Você está na página 1de 20

Gestão de Projetos

Autor: Grasiele Aparecida Lourenço

Tema 01
A Natureza e a Estrutura da Gestão de
Projetos
Tema 01
A Natureza e a Estrutura da Gestão de
Projetos

seções
Como citar este material:
LOURENÇO, Grasiele Aparecida. Gestão de
Projetos: A Natureza e a Estrutura da Gestão
de Projetos. Caderno de Atividades. Valinhos:
Anhanguera Educacional, 2014.
S e ç õ e s
Tema 01
A Natureza e a Estrutura da Gestão de
Projetos
Introdução ao Estudo da Disciplina

Caro(a) aluno(a).

Este Caderno de Atividades foi elaborado com base no livro Gestão de Projetos – Uma aborda-
gem global, dos autores Ralph Keeling e Renato Henrique Ferreira Branco, Editora Saraiva, 2ª
edição, 2012, Livro-Texto 692.

Roteiro de Estudo:
Grasiele Aparecida
Gestão de Projetos
Lourenço

CONTEÚDOSEHABILIDADES
Conteúdo
Nessa aula você estudará:

• As principais características e a natureza de um projeto.

• As principais diferenças entre um projeto e uma atividade rotineira.

• A importância da estrutura administrativa de um projeto.

• As quatro fases do ciclo de vida de um projeto e suas características.

• Os benefícios da gestão de projetos.

5
CONTEÚDOSEHABILIDADES
Habilidades
Ao final, você deverá ser capaz de responder as seguintes questões:

• Qual a diferença entre um projeto e uma atividade contínua?

• O que deve ser priorizado em cada fase do ciclo de vida de um projeto?

• Quais os principais tipos de estrutura administrativa?

• Quais os benefícios da gestão de projetos?

LEITURAOBRIGATÓRIA
A Natureza e a Estrutura da Gestão de Projetos
Você já parou para observar que durante toda nossa trajetória pessoal ou profissional
estamos sempre pensando ou desenvolvendo algum projeto? Seja um projeto pessoal,
como a organização de uma viagem, seja um projeto corporativo, como a implantação de
uma nova linha de produção na fábrica, tudo o que você faz pode ser previamente pensado,
calculado e medido para atingir os objetivos com maior eficácia, menor tempo e economia
de recursos.

As empresas têm adotado projetos das mais diversas finalidades para garantir a obtenção
de suas metas e sua sobrevivência no atual mercado altamente competitivo e repleto de
mudanças. E não é somente nos tempos atuais que desenvolvemos projetos para atender
nossos objetivos e resolver problemas. A humanidade vem planejando e realizando projetos
desde o início dos tempos, mesmo sem as modernas ferramentas disponíveis atualmente.

Um dos principais difusores do gerenciamento de projetos e da profissionalização do gerente


de projetos – PMI (Project Management Institute) – define “projeto” como um conjunto de
atividades temporárias, realizadas em grupo, destinadas a produzir um produto, serviço ou
resultado único. É uma iniciativa que de alguma forma é única, seja no produto que gera,
seja no cliente do projeto, na localização, nas pessoas envolvidas ou em outro fator.

6
LEITURAOBRIGATÓRIA
Todo projeto é um empreendimento temporário – a razão pela qual é criado definirá sua
natureza. Keeling e Branco (2012) reforçam que os projetos contemporâneos apresentam-
se de muitas formas e tamanhos. Alguns são de curta duração, empreendimentos baratos
que duram apenas alguns dias e necessitam de recursos mínimos. Por outro lado, há
projetos de médio ou longo prazo que podem representar empreendimentos ambiciosos
que chegam a se estender por muitos anos e requerem grandes recursos financeiros e
materiais, altos níveis de habilidade técnica e científica e estruturas de administração
complexas. Há projetos que envolvem a construção de uma casa, o desenvolvimento de um
software, a organização de um evento ou a construção de um móvel sob encomenda, por
exemplo. Independentemente de sua natureza, todos os projetos possuem características
comuns, entre elas:

• São empreendimentos independentes.


• Possuem propósito e objetivos específicos.
• São de duração limitada.
• Entregam um resultado único.
• Contam com recursos, administração e estruturas próprias.
Um projeto é planejado, monitorado e controlado como uma atividade separada das
operações rotineiras para evitar a necessidade de sobrecarregar aqueles que respondem
pelo trabalho do dia a dia. Outra distinção importante entre projetos e atividades em curso
reside na natureza do escopo e dos objetivos finais – a perspectiva do projeto é rigidamente
definida, limitada por tempo e recursos, e os objetivos do projeto são mais específicos
(KEELING; BRANCO, 2012).

