Você está na página 1de 27

UNIVERSIDADE ESTADUAL VALE DO ACARAÚ

COORDENAÇÃO DE PÓS – GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA

PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL


ESTÁGIO NA EMEIF JOÃO FREDERICO FERREIRA GOMES

INÁVIA MOREIRA NUNES


KÁSSIA ROCHA MENEZES
ROSEMAR ARRAIS ALENCAR MENDES

FORTALEZA - CEARÁ
MARÇO DE 2011
UNIVERSIDADE ESTADUAL VALE DO ACARAÚ
COORDENAÇÃO DE PÓS – GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA

PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL


ESTÁGIO NA EMEIF JOÃO FREDERICO FERREIRA GOMES

INÁVIA MOREIRA NUNES


KÁSSIA ROCHA MENEZES
ROSEMAR ARRAIS ALENCAR MENDES

PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E
INSTITUCIONAL - ESTÁGIO NA EMEIF
JOÃO FREDERICO FERREIRA GOMES,
APRESENTADO A PROFESSORA ANDREIA
AIRES.

FORTALEZA - CEARÁ
MARÇO DE 2011
De acordo com Nádia Bossa, “o reconhecimento do
caráter interdisciplinar significa admitir a sua
especificidade, uma vez que a Psicopedagogia, na busca de
conhecimentos de outros campos, cria o seu próprio objeto,
condição essencial da interdisciplinariedade”. (1994, pp.5-
6). E ainda segundo a mesma autora, “é uma ilusão pensar
que tal processo nos conduza, a todos, a um único
caminho. O tema da aprendizagem apresenta tamanha
complexidade que tem a dimensão da própria natureza
humana”. (1994, p.9).

BOSSA, Nádia Aparecida - A Psicopedagogia no


Brasil: Contribuições a partir da Prática. Porto Alegre:
Editora Artes Médicas Sul, 1994.
FOTOGRAFÍAS

FOTOGRAFIA 01: LOCALIZAÇÃO DO GOOGLE MAPS DO EMEIF JOÃO


FREDERICO FERREIRA GOMES

FOTOGRAFIA 02: PORTÃO PRINCIPAL DA EMEIF JOÃO FREDERICO


FERREIRA GOMES
FOTOGRAFIA 03: SALA DOS PROFESSORES

FOTOGRAFIA 04: SALA DE REUNIÕES DO GRUPO GESTOR E O GRUPO


DOCENTE.

FOTOGRAFIA 05: BANHEIRO DOS PROFESSORES.

FOTOGRAFIA 06: SALAS DE AULAS

FOTOGRAFIA 07: SECRETARÍA ESCOLAR


FOTOGRAFIA 08: BIBLIOTECA ESCOLAR.
FOTOGRAFIA 09: SALA DE INFORMÁTICA

FOTOGRAFIA 10: COZINHA ESCOLAR

FOTOGRAFIA 11: REFEITÓRIO ESCOLAR


FOTOGRAFIA 12: PALCO DA EMEIF JOÃO FREDERICO FERREIRA GOMES
FOTOGRAFIA 13: COORDENAÇÃO / RÁDIO ESCOLAR

FOTOGRAFIA 14: BRIQUEDOTECA ESCOLAR

FOTOGRAFIA 15: SALA DA DIRETORA DA SRA. DONATÍLIA AMARO


FILGUERA

GRÁFICO
GRÁFICO 01: ORNANOGRAMA DA EMEIF JOÃO FREDERICO FERREIRA
GOMES
ÍNDICE

APRESENTAÇÃO DA ENTREVISTA A VICE-DIRETORA DA 06


EMEIF JOÃO FREDERICO FERREIRA GOMES
1.0 HISTÓRICO DA INSTITUIÇÃO 10

2.0 IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL 10

3.0 ORGANOGRAMA FUNCIONAL 11

4.0 RECURSOS 13
4.1 Recursos Físicos 13
4.2 Recursos Humanos 22
4.3 Recursos Pedagógicos 22

5.0 CONSIDERAÇÕES FINAIS 24

BIBLIOGRAFIA 26
APRESENTAÇÃO DA ENTREVISTA A VICE-DIRETORA DA EMEIF JOÃO
FREDERICO FERREIRA GOMES

1- Em que sala a senhora percebe que existe uma maior necessidade da intervenção de
um psicopedagogo?

