Você está na página 1de 32

CONTABILIDADE

- LEGISLAÇÃO CABÍVEL:

. arts. 175 a 206, lei 6404

. ITG 2000 – escrituração contábil

. pronunciamentos técnicos emitidos pelo CPC

OBS: Contabilidade prática consiste no registro das operações de determinada entidade em


livros mantidos para essa finalidade.

OBS: na contabilidade, o que tiver entre parênteses é algo negativo.

- CONCEITO = ciência social que estuda, registra, controla e interpreta os fatos ocorridos no
patrimônio das entidades com fins lucrativos ou não.

- OBJETO = patrimônio das entidades

- OBJETIVO = controle desse patrimônio

- FINALIDADE = fornecer informações a seus usuários (externos – investidores, credores, etc e


internos – administradores, etc).

- Patrimônio = conjunto de bens, direitos e obrigações

- Ativo = Bens e direitos (circulante e não circulante)

- Passivo= subdividido em: passivo exigível -> obrigações (tanto as classificadas até o término
do exercício seguinte = passivo circulante, quanto as que irão vencer após esse término =
passivo não circulante) e PL

OBJETO OBJETIVO FINALIDADE


Patrimônio das entidades Controle do patrimônio Fornecer informações
(fidedignas a seus usuários -
para facilitar o processo de
tomada de decisões)

- CAMPO DE APLICAÇÃO = todas as entidades (tenham elas objetivos sociais e ou econômicos)


que possuam patrimônio; é o patrimônio gerido (patrimônio + gestão) = azienda

OBS: Entidades são unidades econômico-administrativas (aziendas), incluindo as instituições


com fins sociais (ou sem fins lucrativos).

- AVALIAÇÃO PATRIMONIAL = atribuição de valor monetário a itens do ativo e do passivo

- COMPONENTES PATRIMONIAIS = ativo, passivo e PL

- EQUAÇÃO FUNDAMENTAL DO PATRIMÔNIO: PL = A (bens e direitos) – PE (obrigações)

- BENS = tudo aquilo que possui utilidade e pode ser quantificado monetariamente
Ex: dinheiro em caixa, dinheiro depositado no banco, mercadorias, matéria prima, imóveis,
veículos, moveis e utensílios, computadores, terrenos, obras de arte, ações, patentes, fundos
de comércio, etc

- DIREITOS = todos os créditos de uma empresa contra terceiros.

Ex: duplicatas a receber, empréstimos a receber, alugueis a receber, juros a receber,


dividendos a receber, adiantamentos a fornecedores, impostos a recuperar, etc

- OBRIGACOES = todos os débitos de uma empresa contra terceiros

Ex: duplicatas a pagar, contas a pagar, salários a pagar, empréstimos a pagar, dividendos a
pagar, contas a pagar, salários a pagar, adiantamento de clientes, impostos a pagar, etc.
OBS: Adiantamento de clientes:

Aumenta tanto o ATIVO quanto o PASSIVO.

O valor recebido antecipadamente para um serviço que será prestado após o exercício
social seguinte será classificado como obrigação, no passivo não circulante. Assim,
segundo determinação legal, deverá ser ajustado a valor presente, independentemente da
relevância ou não dos valores.

Fonte: Estratégia

ADIANTAMENTOS DE CLIENTES A LONGO PRAZO => PASSIVO NAO-CIRCULANTE


(SALDO CREDOR)

ADIANTAMENTOS DE CLIENTES => PASSIVO CIRCULANTE (SALDO CREDOR)

obs.: ADIANTAMENTOS CONCEDIDOS A PESSOAL E A TERCEIROS => ATIVO


CIRCULANTE (SALDO DEVEDOR)

ADIANTAMENTOS A FORNECEDORES => ATIVO/ESTOQUE (SALDO DEVEDOR)

CPC 00

OB2. O objetivo do relatório contábil-financeiro de propósito geral é fornecer informações


contábil-financeiras acerca da entidade que reporta essa informação (reporting entity) que
sejam úteis a investidores existentes e em potencial, a credores por empréstimos e a
outros credores, quando da tomada decisão ligada ao fornecimento de recursos para a
entidade.

Registro contábil - Empréstimos e Financiamento

O registro contábil deve ser efetuado quando a empresa receber os recursos, o que muitas
vezes coincide com a data do contrato. No caso dos contratos em que a liberação dos
recursos ocorrer em várias parcelas, o registro será efetuado à medida dos
recebimentos das parcelas.

OBS: Dividendo é uma forma de distribuição do lucro


DIFERENCIACAO ENTRE CAPITAL E PATRIMÔNIO

Art. 182. A conta do capital social discriminará o montante subscrito e por dedução, a parcela
ainda não realizada.

- Capital social subscrito = total de ações subscritas na constituição de uma cia; é composto
pelo capital a integralizar e pelo capital integralizado.

- Capital a integralizar (ou a realizar) = valor que cada acionista se comprometeu a entregar,
mas ainda não cumpriu.

- Capital integralizado (ou realizado) = valor que já foi cumprido pelos acionistas.

OBS: o capital social integralizado deve ser discriminado em contas separadas (uma do que já
foi pago e outra do que falta cumprir)

ESTADOS PATRIMONIAIS E REPRESENTACAO GRÁFICA

PL positivo: A > PE (situação liquida positiva, superavitária ou

ATIVO PE
PL

PL negativo: A < PE (situação liquida negativa, deficitária ou passivo a descoberto)

ATIVO PE
PL

PL nulo: A = PE

ATIVO PE

OBS: Não confundir representação gráfica com o balanço patrimonial (representação contábil)

ATIVO PASSIVO EXIGÍVEL PL (PASSIVO NÃO EXIGIVEL)


Patrimônio bruto Recursos de terceiros Recursos próprios
Capital aplicado Capital de terceiros Capital próprio
Capital investido Capital alheio Situação líquida
Aplicações de recursos Origem de recursos Origem de recursos

OBS: Situação líquida, apesar de ser sinônima de PL, é mais adequada para expressar o estado
patrimonial da entidade enquanto que o PL é de utilização obrigatória no balanço patrimonial.

OBS: no encerramento das atividades da empresa, é possível que ativo e passivo tenham valor
igual a zero, mas na constituição da empresa não.

OBS: Patrimônio = bens, direitos e obrigações; Patrimônio Líquido = A – PE

- BALANÇO PATRIMONIAL = demonstração que a empresa deverá realizar ao fim de cada


exercício social, o qual deverá exprimir com clareza a situação do patrimônio da cia, sendo que
o total do ATIVO deve ser obrigatoriamente igual ao total do PASSIVO; Exemplo:
CONTAS DO ATIVO CONTAS DO PASSIVO EXIGIVEL
Caixa e equivalentes (disponível) = AC Fornecedores = PC
Bancos conta movimento (disponível) = Obrigações tributárias = PC
Duplicatas a receber = AC Duplicatas a pagar = PC
Ações de coligadas Provisão para 13º
Empréstimos a sociedades ligadas = ANC RLP Empréstimos bancários e financiamentos a
vencer no curto prazo = PC
Móveis e instalações, utensílios e máquinas Debêntures a pagar;
= ANC Férias a pagar (=provisão para férias)
Estoques para revenda = AC Encargos a transcorrer de financiamento de
Ex: adiantamento a fornecedores longo prazo (PNC)
Imóveis para investimentos = ANC Juros passivos a transcorrer (PC)
Contas a receber = AC Salários e encargos a pagar = PC
Marcas e patentes = ANC Financiamento de longo prazo = PNC
Amortização acumulada (redutora do ANC) Provisões para contingências = PC
Depreciação acumulada (retif do ANC) Duplicatas descontadas = PC
Perdas estimadas por redução ao valor Financiamentos a vencer no longo prazo =
realizável liquido = redutora do ativo PNC
COFINS, ICMS, PIS: a recuperar = AC Debêntures perpétuas = PNC
Imóveis de uso = ANC Refinanciamento de tributos = PC
Seguros pagos antecipadamente = AC Encargos financeiros a transcorrer ou a
pagar
Veículos = ANC
Despesas antecipadas = AC PL
Créditos contra clientes = AC Capital social
Estoques em trânsito Capital a integralizar (retificadora do PL)
Terrenos = AC Capital subscrito
Seguros a vencer no curto prazo = AC Reserva de lucros (ex: reserva estatutária,
reserva para contingências, reserva legal)
Imobilizações de uso ou Imobilizado = ANC Prejuízo acumulado (retificadora do PL)
Clientes = AC Ações em tesouraria (retificadora do PL)
Aplicações financeiras Ajustes de avaliação patrimonial
(retificadora ou redutora do PL)
Adiantamento a fornecedores;
Adiantamento a empregados
Perdas estimadas com créditos de liquidação
duvidosa = PECLD (redutora do ativo)
TOTAL DO ATIVO TOTAL DO PASSIVO = PE + PL

OBS: salários e encargos são contas de despesas, mas salários e encargos a pagar são contas
do passivo!!!!

