Você está na página 1de 53

Universidade de Brasília

Centro de Educação a Distância – CEAD

Rafael Lewin

Proposta de Implantação de Curso de Disseminadores


de Educação Fiscal a Distância

Brasília
julho/2009
Rafael Lewin

Proposta de Implantação de Curso de Disseminadores


de Educação Fiscal a Distância

Este trabalho constitui requisito necessário


à conclusão do Curso de Pós-Graduação
Lato Sensu em Educação a Distância, da
Universidade de Brasília, Centro de
Educação a Distância, para obtenção do
título de especialista na área de Educação a
Distância.

Orientadora: Professora Larissa Medeiros

Brasília
Junho/2009

2
Rafael Lewin

Proposta de Implantação de Curso de Disseminadores


de Educação Fiscal a Distância

Este trabalho de monografia, quesito para obtenção do título de especialista na


Universidade de Brasília, área de Educação a distância, foi apreciado por uma
Banca Examinadora constituída pelos professores:

___________________________________________________
Nome 1

___________________________________________________
Nome 2

Brasília
Julho/2009

3
Agradecimentos

Agradeço aos meus tutores sempre dispostos e engajados na melhoria da Educação


a Distância. Agradeço à tutora Cleide Solano por compartilhar sentimentos, idéias, e
doar-se à minha dedicação, pois sem seus estímulos e conhecimentos eu não teria
chegado até aqui.
Agradeço à minha amada esposa Fabrícia Padilha por entender minha dedicação
durantes sábados, domingos e madrugadas e me incentivar sempre na realização
deste sonho.
Agradeço ao meu filho Daniel Padilha Lewin que mesmo com um ano e três meses é
o porquê da minha ambição de melhorar mais e mais como homem e pai.
Agradeço a mim mesmo, por não ceder ao cansaço.

4
Aprender percorre alguns caminhos. Persegue os
olhos, sussurra aos ouvidos e acaricia a pele, desde
que neste caminho o coração esteja na recepção.
(Edgard Plachet)

5
Resumo

A Escola de Administração Fazendária – Esaf, cuja missão se vincula à


promoção da cidadania fiscal, necessita adaptar conteúdo impresso para subsidiar a
aplicação do Programa Nacional de Educação Fiscal – PNEF a distância.
O PNEF tem como objetivo a constante evolução e aprimoramento da
sociedade, na formação de uma relação harmônica entre o Estado e o cidadão e na
defesa ininterrupta das garantias constitucionais.
A compreensão da atividade financeira do Estado é pressuposto para o pleno
exercício da cidadania. No entanto, historicamente esses conteúdos nunca foram
adequadamente disseminados em nossa sociedade. O PNEF tem o objetivo suprir
essa lacuna, pois se fundamenta na compreensão da função socioeconômica do
tributo; da estrutura e do funcionamento de uma administração pública norteada por
princípios éticos; da correta alocação dos recursos públicos e planejamento
estratégico para o exercício do controle democrático.
Assim o curso, Disseminadores da educação Fiscal, tem o objetivo de levar à
sociedade, por meio de disseminadores, a consciência de seu papel para que ela,
que é contribuinte e beneficiária do bom uso dos impostos, possa analisar, cobrar e
ser sujeito ativo da relação.
É também importante que a sociedade compreenda a atividade financeira do Estado
na busca do cumprimento das garantias constitucionais e no exercício pleno da
cidadania.
Desta feita, coibir a sonegação de impostos, elisão fiscal, evasão fiscal, pirataria
contrabando e outros. E assim contribuir para o bom funcionamento do Estado.

Palavras-chave: educação a distância, educação fiscal, tributos, cidadania.

6
SUMÁRIO p.
1 Dados Gerais 09
1.1 Autor do projeto 09
1.2 Aplicação do projeto 09
1.3 Área de abrangência 09
1.4 A Esaf 09
2 Identificação do Problema 10
3 Justificativa 11
4 Objetivo 12
4.1 Objetivo geral 12
4.2 Objetivos específicos 12
5 Perfil do público-alvo 13
6 Fundamentação Teórica 15
6.1 Educação a Distância - Evolução e Eficácia 15
6.1.1 Retrospectiva histórica 15
6.1.2 Uma abordagem à educação no espaço social 17
6.2 Porque disseminar a educação fiscal 18
6.3 Elaboração do projeto pedagógico 18
6.4 Características da Educação a Distância que auxiliam na 22
formação dos disseminadores
6.5 Ambiente virtual de aprendizagem: Moodle 23
7 Metodologia 24
7.1 Concepção pedagógica 24
7.2 Desenho Instrucional 25
7.2.1 Módulos e aulas 25
7.2.2 Carga horária 25
7.2.3 Estratégicas didáticas 25
7.3 Material de Estudo 26
7.4 Sistema de tutoria 27
7.5 Avaliação de aprendizagem 29
7.6 Recursos Tecnológicos 31
7.7 Certificação 34

7
7.8 Divulgação do curso 34
8 Conclusão 35
9 Referências Bibliográficas 37
10 Apêndices 39
Apêndice1 - Mapa do curso 40
Apêndice 2 - Conteúdo programático 45
Apêndice 3 - Amostra do curso 49
Apêndice 4 – Planilha de custos 53

8
1. Dados gerais

1.1 Autor do Projeto:


Rafael Lewin
Bacharel em Direito
Tecnólogo em processamento de dados
Contato: rafaellewin@gmail.com

1.2 Aplicação do Projeto


Este curso Disseminadores da Educação fiscal será oferecido, por meio do
ambiente virtual da Escola de Administração Fazendária, no sítio
https://moodle.eadesaf.serpro.gov.br/, aos professores da rede pública dos ensinos
Fundamental e Médio; servidores da Secretaria da Receita Federal; servidores das
Secretarias de Fazenda e de Educação dos Estados, Municípios e do Distrito
Federal; sociedade em geral.
O suporte e parque tecnológicos serão mantidos pelo Serviço Federal de
Processamento de Dados – SERPRO que é uma empresa pública, vinculada ao
Ministério da Fazenda.

1.3. Área de Abrangência


A realização desse Projeto visa alcançar o público localizado em todos os 27
Estados da Federação e no Distrito Federal.

1.4 A Esaf
A Escola de Administração Fazendária – Esaf é órgão integrante da estrutura
do Ministério da Fazenda, subordinado ao Ministro de Estado da Fazenda.

Respaldada em sua tradição de seriedade e credibilidade, a Escola recruta e


seleciona, em todo o território nacional, servidores para o desempenho de funções
na gestão das finanças públicas.

Na segunda etapa do processo seletivo, a Esaf promove os Cursos de Formação,


desenvolvendo, assim, a integração do candidato ao Serviço Público e preparando-o
para o desempenho das atividades inerentes ao cargo que irá assumir.

9
Por meio de parcerias com organizações nacionais e internacionais, a Escola
promove, ainda, a cooperação técnica com seus clientes, com o intuito de consolidar
programas e eventos, bem como de captar recursos técnicos e/ou financeiros que
beneficiem a gestão de finanças públicas.

Com a experiência acumulada ao longo de sua existência e com a possibilidade de


rápida mobilização de sua infraestrutura em todo o território nacional, a Esaf pode
ser considerada o maior complexo educacional da Administração Pública brasileira.

A sede da Esaf situa-se em Brasília, Distrito Federal, e é composta pelas seguintes


unidades: Diretoria-Geral, Diretoria-Geral Adjunta, Diretorias, Centro Estratégico,
Gerências de Programas e uma Prefeitura.

A Escola é integrada por dez Centros Regionais de Treinamento - CENTRESAFs


com jurisdição em todo o território nacional, localizados na Capital Federal e nas
capitais-sedes de Regiões Fiscais, nos principais Estados: Belo Horizonte (MG),
Belém (PA) , Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Rio de
Janeiro (RJ), Salvador (BA) e São Paulo (SP), e pelos Pólos de João Pessoa (PB),
Manaus (AM) e Casa dos Contos de Ouro Preto (MG).

Ação Pedagógica

" A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será


promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao
pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da
cidadania e sua qualificação para o trabalho".
(art. 205 - CF)

2. Identificação do problema
A Escola de Administração Fazendária – Esaf, cuja missão se vincula à
promoção da cidadania fiscal, necessita adaptar conteúdo impresso para subsidiar a
a aplicação do Programa Nacional de Educação Fiscal – PNEF a distância.

O PNEF tem o objetivo de aprimorar constantemente a sociedade, na busca


de uma relação harmônica entre o Estado e o cidadão e na defesa permanente das
garantias constitucionais.

A compreensão da atividade financeira do Estado é pressuposto para o pleno


exercício da cidadania. No entanto, historicamente esses conteúdos nunca foram
adequadamente disseminados em nossa sociedade. O PNEF tem o objetivo suprir

10
essa lacuna, pois se fundamenta na compreensão da função socioeconômica do
tributo; da estrutura e do funcionamento de uma administração pública pautada por
princípios éticos; da correta alocação dos recursos públicos e das estratégias e
meios para o exercício do controle democrático.