Segundo a vice-diretora Selma Maria Teixeira Sales, a necessidade é presente


em todas as turmas, levando em consideração a grande dificuldade no processo ensino
aprendizagem, a mesma relata que a questão socioeconômica é um fator preponderante
para auxiliar nas dificuldades existentes. Salienta que um psicopedagogo seria de
suma importância para compor o quadro pedagógico da escola, afirma que toda ajuda é
sempre bem- vinda e que nossas crianças merecem o máximo de respeito.

2- Quais os casos mais preocupantes que o núcleo gestor já detectou durante toda a sua
gestão?
A nossa entrevistada disse que já vivenciou várias situações difícil compreensão,
onde a escola não sabia ao certo o que fazer, afirma que uma intervenção
psicopedagógica junto ao aluno e a comunidade seria de suma importância, pois,o
diagnóstico facilitaria nas metodologias e intervenções a serem aplicadas. A mesma está
muito satisfeita de saber que a escola receberá estagiarias que estão buscando essa
formação e diz está convicta que concursos surgirão junto a prefeitura de fortaleza e
tudo será favorável ao processo educativo.

3- Nessa unidade escolar já houve mudança constante de professor em uma mesma


sala?
Não houve essa problemática, mas acredita que um dos fatores que dificulta o
processo de aprendizagem são a indisciplina dos alunos, sua impulsividade e
desatenção, comenta que as professoras regentes em parceria com o psicopedagogo
fariam um trabalho mais coeso, pois, através de um processo de anamnese, o
diagnóstico seria muito mais eficaz. A nossa pessoa entrevistada, afirma que um
profissional qualificado dentro de sua especialidade terá uma motivação direcionada ao
problema, facilitando e muito o desenvolvimento de nossas crianças.

6
4- Que tipo de motivação a direção sugeriria ser aplicada dentro do espaço escolar? De
que recursos disponibilizariam para uma prática mais voltada aos problemas de
dificuldades de aprendizagem?

A vice-diretora relata que na medida do possível a escola estará aberta a receber


o profissional que segunda ela, fará diagnosticar da turma e utilizará os recursos
pedagógicos que forem disponíveis. A escola possui uma boa estrutura física, com
algumas dificuldades, entre elas a questão da acústica. A intervenção fará com que o
psicopedagogo encontre mecanismos necessários para trabalhar as possíveis
dificuldades.

5- Na sua visão de gestora, a sra. acredita que seja importante a presença de um


psicopedagogo dentro de uma escola pública?

A vice-diretora Selma Maria Teixeira Sales diz que toda escola, seja particular
ou pública necessita desse apoio profissional, mas enfatiza que devida as condições
socioeconômica da rede pública, há uma maior carência, tendo em vista alguns fatores
que dificultam o processo, tais como: a pouca informação dos familiares,sua
desestrutura conjugal, violência mais acentuada, desemprego etc.. Por isso a gestora
afirma que o trabalho do psicopedagogo só viria a somar e a ampliar as expectativas de
um bom andamento no contexto educativo.

6- O psicopedagogo teria a autonomia para diagnosticar e encaminhar os possíveis


casos encontrados que dificultam o processo ensino aprendizagem?

