Você está na página 1de 61

VANT x RPAS - Nomenclatura

QUESTÕES
QUESTÕES

PRIVACIDADE

PERDA DE CONTROLE (ENLACE)

DANOS A PESSOAS OU
PROPRIEDADES
PRIVACIDADE

Constituição Federal em seu Artigo 5˚, Inciso X diz: "são


invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem
das pessoas, assegurado o direito à indenização pelo dano
material ou moral decorrente de sua violação”.
PRIVACIDADE
Privacidade - A maior parte da discussão pública em torno do uso de
drones em nível internacional e nacional vem sendo centrada em
questões de privacidade.
Em fevereiro de 2012 foi assinada a Lei de Reautorização da FAA,
abrindo caminho para mais de 30 mil drones “domésticos” até 2020.
A Lei exige que a FAA crie procedimentos para drones operados
comercialmente até 2015 e permite que as empresas apliquem a Lei
operando drones de pequena escala em baixas altitudes.
Enquanto isso, surgem uma série de implicações negativas devido ao
direito à privacidade, aliado à falta de leis que regulem o uso dos
dados coletados através de drones.
PERDA DE ENLACE

O primeiro conjunto de problemas que provavelmente vai afligir qualquer tentativa de uso
generalizado de drones dentro dos EUA se relacionam com atribuição de frequências e a possibilidade
de interferência eletromagnética. A fim de ser controlado a partir de um local remoto, os drones
devem se comunicar com uma estação de controle de solo através de algum tipo de enlace de dados.
Para que esta ligação seja mantida, deve haver proteção contra interferências eletromagnéticas que
podem prejudicar o enlace. Dependendo da interferência, pode ocorrer a perda de enlace de comando
e controle, a qual pode ser momentânea ou permanente. Em casos de perda momentânea, a ligação é
restabelecida e o piloto é capaz de retomar o controle da aeronave. Porém, por vezes a ligação pode
não ser restabelecida e o drone é efetivamente transformado em um zumbi que pode derivar para
longe de seu alvo, como pode ter ocorrido recentemente com o RQ-170 capturado pelo Irã.
OBJETIVO

Conhecer os principais trabalhos desenvolvidos pelo Grupo de Estudos sobre Sistemas de Aeronaves Não
Tripuladas da OACI

Unmanned Aircraft System Study Group


UASSG
ROTEIRO
FINALIDADE DO GRUPO DE ESTUDO

CONVENTION ON INTERNATIONAL CIVIL AVIATION, SIGNED AT


CHICAGO, ON 7 DECEMBER 1944 (CHICAGO CONVENTION)

Artigo 8 – Aeronave sem piloto.

Nenhuma aeronave capaz de navegar sem piloto, poderá sobrevoar sem piloto o território de um Estado contratante sem autorização especial do citado Estado e em conformidade com os termos
da mesma autorização. Cada Estado contratante se compromete a tomar as disposições necessárias para que o voo sem piloto de tal aeronave nas regiões acessíveis por aeronaves civis seja
controlado de modo a evitar todo perigo para as aeronaves civis...
... e aqui se enquadra uma RPA.
1 - RPA – Novo componente da aviação mundial.
FINALIDADE DO GRUPO DE ESTUDO

• Setor de crescimento mais dinâmico da indústria aeroespacial na última década.


• Orçamento mundial atual entre oferta e demanda – Entre U$3.3 e U$5.8 Bilhões – Estimativa de dobra para os próximos 10 anos.
• Maior catalisador são as Forças Armadas Americanas – Emprego direto das RPA nas Campanhas do Iraque e Afeganistão – Uso Militar.
• Uso Civil – A pressão da indústria mundial.
• As principais organizações da aviação mundial têm se preocupado em estabelecer regras - Orientadas pela OACI.
• OACI – UASSG.
• Revisar Anexos da Convenção de Chicago e definir procedimentos a serem adotados pelos serviços de navegação para integração no espaço aéreo compartilhado (2).
PREMISSAS

• A RPA É UMA AERONAVE.