São contas retificadoras do ativo: 

depreciação acumulada, 

amortização acumulada, 
exaustão acumulada, 

ajuste ao valor recuperável de ativos, 

ajuste para créditos de liquidação duvidosa,

ajuste para perda de estoques

Exemplo de contas retificadoras do passivo e do patrimônio líquido:

encargos financeiros a transcorrer(retificadora do passivo),

capital social a integralizar (retificadora do patrimônio líquido), 

ações em tesouraria (retificadora do patrimônio líquido), 

prejuízos acumulados (retificadora do patrimônio líquido),

Contas retificadoras do PL:

- Capital a Realizar ou a integralizar

- Ajustes da Avaliação Patrimonial (DUPLA NATUREZA)

- Ajustes Acumulados de Conversão (DUPLA NATUREZA)

- Ações em Tesouraria

- Prejuízos Acumulados

- Gasto com Emissão de Ações

- Dividendos Antecipados

OBS: Adiantamento de sócios = PL ou PE (se existir alguma cláusula para devolver tal valor)

OBS: ativo monetário (dinheiro na conta caixa ou na conta bancos, duplicatas que tenho a
receber)

OBS: passivo monetário (obrigação de entregar em dinheiro ou em duploicatas¿; ex: contas a


pagar, salários a pagar); passivo não monetário (mercadorias a entregar, prestação de serviços)

OBS: contas de receitas = venda de mercadorias, receita bruta de vendas, receita de juros,

OBS: contas de despesas = custo de mercadorias vendidas (CMV), despesas administrativas,


comerciais e financeiras, IR e CSSL, abatimento sobre vendas, comissões de vendedores,
COFINS e PIS sobre faturamento, custo de mercadorias vendidas, despesas com salários,
despesas de juros,
OBS: Despesas antecipadas representam o direito de receber bens ou serviços
contratados de terceiros e pagos pelo adquirente previamente à execução do contrato pelo
fornecedor do bem ou pelo executante do serviço. Despesas antecipadas fazem parte do
ATIVO. Logo, é um direito que a entidade tem para com TERCEIROS.

Despesas antecipadas são pagamentos antecipados realizados pela companhia que


ainda não podem ser reconhecidos no resultado, já que o serviço ou o bem a que ela
se refere ainda não foi entregue ou prestado pelo fornecedor. Sando assim, é um direito da
companhia e por esse motivo deve ser reconhecida no ativo.

As despesas antecipadas são aquelas pagas ou devidas com antecedência, mas


referindo-se a períodos de competência subsequentes.

Exemplos:

. Prêmios de seguro;

. Aluguel pago antecipadamente;

. Assinaturas de periódicos e anuidades;

. Juros sobre descontos de duplicatas.

OBS: Caixa compreende numerário em espécie e depósitos bancários disponíveis.

Equivalentes de caixa são aplicações financeiras de curto prazo, de alta liquidez, que são
prontamente conversíveis em um montante conhecido de caixa e que estão sujeitas a um
insignificante risco de mudança de valor.

São denominados equivalentes-caixa os investimentos imediatamente conversíveis em


moeda e que apresentam baixo risco de alteração de valor. Quanto a isso, a entidade deve
expor em notas explicativas os critérios adotados para identificar as aplicações em
equivalentes-caixa.

Fluxos de caixa são as entradas e saídas de caixa e equivalentes de caixa.

Atividades operacionais são as principais atividades geradoras de receita da entidade e


outras atividades diferentes das de investimento e de financiamento.

Atividades de investimento são aquelas referentes à aquisição e à venda de ativos de


longo prazo e de outros investimentos não incluídos nos equivalentes de caixa.

Atividades de financiamento são aquelas que resultam em mudanças no tamanho e na


composição do capital próprio e no endividamento da entidade, não classificadas como
atividade operacional.
 Os equivalentes de caixa são mantidos com a finalidade de atender a
compromissos de caixa de curto prazo e não para investimento ou outros fins. Para
ser considerada equivalente de caixa, uma aplicação financeira deve ter
conversibilidade imediata em um montante conhecido de caixa e estar sujeita a um
insignificante risco de mudança de valor.

Na definição de equivalentes de caixa, além do disposto nos itens 7 a 10 do CPC 03, deve
ser observado que: (Res 3604 art 3º)

(a)    para ser considerado equivalente de caixa, um investimento deve ter, na data de


aquisição, prazo de vencimento igual ou inferior a noventa dias;

(b)    investimentos em instrumentos de capital não são considerados equivalentes de


caixa, a menos que, em essência, preencham os requisitos previstos no CPC 03 e neste
Plano Contábil.

CPC 03 - DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

Equivalentes de caixa são aplicações financeiras de curto prazo, de alta liquidez, que são
prontamente conversíveis em montante conhecido de caixa e que estão sujeitas a um
insignificante risco de mudança de valor. 

Em função da variedade de práticas de gestão de caixa e de produtos bancários ao redor


do mundo, e com vistas a atentar para o Pronunciamento Técnico CPC 26 – Apresentação
das Demonstrações Contábeis, a entidade deve divulgar a política que adota na
determinação da composição do caixa e equivalentes de caixa.

Os equivalentes de caixa representam os investimentos conversíveis em moeda e


que apresentam insignificante risco de alteração de valor. Além disso, a companhia
deve expor em notas explicativas (e não no relatório de administração) os critérios
adotados para identificar as aplicações em equivalentes de caixa. 

PATRIMÔNIO LÍQUIDO está dividido em:

Prejuízos acumulados

Reservas de capital

Reservas de lucros

Ações em tesouraria

Capital social

Ajustes de avaliação patrimonial (dupla natureza)


Art.178,§ 2º No passivo, as contas serão classificadas nos seguintes grupos:

III – patrimônio líquido, dividido em capital social, reservas de capital, ajustes de


avaliação patrimonial, reservas de lucros, ações em tesouraria* e prejuízos acumulados.

*Compreende o valor das ações ou cotas da entidade que foram adquiridas pela própria
entidade. Redutora do PL

CONTAS DO PL:¿¿¿

- Capital a Realizar

- Ajustes da Avaliação Patrimonial (DUPLA NATUREZA)

- Ajustes Acumulados de Conversão (DUPLA NATUREZA)

- Ações em Tesouraria

- Prejuízos Acumulados

- Gasto com Emissão de Ações

- Dividendos Antecipados

A conta ações em tesouraria é retificadora (redutora) do PL, então se o PL aumenta a


crédito e diminui a débito, é so lembrar que a natureza das ações em tesouraria é inversa
e aumenta a debito

As ações em tesouraria, que representam as ações de uma companhia adquiridas pela


própria sociedade, devem ser registradas no patrimônio líquido, em conta devedora,
reduzindo-se, assim, o valor do capital.

OBS: Lei 6.404/76

§ 5º As ações em tesouraria deverão ser destacadas no balanço como dedução da conta


do patrimônio líquido que registrar a origem dos recursos aplicados na sua aquisição.

A conta ajustes de avaliação patrimonial pertence ao patrimônio líquido e destina-se a


registrar, no balanço patrimonial, os aumentos ou as diminuições de valor de elementos
do ativo e do passivo sujeitos à avaliação a valor justo por determinação legal ou
regulamentação específica, enquanto tais variações não puderem ser reconhecidas no
resultado do exercício em obediência ao regime de competência.