Em sua visão de professora e gestora, afirma que o psicopedagogo tem a


qualificação necessária para diagnosticar e encaminhar os casos a qual quer especialista,
bem como, fazer qualquer intervenção para ajudar na superação do problema em
questão. Segundo a mesma, todo profissional tem as suas limitações por isso a
necessidade de se trabalhar com parceria, por isso, toda ajuda é bem vinda e de suma
importância. Acredita que a comunidade deva ser esclarecida sobre a existência desse
profissional, para que a mesma possa contar com esse apoio e com as possíveis ajudas.
Para finalizar diz que a escola deseja abraçar esse profissional, e espera que haja uma
política que dê prioridade a essa função tão significativa no contexto educativo.

7
7 - Os professores da escola, já passaram por alguma formação voltada para questões
de dificuldade de aprendizagem?

A professora e vice-diretora Selma afirma que os professores, sempre que


possível, passam por cursos de capacitação e que estão sempre se reciclando, mas
afirma e enfatiza, que cada profissional atuando dentro de sua especialidade, deixando
claro que o professor regente não tem condições de trabalhar casos isolados, por isso, a
necessidade de um psicopedagogo, um coordenador pedagógico, psicólogo etc.

8 - Como a família reage as dificuldades de aprendizagem de seus filhos? De que forma


a escola se posiciona com relação à comunidade?

A mesma diz que uma das maiores dificuldades encontrada é a participação da


família, por diversos fatores, o maior deles, é o analfabetismo presente e a
desestruturação familiar, ou seja, famílias com um nível social bem a baixo do dito
normal. O processo aprendizagem praticamente só é orientado dentro do espaço escolar,
muitas vezes sendo atropelado pela desmotivação de crianças sedentas de alimentação,
carinho e assistência psicológica, pois o emocional encontra-se totalmente abalado.
A escola tenta trabalhar em parceria, com uma comunicação mais amena,onde os pais
possam ter uma compreensão das atividades pedagógicas que estão sendo
desenvolvidas. Reuniões bimestrais são feitas para que a comunidade possa interagir
com o espaço escolar que favorece e ampara seu filho, além de atividades envolvendo
datas importantes, como as cívicas, mas sempre, obedecendo o calendário anual e as
necessidades de nossas crianças.

A escola tem uma visão de trabalhar com a interação dos pais,reconhecendo que
a família é a base de nossas crianças e não podendo dissociá-las de seu contexto social,
tudo é muito respeitado e valorizado.

9 - No momento, o que a escola faz para amenizar esses casos, de dificuldades de


aprendizagem detectadas?

A escola procura trabalhar com parceria com todos os profissionais que fazem
parte do quadro pedagógico da escola, bem como interagir-se com a família e pedir
ajuda as instituições competentes. De acordo com a professora e vice-diretora Selma a
escola tenta implantar diversos programas de ajuda a criança, atualmente a escola conta

8
com o MAIS EDUCAÇÂO, que é um processo de letramento e orientação da
matemática, onde o menor estuda em turnos alternados.

10- O que o órgão responsável, faz para ajudar a escola, nos casos considerados mais
delicados e especiais no processo ensino aprendizagem?

Apesar de afirmar que a escola recebe apoio, a mesma diz que poderia haver
uma política pública que priorizasse a formação gratuita de psicopedagogos, dando
condições de trabalhos a esses profissionais, ou seja, que em cada escola fosse colocado
no mínimo um psicopedagogo por turno, e fossem abertas inscrições para concursos
públicos. Acrescenta que a educação deve ser de qualidade para todos.

9
1. HISTÓRICO DA INSTITUIÇÃO

A EMEIF JOÃO FREDERICO FERREIRA GOMES, foi inaugurada no dia 25


de janeiro de 2003, pelo prefeito de Fortaleza, o Sr. Juraci Vieira Magalhães, com o
objetivo de absolver a demanda dos anexos da Escola Municipal Murilo Aguiar
(Francisco Ariselmo, Ayrton Senna, Creche Escolar Conjunto Ceará ).

