Você está na página 1de 10

1

POTENCIAL DA PÁGINA WEB DO MOODLE PARA


PRODUÇÃO DE RECURSOS EDUCACIONAIS
HIPERMÍDIA1

Santa Maria – RS - 04/2012

Elena Maria Mallmann – UFSM – elena@nte.ufsm.br

Cláudia Smaniotto Barin – UFSM – claudiabarin@nte.ufsm.br

Rosiclei Aparecida Cavichioli Lauermann – UFSM – rcavich@nte.ufsm.br

Juliana Sales Jacques– UFSM – juliana@nte.ufsm.br

Categoria: C

Setor educacional 3

Classificação das Áreas de Pesquisa em EaD


Macro: D / Meso: H / Micro: M

Natureza: A

Classe: 1

RESUMO
Destacamos as potencialidades da ferramenta Página Web do Moodle para a
produção de recursos hipermídia. Os desafios para ampliar os níveis de
interatividade nos recursos educacionais são a fluência tecnológica e o
trabalho colaborativo mediado pelas tecnologias em rede. Por isso,
desenvolvemos pesquisa-ação em equipe multidisciplinar no processo de
elaboração de recursos educacionais, sistematizando fluxogramas de
produção com base em questionários de avaliação tipo survey, aplicados
durante etapas de capacitação de professores-pesquisadores. Os resultados,
organizados nos modos gráfico e descritivo, evidenciam que a contribuição da
produção de recursos educacionais hipermídia perpassa a ampliação dos
níveis de interatividade na Página Web do Moodle associada com páginas
externas como portfólios, periódicos e portais públicos e páginas internas,
especialmente, aos enunciados das atividades de estudo. Com base nesses
resultados, concluímos que o trabalho multidisciplinar precisa melhorar a
performance docente de modo a sustentar transposição didática com fluência
tecnológica, para que a interatividade dos recursos hipermídia promova
interação e colaboração mediada tecnologicamente, desafiando o estudante à
reflexão e tomada de decisões frente aos desafios propostos.

Palavras-chave: Fluência Tecnológica; Hipermídia; Página Web do


Moodle; Recursos Educacionais
2

Introdução

O avanço crescente da tecnologia no contexto educacional tem exigido


dos profissionais uma contundente mudança, sob pena dos recursos
educacionais tornarem-se obsoletos. Nesse cenário, nossa preocupação
temática tem como recorte os recursos educacionais, visto que são elementos
centrais na mediação das atividades de estudo, tanto na modalidade presencial
como na semipresencial ou a distância. A integração das tecnologias
educacionais no ensino superior está centrada nos Ambientes Virtuais de
Ensino-Aprendizagem (AVEA).O desafio imediato é a melhoria nos índices de
fluência tecnológica, para que se possa explorar cada vez mais o potencial
educacional (interatividade, interação e colaboração) das ferramentas.
Os AVEA com ferramentas que proporcionam a criação de recursos de
modo hipermidiático têm potencial tecnológico e educacional, pois propiciam a
programação de recursos (conteúdos) e acompanhamento dos estudantes,
bem como a flexibilização do conhecimento, respeitando a diversidade dos
sujeitos envolvidos no processo. Nosso propósito é analisar o potencial da
ferramenta Página Web do Moodle, para produção de recursos educacionais
capazes de apoiar o desenvolvimento de habilidades mentais e a aquisição de
conhecimentos científico-tecnológicos na realização das atividades de estudo.

Recursos educacionais em educação a distância

Segundo os Referenciais de Qualidade para a Modalidade de


Educação Superior a Distância,[1] “o material didático deve estar concebido de
acordo com os princípios epistemológicos, metodológicos e políticos
explicitados no projeto pedagógico”. O material didático, em consonância com
o projeto pedagógico do curso, deve desenvolver habilidades e competências
específicas, recorrendo a um conjunto diversificado de mídias. No caso em que
pesquisamos a potencialidade das ferramentas do Moodle para produção de
recursos educacionais hipermídia, preocupamo-nos, especialmente, com a
fluência tecnológica e pedagógica dos professores (performance docente). O
projeto pedagógico de um curso deve delinear as estratégias pedagógicas,
3

