Você está na página 1de 10

COMPONENTE CURRICULAR: LÍNGUA PORTUGUESA

ANO DE ESCOLARIDADE: 8º ANO


NOME DA ESCOLA: UNIDADE ESCOLAR VALDELIZA BRITO REIS
NOME DO ALUNO:
TURMA: 8 ANO TURNO:
TOTAL DE SEMANAS: 4

OBJETOS DE CONHECIMENTO:
- Léxico/morfológico
- Morfossintaxe
-Estilo
HABILIDADE(S):
(EF08LP05)
(EF08LP06)
(EF08LP09)
(EF69LP18)

CONTEÚDOS RELACIONADOS:
#GÍRIAS
#ESTRUTURA DAS PALAVRAS
#TIPOS DE SUJEITO
#ADJUNTO ADNOMINAL E COMPLEMENTO NOMINAL

1º semana

 A gíria é uma das variedades que uma língua pode apresentar. Quase sempre é criada por um
grupo social, como os dos fãs de rap. de heavy metal, o dos praticantes de jiu-jitsu e de capoeira,
etc. Quando ligada a profissões, a gíria é chamada de jargão. É o caso do jargão dos jornalistas,
dos médicos, dos dentistas e outras profissões.
1) Reescreva o texto abaixo substituindo as gírias por palavras ou expressões mais formais.
É massa!
Dessa vez a Atrevida " arrepiou". Foi " da hora" a matéria NA PONTA DA LÍNGUA, com as
gírias " maneiras" de todos os lugares. É por isso que me "amarro" cada vez mais nessa revista:
descolada, divertida, diferente e "trilegal"
(Trecho de uma carta enviada para revista "Atrevida")
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
2 - Suponha que você esteja em um jantar muito chique de aniversário, como você poderia
modificar essas frases para ser mais formal, ou mais educado com os convidados?
a) A noite hoje está massa! ___________________________________________________
b) Adorei o rango! (Ex:Adorei o jantar!) ___________________________________________
c) "Vô nessa"! Até mais meu chapa! _______________________________________________
d) E ai véi? Qual é a boa de hoje? _________________________________________________
e) "Demorô" Vamos bailar... ___________________________________________________
3 - Reescreva as frases abaixo, escritas de forma mais formal, empregando uma linguagem mais
popular. Imagine que você está falando com um amigo em um bar!
a) Fiquei muito emocionado com a sua declaração.
___________________________________________________
b) Essa moça é lindíssima. ___________________________________________________
c) Diga aos nossos companheiros que mais tarde nos encontraremos.
___________________________________________________
d) Aquele foi um gol muito especial, feito com muita técnica.
___________________________________________________

4 - Leia
            Domingo, eu passei o dia todo de bode. Mas, no começo da noite, melhorei e resolvi bater
um fio para o Zeca.
            - E aí, cara? Vamos no cinema?
            - Sei lá, Marcos. Estou meio pra baixo...
            - Eu também tava, cara. Mas já estou melhor.
            E lá fomos nós. O ônibus atrasou, e nós pagamos o maior mico, porque, quando chegamos,
o filme já tinha começado. Teve até um mane que perguntou se a gente tinha chegado para a
próxima seção.
            Saímos de lá, comentando:
            - Que filme massa!
            - Maneiro mesmo!
            Mas já era tarde, e nem deu para contar os últimos babados pro Zeca. Afinal, segunda-feira
é dia de trampo e eu detesto queimar o filme com o patrão. Não vejo a hora de chegar o final de
semana de novo para eu agitar um pouco mais.

Márcia Paganini Cavéquia


a) Você conseguiu entender o texto acima?
__________________________________________________________________________

b) Em sua opinião todas as pessoas que lerem o texto conseguirão compreendê-lo? Por quê?
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________

c) Você saberia explicar o significado de cada uma das gírias do texto acima? Vamos tentar?
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________

d) Agora, depois de tentar descobrir o significado das gírias, reescreva o texto de acordo com suas
sugestões.
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________

Linguagem coloquial, informal ou popular é a linguagem utilizada no cotidiano e que não exige a
observância total da gramática. Linguagem formal é aquela em que se usa o padrão formal da
língua, isto é, aquela ensinada na gramática e seu uso se dá em situações mais formais.

