, sua freqüência se eleva e se expan-
de cada vez mais, atingindo finalmente um plano que abriga
estruturas sonoras. Essas, por sua vez, entram em contato com
as potências de cor de vibrações finas e estabelecem uma es-
treita combinação com elas, de acordo com a irradiação, que as
cores e os sons exercem uns sobre os outros.
Aí também se revela uma força de atração que, por sua vez,
tem algo a ver com o magnetismo, que representa um papel de
grande importância na atmosfera, pois representa a força de
atração do universo que se apresenta com o um potencial de
ligação de um grande todo. Vemos, além disso, a ordenação
impressionante de grandeza que está por trás dela e que inclui
os seres humanos, já que nós personificamos a imortalidade e,
portanto, também somos uma parte do grande todo.
Voltando à comparação simbólica e à resultante ressonân-
cia entre as cores da pintura e as do meio ambiente, frisamos
mais uma vez que existe um inter-relacionamento direto entre
as energias liberadas e seu resultante eco, que se expressa por
m eio de vibrações sonoras que correspondem ao potencial ori-
ginal de partida.
A quintessência resultante pode ser a seguinte: quando nos
esforçamos por pintar nossa disposição momentânea com as
vibrações de cor, para dessa forma intensificá-la, disso resulta
uma elevação de freqüência, que sobe, vibrando, para âmbitos
mais elevados e onde atrai seu duplo correspondente, unindo-
se ao mesmo.
O resultado é uma melodia cósmica de tons coloridos har-
mônicos que descem vibrando do nosso sistema energético sutil
e encontram seu caminho através de nosso corpo etérico, che-

104
gando aos centros energéticos do nosso corpo físico. A í essa
melodia se fixa outra vez e se manifesta no âmbito que esteja
no momento em contato com àquela cor, o que resulta na ati-
vação e aumento da saúde, bem-estar e alegria de viver.
Invertendo a seqüência, teríamos o seguinte: alguém se sente
mal-humorado, depressivo e sofre; além disso, essa pessoa ain-
da acrescenta a esse estado energias negativas que alicerça com
palavras e atos destrutivos que negam a vida. Um exem plo
disso são os vícios e os maus hábitos com os quais tentamos
nos anestesiar em determinadas situações que não consegui-
mos encarar de frente.
Mas ainda existe outra dificuldade, quando a pessoa abdica
da responsabilidade pessoal pelos fatos. Num acontecimento
do tipo que descrevemos, as energias carregadas de escuridão
se intensificam cada vez mais e, devido à força de gravidade,
caem, unem-se com formações energéticas do mesmo tipo e
criam dissonâncias desarmoniosas, destrutivas, que provocam
falta de luz e desarmonia.
Porém, agora essas formações energéticas também atuam,
de acordo com a força de atração do emissor, contra ele, au-
mentando ainda mais sua indisposição.
Aqui se revela novamente a força da luz e a indescritível
ajuda das vibrações cromáticas. Podemos muito bem imaginar
o que significa para nós transformar um estado em que não nos
sentimos bem nem satisfeitos em um padrão vibratório repleto
de luz, com nossa força de vontade e a útil energia da chama
violeta; esse padrão encontra reforços no espaço cósmico do
mundo dos sons, a fim de voltar com qualidade aprimorada
para nós, penetrando no âmbito sutil e no plano físico, onde
podemos receber e armazenar essa transmissão sobrenatural
de energia. Dela podemos extrair ainda mais força, alegria, e al-
cançar novas libertações de perturbações kármicas, o que acelera
o desenvolvimento da nossa alma e das vibrações luminosas, que,
dessa forma, captam e espiritualizam cada vez mais energia.

105

Depende de nós aprender a usar esse conhecimento para


poder encher a vida de energias luminosas e concretizar o ob-
jetivo de nosso plano anímico.
Nessa afirmação está contido um estímulo amável para ana-
lisarmos as coisas que acontecem conosco, investigando os fa-
tos até chegarmos à base deles.
Já dissemos que nada acontece sem motivo e que tudo tem
um significado mais profundo; e dissemos que não há nenhu-
ma ressonância possível se não houver ligação real com a situ-
ação. Por isso, convém pensar mais elaboradamente sobre o
que pode estar por trás de um acontecimento e que mensagem
nele se oculta. Assim obteremos uma explicação que nos leva
ao nosso verdadeiro eu e, conseqüentemente, à sede da nossa
alma.
Na alma está armazenado e concentrado tudo o que se acu-
mulou ao longo das várias encarnações; por isso é necessário
nos aproximarmos dessa fonte quando precisarmos de ajuda,
pois só aí a verdade pode ser encontrada.
Nesse processo ainda há outra coisa bastante importante: a
visão clara e objetiva da personalidade — em seu âmago ela se
esforça para alcançar a luz e fortalecê-la em si. Trata-se do livre-
arbítrio, que pede passagem para entender e avaliar alguma
situação que desconhece e que, portanto, tem de ser analisada,
para se descobrir onde está a verdade.
Levando-se em conta o desenvolvimento pessoal, esse pro-
cedimento é muito significativo, pois leva você a ter uma visão
melhor da missão de sua vida e do motivo de ter sido chamado
e estimulado a cumpri-la com justiça e perfeição.
Da dedicação à nossa essência mais profunda ainda pode
resultar outra variante de ajuda. Esta se torna perceptível quan-
do alguém entra em contato íntimo com o âmago do seu ser,
recebendo dali inspiração necessária para modelar a vida da

106
forma que lhe corresponda e em que possa sentir a abundância
da felicidade pela qual tanto anseia.
Nesse processo ficam evidentes duas vantagens: uma delas
diz respeito à dedicação ao nosso interior — ao âmago do
nosso ser. Nele encontramos uma fonte de verdade e de clare-
za, que nos ajuda a elucidar e controlar melhor certas circuns-
tâncias de vida que, por seu desequilíbrio, constituem uma
ameaça; podemos fazê-lo porque contamos com os impulsos
úteis de uma alma forte que reside dentro de nós, num lugar
que independe de tempo e espaço; essa posição favorece a
experiência, a maturidade e o conhecimento.
A alma corresponde a um potencial espiritual de freqüências
energéticas que se disseminam conforme sua qualidade e que,
por sua vez, emitem impulsos liberadores de energia, os quais
fluem de volta, dando-nos apoio e mais força.
Nunca se analisou a força e o poder de uma alma deste
ponto de vista superior; por isso temos de acrescentar aqui
uma explicação mais detalhada, para facilitar a compreensão.
Nós, seres humanos, somos animados por uma freqüência
energética que se desenvolveu por períodos de tempos inima-
ginavelmente longos e ascendeu para armazenar energias lumi-
nosas e expressá-las de forma adequada.
No decurso desses vários períodos de desenvolvimento, a
alma se espiritualizou cada vez mais, ou seja, enriqueceu-se de
forças espirituais que representam seu tesouro, o qual manté m
para sempre, visto que é seu merecimento primordial, uma das
suas conquistas. Em incontáveis encarnações ela se reencarnou
e, em vestes materiais, viveu outra fase de desenvolvimento
que lhe deu a possibilidade de desejar fazer progressos e d e
evoluir mais — um objetivo que sempre terá em mente e que
exigirá uma intensa luta interior.
A encarnação terrena, que corresponde vida na matéria, é
um manto para a força espiritual que a pessoa tem em si, a luz
da vida eterna; essa luz deseja voltar novamente para a “Luz

107
Eterna”, a fim de retornar ao âmago da sua criação original. A
alma testa o verdadeiro valor e o significado eterno da pessoa
que se encontra na Terra, no intuito de poder crescer para v o l-
tar à sua origem e, finalmente, encerrar o ciclo de reencarna-
ção, assim que seus objetivos forem concretizados.
Seja com o for, o fato é que precisamos proceder a uma
reorientação e renovação dos nossos princípios de vida e seu
valor no que se refere à força espiritual que foi conquistada e à luz
que está por trás de tudo o que se destaca em primeiro plano.
A escala métrica, então, sempre mostrará uma vantagem
para avaliar quando determinada energia luminosa pôde ser
captada e armazenada; o único m odo de conseguir isso é pra-
ticando as virtudes divinas e prestando atenção na vida e nas
suas leis. Embora isso possa parecer muito simples, é muito
difícil de realizar, porque foi introduzido um plano de ordem
material que está diametralmente em oposição aos mundos es-
pirituais.
Esse é um puro paradoxo, pois indica uma total contra-
posição e é bastante complicado de explicar, se tentarmos fazê-
lo por meio da análise pura e racional, pois trata-se de dois
planos que aparentemente não podem ser unidos; no entanto,
na verdade, eles constituem as duas partes de um todo e, por-
tanto, se interpenetram.
Esse processo, que é de natureza espiritual, serve para re-
conquistar uma eterna união com o grande todo. Nossa parte
espiritual — nossa alma — anseia por isso; contudo, do ponto
de vista terreno, isso não é imediatamente compreensível, por-
que está em outro plano e, portanto, não tem uma explicação
lógica.
O resultado são várias discrepâncias e diferenças entre o
juízo lógico e a fé, que flui de uma fonte interior, fé que tem de
ser suficientemente forte para poder transmitir seu tesouro es-
piritual de uma forma inteligível no mundo terreno. Portanto,
existem entre os homens muitas orientações religiosas e opini-