dentre elas, a mediação tecnológica prioritária. No entanto, a performance


docente é definidora da qualidade dos recursos educacionais utilizados nos
cursos,especialmente quando mediados pelas tecnologias. Ao implementar a
transposição didática, o professor seleciona e (re)elabora materiais que podem
potencializar a mediação pedagógica na modalidade a distância. A
transformação do saber sábio para o saber a ensinar[2] e, finalmente, para o
saber ensinado é responsabilidade do professor de acordo com o programa de
conteúdos de cada disciplina. No decorrer da transposição didática, surge um
movimento que advém de mudanças no "saber sábio" e se institucionaliza em
novos "objetos do saber" (recursos educacionais), exigindo o tratamento de
novos conteúdos, com a adoção de novas práticas de ensino (saber
efetivamente ensinado).
Nesse contexto, destacamos a importância de transpor os saberes
lançando mão das potencialidades hipermidiáticas, para propiciar ações
indutoras da interatividade, da interação e da autonomia. O design da maioria
dos materiais didáticos para a Educação a Distância (EaD) é baseado em
conexões do tipo informação-ação, que propiciam ao estudante a reflexão-ação
e a autonomia do aprendizado[3]. Ao passo que potencializa as interações e
(re)significações cognitivas, também amplia a complexidade do esforço de
transposição didática na elaboração do material didático hipermidiático. O
processo de elaboração de material didático para EaD comporta uma dinâmica
de transposição didática, que se sustenta na coletividade da autoria dentro de
equipes multidisciplinares. As interferências de cada um geram permanentes
ciclos de assimilação, acomodação e re-equilibrações nos textos produzidos a
muitas mãos[4]. Nosso ponto de problematização e análise é justamente para
compreender se a performance docente, nesse movimento de ação-reflexão-
ação, qualifica a seleção, a organização e a adaptação dos saberes a serem
ensinados, configurados nos recursos educacionais (Página Web do Moodle) e
atividades de estudo. O Moodle oferece um leque de opções para o
desenvolvimento/apresentação do material didático, que vai desde a
possibilidade de impressão do conteúdo até a não linearidade e potencialidade
hipermidiática das páginas web.
4

Recursos educacionais hipermídia

O planejamento para a produção do material didático para EaD não se


difere significativamente do material didático do ensino presencial
(normalmente pautado no material impresso) no que se refere à linguagem
clara, conteúdos organizados em unidades ou módulos, associação com
atividades, sínteses, resumos e destaques. O desenvolvimento do material
didático hipermídia, segundo Nobre[5], é mais complexo, no entanto, do que o
material para impresso, pois envolve além das etapas de planejamento,
construção, mediação e avaliação, as inúmeras possibilidades de combinação
e o benefício da interatividade, flexibilidade e dinamismo das tecnologias,
requerendo, dessa forma, maior cuidado na implementação.
Comparativamente ao livro-texto impresso ou mesmo aos arquivos fechados
como os de extensão pdf, os recursos educacionais hipermidiáticos
apresentam maiores níveis de potencialidade. A hipermídia é justamente o
acoplamento digital de diferentes mídias (textos, imagens, áudios,vídeos),
geralmente organizadas por hiperligações ou links, que geram como produtos
animações, simulações ou mesmo páginas web. Multimídia e hipertexto, nas
suas múltiplas linguagens (visual, sonora, textual), são acoplados de forma não
sequencial (não linear), por meio de sistemas informatizados. A integração
dessas mídias deve visar à complementariedade, pois quanto mais
diversificado for o material didático, mais próximo pode estar das diferentes
realidades dos educandos, possibilitando-lhes interatividade com o conteúdo e
construção do seu caminho de aprendizagem. “Como novo modo de leitura a
hipermídia determina questionamentos e exige quesitos especiais por parte da
autoria. A dimensão não linear não só determina uma nova lógica de narrativa,
mas também coloca em cheque a relação entre leitor e escritor” [6] .

