Você está na página 1de 28

HISTÓRIA DA

FARMÁCIA E
SERVIÇOS
FARMACÊUTICA: VANESCA LUANA
2 INTRODUÇÃO

• Na pré-história o homem já fazia uso de plantas


para curar doenças

• Medicina primitiva:
Baseava-se em crençase ritos mágicos aliados ao uso de
plantas medicinais;
Xamãs usam plantas para causar efeitos alucinogenos.
3 INTRODUÇÃO

China – 3.700 anos a.C.


Tratado médico mais antigo escrito pelo Imperado Shen Nung
Para uma determinada enfermidade existe uma planta que
seria um remédio
Conforme a lenda ele podia observar os efeitos de seus
preparos n organismo, pois tinha o abdômen transparente.
4 INTRODUÇÃO

Mesopotâmia - 3.000 anos a.C.

Tábua de argila gravadas com escritas cuneiformes contendo


15 receitas medicinais em Nippur
Biblioteca do Palácio Real de Elba (Siria)
Descoberta em 1974 – 1975
20.000 tabuinas de argilas

Informações de medicamentos
Nos escritos sumérios há referencia a erva doce, beldroega e
alcaçuz
5 INTRODUÇÃO

Egito

• Papiros médicos
• Escrita hierárquica
• Conhecidos 14 rolos
Império antigo
Império médio
6 INTRODUÇÃO

PAPIRO KAHUN – 1850 a.C


Papiro ginecológico

Teste de gravidez

Método contraceptivo

Mistura a base de fibras de vegetais e de espinho de ácácia


moídos
Espinhos são ricos em ácido láctico, que é tóxico para o
espermatozoide.
7 INTRODUÇÃO

Egito

PAPIRO SMITH
Descoberto por Edwin Smith (1822 – 1906)
Descreve tratamento cirúrgico
Instruções para o tratamento de feridas, fraturas e luxações.
8 INTRODUÇÃO

Egito
PAPIRO EBERS
Papiro mais importante para história da farmácia;
1950 a.C (século XVI a.C)
Descoberto por Georg Moritz Ebers (1837 – 1898) em Luxor em
1873

• Deliena tratamento mágicos, mecânicos e farmacológicos


• 20 metros
• 7.000 substancias medicinais
• 811 formulas
9 INTRODUÇÃO

Egito

✓ Fraturas – Talas e bandanas


✓ Curativos – unguentos
✓ Utilizava plantas, animais e minerais
10 INTRODUÇÃO

• Plantas (125 no papiro de EBERS)


Zimbro, linhaça, erva-doce, folhas de sene, rícino, alho, papoula,
acácia, cebola, figo, sementes de linho açafrão, mirra, alface , aloe
vera.

• Produtos animais
Carnes( para curar feridas), mel (como antisséptico local), cera,
teia de aranha (desinfetante), a gordura da vaca, leite de burra.

• Produtos minerais
Sais de chumbo.
11 INTRODUÇÃO

Índia
Medicina Hindu
Athatva Veda
2.500 a.C

Plantas medicinais
Eram usadas basicamente de duas formas:
• Como elemento para limpar o corpo estimulando suas
secreções;
• Como sedativo
12 INTRODUÇÃO

Grécia Roma
• Na antiguidade a medicina e a farmácia eram uma
só profissão;

• Na antiga Roma existia a separação daqueles que


diagnosticavam a doença, daqueles que misturavam
a matéria para produzir porções de cura.
13 INTRODUÇÃO

Teofrasto (371 a.C 287 a.C)


• Discípulos de Aristóteles, foi o primeiro botânico conhecido
e destacou-se como estudioso de plantas medicinais.

Dioscodides (I d.C) Grego


• Elaborou o guia de matéria médica, (precursora das
farmacopeias)
• Apresenta a descrição do uso de centenas de plantas
medicinais e outros preparados de origem animal e vegetal.
14 INTRODUÇÃO

Grécia e Roma
Hipócrates (377 a.C – 460 a.C)
Pai da medicina

Fundamentou a sua na teria dos quatro humores corporais (


sangue, fleuma-pituita, bílis amarela e bílis negra).

Relacionando a quantidade dessas substancias presentes no


corpo, eucrasia (equilíbrio) e discrasia (doença e dor).
15 INTRODUÇÃO

Grécia e Roma
Galeno 200 – 130 a.C (Pai da Farmácia)

• Nasceu na Turquia, destacou-se em Roma;


• Combatia as doenças por meio de substancias ou
compostos que se opunha diretamente aos sinais e
sintomas da enfermidade;
• Testava remédio pelos métodos extrativos;
• É o precursor da alopatia;
• Escreveu mais de 200 obras.
16 INTRODUÇÃO

Theophrastus Bombastus von Hohenheim, (1.493 –


1541)
PARACELSUS
• Desenvolveu vários métodos extrativos
• Obra
• Das virtudes das plantas, raízes e sementes
• Samuel Hahnenann (1755 – 1843)
• Pai da Homeopatia
• Alemão
17 HISTÓRICO