Esta escola funciona nos três turnos, e conta com trinta turmas no diurno,
educação infantil e primeira a quarta series do ensino fundamental, e sete turmas
noturnas de educação de jovens e adultos, totalizando 1.137 alunos em 2003. Esta
escola dispõe de: biblioteca, sala de informática, laboratório de ciências, um mini teatro,
ampla cozinha, refeitório, pátio coberto, sala de professores, secretaria e doze banheiros
em funcionamento. Desde sua criação, tem sido procurado contribuir para a melhoria da
aprendizagem do aluno, fortalecendo a leitura e a escrita como instrumento de
desempenho para a cidadania. Este processo vem sendo desenvolvido através de um
trabalho dinâmico e envolvente, onde o corpo docente, funcionários e a comunidade em
geral, fortalecem a parceria buscando a valorização do ser humano, para efetivação da
aprendizagem.

A EMEIF JOÃO FREDERICO FERREIRA GOMES, e está registrada junto ao


MEC com número 23.257.172, e esta situada a Rua José Mendonça número 115, no
bairro Parque Genibaú, na cidade de Fortaleza, no Estado do Ceará, CEP: 60534-090,
telefone: (85) 3488.3248 e tem com diretora a Sra. Donatília Amaro Filguera e vice-
diretora Sra. Selma Maria Teixeira Sales.

2. IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL

Identificamos os seguintes pontos de referência:

A 1500 metros ao norte encontramos a Capela do colégio são Vicente de Paula


no bairro Antonio Bezerra.

A 3.000 metros ao nordeste Colégio da Polícia Militar do Ceará.

10
A 500 metros ao sul encontramos o Centerbox Supermercados - Rua José
Mendonça, 690 - Genibaú, Fortaleza - CE, 60534-090 (85) 3488-1221.

A 2.000 metros sudoeste, localizamos a Delegacia do 12º Distrito Policial - Rua


602, 1 - Conjunto Ceará, Fortaleza - CE, 60531-510 (85) 3101-5666.

LOCALIZAÇÃO DO GOOGLE MAPS

DO EMEIF JOÃO FREDERICO FERREIRAGOMES

FOTOGRAFIA 01

3. ORGANOGRAMA FUNCIONAL

A Lei de Diretrizes e Bases 9.344/96 que determina em seu artigo 12, inciso 1,
aos sistemas de ensino “ elaborar suas propostas pedagógicas ” dando pleno direito aos
docentes, comunidade, alunos, administração escolar, autonomia pedagógica,
administrativa financeira.

11
ORNANOGRAMA DA EMEIF JOÃO FREDERICO FERREIRA GOMES

DIRETORA

Donatília Amaro Filguera

VICE-DIRETORA

Selma Maria Teixeira Sales

COORDENADORA
Lúcia de Fátima Martins Bezerra
Maria Lucileide Henrique Lopes.

SECRETARÍA

Maria Consuêlo da Silva

CORPO DOCENTE

41 PROFESSORES

OUTROS FUNCIONÁRIOS

06 COZINHEIRAS
03 PESSOAL DA LIMPEZA
04 PORTARIA

GRÁFICO 01

12
É nesse contexto, a EMEIF JOÃO FREDERICO FERREIRAGOMES elabora
seu projeto Político pedagógico, um instrumento teórico e metodológico feito para
intervir e mudar a realidade definindo o tipo de ação educativa que se deseja realizar.
Esta escola funciona nos turnos manhã, tarde e noite. E nele, são oferecidos: o
Ensino Fundamental de 1 ª a 5ª ano e educação de jovens e adultos (1ª e 5ª serie);
obedecendo as normas da lei de diretrizes e bases da educação 9.394/96. As professoras
são todas formadas em pedagogia, e tem o interesse de estarem ampliando o seu nível
de conhecimento.
Esta atende crianças carentes do próprio bairro, e bairros adjacentes. Muitos
alunos são participativos, ativos e amigos, mas existem alguns que apresentam
problemas sociais e familiares que devem ser monitorados e acompanhados. O índice de
evasão e repetência é pequeno, diante da totalidade de alunos que esta escola atende.