Conforme o art. 182, § 3°, serão classificadas como ajustes de avaliação patrimonial,


enquanto não computadas no resultado do exercício em obediência ao regime de
competência, as contrapartidas de aumentos ou diminuições de valor atribuídos a
elementos do ativo e do passivo, em decorrência da sua avaliação a valor justo, nos
casos previstos nesta Lei ou, em normas expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários,
com base na competência conferida pelo § 3o do art. 177 desta Lei.

A conta de ajustes de avaliação patrimonial recebe lançamentos em contrapartida de


variações nos ajustes a valor presente de itens do passivo não circulante. ITEM
ERRADO, pois  ajustes de avaliação patrimonial reflete a contrapartida do valor justo;
ajuste a valor presente reflete o efeito do dinheiro no tempo. 

Ajuste de avaliação patrimonial é uma conta instável, uma vez que pode apresentar saldo
credor ou devedor; é uma conta do patrimônio líquido que, em decorrência da função que
lhe foi atribuída pela legislação societária, pode apresentar tanto saldo credor quanto
saldo devedor no balanço patrimonial.

Saldo credor --> aumenta o PL.

Saldo devedor --> diminui o PL, passando a ser uma conta retificadora do PL.

PL = Você lembra daquele peixe = A C.A.R.R.P.A.

C = Capital Social

A = Ações em Tesouraria

R = Reserva → de Lucro

R = Reserva → de Capital

P = Prejuízo acumulado

A = Ajutes da Avaluação Patrimonial (BIZU: aJUSTOs da aVALiação patrimonial


= VALor JUSTO)

OBS: provisões para contingências = obrigações cujo valor ou prazo são incertos

OBS: amortização acumulada, depreciação acumulada e exaustão acumulada são contas que
retificam, diminuem o valor do ativo

OBS: depreciação acumulada é a perda de valor dos ativos (ex: veículo que vai perdendo seu
valor ao longo do uso e ao longo do tempo)

OBS: é um título para capitalização de recursos

OBS: o PL está diretamente relacionado ao ativo e inversamente relacionado ao passivo

Provisão = passivo cujo valor ou prazo são incertos.

OBS: Exercício social das entidades terá a duração de 1 ano (em regra).; na constituição da cia
e nos casos de alteração estatutária o exercício social poderá ter duração diversa (art. 175)

- Demonstrações contábeis evidenciam a posição econômica e financeira da entidade;


Demonstrações contábeis obrigatórias (Art. 176):
. BP

. DLPA

. DRE

. DFC

. DVA (se cia aberta)

§1º as demonstrações de cada exercício serão publicadas com a indicação dos valores
correspondentes das demonstrações do exercício anterior.

§2º contas semelhantes poderão ser agrupadas; pequenos saldos poderão ser agrupados,
desde que não ultrapassem 1 décimo do valor respectivo; é vedada a utilização de designações
genéricas como “diversas contas” ou “contas correntes”

BALANCO PATRIMONIAL = apresenta estaticamente (“foto” de 31 de dezembro) a posição


financeira e patrimonial da entidade; contas agrupadas em ativo e passivo.

Art. 178 –

- Ativo (contas classificadas em ordem decrescente do grau de liquidez); dividem-se em:

a) ativo circulante (disponibilidades*, direitos realizáveis no curso do exercício social


subsequente** e aplicações de recursos em despesas do exercício seguinte)

* englobam o dinheiro em caixa (dinheiro, cheque em mãos recebido e ainda não depositado)
e em bancos, bem como depósitos bancários à vista, que são contas de livre movimentação
(conta movimento, contas especiais para pagamentos específicos – contas para folha de
pagamento de pessoal, etc e contas especiais de cobrança), numerários em trânsito, são o
caixa e os equivalentes de caixa (aplicações financeiras de liquidez imediata ou que a entidade
possui de altíssima liquidez – facilidade de conversão em dinheiro, de curto prazo – até 90 dias
e com insignificante risco de mudança de valor); é o ativo disponível.

** contas que representam direitos de curto prazo (direitos pessoais) a receber nos próximos
12 meses e bens que serão realizáveis nos próximos 12 meses (direitos reais) - exs: duplicatas a
receber, adiantamentos a fornecedores, produtos em elaboração e estoques

*** ex: despesas em que o FG só ocorrerá no exercício seguinte, mas que já estão
devidamente pagas (se já foram pagas, a empresa tem um direito e devem ser classificadas no
ativo). Exs: aluguel pago antecipadamente, assinatura de revistas e jornais pagas
antecipadamente, adiantamento de salários, seguros, etc.

ATIVO CIRCULANTE
Disponbilidades
Direitos realizáveis no curso do exercício social subsequente
Aplicações de recursos em despesas do exercício seguinte

OBS: exercício seguinte é o exercício posterior a data do balanço atual; devem ser classificados
no ativo circulante os direitos de curto prazo, nos próximos 12 meses.

b) ativo não circulante (RLP*, investimentos**, imobilizado*** e intangível****)


* direitos realizáveis (a receber) após 12 meses, ou seja, os direitos com vencimento superior a
um exercício social, assim como os derivados de vendas, adiantamentos ou empréstimos a
sociedades coligadas ou controladas que não constituem negócios usuais na exploração do
objeto da cia)

RLP = Direitos realizáveis


após o termino do
exercício seguinte e
Direitos derivados Vendas e Coligadas,
de: adiantamentos de controladas,
(atividades não empréstimos: diretores, acionistas
usuais) – e participantes do
independente do lucro
prazo

** participações permanentes em outras sociedades (ex: acoes de coligadas e controladas) e


os direitos de qq natureza, não classificáveis no ativo circulante, e que não se destinem à
manutenção da atividade da cia ou da empresa (exs: obras de arte, imóveis para aluguel,
terrenos não utilizados); empresas com participação de caráter permanente no capital social
de outras empresas

*** direitos que tenham por objeto bens corpóreos (tangíveis) destinados à manutenção da
cia ou exercidos com essa finalidade, inclusive os decorrentes de operações que transfiram à
cia os benefícios, riscos e controle desses bens (bens que se possui apenas a posse), exs:
computadores, galpão, mesa, imóvel comercial, maquinas e equipamentos, moveis e
utensilios, veículos, terrenos utilizados)

**** direitos que tenham por objeto bens incorpóreos (intangíveis) destinados à manutencao
da cia ou exercidos com essa finalidade, inclusive o fundo de comércio adquirido (exs:
software, direitos autorais, franquias, patentes, direitos de exploração de minas, jazidas ou
florestas, fundo de comércio.

OBS: ciclo operacional (tempo decorrido entre a aquisição da matéria-prima e a colocação do


produto à venda) se for maior que o exercício social, a classificação obedece ao ciclo e não o
exercício.

ATIVO NÃO CIRCULANTE


RLP
Investimentos
Imobilizado
Intangível

- Passivo (contas classificadas em ordem decrescente de exigibilidade); dividem-se em:

. passivo circulante + passivo não circulante (PE) e PL (dividido em 6 contas: capital social,
reservas de capital, ajustes de avaliação patrimonial, reservas de lucros = RL, ações em
tesouraria e prejuízos acumulados)

a) passivo circulante

b) passivo não circulante


c) PL

Resumo

AC PC
ANC PNC
PL

BP = demonstração contábil estática (naquele momento) sobre a posição patrimonial e


financeira da entidade; aspectos qualitativos e quantitativos; forma de representar, de
forma qualitativa e quantitativa, tudo que uma empresa possui; contas patrimoniais: ativo,
passivo exigível e PL.

DRE = demonstração dinâmica (contas de resultado = receitas e despesas verificadas ao longo


do período)

OBS: Se a questão afirmasse que tal ativo possui vida útil indefinida, ele não seria
amortizado

CPC 04 - item 89. (...) ativo intangível com vida útil indefinida não deve ser
amortizado

Em todo caso, mesmo que possuísse vida útil indefinida, tal patente deverá sofrer sim o
teste de recuperabilidade, podendo sofrer redução ao valor recuperável.