108
ões divergentes, pois as almas são muito diferentes, tendo em
seu estágio de experiência diferentes níveis de desenvolvimen-
to; e, dessa forma, suas dificuldades de compreensão podem
ser maiores ou menores.
Nesse contexto, também encontramos uma explicação viá-
vel para o fato de aceitarmos incondicionalmente certos fatos,
enquanto sentimos medo e até mesmo rejeição por outros.
Isso se deve, no fundo, à linguagem perceptível da alma.
Ela nos permite compreender o que corresponde ao seu está-
gio de desenvolvimento e recusa tudo o mais porque ainda não
consegue entendê-lo. Por isso também é necessário que nos
aproximemos do âmago do nosso ser, da nossa alma, quando
tivermos de enfrentar algo — temos de deixar que a alma jul-
gue essa situação e, ao mesmo tempo, que também assuma a
responsabilidade por esse julgamento.
A alma tem a força, o poder e a sabedoria para julgar e
orientar sua ajuda de acordo com a situação, e manifesta isso
por meio da voz audível e nítida do coração. Para ouvirmos
essa voz interior, é essencial que não construamos nenhuma
barreira em nosso espírito; é imprescindível também desligar-
se da análise lógica, pois isso poderia gerar falsificações da
mensagem original ou até mesmo suprimi-la.
É muito importante mobilizar sempre nossa força e acessar
nossa câmara interior do tesouro com a orientação do plano
espiritual da luz; ali amontoaremos os tesouros que serão
colecionados no solo da alma, os quais se encontram à nossa
disposição quando temos consciência disso e escolhemos per-
correr esse caminho.
Aqui, novamente, cabe reforçar a afirmação: depende da
nossa força aceitar e seguir esse caminho ou mantermos distân-
cia dele porque não conseguimos perceber nenhum eco interi-
or. Nesse caso, não é essencial que essa escolha se faça imedi-
atamente; talvez seja necessária outra fase de conhecimento
antes de estabelecermos uma ressonância com os acontecimentos

109
espirituais. O importante é que possamos reconhecer com o a
força da luz é extraordinária e com o é intensa a energia das
cores que estão à nossa disposição em infinita abundância,
quando nos declaramos dispostos a usar essa oferta sobrenatu-
ral com o poder de captação da nossa alma e quando resolve-
mos tirar proveito dela.
Não concretizar alguma coisa que não conseguimos com -
preender é legítimo, mas não fazê-la por lhe dedicarmos pouca
atenção e importância, ou seja, deixando-a de lado e negligen-
ciando-a, é um erro fatal.
Sempre que nos virmos diante de um fato que desperte um
eco no nosso interior devemos pensar nisso. Nesse caso, deve-
mos dedicar-nos à tarefa voluntariamente, integrando-a a nossa
vida com o uma bênção, realizando assim um progresso que
nos leva para âmbitos mais elevados onde imperam outras exi-
gências além das que presentemente temos de enfrentar.
Uma vitória especial nos é assegurada quando consegui-
mos chegar nos campos em que se torna possível a ajuda espi-
ritual e a orientação abençoada, pois então podemos nos entre-
gar a elas repletos de confiança e gratidão; com esse apoio,
firmamos nossa vida terrena com mais força de atuação e de
m odo mais duradouro. Assim conseguimos conquistar uma vi-
são dos mistérios da vida que representa uma fonte poderosa
de energia, destinada a ser a recompensa dos que conseguirem
subir até o “sol espiritual” saindo do plano terreno com a força
da sua alma; daí eles poderão terminar, com esse apoio, o ca-
minho pelo tempo com mais rapidez e persistência.
Na luz de chama violeta tudo brilha com fulgor claro de
liberdade, de perdão, de desapego de culpas kármicas e de
encadeamentos terrenos que exerçam uma influência nociva
sobre o progresso em nome da luz. Por trás existe a força da
imensurável compaixão de Deus que, ao fluir, nos permite as-
cender livres e tranqüilos às alturas onde impera a verdadeira
vida e onde as trevas não têm nenhum poder.

110
Por isso nos é dado o poder de nos integrar com as forças
divinas, que revestem a alma com o matéria brilhante e lhe dão
a sua forma verdadeira que poderemos reconquistar. Desse modo
se torna mais claro para nós o motivo de podermos caminhar
pela vida envoltos num manto luminoso, para, assim protegi-
dos e bem cuidados, assumirmos uma posição em tudo mais
vantajosa, o que seria impossível sem a força da luz.
Esse é o verdadeiro propósito deste livro, que se mostra
com o um sinal luminoso provindo de âmbitos mais elevados e,
conseqüentemente, deve ser entendido e aceito com o algo que
veio do reino da luz, caindo sobre a Terra a fim de eliminar
mais depressa a escuridão e abreviar sofrimentos e dores cau-
sados pela ignorância da humanidade. Esses sofrimentos difi-
cultam nossa percepção da luz que se oculta atrás dos fatos e o
reconhecimento da verdadeira intenção da alma, que se escon-
deu sob um traje material a fim de poder cumprir sua missão
saciando sua infinita saudade da “vida eterna”.
É importante alertar o leitor de que tudo o que foi dito aqui
deve ser encarado como absolutamente válido, inclusive quan-
do afirmamos que a alma não consegue entender muito bem
por que isso ainda não corresponde ao seu atual estágio de
desenvolvimento. N o entanto, aqui cabe uma advertência: não
deixe de ouvir a v o z do coração e siga o seu sinal ao agir,
porque no momento ele está aberto; a alma está presa num
campo energético que sofre uma enorme elevação e se torna
assim cada vez mais intenso em freqüências mais elevadas
A conseqüência disso é uma generalizada e constante
repolarização dos campos energéticos e, conseqüentemente,
também uma modificação dos padrões de pensamento e de
sentimento que estão relacionados a eles.
Portanto, é bom tomarmos consciência de que está aconte-
cendo uma reestruturação generalizada dos campos energéticos,
o que faz com que pensamentos e sentimentos sejam influen-
ciados e impregnados de energia.

111
A esse respeito, referimo-nos mais uma vez à chama violeta,
visto que ela é a força luminosa da Nova Era que surge e que,
com suas energias, irradia uma força que penetra, liberta e lim-
pa tudo, dando testemunho de que DEUS, com SEU amor, bon-
dade e compaixão, pensou numa forma acessível, inteligível e
totalmente concreta de ajuda com a qual podem os purificar,
enobrecer e encerrar nossa vida terrena.
O arcanjo Zaquiel é o imperador elevado desse reino de luz
violeta, que nos aceita com sua infinita paciência e amor quan-
do desejamos nos desapegar e nos livrar conscientemente das
limitações, do sofrimento e dos desgostos terrenos.

112
A Purificação
da Aura

Podemos tirar grande proveito de uma cuidadosa e consci-


ente limpeza da aura, porque dessa maneira algo que nos inco-
moda pode ser purificado e eliminado, o que levaria um tempo
maior para realizar se escolhêssemos outro caminho. Na aura,
nosso campo eletromagnético de força etérica, encontra-se uma
porção de partículas energéticas irresolvidas, bloqueadas ou
negativamente carregadas, circulando constantemente dentro
dela, elevando e fortalecendo com isso suas vibrações.
Por isso é imprescindível, ao menos uma vez por semana,
fazer esse ritual de limpeza, para libertar freqüências energéticas
bloqueadas, enchendo-as de luz, bem como para dissolver tudo
o que for negativo e perturbador, substituindo-o por estruturas
energéticas luminosas. A energia colorida violeta presta-se para
isso, porque tem um efeito purificador e relaxante, com o que
se pode pôr em movimento uma extraordinária elevação de
energia.
Essa elevação se torna ainda maior porque esse processo se
realiza em nome da fé e com dedicação à força criativa divina.
Portanto, trata-se de uma força altamente espiritualizada. Ela

113
atua com o um furacão varrendo tudo à sua passagem, revol-
vendo e modificando a paisagem antes existente. O que acon-
tece na aura é semelhante a essa imagem.
Visualizando-se intensamente a luz azul brilhante, fazemos
com que os padrões existentes de energia sejam revolvidos.
Isso os obriga a se reestruturar e reformular outra vez. Nesse
processo, a matéria carregada de energias destrutivas pertur-
badoras é revolvida num movimento contrário, com o se esti-
vesse numa centrífuga, sendo limpa e iluminada dessa forma.
Isso faz com que os “tecidos nocivos” se desloquem para
baixo, onde se tornam densos, podendo ser expelidos e remo-
vidos com mais facilidade, enquanto o resto iluminado, por sua
vez, é purificado, carregado com luz; essa matéria procura se
agregar no plano etérico, que mostra então um padrão lumino-
so muito mais claro, visível e protetor do que antes.
Vejamos agora os passos isolados desse processo de purifi-
cação da aura:
Em primeiro lugar, temos de fazer um bom relaxamento, o
que conseguimos usando a técnica da respiração em três tem-
pos, que ainda será descrita aqui e que poderá nos ajudar e
fortalecer. Em seguida, imaginamo-nos entrando embaixo de
uma cachoeira de água azul borbulhante e cristalina, gozando
das energias benfazejas e purificadoras que correm pelo nosso
corpo e espirram ao redor. A o mesmo tempo observamos como
tudo aquilo que nos perturba, escuro e pesado, se dissolve
cada vez mais, lavado pela água azul cristalina.
Com o passar do tempo nos sentimos cada vez mais leves,
livres e vibrantes; despertam novos sentimentos de vida, e os
desejos, que provêm da alma, devem ser levados em conside-
ração. Agora estamos num estado relaxado de liberdade e des-
vinculação, em perfeita harmonia com a Criação e suas bênçãos.