Observe no Quadro 1.1, a seguir, algumas distinções entre projetos e atividades em curso:

Quadro 1.1 Distinção entre projeto e atividades contínuas.

Projeto Atividades Contínuas


Estabelecer um novo negócio. Administrar um negócio consolidado.
Introdução de um sistema de controle de
Administração rotineira de estoque.
estoque.
Gerenciar o fornecimento das peças para a linha
Lançar um novo modelo de tablet.
de montagem do tablet.
Construir um novo aeroporto. Operar um terminal aeroportuário.

Fonte: Keeling e Branco (2012)

7
LEITURAOBRIGATÓRIA
Atualmente, a velocidade das mudanças impõe grandes desafios aos projetos. É cada
vez mais imprescindível que as organizações atuem em seus mercados focando o
Gerenciamento de Projetos – aplicação de conhecimentos, habilidades e técnicas para a
execução de projetos de forma efetiva e eficaz. Considerado uma competência estratégica,
o gerenciamento de projetos apresenta uma série de características, como:

• Simplicidade e clareza de propósito e escopo: as metas são facilmente compreendidas,


pois são definidas por meio de descrição breve e objetiva.

• Facilidade de medição: o andamento de um projeto pode ser medido pelas metas e


pelos padrões estabelecidos.

• Flexibilidade de emprego: especialistas podem ser consultados ou contratados por


curtos períodos pela administração do projeto, minimizando gastos.

• Conduz à motivação e moral da equipe: equipes automotivadas e entusiasmadas


são frutos de projetos audaciosos e com novidades que despertam o interesse dos
colaboradores.

• Útil ao desenvolvimento individual: a eficiência da equipe acelera o desenvolvimento


e a capacitação pessoal.

• Mobilidade: dada sua independência, um projeto pode ser executado em inúmeros


locais, de grandes centros a locais remotos.

Cabe destacar que um projeto pode ser dividido em fases, cada qual com suas necessidades
e características. Para Keeling e Branco (2012), a compreensão do ciclo de vida de um
projeto e suas etapas permite criar pontos de referência para avaliação de qualidade,
acompanhar a sequência lógica de fatos e eventos e determinar da melhor forma quais
trabalhos serão realizados em cada fase e quem estará envolvido nelas.

Fase I – Conceituação: “Este é o ponto de partida, começando com a semente de uma


ideia, uma consciência da necessidade ou um desejo de algum desenvolvimento ou melhoria
importante” (KEELING; BRANCO, 2012). Nesta fase, são identificadas as necessidades
e oportunidades, traduzidas em um problema definido a ser solucionado. Em seguida,
são determinados os objetivos e as metas a serem alcançados. É importante analisar o
ambiente do problema para avaliar potencialidades, recursos disponíveis e a viabilidade de
cumprimento dos objetivos, só então será a hora de estimar os recursos necessários. Por

8
LEITURAOBRIGATÓRIA
fim, é elaborada a proposta do projeto que será apresentada e avaliada, para então agendar
a data de início do projeto.

Fase II – Planejamento: nesta fase, é preciso detalhar metas e objetivos com base na
proposta aprovada e determinar o gerente do projeto. Depois, detalhar as atividades e
sua programação dentro do tempo disponível ou necessário, traçando os resultados que
possam ser percebidos de forma periódica por todos os envolvidos. Além das atividades, a
utilização dos recursos humanos e materiais também precisa de uma programação para que
seja devidamente gerenciada ao longo do projeto. Em seguida, devem ser determinados
os procedimentos de acompanhamento e controle que serão utilizados na implantação do
projeto. Durante a fase de planejamento, também é estabelecida a estrutura orgânica formal
do projeto, facilitando a definição do sistema de comunicação e a decisão a ser adotada –
esta estrutura deve ser de conhecimento de todos os envolvidos, garantindo agilidade para
a fase seguinte. Para finalizar, basta definir o comprometimento dos técnicos responsáveis
pelo projeto e treinar todos os envolvidos.