Bom, como a questão não afirma que o ativo possui vida útil indefinida, então ele sofre
sim amortização. Além disso, também é verdade que ele pode sofrer redução ao valor
recuperável.

As patentes, além de serem amortizadas contabilmente, são sujeitas a redução de valor


em decorrência da avaliação de seus valores de recuperação.

O reconhecimento inicial de um ativo intangível que tenha sido adquirido em separado


deve ser feito ao custo, o qual deve incluir, entre outros elementos, os impostos de
importação e os impostos não recuperáveis incidentes sobre a compra.

Para o CPC 04 um ativo intangível deve ser reconhecido inicialmente ao custo.

O item 24 menciona que o custo de ativo intangível adquirido separadamente inclui:

(a) seu preço de compra, acrescido de impostos de importação e impostos não


recuperáveis sobre a compra, depois de deduzidos os descontos comerciais e
abatimentos; e

(b) qualquer custo diretamente atribuível à preparação do ativo para a finalidade proposta.

Artigo 179, VI, Lei 6404/76: são classificados no ativo intangível: os direitos que tenham
por objeto bens incorpóreos destinados à manutenção da companhia ou exercidos com
essa finalidade, inclusive o fundo de comércio adquirido.

por exemplo: softwares, marcas, patentes, direitos autorais, franquias, etc


Bens tangíveis / corpóreos / concretos / materiais

Ex.: Veículos, terrenos, mercadorias, imóveis etc.

Bens intangíveis / incorpóreos / abstratos / imateriais

Ex.: Marcas, patentes, softwares etc.

OBS: Se o ativo intangível não for identificável, não há como a empresa ter certeza da
existência desse ativo. Nesse sentido, a identificação é fundamental para que um ativo
intangível seja reconhecido. O CPC 04 destaca que a definição de ativo intangível requer
que ele seja identificável, para diferenciá-lo do ágio derivado da expectativa de
rentabilidade futura (goodwill).

CONTAS CONTABEIS

Nomes que qualificam os elementos patrimoniais

Quantificam por meio de saldos (credores e devedores)

As entidades possuem certa liberdade na nomenclatura das contas

É vedada a utilização de designações genéricas (ex: diversas contas, contas correntes) – art.
176, §2º, lei 6404.

CONTAS DO ATIVO (bens e direitos) – aplicação de recursos

Recursos controlados pela entidade fruto de eventos passados capazes de gerar benefícios
econômicos futuros. EX: aplicação de recursos (tem natureza devedora)

CONTAS DO PASSIVO (obrigações) – origem de recursos (tem natureza credora)

CONTAS DO PL – origem de recursos (tem natureza credora)

CONTAS DE RECEITAS – origem de recursos

CONTAS DE DESPESAS – aplicações de recursos

Obs: contas do ativo, do passivo e do PL são contas patrimoniais; contas de receitas e despesas
são contas de resultado ; todas as contas patrimoniais possuem suas redutoras ou retificadoras
– natureza contrária

NATUREZA DEVEDORA – aplicação de NATUREZA CREDORA – origem de recursos


recursos
Ativo Passivo e PL
Despesas Receitas
Redutoras do Passivo e PL Redutoras de Ativo
OBS: BALANÇO PATRIMONIAL (contas patrimoniais) X DRE (CONTAS DE RESULTADO)

TÉCNICAS CONTÁBEIS = conjunto de procedimentos contábeis para registrar ou levantar os


fatos contábeis; são elas:

. Escrituração

. Demonstrações contábeis ou financeiras (BP ou DRE)

. Análise de balanços ou das demonstrações contábeis ou financeiras

. Auditoria

CONTAS CONTÁBEIS = meio pelo qual o patrimônio é controlado.

Nomes que qualificam os elementos patrimoniais

Quantificam por meio de saldos (credores e devedores)

As entidades possuem certa liberdade na nomenclatura das contas

É vedada a utilização de designações genéricas (ex: diversas contas, contas correntes) – art.
176, §2º, lei 6404.

CONTAS DO ATIVO (bens e direitos) – aplicação de recursos

Recursos controlados pela entidade fruto de eventos passados capazes de gerar benefícios
econômicos futuros. EX: aplicação de recursos (tem natureza devedora)

CONTAS DO PASSIVO (obrigações) – origem de recursos (tem natureza credora)

CONTAS DO PL – origem de recursos (tem natureza credora)

CONTAS DE RECEITAS – origem de recursos

CONTAS DE DESPESAS – aplicações de recursos

Obs: contas do ativo, do passivo e do PL são contas patrimoniais; contas de receitas e despesas
são contas de resultado; todas as contas patrimoniais possuem suas redutoras ou retificadoras
– natureza contrária

CONTAS NATUREZA
Ativo devedora Aumenta com débito e
diminui com crédito
Despesas devedora
Redutoras do devedora
Passivo e PL
Passivo Exigível e PL credora Aumenta com crédito e
diminui com débito
Receitas credora
Redutoras de Ativo credora
Ex: Fiz um lançamento a débito na conta devedora (ex: estoques) = aumenta o saldo
Fiz um lançamento a crédito na conta devedora (ex: pgto de duplicata) = diminui o saldo

Ex: estoques a caixa = a conta caixa foi creditada

OBS: BALANÇO PATRIMONIAL (contas patrimoniais) X DRE (CONTAS DE RESULTADO)

ATIVO, PASSIVO E PL

-- ATIVO organizado em ordem decrescente do grau de liquidez (o que gera dinheiro mais
rápido)

- ATIVO CIRCULANTE = disponível para negociação; até o termino do exercício social seguinte
(curto prazo)

. disponibilidades

. estoques

. clientes

- ATIVO NÃO CIRCULANTE = acima do exercício social seguinte (longo prazo)

. RLP

. Investimento

. Imobilizado

. Intangivel

-- PASSSIVO = organizado em ordem decrescente de exigibilidade (o que tem que pagar mais
rápido)
Sintetizando CPC 12:

Operações de Longo Prazo - Deverão ser sempre ajustadas a valor presente

Operações de Curto Prazo - Serão ajustadas a valor presente caso tenha efeito relevante

ATOS ADMINISTRATIVOS = acontecimentos que não geram alteração patrimonial

FATOS CONTÁBEIS ou FATOS ADMINISTRATIVOS = todos os acontecimentos que provocam


alterações qualitativas e quantitativas no patrimônio da empresa, podendo ou não alterar o PL
(situação líquida patrimonial).
Determinado lançamento contábil que resulta em alteração na situação líquida patrimonial
se origina necessariamente de um fato administrativo, ainda que as contas devedora e
credora tenham sido invertidas por engano. O fato administrativo irá modificar o patrimônio
de alguma forma, mesmo contador acertando as contas e errando a ordem de
lançamento(Trocando o débito por crédito, por exemplo)
- FATOS PERMUTATIVOS (ou QUALITATIVOS ou COMPENSATÓRIOS) = não alteram o valor do
patrimônio líquido (permuta entre elementos patrimoniais ou entre contas do próprio PL); não
há modificação quantitativa, apenas qualitativa; porém um fato contábil permutativo poderá
alterar a composição do ativo circulante; ocorre apenas troca de valores entre as contas
patrimoniais: contabilização entre A-A, A-P, P-P, PL-PL

Ex:Contabilização de um pagamento de duplicata


D:duplicata a pagar
C:caixa
Ex: diminuição do ativo e do passivo de mesmo valor = compra à vista de mercadorias (entra
estoque e sai dinheiro do caixa)

D – fornecedores (diminui o PE)

C – caixa (diminui o ativo)

Ex: aumento do ativo e do passivo de mesmo valor = compra a prazo de mercadorias (entra
estoque e se constitui duplicatas a pagar aos fornecedores).