4. RECURSOS

Os recursos foram subdivididos quanto a sua origem: recursos físicos, recursos


materiais e recursos pedagógicos.
A seguir descrevemos cada um deles:

4.1 RECURSOS FÍSICOS

A EMEIF JOÃO FREDERICO FERREIRA GOMES possui 1343 m2 em cada


um dos seus dois andares. O seu prédio é relativamente novo, possuído uma idade de
nove anos. Sofre manutenções periódicas, sendo o mesmo preparado para receber
alunos especiais.

13
PORTÃO PRINCIPAL DA EMEIF JOÃO FREDERICO FERREIRA GOMES

FOTOGRAFIA 02

A SALA DOS PROFESSORES tem 35 mt2, possui uma mesa com dez cadeiras,
e seis cadeiras adicionais encontradas no canto da sala.

SALA DOS PROFESSORES

FOTOGRAFIA 03

Possui um microcomputador com monitor de vídeo e acesso a internet para uso


dos docentes. Possui um filtro de água eletrônico. O piso é de cerâmica claro o que
ajuda a reflexão da luz. A sala possui seis iluminarias e possui um ar condicionado
Electrolux que proporciona maior conforto. A janela é de alumínio e tem seus
basculantes fixos. Possui também, dois ventiladores de teto. Possui um armário com
oito divisões, uma lousa branca de tamanho intermediária. Neste mesmo espaço temos a
SALA DE REUNIÕES que atende ao grupo gestor e é composta de uma mesa com
quatorze assentos estofados e mais todo redor da mesa com bancos de alvenaria

14
(cerâmica) para outras pessoas acompanharem a reunião. A iluminação é satisfatória e
possui ar condicionado na sala.

SALA DE REUNIÕES DO GRUPO GESTOR E O GRUPO DOCENTE

FOTOGRAFIA 04

O BANHEIRO DOS PROFESSORES: Com aproximadamente 08 mt2, possui


chuveiro, vaso sanitário e lavatório das mãos, e seu revestimento é em cerâmicas e é da
cor branca.

BANHEIRO DOS PROFESSORES

FOTOGRAFIA 05
15
2
SALAS DE AULAS possuem 14 salas entre 34 a 47 m , com uma ótima
incidência de luz natura, tem capacidade de suportar de 22 a 35 alunos regularmente,
possui piso cerâmico claro como revestimento, cadeira com assento fixo em fórmica
com tubo de fixação na cor cinza, e possui condições elétricas razoáveis, dispõe de dois
ventiladores de teto e possui forro branco no teto. A sala de aulas tem algumas áreas de
sobra que caracteriza uma iluminação deficiente.

SALAS DE AULAS

FOTOGRAFIA 06

16
A SECRETARIA ESCOLAR mede 35 m2, e possui dois armários de aço com
porta dupla (um dos armários não tem chave para trancá-lo); dois computadores com
monitores; quatro armários arquivos com quatro gavetas divisórias; cinco mesas em
fórmica branca, sete cadeiras (sendo quatro estofadas e três sem estofamentos); maquina
de Xerox; filtro elétrico com galão de 20 litros de água gelada e possui piso na cor clara.

SECRETARÍA ESCOLAR

FOTOGRAFIA 07

A BIBLIOTECA ESCOLAR mede 68 m2, possui uma ventilação feita por meio
de alvenaria na forma de basculantes, o que torna seu local arejado e tem razoável
ventilação. Possui piso na cor branco com desenho em cinza.Têm excelente iluminação
natural, mas a iluminação artificial é deficiente, e segundo NBR 5413 – Iluminação de
Interiores da ABNT, no seu item 5.3.5 Bibliotecas, deveríamos ter os seguintes valores
(mínimo, médio e máximo): Sala de Leitura: 300 - 500 - 750 LUX; Recinto das
Estantes: 200 - 300 – 500 LUX; Fichário: 200 - 300 – 500 LUX. Esse valor deve ser
medido por um engenheiro eletrônico com um LUXÍMETRO, e que de um laudo
dizendo que a biblioteca esta dentro das normas da ABNT. Como sugestão, colocar
quatro luminárias duplas, e fazer uma melhor distribuição dessas novas luminárias. A
biblioteca dispõe de uma ótima localização, seu espaço é agradável e acolhedor para a
realização de pesquisas e leitura, e possui fácil acesso aos portadores de necessidades
especiais, sendo que, a escola passou por recentes reformas, a fim de que, pudesse
atender as normas da ABNT NBR 9050.