Assim o curso, Disseminadores da educação Fiscal, tem o objetivo de levar à


sociedade, por meio de disseminadores, a consciência de seu papel para que ela,
que é contribuinte e beneficiária do bom uso dos impostos, possa analisar, cobrar e
ser sujeito ativo da relação.
É também importante que a sociedade compreenda a atividade financeira do
Estado na busca do cumprimento das garantias constitucionais e no exercício pleno
da cidadania.
Desta feita, coibir a sonegação de impostos, elisão fiscal, evasão fiscal, pirataria
contrabando e outros. E assim contribuir para o bom funcionamento do Estado.

3. Justificativa
O curso a distância, DISSEMINADORES DE EDUCAÇÃO FISCAL -
elaborado para Programa Nacional de Educação Fiscal – PNEF constitui uma das
etapas do processo de formação do grupo de disseminadores que irão interagir com
professores, servidores públicos e sociedade em geral. Esse programa visa
promover e institucionalizar a Educação Fiscal para o pleno exercício da cidadania,
ato que envolve, principalmente, a relação do cidadão com o Estado.
Os aprendizes aprovados neste curso poderão atuar em diversas áreas
sociais como escolas, comunidade local dentre outras inserções observando a
proposta do Programa.

A Escola de Administração Fazendária realiza suas ações pautadas em


valores educacionais que refletem a sua crença no potencial humano e o seu
compromisso em fazer do espaço educativo um ambiente de liberdade, reflexão,
criação, alegria e convergência, respeitando as diferenças individuais, estimulando a
convivência, exercitando a pluralidade e praticando a cidadania, em contexto de
aprendizagem continuada e transformadora.

O papel institucional da Gerência de Educação a Distância – GEEAD, área


especializada em EaD da Escola de Administração Fazendária, é preparar os
servidores e empregados da Administração Pública para o desenvolvimento de
11
ações e esforços de capacitação que estejam alinhados aos direcionadores
estratégicos, bem como realizar a gestão do processo de formação continuada, por
meio da Educação a Distância. Essa deve ser vista como meio de modernização da
gestão, contribuindo para a transformação da Administração Fazendária, de forma a
torná-lo mais eficiente, eficaz e disseminador de conhecimento.
Esta é minha proposta neste trabalho: Um projeto de aplicação.
A realização de um curso disponibilizado no ambiente virtual de
aprendizagem moodle com o objetivo de sensibilizar o cidadão para a função
socioeconômica do tributo, levar aos cidadãos conhecimentos sobre administração
pública, incentivar o acompanhamento, pela sociedade, da aplicação dos recursos
públicos; e criar condições para uma relação harmoniosa entre o Estado e o
cidadão.
A escolha da plataforma moodle para realização desse curso justifica-se no
fato de que o ambiente virtual de aprendizagem da GEEAD, instituição responsável
pela oferta do curso, trabalha com essa plataforma atendendo a dispositivos legais
que recomendam a utilização de softwares livres na execução das atividades na
Administração Pública Federal.

4. Objetivo

4.1 Objetivo Geral


O objetivo deste projeto de Aplicação é desenvolver um curso na modalidade
a distância, utilizando o ambiente educacional Moodle, que forme e amplie a rede
nacional de educadores que irão atuar nas escolas e com a sociedade na
disseminação do PNEF.

4.2 Objetivos Específicos


o Sensibilizar o cidadão para a função socioeconômica do tributo;
o Levar aos cidadãos conhecimentos sobre administração pública;
o Incentivar o acompanhamento, pela sociedade, da aplicação dos
recursos públicos;
o Criar condições para uma relação harmoniosa entre o Estado e o
cidadão.

12
5. Perfil do público-alvo
O público a que se destina o Curso Disseminadores de Educação Fiscal a
distância constitui-se por cerca de cem mil aprendizes distribuídos em vinte ofertas
de formação.
O público está distribuído nos vinte e sete estados da Federação e no Distrito
Federal e é constituído por professores da rede pública dos ensinos Fundamental e
Médio, servidores da Secretaria da Receita Federal, servidores das Secretarias de
Fazenda e de Educação dos Estados, Municípios e do Distrito Federal e a sociedade
em geral.
Os professores da rede pública de ensino constituem-se no público em maior
quantidade, pois compreendem 48.392 (quarenta e oito mil e trezentos e noventa e
dois) profissionais do ensino fundamental e médio. Sendo que, os profissionais
envolvidos com o ensino fundamental correspondem o quantitativo de 16.506 e os
professores de ensino médio são 31.886 (trinta e um mil oitocentos e oitenta e seis).
Os servidores da Secretaria da Receita Federal, servidores das Secretarias de
Fazenda e de Educação dos Estados, Municípios e do Distrito Federal somam
36.201 (trinta e seis mi e duzentos e um). E a sociedade em geral, no qual
selecionou-se líderes comunitários, assistentes sociais, representantes de
organizações não governamentais e voluntários, os quais somam 15.407 (quinze mil
quatrocentos e sete).
A faixa etária do público-alvo é muito diversificada. Há aprendizes entre os 20
e 30 anos, ou seja, 22, 5%, entre 30 e 40 anos o que equivale a 42,8%, entre 40 e
55 anos cuja proporção é de 18,09%, e acima de 55 anos que representam 16,61%
do público alvo.
Quanto a sua formação: 21.619 servidores (54,87%) possuem superior
completo e 15.354 servidores (38,97%) possuem segundo grau completo.
No intuito de arrebanhar mais aprendizes interessados em disseminar a
educação fiscal, o Ministério da Fazenda fez uma grande campanha.
A primeira turma de cerca de dez mil servidores das Secretarias da Receita
Federal foi formada com material autoinstrucional. O material de estudo consistia em
quatro volumes confeccionados em material impresso. Após o acompanhamento de
reação dos aprendizes feito por pesquisa de satisfação, foi feita uma seleção para
que os primeiros tutores da educação fiscal fossem formados à distância.

13
O curso para a formação de tutores desenvolvido pela Esaf e destinava-se a
qualificar cidadãos das diversas áreas de conhecimento para exercerem o papel de
tutor para o curso de Disseminadores de educação fiscal.
Essa capacitação foi realizada nas modalidades a distância e presencial,
seguidas de um estágio supervisionado.
Neste cenário, algumas pesquisas foram realizadas para que a instituição
conhecesse melhor o público-alvo. A pesquisa, feita por amostragem, identificou
alguns dados muito importantes:
– 20,14% responderam que já fizeram curso a distância via computador;
– 82,31% mencionaram que gostariam de se capacitar para o trabalho por
meio de EaD via computador.
Durante a realização do curso foram realizadas algumas enquetes, no
Ambiente Virtual de Aprendizagem - AVA da Esaf e constatou-se que alguns
aprendizes apresentavam os seguintes preconceitos e concepções equivocadas
acerca da EAD:
– 17,30% – afirmam que na modalidade a distância sentem-se só para
aprender.
– 36,01% – afirmam que na educação a distância o aprendiz tem que
aprender por si só e por isso não há obrigação de fazê-la;
A parcela referente aos servidores das Secretarias da Receita Federal.
Parte dos aprendizes já têm algumas habilidades necessárias para participar
de capacitações on-line, pois o computador já é uma de suas ferramentas de
trabalho; porém há a necessidade do aprendiz compreender e adaptar-se à
plataforma de aprendizagem a distância.
As constantes mudanças nas atribuições dos servidores e a busca da
sociedade por uma consciência política mais esclarecida deve ser o grande
motivador das capacitações via EAD.
Finalmente, os servidores públicos, professores e representantes da
comunidade são pessoas com outras atribuições além das profissionais (familiares,
cidadã).
Por este motivo os servidores e os cidadãos envolvidos com a educação fiscal
têm a consciência da importância continuada e da disseminação do conhecimento
para orientar a sociedade e formar cidadãos questionadores e cientes dos seus
direitos. E nesse contexto reconhecem a importância da Educação a Distância.

14
6. Fundamentação teórica

Referencial teórico é a fundamentação do processo de criação de um projeto


educacional. Como este projeto trata de uma proposta de implantação de um curso
na modalidade a distância destinado aos professores da rede pública dos ensinos
Fundamental e Médio, servidores da Secretaria da Receita Federal, servidores das
Secretarias de Fazenda e de Educação dos Estados, Municípios e do Distrito
Federal que utilizam a educação a distância como meio de formação continuada, a
fundamentação teórica contém os seguintes tópicos: Educação no contexto Social;
Porque disseminar a Educação Fiscal; Elaboração do Projeto Pedagógico;
Características da Educação a Distância que auxiliam na formação dos
disseminadores; Ambiente virtual de aprendizagem: Moodle.

6.1. Educação no contexto Social

6.1.1 – Retrospectiva histórica

A história da raça humana é a história da nossa vida através do tempo, e


nossa vida atual reflete nossa vida coletiva.