• Estudaremos a inserção em espaço aéreo compartilhado.
• 3 - A OACI está tratando o Voo Internacional.
• 4-RP A (subcategoria de UAS) – OACI não foca no momento aeronaves completamente autônomas.
• Necessidade de imputar responsabilidades a alguém – PILOTO!
REUNIÕES
COMPONENTES

• UASSG – Países e Organizações


• África do Sul, Alemanha, Austrália, Áustria, Brasil, Canadá, Coréia do Sul, Estados Unidos, Federação Russa, França, Holanda, Itália, Japão,
Noruega, Reino Unido, República Checa, Singapura e Suécia.
• CANSO, EASA, EUROCONTROL, UVS INTERNATIONAL, IFATCA, IAOPA, ICCAIA, IFALPA, AUVSI, entre outros.
• BRASIL – Único representante da América Latina.
• DECEA – Maj Av Cyro, Maj Av Vargas e Cap CTA Jeronimo Inácio.
• ANAC – Sr. Cristiano (Operações) e Srta. Lívia (Aeronavegabilidade).
GRUPOS DE TRABALHO – 05/06

• Licença de Pessoal.
• Aeronavegabilidade.
• Operações.
• Detectar e Evitar.
• C3 (Comando, Controle e Comunicações).
• ATM.
PRINCIPAIS TRABALHOS REALIZADOS

• CIRCULAR 328.
• Publicada em 2011.
• Levar ao conhecimento dos Estados as perspectivas da OACI para a integração dos sistemas aéreos não tripulados no espaço
aéreo não-segregado e em aeródromos.
• Considerar as diferenças fundamentais entre as aeronaves tripuladas e as não-tripuladas para a integração mencionada.
• Servir como guia inicial para viabilizar a regulamentação internacional através de normas e práticas recomendadas.
• Encorajar as Autoridades a confeccionar sua legislação para o uso de RPAS, alinhada com a política da OACI; e
• Incentivar a participação de representantes no desenvolvimento da regulamentação internacional, fornecendo informações de
suas próprias experiências associadas a este tipo de aeronaves.
PRINCIPAIS TRABALHOS REALIZADOS

Anexo 2 (Rules of the Air) – 15 NOV 2012 –


Emenda sobre RPAS.
PRINCIPAIS TRABALHOS REALIZADOS

Anexo 7 (Aircraft Nationality and Registration


Marks).
PRINCIPAIS TRABALHOS REALIZADOS

Anexo 13 (Aircraft Accident and Incident


Investigation).
PRINCIPAIS TRABALHOS REALIZADOS

Guidance Material (Manual) do Anexo 2.


Está em vias de ser publicado.
Guidance Material
TRABALHOS EM DESENVOLVIMENTO

RPAS Manual –
- Houve um momento em que se decidiu fazer um manual, antes das SARP, devido à necessidade de
motivação EDUCACIONAL.
- Definir a estrutura fundamental de regras por meio de normas e práticas recomendadas, findando um
trabalho de forma SEGURA E HARMONIOSA.

244 PÁGINAS PREVISTAS ATÉ O PRESENTE MOMENTO.


TRABALHOS EM DESENVOLVIMENTO
Status
CONCLUSÃO EM DEZEMBRO DE 2013
PUBLICAÇÃO ATÉ AGOSTO DE 2014
PERSPECTIVAS

•Após a conclusão (DEZ 2013) – Segue processo de publicação – SARP.


•Propostas de Emenda.
•Anexo 1 – Personnel Licensing (mais avançado).
•Anexo 6 – Operations of Aircraft.
•Anexo 8 – Airworthiness of Aircraft.
•Grupo de estudos – Complexo demais, não?!?
•UASSG – PANEL.
• OACI está realizando a revisão de seus Painéis.
• Extinção / Diminuição alguns.
• Criação de outros.
O RPAS NO BRASIL

• ESTRATÉGIA NACIONAL DE DEFESA.


• AIC N 21/10 – 23 SET 2010.
• Ratifica-se a necessidade de atualizar e substituir sua Legislação atual, trabalhando em conjunto com ANAC, COMDABRA e o MD
– Buscando SEMPRE coerência e harmonia entre os Órgãos do Estado Brasileiro.
• DCA 63-4 – 2013.
• Estabelece procedimentos a serem realizados pelos Regionais (CINDACTA e SRPV-SP).
O RPAS NO BRASIL

• ESTRATÉGIA NACIONAL DE DEFESA.