A o experimentar a gratidão e a alegria interior por causa


dessa sensação recém-adquirida, cumpre voltarmos para o PAI

114
e agradecer do fundo do coração. Nesse momento é com o se
milhões e bilhões de centelhas de luz rissem e dançassem, su-
bindo até o Criador a fim de lhe oferecer a felicidade. Dessa
forma manifesta-se então o estado de equilíbrio, que se torna
uma realidade perceptível.
Tudo o que não corresponde à luz se distancia e cai, se-
guindo a força da gravidade para campos com que tenha resso-
nância. O conhecimento dessa inalterável circulação de energi-
as contribui para que sempre possamos concretizar o que pro-
vocamos ao nos movimentarmos além dos limites da luz e ali
criarmos freqüências energéticas que negam a vida e que, por
esse motivo, não são consideradas boas pela lei cósmica.
Com a aura limpa dessa maneira, se torna possível fortale-
cermos o muro de proteção ao nosso redor, carregando-o de
luz, visto que se trata de um padrão hom ogêneo e luminoso de
energia que se erigiu à nossa volta e que, portanto, não tem
furos ou deformações, como se pode observar num sistema
energético impuro.
A constituição harmoniosa e, portanto, homogênea da aura
oferece os pressupostos para uma função protetora da luz e
para a segurança que podemos obter para a nossa vida. Um
campo de força protegido é ao mesmo tem po um campo
imperturbável de força.
É por isso que damos tanto valor à função protetora da
nossa aura, porque por meio dessa proteção nenhuma entida-
de energética indesejável pode entrar ou se prender nela, o que
seria possível se não existisse essa proteção. Para entender isso
melhor é preciso imaginar o seguinte:
Todo pensamento criado e energizado por outra pessoa tem
a força de se emancipar e, com isso, de desenvolver uma dinâ-
mica energética própria. Portanto, é possível que esse pensa-
mento entre em contato com o campo etérico daquela pessoa
que está por trás do pensamento original e que, por assim di-
zer, lhe deu vida. Se uma dessas formações de pensamento

115
entrar em contato com uma aura desprotegida, pobre de luz,
pode ter acesso facilmente e juntar-se às energias do mesmo
tipo, recarregar-se e se manifestar.
Contudo, se encontrar um campo de força repleto de luz,
bem protegido, haverá uma colisão e uma queda, segundo a lei
da gravidade; lá embaixo, essa forma de pensamento terá de
orientar-se e formular-se outra vez.
Trata-se de um círculo de energia sempre igual, inabalável e
válido, que se realiza sempre da mesma maneira — manifestan-
do-se e realizando-se a favor ou contra a luz.
Por esse motivo, afirmamos que é extremamente necessária
uma purificação da aura, bem com o a construção de um muro
de proteção feito de luz, o qual terá de ser construído em volta
do invólucro oval que envolve o corpo. Assim, criaremos as
condições adequadas para seguirmos bem protegidos e tran-
qüilos pela vida.

116

J
Visualização
da Luz

Existe uma técnica muito simples de dirigir a luz para o


corpo, carregando-o e fortalecendo-o com ela.
O sistema dos chakras, com seus sete centros energéticos
principais, serve com o uma central de transformação de força,
sobre a qual a luz e suas cores podem fluir, irradiando-se para
o corpo, ali se dividindo e se manifestando.
É bastante útil imaginarmos o sistema dos chakras com o
uma coluna de luz com sete sóis, através da qual a luz cósmica
passa e consegue espalhar-se. Começamos a técnica de visua-
lização no sétimo chakra, que fica na coroa da cabeça, inspi-
rando ritmicamente a luz através desse ponto.
Cada respiração é dividida em três partes, ou seja:

Inspiração — contar até três


Retenção da respiração — contar até três
Expiração — contar até três,etc.

Dessa maneira, surgeum padrão respiratório que provoca


elevação de energia. Paulatinamente, de cima para baixo, cada
um dos sete chakras é carregado com luz branca, e sua função
é harmonizada e protegida.
Assim podemos perceber com exatidão com o as cores iso-
ladas se distribuem de cima para baixo e se manifestam em
cada um dos centros energéticos; também podemos constatar
que as cores encontram seu lugar com facilidade, com o se isso
fosse natural; essa localização não acontece segundo uma re-
gra estabelecida, mas ocorre de diversas maneiras.
A organização clássica das cores nos chakras isolados
corresponde às cores do espectro, do vermelho até o violeta, o
que teoricamente é correto, porém na prática pode ser analisa-
do de outra forma. Isso se explica pelo fato de cada átomo do
nosso corpo conter em sua composição básica todas as cores
da luz. Também se relaciona com nossos centros energéticos
que, em seu significado primordial, correspondem às cores do
arco-íris, com seus traços característicos e suas marcas essenci-
ais que, contudo, em seu esquema de funcionamento, se orien-
ta no sentido de incorporar igualmente todas as dimensões de
cor. Por isso é que existem diferenças quanto à determinação
de cor para cada chakra, uma vez que fazemos essa visualização
com luz branca.
É importante observar esse fato com “olhos do espírito”,
numa tela imaginária, a fim de descobrir que cor é necessária
em determinado momento e verificar onde há carência ou ex-
cesso de cor.
Essa técnica pode ser usada com sucesso com o um exercí-
cio diário de limpeza e organização. Um efeito adicional de
proteção pode ser obtido por meio da visualização de uma
espiral que se movimenta de cima para baixo na direção de um
dos chakras por vez; a luz é centralizada de tal m odo que possa
jorrar com ainda maior eficácia para o nosso organismo físico.
A forma em espiral é um instrumento de ajuda muito eficiente,
pois pode introduzir e ancorar energia luminosa de maneira
objetiva, com uma manifestação vibratória adequada ao cos-
mos.

118
Para que possamos nos entregar aos afazeres cotidianos
com proteção e em segurança, envoltos por um manto de luz
convém carregarmos o campo energético etérico à nossa volta
com energia luminosa.
Para fazer isso, é importante imaginar que nosso corpo ter-
reno está envolto pela sete camadas etéricas, e que nelas estão
presentes as cores da luz. Esse exercício de visualização deve
ser feito de preferência pela manhã, para obtermos a proteção
necessária que suas cores e luz nos dão.
Devemos imaginar que nosso corpo físico é o ponto central
e envolvê-lo visualmente com a luz branca. Temos de repetir o
procedimento sete vezes para as sete camadas superpostas, sem
nos esquecermos de prestar atenção nas cores que surgem aos
poucos, tomando seus lugares.
O que se manifesta ao nosso redor é um padrão muito indi-
vidual de cor, e, por ele, somos capazes de reconhecer com
exatidão qual vibração colorida predomina e qual está faltan-
do, pois também nisso se reflete o significado conclusivo que
nos permite fazer deduções sobre a formação energética que
irradiamos em dado momento.
Uma outra variante desse exercício se oferece nos sete raios
de cor associados com cada um dos arcanjos; eles se prestam
muito bem para erigir um poderoso muro de proteção ao nosso
redor. Por m eio de um chamado objetivo aos sete arcanjos,
essa forma de visualização pode ser melhor ativada e protegida.
Nas páginas anteriores dissemos várias vezes que a escolha
de recorrermos aos arcanjos com nossos pedidos é nossa, pois
eles consideram sua a tarefa de nos alimentar com energias que
tornem nossa vida terrena mais rica e nobre. Portanto, depende
de nós obter isso de uma forma que corresponda ao nosso
interior e que nos capacite a entrar em contato mais íntimo com
esses elevados seres luminosos; assim receberemos deles uma
orientação e proteção diretas, pelas quais ansiamos, pois nos
ajudarão a progredir.

119
Esse exercício também é especialmente recomendado para
mantermos e fortalecermos a proteção e a bênção dos sete ar-
canjos ao nosso redor, a fim de podermos cumprir melhor as
tarefas do dia-a-dia.

120
O Ritual de
Materialização

Na dedicação ao poder da luz é possível pormos em funcio-


namento uma materialização que nos ajude a afastar barreiras e
limitações indesejáveis e obstrutoras, para, de livre vontade e
com ânimo de deliberação, orientarmos e preenchermos nossa
vida com luz. Por isso apresentamos aqui detalhadamente o
processo exato de um ritual de materialização, para que todos
possam pesquisar esse campo, dominá-lo e concretizá-lo.
Em geral, trata-se de uma manifestação de form ações
energéticas repletas de luz e de sua realização na matéria, além
da transformação de situações e de fatos indesejáveis que re-
presentam um bloqueio ao controle da vida e, conseqüente-
mente, um impedimento.
Nesse caso, convém ter em mente, de forma clara e precisa,
o modo com o queremos eliminar uma situação indesejável e o
que gostaríamos de colocar em seu lugar. Portanto, é necessá-
rio ter um esboço preciso do que deve ser modificado e de
com o se deve formar alguma coisa que fique perfeitamente de
acordo com nossos anseios e desejos.
Essa limpeza preparatória é muito importante, pois nela já

121
obtemos uma imagem clara do que irá acontecer e qual será
seu efeito na criação de uma base nova para futuros progres-
sos. Isso funciona melhor quando escrevemos nossas preten-
sões bem clara e nitidamente, explicando o que precisa de uma
mudança e também quais desejos pedem concretização para
nos trazer alegria e satisfação.
O pressuposto para o sucesso de um desses rituais, no en-
tanto, é a verdade e a clareza absolutas com relação a nós
mesmos, mas também no que se refere a outra pessoa que
talvez esteja envolvida no processo. Para obtermos ajuda dos
outros planos, é preciso que haja uma intenção pura e repleta
de luz por trás desse empreendimento. Os elementais criados
através da energia dos pensamentos podem ascender a esses
planos e unir-se à formação energética de afinação semelhante,
quando então podem aumentar seu potencial de força espiritu-
al, que é a propulsora para uma manifestação.
O passo seguinte dessa cerimônia é unir-nos com nossas
forças espirituais e nos concentrarmos objetivamente no que
representaria para nós termos nosso desejo realizado. Falamos
de um desejo que no momento tenha uma importância muito
grande: observemos a alegria e o sentimento de felicidade que
essa realização nos traz.
Quando essa alegria atingir o auge, está na hora de fazer
uma oração de graças profundamente sincera ao nosso Criador,
pois já recebemos a graça no espírito e, por isso, podemos
estimular sua realização na matéria, uma vez que já fizemos
todos os preparativos do ponto de vista terreno.
Porém, é preciso fé, bem como força anímica, as quais de-
vem manifestar-se como confiança e tranqüilidade; com esses
sentimentos teremos a certeza absoluta de que tudo — tal como
está no momento — corre bem e está certo e que, portanto,
trará uma bênção perfeita ao Eu Superior.
Para encerrar essa cerimônia, é muito útil unir-se espiritual-
mente às vibrações da luz cor-de-rosa e sentir as energias