D – estoques (aumenta o ativo)

C – fornecedores ou duplicatas a pagar (aumenta o PE)

Ex: aumento e diminuição concomitante do ativo = compra à vista de estoques (entra


estoques e sai dinheiro do caixa)

D – estoques (aumenta o ativo)

C – caixa (diminui o ativo)

Ex: aumento e diminuição concomitante do passivo = troca de obrigação de duplicata por


nota promissória

D – duplicatas a pagar (diminui o passivo)

C – nota promissória a pagar (aumenta o passivo)

Ex: aumento e diminuição concomitante do PL = lucros acumulados

D – lucros acumulados (diminui o PL)

C – reservas de lucros (aumenta o PL)

- FATOS MODIFICATIVOS*(ou QUANTITATIVOS) = alteram o valor do patrimônio líquido


(alteram a situação liquida para mais ou para menos); A-PA (R,D), P-PL (R,D); esses
lançamentos são registrados em 2 “territórios” diferentes, no balanço patrimonial (BP) e na
demonstração de resultado do exercício (DRE)

Ex: Reconhecimento de salários


D: despesa com salários
C: salários a pagar
(D-P)

a) Aumento do ativo = modif. aumentativo

aumenta o valor do PL (ex: recebimento de receitas)


D – bancos (aumento do ativo)

C – juros ativos ou receita financeira (aumenta o resultado e o PL)

b) Diminuição do passivo = modif. diminutivo

D – despesa financeira (diminui a conta resultado e o PL)

C – caixa (diminui o ativo)

c) Diminuição do ativo = modif. aumentativo

D – perdas ou insubsistência do ativo ou passiva (diminui o resultado e o PL)

C – estoques (diminui o ativo)

d) Aumento do passivo = modif. diminutivo

D – despesa com salários (diminui o resultado)

C – salários a pagar (aumento do passivo)

* a banca CESPE entende que os fatos modificativos necessariamente envolvem as contas de


resultado (receitas ou despesas).

FATOS MISTOS ou COMPOSTOS = são permutativos e modificativos ao mesmo tempo; tem que
ter pelo menos 3 contas envolvidas; provocam alterações qualitativas e quantitativas; A-P-PL
(R,D), A-A-PL (R,D)

Ex: pagamento de duplicatas com juros ou com descontos

Ex: recebimento de duplicatas com juros ou com descontos

Determinada sociedade anônima contratou um seguro contra incêndio, com vigência de


três anos, e pagou integralmente o prêmio do seguro à companhia seguradora no ato da
contratação.

A partir dessa situação hipotética, julgue os itens seguintes.

1) A empresa segurada estará sujeita ao reconhecimento futuro de despesas, as quais


serão apropriadas pro rata temporis, de acordo com o regime de competência.( Pro rata
temporis = proporcionalmente ao tempo).

Segundo o regime de competência a entidade irá realizar os lançamentos mensalmente.

No momento do contrato de seguro de incêndio da empresa, realiza-se o seguinte


lançamento:
D – Seguros a vencer

C – Caixa

Digamos que o valor total do seguro pago é de 36.000, como o seguro é de 36 meses,
então a cada mês a empresa deve lançar uma despesa de 1.000, isso está em
consonância com o regime de competência e é exatamente o pro rata temporis.

O lançamento ocorre da seguinte maneira:

D – Despesa com seguros 1.000

C – Seguros a vencer 1.000

GABARITO: CERTO

FONTE: PROJETOS MISSÃO

2) Para a empresa segurada, trata-se de um fato contábil permutativo, com efeitos


patrimoniais imediatos em contas do ativo circulante e do ativo realizável a longo prazo.

D- AC - ref a 12 MESES

D- AÑC - ref a 24 MESES restantes ==> Totalizando assim - 36 meses = 3 anos

C- CAIXA - ref aos pagamentos antecipados

Seguros pagos antecipadamente não são despesas ainda, pois não ocorreu o fato
gerador.

Seguros pagos antecipadamente é um direito que a empresa tem. Se é direito, classifica-


se no ativo.

O fato contábil é permutativo pois não houve despesa, apensa alterações entre contas do
ativo.

como a questão fala em vigência de 3 anos, temos que:

----os 12 meses seguintes classificam-se como AC

----os 24 meses seguintes classificam-se como ANC/ARLP.

3) Para a empresa segurada, trata-se de um fato contábil permutativo, com efeitos


patrimoniais imediatos em contas do ativo circulante e do ativo realizável a longo prazo.

PERFEITO, é um fato apenas permutativo pois não altera o PL no momento da


contratação. Veja:

Vai debitar seguros a apropriar para o período de 12 meses (Conta no ATIVO circulante),
debitar seguros a apropriar para o período restante(Conta no ATIVO realizável a longo
prazo) e creditar caixa(Conta no ATIVO).
Logo, apenas um fato que permutou as contas do ativo. Só vão afetar o PL no momento
da apropriação das despesas com seguros.

TODOS OS 3 ITENS ESTAO CORRETOS.

O registro da despesa de aluguel de determinado imóvel deverá ser feito no período ao


qual pertence, ainda que não haja pagamento. ITEM CERTO.

Desempenho financeiro refletido pela contabilização pelo regime de competência 

1.17 O regime de competência reflete os efeitos de transações e outros eventos e


circunstâncias sobre reivindicações e recursos econômicos da entidade que reporta nos
períodos em que esses efeitos ocorrem, mesmo que os pagamentos e recebimentos à
vista resultantes ocorram em período diferente.[...]

Regime de Competência - facilita a observação dos resultados de uma companhia , da


sua situação financeira e patrimonial .

Regime de competência >>> registra-se quando ocorre o fato gerador independente do


pagamento ou recebimento.

° receita e despesa : são contabilizados no momento em que elas ocorrem ( data dos fato
gerador ) , não importando quando será o pagamento ou recebimento .

EX conta de luz mesmo que for paga em atraso o registro será data de seu
vencimento

Na aquisição de mercadorias destinadas à revenda, as empresas deverão registrar, na


conta de compras, o valor da aquisição, descontado dos tributos recuperáveis. ITEM
CERTO.

CPC 16( R1) - Estoques 

11. O custo de aquisição dos estoques compreende o preço de compra, os impostos de


importação e outros tributos (exceto os recuperáveis junto ao fisco), bem como os custos
de transporte, seguro, manuseio e outros diretamente atribuíveis à aquisição de produtos
acabados, materiais e serviços. Descontos comerciais, abatimentos e outros itens
semelhantes devem ser deduzidos na determinação do custo de aquisição. 

Determinada entidade contratou dois funcionários para a área de vendas no primeiro dia
do mês. No dia 15 do referido mês, esses dois funcionários receberam adiantamentos
correspondentes a 30% dos salários a que tinham direito no mês. O restante foi pago no
quinto dia útil do mês subsequente.
A respeito da situação hipotética apresentada, julgue o item a seguir.
Os adiantamentos pagos aos funcionários no dia 15 do referido mês são considerados
fatos modificativos porque reduzem o ativo (saída de caixa) e reduzem o patrimônio
(reconhecimento de despesa).

ITEM ERRADO, pois Trata-se de um fato contábil permutativo: reduz o ativo (saída de
caixa) e aumenta outro ativo (adiantamento a funcionários). Adiantamentos a
funcionários é um DIREITO (Ativo) e não uma despesa.

FATO PERMUTATIVO

D - ADIANTAMENTO A FUNCIONÁRIOS (DIREITO, ATIVO)

C - CAIXA/BANCO (ATIVO)

OBS: fato contábil = provoca variação no patrimônio; fato administrativo = praticado pela
gestão da entidade; não são a mesma coisa, mas a banca confunde tais conceitos (CESPE
considera como sinônimas).