17
BIBLIOTECA ESCOLAR

FOTOGRAFIA 08

LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA com 57 m2, trinta microcomputadores,


uma impressora, possui piso claro, cadeiras acolchoadas, ar condicionado, mesa de
acomodação para as máquinas e mesa redonda do tipo reunião.

SALA DE INFORMÁTICA

FOTOGRAFIA 09

COZINHA ESCOLAR está junto com a despensa dispõe de 44 m2, uma


claridade gerada artificialmente pelas 06 lâmpadas fluorescente (algumas área de
sombra) o que pode ser um indício de uma iluminação deficiente. possui piso cerâmico
predominantemente branco, fogão industrial, seus utensílios tem menos de oito anos de
uso, possui razoável capacidade de atender aos alunos na hora do intervalo do lanche.

18
COZINHA ESCOLAR

FOTOGRAFIA 10

REFEITÓRIO DA ESCOLAR: possui 44 m2, tem uma claridade gerada


artificialmente pelas 06 lâmpadas fluorescente (poucas áreas de sombra), possui piso
cerâmico predominantemente branco, assentos fixos na forma de bancos de alvenaria
revestimento por azulejo branco, possui razoável capacidade de atender aos alunos na
hora do intervalo do lanche.

REFEITÓRIO ESCOLAR

FOTOGRAFIA 11

19
PALCO DA EMEIF JOÃO FREDERICO FERREIRA GOMES: possui 52 m2 de
área, possui iluminação deficiente, e esta localizada na entrada da escola e tem fácil
acesso a este.

PALCO DA EMEIF JOÃO FREDERICO FERREIRA GOMES

FOTOGRAFIA 12

COORDENAÇÃO ESCOLAR: Possui 10 m2, tem iluminação bem


dimensionada, ainda guarda os jogos pedagógicos, e também, engloba a RÁDIO
ESCOLAR, que permite que a direção seja responsável pelos avisos sonoros que
ocorrem em todos os ambientes, possui ainda ar condicionado.

COORDENAÇÃO / RÁDIO ESCOLAR

FOTOGRAFIA 13

20
BRINQUEDOTECA: Possui 45 m2, e utiliza revestimento predominantemente
branco, tem iluminação deficitária com muitas áreas de sombra, ainda possui
ventiladores de parede.

BRIQUEDOTECA ESCOLAR

FOTOGRAFIA 14

SALA DA DIRETORIA: Possui 12 m2, tem iluminação bem dimensionada,


ainda guarda o DATASHOW, máquina de XEROX e tem um MICROCOMPUTADOR
com impressora, e tem ar condicionado.

SALA DA DIRETORA DA SRA. DONATÍLIA AMARO FILGUERA

FOTOGRAFIA 15

21
DOIS BANHEIROS NO ANDAR INFERIOR: Com 12 mt2 cada, possui
chuveiro, dois vasos sanitários e lavatórios das mãos, e seu revestimento é em cerâmicas
e é da cor branca.

DOIS BANHEIROS NO ANDAR INFERIOR: Com 25 mt2 e 39 mt2, possui


chuveiro, quatro vasos sanitários e lavatórios das mãos, e seu revestimento é em
cerâmicas e é da cor branca.

DOIS BANHEIROS NO ANDAR SUPERIOR: Com 35 mt2 cada, possui


chuveiro, quatro vasos sanitários e lavatórios das mãos, e seu revestimento é em
cerâmicas e é da cor branca.