122
transformadoras que se aglomeram e densificam no sistema
etérico com o um campo magnético, fornecendo dessa forma a
força de atração necessária para uma manifestação bem-sucedi-
da. Esta pode ser comparada com uma tela de radar que possi-
bilita uma perfeita localização e ressonância de energias, que a
partir dessa freqüência têm de voltar para quem as emitiu.
Portanto, devemos nos tornar “magnéticos” para as forma-
ções de pensamento emitidas, e através disso atrair as freqüên-
cias energéticas que se espiritualizaram, concentraram e carre-
garam de luz nosso âmbito elemental. Finalmente, essas forma-
ções retomam ao seu autor e ficam à sua disposição com o um
útil potencial de força. O campo de força magneticamente carre-
gado, de certa forma, sinaliza a “permissão de ficar em terra”, bem
como a alegria pela chegada dos “mensageiros da felicidade”.
Podemos imaginar então o m odo como transcorre um des-
ses processos no plano espiritual e que exigências são necessá-
rias para sermos bem-sucedidos.
Num ritual de manifestação executado dessa maneira, refle-
te-se a própria força criativa, bem com o o poder previsível de
Deus, que está ancorado em cada um de nós de forma muito
clara, e torna-se evidente que a centelha está em nosso livre-
arbítrio e sempre à nossa disposição.

123
A Cerimônia de
Realização de um Desejo

Para que um desejo proveniente das profundezas da alma


se realize e imponha no plano espiritual é necessária uma in-
tenção concreta, que auxilie no desenvolvimento da alma e
seja proveitosa para o progresso em nosso caminho pela Terra.
Todo desejo reprimido da alma se transforma num bloqueio
para o processo de evolução e um adiamento no caminho rumo
à luz.
Nesse depoimento, formulado com toda a clareza, reconhece-
mos uma advertência direta para não deixarmos passar desper-
cebidos nossos anseios mais profundos, e sim, darmos-lhes a
possibilidade de se expressar e desenvolver, pois disso resulta
um movimento que ocasiona uma modificação e uma reestru-
turação de vida. Está em nosso poder apoiar, estimular e m ovi-
mentar esse rio do crescimento, na medida em que ouvirmos a
v o z interior e obedecermos suas ordens, até o ponto em que
nosso livre-arbítrio estiver receptivo e pronto para fazê-lo.
Assim, estamos diante de um magnífico portal que nos pos-
sibilita o acesso a um plano que nos oferece um solo fértil à
realização dos desejos. Entretanto, ele não é acessível sem mais

124
nem menos, porém está aberto a todas as pessoas que tenham
a chave certa para abri-lo. É por esse motivo que este capítulo
é de suma importância, visto que abordamos um tema que ha
tempos se constitui num grande enigma, que só uns poucos,
considerados “eleitos”, conseguiram entender perfeitamente e,
portanto, decifrar.
A vontade do nosso Criador é que sejamos seres livres, orgu-
lhosos e inflexíveis; Ele quer que tenhamos consciência do nosso
poder e dignidade, que conheçamos a própria força de criatividade
e que a usemos e exercitemos, a fim de podermos levar uma vida
com todo o brilho da liberdade e da independência.
A repressão da dignidade humana e a influência exercida
sobre o livre-arbítrio de uma pessoa estão distantes do que
Deus previu em SEU plano de Criação. Por isso, está mais do
que na hora de chamarmos à memória tudo o que ficou detido
devido às limitações, pois Deus deu a cada alma o poder de
concretizar, segundo sua própria determinação, tudo o que a
agrade e justifique, para que ela desperte e seja libertada do
duradouro sono de milênio, que cada vez mais se aproxima do
seu final.
Pois chegou o momento em que a alma tem de começar
seu novo dia e deparar uma eternidade que não tem tempo
nem espaço. Esse, portanto, é nosso caminho rumo ao objeti-
vo, e assim torna-se bem claro que nossos desejos e anseios
interiores têm que ver diretamente com ele, ajudando-nos a v
atingi-lo e a acelerar nossa evolução, para que possamos atin-
gir o estado desperto que é definido no plano cósmico com o a
“felicidade eterna”.
A preocupação da hierarquia arcangélica com o nosso des
pertar da letargia auto-imposta é bastante grande, pois é preci-
so que ativemos nosso rumo tal com o ele foi pensado, ou seja,
como um mecanismo destinado a nos levar objetivamente na
direção correta, pois assim chegaremos ao objetivo do melhor
modo e no menor tempo possível.

125
Muitas pessoas não têm consciência desse fato e, portanto,
deixam que as outras determinem o seu rumo. Vale a pena pôr
um fim nisso e tornar-se consciente da situação que é criada
dessa forma. Nenhuma pessoa tem o direito de determinar o
rumo para outra ou de influenciá-la para que mude de rumo,
mesmo que ela não queira.
Eis-nos outra vez diante de uma encruzilhada — uma estra-
da leva à liberdade e a outra, ao contrário, a muitas experiênci-
as, explicações e conhecimentos novos, que ainda são necessá-
rios para entendermos o que acabamos de explicar. Aqui nos
dirigimos aos que virem uma luz de esperança nesta afirmação
clara — uma luz que iluminará seu caminho para que possam
encontrar a chave que abre o portal para a liberdade, sempre
chamado de “pedra filosofal”. Ela torna as pessoas capazes de
obter conhecimentos sobre o significado da eternidade da alma.
Essa “jóia” tão cobiçada não pode ser alcançada simples-
mente e só está à disposição dos que prezam a fé na força
criativa de Deus, bem com o a fé na força criativa do próprio
espírito e que, com esse conhecimento inabalável, põem mãos
à obra a fim de obter uma manifestação que provém do âmago
da alma.
Já falamos do enredamento kármico e da necessidade de
purificá-lo antes que ocorra uma materialização que implique
uma realização. Esse é um pressuposto que tem de ser levado
em conta sempre que quisermos que tudo aconteça com a mais
perfeita ordem e equilíbrio.
Passemos então à parte que se refere à realização de uma
cerimônia de concretização de um desejo. Essa ajuda é dedicada
a todos os que personificam a luz e que a usam e irradiam
todos os dias para prestar serviço de amor à humanidade.
Aqui nos voltamos especialmente para aquelas pessoas que
puseram sua vida a serviço do próximo e que, por isso, vieram
a sofrer situações aflitivas que agora têm de ser purificadas e
eliminadas. Também falamos das criaturas da luz, que por timi-

126
dez não ousam seguir seus desejos e anseios e os ocultam no
coração com o um belo sonho; estes são os portadores da luz
que se esforçam por criar um meio ambiente melhor para que
as gerações futuras encontrem uma natureza sadia.
Todos os que desejam de coração contribuir para o bem do
mundo, cumprindo seu dever com o uma parte do todo, devem
receber a cerimônia seguinte com o um presente dado pelos
campos iluminados do além, para que possam receber a chave
que abre o portal para a “pedra filosofal” .
Essa cerimônia deverá ser feita depois de uma meditação
de purificação, na qual a aura deve ser carregada e selada com
luz. Além disso, deve-se prestar atenção para que o aterramento
seja seguro, ou seja, para que as raízes imaginárias de luz en-
trem profundamente pela Terra a fim de nos fornecer uma base
segura. Conseguimos fazer isso na medida em que imaginamos
que dos pés saem raios de luz na forma de raízes, que entram
bem fundo pelo centro luminoso da Mãe Terra. Ali essas raízes
de luz se unem à forte energia luminosa do planeta e captam
dessa ligação sua força, confiança e o necessário aterramento.
Em seguida, com a ajuda da técnica da tripla respiração,
devemos nos aprofundar num estado de imensa descontração
e visualizar nosso desejo, do m odo com o foi descrito anterior-
mente.

A repetição rítmica, tríplice, dos seguintes mantras deve aju-


dar a realizar o desejo; é da maior importância fazer isso, por-
que se trata de um pressuposto imprescindível para se ativar o
necessário movimento de retorno, para que o dinamismo espi-
ritual possa transformar-se em seu pólo material oposto.

O mantra para a cerimônia da realização de um desejo é o


seguinte:

Em nome do PAI, eu ME elevo até o Criador da minha vida.

127
TENH O permissão para melhorar minha situação, para
iluminá-la, organizá-la e purificá-la com a LUZ.
Tudo o que pertence ao PAI é meu.
SOU um co-criador da sabedoria divina em mim.
Minha vida é perfeitamente abençoada, sadia e satisfatória.

Tenho direito à auto-realização, e agora EU uso esse direito:


PAI — PAI — PAI
TU ÉS a minha presença EU SOU em atividade.
TU ÉS a minha verdade, clareza e ordem perfeitas.
TU ÉS o meu juiz e salvador do karma que eu mesmo pro-
voquei.
TU ÉS a sabedoria que está sempre acima do meu desejo e
diante do qual EU me curvo incondicionalmente.
TU ÉS a minha LUZ na escuridão.
TU ÉS a minha iluminação no conhecim ento do meu ca-
minho.
TU ÉS o amor infinito e com ele sacias a sede da minha
alma.

