Você está na página 1de 22

IEMDY – Inventário de esquemas mentais desadaptativos de Young

Desenvolvido por Jeffrey E. Young, PhD., 1990.


Adaptado por Gilson Pinho, 2016.

Nome: ________________________________________________________ Idade: ________


Data: ____ /____ /____
1- São listadas abaixo afirmações que uma pessoa poderia usar para se descrever. Por
favor, leia cada afirmação e decida quão bem ela descreve sobre você. Quando não tiver certe-
za, baseie sua resposta no que sente emocionalmente, não no que pensa ser de verdade.
2- Escolha a avaliação de 0 a 5 que melhor o/a descreve (incluindo suas revisões), de
acordo com a tabela abaixo, e escreva este número na coluna Frq. (Frequência).
Escala de avaliação de Frequência:
0 = não se aplica em momento algum a você.
1 = poucas vezes se aplica a você.
2 = algumas vezes se aplica a você.
3 = muitas vezes se aplica a você, mas não com frequência.
4= geralmente se aplica a você.
5 = sempre se aplica a você e de maneira total.

3- Escolha a avaliação de 0 a 3 que melhor descreve a intensidade com que tal caracte-
rística o/a afeta, de acordo com a tabela abaixo, e escreve este número na coluna Int. (Intensi-
dade).
Escala de avaliação de Intensidade
0 = não aparece.
1 = é perceptível, mas não interfere em suas atividades do dia-a-dia.
2 = afeta sua vida diária, mas consegue administrá-la.
3 = dificulta e até impede as atividades de sua vida diária.
4- Multiplique os valores anotados nas colunas Frq. e Int., e anote o resultado na coluna
Val. (Valor)
5- Em cada bloco de afirmações, some a coluna Val., anote o valor final na fórmula que
se segue, e complete o cálculo para cada um dos blocos de características. Aguarde instruções
posteriores para ver o que fazer com o resultado obtido na fórmula.

1. AB
Item Característica Frq. Int. Val.
001 Eu me preocupo com a possibilidade de as pessoas que amo mor-
rerem, mesmo que haja poucas razões médicas para confirmar
minhas preocupações.

Gilson A. Pinho “informar, Formar, Transformar” 1


Frq: 0 = não se aplica / 1 = poucas vezes se aplica / 2 = algumas vezes se aplica
3 = muitas vezes se aplica / 4= geralmente se aplica / 5 = sempre se aplica
Int: 0 = não aparece / 1 = não interfere / 2 = afeta, mas é administrável / 3 = dificulta sua vida
Item Característica Frq. Int. Val.
002 Percebo que me agarro às pessoas com as quais tenho intimidade,
porque tenho medo que elas me deixem.
003 Eu me preocupo com a possibilidade de as pessoas de quem eu
gosto me deixarem ou me abandonarem.
004 Sinto que me falta uma base estável de apoio emocional.
005 Não espero que os relacionamentos importantes durem, pois
acredito que eles vão terminar.
006 Sinto que me apego a parceiros/as que não são capazes de se
comprometerem comigo.
007 No final, sinto acabarei só.
008 Quando sinto que alguém com que me importo está se afastando,
fico desesperado/a.
009 Às vezes, tenho tanto medo de que as pessoas me deixem, que
acabo fazendo com que se afastem.
010 Fico incomodado quando alguém me deixa sozinho/a, mesmo que
por pouco tempo.
011 Não posso esperar que as pessoas que me apoiam estejam sem-
pre disponíveis.
012 Não devo ficar realmente intimo das pessoas, porque não posso
ter certeza de que poderei sempre contar com elas.
013 Parece que as pessoas importantes da minha vida estão sempre
indo e vindo.
014 Tenho muito medo que as pessoas que eu amo, encontrem al-
guém que vão preferir e me deixem.
015 As pessoas que me são próximas têm sido muito imprevisíveis,
ora são legais e disponíveis, ora estão zangadas e chateadas ab-
sorvidas em si mesmas, brigando e assim por diante.
016 Preciso tanto das pessoas que tenho medo de perdê-las.
017 Eu me sinto indefeso/a se não tiver pessoas para me proteger, as
quais eu me preocupo muito em perdê-las.
018 Não posso ser eu mesmo/a ou expressar o que realmente sinto,
pois sei que as pessoas me deixariam.
X 10
AB = =
270

2. DA
Item Característica Frq. Int. Val.
019 Sinto que as pessoas querem tirar vantagem de mim.
020 Frequentemente, sinto que tenho que me proteger dos outros.
021 Sinto que não posso baixar a guarda na presença de outros, pois
eles me prejudicariam intencionalmente.
022 Se uma pessoa é legal comigo, fico imaginando que ela está que-
rendo alguma coisa.
2 “informar, Formar, Transformar” Gilson A. Pinho
Frq: 0 = não se aplica / 1 = poucas vezes se aplica / 2 = algumas vezes se aplica
3 = muitas vezes se aplica / 4= geralmente se aplica / 5 = sempre se aplica
Int: 0 = não aparece / 1 = não interfere / 2 = afeta, mas é administrável / 3 = dificulta sua vida
Item Característica Frq. Int. Val.
023 Só uma questão de tempo antes que as pessoas me traiam.
024 A maioria das pessoas só pensa em si mesma
025 Tenho grande dificuldade em confiar nas pessoas.
026 Desconfio muito dos motivos dos outros.
027 As outras pessoas raramente são honestas, elas geralmente não
são o que parecem.
028 Eu geralmente fico procurando os motivos escondidos das pesso-
as.
029 Se acho que alguém quer me prejudicar, tento prejudicá-lo/a pri-
meiro.
030 As pessoas têm de provar coisas para mim antes que eu confie ne-
las.
031 Invento “testes” para as pessoas para ver se elas estão me dizen-
do a verdade e se estão bem-intencionadas.
032 Acredito no ditado “Quem não controla é controlado”.
033 Fico com raiva quando penso que fui maltratado/a pelas pessoas
durante toda a minha vida.
034 Por toda a minha vida, as pessoas que me eram próximas, tiraram
vantagens de mim ou me usaram para seus propósitos.
035 Fui abusado/a fisicamente, emocionalmente ou sexualmente por
pessoas que eram importantes na minha vida.
X 10
DA = =
255

