Você está na página 1de 5

Nome: Ilda Antônio Impile

Curso de Gestão de Recursos Humanos


Primeiro Ano
Trabalho individual de MIC

A pesquisa como o processo formal e sistemático de desenvolvimento do método


cientifico, tem por objetivo descobrir respostas para problemas mediante o emprego de
procedimentos científicos. De acordo esta definição, a pesquisa social é um processo
que usando os métodos científicos facilita a obtenção de conhecimentos na espera da
realidade social.

A primeira etapa de um trabalho de pesquisa consiste na definição de uma pergunta de


partida. A pergunta de partida estruturara todo o trabalho do investigador pelo que,
quando bem formulada, poderá permitir ou facilitar em muito a sua ação. A definição da
pergunta de pergunta de partida constitui a primeira etapa de um projeto de
investigação, que é procedida da pesquisa exploratória. Esta fase composta as operações
de leitura, as entrevistas exploratórias e outros métodos de exploração complementares,
por exemplo a observação e a pesquisa documental.

Finalidades da pesquisa

A pesquisa social busca o progresso da ciência, procura desenvolver os conhecimentos


científicos sem a preocupação direita com suas aplicações e consequências práticas.

A criação de uma boa pergunta de partida constitui um processo essencial no começo de


uma investigação. A inexistência de uma pergunta de partida clara, relevante e virável
pode comprometer completamente a continuação da investigação. As perguntas que o
investigador ira colocar a si com uma maior ansiedade serão, portanto: Deverei explorar
o que? Que obra deverei ler? Que sites deverei consultar? Onde poderei procurar a
informação? Quem deverei entrevistar de uma forma exploratória?

Como pesquisar

No mundo de informação é bem provável que um pesquisador se enfrente com muito


material bibliográfico, que será para ele difícil de consultar no seu todo, a realidade é
que a internet dá hoje uma grande quantidade de informação que Facilita todo o
processo de consulta de informação. É desta maneira que a pergunta de partida é
fundamental para se evitar que o pesquisador perca; porque um dos problemas que
afetam o pesquisador prende-se com a desorientação inicial em torno da sua
investigação bibliográfica.

Uma das formas importantes para a escolha e seleção da informação prende-se com a
identificação da importância de uma obra Importa salientar que o pesquisador tenha
atenção as citações bibliográficas.

Cada pesquisa tem um intuito especifico, contudo, a pesquisa distingue-se em três níveis
a saber

Descria, Classificação e Explicação de acordo o Deverger (1963).

De acordo Seltriz et al, (1967) as pesquisas classificam-se em três grupos que são:
Estudos exploratórios, estudos descritivos e estudos que verificam hipóteses causais,
esta última é a classificação mais adorada na atualidade e também o com uma pequena
alteração de nomenclaturas.

Pesquisa exploratória, tem por finalidade desenvolver, esclarecer e modificar conceitos


e ideias, tendo em conta a formulação de problemas mais precisos ou hipóteses
pesquisáveis para estudos posteriores.

Esta pesquisa é que apresenta menor rigidez no planeamento, envolvendo levantamento


bibliográficos e documental, entrevistas não padronizadas e estudo de caso.

Com base nesta pesquisa, desenvolve para proporcionar uma visão geral, de forma
aproximativa, acerca de determinado factos. E realiza especialmente quando o tema
escolhido é pouco explorado e tornar difícil de formular hipóteses precisa,

A pesquisa descritiva

O seu objetivo fundamental visa descrever as características de determinada população


ou fenômeno ou o estabelecimento de relações entre variáveis. São vários os estudos
que podem ser classificados e uma das características mais importantes é da utilização
de técnicas padronizadas de coleta de dados.
Esta pesquisa descritiva para além de estudar as características de um grupo, também
visa pela distribuição por idade, sexo, procedência, nível de escolaridade, nível de
renda, estado de saúde, física e mental entre outros. Também são pesquisas descritivas,
aquelas que tem por objetivos descobrir a existência de associações entre variáveis, para
além de outra pesquisa que vela para estudar o nível de atendimento dos órgãos públicos
de uma comunidade, as condições de habitação dos seus habitantes, o índice de
criminalidade entre outros.

As pesquisas descritivas e exploratórias.

São as que fazem os investigadores sociais preocupados com atuação pratica e são os
mis solicitadas por instituições educacionais, empresas, partidos políticos e
organizacionais,

As pesquisas explicativas, aquelas que se preocupam identificar os fatores que


determinam ou que contribuem para o surgimento dos acontecimentos. É a pesquisa que
mais aprofunda o conhecimento da realidade, porque explica a razão, o porquê das
coisas. É a pesquisa mais complexa e delicada.