É preciso dizer estas frases três vezes!

Como co-criador junto a Deus EU digo a palavra e ordeno


ao meu espírito para que a PALAVRA se materialize agora.

CHAMAR — CHAMAR — CHAMAR


ENCONTRAR — ENCONTRAR — ENCONTRAR
DIVINO — DIVINO — DIVINO
SUCESSO — SUCESSO — SUCESSO
PERCEPÇÃO — PERCEPÇÃO — PERCEPÇÃO
CONQUISTA — CONQUISTA — CONQUISTA

Em nome do PAI, EU mando nos elementos e peço a ajuda


do reino dos elementais para fazer com que meu desejo, de

128
conformidade com o PAI em mim, se transforme em reali-
dade.

(D izer três vezes.)

SOU grato — grato — grato e abençôo a Criação e seu


poder e glória.
Assim seja — em nome do meu divino EU SOU.

129
A Força Magnífica
do Eu Sou

O EU SOU simboliza a própria divindade que está perfeita e


fortemente ancorada em cada pessoa, permitindo-lhe escolher
seu próprio destino, dominar sua vida de acordo com seus
desejos, com sucesso e de modo eficiente. O conhecimento
desse potencial de luz interior da presença de Deus EU SOU
significa o reconhecimento da nossa própria força e do ilimita-
do potencial criativo que trazemos em nós e que está sempre à
disposição quando o tornamos consciente e o tratamos ade-
quadamente.
Uma pessoa que se sinta unida à sua força criativa evitará,
em suas atividades cotidianas, usar mal a palavra presente EU
SOU — por exem plo empregando-a em afirmações negativas,
que neguem a luz — , pois sabe que, se fizer isso, diminuirá
bastante o próprio potencial de poder e, além disso, lhe rouba-
rá a dignidade correspondente.
Poder e dignidade são as insígnias de um potentado impe-
rial que está ciente de sua posição e influência e que por isso
mesmo usa ambas as forças para regrar tudo de acordo com
seu desejo, como lhe parecer apropriado. No que concerne à
nossa vida, é a mesma coisa.

130
Temos nossas insígnias imperiais na forma do nosso livre-
arbítrio e nossa liberdade de pensamentos, que nos foram da
das por nosso Criador, para que possamos levar uma vida que
nos apresente novas chances e possibilidades, às quais deve-
mos corresponder.
No princípio básico apresentado por Deus, vibra um signi-
ficado que trazemos em nós e que se manifestou na forma de
nossa presença divina EU SOU no cerne de nosso ser. Assim,
fica bem claro que a manifestação EU SOU carrega em si uma
força acumulada que se presta para dar ajuda quando a utiliza-
mos com consciência.
A invocação de nossa presença divina EU SOU demonstra
uma real adesão a nossa força criativa, que está na “centelha
divina” e que por isso recebe reconhecimento. Por sua vez, isso
leva uma densificação no âmbito emocional que está repleto
de energia luminosa, que pode ascender àqueles campos que
oferecem ressonância com ela: os planos da luz, bem com o da
força criativa de Deus, que aqui se torna clara e é posta em
movimento e espiritualizada, para então entrar numa nova liga-
ção com o âmbito físico e com seus envoltórios etéricos, que
definimos com o compaixão, bênção, orientação superior ou
um milagre.
Nisso consiste a verdadeira ajuda do âmbito espiritual da
luz divina e suas cores; também é isso que recebemos quando
dirigimos nosso olhar para cima, a fim de pedir ajuda e apoio.
N o entanto, esse procedimento deve acontecer com consciên-
cia total do nosso próprio poder e dignidade e com o conheci-
mento firme da existência da nossa força criativa, que nos torna
aptos e nos eleva à condição de ser co-criadores junto a Deus

Podemos concluir que, sempre que fizermos um pedido,


devemos agir com conhecimento total de que ele pode ser
amparado com a nossa força; não devemos pedir por necessi-
dade que tenha relação com prejuízos e situações aflitivas que

131
nos coloquem sob pressão, pois negamos nossa presença divi-
na EU SOU e sua força criativa.
As afirmações seguintes devem servir de estímulo e ajuda,
para fortalecermos nossa luz interior e assim reconhecermos e
podermos executar melhor o plano divino para esta vida.

EU SOU a luz do meu mundo e ajo com amor para o bem


do todo.

EU SOU a força criativa do meu espírito e transformo com


ela as sombras em luz.

EU SOU a força ilimitada da minha vontade, e com ela me


submeto à vontade divina e à SUA lei.

EU SOU a verdade, a clareza, a saúde, a alegria e a gratidão


perfeitas.

EU SOU a força propulsora para os milagres em minha vida.

EU SOU co-criador junto a Deus e, portanto, participo dire-


tamente da criação do meu mundo.

132

EU SOU a realização perfeita do meu plano divino.

EU SOU grato por esse conhecimento que me elevou a so-


berano da minha vontade.

EU SOU uma parte da luz — e, portanto, verdadeiro e


eterno.

A prática diária dessas afirmações EU SOU proporciona gran-


de ajuda para nós, pois através dela nosso campo etérico se
enche e se densifica com energia luminosa; então ele volta
com o uma abençoada manifestação para nossa vida, tornando-
nos essencialmente mais ricos.

133
A Magnetização do
Campo Etérico de Força

Repetimos várias vezes que cabe a cada pessoa formar seu


campo etérico de força à sua maneira para atrair os “mensagei-
ros da felicidade”, repletos da energia luminosa que buscaram
no âmbito dos elementais, visando sua manifestação no plano
terreno. Para isso, contudo, é preciso força de atração. Para
obtermos a força de atração, nossos pensamentos, palavras e
ações têm de estar de acordo com a direção que assegura força
de ação aos desejos, levando-os de volta a quem os emitiu,
pois a formação no reino da luz devolve a energia original ao
emissor.
Torna-se, portanto, nitidamente visível que o m odo como
esse processo se forma e os seus resultados dependem dos
nossos pensamentos, palavras e ações. Assim, podemos con-
cluir que tudo tem de estar em perfeito equilíbrio para poder
fazer a seqüência energética fluir para a realidade, onde deverá
se ancorar. Isso quer dizer que, se algo deve materializar-se
para o nosso bem, essa seqüência energética precisa obedecer
a uma organização cósmica que tenha conteúdo tanto no plano
material quanto no espiritual, pois só então tem o sentido que

134
é encontrado única e exclusivamente nos planos claros e lumi-
nosos, repletos de luz.
Existe um motivo profundo por trás dessa manifestação.
Tudo o que se realiza tem de corresponder a um objetivo que
provoque uma transformação da energia feita em nome da luz.
Recebemos de nosso Criador o poder de manifestação, e,
portanto, temos uma possibilidade real de fazer com que tudo
o que torna nossa vida mais nobre e elevada esteja em relação
direta com os fatos concretos, e as coisas desagradáveis, que
enchem nossa vida de sombras, tornando-a limitada e mais
estreita, sejam modificadas e postas de lado; o espaço deixado
vago deverá ser preenchido por padrões repletos de luz que
possibilitem uma ascensão.
Pensemos um pouco sobre com o pôr isso em movimento e
nas diretrizes que temos de seguir para podermos controlar
tudo sem perder o equilíbrio. Para tanto, convém explicarmos
com o ocorre tal procedimento. Assim, toda pessoa que perce-
ber esse processo em si mesma terá à disposição um pretexto
útil para modificar sua vida e alcançar novos caminhos que
ofereçam uma vida mais eficiente e realizada.
Comecemos imaginando que recebemos uma boa notícia
envolvendo uma mudança ou estabilidade em nossa vida, e
analisemos com o isso nos afeta. A partir desse sentimento de
felicidade, que se torna cada vez maior e mais forte, elevemos
nosso coração ao PAI, agradecendo do fundo da alma protegi-
da, amparada e alimentada, demonstrando nossa confiança pri-
mordial na Criação.

PAI — PAI — PAI, por tudo o que Tu me deste, eu T E


agradeço do fundo do coração e com a consciência de ter
progredido no caminho rumo ao objetivo.

EU ESTOU grato — grato — grato — assim seja — orando


com a minha presença divina EU SOU.

135
Esta é uma prece de agradecimento apropriada para depois
de uma visualização, pois ela glorifica a providência divina e
sua imensurável compaixão. Desse modo prepara-se a base para
uma magnetização do campo energético. Esta tem de ser sus-
tentada e energizada para podermos enquadrar tudo o que
pensamos, falamos e realizamos de acordo com nossos dese-
jos, pois assim poderemos introduzir no dia-a-dia aquilo que
esperamos que se realize.
Isso se assemelha ao que acontece com uma família que
está esperando um filho: ela se prepara alegremente para o
acontecimento na medida em que providencia tudo cuidadosa-
mente para a chegada do bebê. Com a materialização de um
elemental da luz acontece quase o mesmo, pois ele se abre a
fim de descobrir onde ancorar-se no plano terreno, tendo de
encontrar um corpo bem preparado, para sentir-se esperado e
bem-vindo, pois só então poderá usar toda a sua capacidade.
Podemos comparar esse processo também com um solo
bem arado, preparado e irrigado sobre o qual cai uma semente
em ótimas condições que pode brotar e crescer, para, finalmen-
te, provocar uma rica colheita.
Essa imagem nos ajuda a estimular nossa força de imagina-
ção; também podemos reconhecer que todas as coisas e todas
as pessoas estão sujeitas a um ritmo totalmente determinado,
regular, que se reflete por todo o cosmos e têm validade abso-
luta no que se refere à magnetização do nosso campo etérico
de força.