3. PE
Item Característica Frq. Int. Val.
036 As pessoas não conseguem satisfazer as minhas necessidades
emocionais.
037 Eu não recebi amor e atenção.
038 De modo geral, não tenho ninguém para me dar conselhos e
apoio emocional.
039 A maior parte do tempo, não tenho ninguém para me dar carinho,
compartilhar comigo e se importar profundamente com o que
acontece.
040 Eu não tive ninguém que quisesse se aproximar e passar bastante
tempo comigo em grande parte da minha vida.
041 Em geral não havia pessoas para me dar carinho, segurança e
afeição.
042 Eu não senti que era especial para alguém, em grande parte da
minha vida.
043 Em geral não tenho ninguém que realmente me escute, me com-
preenda ou esteja sintonizado com as minhas verdadeiras neces-
sidades e sentimentos.
Gilson A. Pinho “informar, Formar, Transformar” 3
Frq: 0 = não se aplica / 1 = poucas vezes se aplica / 2 = algumas vezes se aplica
3 = muitas vezes se aplica / 4= geralmente se aplica / 5 = sempre se aplica
Int: 0 = não aparece / 1 = não interfere / 2 = afeta, mas é administrável / 3 = dificulta sua vida
Item Característica Frq. Int. Val.
044 Eu raramente tenho alguma pessoa forte para me dar bons conse-
lhos ou orientação quando não tenho certeza do que fazer.
X 10
PE = =
135

4. DV
Item Característica Frq. Int. Val.
045 Ninguém que eu desejar vai me amar depois de saber dos meus
defeitos.
046 Ninguém que eu desejar vai querer ficar perto de mim depois de
conhecer o meu verdadeiro eu.
047 Por mais que eu tente, sinto que não conseguirei ser uma pessoa
significativa, que me autorrespeite ou sinta que eu tenho valor.
048 Sou inerentemente defeituoso/a e cheio/a de falhas.
049 Não sou digno/a do amor, da atenção e do respeito dos outros.
050 Sinto que não mereço ser amado/a.
051 Sou inaceitável demais, de todas as maneiras possíveis, para me
revelar aos outros.
052 Se as pessoas descobrissem meus defeitos básicos, eu não conse-
guiria encará-las.
053 Quando as pessoas gostam de mim, sinto que as estou enganan-
do.
054 Frequentemente, sou atraído/a por pessoas que são muito críti-
cas ou me rejeitam.
055 Tenho segredos que não quero que as pessoas próximas a mim
descubram.
056 Foi por minha culpa que meus pais não conseguiram se amar o su-
ficiente.
057 Nunca deixo que as pessoas conheçam meu verdadeiro eu.
058 Um dos meus maiores medos é que meus defeitos sejam expos-
tos.
059 Não posso compreender como ninguém conseguiu me amar.
X 10
DV = =
225

5. IA
Item Característica Frq. Int. Val.
060 Eu não me encaixo.
061 Sou profundamente diferente das outras pessoas.
062 Eu não pertenço a ninguém, sou uma pessoa solitária.
063 Sinto-me alienado/a das outras pessoas.
4 “informar, Formar, Transformar” Gilson A. Pinho
Frq: 0 = não se aplica / 1 = poucas vezes se aplica / 2 = algumas vezes se aplica
3 = muitas vezes se aplica / 4= geralmente se aplica / 5 = sempre se aplica
Int: 0 = não aparece / 1 = não interfere / 2 = afeta, mas é administrável / 3 = dificulta sua vida
Item Característica Frq. Int. Val.
064 Eu me sinto isolado/a e sozinho/a.
065 Sempre me sinto excluído/a dos grupos.
066 Ninguém me entende realmente.
067 A minha família sempre foi diferente das outras famílias mais pró-
ximas.
068 Às vezes, eu me sinto um/a alienígena.
069 Se eu desaparecesse amanhã, ninguém perceberia.
070 Não sou sexualmente atraente.
071 Sou gordo/a demais.
072 Sou feio/a.
073 Sou incapaz de manter uma conversa decente.
074 Sou chato/a e desinteressante em situações sociais.
075 As pessoas que eu valorizo não iriam querer se associar a mim de-
vido ao meu status social (por exemplo, renda, nível de instrução,
profissão).
076 Nunca sei o que dizer socialmente.
077 As pessoas não querem me incluir em seus grupos.
078 Fico muito inibido/a perto das outras pessoas.
X 10
IA = =
285

6. DI
Item Característica Frq. Int. Val.
079 Não me sinto capaz de me arranjar sozinho/a no dia-a-dia.
080 Preciso que outras pessoas me ajudem fazer as coisas.
081 Não me sinto capaz de manejar bem as situações sem ajuda.
082 Acredito que as pessoas podem cuidar de mim melhor do que eu
mesmo/a.
083 Tenho dificuldade em lidar com as tarefas novas fora do trabalho,
a menos que tenha alguém para me orientar.
084 Penso em mim como uma pessoa dependente, no que se refere a
funcionamento cotidiano.
085 Acabo estragando tudo o que tento fazer, mesmo fora do traba-
lho (ou da escola).
086 Sou incapaz em quase todas as áreas da vida.
087 Se eu confiar no meu próprio julgamento nas situações do dia-a-
dia tomarei a decisão errada.
088 Falta-me bom senso.
089 Não se pode confiar em meu julgamento nas situações do dia-a-
dia.
090 Não confio em minha capacidade de resolver os problemas que
surgem no cotidiano.