Nesse sentido, o desafio docente é aproveitar as potencialidades da


hipermídia para promover a interatividade, no processo ensino-aprendizagem a
distância. Hiperlinks, animações, simulações, áudios e vídeos são essenciais
na mediação pedagógica, tendo em vista que são conectores da interatividade
e mantêm o estudante concentrado e motivado, o que, de fato, promove a
5

aprendizagem autônoma[7]. As retrospectivas históricas sobre o processo de


organização hipertextual e hipermídia destacam as contribuições de Vannevar
Bush, [9], em virtude das modelizações de organização do conhecimento com
referência aos processos mentais pautados no princípio das associações
cognitivas. A partir das proposições de Bush,[9] podemos estabelecer a
potencialidade hipermidiática dos recursos didático-pedagógicos a partir das
seguintes categorias (rede conceitual na Figura 1): 'velocidade de ação' (na
leitura e compreensão); 'seleção por associação', 'velocidade e flexibilidade',
'operação a distância', 'esquematização de ideias ou conceitos'.

Figura 1: características da hipermídia educacional

Em qualquer situação, tanto docente quanto discente, a integração de


recursos hipermídia exige o desenvolvimento de fluência tecnológica. Isso
significa ter competências, habilidades e desenvolvimento conceitual para
avaliar, distinguir, aprender e utilizar tecnologias conforme apropriado nas
atividades pessoais e profissionais[8]. Atributos tecnológicos, como a não
linearidade e a interatividade, são fatores fundamentais na mediação
pedagógica em educação a distância especialmente quando há preocupação
com a produção curricular pautada na fluência crítica e emancipatória.

Página Web do Moodle

O Modular Object Oriented Dynamic Learning Environment (Moodle) é


o AVEA utilizado na UAB/UFSM, caracterizando-se como software livre que
funciona na internet. Oferece suporte para ferramentas de atividades e
recursos, sendo uma delas a Página Web, sobre a qual sistematizamos
condições e contornos da produção escolar. A Página Web consiste em um
6

conjunto de páginas interligadas ativamente numa estrutura com hiperligações,


que auxilia a organização do conteúdo de modo flexível e complementar [10]. É
uma ferramenta que permite a produção de recursos educacionais hipermídia
em formulários de edição semelhantes aos editores de texto. As inserções
podem ser criadas no modo gráfico pelo editor, porém as informações são
codificadas e implementadas em formato html. As novas formas de pensar no
processo ensino-aprendizagem mediado pelas tecnologias, neste caso, pelos
recursos educacionais hipermídia elaborados na Página Web, precisam ser
operados pelo próprio caráter hipermídia que está na base da programação,
exibição e funcionamento da plataforma Moodle. Um exemplo disso, é a
possibilidade de visualização de várias páginas web em várias janelas, gerando
áreas de trabalho simultâneas. O formulário de programação da Página Web
do Moodle oferece possibilidades de formatação (cor, fonte, estilos,
alinhamentos do texto, links internos para arquivos/páginas no Moodle, links
externos, inserção de tabelas, figuras e equações). Além disso, podemos
configurar a abertura para Nova Janela com previsão, por exemplo, de
dimensionamento do tamanho de barra de rolagem, diretório de links, altura e
largura em pixels, barras de localização e ferramentas. A Página Web do
Moodle possibilita ao estudante gerar arquivo com extensão pdf do conteúdo
da referida página para download, leitura, impressão e estudo no modo offline.
Todo esse detalhamento de programação da Página Web do Moodle
permite-nos compreender que o pensamento de estruturação do conteúdo no
modo hipermídia é diferente do modo linear. Ao propor as hiperligações
internas ou externas, que podem ser para diferentes linguagens midiáticas, a
opção pela visualização na mesma ou em nova janela remete para decisões
didático-metodológicas do professor, no que se refere ao aumento dos níveis
de interatividade no recurso educacional. Hipermídia na elaboração de
recursos educacionais na Página Web do Moodle, implica, antes de mais nada,
flexibilidade cognitiva docente, ou seja, modos de planejamento e ação
educacional sustentados em conhecimentos técnicos e práticos da fluência
tecnológica, geradores, por sua vez, de conhecimentos emancipatórios.
7