136
Aprenda a Ajudar
a Si Mesmo

Com freqüência, ouvimos falar de fatos que aparentemente


têm relação com a ajuda sobrenatural, mas que, em sua origem,
estão ligados aos próprios pensamentos, palavras e ações. Es-
tes, em algum momento, motivaram os fatos. Essa é uma prova
de que tudo o que estamos aptos e dispostos a irradiar volta
para nós mesmos — com o uma bênção ou uma graça, mas
também com o um lembrete de que atrás dos fatos pode estar
um processo de aprendizado.
É importante nos acostumarmos com o fato de que tudo o
que nos chega com o ajuda sempre está diretamente relaciona-
do com o pensamento que provocou essa ajuda e com a moti-
vação que nos levou a pedir socorro.
Isso diz respeito tanto a pedidos de ajuda feitos a pessoas
queridas com o a serviços prestados por nós em nome do amor
ao semelhante. É essencial que a idéia básica da oração prove-
nha de um coração amoroso, compassivo, para que seja ouvida
nos campos do além. Só assim o pedido encontrará eco.
Aqui se inclui tudo o que estivermos dispostos a lazer a
serviço da humanidade, da natureza e de suas criaturas, bem

137
com o a serviço do cosmos com o um todo, a fim de que a
oração seja carregada e amparada pela força da luz. Como par-
te de um todo no grande sistema cósmico, também faz parte de
nossas tarefas e obrigações contribuir para que a luz e sua força
de iluminação fiquem cada vez mais elevadas e fortes, pois
assim ajudarão novas formas de vida a eclodir.
Portanto, também é nosso dever e nossa dívida apoiar essa
solicitação da Criação com nossa ajuda, carregando o fardo
conscientemente, na medida em que reservamos um momento
de silêncio diário para nos concentrarmos, com a ajuda de nos-
sa capacidade de imaginação e com o poder de nossa força
criativa, em deixar fluir para a atmosfera a luz EU SOU.
Atrás disso existe uma grande responsabilidade à qual não
nos devemos furtar e que podemos cumprir consciente e diari-
amente por meio dessas afirmações luminosas:

Paz, luz e amor para todas as criaturas, do aquém ou do


além, visíveis ou invisíveis, próximas ou distantes, que es-
tão ligadas à luz ou que anseiam se aproximar dela.

Paz, luz e amor para o reino dos elementais e para todos os


reinos da Criação que se sentem ligados à luz.

Paz, luz e amor para o planeta Terra, que é nosso espaço


vital, e para todos os outros planetas, galáxias e âmbitos
que estão próximos da luz.

Paz, luz e amor eu irradio no espaço e no tempo e para a


infinitude do universo.

Assim seja — falei em nome da minha presença divina EU


SOU.

Esta seria a base para um ritual de luz diário, para o bem e


a bênção da Criação. Com ele nós nos incluímos no grande

138
lodo e percebemos o eco de nossa boa vontade diretamente
em nós mesmos, dando assim o primeiro passo para a bem
sucedida auto-ajuda. Podemos apoiar e energizar esse ritual
diário com a cor do dia em que é feito.
Analisaremos esse assunto mais detalhadamente no próxi-
mo capítulo. Outra proposta para auto-ajuda diz respeito à trans-
posição das vibrações de cor para as tonalidades correspon-
dentes, donde resulta uma elevação vibratória que provoca
modificações muito positivas na estrutura energética de nosso
campo de força etérico.
A correspondência das tonalidades bem com o as obras
musicais que se harmonizam com as vibrações cromáticas que
são representadas pelo sete arcanjos também serão apresenta-
das neste livro.
Uma elevação muito simples de energia, que pode ser exe-
cutada independentemente e que apresenta bons resultados, é
o canto com o nome dos arcanjos, que se encaixam num trítono
e que podemos entoar conforme nosso próprio gosto. Dessa
forma, unimo-nos espiritualmente a determinado arcanjo, ao
qual querem os endereçar nosso pedido. Então, cantamos o
nome dele numa estrutura sonora afinada, repetindo vinte e
uma vezes.
Assim, logo se cria uma formação energética muito eficaz,
que por meio da tonalidade ainda passa por uma intensificação
de energia vibratória, contribuindo para abrir com mais energia
e claridade o canal para o reino luminoso do arcanjo escolhido.
Essa é uma ajuda muito simples que pode ser obtida a qual
quer momento, uma vez que sempre está à disposição quando
desejamos nos aproximar de determinado arcanjo com nosso
pedido. Assim poderemos nos ligar ainda mais eficazmente com
o seu raio rep leto de cores, o qu e possibilita que nos
recarreguemos de energia, nos renovemos e purifiquemos. O utra
sugestão para obter ajuda por nós mesmos está em nos esfor-
çarmos para ajudar os outros que precisem por estarem numa

139
situação difícil ou passando necessidades. Dessa forma acen-
demos uma luz para eles, que volta com toda a intensidade
para nós.
Nesse carinhoso e bem-vindo apoio a um semelhante sem-
pre existe uma grande, riquíssima felicidade que é devolvida à
própria estrutura energética com o potencial brilhante de luz,
que ali se densifica e manifesta. Portanto, essa proposta é mui-
to importante, porque nela se inclui o maior tesouro divino —
o amor — e porque sua força magnética está ilimitadamente à
nossa disposição.
Na dedicação ao próximo também vibra a simpatia e o afeto
— e deles nasce a misericórdia — uma essência divina que está
na posição de avaliar, enriquecer e enobrecer decisivamente a
vida.
Para você se ajudar, em primeiro lugar, terá de amar o pró-
ximo, pois desse amor jorra um fluxo de misericórdia que tem
condições de deixar sua vida mais fecunda e produtiva.

Ajuda-te e Deus te ajudará.

Esta frase muitas vezes causa mal-entendidos ou confusão;


no entanto, por trás dela se oculta a grande providência divina,
que contém em si tudo o que é útil para nossa evolução e que,
com o última conseqüência, aponta para o que foi colocado na
posição mais elevada na lei cósmica:

“O bem mais elevado


é o AMOR."

E, baseados nisso, encontramos o melhor tipo de auto-aju-


da no exercício do amor, da dedicação e da simpatia pelo pró-
ximo, pois dessa maneira se completa uma manifestação de
nossa mentalidade de portadores da luz e, simultaneamente,
também um crescimento rumo à luz.

140
O Primeiro Raio de Luz
— Azul-Safira —

Âmbito: Arcanjo Miguel — “Quem é com o Deus?”


Características: Fé, proteção, vontade divina
Dia: Dom ingo
Planeta: Sol
Metal: Ouro
Tonalidade: Lá Maior
Vogal: A
Pedras preciosas: Safira azul, água-marinha, celestita
Óleos etéricos: Musgo de carvalho, verbena, mil-folhas
Músicas: Beethoven: Concerto n " 1 p a ra piano, 3°
movimento, e Appassionata
Smetana: D ie M oldau
Selo do dia: Veja acima

141
O Segundo Raio de Luz
— Amarelo-Dourado —

Âmbito: Arcanjo Jofiel — “Deus é a minha ver-


d ad e”
Características: Iluminação, sabedoria, estabilidade
Dia: Segunda-feira
Planeta: Lua
Metal: Prata
Tonalidade: Si Maior
Vogal: I
Pedras preciosas: Topázio dourado, citrino, âmbar
Óleos etéricos: Eucalipto, mimosa, bergamota
Músicas: Grieg: Concerto para p ia n o em lá menor
opus 1 6 — Andante maestoso
Wagner: Lied an den Abendstern, de
Tannhäuser
Beethoven: Rom anza pa ra violin o e or-
questra n ° 2 em fá m a ior opus 50
Selo do dia: Veja acima

142
O Terceiro Raio de Luz
Cor-de-Rosa
— —

Âmbito: Arcanjo Chamuel — “Deus é o meu obje-


tivo”
Características: Amor, caridade
Dia: Terça-feira
Planeta: Marte
Metal: Ferro
Tonalidade: Dó Maior
Vogal: E
Pedras preciosas: Rubelita, quartzo rosado, kunzita rosa
Óleos etéricos: Gengibre, cistrose, gerânio
Músicas: Grieg: C oncerto p a ra p ia n o opus 16 -
Adagio
Rachmaninov: Sinfonia n ° 2, 3°
movimento — Romanza
Mahler: Sin fon ia n ° 5 em lá m enor
Adagietto
Selo do dia: Veja acima

143
O Quarto Raio de Luz
— Branco-Cristal—

Âmbito: Arcanjo Gabriel — “Força de Deus”


Características: Pureza, clareza, esperança
Dia: Quarta-feira
Planeta: Mercúrio
Tonalidade: Ré Maior
Vogal: I
Pedras preciosas: Diamante, diamante Herkimer, cristal de
rocha
Óleos etéricos: Jasmim, nerol, murta
Músicas: Mascagni: In te rm e z z o da C a va lleria
Rusticana
Grieg: Concerto em lá m a io r opus 16 —
Adagio
Chopin: A ndante spianatto opus 22
Selo do dia: Veja acima

144

J
O Quinto Raio de Luz
Verde— —

Âmbito: Arcanjo Rafael — “Deus cura”


Características: Verdade, cura, concentração
Dia: Quinta-feira
Planeta: Júpiter
Metal: Estanho
Tonalidade: Mi Maior
Vogal: O
Pedras preciosas: Esmeralda, peridoto, turmalina verde
Óleos etéricos: Madressilva, narciso, giesta
Músicas: Beethoven: Sonata ao lu a r
Mozart: Concerto p a ra p ia n o n ° 21 em dó
m aior — Andante
Max Bruch: Concerto pa ra violino n ° 1
em sol m enor opus 26 — Adagio
Selo do dia: Veja acima