Alguns fatos não administrativos geram lançamentos contábeis, pois causam impacto no
patrimônio (ex: roubo de mercadorias, incêndio que causa perda de maquinários)

Atos administrativos não são contabilizados, pois não afetam o patrimônio (ex: aval, fiança,
contratação de empregados, pedido de orçamento, etc) – podem gerar consequências no
futuro

RAZONETE = Representação gráfica de determinada conta em forma de T para organizar


lançamentos contábeis e

SALDO DEVEDOR SALDO CREDOR

Vendas de 50 mil de seu estoque por 120 mil, a vista (receita de vendas)

OBS: juros passivos ou despesas financeiras

Juros Passivos são as despesas financeiras as quais ocorrem com


frequência no pagamento de duplicatas após o vencimento. Já
os juros ativos são as receitas.
OBS: alugueis passivos ou despesas de aluguel

OBS: fornecedores ou duplicatas a pagar

OBS: clientes ou duplicatas a receber

OBS a conta estoques anda de mãos dadas com a conta CMV

ARE – conta transitória

DESPESAS RECEITAS
Aplicação de Origem de
recursos recursos
(lançamentos (lançamentos
a débito) a crédito)
Natureza Natureza
devedora credora

Ex: custo das Ex: receita de


mercadorias vendas
vendidas

NATUREZA DAS CONTAS

NATUREZA DEVEDORA NATUREZA CREDORA


ativo Passivo exigível e patrimônio liquido
despesa Receita

OBS: O pagamento dos juros de determinado empréstimo integra o passivo exigível de


curto prazo. ITEM ERRADO, pois:

Juros ou Juros Passivos é uma conta de resultado (despesa financeira). 

Juros a Pagar é uma conta patrimonial, do Passivo Exigível (obrigação).

Apenas um lembrete que as despesas serão apropriadas mês a mês quando incorridas 

O empréstimo será uma OBRIGAÇÃO. Logo, natureza CREDORA.

Já os juros será uma DESPESA. Portanto, natureza DEVEDORA.

Obs: JUROS A PAGAR = EMPRÉSTIMO¿¿¿

MÉTODO DADS PARTIDAS DOBRADAS = os lançamentos a débito têm que corresponder aos
lançamentos a crédito; para todo débito há pelo menos 1 crédito em 1 ou mais contas

Superveniência = SURGIMENTO DE ALGO (aumento)

Insubsistência = DESAPARECIMENTO DE ALGO (diminuição)

SUPERVENIENCIA DO ATIVO OU ATIVA = RECEITA; ex: nascimento de um bezerro

INSUBSISTENCIA DO ATIVO OU PASSIVA = DESPESA; ex: roubo de mercadorias

SUPERVENIENCIA DO PASSIVO OU PASSIVA = DESPESA; ex: constituição de uma obrigação

INSUBSISTENCIA DO PASSIVO OU ATIVA = RECEITA; ex: perdão de uma dívida

ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL = técnica utilizada para o registro de dos fatos contábeis;


. realizada por meio de lançamentos* em livros próprios** de forma obrigatória (ART. 1179,
CC) – empresários e sociedade empresária devem escriturar, pelo menos, OS LIVROS DIÁRIO
E RAZÃO.
*método das partidas dobradas
. deve ser mantida em registros permanentes, obedecendo a legislação comercial
societária ou empresarial e os princípios de contabilidade geralmente aceitos
. deve observar métodos ou critérios uniformes
. regulamentação = Resolução CFC nº 1.330-2011 (ITG 2000), CC e Lei 6404
. obrigatoriedade = empresário, sociedade empresária, nos termos do art. 1.179, CC:
devem levantar anualmente o balanço patrimonial e de resultado econômico; exceção
= produtor rural e MEI (até 81 mil reais, ver LC 155-2016)
**LIVROS DE ESCRITURAÇÃO;
a) Livro Diário:
. é um livro OBRIGATÓRIO (exigido pelo CC; exceção = pequeno empresário (MEI)
. é um livro PRINCIPAL (registra TODOS os fatos contábeis)
. é um livro COMUM (para todas as empresas)
. é um livro CRONOLÓGICO (fatos registrados em ordem cronológica)
 Mnemônico : “OPCC”
. fatos decorrentes da atividade da companhia, explicados no histórico.
. permite compreender a sequência de acontecimentos ocorridos na empresa
OBS: NÃO pode ser substituído pela escrituração obrigatória do LIVRO RAZÃO, mas
pode ser substituído por fichas (art. 1.180, CC)
OBS: segundo o Código Civil, APENAS O LIVRO DIÁRIO é obrigatório.

b) Livro Razão:

. é um livro FACULTATIVO (regra geral, conforme legislação societária), mas OBRIGATÓRIO


para entidades que apuram IR pelo LUCRO REAL

. é um livro PRINCIPAL (registra todos os fatos contábeis)

. é um livro SISTEMÁTICO (fatos contábeis são registrados por tipos de contas)

ex: bancos, duplicatas a receber, fornecedores

 Menmônico: FPS (fator de proteção solar)

. são feitos os registros em cada conta do sistema contábil.


. possibilita controlar o movimento de todas as contas de forma separada

. deve conter termo de abertura e de encerramento, com assinatura do contabilista e do


responsável pela empresa

. demonstra a movimentação analítica das contas escrituradas e constantes do balanço

. mais importante que o livro diário

c) Livro Caixa:

. não existe determinação na legislação aplicável quanto à forma de escrituração

. não é obrigatório

. registrados cronologicamente todos os pagamentos e recebimentos

d) livros obrigatórios para as SA’s: (art. 100, lei 6.404)

- Formalidades da escrituração: (ler ITG 2000)

a) extrínsecas = visam dificultar a adulteração dos livros.

. refere-se à forma de apresentação material do livro

. formalidades em livros contábeis obrigatórios:

 Não digitais = serem encadernados + terem folhas numeradas +conterem termo de


abertura e fechamento + conterem assinaturas da entidade (titular ou responsável) e
do contador (regularmente habilitado)
 Digitais = devem ser assinados digitalmente pela entidade e pelo contador
(regularmente habilitado) + serem autenticados no registro público da entidade
competente quando exigível por legislação específica.

OBS: em caso de inobservância dessas formalidades, INVALIDA TODO O LIVRO!!!

OBS: Nas localidades em que não houver profissional habilitado, a escrituração contábil
poderá ficar a cargo do próprio contribuinte ou de pessoa por ele designada. Ressalte-se,
no entanto, que a designação de pessoa não habilitada profissionalmente, não eximirá o
contribuinte da responsabilidade pela escrituração (§ 1º do art. 268 da legislação do IR ).

b) intrínsecas = buscam resguardar a fidedignidade dos fatos ocorridos

. relacionadas com o lançamento contábil

. deve ser executada em idioma e moeda nacional, em forma contábil, em ordem cronológica
de dia, mês e ano, sem espaços em branco, nem entrelinhas, nem borrões ou rasuras nem
emendas.

. embasada em documentos de origem interna e externa e na sua falta, em elementos que


evidenciem fatos contábeis
OBS: a inobservância INVALIDA APENAS O REGISTRO, não invalida todo o livro

- ELEMENTOS ESSENCIAIS DO LANÇAMENTO CONTÁBIL NO LIVRO DIÁRIO:

. local e data;

. conta(s) debitada(s);

. conta(s) creditada(s);

. histórico;

. valor.

OBS: O prazo de guarda e manutenção de livros e documentos fiscais, seja de


competência federal, estadual ou municipal, regra geral, terá ligação direta com a
prescrição ou decadência do direito da administração pública constituir o crédito
tributário.