Refletir sobre a história da humanidade e da própria vida propicia


compreender alguns sintomas da inquietação na procura de significados de tudo o
que se experimenta. Sua importância vai além, pois:

- favorece a percepção, pois mostra que estamos inseridos num contexto


repletos de valores, modos de produção e interesses coletivos;

- propicia compreensão de que a atual situação é fruto do passado, e que o


futuro era consequência do que fazemos hoje;

- reconhecemos que todos os acontecimentos e fatos afetam nossas vidas,


pois fazemos parte do todo;

15
- permite que os indivíduos se situem nos grupos sociais a que pertencem, se
reconheçam donos dos meios de produção ou vendedores de força de trabalho ou,
ainda, possuidores de uma identidade cultural;

- a história da humanidade e a história de cada um como “processo” é estar


sempre em ação, sempre transformando e sendo transformado.

Em Os códigos da Modernidade, Toro (1997) descreve as capacidades,


habilidades e competências mínimas para a colaboração produtiva no século XXI:

- ler e escrever corretamente;


- fazer cálculos e resolver problemas;
- analisar, resumir, sintetizar e interpretar dados, fatos e situações;
- compreensão e atuação no seu entorno social.
São ainda habilidades, capacidades e competências para a cooperação
produtiva no século XXI, como requisitos ao exercício da cidadania:
- transformar problemas em oportunidades;
- organizar-se para garantir os interesses da coletividade e apaziguar
problemas por meio do diálogo e da negociação, seguindo as regras, as leis e as
normas estabelecidas;
- estabelecer unidade de objetivos a partir da diversidade e da diferença, sem
confundir unidade com uniformidade;
- agir para fazer da nação um Estado Social de Direito, isto é, empregar
esforços para garantir os direitos humanos;
- ser crítico e seletivo com a informação divulgada;
- localizar, interpretar e usar de forma adequada a informação acumulada;
- planejar, trabalhar e decidir respeitando a maioria.
Numa retrospectiva, a educação de que o indivíduo necessitava era advinda
das experiências da própria família e de suas glebas, onde os costumes, os hábitos,
as crenças, o conhecimento, as atribuições, a organização social e do trabalho eram
passados pela convivência entre os sujeitos, por meio da observação e troca de
experiências entre geração e geração.
Deve-se debater a cidadania com aqueles que possuem realidades diferentes
em suas comunidades, e que assim lhes dão significado e sentido, reconhecendo o
papel de suas comunidades, pelo poder público e pela sociedade organizada.
16
Assim, a importância da educação é colocada desde a mais tenra idade, para que o
cidadão compreenda sua individualidade frente à diversidade dos grupos sociais
com os quais convivem.

6.1.2 Uma abordagem à educação no espaço social

É importante que o indivíduo, o grupo social, e toda a sociedade sejam


protagonistas de suas histórias, e que aprendam a documentá-las construindo,
coletivamente, os seus projetos de vida, pois devem acreditar que a gestão
democrática é uma influência positiva na melhoria da qualidade social.
A sala de aula não é o único lugar onde é construído o conhecimento ou se
aprende cidadania. A criação de espaços alternativos no qual se possa pesquisar e
produzir conhecimentos contribui favoravelmente na conscientização e construção
de cidadãos mais atuantes, assertivos, reflexivos e autônomos.
A televisão, o vídeo, o rádio, o gravador, o DVD, o MP4, jornais e revistas, o
CD player, a internet e o computador são equipamentos presentes no dia-a-dia dos
alunos e, propiciam o acesso às informações e a instigam a análise crítica, o que
contribui na construção de saberes. As bibliotecas e as salas de leitura também
favorecem a aquisição de novos conhecimentos.
Toda essa relação conduz o indivíduo a sua introspecção e descoberta
interior, como um ser único, completo, perceptivo, inteligente, autônomo e capaz de
encontrar seus próprios juízos.
A existência dos princípios éticos e políticos na educação norteiam a
formação de hábitos e atitudes coletivas; mecanismos estes que motivam crianças,
jovens e adultos a incluírem-se nos movimentos sociais que almejam uma vida mais
baseada em justiça e solidariedade, para que se resgate a dignidade humana.
Ao conviver com essa prática educativa e ainda, colocado em contato aos
conteúdos que privilegiam os referidos princípios, a Educação Fiscal propicia o
efetivo exercício da cidadania por sensibilizar o cidadão para a real função
socioeconômica do tributo, em favor do controle social e da competente aplicação
dos recursos públicos, valores e percepções que subsidiam e consolidam o objetivo
do curso.

6.2 Por que disseminar a Educação Fiscal

17
Educação Fiscal deve ser compreendida como a abordagem didático-
pedagógica capaz de interpretar as vertentes financeiras da arrecadação e dos
gastos públicos, estimulando o cidadão a compreender o seu dever de contribuir
solidariamente em benefício do conjunto da sociedade e, por outro lado, ter a
consciência do quão é importante sua participação no acompanhamento da
aplicação dos recursos arrecadados, e verificar se os recursos estão sendo
distribuídos com justiça, transparência, honestidade e eficiência, e assim prevenir o
conflito entre o cidadão contribuinte e o Estado arrecadador.

A Educação Fiscal deve abordar a definição do Estado, suas origens, seus


objetivos, e a responsabilidade que a sociedade tem na fiscalização do gasto
público, uma vez só a participação social efetiva a democracia.

6.3 Elaboração do projeto pedagógico

O projeto pedagógico já faz parte do discurso oficial das instituições de


ensino, com destaque na legislação educacional (LDBEN nº9394/96, artigo 12,
inciso I). Baffi (2002) afirma que vivemos na época da “cultura do projeto”, da qual a
atitude intencional e sistemática de solucionar problemas e construir conhecimento é
a principal característica. Entendemos, portanto, que o projeto pedagógico é um
instrumento possível de ação e transformação da realidade.

A idéia de projetos educativos está ligada à perspectiva de conhecimento


globalizado e relacional. São pensados a partir de motivações particulares de uma
escola ou comunidade, mas buscam atingir a construção de um conhecimento
globalizado e significativo. Devem ser propositivos, pois têm por objetivo evitar
conflitos, superar problemas e serem exequíveis e devem prever as condições
necessárias ao seu desenvolvimento e avaliação.

Apresentamos sugestão de elaboração de projeto pedagógico, quando


da implantação da Educação Fiscal em sua comunidade, com a intenção de
provocá-los a pensar criticamente e sistematizar a ação pensada.

Muitas visões contribuíram para o planejamento do projeto pedagógico:

18
A visão comportamentalista
A visão comportamentalista identifica como aprendizagem a mudança do
comportamento.
Os comportamentalistas se preocupam com o comportamento organizacional
e analisam a organização como um sistema coorporativo racional.
A visão comportamentalista acredita que o aprendizado é feito por meio do
ensaio e erro, portanto o comportamento é adquirido. Ao acertar o individuo é
estimulado, e a repetição da atividade é fundamental para que se retenha a forma
mais aperfeiçoada de se fazer. Assim, o papel do processo de ensino-aprendizagem
é cooperar ao promover reforço, respeitando as necessidades do indivíduo.
O pensamento comportamentalista contribuiu com a Educação à distância
para que exista o planejamento do ensino por meio das metas educacionais a serem
alcançadas, e também as formas de reforços que precisarão ser utilizadas para que
o indivíduo obtenha sucesso no processo de ensino-aprendizagem.

A visão do cognitivismo
A visão cognitivista se aplica no esforço de reconhecer o grau de
conhecimento do indivíduo ao reconhecer seu estágio evolutivo, este enfoque tem o
objetivo de desencadear ou integrar conhecimentos para que se construa a
realidade, por meio da compreensão do individuo e seu encorajamento à ação.
Esta visão difere muita da visão comportamentalista, pois considera o
indivíduo como um ser dinâmico capaz de agir e reagir a todo o momento operando
objetos e interagindo com pessoas.
Esta é a base da diferença entre a teoria piagetiana, e skinneriana. Com
base na teoria piagetiana, os aprendizes da educação fiscal não se limitarão apenas
ao material didático fornecido no curso, mas sim terão a oportunidade de construir o
conhecimento, na troca com outros indivíduos de formações, profissões, e
experiências de vida diferentes. Neste contexto o tutor criará questionamentos e
indagações capazes de incentivar o aprendiz a participar e interagir, de forma que o
conhecimento alimente a consciência, e esclareça para o indivíduo seu papel e
competências de cidadão. O aprendiz nesta situação é motivado a construir o
conhecimento.

A visão do construtivismo

19
Na visão do construtivismo as comparações e observações do ambiente
feitas pelo individuo são responsáveis pela construção e reconstrução de valores e
conhecimento. Para o construtivismo, o conhecimento é reconstruído pelo indivíduo
nas interações com o ambiente externo. Os conceitos são formados no contato com
o mundo e com as outras pessoas.
Assim, o aprendiz não é o sujeito passivo da aprendizagem. Ele interage
com experimentos, debates em grupo e provocações ao raciocínio. O que possibilita
desenvolver estratégias que permitam alcançar seus objetivos.