145
O Sexto Raio de Luz
- Vermelho-Rubi-Dourado

Âmbito: Arcanjo Uriel — “Fogo de Deus”


Características: Misericórdia, alegria, gratidão
Dia: Sexta-feira
Planeta: Vênus
Metal: Cobre
Tonalidade: Lá Maior
Vogal: A
Pedras preciosas: Rubi, cornalina, jacinto
Óleos etéricos: Sândalo, rosa, íris
Músicas: Brahms — Canção de n in a r
Humperdinck — Abendgebet, de João e
M aria
Schmidt: Zwischenspiel, da ópera Notre
Dam e
Selo do dia: Veja acima

146
O Sétimo Raio de Luz
Violeta
— —

Âmbito: Arcanjo Zaquiel — “Benevolência de


Deus”
Características: Transformação, perdão, libertação
Dia: Sábado
Planeta: Saturno
Metal: Chumbo
Tonalidade: Sol Maior
Vogal: U
Pedras preciosas: Ametista, sugilita, fluorita violeta
Óleos etéricos: Violeta, Ylang-ylang, lavanda
Músicas: Schuman: 4 a Sinfonia 1° movimento
Massenet: M editação, da ópera Thais
Saint-Saens: Rom ance em dó m a ior; o
opus 48
Selo do dia: Veja acima

147
A Mandala dos
Arcanjos

A mandala dos arcanjos serve para construir e estabilizar


nossa dependência em relação ao círculo dos arcanjos. Para
fazer essa mandala, temos de entrar num estado profundo de
relaxamento e imaginar que estamos simbolicamente no centro
do círculo a fim de sentir e observar diretamente o amor e a
ajuda dos arcanjos.
Por meio da inspiração consciente dos sete raios de cor,
personificados pelos arcanjos, é possível aumentar a intensida-
de de uma cerimônia como essa e alcançar estados de consci-
ência que transcendam a capacidade de percepção mundana.
A ajuda dos arcanjos sempre é oferecida diretamente, quan-
do nos aproximamos deles com respeito; podemos ter certeza
de receber uma resposta magnífica, iluminada, com a qual eles
ancoram suas forças de luz no âmbito etérico de quem lhes fez
o pedido, para fortalecer e enriquecer a alma, o espírito e o
corpo desse suplicante.
Desse ponto de vista, a mandala dos arcanjos é um símbolo
de força, que pode ser entendido como um meio através do
qual podemos descobrir, com a nossa força de imaginação, um
acesso para o círculo dos sete grandes arcanjos; assim, somos
capazes de perceber a extensão real da ajuda deles, que repre-
senta uma grande graça para nosso futuro desenvolvimento e
progresso no caminho da luz.

149
A Meditação dos
Arcanjos

A meditação que se segue é destinada ao elevado plano


dos sete arcanjos, para que possamos nos confortar e animar,
prosseguindo em nosso caminho com alegria e com a certeza
de que somos orientados e conduzidos por eles; e também está
em nosso poder intensificar essa orientação e manifestá-la de
forma ainda mais expressiva. Podemos fazer isso submetendo-
nos conscientemente à ajuda carinhosa dos arcanjos, dando-
lhes a possibilidade de interferir em nossa vida perceptivel-
mente. Para concretizar tudo isso de modo visível, é necessário
exercitar o nosso livre-arbítrio.
Temos de estar dispostos a abrir o coração para ouvir as
palavras que nos dirigem e assim, realizados, estaremos aptos a
completar um trecho do caminho com a consciência de sermos
amados e acompanhados por um elevado plano espiritual que
nos dedica amor, afeto e simpatia.
Então voltemo-nos para essas palavras e sintamos o que
elas nos transmitem com suas vibrações, procurando extrair
esperança, confiança e felicidade.
Essa meditação é feita na forma EU SOU, para que possa-

150
mos captar e interiorizar a presença de Deus em nossa “cente-
lha divina”:

EU SOU disposto a entregar minha vida nas mãos dos ar-


canjos, para que eles possam me conduzir e orientar e, as-
sim, eu possa receber o amor pelo qual tanto anseio e que
corresponde ao meu verdadeiro ser.

EU SOU o amor, a bondade, a compaixão incondicionais


com que me volto para meu próximo a fim de abençoá-lo.

EU SOU a clareza e a pureza dos meus pensamentos, pala-


vras e ações, que fluem por mim para a matéria a fim de
materializar-se nela, trazendo bênçãos.

EU SOU a força da fé na Vontade Divina, que consegue se


expressar perfeitamente através de mim. EU SOU o poder
abrangente da minha razão e do meu espírito, que se mani-
festam e expressam por meio do meu coração.

EU SOU a saúde perfeita do corpo, do espírito e da alma e


somente falo a verdade que provém da ordem divina.

EU SOU a alegria e a gratidão pela misericórdia da força


criativa de Deus que flui por minha vida, tornando-a nobre
e cheia de luz.

EU SOU a força purificadora da minha vida, que posso trans-


formar e libertar perfeitamente com a chama violeta.

Nestas palavras minha vida está diante de mim, visível, e eu


reconheço o amor do PAI, que me tomou sob SUA proteção
e me dá tudo de que preciso para evoluir.

Por isso EU SOU grato de todo o coração e estou cheio de

151
alegria, porque sei que meu caminho pelo tempo é um bre-
ve período da minha vida, pois fui escolhido para vivê-la
por toda a eternidade.

No meu coração manifestou-se uma luz que ilumina meu


caminho pelo tempo e que sinto em mim como um sinal do
amor — um amor que me é trazido dos campos elevados
do além e no qual sinto uma energia calorosa, protetora e
útil à qual posso me abrir e na qual posso confiar com
gratidão.

EU SOU abençoado e matei minha sede na “Grande Fonte”


da “Vida Eterna” que flui para mim, refrescando, animando
minha vida e possibilitando que eu obtenha conhecimentos
que me ajudem a progredir em meu caminho pelo tempo.

EU SOU repleto de todo o bem, de toda a beleza e de toda


a nobreza e por isso percebo que disponho de tudo de que
necessito para poder passar para uma nova vida, pela qual
minha alma anseia profundamente, tornando-me sábio, es-
clarecido e espiritualizado.

EU SOU o que tem o poder de pedir tudo o que me ajude a


expressar e a concretizar minha presença divina EU SOU de
forma inteiramente perfeita.
Eu sou a Luz da VIDA e, portanto,
verdadeiro e eterno.

Assim seja
Graças a Deus
A MAGIA SAGRADA
DOS ANJOS
David Goddard

T
odos os povos crêem na existência de m ensageiros
espirituais, cham ados de anjos na cultura religiosa
do Ocidente. E sse s seres transmitiram sua m agia à
humanidade, m agia preservada de geração em geração
por um a linhagem especial de mestres. D avid G oddard é
um d esses mestres. Ele nos revela princípios im portantes
da m agia sagrada dos anjos, nos ensina a fazer m editações
e cerim ônias para evocar a energia desses seres e conta
histórias de p esso as que se encontraram com eles. O autor
tam bém faz um a descrição dos nove anjos principais,
com seus sinais, sím bolos e atividades, e ensina a form a
de invocá-los. A ssim você poderá fazer contato com o seu
anjo lunar, pedir seu auxílio em determinadas situações e
incorporar a atividade dos anjos à sua vida cotidiana. A
m agia dos anjos é incorruptível; ela nos proporciona o
conhecimento necessário para lidar elegantem ente com
todos os aspectos da vida: saúde, relacionam entos, lar,
em prego, criatividade. A M a g ia Sagrada dos A n jos
propicia a você um a percepção profunda da sua própria
identidade, inspirando e enriquecendo a sua vida. U m
livro que abre a porta aos m ilagres!

EDITORA PENSAMENTO
Manual dos Devas
Como trabalhar com as energias sutis da natureza

Nathaniel Altman

Quando contemplamos a força impetuosa de uma cachoeira, a beleza etérea de


um arco-íris ou a plácida solidez de um penhasco, muitos de nós percebem
“algo mais” que transcende os cinco sentidos: uma energia de paz, de harmonia,
de cura e de contentamento.

Povos nativos do mundo todo acreditam que essa impressão intuitiva é


causada pelas forças da natureza. Essas forças são conhecidas por vários nomes
diferentes: anjos, espíritos da natureza, orixás, ou pelo termo sânscrito devas,
que significa “seres brilhantes”.

O Manual dos Devas nos leva de volta a esses guardiães da sabedoria da


Terra. O autor se baseia em tradições nativas de todo o mundo, e também em teorias
contemporâneas, para analisar o papel, as características e a
importância dos devas.

Com a leitura desta obra você vai aprender a se comunicar com esses
seres em qualquer lugar que esteja; no jardim da sua casa ou perto de uma árvore
num parque da cidade. Este manual ilustrado propõe procedimentos práticos -
incluindo visualizações, orações e oferendas - para ajudá-lo a entrar em contato
com os devas da natureza e receber sua ilimitada energia de cura.
\

Nathaniel Altman é autor e co-autor de mais de quinze livros, incluindo


Sacred Trees e Oxigen Healing Therapies.

EDITORA PENSAMENTO
John Randolph Price

A expressão natural dos anjos é a Verdade. Se negarm os a verdade sobre


nós mesmos e aceitarm os a ilusão de que som os seres humanos lim itados,
sem poder, vítimas das circunstâncias, estarem os reprimindo a energia
dos anjos. M as quando aceitam os plenamente as verdades eternas da
vida, deixamos de controlar a energia, e os anjos podem com eçar a
harmonizar tudo de acordo com o modelo divino.

