Você está na página 1de 7

INFORMAÇÕES FUNDAMENTAIS PARA O ESTUDO DIÁRIO DE

GUITARRA:

Independente do tempo que se tem para estudar,é importante


focar em pelo menos 6 ítens, que são primordiais:

1. Conhecimento do braço;
2. Técnica
3. Harmonia
4. Improvisação
5. Leitura
6. Repertório
1. Conhecimento do braço: Conhecer as notas no braço do
instrumento, o mapeamento do braço em termos de escalas,
arpejos e acordes. Saber as Escalas Diatônicas( Escalas: Maior,
Menor Natural, Harmônica e Melódica); Escalas Simétricas:
Diminutas e Tons Inteiros; Os Modos Gregos; Os Modos Gerados
pela Escala Menor Harmônica e os Modos Gerados pela Escala
Menor Melódica; Escalas Pentatônicas e as Escalas de Blues.

Escalas Diatônicas:

 Maior
 Menor Natural
 Menor Harmônica
 Menor Melódica

Escala Simétricas

 Diminuta
 Tons inteiros

Modos

 Gregos (gerados pelas notas naturais)


 Modos Gerados pela menor harmônica
 Modos Gerados pela menor melódica

Escalas Pentatônicas: Maior e Menor

Escalas de Blues: Maior e Menor


Dica: Tente pensar na escala em "Graus" ao invés de "notas".
Desta forma você poderá ouvir o "Som" da escala e
principalmente a " Função da Nota" ao mesmo tempo.

Por exemplo se eu toco uma escala maior e desejo tocar uma


escala menor, a diferença estará na 3a ; 6a e 7a que descem meio
tom nos respectivos graus, ou seja, teremos portanto:

Escala Maior: 1 2 3 4 5 6 7

Escala Menor: 1 2 3b 4 5 6b 7b

Assim será bem melhor a compreensão e a formação de todas


as outras e quaisquer escalas.Desta forma, aplicamos este
princípio para o estudo dos Arpejos e a Formação dos Acordes
no Braço da Guitarra. Aprendendo a construir todas as inversões,
todas as colocações das notas de tensão, entre outros.

2.Técnica: Em tese, existem três principais vertentes do uso da


palheta de forma: Alternada; Sweep (palhetada "varrida'),e os
Ligado (Tocar com as mão esquerda).

 Palhetada alternada
 Palhetada em Sweep
 Ligados

Todas as vertentes são importantes, e pode ser perfeitamente


possível mesclar essas três formas, enriquecendo um fraseado
imprimindo diferentes articulações.
3.4.Harmonia e Improvisação: O estudo da harmonia, envolve o
conhecimento e o entendimento sobre a função dos acordes,
substituições, rearmonização, entre outros. Improvisação
envolve o estudo do desenvolvimento dos "motivos",
entendimento do relacionamento entre acordes e escalas e
aprender a desenvolveu um solo como um todo.

É importante salientar que você pode saber todos os acordes,


todas as escalas e no entanto não saber Harmonia e não saber
Improvisar. Saber Harmonizar e Improvisar, é saber como usar
estes acordes, essas escalas, como extrair "Música" com essas
ferramentas.

5.Leitura: É um estudo que deve ser feito de forma diária, e que


pode se adequado proporcionalmente em menor tempo,
entretanto não deve ser negligenciado em nenhuma hipótese,
justamente por se tratar de um recurso fundamental no
desenvolvimento e por toda a trajetória de um músico.

6. Repertório: Esse tópico, infelizmente, acaba sendo


abandonado pela maior parte dos estudantes, pois em maior
parte das vezes, os estudantes concentram-se em grande parte
nas escalas, acordes entre outros recursos técnicos, e quando o
mesmo é solicitado a tocar algum tema " mentalmente" nota-se
que o mesmo não possui sequer um tema inteiro em seu
repertório.

Desta forma, o Repertório, compreende o conhecimento de uma


música em que se tenha capacidade de tocar em várias
tonalidades diferentes, se preciso for, tocar a melodia como
original, que se possa tocar a harmonia, que já se tenha feito
alguns estudos de "rearmonização" dessa melodia, que se possa
tocar a melodia e a harmonia simultâneamente ("Chord
Melody"), enfim, isso é saber uma música, isso significa ter um
repertório. Obviamente, isso é um processo gradativo, ou seja,
aprende-se uma música, a segunda, a terceira, e assim por
diante, se poderá perceber que a partir das próximas músicas o
processo de construção e absorção serão muito mais fáceis de se
fazer, consolidando seu repertório, executado com seus próprios
acordes, suas escalas, seus improvisos, com sua própria
expressão, sua forma peculiar de tocar.

Vale ressaltar que independente do estilo que cada músico ou


estudante escolha para si, esses seis tópicos são fundamentais
para o estudo do instrumento.

Montagem de um plano de estudo diário baseado em:

"ESTUDOS MECÂNICOS X ESTUDOS CRIATIVOS"

Organize e separe seus estudos que possuem um caráter mais


mecânico como ( leitura, escalas, arpejos,técnica) com "timer"
de 5 minutos para cada estudo. E os de caráter mais criativo
(harmonia,improvisação, repertório) por demandar mais tempo,
cobrindo portanto a proporção maior do tempo que se dispõe.

Estudos Mecânicos

 Escalas e Arpejos
 Técnica
 Leitura

Estudos Criativos

 Harmonia; Acordes; Improvisação e Repertório.


Sugestão para Cronograma de Estudo Diário de Instrumento.
Tempo proposto: 03 (três) horas.
Técnica 10 min
*Escalas 30min
*Arpejos 30 min
Escalas com ritmos 10 min
Leitura 20 min
Harmonia 30 min
Improvisação 30 min
Acordes 30 min
Repertório 30 min

 (*) -Refere-se ao estudo das seis formas das escalas principais citadas acima.
Podendo dividir o estudo em 05(cinco) minutos para cada escala. Ex: Maior,
Menor, Harmônica, Melódica, Penta, etc.
 Idem Arpejos.
 Os estudos de Acordes relacionam-se ao estudos das inversões, drops, acordes
quartais,entre outros.
 Os estudos de harmonia relacionam-se a, funções, análises, alternativas
harmônicas, entre outros.
 Os estudos de Improvisação relacionam-se aos estudos de motivos melódicos,
relacionamento escala x acordes, entre outros.
 Repertório: aplicação e atribuição dos conhecimentos anteriores na formação
do repertório, reproduzidos em todos os estágios possíveis de execução.

É importante salientar que a ordem proposta pode e deve ser


invertida para que o estudo se torne um hábito saudável e
natural. Essa é uma escolha estritamente pessoal. Para alguns a
rotina e a ordem é algo natural para outros o estímulo pode se
concentrar na variação.

De forma geral, esses tópicos são pilares que constituem a base


de um desenvolvimento contínuo e progressivo. Existem várias
possibilidades de se organizar para se obter êxito e bons
resultados. Espero que estes tópicos possam lhe auxiliar e servir
de base para outras proposições de trabalhos contínuos e diários
de estudos!

Atenciosamente,

José Augusto Almeida.

Você também pode gostar