A visão humanista
Para a visão humanista, o processo de aprendizagem acompanha o
crescimento e desenvolvimento das pessoas.
O foco está no sujeito, no desenvolvimento da personalidade, a forma que
vê e organiza a realidade ao seu redor, e sua forma de lidar com ela.
A construção de uma identidade, de uma autoimagem autêntica, suas
emoções e sua orientação para a vida em sociedade são as bases da análise e
preocupação da visão humanista.
Dentro desse contexto a visão humanista contribui e norteia a educação a
distância na elaboração do conceito, nos procedimento adotados, pois valoriza e
respeita o ritmo, aptidões e a forma que o indivíduo se comunica, tornando o curso
mais diversificado possível para atender as peculiaridades dos aprendizes. Neste
ponto, o material dialógico centrado no aprendiz, e a sensibilidade dos tutores são
fundamentais para o processo de ensino-aprendizagem.

Desta forma foi elaborado o esboço do projeto pedagógico, para que assim os
disseminadores possam atuar em suas comunidades.

1. IDENTIFICAÇÃO DA EQUIPE

2. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO:

2.1 EIXO TEMÁTICO

2.2 MUNICIPIO

20
2.3 CLIENTELA BENEFICIADA

2.3.1 Escola

2.3.2 Série(s)

2.3.3 Quantitativo de alunos

2. 4 PARCEIROS (instituições de pessoas que não são alunos do


Curso de Disseminadores de Educação Fiscal a Distância, mas que irão
interargir/colaborar com a execução do projeto)

2. 5 PERÍODO DE EXECUÇÃO (data de início e final)

3. PROBLEMATIZAÇÃO (situação que levou à elaboração do projeto)

4. DISCIPLINAS ENVOLVIDAS

5. OBJETIVO GERAL DO PROJETO (o que se quer alcançar no


conjunto dessas disciplinas - interdisciplinaridade)

6. CONTEÚDOS DE EDUCAÇÃO FISCAL

7. CONHECIMENTOS A SEREM CONSTRUÍDOS (por disciplina)

7.1 Conteúdo conceitual - APRENDER A CONHECER

- Conhecimento de ordem teórica.

- Permite representar a realidade.

- Conteúdo explicativo da disciplina.

- Refere–se a: fatos; dados; informações; conceitos; princípios;


vocabulários; fenômenos; acontecimentos; noções; idéias;
símbolos; representações.

6.4 Características da Educação a Distância que auxiliam na formação


dos disseminadores

21
A publicação da Portaria MEC 2.253 de 18 de outubro de 2001,
autorizando as instituições de ensino superior a dedicarem até 20% da carga horária
dos cursos na modalidade distância, foi o pontapé inicial para solidificação desta
modalidade de ensino no Brasil. Atualmente, a maioria das instituições de ensino
superior oferece cursos no formato presencial e a distância. Em 2005, com a
aprovação do projeto Universidade Aberta do Brasil foi ampliada a oferta de ensino
superior gratuito no Brasil, expandindo as oportunidades para o crescimento
educacional e cultural no nosso país.
O cenário da EaD evoluiu muito nos últimos anos por encontrar respaldo das
organizações governamentais o que gera um aumento considerável de
credenciamento de instituições, tudo isso aliado a necessidade das próprias
instituições em oferecem educação continuada para atualização de seus
empregados, visando uma melhor competitividade no mercado. A educação
corporativa também trouxe grande contribuição para o crescimento da educação a
distância. A crescente necessidade de aprimoramento e atualização do quadro de
pessoal torna-se condição essencial para o melhor desempenho das atividades do
corpo funcional, que certamente é refletido na imagem das organizações perante o
público.
Quando se tenta medir a qualidade dos cursos a distância é preciso
fazer um parâmetro entre as vantagens e desvantagens desta modalidade de
ensino. Estas existem tanto por parte da organização como por parte do aluno. Para
a organização a principal vantagem é no âmbito da educação corporativa, apesar da
necessidade de auferir altos investimentos tecnológicos e contratação de pessoal
especializado para ministrar os cursos, a organização poderá capacitar muitos
empregados ao mesmo tempo, com a maior flexibilidade de tempo possível. É o
caso da Escola de Educação fazendária, que optando pela modalidade a distância
tem a oportunidade de capacitar todo seu corpo de funcionários de forma alinhada e
em curto espaço de tempo, preparando muitos disseminadores ao mesmo tempo.

6.5. Ambiente virtual de aprendizagem: Moodle

O Moodle é o nome da ferramenta mais conhecida para o gerenciamento de


ambientes virtuais de aprendizagem. Esta ferramenta livre e poderosa foi

22
desenvolvida em PHP e já conta com mais de 330 mil usuários registrados em mais
de 70 línguas diferentes (censo de 02/2009).

O Moodle será utilizado como o ambiente virtual de aprendizagem. Segue


um breve histórico e as teorias que fundamentarem e nortearam sua construção. O
ambiente educacional Moodle (acrônimo de Modular Object-Oriented Dynamic
Learning Environment) é uma experiência iniciada em 1999 pelo americano Martin
Dougiamas, sob a forma de comunidade virtual (http://www.moodle.org) que envolve
administradores de sistemas, professores, pesquisadores, designers educacionais e
programadores. É um software de gestão e criação de cursos à distância veiculados
pela Internet e/ou em redes locais. Contempla um sistema de administração de
atividades educacionais com um pacote de software desenhado para ajudar os
educadores a obter alto padrão de qualidade em atividades educacionais on-line. O
Moodle é uma ferramenta facilitadora da aprendizagem. A principal teoria que
fundamenta o moodle é o construtivismo social.

O Construtivismo social tem como base a visão da aprendizagem


como processo incessante e dinâmico. A aprendizagem é interpretada como
um exercício de preparação conceitual em um ambiente caracterizado pela
convivência e troca social. O Construtivismo Social é o estudo das ciências
cujo fim é apreciar o seu valor pelo espírito humano, em que conhecimento
novo é edificado por meio da colaboração recíproca, especialmente em um
contexto de escambo, intercâmbio e troca de experiências pessoais.
Um elemento central para a colaboração recíproca é a habilidade de
participar nas discussões com outros aprendizes e tutores em modo
construtivo. As discussões devem ser regidas e orientadas à compreensão
reciproca e a ações de reflexão crítica. (FILHO,2005,p.43)

Tecnicamente, o Moodle é um software livre, o que significa que é livre para


carregar, usar, modificar e até mesmo distribuir.

software livre é um programa de computador com código-fonte aberto,


possibilitando que qualquer técnico possa estudá-lo, alterá-lo, adequá-lo às
suas próprias necessidades e redistribuí-lo, sem restrições. Geralmente, os
softwares livres também são gratuitos. O Moodle é uma ferramenta que
pode ser utilizada, sem grandes custos, pelas escolas, professores e
empresas de forma a estender a sala de aula para internet. (CASSINO,
2003, p. 50)

Dougiamas desenvolveu o software Moodle, baseado no Construcionismo


de Papert e no Construtivismo social. De acordo com esses conceitos, as pessoas
constroem conhecimentos ativamente quando interagem com o ambiente.

23
O Construcionismo é uma teoria proposta por Seymour Papert, matemático
e educador do Instituto Tecnológico de Massachusetts – MIT. Papert adaptou os
princípios do construtivismo de Piaget e a origem social do conhecimento de
Vygotsky e, construiu um conjunto de premissas para serem aplicadas ao processo
de construção de conhecimento, utilizando a tecnologia de computadores.
Entretanto, a comunidade pedagógica só passou a incorporar as idéias de Papert a
partir de 1980, quando ele lançou o livro "Mindstorms: Children, Computers and
Powerful Ideas”, que apresenta caminhos para utilização das máquinas no ensino. O
Construcionismo Social acredita que as pessoas aprendem melhor quando
engajadas em um processo social de construção do aprendizado.

A principal característica do construtivismo social que será adotada no


planejamento do curso é a aprendizagem colaborativa – todos participarão da
construção do conhecimento, relacionando novos conhecimentos com o contexto
pessoal, por intermédio das ferramentas de interação síncronas (chat) e assíncronas
(email, fórum).

7. Metodologia
7.1. Concepção pedagógica
A concepção pedagógica será centrada no aprendiz, pois ele é o agente ativo
na construção do conhecimento, de acordo com suas experiências e vivências.
Serão abordadas as teorias de aprendizagem cognitivista e comportamentalista,
introduzindo exercícios de fixação para reforço da aprendizagem, textos que
abordam cidadania, buscando aflorar o que o aprendiz já possui em termos de
conhecimento.
O centro de toda orientação será a figura do tutor, que acompanhará o
aprendiz em todo o processo da aprendizagem. O tutor é o orientador que garantirá
apoio pedagógico e administrativo necessários.
O curso busca ainda, levar ao aprendiz a ideia da importância que ele tem no
contexto educacional e perante a sociedade, e o quanto será importante esse
aprendizado, pois poderá sensibilizar o cidadão para a função socioeconômica do
tributo, levar aos cidadãos conhecimentos sobre administração pública, incentivar o

24
acompanhamento, pela sociedade, da aplicação dos recursos públicos e assim criar
condições para uma relação harmoniosa entre o Estado e o cidadão.