• AIC N 21/10 – 23 SET 2010.
• Ratifica-se a necessidade de atualizar e substituir sua Legislação atual, trabalhando em conjunto com ANAC, COMDABRA e o MD
– Buscando SEMPRE coerência e harmonia entre os Órgãos do Estado Brasileiro.
• DCA 63-4 – 2013.
• Estabelece procedimentos a serem realizados pelos Regionais (CINDACTA e SRPV-SP).
USO DO ESPAÇO AÉREO

• Circulação Aérea Geral – AIC N 21/10.


• Circulação Operacional Militar – NOSDA COM 10.
• Acordos Operacionais (DECEA).
• VOO EM ESPAÇO AÉREO SEGREGADO.
• Decisão 127 (ANAC).
• Alinhando ações – DECEA e ANAC.
• Os conhecimentos adquiridos nas reuniões e convenções têm sido aplicados na busca de soluções para o que se deseja nas autorizações de utilização do espaço aéreo Brasileiro por RPA em
âmbito nacional.
FREQUÊNCIAS - ANATEL

• World Radio Communications Conference – 2012


• Definir as frequências a serem utilizadas em VLOS.
O RPAS NO BRASIL

• 2011 – 21 Solicitações.
• 2012 – 69 Solicitações.
• 2013 – 97 Solicitações.
• Primeiro CAVE emitido pela ANAC – NAURU 500A (5,5
horas – 15Kg – 30Km – 9.000 ft).
• Xmobots.
O RPAS NO BRASIL

• ALGUMAS APLICAÇÕES POSSÍVEIS:


Monitoramento florestal e de plantações.
Monitoramento de linhas de gás e linhas de transmissão.
Monitoramento patrimonial.
Monitoramento de trânsito.
Monitoramento climático.
Segurança Pública – Copa das Confederações.
Suporte aéreo de Buscas e Salvamento.
Repetidor de Telecomunicações.
Vigilância marítima, aérea e terrestre.
Utilizar esta tela para tabelas, imagens grandes ou apresentações de
vídeos.
Tela com faixa superior para o título

Utilize este fundo com o texto em fonte “Myriad Pro” em azul escuro
ou preto.
Tela com faixa superior para o título

Utilize este fundo com o texto em fonte “Myriad Pro” em azul escuro
ou preto.
PRINCIPAIS QUESTÕES

• Categorização.
• Possibilidade de maior flexibilidade.
• Certificação de Aeronaves e Pilotos.
• Proteção das Frequências (INTERFERÊNCIAS) - ANATEL.
• Sobrevoo de áreas povoadas.
• Civis / Governamentais / Militares.
• Condições Meteorológicas adversas (CERTIFICAÇÃO) - ANAC.
• Questões Legais (SEGURO E PRIVACIDADE).
• Emprego em locais fechados – Shoppings, Estádios, etc.
• Emprego em Situações Emergenciais (CALAMIDADES).
• Governamentais e Militares.
• Formação e Manutenção de Pilotos.
• Aplicação de Penalidades.
EVENTOS

• 2013
• AUVSI’s Unmanned Systems – Agosto – Washington.
• Associação Internacional de Sistemas de Veículos Não-Tripulados – Abordagem técnica – Participação Militar.
• JARUS meeting – Outubro – Alemanha.
• Encontro de Autoridades para regulação de Sistemas Não-Tripulados.
• UAS Latin America – Outubro – São José dos Campos.
• Operações Civis em nível Nacional.
• UASSG/13 – Novembro – Montreal.
• Grupo de Estudo.
• RPAS CivOps – Dezembro – Bruxelas.
• Conferência Internacional sobre operações civis – Empresas.
EVENTOS

• 2014
• UASSG/14 – Março – Montreal
• UASSG/15 – Junho – Montreal
• UASSG/16 – Outubro – Montreal
ROTEIRO
• Dimensões Comprimento 8,60m
• Envergadura 11,00m
• Altura 3,00m
OBJETIVO

Conhecer os principais trabalhos desenvolvidos pelo Grupo de Estudos sobre Veículos Aéreos Não Tripulados
da OACI

Unmanned Aircraft System Study Group


UASSG
CONTATOS

DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO


SUBDEPARTAMENTO DE OPERAÇÕES
DIVISÃO DE PLANEJAMENTO
SEÇÃO DE PLANEJAMENTO DE OPERAÇÕS MILITARES

Maj Av Vargas
(21) 2101-6574
dpln7@decea.gov.br
rpas@decea.gov.br