Dentro de cada um de nós vivem 22 Anjos, centros de energia viva que nos
provêm de todas as qualidades espirituais de que precisamos para viver de
acordo com o Plano Divino. Esses anjos estão ansiosos por nos confortar,
orientar e ajudar em todos os momentos da nossa vida. Eles só estão
esperando o nosso consentimento para entrar em ação. Está na hora de dar as
boas-vindas ao poder ilimitado da energia dos Anjos e de aceitar as
mudanças surpreendentes que podem ocorrer por intermédio deles.
Pois, para os anjos, “nada é impossível”.

Por meio de meditações, afirmações, exercícios e diálogos com os 22


Anjos, exemplificados com histórias verdadeiras de milagres
realizados pelos Anjos, este livro nos mostra o poder dos Anjos
dentro de nós para que possamos:

* Despertar nossa consciência superior.


* Superar as mágoas do passado.
* Entrar em contato com os Anjos durante o sonho ou na vigília
* Descobrir o caminho que nos levará à realização pessoal
* Ter sucesso financeiro e profissional
* Curar nossos problemas de saúde.
* Abrir nosso coração para o amor incondicional.
* E muito mais.

Este livro marcante, escrito pelo mesmo autor do best-seller Os A njos que
Regem a N ossa Vida, ajuda-nos a entrar em contato com o ritmo de plenitude
universal desses seres extraordinários, para que possamos encontrar a
felicidade a que todos temos direito por herança natural.

E D IT O R A P E N S A M E N T O
OUÇA A RESPOSTA DOS ANJOS
Andrew Ramer
"Quando a alma e os pensamentos estão fora de sintonia, as
coisas não funcionam. Você tem de forçar o seu caminho pela
vida, e isso não é fácil. A verdade é que em todo o mundo as
coisas estão fora de sintonia. As nações se esqueceram de que
todos vieram ao mundo como almas sábias.
Nós, anjos, nos aproximamos para ajudá-los a ligar-se de novo
com a alma. Quando os pensamentos e a alma estiverem em
sintonia, a vida fará sentido; a beleza, a cura
a verdade e o amor aumentarão. Quando os pensamentos
e a alma estiverem em sintonia, você saberá que
toda a humanidade é constituída de filhos de Deus.
Ao ler este livro, deixe que a sua mente fique aberta
à voz dos anjos. Sinta o amor dos anjos por você e o amor
contido nestas palavras. Deixe que esse amor ilumine seus
pensamentos. Deixe que estas palavras despertem seus
pensamentos sobre Deus. Deixe que todas estas palavras o
toquem e o ajudem a recordar-se de quem você é:
uma alma sábia, uma centelha do Divino.
Assim como você regula os botões do aparelho de som até que
a música fique clara, deixe que estas palavras o ajudem a
regular seus pensamentos até que a música
da alma se tome nítida.
Nós, anjos, estamos com você para apoiá-lo na cura de si
mesmo e do seu mundo. Você não está só. O trabalho é mais
fácil do que você pensa: basta sintonizar-se
com quem você realmente é."

EDITORA PENSAMENTO
Nosso Trabalho
com Guias e Anjos
Ruth White

Neste livro acessível e prático, Ruth White revela como pode-


mos enriquecer a nossa vida com a sábia orientação de guias e an-
jos. A autora desvenda a natureza desses seres celestiais, o quanto
eles querem participar da nossa vida, e ensina como podemos nos
comunicar com eles e que tipo de ajuda esperar. Ela descreve as si-
tuações em que podemos buscar o auxílio dos guias e anjos e apre-
senta um grande número de exercícios que nos ajudarão a estabele-
cer contato com eles. Este livro baseia-se na experiência pessoal de
Ruth White com os anjos e com Gildas, um guia desencarnado que
há muito tempo a acompanha e orienta com suas mensagens cana-
lizadas.
Ruth White mora em Londres, onde dirige uma clínica de
aconselhamento. Ela também dá cursos no Reino Unido e na Euro-
pa, inclusive na Rússia e na Hungria. Entre seus livros, destacam-
se Trabalhando com os seus Chakras e Mensagens Espirituais, já
publicados pela Editora Pensamento.

E D IT O R A P E N S A M E N T O
ANJOS
MENSAGEIROS DA LUZ

Guia paru o crescimento


espiritual

Terry Lynn Taylor


Os anjos, mensageiros da Divina Providência, estão sem-
pre dispostos a ajudá-lo na criação do céu em sua vida; eles
são o elo perdido da corrente de auto-ajuda e do processo de
autodesenvolvimento e autoconfiança da humanidade.
Anjos, Mensageiros da Luz é um livro cujo propósito é
expandir a sua consciência com relação aos anjos; é sobre
conhecer e notar o comportamento dos anjos para que você
possa incorporar a ajuda angélica na sua vida cotidiana.
Leia este livro como um guia para a descoberta do reino
dos Anjos. Descubra maneiras de criar a consciência angélica
e de atrair os anjos para a sua vida. Se o fizer, eles irão parti-
lhar com você segredos que lhe ensinarão como driblar os
inconvenientes causados pela tensão da vida moderna, pelo
envelhecimento e pela gravidade.

EDITORA PENSAMENTO
OS ANJOS
Espíritos Protetores
Penny McLean
“Quando acabei de escrever Contatos com
o Anjo da Guarda - o primeiro livro da série -
eu não tinha a menor idéia do que as minhas re-
flexões e experiências iriam provocar. Logo após
a sua publicação, recebi uma verdadeira enxurra-
da de cartas repletas de perguntas, pedidos de
conselhos e, mesmo, relatando experiências pes-
soais. Neste novo livro, eu gostaria de fornecer
mais informações não constantes do primeiro so-
bre contatos com seres invisíveis, respondendo, assim, a todas as pergun-
tas que, afinal, são válidas para todos.
“Fiquei especialmente surpresa e feliz com o enorme interesse desper-
tado pela minha comunicação com o mundo espiritual, invisível. Por esse
motivo, consultei todas as minhas anotações e documentos sobre o assunto
e comecei a trabalhar neste livro apoiada quase que exclusivamente na de-
cisão de não revelar aqui meras experiências sobre contatos com Anjos da
Guarda, pois acredito que o aprendizado a ser alcançado pela simples leitu-
ra de histórias pode ser substancialmente intensificado quando continuamos
o nosso trabalho levando em conta os resultados já obtidos.
“Eu gostaria de deixar bem claro que conduzi o assunto no sentido de
proporcionar uma ampliação da consciência e, não, de publicar algo sim-
plesmente espetacular pois, qualquer que seja o tipo de experiência que se
faça ou de energia espiritual que se contate, ela será de pouca ajuda se não
soubermos como empregá-la ou transformá-la em nosso benefício.”
Penny McLean
Penny McLean é a autora de outros títulos, também publicados pela
Editora Pensamento: Contatos com o Anjo da Guarda e Nossos Guias Espi-
rituais.
Leia também: Anjos Mensageiros da Luz de Terry Lynn Taylor e
-

Meditando com os Anjos de Sônia Café e N. Innecco.

EDITORA PENSAMENTO
Ou tra s ob ra s de in te re s s e :

A A L E G R I A D E D E S C O B R IR A N J O S
D A G U A R D A E M N O S S A V ID A
S ara M arriott

CO M O ESTABELECER CO NTATO
C O M OS ANJO S D A C U R A
La Una Huffines

OS ANJOS R E S P O N D E M
U m Livro de M ensagens Angélicas
Terry Lynn Taylor

O S A N J O S - Nossos Protetores Celestes


D avid Connolly

O P R O T E T O R IN V IS ÍV E L
O Guia que nos Ajuda nos Momentos
Difíceis da Vida
Amadeus Voldben

M E D IT A Ç Ã O E A C O N Q U IS T A
DA SAÚDE
Lawrence LeShan

M E D IC IN A V IB R A C IO N A L
Um a Medicina para o Futuro
Richard Gerber

A T E R A P IA D A P O L A R ID A D E
A Energia que Cura
Alan Siegel e Philip Young

Peça catálogo gratuito à


EDITORA PENSAMENTO
Rua Dr. Mário Vicente, 374 - Fone: 272-1399
04270-000 - São Paulo, SP
A H IE R A R Q U IA E S P I R I T U A L

Ar c a nj o s
Waltraud-Maria Hulke
O s Anjos estão na moda. N o entanto, isso não lhes tira nada de sua
força original, que se torna perceptível sempre que as pessoas começam a
travar relações com eles, aceitando sua ajuda e orientação. O s Anjos são
mãos de luz que nos ajudam e que podemos segurar confiantes.
A pessoa que busca, eles dão coragem para ser co-criadora do seu
próprio destino, e não escrava de um destino, indesejável que não corres
ponde ao plano da alma.
A autora descreve a essência dos sete Arcanjos e seu poder de nos
ajudar quando abrimos nosso coração e nossa consciência. O s sete raios
coloridos da luz branca estabelecem a ligação etérica com o plano
superior dos Arcanjos e servem de ponte para que possamos entrar em
contato direto com cada um deles, a fim de sentir sua carinhosa simpatia
por nós.
N este livro, encontramos muitos estímulos preciosos, que nos
ensinam como convidar um Arcanjo a nos acompanhar pela vida, dando-
nos assim a oportunidade de sentir de perto a sua ajuda.
Para isso contamos, entre outros recursos, com o Ritual da Materiali-
zação, a Cerimônia da Realização de um desejo, indicações para a harmo-
nização do sistema dos chakras, a magnetização do campo de força
etérico, bem como com a elevação da energia, servindo-nos do selo
diário, das pedras preciosas e da tonalidade das cores, criações originais
da autora. N o final do livro, há uma esplêndida e poderosa Meditação do
Arcanjo.
Por tudo isso, esta obra é um presente valioso para todo aquele que
busca uma ajuda no caminho rumo à luz, para que possa definir melhor
seus objetivos e realizá-los mais depressa.

Você também pode gostar