Você está na página 1de 10

Proposta de teste de avaliação

Matemática A
11.O ANO DE ESCOLARIDADE

Duração: 90 minutos | Data:


Proposta de teste de avaliação

Caderno 1
(é permitido o uso de calculadora)

Na resposta aos itens de escolha múltipla, selecione a opção correta. Escreva, na folha de
respostas, o número do item e a letra que identificam a opção escolhida.

y
1. Na figura estão representadas, num plano munido de
um referencial ortonormado: r

 a circunferência de centro C definida pela equação

 x  3   y  1  20 ;
2 2
C

O x
 a reta r de equação 2 x  y  7  0 ;

 o ponto P, ponto da circunferência com abcissa P


1 e ordenada negativa.

1.1. Determine uma equação da reta s que passa no


ponto P e é perpendicular à reta r.

1.2. A reta s é tangente à circunferência? Justifique.

1.3. Determine a amplitude do ângulo APC , sendo o ponto A a imagem do ponto C na


reflexão de eixo Oy .

Apresente o resultado em graus, arredondado às décimas.

1.4. Seja  a inclinação da reta r, em radianos.

Qual é o valor de  , arredondado às centésimas?

(A) 2,03

(B) 4,25

(C) 1,11

(D) 2,19

2
Proposta de teste de avaliação

2. Na figura está representada uma circunferência de centro O e


raio r  0 , bem como uma corda AB . B

O arco correspondente à corda AB tem amplitude 2 , em r


π O 2
radianos, com 0    .
2 r
2.1. Mostre que a área do triângulo  ABC  é dada, A

em função de  , por A     r sin  cos  .


2

2.2. Justifique que a área do setor circular definido pelo ângulo AOB é dada por

S      r 2 e, usando a calculadora gráfica, determine o valor de  para o

qual a área deste setor circular é o dobro da área do triângulo  ABC  .

Na sua resposta deve:


 escrever a equação que traduz o problema;
 reproduzir o gráfico da função, ou os gráficos das funções, que tiver necessidade de
visualizar na calculadora, devidamente identificado(s), bem como o respetivo
referencial.
 indicar o valor de  , em radianos, com arredondamento às centésimas.

3. Na figura está representado o trapézio retângulo  ABCD  . D C


 
Sabe-se que AB  10 cm e AB  AD  40 .
Então, pode afirmar-se que:
A B
(A) BC  4 cm (B) BC  6 cm

(C) DC  6 cm (D) DC  4 cm

Fim do Caderno 1

COTAÇÕES (Caderno 1)
Item
Cotação (em pontos)
1.1. 1.2. 1.3. 1.4. 2.1. 2.2 3.
16 16 16 10 17 17 10 102

Formulário

3
Proposta de teste de avaliação

 r2 
Área de um setor circular: ( – amplitude, em radianos, do ângulo ao centro; r – raio)
2

Caderno 2
(não é permitido o uso de calculadora)

Na resposta aos itens de escolha múltipla, selecione a opção correta. Escreva, na folha de
respostas, o número do item e a letra que identificam a opção escolhida.

4. No intervalo  0, 2 , quantas soluções tem a equação tan x  cos x ?


(A) Nenhuma
(B) Duas
(C) Três
(D) Quatro

 x
5. Considere a função f , de domínio  , definidas por f  x   1  2sin   .
2

5.1. Prove que f é uma função periódica de período  .

5.2. Determina a expressão geral das soluções da equação f  x   f  2 x  .

5.3. Na figura está representada parte do gráfico da função f bem como o

triângulo  ABC  .
y

C
f

O A B 4π x

Sabe-se que:
 A e B são pontos de interseção do gráfico de f com o eixo das abcissas;
 a ordenada do ponto C é igual ao máximo de f .

Determine a área do triângulo  ABC  .

4
Proposta de teste de avaliação

6. Mostre que, para todos os valores reais de  para os quais a expressão tem significado,
cos sin  1
 
cos  sin  cos   sin  1  2sin 2 

7. Considere, para um certo número real a, diferente de zero, as retas r e s definidas num
referencial ortonormado xOy pelas equações:

r :  x, y    2,1  k  a,1  a  , k  

s : ax  y  1  0
Sabendo que as retas r e s são perpendiculares, qual é o valor de a?

(A) 2
(B) 1
(C) 1
(D) 2

8. Seja  a inclinação da reta r definida pala equação y  2 x  2 .


Qual é o valor de cos  ?
(A) 3

3
(B)
3
(C) 6

6
(D)
3

Fim da prova

COTAÇÕES (Caderno 2)

Item
Cotação (em pontos)
4 5 5 5 6 7 8
1 1. 1. 1. 1. 1. 1. 9
0TOTAL
7 7 (Caderno1
7 7 0 +0 82
Caderno2) 0

5
Proposta de teste de avaliação

Proposta de resolução
Caderno 1

C  3,1 é o centro da circunferência  x  3   y  1  20 .


2 2
1. y

r : 2 x  y  7  0  y  2 x  7 r

P  1, y  , com y  0 , é um ponto da circunferência.

P  1, y  pertence à circunferência  x  3   y  1  20 .


2 2
1.1. O x

 1  3   y  1  20 
2 2
P

 4   y  1  20   y  1  16 
2 2

 y  1  4  y  1  4 
 y  3  y  5

Como y  0 , temos P  1,  3 .