Gilson A. Pinho “informar, Formar, Transformar” 5


Frq: 0 = não se aplica / 1 = poucas vezes se aplica / 2 = algumas vezes se aplica
3 = muitas vezes se aplica / 4= geralmente se aplica / 5 = sempre se aplica
Int: 0 = não aparece / 1 = não interfere / 2 = afeta, mas é administrável / 3 = dificulta sua vida
Item Característica Frq. Int. Val.
091 Sinto que preciso de alguém em que eu possa confiar para me dar
conselhos sobre questões práticas.
092 Sinto-me mais como uma criança do que como um adulto quando
é preciso assumir responsabilidades do cotidiano.
093 Acho esmagadoras as responsabilidades do dia-a-dia.
X 10
DI = =
225

7. VD
Item Característica Frq. Int. Val.
094 Não consigo deixar de sentir que algo ruim vai acontecer.
095 Sinto que algum desastre (natural, criminal, financeiro, médico)
vai acontecer a qualquer momento.
096 Tenho medo de me tornar um/a sem teto ou um/a vadio/a.
097 Tenho medo de ser atacado/a por alguém.
098 Sinto que devo ter muito cuidado com o dinheiro, ou acabarei
sem nada.
099 Tomo muitas precauções para não adoecer e nem me machucar.
100 Tenho medo de perder todo o meu dinheiro e bens, e ficar pobre.
101 Tenho medo de pegar uma doença séria, mesmo que nada de sé-
rio tenha sido diagnosticado pelos médicos.
102 Sou uma pessoa medrosa.
103 Eu me preocupo muito com todas as coisas horríveis que aconte-
cem no mundo: crime, poluição e assim por diante.
104 Muitas vezes, acho que posso enlouquecer.
105 Sinto, frequentemente, que vou ter um ataque de ansiedade.
106 Tenho muito medo de ter um ataque cardíaco, embora haja pou-
cas razões médicas que justifiquem minha preocupação.
107 Acho que o mundo é um lugar perigoso.
X 10
VD = =
210

8. EM
Item Característica Frq. Int. Val.
108 Não consegui me emancipar de meu pai, mãe, ou de ambos, as-
sim como as outras pessoas de minha idade parecem ter conse-
guido.
109 É muito difícil para meu pai/mãe, ou ambos, e eu escondermos
detalhes íntimos uns dos outros sem nos sentirmos traídos ou
culpados.

6 “informar, Formar, Transformar” Gilson A. Pinho


Frq: 0 = não se aplica / 1 = poucas vezes se aplica / 2 = algumas vezes se aplica
3 = muitas vezes se aplica / 4= geralmente se aplica / 5 = sempre se aplica
Int: 0 = não aparece / 1 = não interfere / 2 = afeta, mas é administrável / 3 = dificulta sua vida
Item Característica Frq. Int. Val.
110 Meu pai/mãe, ou ambos, e eu tendemos a nos envolver excessi-
vamente com a vida e com os problemas uns dos outros.
111 Meu pai/mãe, ou ambos, temos que nos falar quase todos os dias,
ou um de nós se sente culpado, magoado, desapontado ou sozi-
nho.
112 Muitas vezes sinto que não tenho uma identidade separada da de
meus pais ou parceiro/a.
113 Muitas vezes me parece que meus pais estão vivendo por inter-
médio de mim – eu não tenho vida própria.
114 É muito difícil para eu manter alguma distância das pessoas de
quem sou íntimo/a; não é fácil para eu ter um senso independen-
te de mim mesmo/a.
115 Estou tão envolvido/a com meu/minha parceiro/a ou com meus
pais que não sei realmente quem sou, ou o que quero.
116 Tenho dificuldade em separar o meu ponto de vista, ou opinião,
do de meus pais ou parceiro/a.
117 Sinto que não tenho privacidade alguma no que se refere aos
meus pais ou parceiro/a.
118 Sinto que meus pais estão, ou ficariam, muito magoados por eu
for morar sozinho/a, longe deles.
X 10
EM = =
165

9. FR
Item Característica Frq. Int. Val.
119 Quase nada que eu faço no trabalho (ou na escola) é tão bom
quanto o que os outros fazem.
120 Sou incompetente no que se refere às realizações pessoais.
121 A maioria das pessoas é mais capaz que eu no trabalho, e em suas
realizações.
122 Sou um fracasso.
123 Não tenho tanto talento quanto a maioria das pessoas tem em
sua profissão e outras atividades.
124 Não sou inteligente quanto à maioria das pessoas no que se refe-
re a trabalho (ou estudo).
125 Sinto-me humilhado/a por meus fracassos e inadequações na es-
fera do trabalho.
126 Frequentemente me sinto mais embaraçado/a perto das pessoas
porque não estou a altura delas em termos de realizações.
127 Muitas vezes comparo minhas realizações com as dos outros, e
acho que eles são mais bem-sucedidos que eu.
X 10
FR = =
135

Gilson A. Pinho “informar, Formar, Transformar” 7


Frq: 0 = não se aplica / 1 = poucas vezes se aplica / 2 = algumas vezes se aplica
3 = muitas vezes se aplica / 4= geralmente se aplica / 5 = sempre se aplica
Int: 0 = não aparece / 1 = não interfere / 2 = afeta, mas é administrável / 3 = dificulta sua vida
10. ME
Item Característica Frq. Int. Val.
128 Tenho muita dificuldade em aceitar um “não” como resposta
quando quero alguma coisa de alguém.
129 Geralmente me zango ou me irrito, quando não consigo aquilo
que quero.
130 Sou especial e não deveria ter que aceitar muitas restrições im-
postas às outras pessoas.
131 Detesto ser obrigado a fazer alguma coisa, ou impedido/a de fazer
o que quero.
132 Acho que não deveria ter que obedecer às regras e convenções
normais assim como os outros.
133 Sinto que aquilo que tenho a oferecer é muito mais valioso do
que as contribuições dos outros.
134 Geralmente coloca as minhas necessidades acima das necessida-
des dos outros.
135 Muitas vezes sinto que estou tão envolvido/a com minhas priori-
dades que não tenho tempo para os amigos ou a família.
136 As pessoas frequentemente me dizem que sou muito controla-
dor/a em relação às coisas que devem ser feitas.
137 Fico muito irritado/a quando as pessoas não fazem o que eu lhes
peço.
138 Não tolero que as pessoas me digam o que fazer.
X 10
ME = =
165

11. AI
Item Característica Frq. Int. Val.
139 Tenho grande dificuldade para deixar de beber, fumar, comer
demais e modificar outros comportamentos problemáticos.
140 Depois que começo a sentir raiva, é comum não conseguir contro-
lá-la.
141 Parece que não consigo me disciplinar e levar até o fim as tarefas
rotineiras ou chatas.
142 Muitas vezes, me permito obedecer a impulsos e expressar emo-
ções que me trazem problemas ou machucam as pessoas.
143 Quando não consigo atingir algum objetivo, facilmente me sinto
frustrado/a e desisto.
144 Para mim é muito difícil sacrificar uma gratificação imediata para
atingir um objetivo em longo prazo.
145 Tendo a fazer muitas coisas em excesso, mesmo sabendo que isso
não é bom para mim.
146 Eu me aborreço muito facilmente por qualquer motivo.