7.2 - Desenho Instrucional

7.2.1. Módulos e aulas


Módulo 1. Educação Fiscal no Contexto Social; Apresentação, cenário
econômico, social e político no Brasil e no mundo.
Módulo 2. Estado e Sociedade; Introdução, Evolução histórica do conceito
de Estado e Sociedade, O Estado Brasileiro, Estado democrático de Direito e de
Cidadania, Estado capital e trabalho, Diferenças sociais: desafios para o Brasil,
Previdência Social no Brasil, Ética,
Módulo 3 - Sistema Tributário Brasileiro;
A Função Social dos Tributos, Introdução, Serviços Públicos, A origem dos
tributos, A história dos tributos no Brasil, Sistema Tributário Nacional, Tributos,
Elementos da obrigação tributária, Classificação dos tributos quanto ao ente
tributante, Fundos da criança e do adolescente, Reforma Tributária, Repartição das
Receitas Tributárias, Documentos Fiscais, Fraudes Fiscais, Pirataria, Função
socioeconômica dos tributos.
Módulo 4- Gestão Democrática dos Recursos Públicos; Apresentação, a
gestão democrática dos recursos públicos, um breve passeio pela história,
orçamento público, lei de responsabilidade fiscal – LRF, execução orçamentária,
contabilidade do orçamento, gastos obrigatórios, o processo de compras públicas,
como encaminhar denúncias.
7.2.2. Carga Horária - 120 horas

7.2.3. Estratégias Didáticas - as mídias utilizadas serão a internet, recursos


e ferramentas do moodle: aulas virtuais, exercícios de lacunas e palavras cruzadas,
fórum de dúvidas, material para impressão, textos de apoio para incentivo a leitura a
serem publicados na biblioteca virtual.
Um dos princípios da educação a distância é a valorização de estratégias
para promover a comunicação, o diálogo e a troca de experiências entre os colegas
e com os tutores. O mito do trabalho solitário e do isolamento que cerca a educação
a distância deixa de existir a partir do momento em que o tutor, com o auxílio dos

25
canais de comunicação disponíveis, incentiva a aproximação dos alunos,
propiciando a interação.
É imprescindível que o aluno interaja com seus colegas e com o tutor,
utilizando todos os recursos disponíveis no ambiente virtual da escola.
As principais ferramentas de comunicação e interação são:
· Correio eletrônico (e-mail) – troca de mensagens entre tutor e aluno ou entre
alunos;
· Fórum – local onde o tutor posta temas e perguntas relacionadas aos
assuntos abordados no curso e os alunos respondem, criando assim um debate on-
line com os alunos;
· Chats – salas de bate-papo para conversas entre tutores e alunos. O uso
dessa ferramenta é livre e pode ser ativado pelo aluno a qualquer hora.

7.3. Material de Estudo


o Guia do aluno;
o Cadernos impressos;
o CD – ROM com conteúdo integral do curso;
o Aulas on-line com material de referência de estudo;
o Textos complementares disponíveis na biblioteca virtual;
o Fichas de avaliação do curso.

26
7.4. Sistema de tutoria

O curso utilizará o sistema de tutoria. O aluno recebe todo o referencial


teórico das disciplinas, pelo conteúdo disponibilizado no ambiente de aprendizagem
Moodle.
O aprendiz deverá frequentar o ambiente e assim interagir com os fóruns e o
tutor, que será o suporte na orientação dos estudos e no esclarecimento de dúvidas.
O aprendiz será acompanhado e assessorado permanentemente por um tutor
e contará com um suporte pedagógico e administrativo que permitirá maior interação
entre aluno, tutor e gestor regional.
O tutor deverá responder os questionamentos no período máximo de 24
horas, via e-mail.
A gestão regional acompanhará o desenvolvimento do curso, atendendo às
solicitações dos tutores e auxiliando na solução de problemas administrativos.
A atividade de tutoria, especialmente dentro do âmbito da educação a
distância, diz respeito ao acompanhamento e à orientação sistemática de grupos de
alunos realizada por especialistas – professores/tutores. O modelo de gestão de
tutoria é um dos fatores responsáveis pelo sucesso de um curso na modalidade a
distância. Neste projeto, o tutor acompanhará o aprendiz, utilizando-se do método da
tutoria adaptado pela ESAF, por intermédio do curso Métodos de Formación por
internet para instituciones públicas, 6ª edição oferecido pela Fundação Centro de
Educação a Distância para o desenvolvimento econômico e tecnológico (CEDDET)
(www.ceddet.org) da Espanha.

As principais características e diferenças entre a tutoria e turmas virtuais


estão no quadro comparativo abaixo:

TUTORIA TURMAS VIRTUAIS


Posição do  O aprendiz realiza periodicamente  O aprendiz é parte de uma turma.
aprendiz exercícios, a menor parte  O aprendiz acompanha as atividades
autocorretivos e a maioria corrigida seguindo o ritmo do tutor.
por um tutor.  Requer dedicação diária.
 O próprio aprendiz disciplina seu  Apropriada para aprendizes colaborativos.
ritmo de trabalho.
 O aprendiz deve possuir um alto
nível de motivação pela
aprendizagem.

27
 O aprendiz se dirige ao tutor em
muitas ocasiões.

Papel do tutor  O tutor avalia as respostas dos  O tutor planeja todas as atividades, realiza o
aprendizes e corrige suas acompanhamento diário das tarefas do
atividades. participante e toma a iniciativa de dirigir-se
 O tutor dirige-se aos aprendizes e aos aprendizes.
estimula os alunos a participarem  O tutor vela boas relações e interações de
do curso todos os aprendizes.
Objetivos e  Apropriada para cursos de longo  Apropriada para cursos de qualquer duração,
conteúdos da duração e matérias complexas. especialmente média e longa, para
atividade  Utilizado para cursos de formação mestrados e pós-graduações e para todo
e pós-graduação. tipo de conteúdo.
 Algumas avaliações são corrigidas
pelo tutor e outras são
autocorretivas, ou seja, corrigidas
pelo sistema.
Interação  A comunicação estabelecida entre  A comunicação estabelecida entre
aprendizes e tutor é síncrona aprendizes e professor pode ser assíncrona
(chats) e assíncrona (fóruns, e/ou síncrona, ainda que predomine a
emails). primeira.
 Domina o trabalho em grupo.  A realização de atividades em pequeno e
 O tutor está atento às atividades grande grupo reforça a aprendizagem
dos alunos, buscando sua individual.
reintegração ao curso, dos alunos
que não tiverem acessado o curso.
Atividades  Predominância de atividades de  Atividades de estudo e reflexão individual.
fórum, porém contará com  Debates em grande grupo.
questões de múltipla escolha, ao  Estudo de casos, relatórios e investigações
fim de cada módulo. em pequeno grupo.
 Atividades baseadas na
construção do conhecimento.
Vantagens  Flexibilidade para os aprendizes.  Número de evasão reduzido, proporcional ou
 As turmas são formadas com início inferior ao que se produz na formação
e termino delimitados, para melhor presencial.
organização na participação dos  Grande troca entre todos os aprendizes.
alunos, para melhor organização  Alto grau de participação do tutor.
da tutoria,  Turmas com número de aprendizes
 Os tutores ficam responsáveis por reduzidos.
um número limite de no máximo 50
aprendizes por turma.
Obstáculos  Exige uma grande cooperação  O aprendiz dispõe de menor flexibilidade de
entre os aprendizes, pois ele suas horários e ritmo de estudo.
participações no fórum e interação  Requer dedicação intensa dos tutores.
com outros aprendizes é
fundamental para obter sucesso.
 Relação intensa entre os
aprendizes.
 Muita relação com o tutor.

28
 No caso da EaD na ESAF, o tutor
acessará diariamente o curso e
acompanhará os alunos a fim de
resgatar os possíveis desistências
e evasões.

Fonte: Curso “MÉTODOS DE FORMACIÓN POR INTERNET PARA


INSTITUCIONES PÚBLICAS 6ª EDICIÓN - Instituto Nacional de Administración
Pública de España –INAP (2008) adaptado para a ESAF.

7.5. Avaliação de aprendizagem


A avaliação é um requisito de importância fundamental na educação e
também na educação a distância, porque mede os objetivos de aprendizagem, da
metodologia aplicada, da educação, dos conteúdos e, também, das habilidades do
professor/tutor na orientação e incentivo ao conhecimento.