Resultados de pesquisa survey: potencialidades dos recursos hipermídia

Ampliar os níveis de interatividade nos recursos educacionais é


considerado um desafio no âmbito do trabalho em equipes multidisciplinares.
Nesse sentido, o investimento em programas de capacitação contribui para
intensificar a fluência tecnológica necessária ao trabalho colaborativo mediado
pelas tecnologias em rede. Metodologicamente, desenvolvemos pesquisa-ação
em equipe multidisciplinar durante o processo de elaboração de recursos
educacionais, sistematizando fluxogramas de produção com base em
questionários de avaliação tipo survey (totalizando 40 questões), aplicados
especialmente nas etapas de capacitação de professores-pesquisadores da
UAB/UFSM em 2011. Selecionamos três perguntas, cujo foco remete à
potencialidade dos recursos hipermídia no processo ensino-aprendizagem: 1)
“Os recursos e atividades realizadas nos módulos da capacitação contribuem
para elaboração de material didático hipermidiático para o curso em que atuo
como professor-pesquisador?”; 2) “Os recursos e atividades auxiliam para
integração e convergência entre modalidades?”; 3) “Os conteúdos dos módulos
são relevantes para elaboração de material didático hipermidiático?”
Analisamos resultados, organizados nos modos gráfico (Figura 4) e descritivo,
evidenciando de que modo a contribuição da produção de recursos
educacionais hipermídia perpassa a ampliação dos níveis de interatividade na
Página Web do Moodle (associação de páginas com portfólios, periódicos,
portais públicos e enunciados das atividades de estudo). Na primeira questão,
mais de 50% dos participantes "concordam plenamente" que os recursos e
atividades da capacitação contribuem na elaboração de material didático
hipermidiático para o curso em que atuam como professores-pesquisadores e
menos de 10% “discordam parcialmente”.
Concordo plenamente
Concordo parcialmente
Não concordo-Nem Discordo
Discordo plenamente
Discordo completamente

Questão 1 Questão 10 Questão 21


8

Figura 4 - Resultados das questões 1, 10 e 21 da pesquisa de avaliação.

Em relação à potencialidade dos recursos educacionais e atividades na


integração e convergência das modalidades (questão 2), mais da metade dos
participantes “concorda totalmente” (61%) ou “parcialmente” (30%). A maioria
dos participantes revela que os módulos são relevantes para a produção de
material hipermídia no Moodle (questão 3). Na seção "Comentários e
sugestões" das pesquisas de avaliação, os participantes enfatizam que a
vivência concreta (com perfil de estudantes no Moodle) permite compreender o
potencial dos recursos hipermídia no ensino-aprendizagem mediado por
tecnologias em rede, como por exemplo:
A página web é um recurso/material didático de maior impacto nos processos
de ensinar e aprender, tendo em vista que pode conter a inserção de vídeos,
sonorizações, flashs, animações o que supera um “simples texto”. A forma de
ensinar e aprender, que está em questão, amplia as relações metodológicas
entre professores, estudantes e conhecimentos, criando dinâmicas mais
interativas. (Professor A).

De acordo com o depoimento, a produção de recursos na Página Web


do Moodle promove o desenvolvimento de conteúdos pautado em perspectivas
construtivistas de ensino-aprendizagem. Assim, o uso da Página Web do
Moodle, para criação e compartilhamento de recursos educacionais hipermídia,
implica novas formas de pensar e de aprender, configurando novas ecologias
cognitivas, de modo que os diferentes percursos sejam potencializadores de
cognição.
Esses resultados demonstram claramente que a fluência tecnológica
dos professores (autores de materiais didáticos) é condição para ampliar os
níveis de interatividade e, consequentemente, de interação colaborativa em
educação a distância. O fato dos professores-pesquisadores conhecerem as
ferramentas disponíveis no Moodle, compreenderem suas funcionalidades e
vislumbrarem possibilidades concretas de utilização e criação de novos
materiais e atividades tem mobilizado a convergência entre as modalidades na
UFSM. Esse resultado pode ser exemplificado nos registros escritos dos
professores-pesquisadores participantes das etapas de capacitação realizadas
em 2011 e 2012. Um professor comenta que ao utilizar o Moodle não
dependerá mais de “pasta no xerox”. Esse depoimento, na oportunidade da
9

pesquisa de avaliação survey como etapa final do curso de capacitação,


demonstra que a fluência tecnológica no Moodle estabeleceu as condições
políticas (autonomia), didáticas (competência) e éticas (desejo) necessárias
para que a performance docente esteja assentada em transposições didáticas
produtoras de hipermídia educacional. A "fila do xerox" é o ícone do processo
ensino-aprendizagem centrado no material impresso, enquanto a
potencialidade da produção e estudo de materiais hipermídia remete para
valorização do trabalho docente e motivação dos estudantes. Ou seja, a partir
de resultados de pesquisa-ação podemos delinear que a qualificação do ensino
público perpassa, necessariamente, pela ampliação dos níveis de interatividade
dos materiais didáticos nas modalidade presencial e a distância.