2º semana Estrutura das palavras: elementos mórficos

Embora as palavras nos sejam apresentadas como um todo significativo, podem ser subdivididas
em estruturas significativas menores, chamadas de morfemas ou elementos mórficos.

Na estrutura e formação das palavras, existem diferentes elementos mórficos, com diferentes
significados:

 radical e raiz;
 vogal temática;
 tema;
 desinências;
 afixos;
 vogais e consoantes de ligação.
Radical e raiz

O radical, também chamado de morfema lexical, é a parte fundamental da palavra, definindo o seu
significado principal. A raiz é, também, a base de significação mais irredutível de uma palavra.

O radical é um termo usado regularmente, sendo facilmente depreendido. Apresenta um caráter


prático e gramatical. Já a raiz é analisada segundo uma perspectiva histórica, implicando estudos
etimológicos.

Exemplos de radical de palavras

 cantar (cant- ar);


 cantor (cant- or);
 cantiga (cant- iga).

Aprenda também os radicais gregos e latinos.

Vogal temática

As vogais temáticas ocorrem entre um radical e uma desinência. Ocorrendo em verbos, são
chamadas de vogais temáticas verbais. Ocorrendo em nomes, são chamadas de vogais temáticas
nominais.

Nos verbos, as vogais temáticas indicam a conjugação verbal:

 Vogal temática -a indica os verbos da 1.ª conjugação: falar.


 Vogal temática -e indica os verbos da 2.ª conjugação: entender.
 Vogal temática -i indica os verbos da 3.ª conjugação: dividir.

Nos nomes, as principais vogais temáticas são -a e -o, como em em livr-o e past-a. Os nomes
terminados em consoante, como par, possuem a vogal temática -e, que é recuperada no plural
(mar-e-s). Apenas as vogais finais átonas são vogais temáticas nominais. Os nomes terminados em
vogal tônica, como café, não possuem vogal temática.

Tema

Tema é o nome dado à junção do radical com a vogal temática. Nas palavras em que não há vogal
temática, o tema e o radical estão representados no mesmo elemento.

Temas verbais:

 falar (fala-r);
 entender (entende-r);
 dividir (dividi-r).

Temas nominais:

 livros (livro-s);
 pastas (pasta-s).
Desinências

As desinências são morfemas que indicam os tipos de flexão que uma palavra pode sofrer. Tal
como as vogais temáticas, as desinências são chamadas de nominais quando se referem a nomes e
de verbais quando se referem a verbos.

As desinências nominais indicam a possibilidade de flexão em gênero (feminino e masculino) e


número (singular e plural):

 A desinência nominal -o indica o masculino: amigo (amig-o).


 A desinência nominal -a indica o feminino: amiga (amig-a).
 A desinência nominal -s indica o plural: amigos e amigas (amig-o-s e amig-a-s).

As desinências verbais indicam a possibilidade de flexão em modo (indicativo, subjuntivo e


imperativo), tempo (passado, presente e futuro), número (singular e plural) e pessoa (1.ª, 2.ª ou 3.ª
pessoa gramatical).

Desinências verbais modo temporais:

 As desinências -va e -ia indicam o pretérito imperfeito do indicativo: falava, corria.


 A desinência -ra indica o pretérito mais-que-perfeito do indicativo: falara.
 A desinência -ria indica o futuro do pretérito do indicativo: falaria.
 A desinência -sse indica o pretérito imperfeito do subjuntivo: falasse.

Desinências verbais número pessoais:

 A desinência -o indica a 1.ª pessoa do singular: falo.


 A desinência -s indica a 2.ª pessoa do singular: falas.
 A desinência -mos indica a 1.ª pessoa do plural: falamos.
 A desinência -m indica a 3.ª pessoa do plural: falam.