1ª. Fase –1832 a 1930

✓ 1832 –Surgimento de Escolas de Farmácia particulares e


independentes (Ouro Preto, Porto Alegre e São Paulo);

✓ Farmacêuticos e Médicos –matérias básicas relacionadas a


farmácia, manipulação e terapêutica médica (Matéria Médica);

✓ Boticas foram substituídas pelas Pharmácias, cuja produção era


quase toda artesanal;

✓ Soluções, emulsões e tinturas –formulários internacionais e flora


medicinal brasileira;

✓ Não havia indústria nacional –primeiros medicamentos prontos


importados da França.
18 HISTÓRICO

1ª. Fase –1832 a 1930

1898 –Fundação da Escola Livre de Farmácia, Odontologia e Obstetrícia do


Estado de São Paulo;

✓ Condições de saneamento básico nulas;


✓ Abatedouros de animais e esgotos domésticos a céu aberto;
✓ Não havia preocupação com higiene pessoal inclusive em hospitais
✓ Salto de desenvolvimento científico no Brasil;
✓ Farmacêuticos recém formados já tinham conhecimento do
trabalho que Pasteur realizava sobre contaminação
19 HISTÓRICO

1ª. Fase –1832 a 1930

Início do Século XX –Farmacêuticos possuíam excelente imagem


junto a população
✓ Auge da valorização do profissional farmacêutico;
✓ Algumas farmácias se tornaram tradicionais –seguiram
para a fabricação em série de medicamentos –primeiras
indústrias farmacêuticas nacionais;
✓ Dr. Cândido Fontoura –Laboratório Fontoura & Serpe –
Biotônico Fontoura;
✓ Infra-estrutura e funcionamento diferia da que já existia na
Europa e EUA –produção ainda era artesanal;
✓ Perfeita convivência entre médicos que prescreviam e
farmacêuticos que aviavam fórmulas magistrais
20 HISTÓRICO

2ª. Fase –1930 a 1960

Fase de decadência da manipulação magistral

Salto de desenvolvimento da indústria farmacêutica mundial

✓ 2a. Guerra Mundial –padronização de medicações ministradas aos


soldados;
✓ Pós-guerra –espiríto de padronização incorporado pela indústria
✓ Getúlio Vargas –promoção da entrada de capital estrangeiro –Merck,
Stanfford Miller, Bayer, Rhodia, Roche, Jhonson & Jhonson e Eno
instalaram-se no país e passaram a produzir industrialmente os
medicamentos
21 HISTÓRICO

2ª. Fase –1930 a 1960

✓ Advento das drogarias –abalo definitivo à farmácia de manipulação;


✓ Inicialmente eram atacadistas –funcionavam como distribuidores
para as farmácias;
✓ Montagem de filiais varejistas –comercialização de medicamentos a
preços mais baixos que as farmácias;
✓ Falência e fechamento de muitos estabelecimentos;
✓ Crise de alunos nas escolas –falta de atração e estímulo para se
estudar Farmácia
✓ A partir de 1960 –farmácias de manipulação tornaram-se quase
inexistentes
22 HISTÓRICO

3ª. Fase –1960...

✓ Década de 60 –movimentos de resgate à importância da manipulação


magistral;

✓ Faculdade de Farmácia da UFRGS –elaboração de modelo de formulário


que reunia as principais fórmulas dermatológicas da época;

✓ Congresso Brasileiro de Farmácia da UFPR (1970) –conferência do


farmacêutico argentino Juan Luis Espanã (Farmácia Flórida, Buenos Aires)
–1200 a 1500/dia;

✓ Prof. José Aleixo Prates –disposição de reproduzir o modelo da Farmácia


Flórida em todo o país;

✓ Ressurgimento da Farmácia Magistral nas décadas de 70 e 80, com maior


expansão nos anos 90
23 FARMÁCIA X DROGARIAS

• Farmácia
• Comercializa medicamentos
manipulados e industrializados

• Drogaria
• Só comercializa medicamentos
industrializados.
24 RDC Nº 44

RDC nº 44/2009 da Anvisa, que dispõe sobre Boas


Práticas Farmacêuticas de dispensação,
comercialização de produtos e prestação de serviços
farmacêuticos em farmácias e drogarias
25 SERVIÇOS PRESTADOS EM
AMBIENTES FARMACÊUTICOS
✓ Dispensação e Orientações sobre o uso de
medicamentos;
✓ Administração de medicamentos;
✓ Monitoramento da pressão arterial;
✓ Monitoramento de glicemia capilar;
✓ Monitoramento de temperatura Corporal;
✓ Perfuração de lóbulo auricular;
✓ Participação em campanhas de Promoção à Saúde;
26 SÍMBOLO DA FARMÁCIA

O símbolo da farmácia é o
resultado da junção dos
símbolos de Asclépio
(cobra) e Hígia (taça).
27 REFERÊNCIA

Conselho Federal de Farmácia. Serviços farmacêuticos


diretamente destinados ao paciente, à família e à comunidade:
contextualização e arcabouço conceitual. Brasília: Conselho
Federal de Farmácia, 2016.
28

Você também pode gostar