Considerações finais

O potencial de interação do processo ensino-aprendizagem, mediado


pelas tecnologias educacionais, pode ser estimado a partir da estruturação
teórica (conceitos curriculares) e técnico-prática (interativa, não linear, flexível,
veloz e associativa) dos materiais didáticos hipermídia (recursos e atividades).
Inovações e mudanças são produzidas e percebidas, na mediação pedagógica,
pelos sujeitos do ensino-aprendizagem na medida em que a natureza
informativa e comunicativa diferencia a natureza construtiva do conhecimento
mediado tecnologicamente. No escopo da modularidade do Moodle (suporte a
objetos de variadas linguagens midiáticas), é viável-possível elevar os níveis
hipermídia dos materiais didáticos (recursos e atividades) no âmbito das
ferramentas de conteúdos (páginas web, sumários, rótulos, links à arquivos e
sites, diretórios); comunicação e informação (notícias, calendários, mensagens,
e-mail, chat, fóruns de perguntas e respostas); construcionistas (diários,lição
tarefa, questionários); colaboração (wiki, glossário, laboratórios de avaliação,
fóruns de discussão); investigação (pesquisas de avaliação, enquetes, múltipla
escolha, surveys).
Diante dos resultados de pesquisa-ação, evidenciados mediante
observação participante na equipe multidisciplinar e mensurados pelos índices
dos surveys, destacamos que a ampliação dos níveis de interatividade na
10

Página Web do Moodle gera potencial para melhorar os níveis de colaboração


e problematização em torno dos conteúdos nas atividades de estudo. O desafio
multidisciplinar do trabalho em equipe não só se mantém como se amplia, pois
precisa melhorar a performance docente (transposição didática com fluência
tecnológica) para alcançar melhores índices de interatividade no ensino-
aprendizagem mediado tecnologicamente.

1.Financiamento: Edital PqG/Fapergs 2011 e UAB.

Referências

[1]BRASIL. Ministério da Educação. Referenciais de Qualidade para Educação


Superior a Distância. Brasília, 2007. Disponível em:
<http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/legislacao/refead1.pdf>. Acesso em:
17 abr. 2012.
[2] CHEVALLARD, Y.. La Transposición Didáctica: del saber sabio al saber
enseñado. Aique Grupo Editor: Buenos Aires, 1991.
[3] DEBEVC, M. ; VENUTI , M.Z.; PELJHAN, Z.. E-learning material planning
and preparation Maribor: Faculty of Electrical Engineering and Computer
Science, 2003
[4]MALLMANN, E. M. Mediação pedagógica em educação a distância:
cartografia da performance docente no processo de elaboração de materiais
didáticos. Tese de Doutorado, Florianópolis: PPGE/CED/UFSC, 2008.
[5]NOBRE, E.F.; et al. The multimedia technology in the production of didactic
material for distance physics courses in Brazil . In: MPTL14 2009 Udine 23-27
September 2009.
[6] SALGADO, L. A. Z. Hipermídia: a linguagem prometida. In: Anais do VIII
Intercom – Encontro dos Núcleos de Pesquisa em Comunicação - XXXI
Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Natal, 2008.
[7] MALLMANN, E. M. TOLENTINO-NETO, L. Recursos Educacionais para
EaD. In: Pesquisa, Desenvolvimento e Capacitação: Recursos Educacionais e
Atividades a Distância. Santa Maria: UAB/UFSM, 2011.
[8] CITL (Committee on Information Technology Literacy). Being Fluent with
Information Technology. National Academy of Sciences. Washington, D.C:
National Academy Press, 1999.
[9] BUSH, V. As We May Think. The Atlantic Monthly, 1945. Disponível em:
<http://www.theatlantic.com/doc/194507/bush> Acesso em: 23 de fev. 2012.
[10] EICHLER, M. L.; DEL PINO, J. C. Ambientes virtuais de aprendizagem.
Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2006.