8 “informar, Formar, Transformar” Gilson A. Pinho


Frq: 0 = não se aplica / 1 = poucas vezes se aplica / 2 = algumas vezes se aplica
3 = muitas vezes se aplica / 4= geralmente se aplica / 5 = sempre se aplica
Int: 0 = não aparece / 1 = não interfere / 2 = afeta, mas é administrável / 3 = dificulta sua vida
Item Característica Frq. Int. Val.
147 Quando as tarefas ficam difíceis, geralmente não condigo perse-
verar e concluí-las.
148 Não consigo me concentrar em nada por muito tempo.
149 Não consigo me obrigar a fazer as coisas que não gosto, mesmo
sabendo que seja para o meu próprio bem.
150 Perco a calma diante de ofensas, por mais insignificantes que se-
jam.
151 Raramente consigo cumprir minhas resoluções.
152 Quase nunca deixo de mostrar às pessoas o que realmente sinto,
seja qual for o custo disso.
153 Frequentemente faço coisas por impulso, que mais tarde lamen-
to.
X 10
AI = =
225

12. SB
Item Característica Frq. Int. Val.
154 Deixo as pessoas fazerem o que querem porque tenho medo das
consequências.
155 Acho que se eu fizer o que quero, só vou arranjar problemas.
156 Sinto que não tenho escolha além de ceder aos desejos das pes-
soas, ou elas vão me rejeitar ou me retaliar de alguma maneira.
157 Nos meus relacionamentos, deixo as outras pessoas terem o con-
trole.
158 Sempre deixei os outros escolherem por mim, de modo que não
sei realmente o que quero.
159 Sinto que as maiores decisões da minha vida não foram realmente
minhas.
160 Eu me preocupo muito em agradar os outros para que não me re-
jeitem.
161 Tenho grande dificuldade em exigir que meus direitos sejam res-
peitados e que meus sentimentos sejam levados em conta.
162 Eu me vingo das pessoas de maneira sutil, em vez de demonstrar
raiva.
163 Vou muito além do que a maioria das pessoas é capaz de ir para
evitar confrontações.
X 10
SB = =
150

Gilson A. Pinho “informar, Formar, Transformar” 9


Frq: 0 = não se aplica / 1 = poucas vezes se aplica / 2 = algumas vezes se aplica
3 = muitas vezes se aplica / 4= geralmente se aplica / 5 = sempre se aplica
Int: 0 = não aparece / 1 = não interfere / 2 = afeta, mas é administrável / 3 = dificulta sua vida
13. AS
Item Característica Frq. Int. Val.
164 Coloco as necessidades dos outros antes das minhas necessida-
des, ou me sinto culpado/a.
165 Sinto culpa quando desaponto as pessoas.
166 Dou mais às pessoas do que recebo delas.
167 Sou aquele/a que geralmente acaba cuidando das pessoas de
quem sou próximo/a.
168 Não há praticamente nada que eu não possa aceitar quando amo
alguém.
169 Sou uma boa pessoa, pois penso nos outros mais do que em mim
mesmo/a.
170 No trabalho, normalmente sou aquela/a que se apresenta como
voluntário/a para fazer tarefas extras, ou trabalhar mais tempo,
ou o trabalho que ninguém quer fazer.
171 Por mais ocupado/a que esteja, eu sempre arranjo tempo para os
outros.
172 Consigo me virar com muito pouco, porque as minhas necessida-
des são mínimas.
173 Só me sinto feliz quando aqueles que me cercam estão felizes.
174 Fico tão ocupado/a fazendo coisas para as pessoas de quem gosto
que tenho muito pouco tempo para mim.
175 Sempre fui aquele/a que escuta os problemas de todo mundo.
176 Fico mais à vontade dando um presente do que recebendo.
177 As pessoas sempre me veem fazendo demais pelos outros, e pou-
co por mim mesmo/a.
178 Por mais que eu dê algo, acho que nunca é o suficiente.
179 Se faço o que quero, eu me sinto muito mal.
180 É muito difícil para eu pedir aos outros que atendam as minhas
necessidades.
X 10
AS = =
255

14. AR
Item Característica Frq. Int. Val.
181 A aprovação, reconhecimento ou atenção de outras pessoas me
fazem sentir muito bem, e por isso sempre procuro mais e mais
disso.
182 Admito que minha autoestima depende principalmente das rea-
ções das demais pessoas, que das minhas próprias inclinações na-
turais.
183 A conquista de status, aparência, dinheiro e realizações é neces-
sária para que eu me sinta com maior aceitação pessoal.

10 “informar, Formar, Transformar” Gilson A. Pinho


Frq: 0 = não se aplica / 1 = poucas vezes se aplica / 2 = algumas vezes se aplica
3 = muitas vezes se aplica / 4= geralmente se aplica / 5 = sempre se aplica
Int: 0 = não aparece / 1 = não interfere / 2 = afeta, mas é administrável / 3 = dificulta sua vida
Item Característica Frq. Int. Val.
184 Muitas vezes dou ênfase exagerada em status, aparência, aceita-
ção social, dinheiro ou realizações como forma de obter aprova-
ção, admiração ou atenção.
185 Minha hipersensibilidade à rejeição faz com que muitas vezes eu
até ignore que pessoas não autênticas estejam me envolvendo.
186 Acho que se eu fizer o que quero posso desagradar todo mundo.
187 Deixo as pessoas fazerem o que querem porque assim elas vão
me achar uma pessoa legal.
188 Nos meus relacionamentos, crio um senso de dependência emo-
cional em relação ao outro.
189 As maiores decisões da minha vida sempre deixei os outros esco-
lherem por mim.
190 Eu me preocupo muito em agradar os outros para que eles me
aceitem.
191 Tenho grande dificuldade em expor meus direitos e sentimentos.
192 Prefiro levar desvantagem só para evitar confrontações.
193 Coloco as necessidades dos outros antes das minhas.
194 Sou capaz de assumir as responsabilidades e culpas das pessoas
de quem sou próximo/a.
195 Sinto uma carência afetiva enorme, e com a qual não sei lidar.
196 Sou sempre aquela pessoa que se apresenta como voluntária no
trabalho para fazer tarefas extras, ou fazer trabalhos que ninguém
quer fazer.
197 Sempre arranjo tempo para os outros, em detrimento das minhas
próprias necessidades.
198 Na realidade eu sei que manipulo as pessoas quando demonstro
que as amo e quero servi-las.
X 10
AR = =
270

15. NP
Item Característica Frq. Int. Val.
199 Em toda minha vida só vejo coisas negativas, como: sofrimento,
morte, perda, decepção, conflito, culpa, ressentimento, proble-
mas não resolvidos, erros potenciais, traição, algo que pode dar
errado etc.
200 Não consigo ver nada de positivo em mim, na minha vida e em
quase tudo que me proponha a fazer.
201 Sinto medo exagerado de cometer erros que podem me levar ao
colapso financeiro, perda, humilhação ou de me ver preso em al-
guma situação ruim.