Contudo, podemos concluir que o conhecimento cientifico está patente nas respostas
dados pelos estudos explicativos, aliás não significa que as pesquisas descritivas e
exploratórias não tenham valor, constituindo assim etapa previa indispensável para
obter explicações cientificas.

As pesquisas explicativas, são valiosas quase no método experimental nas ciências


naturais

Em relação ao envolvimento do pesquisador na investigação, torna necessário o


estabelecimento de regras de forma de proceder científicos tem sido muito influenciado
pela orientação positivista, que visa o uso de procedimentos rigorosamente empíricos de
modo a obtenção de um máximo da objetividade na pesquisa.

A objetividade não é obtida com facilidade devido a sua sutileza e implicações


complexa, porque todo o conhecimento é afetado pelas predisposições dos
observadores, aliás, quanto mais as observações ficam longe da verdade física, haverá
pouca possibilidade de distorção. Quando um pesquisador trata de um tema com
personalidade, autoritarismo, criatividade ou classe social, as facilidades de distorção
aumentam.
Para evitar o problema, os teóricos positivistas sugerem que as pesquisas dos
acontecimentos sociais devem restringir aquilo que possa ser fundamentalmente
observado.

As pesquisas sociais, tanto por seus objetivos, como por seus procedimentos, são
diferentes entre si. Com isso, é impossível apresentar esquema que mostre todos os
passos do processo de pesquisa. Contudo, parece haver um entendimento na maioria dos
cientistas, que todo o processo de pesquisa social envolve: planeamento, coleta de
dados, analise e interpretação e redação do relatório. Cada etapa pode ser subdividida
em outras mais especificas. O esquema adoptado compreende nove etapas a saber:

a) Formulação do problema
b) Construção de hipótese ou determinação dos objetivos
c) Delineamento da pesquisa
d) Operacionalização dos conceitos
e) Seleção da amostra
f) Elaboração dos instrumentos de coleta de dados
g) Analise e interpretação dos resultados
h) Redação do relatório.

Contudo, esse encadeamento tem fases parece ser o mais logico, e segundo nele, será
desenvolvido.

Todo tipo de pesquisa tem o começo de algum tipo de problema. O problema é algo que
provoca desequilíbrio, mal-estar. Sofrimento as pessoas.

Problema cientifico podemos considerar como indagações, por exemplo qual a


probabilidade de êxito das operações para o transplante de um coração?

No processo de investigação social, a primeira coisa é escolher o problema a ser


investigado.

Esta escolha, leva a indagações. Porque pesquisar? Qual a importância do


acontecimento a ser investigado? As pessoas a se beneficiar com os resultados da
pesquisa?

O investigador, a escolher o problema, recebe influência do seu meio cultural, social e


econômico, e tem a ver com instituições, grupos, comunidades etc. com que ele se
relaciona.
Muitas vezes a escolha do problema é determinada por sua relevância, mas pela
oportunidade que oferece determinada instituições.

A escolha do problema de pesquisa sempre implica algum tipo de comprometimento.


Quando o investigador está integrado numa organização como funcionário e pretende
fazer pesquisa que lhe são propostas pela direção ou por seus clientes.

A formulação correta de um problema de pesquisa não é coisa fácil, de acordo com


Cohert e Nagel (1934. P.2333) chegam a identificar a capacidade de formular problemas
como sinal do gênio cientifico. Parafraseando Edson, refere que a formulação de um
problema exige mais transpiração do que inspiração. Contudo, as pesquisas sociais,
começa-se com uma pergunta formulada de maneira provisória, ou seja, uma pergunta
de partida que poderá mudar de perspectiva durante a caminhada.

Não existe regras rígidas para a formulação de problemas, o que fundamentalmente


existe são as recomendações baseadas na experiência de investigadores sociais que
quando aplicados, facilitam a formulação do são.

A forma interrogativa dá a vantagem de ser direta e simples. As perguntas são um


convite para uma resposta e ajudam a centrar a atenção do pesquisador nos dados
necessários para proporcionar a resposta.

O problema deve ser claro, devendo utilizar os termos claros na formulação, deixando
explicito o significado com que estão sendo usados.

O problema deve ser preciso, utilizando termos claros e formular problemas com
conceitos possíveis de mensuração.

Não basta formular um problema delimitado, pois, é necessário levar em consideração


aspectos como: o tempo para sua realização, existência de instrumentos adequados para
a coleta de dados, recursos materiais, humanos e financeiros suficientes para realizar a
pesquisa.

Contudo, pesquisas que envolvem pessoas devem caracterizar-se pela observância


alguns princípios éticos definidos por normas aceites internacionalmente.