Ao final de cada módulo haverá uma avaliação de aprendizagem, que terá


quatro questões, valendo um meio ponto cada – total de pontos por exercício
avaliativo é igual a 02 (dois). O aprendiz deverá conferir o número de questões em
cada módulo. A correção será on-line e o aluno receberá imediatamente o resultado
de seu desempenho.
Durante cada módulo haverá fóruns de aprendizagem, com quatro temas de
participação dentro da sala de aula virtual, quatro (4) temas de participação
obrigatória e valendo nota, relacionados ao conteúdo para debates. Cada tema será
avaliado entre 0 e 8 pontos, de acordo com os seguintes critérios:
· Contribuição à discussão do tema;
· Interação entre aprendizes e tutor.
A critério do tutor poderão ser inseridos outros temas, para enriquecimento do
estudo. As notas dos fóruns serão lançadas no boletim, pelo tutor, ao longo do
curso. Ao final do curso serão somadas as notas das avaliações de cada módulo e
da participação nos fóruns que poderão totalizar 80 pontos.
Assim, denomina-se na plataforma moodle os dois tipos de avaliação
aplicadas no curso e oferecidas pelo ambiente educacional Moodle como: as
avaliações ATTLS (Atitudes de Aprendizagem e Pensamento) e COLLES
(Constructivist On-Line Learning Environment Survey).
29
a) A Avaliação Attitudes to Thinking and Learning Survey – (Atitudes de
Aprendizagem e Pensamento)-ATTLS - Foi desenvolvida por Galotti et al. (1999)
com o objetivo de auxiliar o professor / tutor a avaliar as atitudes do aluno e fazer
uma reflexão crítica do processo de aprendizagem em ambientes de EaD, que usam
uma pedagogia construtivista. É utilizada como avaliação Diagnóstica e
Formativa.

Há um tipo de questionário baseado na teoria dos 'modos de saber' e foi


desenvolvido por Galotti et al. (1999) para medir a proporção em que uma
pessoa tem um saber 'conectado' (CK) ou um saber 'destacado' (SK).
Pessoas com valores CK maiores tendem a ver os processos de
aprendizagem como experiências prazerosas, cooperam com maior
freqüência, procuram ser agradáveis e demonstram interesse em construir
a partir da ideia dos outros, enquanto as pessoas com valores SK mais
altos tendem a ter uma posição mais crítica e criar polêmicas. Os estudos
demonstraram que estes dois estilos de aprendizagem são independentes
(Galotti et al., 1999; Galotti et al., 2001). Além disso, são apenas reflexos
das atitudes em relação à aprendizagem, e não das capacidades de
aprender ou do poder intelectual. Esta avaliação permite ao professor
conhecer cada um de seus alunos quanto ao comportamento diante da
aprendizagem. (FILHO, P. 41-42).

b) A avaliação COLLES (Constructivist On-Line Learning Environment Survey)


consiste num questionário projetado por Taylor e Maor para analisar as expectativas
e verificar experiências obtidas pelos alunos:

Habilitar-nos a monitorar a extensão da capacidade interativa da Internet


em engajar estudantes às práticas de aprendizado dinâmicas... a forma
com que é administrada depende do propósito do avaliador. Tipicamente
aplicamos o formulário no início do curso, depois de duas semanas... e
finalmente na semana final... É formado por 24 declarações distribuídas em
6 grupos, cada uma das qual relativa a um ponto crucial de avaliação da
qualidade do processo de aprendizagem no ambiente virtual: Relevância:
Quão relevante é o processo de aprendizagem para a vida profissional do
participante? Reflexão Crítica: as atividades on-line estimulam os
processos de reflexão crítica dos alunos? Interação: até que ponto os
diálogos on-line são ricos, considerando um contexto educativo? Apoio dos
Tutores: em que medida as atividades dos tutores favorece o
desenvolvimento de habilidades de participação no curso on-line? Apoio
dos Colegas: os colegas se apóiam e se encorajam mutuamente em modo
sensível? Compreensão: os participantes e os tutores compreendem bem
as comunicações recíprocas? (Ibidem, pg. 42-43).

30
7.6 Recursos Tecnológicos

A utilização das tecnologias de informação e comunicação deve ter como


objetivo a integração dos ambientes de educação para enriquecer e estruturar a
educação a distância via Internet (e-learning). O bom uso das tecnologias tem
enriquecido os ambientes de aprendizagem a distância, pela interação/interatividade
entre o aluno e o computador, e entre todos os atores do processo educacional, o
que propicia o aumento do número de oportunidades de capacitação e a qualidade
de cursos oferecidos pela internet.

Hoje, há softwares capazes de construir ambientes interessantes, interativos


que permitem ao designer educacional, elaborar cursos envolventes e afetivos.
Permitem, ainda, a construção do conhecimento ativo, porque permitem a
participação, a troca, fornecendo e recebendo informações sendo elas assíncronas
ou síncronas, mas sendo uma ou outra, estabelecem uma comunicação contínua,
real, entre aprendizes/aprendizes, e aprendizes/tutor.
Abaixo, segue a lista de recursos tecnológicos utilizados no desenvolvimento
do curso.
Para publicar o curso é necessário o ambiente virtual de aprendizagem
Moodle na versão 1.8 (PHP 4.3.0 e MySQL 4.1.16), Linguagem HTML é uma
linguagem que diagrama páginas estáticas que serão utilizadas para diagramar
figuras e textos, e assim montar as páginas das Aulas Virtuais, Fóruns de Discussão,
chats.);

Na amostra do curso a ser construído, está prevista a utilização dos


seguintes recursos tecnológicos:

- Ambiente educacional Moodle: Ambiente virtual de aprendizagem na qual o


curso é publicado;

- Biblioteca Virtual – textos complementares e de aprofundamento;

- Formato rich text – permitem anexar imagens, e arquivos multimedia que


trabalham visualmente o curso tornando-o mais sugestivo e envolvente.

31
- Fóruns – ferramenta de interação entre os atores do processo de
construção cooperativa do conhecimento. O fórum neste curso é ferramenta
primordial de troca de informações e debates no curso. Por meio dele, o aprendiz
permutará conhecimento e experiências com os colegas, exporá suas dúvidas,
postará os textos produzidos para compartilhamento, além de ser o principal veículo
de comunicação entre os aprendizes e o tutor. A avaliação dos fóruns considerará
as participações no fórum, pois a construção do conhecimento pode ser avaliada
pela interação com os outros participantes.

- HTML: é uma linguagem que possibilita apresentar informações


(documentação de pesquisas científicas) na Internet. Aquilo que você vê quando
abre uma página na Internet é a interpretação que seu navegador faz do HTML.
Para visualizar o código HTML de uma página use o menu "View" (Ver) no topo do
seu navegador e escolha a opção "Source" (Código fonte);

- Arquivos de imagem (GIF, JPG) – permite anexar imagens que têm por
finalidade tornar o curso mais atrativo. O curso disseminadores de educação fiscal
utilizará fotografias livres (royalties free) para ilustrar, contribuir para instigar a
atenção, provocar questionamentos e envolver emocionalmente o aprendiz ao tema
proposto.

- Macromedia Flash MX – As aulas serão preparadas utilizando o


macromedia flash mx (Versão 6.0), pois é um software primariamente de gráfico
vetorial - apesar de suportar imagens bitmap e vídeos - utilizado geralmente para a
criação de animações interativas que funcionam embutidas num navegador web.

- Internet: rede eu permite o acesso do aprendiz ao curso;

- Pastas de arquivos - é uma pasta na plataforma que permite organizar


conteúdos e acessá-los por meio de um link.

- Página Web – diagrama as informações para que a página seja visualizada


pelo aprendiz dentro da janela do ambiente de aprendizagem. Também tem como
funcionalidade “linkar” páginas por meio de hipertext para direcionar o aprendiz a
documentos de aprofundamento ou outras páginas, permitindo navegar de página a
página, ou página a documento.
32
- Scrapbook – espaço para o aprendiz fazer suas anotações sobre as aulas
do curso.

Serão abertos os seguintes fóruns no curso: Fórum de dúvidas, Sala do


cafezinho, Fórum encontro dos aprendizes e Mensagens da tutoria. O fórum de
dúvidas tem por objetivo o esclarecimento de dúvidas sobre o conteúdo do curso e
troca de experiências. A sala do cafezinho incentiva a interatividade dos aprendizes,
o fórum Mensagem da tutoria terá por objetivo disponibilizar informações pertinentes
ao curso (avisos, notícias). O Fórum encontro dos aprendizes terá por objetivo a
construção do conhecimento, por meio das discussões entre todos os participantes
além de ser um espaço para os alunos enviarem sugestões e críticas referentes ao
curso, tutores e administração.

Como pré-requisitos para participação dos cursos são necessárias as


seguintes condições, conhecimentos, equipamentos e programas: disponibilidade de
tempo para participação no curso; tempo para atuar como disseminador de
Educação Fiscal, quando solicitado; possuir conhecimentos básicos de informática:
Windows, Word e Internet; possuir endereço eletrônico e acessá-lo com frequência;
computador Pentium II ou superior; Sistema operacional: Windows 98, Windows
2000m Windows ME, Windows XP, Windows 2003, Windows Vista, conexão a
Internet, Editor de Texto: Microsoft Word ou Broffice Writer, Correio Eletrônico,
Adobe Flash Player e Leitor de arquivos PDF.