Gilson A. Pinho “informar, Formar, Transformar” 11


Frq: 0 = não se aplica / 1 = poucas vezes se aplica / 2 = algumas vezes se aplica
3 = muitas vezes se aplica / 4= geralmente se aplica / 5 = sempre se aplica
Int: 0 = não aparece / 1 = não interfere / 2 = afeta, mas é administrável / 3 = dificulta sua vida
Item Característica Frq. Int. Val.
202 Vivo constantemente preocupado, em estado vigilância, queixas
ou indecisões mesmo sabendo que geralmente não há motivos
reais para isso.
203 Tenho medo de perder o controle de mim mesmo e de minhas
ações.
204 Sei que preciso controlar as minhas emoções, mas não consigo
por mais que me esforce.
205 Tenho muito medo em demonstrar sentimentos positivos em re-
lação aos outros (por exemplo: afeição, sinais de cuidado) e ser
rejeitado por eles.
206 Preciso cumprir ansiosamente todas as minhas responsabilidades
207 Meus relacionamentos são prejudicados porque eu canso as pes-
soas com meu constante pessimismo.
208 Minha saúde sofre por causa do meu pessimismo.
209 Sou dominado por um medo permanente de falhar em tudo que
faço, e acabo falhando justamente por causa desse medo.
X 10
NP = =
165

16. IE
Item Característica Frq. Int. Val.
210 Tenho medo de perder o controle de minhas ações.
211 Tenho medo de machucar as pessoas, física ou emocionalmente,
caso perca o controle da minha raiva.
212 Sinto que preciso controlar as minhas emoções e impulsos, ou al-
go de ruim pode acontecer.
213 Dentro de mim há muita raiva e ressentimento que eu não ex-
presso.
214 Tenho muita vergonha em demonstrar sentimentos positivos em
relação aos outros (por exemplo: afeição, sinais de cuidado).
215 Acho embaraçoso expressar meus sentimentos para os outros.
Item Característica Frq. Int. Val.
216 Tenho dificuldade em ser carinhoso/a e espontâneo/a.
217 Eu me controlo tanto que as pessoas acham que não sou emoti-
vo/a.
218 As pessoas me veem como emocionalmente contido/a.
X 10
IE = =
135

12 “informar, Formar, Transformar” Gilson A. Pinho


Frq: 0 = não se aplica / 1 = poucas vezes se aplica / 2 = algumas vezes se aplica
3 = muitas vezes se aplica / 4= geralmente se aplica / 5 = sempre se aplica
Int: 0 = não aparece / 1 = não interfere / 2 = afeta, mas é administrável / 3 = dificulta sua vida
17. PI
Item Característica Frq. Int. Val.
219 Preciso ser a/o melhor em tudo o que faço; não consigo aceitar fi-
car em segundo lugar.
220 Tento manter quase tudo em perfeita ordem.
221 Preciso causar a melhor impressão, praticamente o tempo todo.
222 Tento fazer o melhor; não consigo aceitar apenas o “suficiente-
mente bom”.
223 Tenho tantas coisas para fazer que quase não me sobra tempo
para relaxar.
224 Quase nada é bom o bastante; sempre posso fazer melhor ainda.
225 Preciso cumprir todas as minhas responsabilidades.
226 Sinto que existe uma pressão constante sobre mim para conquis-
tar e fazer as coisas.
227 Meus relacionamentos são prejudicados porque exijo demais de
mim.
228 Minha saúde sofre porque me pressiono demais para me sair bem
em tudo que faço.
229 Muitas vezes eu sacrifico prazer e felicidade para estar à altura
dos meus padrões.
230 Se cometo um erro, mereço ser muito criticado/a.
231 Não consigo me soltar ou me desculpar por meus erros com faci-
lidade.
232 Sou uma pessoa muito competitiva.
233 Dou muito valor a dinheiro e status.
234 Tenho que ser sempre o/a “número 1”, em termos de desempe-
nho.
X 10
PI = =
240

18. PP
Item Característica Frq. Int. Val.
235 Sou dominado pela crença de que mereço ser punido/a com seve-
ridade quando cometo erros.
236 Sinto raiva e impaciência das/com as pessoas que não correspon-
dem às expectativas, incluindo eu mesmo/a, e que tais pessoas
devem ser punidas quando falham.
237 Não consigo perdoar meus próprios erros, bem como das demais
pessoas, mesmo que haja circunstâncias atenuantes para os
mesmos.
238 Não consigo sentir empatia pelos sentimentos e imperfeições dos
outros.

Gilson A. Pinho “informar, Formar, Transformar” 13


Frq: 0 = não se aplica / 1 = poucas vezes se aplica / 2 = algumas vezes se aplica
3 = muitas vezes se aplica / 4= geralmente se aplica / 5 = sempre se aplica
Int: 0 = não aparece / 1 = não interfere / 2 = afeta, mas é administrável / 3 = dificulta sua vida
Item Característica Frq. Int. Val.
239 Não sinto medo de machucar as pessoas, física ou emocionalmen-
te, caso elas mereçam ser punidas.
240 Dentro de mim há muita raiva e ressentimento que eu nem sem-
pre consigo evitar que sejam expressos.
241 Tenho dificuldade em ser carinhoso/a e espontâneo/a até mesmo
com as pessoas mais chegadas a mim.
242 Muitas vezes eu não me controlo e acabo falando o que poderia
ter evitado, pois sei que isso poderá magoar outras pessoas.
243 As pessoas me veem como alguém emocionalmente instável.
244 Preciso ser a/o melhor em tudo o que faço, pois assim posso co-
brar o desempenho dos outros.
245 Sou muito rígido e perfeccionista, e tento manter quase tudo em
perfeita ordem.
246 Tento fazer o melhor; não consigo aceitar o “suficientemente
bom” nem de mim mesmo, quanto mais dos outros.
247 Nunca tenho tempo para relaxar.
248 Quase nada é bom o bastante; sempre posso fazer melhor, e os
demais também devem fazer o mesmo.
249 Preciso cumprir todas as minhas responsabilidades, e os demais
também devem pensar assim.
250 Meus relacionamentos são prejudicados porque exijo demais de
mim e dos outros.
251 Se cometo um erro, mereço ser muito criticado/a.
X 10
PP = =
255

