Você está na página 1de 2

Sobre o assunto mencionado em título, e considerando as questões colocadas pela Freg

uesia de Estremoz Santa Maria, cumpre a esta Divisão de Apoio Jurídico informar o se
guinte:
1. Avaliações relevantes para efeitos do disposto no artigo 113º da Lei nº 12-A/2008, de
27 de Fevereiro
A Freguesia questionou-nos, concretamente, sobre a interpretação do número 7 do artigo
113º daquela lei, pretendendo saber qual a pontuação a atribuir aos seus trabalhadore
s, para efeitos de alteração do posicionamento remuneratório, nos anos de 2004 a 2007,
uma vez que não foram objecto de nenhuma avaliação de desempenho durante este período.
De facto, como é sabido, às freguesias não se aplicava o regime de classificação de serviço
aprovado pelo Decreto Regulamentar nº 44-B/83, de 1 de Junho, alterado pelo Decret
o Regulamentar nº 40/85, de 1 de Julho, o qual foi aplicado aos municípios por força d
o Decreto Regulamentar nº 45/88, de 16 de Dezembro, apenas havendo lugar à ponderação do
currículo profissional dos trabalhadores das freguesias quando isso fosse necessári
o (cfr. artigo 2º deste último decreto regulamentar). Só a partir de 2006, inclusive,
com a aplicação da Lei nº 10/2004, de 22 de Março, mediada pelo Decreto Regulamentar nº 6/
2006, de 20 de Junho, passaram as freguesias a dispor de um sistema de avaliação de
desempenho.
Neste sentido, nos anos de 2004 e de 2005 não há que considerar qualquer avaliação de de
sempenho, pelo que se justifica a atribuição, por cada um desses anos, de um ponto a
os trabalhadores. Já no respeitante aos anos seguintes (2006 e 2007), poderiam con
siderar-se as avaliações de desempenho obtidas ao abrigo da Lei nº 10/2004, se o siste
ma tivesse sido efectivamente aplicado. Não o tendo sido, e atento o disposto no núm
ero 7 do artigo 113º da Lei nº 12-A/2008, deve considerar-se, igualmente, a atribuição d
e um ponto por cada ano (isto porque não foi efectivamente aplicada a legislação em ma
téria de avaliação de desempenho).
Ressalve-se, no entanto, a possibilidade admitida no número 9 deste artigo 113º de o
s trabalhadores requererem, em substituição dos pontos atribuídos, no prazo de cinco d
ias úteis após a comunicação referida no número 8 do mesmo preceito, a ponderação do curríc
rofissional(1)(2).
2. Obrigatoriedade de alteração de posicionamento remuneratório dos trabalhadores que
tenham obtido 5 Bons, consecutivamente, desde 2004
Esta questão colocada pela entidade consulente não se justifica, no caso concreto, p
orquanto nos anos de 2004 a 2007 não aplicou nenhum sistema de avaliação (primeiro, po
rque a tal não estava obrigada, depois, a partir de 2006, por falta de aplicação efect
iva do sistema previsto na Lei nº 10/2004).
Contudo, abordando a questão em termos gerais, sempre se dirá que não há obrigatoriedade
legal de assim se proceder, dado que, considerando o disposto no artigo 46º (opção ge
stionária), em conjugação com o disposto no artigo 47º, números 1 a 5, da Lei nº 12-A/2008,
trata-se de uma mera possibilidade, dependente, desde logo, da vontade dos serviço
s e da existência de previsão orçamental devidamente dotada para o efeito (veja-se, em
especial, neste sentido, o número 1 do artigo 46º e o artigo 7º, ambos da Lei nº 12-A/2
008)(3).
Salvo melhor opinião, este é o nosso parecer.

(1) Neste sentido, veja-se Paulo Veiga e Moura e Cátia Arrimar, Os novos regimes d
e vinculação, de carreiras e de remunerações dos trabalhadores da Administração Pública, Co
tários à Lei nº 12-A/2008, de 27 de Fevereiro, Coimbra Editora, em anotação ao artigo 113º,
a pág. 213 e 214.
(2) Transcreve-se também a solução interpretativa uniforme homologada por despacho de
Sua Excelência, o Secretário de Estado Adjunto e da Administração Local, em 9/10/2008, r
ectificado em 24/11/2008:
Solução interpretativa: A alteração do posicionamento remuneratório deve obedecer ao dispo
to nos artigos 46º a 48º e 113º, todos da LVCR, estando salvaguardada a relevância do tr
abalho prestado desde o ano de 2004, mesmo que este não tenha sido objecto de aval
iação.
Fundamentação: O âmbito subjectivo da regra prevista no nº 7 do artigo 113º, da Lei nº 12-A
2008, de 27 de Fevereiro, inclui os trabalhadores cujo desempenho não tenha sido a
valiado pelo SIADAP por este não lhes ser aplicável ao tempo. O desempenho dos traba
lhadores da Administração local é avaliado de acordo com as regras definidas para o SI
ADAP desde 2006 Decreto Regulamentar nº 6/2006, de 20 de Junho -, razão pela qual es
te sistema de avaliação não lhes sendo aplicável nos anos de 2004 e 2005, foi salvaguard
ado a relevância do trabalho prestado nesse período de tempo pelo nº 7 do artigo 113º da
Lei nº 12-A/2008.
(3) Neste sentido, veja-se também a opinião dos autores citados na nota 1, a págs. 93
e 94 da obra citada, em anotação ao artigo 47º.
RELATOR: António Carrilho Velez
DATA: 29-04-2009
PARECER N.º 42/2009
INFORMAÇÃO N.º 110-DSAL/09