Fase III – Execução: “Este é o período de atividade concentrada, quando os planos são
postos em operação” (KELLING; BRANCO, 2012). Inicia-se com a ativação da comunicação
entre os membros da equipe do projeto para que sejam executadas as etapas previstas e
programadas. Os recursos humanos e materiais, sempre que possível, devem ser utilizados
dentro do que foi programado em termos de quantidade e períodos de consumo. As
atividades são monitoradas, controladas e coordenadas para atingir os objetivos do projeto
por meio de análises do progresso.

Fase IV – Conclusão – Término do projeto: as atividades que eventualmente estejam fora


do prazo devem ser aceleradas; se necessário, devem ser realocados recursos humanos
ociosos. É o momento de elaborar a memória técnica e os relatórios dos resultados finais
do projeto para, então, emitir avaliações globais sobre o desempenho das equipes.

Qualquer projeto passa por estas quatro fases, as quais, mesmo que tenham custos
semelhantes, possuem intensidade diferente. A fase de maior intensidade vai depender da
natureza do trabalho.

Apesar das vantagens da gestão de projetos, ela também oferece alguns desafios, entre
eles, a estrutura administrativa. Infelizmente, a causa de fracasso de diversos projetos
reside justamente em falhas na elaboração de tal estrutura, especialmente na interna.

9
LEITURAOBRIGATÓRIA
Uma estrutura organizacional tem como função traçar a hierarquia administrativa, mostrando
os canais de comando, permitindo, assim, a formação de redes de comunicação formal que
servirá como guia para funções paralelas e de coordenação.

Keeling e Branco (2012) ressaltam que a estrutura também indica áreas de delegação
e cooperação, além de elos entre as estruturas externa, interna e elementos gerenciais,
estendendo-se a patrocinadores, proprietários, avalistas, organizações financeiras até o
gerente do projeto e os dirigentes de funções ou atividades especializadas.

Todo projeto tem sua organização em dois níveis: externo e interno. É comum que muitas
estruturas externas escapem ao controle do gerente, principalmente em grandes projetos, em
que esta pode conter acionistas, investidores, patrocinadores e financiadores. Em projetos
internos de pequenas empresas, por exemplo, a estrutura externa é mais simples, limitada ao
diretor ou presidente. Já em projetos múltiplos, a estrutura externa é ainda mais complexa,
como em empresas multinacionais de grande porte ou em instituições de apoio humanitário
que atuam em grandes áreas, como a Organização das Nações Unidas (ONU).

Por ser interno, o nível da estrutura administrativa de um projeto está intimamente relacionado
a alguns fatores, tais como: caráter do projeto; tamanho e complexidade do projeto;
tecnologia, processos ou procedimentos envolvidos; pontos geográficos de elementos do
projeto; e maturidade e caráter do pessoal do projeto.

Segundo Keeling e Branco (2012), a maior preocupação de um gerente de projeto é conceber


e desenvolver a estrutura interna que se ajuste à operação do projeto em si. Cada tipo de
projeto, de acordo com sua natureza e complexidade, exige um tipo de estrutura específico.
Sendo assim, cada projeto possui uma estrutura única, como um dos tipos descritos a
seguir:

I. Estruturas diferenciadas e exclusivas (grupo tarefa): são adequadas para projetos simples
e utilizam recursos e pessoal exclusivos do projeto.

• Suas maiores vantagens são a simplicidade, a lógica e a independência. Geralmente,


são orientadas por metas, o que favorece a comunicação, o controle e a coordenação
do projeto.

• A principal desvantagem, especialmente em projetos menores, é justificar os custos,


pois este tipo de estrutura exige instalações exclusivas, gerando gastos administrativos
e o uso de recursos.

10
LEITURAOBRIGATÓRIA
II. Estruturas híbridas: mais utilizadas em projetos internos, fazem uso de colaboradores da
empresa e também de empregados dedicados exclusivamente ao projeto.

• A maior vantagem é o fato de haver um gerente exclusivo para o projeto, que precisa
de liberdade de ação e controle dos gastos totais do projeto.

• Por haver gerentes nas áreas da empresa que envolvem o projeto, o sucesso deste
tipo de estrutura está na afinidade entre esses gerentes e o responsável pelo projeto.

III. Estruturas matriciais: comum em grandes empresas, geralmente com múltiplos projetos.
Há equipes especializadas em diferentes áreas, cada uma aplica suas habilidades em
diferentes projetos ou em partes de um projeto complexo.

• Favorece a economia tanto de recursos como de conhecimentos, pois ambos podem


ser compartilhados entre a diversidade de projetos em ação.