14 “informar, Formar, Transformar” Gilson A. Pinho


IEMDY - Inventário de Esquemas Mentais Desadaptativos de Youn

Resultado
Transfira o valor de cada fórmula para a coluna Valor da tabela dos domínios e EIDs logo
abaixo, e identifique na coluna Clas. seus principais esquemas mentais (maiores escores).

Tabela dos domínios e esquemas iniciais desadaptativos

Domínio Esquema inicial desadaptativo (EID) Valor Clas.


Desconexão 1. Abandono e/ou instabilidade AB =
e rejeição
2. Desconfiança e abuso DA =
3. Privação emocional PE =
4. Defectividade e vergonha DV =
5. Isolamento e indejabilidade social e alienação IA =
Autonomia e 6. Dependência e incompetência DI =
desempenho
7. Vulnerabilidade a danos e doenças VD =
prejudicados
8. Emaranhamento e self subdesenvolvido EM =
9. Fracasso FR =
Limites pre- 10. Merecimento, arrogo e grandiosidade ME =
judicados
11. Autocontrole e autodisciplina insuficientes AI =
Direciona- 12. Subjugação e submissão ao controle de outro SB =
mento ou
13. Autossacrifício AS =
orientação
para o outro 14. Busca de aprovação e de reconhecimento AR =
Supervigilân- 15. Negativismo e pessimismo NP =
cia e inibição
16. Inibição emocional IE =
17. Padrões inflexíveis e postura crítica exagerada PI =
18. Postura punitiva PP =

1. Domínio de desconexão e rejeição


Expectativa de que as necessidades de ter proteção, segurança, estabilidade, cuidado e
empatia, de compartilhar sentimentos e de ser aceito e respeitado não serão satisfeitas de ma-
neira previsível.
A origem familiar típica é distante, fria, rejeitadora, refreadora, solitária, impaciente,
imprevisível e abusiva.

Gilson A. Pinho “informar, Formar, Transformar” 15


IEMDY - Inventário de Esquemas Mentais Desadaptativos de Youn

1. AB = Abandono e/ou instabilidade


Percepção de que os outros com quem poderia se relacionar são instáveis e indignos de
confiança.
Envolve a sensação de que pessoas importantes não serão capazes de continuar propor-
cionando apoio emocional, ligação, força ou proteção prática porque (1) seriam emocionalmen-
te instáveis e imprevisíveis (por exemplo, têm ataques de raiva), (2) não mereceriam confiança,
ou (3) só estariam presentes de forma errática.
Porque morreriam a qualquer momento, ou iriam abandoná-lo por outra pessoa me-
lhor.

2. DA = Desconfiança e abuso
Expectativa de que os outros irão machucar, abusar, humilhar, enganar, mentir, manipu-
lar ou aproveitar-se.
Geralmente, envolve a percepção de que o prejuízo é intencional ou resultado de negli-
gência injustificada ou extrema.
Pode incluir a sensação de que sempre se acaba sendo enganado por outros ou “levan-
do a pior”.

3. PE = Privação emocional
Expectativa de que o desejo de ter um grau adequado de apoio emocional não será sa-
tisfeito adequadamente pelos outros.
As três formas mais importantes de privação são:
a) Privação de cuidados: ausência de atenção, afeto, carinho ou companheirismo.
b) Privação de empatia: ausência de compreensão, de escuta, de uma postura aberta ou
de compartilhamento mútuo de sentimentos.
c) Privação de proteção: ausência de força, direção ou orientação por parte de outros.

4. DV = Defectividade e vergonha
Sentimento de que é defectivo (defeituoso), falho, mau, indesejado, inferior ou inválido
em aspectos importantes, ou de não merecer o amor de pessoas importantes quando está em
contato com elas.
Pode envolver hipersensibilidade à crítica, rejeição e postura acusatória; constrangimen-
to, comparações e insegurança quando se está junto de outros, ou vergonha dos defeitos per-
cebidos.
Essas falhas podem ser:
• Privadas (como egoísmo, impulsos de raiva, desejos sexuais inaceitáveis), ou
• Públicas (como aparência física indesejável, inadequação social).

5. IA = Isolamento e indesejabilidade social e alienação


Sentimento de que se está isolado do resto do mundo, de que se é diferente das outras

16 “informar, Formar, Transformar” Gilson A. Pinho


IEMDY - Inventário de Esquemas Mentais Desadaptativos de Youn

pessoas e/ou de não pertencer a qualquer grupo ou comunidade.


Com o tempo a pessoa tende a se alienar socialmente, tornando-se isolada e apática;
outras vezes torna-se antissocial.

2. Domínio de autonomia e desempenho prejudicados


Expectativas, sobre si mesmo e sobre o ambiente, que interferem na própria percepção
da capacidade de se separar, sobreviver, funcionar de forma independente ou ter bom desem-
penho.
A família de origem costuma ter funcionamento emaranhado, solapando a confiança da
criança, superprotegendo ou não estimulando a criança para que tenha um desempenho com-
petente extrafamiliar.

6. DI = Dependência e incompetência
Crença de que se é incapaz de dar conta das responsabilidades cotidianas de forma
competente sem considerável ajuda alheia (por exemplo, cuidar de si mesmo, resolver proble-
mas do dia-a-dia, exercer a capacidade de discernimento, cumprir novas tarefas, tomar deci-
sões adequadas).
Com frequência, apresenta-se como desamparo.