Regra geral

I) Comercial e fiscal

Regra geral, conforme o disposto no artigo 173 do Código Tributário Nacional, a Fazenda
Pública conta com o prazo prescricional de 05 (cinco) anos para constituir e efetuar
execução fiscal do crédito tributário

FÓRMULAS DE LANÇAMENTOS:

1ª fórmula 11 1 débito e 1 crédito


2ª fórmula 12 1 débito e 2 créditos ou mais
3ª fórmula 21 2 débitos ou mais e 1 crédito
4ª fórmula 22 2 débitos ou mais e 2 créditos ou mais

Ex: 1ª fórmula = compra à vista de um veículo no valor de 20mil

ATIVO = natureza devedora -> entrada de bens (veiculo) -> debita

ATIVO = natureza devedora -> saída de bens (caixa) -> credita

D – veículos = 20mil

C – caixa = 20mil

(lançamento manual: veículos a caixa)

Ex: 2ª fórmula = recebimento de duplicatas no valor de 30 mil com juros de 10%

ATIVO = natureza devedora -> entrada de bens (dinheiro) -> debita, pois o ativo aumenta a
débito
ATIVO = natureza devedora-> saída de direitos (duplicatas a receber) -> credita, pois o ativo
diminui a crédito

RECEITA = natureza credora -> aumento de receitas (juros ativos) -> credita, pois a receita
aumenta a crédito

D – caixa = 33mil

C – duplicatas a receber = 30mil

C – juros ativos = 3mil

(lançamento manual: caixa a diversos*, a duplicatas a receber, a juros ativos)

*mais de uma conta sendo creditada

Ex: 3ª fórmula = pagamento de duplicatas no valor de 20mil, com juros de 10%

PASSIVO = natureza credora -> saída de obrigações (duplicatas a pagar) -> debita

DESPESAS = natureza devedora -> aumento de despesas (juros passivos) -> debita

ATIVO = natureza devedora -> saída de bens (dinheiro) -> credita

D – duplicatas a pagar = 20mil

D – juros passivos = 2mil

C – caixa = 22mil

(lançamento manual = diversos a caixa*, duplicatas a pagar, juros passivos)

*mais de uma conta sendo debitada

Ex: 4ª fórmula = venda à vista de mercadorias no valor de 60mil, ao custo de 40mil

ATIVO = natureza devedora -> entrada de bens (dinheiro) -> debita

RECEITAS = natureza credora -> aumento de receitas (vendas) -> credita

ATIVO = natureza devedora -> saída de bens (mercadorias ou estoques) -> credita

DESPESA = natureza devedora -> aumento de despesas (CMV) -> debita

D – caixa = 60mil

D – CMV* = 40mil

C – vendas = 60mil

C – mercadorias = 40mil

*CMV = custo da mercadoria vendida


Se determinado depósito bancário feito pela empresa não tiver sido debitado pelo
contabilista na conta bancos, o fato poderá ser detectado pelo procedimento de
conciliação bancária. ITEM CERTO.

A conciliação consiste na comparação do saldo de uma conta bancária de movimento


com uma informação externa à contabilidade (extrato bancário), de maneira que se possa
ter certeza quanto à exatidão do saldo em análise, em determinada data.

Realiza-se a composição do saldo, analisando-se os lançamentos não realizados (tato


pelo banco, no extrato, quando pela contabilidade interna, no razão) ou divergentes
(valores diferentes) e cheques não compensados.

- Erros de escrituração e de retificação:

Os principais erros de escrituração (lançamento) no livro DIÁRIO são:


. título;

. valor; inversão;

. duplo registro;

. omissão;

. histórico incorreto

A retificação é o processo técnico de correção de registro que tenha sido realizado com erro na
escrituração contábil da entidade. A correção ou retificação deve ser motivada. Espécies:

. estorno = consiste num lançamento inverso àquele feito erroneamente, anulando-o


integralmente; em regra, a correção envolve 2 lançamentos, o de estorno e o que
corretamente registra a transação.

. transferência = consiste no estorno parcial; promove a regularização de conta indevidamente


debitada ou creditada por meio da transposição do registro para a conta adequada.

. complementação = consiste em complementar, aumentando ou reduzindo o valor


anteriormente registrado; assim, repete-se o lançamento errado e registra-se a diferença de
valor; o lançamento suplementar serve para complementar o registro original que foi lançado
com valor inferior ao devido.

A correção pode ser feita das seguintes formas:

=> Complementação: só ajusta o valor para mais ou para menos. É necessário


somente um lançamento.

Estorno: lançamento inverso, anulando totalmente o primeiro. Deve-se fazer mais de um


lançamento.

Transferência: Transposição para a conta adequada


Ressalva: Correção antes do término do lançamento

OBS: O lançamento deve conter o registro dos documentos que deram origem à
escrituração.

OBS: A escrituração contábil é processada mediante lançamentos em livros destinados ao


registro das operações que afetam o patrimônio das entidades.

Com relação à retificação de erro, é correto afirmar que

 A

os erros do período corrente descobertos nesse período devem ser corrigidos


depois de autorizada a publicação das demonstrações contábeis.

 B

a retificação de erro de período anterior deve ser incluída nos resultados do


período em que o erro é descoberto.

 C

as correções de erro têm o mesmo tratamento das mudanças nas estimativas


contábeis.

 D

as estimativas, como aproximações, são passíveis de revisão à medida que se


conhecem fatos novos. CORRETA

 E

a perda reconhecida no desfecho da contingência, mesmo que, antes, pudesse ter


sido estimada com precisão, constitui retificação de erro.

- ESCRITURAÇÃO DE OPERAÇÕES TÍPICAS:

- ASPECTOS DA ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL (IPC) = art. 176 (demonstrações financeiras)

. balanço patrimonial

. DLPA

. DFC
. se cia aberta, DVA

OBS: as contas semelhantes poderão ser agrupadas e os pequenos saldos poderão ser
agregados, desde que indicada a natureza a não ultrapasse 0,1 (1 décimo) do valor do
respectivo grupo, sendo vedada designações genéricas (ex: diversas contas ou contas
correntes)

OBS: notas explicativas servem para complementar os demonstrativos contábeis

OBS: cia fechada com PL, na data do balanço, inferior a 2 milhões de reais, não será obrigada a
elaboração e publicação da DFC

Representação Fidedigna por meio de três atributos: precisa ser completa, neutra e livre
de erro: 

REPRESENTAÇÃO FIEL DA FORMA LEGAL NEM SEMPRE QUER DIZER


FIDEDIGNIDADE, pois deve considerar também a essência sobre a forma. Lembrar que o
que prevalece é a essência sobre a forma.

Ao avaliar se um item se enquadra na definição de ativo, passivo ou patrimônio


líquido, deve-se atentar para a sua essência subjacente e realidade econômica e não
apenas para sua forma legal. Assim, por exemplo, no caso do arrendamento mercantil
financeiro, a essência subjacente e a realidade econômica são a de que o arrendatário
adquire os benefícios econômicos do uso do ativo arrendado pela maior parte da sua vida
útil, em contraprestação de aceitar a obrigação de pagar por esse direito valor próximo do
valor justo do ativo e o respectivo encargo financeiro. Dessa forma, o arrendamento
mercantil financeiro dá origem a itens que satisfazem à definição de ativo e de passivo e,
portanto, devem ser reconhecidos como tais no balanço patrimonial do arrendatário.

OBS: as contas semelhantes poderão ser agrupadas e os pequenos saldos poderão ser
agregados, desde que indicada a natureza a não ultrapasse 0,1 (1 décimo) do valor do
respectivo grupo, sendo vedada designações genéricas (ex: diversas contas ou contas
correntes)

OBS: notas explicativas servem para complementar os demonstrativos contábeis

OBS: cia fechada com PL, na data do balanço, inferior a 2 milhoes de reais, não será obrigada a
elaboração e publicação da DFC

Representação Fidedigna por meio de três atributos: precisa ser completa, neutra e livre
de erro: 

REPRESENTAÇÃO FIEL DA FORMA LEGAL NEM SEMPRE QUER DIZER


FIDEDIGNIDADE, pois deve considerar também a essência sobre a forma

Lembrar que o que prevalece é a essência sobre a forma.


Os adiantamentos pagos aos funcionários no dia 15 do referido mês são considerados
fatos modificativos porque reduzem o ativo (saída de caixa) e reduzem o patrimônio
(reconhecimento de despesa).

ATOS ADMINISTRATIVOS = acontecimentos que ocorrem na empresa (manifestações de


vontade para executar alguma operação), mas não alteram o patrimônio, não são registrados
na contabilidade. Ex: assinatura de contrato de compra e venda, contratação de funcionários,

Se tais fatos forem relevantes, ou seja, podem alterar o patrimônio no futuro, devem ser
divulgados em notas explicativas. Ex: fiança em relação a outras empresas.

FATOS CONTÁBEIS = acontecimentos que ocorrem na empresa que alteram seu patrimônio,
qualitativa ou quantitativamente, logo são registrados na contabilidade utilizando as contas
contábeis por meio dos lançamentos contábeis.