Veja também outros exemplos de desinências nominais e verbais.

Afixos: prefixos e sufixos

Os prefixos e sufixos são afixos, ou seja, são elementos que se juntam a uma palavra para a
formação de outra.

Os prefixos aparecerem antes do radical das palavras.


Os sufixos aparecerem depois do radical das palavras.

Ambos promovem a alteração do sentido da palavra, formando uma noma palavra derivada.

Exemplos de prefixos:

 desigual (des- + igual);


 infeliz (in- + feliz);
 refazer (re- + fazer).

Exemplos de sufixos:
 caprichar (capricho + -ar);
 normalmente (normal + -mente);
 lavável (lavar + -ável).

Leia mais sobre prefixos e sufixos.

Vogais e consoantes de ligação

Vogais e consoantes de ligação surgem na formação das palavras por razões fonéticas, ocorrendo
entre dois morfemas. Não apresentam valor significativo. Estabelecem uma ligação entre dois
radicais ou entre um radical e um sufixo, de forma a facilitar a pronúncia da palavra e evitar
dissonâncias na junção dos morfemas.

Exemplos de vogais de ligação:

 gasômetro (gás-ô-metro);
 parisiense (Paris-i-ense).

Exemplos de consoantes de ligação:

 chaleira (chá-l-eira);
 cafezal (café-z-al).

Vogais e consoantes de ligação são também chamados de infixos.

Atenção!
Na estrutura de palavras, na junção dos morfemas, podem ocorrer omissões e alterações fônicas,
como:

 carteiro: cart(a) + eiro, com omissão da vogal a.


 cantávamos e cantáveis: alteração fônica de a para e por influência da vogal i.

Separação dos morfemas das palavras

A separação dos morfemas constituintes das palavras não é uma tarefa simples e linear, sendo
necessária a compreensão do significado dos diferentes morfemas que participam na estrutura e
formação de palavras.

Morfemas da palavra patinhos (pat-inh-o-s)


pat (radical)
inh (sufixo indicativo do diminutivo)
o (desinência indicativa do masculino)
s (desinência indicativa do plural)

Morfemas da palavra encontrávamos (encontr-á-va-mos)


encontr (radical)
á (vogal temática)
va (desinência indicativa do modo e tempo verbal)
mos (desinência indicativa da pessoa e número verbal)

Outros exemplos de separação dos elementos mórficos


Poeira
poeira (poeir - a)
poeirento (poeir - ento)
poeirada (poeir - ada)
empoeirar (em - poeir - ar)
empoeirados (em - poeir - ado - s)
desempoeirar (des - em - poeir - ar)
desempoeirado (des -em -poeir - ado)

Equilíbrio
equilíbrio (equilibr - io)
equilibrar (equilibr - ar)
equilibristas (equilibr - ista - s)
equilibrado (equilibr - ado)
desequilibrar (des - equilibr - ar)
desequilibrado (des - equilibr - ado)

Já aprendeu tudo sobre a estrutura das palavras? Verifique os seus conhecimentos!

1. Classifique os elementos mórficos da palavra amigos (menin-a-s).

a) menin
b) a
c) s

2. Indique a opção correta.

a) A desinência verbal indicativa do pretérito imperfeito do indicativo é -va.


b) A desinência verbal indicativa do pretérito imperfeito do indicativo é -ia.
c) As desinências verbais indicativas do pretérito imperfeito do indicativo são -ia e -va.
d) As desinências verbais indicativas do pretérito imperfeito do indicativo são -va e -ra.

3. Indique se as palavras são formadas por prefixos ou por sufixos.

a) desigual;
b) consumismo;
c) antirrugas;
d) ultrassom;
e) esperança.