O papel do tutor neste curso será de suma importância pois o público alvo é
muito diversificado, o tutor terá que trabalhar sua sensibilidade para observar o nível
de conhecimento de cada aprendiz e a linguagem mais apropriada.
O tutor deve recepcionar e ambientar os aprendizes estimulando a interação,
navegação e leitura do material didático. Deve incitar os participantes para que
participem das atividades, dar liberdade para os aprendizes escolherem as questões
que serão discutidas, instigar o raciocínio crítico e analítico do indivíduo e do grupo.
Para ser eficiente nas suas atribuições o tutor deve acessar diariamente os
fóruns, e responder a todos os correios eletrônicos que tenham como remetentes os
aprendizes num prazo limite de doze horas, ler e responder os fóruns com atenção,

33
e seguir as orientações do tutor. E entre todas estas ações se autoavaliar
constantemente.
O monitoramento feito pelo sistema de aprendizagem e das ferramentas de
comunicação disponíveis (fórum, chat, atividades), pode subsidiar o tutor no
planejamento das ações que motivem e orientem os aprendizes no andamento dos
seus estudos.

7.7. Certificação

Receberá o certificado da Esaf o aluno que obtiver no mínimo 70% de


aproveitamento geral e realizar todas as atividades propostas nos 4 módulos:
avaliações e fórum. Para obter o certificado de 120 horas o aluno deverá ser
aprovado na parte teórica do curso.
O aluno será responsável pela impressão do seu certificado que estará disponível
nas escolas após o encerramento e fechamento do curso pela Esaf.

7.8 Divulgação do curso

A gestão regional, por meio dos seus gestores regionais do ministério da


fazenda se reunirá periodicamente com os diretores de escolas públicas,
representantes de classe, representantes de comunidade, servidores da Secretaria
da Receita Federal, servidores das Secretarias de Fazenda e de Educação dos
Estados, Municípios e do Distrito Federal.
Todos estes potenciais disseminadores serão orientados a cadastrarem-se
no ambiente virtual de aprendizagem, com a finalidade de obterem dados básicos
como e-mail, profissão, CPF e localidade. De posse destes dados, as turmas podem
ser estruturadas, e os aprendizes distribuídos entre elas.
Uma das formas de divulgação do curso será feita por correio eletrônico, no
qual será informada as instruções básicas de acesso ao curso, data de início e
encerramento.
O portal da Escola de Administração Fazendária –
http://www.esaf.fazenda.gov.br/ - também divulgará na página principal do seu portal
as datas de realização do curso, público a quem se destina e como efetuar as
inscrições.

34
8. Conclusão
Por meio do curso de disseminadores fiscais espero ajudar na
conscientização da população nos seus direitos e deveres como cidadãos. É
fundamental despertar a sociedade para que ela compreenda a atividade financeira
do Estado na busca do cumprimento das garantias constitucionais para exercer
plenamente a cidadania.
A disseminação de Educação Fiscal a distância é uma oportunidade de
democratizar oportunidades de capacitação e entranhar em comunidades de difícil
acesso de informação.
Este curso espera sensibilizar o cidadão para a função socioeconômica do
tributo e assim evitar a pirataria, sonegações e outras fraudes. Outro fator importante
é a possibilidade de levar aos cidadãos conhecimentos sobre administração pública,
e assim fazê-los consciente das atribuições e responsabilidades dos servidores
públicos, para que possam desenvolver espírito crítico, e assim serem também
fiscais dos atos administrativos, ou seja, incentivar o acompanhamento, pela
sociedade, da aplicação dos recursos públicos.
Há também a ambição de despertar no aprendiz o interesse da leitura, da
pesquisa, do aprofundamento neste conhecimento tão rico e fundamental para a
sociedade, e assim criar condições para uma relação harmoniosa entre o Estado e o
cidadão.
Para muitos aprendizes será uma oportunidade nova de educar-se a
distância. Isso, sem dúvida, é a maior preocupação e responsabilidade que sinto ao
desenvolver esse material. Ele é a porta para um mundo novo. Um mundo da auto-
instrução sem estar sozinho. Um universo rico de uma rede infinita de
relacionamentos, trocas, e cooperações. Uma rede em que concretamente podemos
desenvolver e colocar em pratica a cooperação e o construtivismo.
O maior desafio é humanizar o conteúdo, torná-lo afetivo e adaptá-lo ao e-
learning. A educação fiscal é uma matéria vasta e é necessário muito critério para
selecionar o conteúdo e escrevê-la de forma adequada, didática e instigante. Desejo
também que o material disponibilizado no curso, não seja interpretado como todo
conhecimento necessário, mas como o início de consciência cidadã, que
proporcione um interesse gradativo e incessante por mais conhecimento.

35
9. Referências Bibliográficas

ANDRÉ, M.E.D. O projeto pedagógico como suporte para novas formas de avaliação.
In: DOMINGUES de Castro, Amélia ; CARVALHO, Anna Maria Pessoa de (Orgs.).
Ensinar a ensinar. São Paulo: EDUSP, 2001.
AZEVEDO, José Clóvis de. Escola cidadã: políticas e práticas. Disponível em:
www.anped.org.br
BRASIL,Ministério da Educação, Secretaria de Educação a Distância
Disponível em:
http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=289&Itemid=
532
acesso em julho/2009
CALDAS Márcia Paes, Proposta de Implantação de Curso Básico de Português a
Distância
Escola de Administração Fazendária - ESAF Institucional - Áreas de Atuação –
http://www.esaf.fazenda.gov.br/esafsite/institucional/arrea_atua/area_atua.htm
Escola de Administração Fazendária - SAF Institucional - Componentes Estratégicos -
http://www.esaf.fazenda.gov.br/esafsite/institucional/comp-estrateg/comp-estrateg.htm
FILHO, Athail Rangel. Moodle: Um sistema de gerenciamento de cursos. 2005.
Disponível em: http://aprender.unb.br/mod/resource/view.php?id=83237
GADOTTI, Moacir. Escola cidadã. São Paulo: Cortez/Autores Associados, 1999.
GARDNER, Howard. Estruturas da Mente: a teoria das inteligências múltiplas. Porto
Alegre, Artes Médicas, 1994
GARDNER, Howard. Inteligências Múltiplas: a teoria na prática. Porto Alegre: Artes
Médicas, 1995.
HTML,
Disponível em: http://pt-br.html.net/tutorials/html/lesson2.asp
Acesso em 20/06/2009
Instituto Nacional de Administración Pública de España –INAP(2008).
Disponível em www.inap.map.es
LEONTIEV, Aléxis et allii. Psicologia e Pedagogia: Bases Psicológicas da
Aprendizagem e do Desenvolvimento. São Paulo, Editora Moraes, 1991

36
LITTO Fredric Michael, Perspectivas da Educação a Distância no Brasil: Três
Cenários a Ponderar (1997-2002) disponível em:
http://www.futuro.usp.br/producao_científica/artigos/fl_perspectivasead.htm.
Acesso em 01 jul 2009
Macromedia Flash MX, disponível em:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Adobe_Flash
Acesso em 15 de jul de 2009
Moodle
http://www.profissionaisdeweb.com/desenvolvimento/moodle-sua-plataforma-de-
elearning-gratis/
Acesso em junho de 2009
NEVES, Carmen Moreira de Castro, Diretora de Política de Educação a Distância do
Ministério da Educação, Referenciais de Qualidade para Cursos a Distância (2003)
PNEF, Escola de Administração Fazendária -
http://www.esaf.fazenda.gov.br/esafsite/educacao-fiscal/Edu_Fiscal2008/INDEX.htm
Programa Nacional de Educação Fiscal (Brasil), educação fiscal no contexto
social/Programa Nacional de Educação Fiscal. – 3ª ed. revisada e atualizada –
Brasília, 2008. p70: il. (Série Educação Fiscal. Caderno 1)
QUADROS, Paulo da Silva – Em busca de uma pedagogia em rede
Disponível em http://www.cidade.usp.br/redemoinhos/1202/analise.php. Acesso em 15
jul 2008
SILVA, Siony .Tecnologias de Informação e Comunicação e a EaD , 2004.
Disponível em: HTTP://www.cefetsp.br/sinergia/8pc.html
Acesso em 04/04/2008
VARGAS, Miramar Ramos Maia;Disciplina 1 curso Pós Ead UNB CEAD
WICKERT, Maria Lúcia Scarpini. O Futuro da Educação a Distância no Brasil (1999)
Disponível em HTTP://www.intelecto.net/EAD_textos/lucia1.html
Acesso em 23/05/2009

37
10 APÊNDICES :

Apêndice1 - Mapa do curso


Apêndice 2 - Conteúdo programático
Apêndice 3 - Amostra do curso
Apêndice 4 – Planilha de custos