Exs de alterações qualitativas (apenas mudam a qualidade do patrimônio) = compra de


mercadorias à vista (a empresa troca dinheiro por bens que serão revendidos)

Exs de alterações quantitativas (altera o valor do PL) =

OBS: fatos contábeis, em sentido estrito, não são a mesma coisa que fatos administrativos. O
fato administrativo é necessariamente um fato contábil, mas a reciproca não é verdadeira. Ex:
ocorrência de incêndio na empresa.

- ESPÉCIES DE FATOS CONTÁBEIS:

. Fatos permutativos, compensatórios ou qualitativos = não alteram o total do PL, provocam


alterações qualitativas do mesmo; decorrem de registros em contas patrimoniais; modifica
apenas a composição do ativo ou do passivo, mas não os valores; permuta entre elementos do
ativo, do passivo, de ambos ou entre elementos do PL); não causam impactos na equação do
patrimônio.

Ex: permuta entre elementos do ativo (ex: compra à vista de mercadorias para estoque: entra
valor no estoque, aumenta o ativo, e sai dinheiro do caixa ou da conta bancos, diminui o ativo)

Ex: permuta entre elementos do passivo (ex: conversão de dívida com fornecedores em
empréstimo); debita fornecedores, diminuindo o passivo e aumenta o empréstimo,
aumentando o passivo.

Ex: permuta entre elementos do PL (ex: aumento da conta reservas = capitalização de


reservas); debita conta reservas de lucros e credita conta capital social)

Ex: permuta entre elementos do ativo e do passivo:

1) aumenta o ativo e do passivo = aumento do patrimônio . ex: compra a prazo de


mercadorias para revenda – debita mercadorias ou estoques ou estoque de
mercadorias (aumenta o ativo) e credita fornecedor (aumenta o passivo)
2) diminui o ativo e do passivo = diminuicao do patrimônio. Ex: pagamento de
fornecedores – diminui o passivo e sai dinheiro do caixa – diminui o ativo

. Fatos modificativos (aumentativos ou diminutivos) = provocam alterações quantitativas no


PL, podendo aumentar (ex: receitas) ou diminuir (ex: despesas) o PL; envolvem contas de
resultado (contas de receitas e despesas)
1) aumentativos = ex: receita com venda a vista (credita receita de venda, aumenta o PL)
e debita o ativo, por ter entrado dinheiro no caixa, aumenta o ativo.
2) diminutivos = ex: pagamento de despesas, contabilização da despesa de salários
(debita despesa de salários – diminui o PL e credita salários a pagar – aumenta o
passivo). Ex: apropriação de folha de pessoa do mês (apropriar significa reconhecer
uma despesa que ocorreu mas ainda não foi paga) – despesa reconhecida por
competência
D - despesa com pessoal (-PL)
C – salário a pagar (+P)

. Fatos mistos ou compostos (fatos permutativos + modificativos) = podem ser aumentativos


ou diminutivos; tem que ter pelo menos 3 contas. OBS: o pagamento e recebimento de
duplicatas, fornecedores ou clientes com juros ou descontos serão fato misto!

1) Fatos mistos aumentativos = ex: recebimento de duplicatas vencidas no valor de


10.000,00 com juros de 10% (credita o “duplicatas a receber “ no valor de 10.000 e
credita a receita de juros 10% de 10.000, e debita o caixa no valor de 11.000)
2) Fatos mistos diminutivos = ex: pagamento de duplicatas vencidas no valor de 10.000
com juros de 10% (debitou duplicatas a pagar e diminuiu o passivo, credita caixa e
diminui o ativo e debita despesas de juros ou juros passivos em 1.000 e o caixa diminui
o ativo em 11.000)

Desconto = desconto financeiro ou condicional é conta de receita

OBS: fatos complexos = há divergência na doutrina se são fatos modificativos – posição


majoritária ou permutativos – posição do CESPE essa última (alteram o patrimônio, mas não
envolvem contas de resultado)

Ex: integralização de capital social em dinheiro no valor de 10.000 (debita o caixa, aumentando
o ativo, e credita capital social, aumentando o PL)

OBS: Insubsistencia do ativo ou passiva = deixou de existir um ativo, redução do ativo que
provoca despesa (ex: incêndio que destruiu mercadorias) ; insubsistencia do passivo ou receita
= deixou de existir um passivo, redução do passivo e provoca receita (ex: decadência de dividas
tributarias)

OBS: Supervenciencia do ativo = algo passou a existir, algo é acrescido (ex: empresa recebe
doação de veiculo) é receita; superveniencia do passivo (ex: pagamento de algo com juros) é
despesa

OBS: alugueis recebidos antecipadamente é uma obrigação, ou seja, conta do passivo


(aumenta com crédito) enquanto o caixa é um bem ou direito, ou seja, conta do ativo,

O segredo da questão é que o CESPE só considera como fato modificativo quando há


conta de resultado, mesmo que altere o PL, mas não haja receita ou despesa, ela
considerará como fato modificativo, mas sim, como fato permutativo. Ex: Integralização do
capital social de 100

D - Caixa 100
C - Capital social 100

Para o CESPE é fato permutativo

CONTAS DO ATIVO CONTAS DO PASSIVO CONTAS DO PL


CONTAS DE
RESULTADO
caixa e equivalentes duplicatas capital social R$ depreciação R$
R$ 10.000 descontadas R$ 400.000 15.000
créditos contra 100.000 reservas de lucros vendas líquidas R$
clientes R$ 350.000 fornecedores R$ R$ 100.000 2.000.000
estoques para 80.000 salários e encargos
revenda R$ 250.000 salários e encargos R$ 450.000
veículos R$ a pagar R$ 50.000
120.000

A Contabilidade utiliza o Regime de Competência, ou seja, as Receitas, Custos, Despesas


e Investimentos têm os valores contabilizados dentro do mês onde ocorreu o fato gerador.
Isto é, na data da realização do serviço, compra do material, da venda, do desconto, não
importando para a Contabilidade quando o item será pago ou recebido, mas sim quando
foi realizado o ato. O balanço patrimonial segue estritamente o regime de competência,
pois está preocupado em registrar os efeitos patrimoniais de acordo com o FG.

CONTAS PATRIMONIAIS = geram benefícios futuros

CONTAS DE RESULTADO = contas transitórias, aparecem na DRE, o que consumiu ou gerou


uma obrigação;

CONTAS DE RECEITAS = podem ser operacionais (envolvem a atividade empresarial) e não


operacionais (venda de um equipamento que não é a atividade principal da empresa); toda
receita provoca entrada de ativos na minha empresa

(terão reflexo sobre os elementos patrimoniais = bens, direitos e obrigações)

CONTAS DE CUSTOS = envolvidas diretamente pela venda de minhas mercadorias

CONTAS DE DESPESAS = geram saída ou desembolso de dinheiro; toda vez que tenho uma
saída tenho uma diminuição do ativo ou aumento do passivo ou do PL; despesas podem ser
administrativas, comerciais e financeiras.

RESULTADO = é a diferença entre o valor das receitas e o valor dos custos e das despesas
Uma conta que é creditada para evidenciar a origem dos recursos de uma operação
contábil deve ter o saldo credor. ITEM ERRADO, tanto os de natureza DEVEDORA quanto
os de natureza CREDORA podem ser debitados ou creditados.

1º exemplo:

Pagamento de dívida de R$ 1.000,00

conta banco( natureza devedora) como saiu dinheiro então vamos creditar.

conta pagamento( natureza credora)como está diminuindo uma obrigação, então vamos
debitar.

natureza devedora: aumenta por débito e diminui por crédito.

Natureza credora: aumenta por crédito e diminui por débito.

A lógica é simples: basta saber a natureza e o impacto causado (aumenta ou diminui).

Obs: Registro contábil - Empréstimos e Financiamento

O registro contábil deve ser efetuado quando a empresa receber os recursos, o que muitas
vezes coincide com a data do contrato. No caso dos contratos em que a liberação dos
recursos ocorrer em várias parcelas, o registro será efetuado à medida dos
recebimentos das parcelas.