• Os problemas mais comuns são o conflito de prioridades, a disponibilidade de


equipamentos especiais e de profissionais experientes ou qualificados. Além da
possibilidade de atrasos, gerados pela falta de recursos para sustentar vários projetos.

IV. Estruturas modulares: formadas por pequenos grupos especializados, com conhecimento
específico para lidar com tarefas especiais, apesar de estarem subordinadas a um gerente,
estas pequenas equipes possuem autonomia e respeito como se fossem consultores. Cada
pequeno grupo desenvolve uma parte de um projeto maior, atuando em diversos deles.

Por mais parecidas que possam ser as formas como pessoas e os recursos são “organizados”
em um projeto, sua estrutura sempre será única, pois depende em boa parte do modo de
agir das pessoas envolvidas e de como estas interagem umas com as outras e com os
recursos disponíveis. A atuação do gerente também deve ser levada em consideração, pois
em muitos casos ela determina o sucesso ou o fracasso do projeto, mesmo fazendo uso de
modelos ou tipos de estruturas bem conhecidos.

11
LINKSIMPORTANTES
Quer saber mais sobre o assunto?
Então:
Sites
Acesse o site do Projetc Management Institute (PMI).
Disponível em: <brasil.pmi.org>. Acesso em: 02 jan. 2014.
O PMI é uma das maiores associações de profissionais da área de Gestão de Projetos
– não possui fins lucrativos e sua missão é promover a profissão por meio de padrões e
certificações mundialmente reconhecidos, assim como um constante programa de pesquisa
e oportunidades de desenvolvimento profissional.

O uso da Gestão de Projetos como ferramenta estratégica para a sobrevivência de pequenas


empresas é abordado no artigo “Gestão de projetos como ferramenta estratégica para
pequenas empresas”.
Disponível em: <http://sare.anhanguera.com/index.php/rcger/article/view/1035>. Acesso
em: 02 jan. 2014.

Vídeos
Veja o vídeo de Karina Murgel, gerente de projetos da Integration, que aborda a importância
dos projetos para criar um serviço ou produto único, assim como os fatores necessários
para desenvolvê-los e geri-los de forma eficiente para ter resultados expressivos.
Disponível em: <http://www.youtube.com/watch?v=zGxmcxodq5k>. Acesso em: 02 jan. 2014.

12
AGORAÉASUAVEZ
Instruções:
Chegou a hora de você exercitar seu aprendizado por meio das resoluções
das questões deste Caderno de Atividades. Essas atividades auxiliarão
você no preparo para a avaliação desta disciplina. Leia cuidadosamente
os enunciados e atente-se para o que está sendo pedido e para o modo de
resolução de cada questão. Lembre-se: você pode consultar o Livro-Texto
e fazer outras pesquisas relacionadas ao tema.

Questão 1: pela ligação entre ambas as estruturas”


(KEELING; BRANCO, 2012). Resgatando o
Um projeto é diferente de atividades de ro-
que foi apresentado na Leitura Obrigatória,
tina, realizadas no dia a dia. Muitas de nos-
acesse a página da Organização das Nações
sas atividades pessoais não são planejadas,
Unidas (ONU) (https://nacoesunidas.org/
mas simplesmente executadas. Lembre-se
organismos/organograma/) para observar
de uma atividade de sua rotina diária e des-
como é composta sua estrutura. Em seguida,
creva um planejamento simples para ela,
identifique e apresente um elemento que
ressaltando os benefícios encontrados.
pertence à estrutura externa deste órgão.

Questão 2:
Questão 3:
Todo projeto é constituído de uma estrutura
Cada tipo de estrutura de projeto possui
interna e outra externa, sendo que esta última
qualidades e pontos que merecem aten-
é distinta da administração mais específica
ção. No entanto, apesar de apresentar be-
do projeto, ou seja, “são formadas por
nefícios semelhantes, como a economia
circunstâncias que escapam ao controle do
de recursos humanos e materiais, a razão
gerente, que é em grande parte o responsável
para esta vantagem difere de uma estrutu-
13
AGORAÉASUAVEZ
ra para outra. Dos tipos indicados a seguir, a) ( ) Um esforço temporário empreendido
assinale aquele que oferece tal economia para criar um produto ou serviço único.
com base no compartilhamento de recur-
b) ( ) São empreendimentos exclusivamen-
sos e conhecimentos escassos:
te da esfera organizacional, seja pública ou
a) Matricial. privada.