7. VD = Vulnerabilidade a danos e doenças


Medo exagerado de que uma catástrofe iminente cairá sobre si a qualquer momento e
de que não há como a impedir. O medo se dirige a um ou mais dos seguintes:
a) catástrofes em termos de saúde (ataques do coração, AIDS etc.);
b) catástrofes emocionais (enlouquecer, por exemplo);
c) catástrofes externas (queda de elevadores, ataques criminosos, desastres de avião,
terremotos).

8. EM = Emaranhamento e self subdesenvolvido


Envolvimento emocional e intimidade em excesso com uma ou mais pessoas importan-
tes (com frequência, os pais), dificultando a individuação integral e desenvolvimento social
normal.
Muitas vezes, envolve a crença de que ao menos um dos indivíduos emaranhados não
consegue sobreviver ou ser feliz sem o apoio constante do outro.
Pode também incluir sentimentos de ser sufocado ou fundido com outras pessoas e de
não ter uma identidade individual suficiente.
Com frequência, é vivenciado como sentimento de vazio e fracasso totais, de não haver
direção e, em casos extremos, de questionar a própria existência.

9. FR = Fracasso
Crença de que fracassou, de que fracassará inevitavelmente ou de que é inadequado em
relação aos colegas em conquistas (escola, trabalho, esportes etc.).
Gilson A. Pinho “informar, Formar, Transformar” 17
IEMDY - Inventário de Esquemas Mentais Desadaptativos de Youn

Costuma envolver a crença de que é burro, inepto, sem talento, inferior, menos exitoso
do que os outros, e assim por diante.

3. Domínio de limites prejudicados


Deficiência em limites internos, responsabilidade para com outros indivíduos ou orien-
tação para objetivos de longo prazo. Leva a dificuldades de respeitar os direitos alheios, coope-
rar com outros, estabelecer compromissos ou definir e cumprir objetivos pessoais realistas.
A origem familiar típica se caracteriza por permissividade, excesso de tolerância, falta de
orientação ou sensação de superioridade, em lugar de confrontação, disciplina e limites ade-
quados em relação a assumir responsabilidades, cooperar de forma recíproca e definir objeti-
vos. Em alguns casos, a criança pode não ter sido estimulada a tolerar níveis normais de des-
conforto e nem ter recebido supervisão, direção ou orientação adequadas.

10. ME = Merecimento, arrogo e grandiosidade


Crença de que é superior a outras pessoas, de que tem direitos e privilégios especiais,
ou de que não está sujeito às regras de reciprocidade que guiam a interação social normal.
Envolve a insistência de que deveria poder fazer tudo o que se queira, independente-
mente da realidade, do que outros consideram razoável ou do custo a outras pessoas. Tem a
ver com o foco exagerado na superioridade (estar entre os mais bem-sucedidos, famosos, ricos)
para atingir poder ou controle (e não principalmente para obter atenção ou aprovação).
Às vezes, inclui competitividade excessiva ou dominação em relação a outros: afirmar o
próprio poder, forçar o próprio ponto de vista ou controlar o comportamento de outros segun-
do os próprios desejos, sem empatia ou preocupação com as necessidades ou desejos dos ou-
tros.

11. AI = Autocontrole e autodisciplina insuficientes


Dificuldade ou recusa a exercer autocontrole e tolerância à frustração com relação aos
próprios objetivos ou a limitar a expressão excessiva das próprias emoções e impulsos.
Em sua forma mais leve, o paciente apresenta ênfase exagerada na evitação de descon-
forto: evitando dor, conflito, confrontação e responsabilidade, à custa da realização pessoal,
comprometimento ou integridade.

4. Domínio de direcionamento ou orientação para o outro


Foco excessivo nos desejos, sentimentos e solicitações dos outros, à custa das próprias
necessidades, para obter aprovação, manter o senso de conexão e evitar retaliação. Geralmen-
te, envolve a supressão e a falta de consciência com relação à própria raiva e às próprias incli-
nações naturais.
A origem familiar típica caracteriza-se pela aceitação condicional: as crianças devem su-
primir importantes aspectos de si mesmas para receber amor, atenção e aprovação. Em muitas
famílias desse tipo, as necessidades emocionais e os desejos dos pais – ou sua aceitação social e
seu status – são valorizados mais do que as necessidades e sentimentos de cada filho.

18 “informar, Formar, Transformar” Gilson A. Pinho


IEMDY - Inventário de Esquemas Mentais Desadaptativos de Youn

12. SB = Subjugação e submissão ao controle de outro


Submissão excessiva ao controle dos outros por se sentir coagido, submetendo-se para
evitar a raiva, a retaliação e o abandono. Envolve a percepção de que os próprios desejos, opi-
niões e sentimentos não são válidos ou importantes para os outros. Apresenta-se como obedi-
ência excessiva, combinada com hipersensibilidade a sentir-se preso.
Costuma levar a aumento da raiva, manifestada em sintomas desadaptativos, como:
comportamento passivo-agressivo, explosões de descontrole, sintomas psicossomáticos, retira-
da do afeto, “atuação”, uso excessivo de álcool ou drogas.
As principais formas são:
a) Subjugação das necessidades: supressão das próprias preferências, decisões e dese-
jos.
b) Subjugação das emoções: supressão de emoções, principalmente a raiva.

13. AS = Autossacrifício
Foco excessivo no cumprimento voluntário das necessidades de outras pessoas em situ-
ações cotidianas, à custa da própria gratificação.
As razões mais comuns são: não causar sofrimento a outros, evitar culpa por se sentir
egoísta, ou manter a conexão com outros percebidos como carentes.
Muitas vezes, resulta de uma sensibilidade intensa ao sofrimento alheio.
Às vezes, leva a uma sensação de que as próprias necessidades não estão sendo ade-
quadamente satisfeitas e há ressentimento em relação àqueles que estão sendo cuidados (so-
brepõe-se ao conceito de codependência).

14. AR = Busca de aprovação e de reconhecimento


Ênfase excessiva na obtenção de aprovação, reconhecimento ou atenção de outras pes-
soas, ou no próprio enquadramento, à custa do desenvolvimento de um senso de self seguro e
verdadeiro. A autoestima depende principalmente das reações alheias, em lugar das próprias
inclinações naturais.
Por vezes, inclui uma ênfase exagerada em status, aparência, aceitação social, dinheiro
ou realizações como forma de obter aprovação, admiração ou atenção (não principalmente em
função de poder ou controle).
Com frequência, resulta em importantes decisões não autênticas nem satisfatórias, ou
em hipersensibilidade à rejeição.