4. Assinale a opção que não apresenta desinência de gênero.

a) divertida
b) respeitoso
c) fantasia
d) aborrecido

5. Na palavra equilibristas indique a ordem correta dos morfemas.

a) radical, sufixo, desinência de gênero, desinência de número


b) radical, prefixo, desinência de gênero, desinência de número
c) radical, sufixo, desinência de número
d) radical, prefixo, desinência de número
3ª semana TIPOS DE SUJEITO

Com estes exercícios, você pode testar seus conhecimentos sobre os tipos de sujeito, termo
essencial da oração.
Questão 1
Relacione as orações com os tipos de sujeito:
a) ( ) Choveu muito ontem à noite.
b) ( ) Cantar faz bem para a alma.
c) ( ) As chaves e as malas da Joana já estão no carro.
d) ( ) Não encontraram o culpado.
e) ( ) Perdi o voo.
I. Sujeito composto.
II. Sujeito oculto.
III. Oração sem sujeito.
IV. Sujeito indeterminado.
V. Sujeito simples.
Questão 2
Identifique os sujeitos das orações a seguir e classifique-os:
a) A festa continuou madrugada a fora.
b) Encerrou satisfeito a reunião o diretor da empresa.
c) Bateram no meu carro.
d) Faz muitos anos que ele partiu.
e) Estudo e dedicação são essenciais para a aprovação.
Questão 3
“Nunca me faltou ajuda nas dificuldades”. Qual é o sujeito e o tipo de sujeito dessa oração?
a) ( ) Nunca / Sujeito simples.
b) ( ) Dificuldades / Sujeito simples.
c) ( ) Ajuda nas dificuldades / Sujeito composto.
d) ( ) Ajuda / Sujeito simples.
Questão 4
(TJ-SC-2010) Na oração “Trabalhar no Tribunal de Justiça é um grande desejo meu”:
a) ( ) O sujeito é “trabalhar”.
b) ( ) O sujeito é oculto: eu.
c) ( ) É uma oração sem sujeito.
d) ( ) O sujeito é indeterminado.
Questão 5
(TJ-SC-2008) Há sujeito indeterminado em:
a) ( ) Não deve haver problemas com a sua contratação.
b) ( ) Precisa-se de mais computadores no escritório.
c) ( ) Dê-se ciência às partes da decisão.
d) ( ) Alugam-se apartamentos.

4 ª semana Adjunto Adnominal e Complemento Nominal

O adjunto adnominal é um termo que vem associado a um nome que preenche a posição de
núcleo de uma função sintática modificando, especificando ou precisando o seu sentido, no
contexto.

Ex: Os bons                alunos       saíram da escola. 


      adjunto adnominal   nome

Os adjuntos adnominais costumam ser expressos por:


- adjetivos;
- locuções adjetivas;
- artigos definidos e indefinidos;
- pronomes adjetivos possessivos;
- numerais adjetivos
Complemento Nominal

Alguns advérbios e nomes (substantivos e adjetivos), da mesma forma que alguns verbos, podem
requerer um complemento para completar o seu sentido. Esses complementos são chamados
de complementos nominais, vêm sempre antecedidos por preposições.

Ex: Os estudantes protestaram contra a        paralisação                   dos professores. 


                                                                                nome de significação       complemento nominal

                                                                                    transitiva

Questão 1
(UFSC) Observe os períodos abaixo e assinale a alternativa em que o lhe é adjunto adnominal:
a) ( ) “…anunciou-lhe: Filho, amanhã vais comigo.”
b) ( ) O peixe cai-lhe na rede.
c) ( ) Ao traidor, não lhe perdoaremos jamais.
d) ( ) Comuniquei-lhe o fato ontem pela manhã.
Questão 2
Destaque o adjunto adnominal das orações abaixo:
a) Aquela era uma menina feliz.
b) Meu pai gosta de doce de leite.
c) O livro está esgotado.
d) Esta quinta promete chuva.
Questão 3
Relacione as colunas de acordo com a classe gramatical a que o núcleo do complemento verbal
pertence:
a) Ela estava consciente de tudo.
b) A vitória de um foi a alegria do grupo.
c) O medo de que fosse assaltada mantinha-a em casa.
d) Eles têm admiração pelo pai.
( ) substantivo
( ) pronome
( ) numeral
( ) oração

Boa sorte!

Você também pode gostar