c) ( ) Alguns projetos possuem recursos e


b) Híbrida.
prazo limitados, enquanto outros não.
c) Diferenciadas e Exclusivas.
d) ( ) A razão pela qual um projeto é criado
d) Grupos-Tarefa. definirá sua natureza.

e) ( ) A perspectiva de um projeto é rigida-


e) Modulares.
mente definida e seus objetivos são claros
e específicos.
Questão 4:
Cada projeto possui uma estrutura única, Questão 6:
mas ela é criada com base em modelos
testados e amplamente utilizados, cada um Leia as afirmações, a seguir, e assinale
com seus pontos fortes e fracos. A partir de apenas a que não traduz um dos benefí-
pesquisas em livros, periódicos e na Inter- cios da gestão de projetos:
net, identifique um projeto que tenha utiliza-
a) Conduz à motivação e moral da equipe.
do um dos tipos de estrutura apresentada
na Leitura Obrigatória (pode ser um projeto b) Facilidade de medição.
da empresa onde você atua ou até mesmo
pessoal). Em seguida, aponte pontos posi- c) Flexibilidade de restrições.
tivos e negativos relacionados à estrutura
d) Útil ao desenvolvimento individual.
nele utilizada.
e) Clareza de propósito e escopo.

Questão 5:
Questão 7:
Em relação ao conceito e às características
de um projeto, assinale Verdadeiro (V) ou Agora que você começou a estudar a Ges-
Falso (F) para cada alternativa: tão de Projetos, já consegue avaliar melhor
alguns projetos. Com base no que já conhe-
ce sobre obras públicas, focando especifi-

14
AGORAÉASUAVEZ
camente os estádios para a Copa de 2014, e) Conceito > Proposta inicial > Aceita-
você consegue apontar o fator que repre- ção > Plano de atividades e de recursos >
senta o maior desafio para o cumprimento Objetivos e plano mestre > Monitoração e
de tal projeto? Justifique sua resposta. controle > Avaliação e acompanhamento
> Entrega > Análise e previsão do projeto.

Questão 8:
Questão 9:
Observe as alternativas, a seguir, e assina-
le apenas aquela que apresenta a sequên- Uma organização da área farmacêuti-
cia correta do ciclo de vida de um projeto: ca tem dois grandes desafios pela frente:
ampliar suas instalações administrativas e
a) Conceito > Proposta inicial > Aceitação desenvolver um novo medicamento. A so-
> Análise e previsão do Projeto > Plano lução foi elaborar dois projetos distintos,
de Atividades e de recursos > Monitora- apesar de o prazo para a conclusão e de
ção e controle > Objetivos e plano mestre o valor disponibilizado para ambos serem
> Entrega. os mesmos, eles são diferentes na intensi-
dade de suas fases, tanto pela natureza de
b) Proposta inicial > Conceito > Aceitação
cada projeto como pelas atividades desen-
> Plano de atividades e de recursos > Ob-
volvidas em cada um. Identifique a fase de
jetivos e plano mestre > Análise de previ-
maior intensidade de cada um dos projetos
são do projeto > Monitoração e controle >
e explique sua escolha.
Avaliação e acompanhamento > Entrega.

c) Conceito > Proposta inicial > Aceitação


Questão 10:
> Objetivos e plano mestre > Plano de ati-
vidades e de recursos > Monitoração e Uma empresa de pequeno porte preten-
controle > Análise e previsão do projeto > de se mudar para sua nova sede própria e
Entrega > Avaliação e acompanhamento. você foi contratado para elaborar o projeto
da mudança. O objetivo da fase conceitual
d) Proposta inicial > Conceito> Plano de é claro, e o principal resultado é a mudan-
atividades e de recursos > Aceitação > ça, mas a empresa deseja que todas as ati-
Objetivos e plano mestre > Monitoração e vidades sejam realizadas em um período
controle > Análise e previsão do projeto > específico para não prejudicar suas opera-
Avaliação e acompanhamento > Entrega. ções de rotina. O orçamento para o projeto
já foi aprovado pela presidência, inclusive
com uma margem de segurança, e todos

15
AGORAÉASUAVEZ
os recursos financeiros utilizados são pró-
prios. Outra definição que deve ser seguida
é a contratação de empresa especializada
em mudanças.