5. Domínio de supervigilância e inibição


Ênfase excessiva na supressão dos próprios sentimentos, impulsos e escolhas espontâ-
neas, ou no cumprimento de regras e expectativas internalizadas e rígidas sobre desempenho e
comportamento ético, à custa da felicidade, autoexpressão, descuido com os relacionamentos
íntimos ou com a saúde.
A origem familiar típica é severa, exigente e, às vezes, punitiva: desempenho, dever,
perfeccionismo, cumprimento de normas, ocultação de emoções e evitação de erros predomi-

Gilson A. Pinho “informar, Formar, Transformar” 19


IEMDY - Inventário de Esquemas Mentais Desadaptativos de Youn

nam sobre o prazer, sobre a alegria e sobre o relaxamento. Geralmente, há pessimismo subja-
cente e preocupação de que as coisas desabarão se não houver vigilância e cuidado o tempo
todo.

15. NP = Negativismo e pessimismo


Foco generalizado, que dura toda a vida, nos aspectos negativos (sofrimento, morte,
perda, decepção, conflito, culpa, ressentimento, problemas não resolvidos, erros potenciais,
traição, algo que pode dar errado etc.), enquanto se minimizam ou negligenciam os aspectos
positivos ou otimistas.
Costuma incluir uma expectativa exagerada – em uma ampla gama de situações profis-
sionais, financeiras ou interpessoais – de que algo vai acabar dando muito errado, ou, que as-
pectos da própria vida que parecem ir muito bem acabarão por desabar. Envolve um medo
exagerado de cometer erros que podem levar a colapso financeiro, perda, humilhação ou a se
ver preso em uma situação ruim.
Como exageram os resultados negativos potenciais, essas pessoas costumam se caracte-
rizar por preocupação, vigilância, queixas ou indecisão crônicas.

16. IE = Inibição emocional


Inibição excessiva da ação, dos sentimentos ou da comunicação espontâneos, em geral
para evitar a desaprovação alheia, sentimentos de vergonha ou de perda de controle dos pró-
prios impulsos.
As áreas mais comuns da inibição envolvem:
a) inibição da raiva e da agressão;
b) inibição de impulsos positivos (por exemplo, alegria, afeto, excitação sexual, brinca-
deira);
c) dificuldade de expressar vulnerabilidade ou comunicar livremente seus sentimentos,
necessidades e assim por diante;
d) ênfase excessiva na racionalidade, ao mesmo tempo em que se desconsideram emo-
ções.

17. PI = Padrões inflexíveis e postura crítica exagerada


Crença subjacente de que se deve fazer um grande esforço para atingir elevados pa-
drões internalizados de comportamento e desempenho, via de regra para evitar críticas. Cos-
tuma resultar em sentimentos de pressão ou dificuldade de relaxar e em posturas críticas exa-
geradas com relação a si mesmo e a outros.
Deve envolver importante prejuízo do prazer, do relaxamento, da saúde, da autoestima,
da sensação de realização ou de relacionamentos satisfatórios.
Os padrões inflexíveis geralmente se apresentam como:
a) perfeccionismo, atenção exagerada a detalhes ou subestimação de quão bom é seu
desempenho em relação à norma;
b) regras rígidas e ideias de como as coisas “deveriam” ser em muitas áreas da vida, in-
cluindo preceitos morais, éticos, culturais e religiosos elevados, fora da realidade;
20 “informar, Formar, Transformar” Gilson A. Pinho
IEMDY - Inventário de Esquemas Mentais Desadaptativos de Youn

c) preocupação com tempo e eficiência, necessidade de fazer sempre mais do que se


faz.

18. PP = Postura punitiva


Crença de que as pessoas devem ser punidas com severidade quando cometem erros.
Envolve a tendência a estar com raiva e a ser intolerante, punitivo e impaciente com aqueles
(incluindo a si próprio) que não correspondem às suas expectativas ou padrões.
Via de regra, inclui dificuldades de perdoar os próprios erros, bem como os alheios, em
função de uma relutância a considerar circunstâncias atenuantes, permitir a imperfeição hu-
mana ou empatizar com sentimentos.

Gilson A. Pinho “informar, Formar, Transformar” 21


Relação entre esquemas mentais Transtornos de personalidade
desadaptativos e transtornos de

psi- coneurótica
10. Psicoinfantil
3. Esquizotípica

14. Dependen-
emoc. Instável

15. Neurótica/
8. Impulsiova/
5. Antissocial/

7. Borderline/

13. Obsessiva

16. Epiléptica
6. Histriônica

te/ sincrética
2. Esquizoide
personalidade

9. Narcisista

/anancática
12. Ansiosa
sociopatica

11. Passivo
4. Fanática
1. Panoide

agressivo
1 = mais frequentes

/imatura
limítrofe

/esquiva
2 = frequentes
3 = menos frequentes
1. Abandono e/ou instabilidade 2 3 1
2. Desconfiança e abuso 1 2 3 3 3 3 3
3. Privação emocional 3 3 1 2 3 3
4. Defectividade e vergonha 2 3 1 3 3 2 3 1
5. Isolamento e indejabilidade social
3 2 3 3 1 1 3 3 2
e alienação
6. Dependência e incompetência 2 1 3 3
Esquemas mentais desadaptativos

7. Vulnerabilidade a danos e doenças 3 1 3 3 3 3 3 3 3 2


8. Emaranhamento e self subdesen-
3 3 3 3 3 3 1 2
volvido
9. Fracasso 3 2 3 1 3 1 3
10. Merecimento, arrogo e grandio-
1 2 3 2 3 1 3 3
sidade
11. Autocontrole e autodisciplina in-
3 1 3 2 3 2 3 1 3
suficientes
12. Subjugação e submissão ao con-
2 3 1
trole de outro
13. Autossacrifício 1 3 3 2 3
14. Busca de aprovação e de reco-
3 3 3 1 3 2 3 3 2 3
nhecimento
15. Negativismo e pessimismo 3 1 3 2 3 2 3
16. Inibição emocional 3 2 1 3 3
17. Padrões inflexíveis e postura crí-
2 3 3 2 1 3
tica exagerada
18. Postura punitiva 2 2 3 1 3 2 3 3 3