Declive da reta r : mr  2
1 1
Declive da reta s : ms   
mr 2

Como P  1,  3  s , vem

1 1 1 1 5
s: y 3  x  1  y  x   3  y  x 
2 2 2 2 2

1 5
s: y  x
2 2

1.2. C  3,1 e P  1,  3

3  1 4
Declive da reta CP: mCP    2
1  3 2
1
mCP  ms  2   1
2
Logo, como mCP  ms  1 , a reta s é perpendicular ao raio  CP  , no ponto P.
Portanto, a reta s é tangente à circunferência no ponto P .

6
Proposta de teste de avaliação

1.3. P  1,  3 , C  3,1 e A  3,1



PA  A  P   3,1   1,  3   4, 4 

PC  C  P   3,1   1,  3   2, 4 
 

  
cos PA, PC    PA  PC
PA  PC
 
PA  PC   4, 4    2, 4   8  16  8

PA  42  42  2  42  4 2

PC   2   42  4  16  20  4  5  2 5
2

 
cos  PA, PC  

   PA  PC 8 1
   
PA  PC 4 2 2 5 10



  
Se cos PA, PC 
1
   71,6º .
, então APC
10

1.4. mr  2
π 
tan   2     , π 
2 
  π  arctan  2 
  2,03 rad
Resposta: (A)

2. B

Seja M o ponto médio de  AB  .


r
2.1.
O M
Como o triângulo  ABO  é isósceles,  OM    AB  . 
r
Então, 
AOM  A

OM
 cos  OM  r cos
r
AM
 sin   AM  r sin 
r
AB  OM 2  AM  OM
A ABO    r sin   r cos 
2 2
A     r 2 sin  cos 

7
Proposta de teste de avaliação

 r2
2.2. A área do setor circular é dada por com   2 .
2
2 r 2
Logo, S       r2 .
2
Pretendemos resolver graficamente a equação
r 0
S     2  A      r 2  2r 2 sin  cos  

   2sin  cos     2sin  cos   0

Determinando, com recurso à calculadora, o zero da função y1  x  2sin x cos x , obteve-se o


resultado seguinte.
y

0,95 π x
O
2

A área do setor circular é o dobro da área do triângulo  ABC  para   0,95 rad .

3. Seja E a projeção ortogonal de D na reta AB . D C


 
Então AB  AD  AB  AE .
 
AB  AD  40  AB  AE  40  AB  10 cm

 10  AE  40  AE  4 A B
E

AE  EB  AB
4  EB  10  EB  6

DC  EB  6 cm
Resposta: (C)

Caderno 2
y
y  tan x

4. Esboçando, no intervalo  0, 2π , os gráficos das funções y  cos x

tan x e cos x , podemos concluir que a equação π x


O π 3π 2π
tan x  cos x 2 2

tem, neste intervalo, duas soluções.


Resposta: (B)

8
Proposta de teste de avaliação

5.
 x
5.1. f  x   1  2sin   ; Df  
2

Se x  D f , então x  4 D f , porque D f   .

 x  4   x  
f  x  4   1  2sin    1  2sin   
 2  2 2 

x 
 1  2sin   2   (A função seno é periódica de período 2 .)
2 

 x
 1  2sin    f  x 
2
x  D f , x  4 D f e f  x  4   f  x  .

Logo, f é uma função periódica de período  .

 x  2x 
5.2. f  x   f  2 x   1  2sin    1  2sin   
2  2 

 x  x
 2sin    2sin  x   sin    sin  x  
2 2
x x
  x  2kπ   π  x  2kπ , k   
2 2
 x  2 x  4kπ  x  2π  2 x  4kπ , k   
  x  4kπ  3 x  2π  4kπ , k   

2π 4kπ
 x  4kπ  x   , k 
3 3

5.3. As abcissas de A e B são os zeros de f em  0, 4π .

f  x   0  x   0, 4π 
y
 x x
 1  2sin      0, 2π  C
2 2 f

 x 1 x
 sin       0, 2π 
2 2 2
O A B 4π x
x π x π
   π 
2 6 2 6
2π 10π π 5π
x x x x
6 6 3 3
5π π 4π
AB   
3 3 3

9
Proposta de teste de avaliação

Máximo de f:
 x
Se x   , sin   toma todos os valores do intervalo  1,1 .
2

 x  x
1  sin    1  2  2sin    2 
2
  2

 x
 1  2  1  2sin    1  2  1  f  x   3
2

O máximo de f é igual a 3. Logo, a altura, h , do triângulo  ABC  é igual a 3.


3
AB  h 3 4π
A ABC      2π
2 2 2

cos sin 
6.  
cos  sin  cos   sin 
cos  cos   sin    sin   cos  sin  
 
 cos  sin    cos  sin  
cos 2   cos sin   sin  cos   sin 2 
 
cos 2   sin 2 
cos 2   sin 2  1
 
1  sin   sin  1  2sin 2 
2 2

7. s : ax  y  1  0  y  ax  1

O declive da reta s é igual a a. Logo, s   1, a  é um vetor diretor da reta s.

r   a,1  a  é um vetor diretor da reta r.
 
r e s são perpendiculares  r  s  0 
  a, 1  a    1, a   0  a   1  a  a  0 

 a  a  a 2  0  2a  a 2  0  a  2  a   0

Como a  0 , vem a  2 .
Resposta: (D)

π
8. tan   declive de r  tan   2 , 0    r : y  2x  2
2
1
 2 1 1 1
2
1  tan 2   1    3  cos 2  
cos 2  cos 
2
cos 
2
3
1 1 3
Como cos   0 , vem cos    
3 3 3
Resposta: (B)

10