Antes de iniciar o planejamento, algumas


questões ainda precisam ser respondidas
para que o conceito fique adequadamente
desenvolvido. Com base nas informações
apresentadas e no que foi estudado, iden-
tifique o que ainda falta ser considerado
para que a fase conceitual seja finalizada?

FINALIZANDO
Nesta aula, você conheceu um pouco mais sobre projetos: o que são, suas diferentes
naturezas e estruturas, além de seu ciclo de vida. Você agora é capaz de diferenciar um
projeto de uma atividade rotineira, apontando os benefícios da gestão de projetos. Também
aprendeu que a estrutura de um projeto é dividida em interna e externa, sendo que a primeira
é muito mais importante para o sucesso das atividades e, portanto, merece uma atenção
especial. Você conheceu os principais tipos de estrutura interna de projetos, a aplicabilidade
de cada uma com seus respectivos pontos fortes e fracos, assim como a importância do
papel do gerente na determinação de uma delas. Enfim, você agora sabe dos benefícios
gerais que a gestão de projetos pode trazer tanto para as organizações quanto para sua
vida pessoal.

Caro aluno, agora que o conteúdo dessa aula foi concluído, não se esqueça de acessar
sua ATPS e verificar a etapa que deverá ser realizada. Bons estudos!

16
REFERÊNCIAS
KEELING, Ralph; BRANCO, Renato Henrique Ferreira. Gestão de Projetos: uma aborda-
gem global. São Paulo: Editora Saraiva, 2012.

GLOSSÁRIO
Híbrida: adjetivo que denota atuação de dois mecanismos distintos.

Organização das Nações Unidas (ONU): organização internacional formada por países
que se reuniram voluntariamente para trabalhar pela paz e pelo desenvolvimento mundiais.

PMI – Project Management Institute: Instituto de Gerenciamento de Projetos – uma das


maiores associações para profissionais de gerenciamento de projetos.

17
GABARITO
Questão 1

Resposta: O objetivo é avaliar a capacidade do aluno de identificar as diferenças entre um


projeto e atividades de rotina, traduzindo os benefícios do planejamento de uma atividade
comum em sua vida.

Questão 2

Resposta: Espera-se que o aluno adquira experiência em diferenciar estruturas internas


e externas. No caso da ONU, a resposta mais adequada aponta para as Secretarias
Especializadas, que são organizações independentes que atuam junto à ONU e também
umas com as outras, mas que não estão diretamente subordinadas à administração geral
do órgão.

Questão 3

Resposta: Alternativa A.

São as Estruturas Matriciais que preveem o uso de recursos humanos e materiais


compartilhados para gerar economia ao projeto.

Questão 4

Resposta: Espera-se que o aluno associe uma das estruturas básicas apresentadas
com um exemplo real, apresentando-se capaz de perceber como pontos positivos foram
explorados e os negativos foram amenizados ou resolvidos na prática.

Questão 5

Resposta: V - F (projetos não são empreendimentos exclusivamente da esfera


organizacional) - F (todos os projetos possuem prazo e recursos limitados) - V - V

18
GABARITO
Questão 6

Resposta: Alternativa C.

Entre os benefícios da gestão de projetos não há flexibilidade de restrições; ao contrário, as


restrições são delimitadas dentro de um padrão esperado.

Questão 7

Resposta: Espera-se que o aluno faça relação com a gestão pública destes projetos,
apontando a má administração como o principal problema ou desafio a ser superado em
obras públicas no nosso país, se possível destacando que tais problemas são mais graves
por já estarem presentes no momento de conceituar o projeto.

Questão 8

Resposta: Alternativa C.

A sequência típica e lógica de eventos durante o ciclo de vida de um projeto é: Conceito


> Proposta inicial > Estudo de viabilidade e risco > Aceitação > Objetivos e plano mestre
> Plano de atividades e de recursos > Exame dos contratos de recursos > Monitoração e
controle > Análise e previsão do projeto > Entrega > Avaliação e acompanhamento.

Questão 9

Resposta: Espera-se que o aluno seja capaz de associar que a intensidade de cada etapa
depende da natureza distinta de cada projeto e das atividades desenvolvidas em cada fase.

Questão 10

Resposta: Uma resposta completa engloba: a busca de alternativas, de forma geral,


pois este é o cerne da fase conceitual; uma previsão de duração da mudança toda para
determinar o melhor momento para iniciá-la; e uma lista com os possíveis impedimentos e
oposições que podem ameaçar o projeto.

19

Você também pode gostar