38
Apêndice1 - Mapa do curso

Curso de
Disseminadores
de Educação Fiscal a
Distância

Módulo 1 Módulo 2 Módulo 3 Módulo 4

Educação fiscal Estado e Sistema tributário Gestão


no contexto social sociedade brasileiro democrática dos
recursos públicos

1 2 3 4

39
Módulo 1

Educação fiscal no contexto social

Apresentação

Cenário econômico, social e político no Brasil e no mundo

40
Módulo 2

Estado e sociedade

Apresentação

Evolução histórica do conceito de Estado e Sociedade

O Estado Brasileiro

Estado democrático de Direito e de Cidadania

Estado capital e trabalho

Diferenças sociais: desafios para o Brasil

Previdência Social no Brasil

Ética

41
Módulo 3

Introdução

A Função Social dos Tributos

Serviços Públicos

A origem dos tributos

A história dos tributos no Brasil

Sistema Tributário Nacional

Tributos

Elementos da obrigação tributária

Classificação dos tributos quanto ao ente tributante

Fundos da criança e do adolescente

Reforma Tributária

Repartição das Receitas Tributárias

Documentos Fiscais

Fraudes Fiscais

Pirataria

Função socioeconômica dos tributos

42
Módulo 4

Apresentação

A gestão democrática dos recursos públicos

Um breve passeio pela história

Orçamento público

Lei de responsabilidade fiscal – LRF

Execução orçamentária

Contabilidade do orçamento

Gastos obrigatórios

O processo de compras públicas

Como encaminhar denúncias

43
Apêndice 2 - Conteúdo Programático

Requisitos de conhecimento: ensino médio e noções básicas de informática:


Windows, Word e Internet;
Carga Horária: 120 horas
Domínio predominante: cognitivo
Objetivo Geral: O aprendiz deverá ser capaz de descrever a fonte e destinação dos
recursos tributários, a responsabilidade dos agentes administrativos, e identificar as
fraudes fiscais.

Módulo 1 - Educação fiscal no contexto social

Objetivos específicos Descrever aspectos relacionados ao cenário econômico,


social e político no Brasil e no mundo; à educação no
contexto social; ao programa nacional de educação fiscal –
PNEF e a elaboração de projetos pedagógicos.

Estratégias ou O aprendiz responderá questionários com exercícios ao final


procedimentos de cada aula para avaliar seus conhecimentos.
instrucionais
Meios instrucionais Será utilizado o recurso de perguntas de múltipla escola,
além de perguntas com respostas livres durante a própria
aula.
Haverá fórum para discussão dos temas propostos.
Avaliação de A forma de avaliação é a formativa. O aprendiz terá uma
aprendizagem atividade de múltipla escolha no final de cada aula e se não
for bem avaliado poderá rever a atividade e refazer o
questionário. Para isso, contará com mais duas tentativas.

O módulo 1 está composto por duas aulas dividas com os temas abaixo:
Aula 1 – Apresentação
Aula 2 – Cenário econômico, social e político no Brasil e no mundo

Módulo 2 - Estado e Sociedade

Objetivos específicos Identificar e descrever aspectos relacionados Estado,


Sociedade, capital, trabalho, previdência social e à ética.

Estratégias ou Serão descritos exemplos de atos de cidadania que


procedimentos constroem a relação sociedade e Estado, e como a ética, a

44
instrucionais previdência social são importantes para uma relação
harmoniosa e sadia.
Meios instrucionais Serão inseridos exercícios com frases incompletas para que
o aprendiz complete com a palavra que julgar acertada, para
que os conceitos da relação Estado e sociedade se revelem.
Avaliação de A forma de avaliação é a formativa. O aprendiz terá uma
aprendizagem atividade de múltipla escolha no final de cada aula e se não
for bem avaliado poderá rever a atividade e refazer o
questionário. Para isso, contará com mais duas tentativas.

Módulo 2 é composto por oito aulas:


Aula 1- Introdução
Aula 2 - Evolução histórica do conceito de Estado e Sociedade
Aula 3- O Estado Brasileiro
Aula 4 - Estado democrático de Direito e de Cidadania
Aula 5 - Estado capital e trabalho
Aula 6 - Estado Diferenças sociais: desafios para o Brasil
Aula 7 - Previdência Social no Brasil
Aula 8 - Ética

Módulo 3 – Sistema tributário financeiro

Objetivos específicos Identificar e descrever aspectos relacionados ao serviços


públicos, aos tributos e suas derivações, à pirataria, função
socioeconômica dos tributo e a igualdade e justiça no
sistema tributário nacional.
Estratégias ou Serão apresentadas as formas corretas origem e destinação
procedimentos de recursos, seus exemplos e conseqüências nas vidas das
instrucionais pessoas. Exemplos de fraudes e o seu resultado danoso
para a sociedade.
Meios instrucionais Serão inseridos exercícios ligue as palavras. Ligar a origem
do tributo à sua destinação.
Avaliação de Avaliação formativa. O aprendiz deverá fazer uma reflexão
aprendizagem do aprendizado analisando a capacidade de compreensão
do conteúdo apresentado.

O módulo 3 é composto por quinze aulas:


Aula 1- A Função Social dos Tributos
Aula 2 - Serviços Públicos
Aula 3- A origem dos tributos
45
Aula 4 - A história dos tributos no Brasil
Aula 5 - Sistema Tributário Nacional
Aula 6 - Tributos
Aula 7 - Elementos da obrigação tributária
Aula 8 - Classificação dos tributos quanto ao ente tributante
Aula 9 - Fundos da criança e do adolescente
Aula 10 - Reforma Tributária
Aula 11 - Repartição das Receitas Tributárias
Aula 12 - Documentos Fiscais
Aula 13 - Fraudes Fiscais
Aula 14 - Pirataria
Aula 15 - Função socioeconômica dos tributos

Módulo 4 – Gestão democrática dos serviços públicos

Objetivos específicos Identificar e descrever a atividade financeira do Estado


como pressuposto para o pleno exercício da cidadania na
gestão dos recursos públicos, no orçamento público, à lei
de responsabilidade fiscal e ainda às compras públicas...
Estratégias ou Serão descritos os objetivos gerais do Estado, como é
procedimentos composto o orçamento público, como é feito o processo de
instrucionais compras públicas e suas modalidades.
Meios instrucionais Como trata-se do último módulo e os assuntos têm um teor
agreste, serão avaliadas as participações no fórum, diante
dos questionamentos elaborados pelos próprios aprendizes
acerca do conteúdo programático.
Avaliação de Avaliação formativa. O aprendiz deverá fazer uma reflexão
aprendizagem do conteúdo apresentado, com como seu aprendizado para
que possa ser analisada a capacidade de compreensão do
conteúdo apresentado.

O módulo 4 é composto por dez aulas:


Aula 1- Apresentação
Aula 2 - A gestão democrática dos recursos públicos
Aula 3- Um breve passeio pela história
Aula 4 - Orçamento público
Aula 5 - Lei de responsabilidade fiscal – LRF
Aula 6 - Execução orçamentária

46
Aula 7 - Contabilidade do orçamento
Aula 8 - Gastos obrigatórios
Aula 9 - O processo de compras públicas
Aula 10 - Como encaminhar denúncias

Referências para construção do curso


ESAF, Educação fiscal, caderno 1, edição 008
www.esaf.fazenda.gov.br/esafsite/educacao-fiscal/Ed...008/PDF/CAD1NOVOFINAL.pdf
ESAF, Educação fiscal, caderno 2, edição 008
www.esaf.fazenda.gov.br/esafsite/educacao-fiscal/Ed...008/PDF/CAD2.pdf
ESAF, Educação fiscal, caderno 3, edição 008
www.esaf.fazenda.gov.br/esafsite/educacao-fiscal/Ed...008/PDF/CAD3.pdf
ESAF, Educação fiscal, caderno 4, edição 008
www.esaf.fazenda.gov.br/esafsite/educacao-fiscal/Ed...008/PDF/CAD4L.pdf

47
Apêndice 3 – Amostra do curso

48
49
50
51
Amostra do curso no Moodle

52
Apêndice 4 – Planilha de custos
Nº Dias Horas/ Homem/
Etapas do projeto pessoas úteis dia hora Valor total
Primeira fase (formação dos tutores-
disseminadores)

Execução da primeira fase (divulgação) 100 8 8 15,00 96.000,00


Execução primeira fase (preparar tutores-
disseminadores) 100 8 8 65,00 416.000,00

Execução delocamento e alocação de


tutores (realização do curso) 500 8 8 15,00 480.000,00
Avaliação da primeira fase 3 27 1 15,00 1.215,00
Custo da primeira fase 993.215,00
Execução da segunda fase (divulgação) 50 10 8 15,00 60.000,00
Hora aula tutor 500 22 1 65,00 715.000,00
Execução segunda fase (realização do
curso) 100.000 22 1 0,00 0,00
Avaliação da segunda fase 100 27 1 15,00 40.500,00
Custo da segunda fase 815.500,00
Custo total do projeto 1.808.715,00
Custo por aprendiz 18,09

53