Você está na página 1de 2

 

Em cima da hora

Brasil
02/04/2005
Mundo
Dinheiro João Paulo 2º reconheceu e pediu perdão por erros
Cotidiano da Igreja
Esporte
Ilustrada da Folha Online
CURSOS ON-LINE
Informática Aprenda Inglês
O pontificado do papa João Paulo 2º foi pontuado pelo reconhecimento de diversos
Ciência Aprenda Alemão
erros e por pedidos de perdão pelas iniqüidades cometidas pela Igreja Católica em sua
Educação
história.
Galeria
Manchetes Reprodução No ano passado, o sumo pontífice pediu perdão pela
Especiais
Inquisição, quando a Igreja Católica torturou e matou
Erramos
pessoas consideradas hereges.
BUSCA
O primeiro pedido de perdão por "erros cometidos" a
serviço da verdade por meio do uso de "métodos que não
Buscar
têm relação com a palavra do Senhor" foi feito em 2000.
CANAIS
Ilustração mostra mulher
Ambiente sendo torturada em torno pela O papa disse que o pedido de perdão valia "tanto para os
Bate-papo Inquisição espanhola dramas relacionados com a Inquisição quanto para as
Blogs feridas deixadas na memória [coletiva] depois daquilo".
Equilíbrio
O papa se referia à tortura, aos julgamentos sumários, às conversões forçadas e às
Folhainvest em Ação
fogueiras nas quais foram queimados os acusados de heresia nos processos da
FolhaNews
Inquisição.
Fovest
Horóscopo Folha Imagem
A Alemanha registrou o maior número de "bruxos" e
Novelas
"bruxas" mortos por tribunais civis no começo do século
Pensata 15, com a morte de cerca de 25 mil pessoas de uma
Turismo população de 16 milhões.
SERVIÇOS
Arquivos Folha Em termos proporcionais, o recorde pertence ao
Assine Folha Principado de Liechtenstein (Europa central), onde 300
Classificados pessoas, ou 10% dos 3.000 habitantes da região, foram
Index, lista de livros proibidos
Fale com a gente mortas por bruxaria. Cerca de 1,8% das pessoas na Inquisição
FolhaShop investigadas pela Inquisição foram mortas.
Loterias
Sobre o site A Inquisição, como ficou conhecido o Tribunal da Inquisição da Santa Igreja Católica, foi
Tempo criada em 1233 pelo papa Gregório 9º para combater a heresia. Autoridades da igreja,
JORNAIS E REVISTAS no entanto, logo passaram a contar com autoridades civis para multar, prender, torturar
Folha de S.Paulo e matar supostos hereges. O processo atingiu um pico no século 16, como resposta à
Revista da Folha reforma, empreendida pelo monge agostiniano Martinho Lutero.
Guia da Folha
Galileu
Agora SP
Alô Negócios
Em 1992, João Paulo 2º fez outro "mea culpa" pela Igreja Católica ao reabilitar o
astrônomo italiano Galileu Galilei (1564-1642), condenado à prisão perpétua por
defender que a Terra girava em torno do Sol.

Galileu soube da invenção do telescópio por um fabricante de lentes holandês e, a partir


deste, construiu o seu próprio telescópio, com o qual fez, entre outras, as descobertas
de irregularidades na superfície da Lua e das quatro maiores luas do planeta Júpiter --o
que contrariava as teorias aristotélicas ensinadas nas universidades italianas de então,
dominadas pela igreja.

Em 2001, João Paulo 2º ainda pediu cem vezes perdão por outros erros cometidos pela
Igreja Católica no passado. O papa considerava que o ano 2000, ano do Jubileu, era o
melhor momento para pedir perdão, mas acabou adiando o gesto simbólico.
A lista de erros pelos quais João paulo 2º se desculpou durante seu pontificado é
extensa, incluindo as cruzadas, ditaduras, iniqüidades cometidas contra as mulheres, os
judeus, as guerras (incluindo as de religião), excomunhão de religiosos reformadores
como Lutero, João Calvino, Ulrich Zwingli e Jan Hus, o tratamento aos negros e as
violências cometidas contra os índios da América.

Ainda entraram na lista de erros pelos quais pediu perdão as injustiças, a Inquisição, o
integralismo, o Islã, o racismo, os crimes em Ruanda, o cisma do Oriente, a história do
pontificado e inclusive pelas responsabilidades dos católicos dentro das máfias e pelos
erros cometidos contra a China.

Especial
Leia o que já foi publicado sobre a Inquisição e o papa
Leia o que já foi publicado sobre Galileu Galilei

  Comunicar erros   Enviar por e-mail   Imprimir

Copyright Folha de S. Paulo. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,
sem autorização escrita da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br).