4.2 RECURSOS HUMANOS

A EMEIF JOÃO FREDERICO FERREIRA GOMES dispõe no quadro de


pessoal profissional capacitados para desenvolver suas atividades de forma a satisfazer
as necessidades da escola, seu quadro de funcionários é constituído de pessoal técnico
administrativo, pedagógico e serviços gerais. O quadro docente é todo composto por
profissionais licenciados.

4.3 RECURSOS PEDAGÓGICOS

A EMEIF JOÃO FREDERICO FERREIRA GOMES dispõe de um acervo


grande de recursos pedagógicos, projetos e programas que garantem aos alunos o
desenvolvimento escolar
A escola tem biblioteca escolar e acervo de livros é satisfatório, na mesma sala
existem também diversos uma briquedoteca, palco para teatro para uso dos alunos,
banco de livros, oficina de artes, e jogos pedagógicos disponíveis para os alunos.
A seguir descreveremos brevemente alguns dos programas que existe na escola:
 O PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO: que tem um professor exclusivo para este
fim, são atividades extra classe, que são no turno contrário ao que os alunos
estudam;

22
 PROGRAMA DE SAÚDE BUCAL;
 PROGRAMA DINHEIRO DIRETO NA ESCOLA - PDDE: recebe verbas uma
vez no ano, sendo o dinheiro repassado diretamente a escola.
“O PDDE consiste na assistência financeira às escolas públicas da educação
básica das redes estaduais, municipais e do Distrito Federal e às escolas privadas
de educação especial mantidas por entidades sem fins lucrativos. O objetivo
desses recursos é a melhoria da infra-estrutura física e pedagógica, o reforço da
autogestão escolar e a elevação dos índices de desempenho da educação básica.
Os recursos do programa são transferidos de acordo com o número de alunos, de
acordo com o censo escolar do ano anterior ao do repasse.”
 PROGRAMA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO ESCOLAR - PMDE:
Recebe recursos duas vezes ao ano. O valor total de quanto foi repassado no ano
de 2009 foi de : R$ 24.072,00 para 1003 (Quadro de destribuição de valores
financeiros - PMDE/2009 - 1ª parcela) e R$49.200,00 para 1025 alunos inscritos
na escola (Quadro de distribuição de valores financeiros - PMDE/2009 - 2ª
parcela ), no SER V, da EMEIF JOÃO FREDERICO FERREIRA GOMES.
A escola realiza também a feira cultural que envolve alunos e toda a comunidade
escolar em atividades que procuram desenvolver a curiosidade e interesse pelos temas
abordados. Ela tem uma BRINQUEDOTECA ESCOLAR e um pequeno
PLAYGROUND para as crianças das séries iniciais.

23
5. CONSIDERAÇÕES

Com o objetivo de fornecer uma melhor compreensão da EMEIF JOÃO


FREDERICO FERREIRA GOMES, procuramos conhecer: histórico da instituição,
identificação do local, organograma funcional, recursos físicos, recursos humanos e os
recursos pedagógicos dessa instituição. Através de pesquisas e entrevistas, tomamos
ciência das dificuldades e avanços que esta unidade de ensino vem atravessando, bem
como, seu compromisso com a comunidade no contexto social que está inserida.

Apesar de toda complexidade da instituição escolar, construímos um


ORGANOGRAMA para o reconhecimento de seus funcionários e suas respectivas
funções, facilitando dimensionar o coletivo e perceber a sua hierarquia administrativa.

Este trabalho possui informações relevantes, contando com: um levantamento


fotos, que permite a visualização interna e externa de sua estrutura física, dando uma
idéia, de ser um local de grande porte, com várias salas, dentre as quais são destacados:
a diretoria, coordenação, secretaria, biblioteca, informática, brinquedoteca, cozinha,
refeitório, local destinado para teatro ou apresentações diversas, pátio, banheiros, salas
de aulas e dos professores e secretaria escolar.

No âmbito pedagógico mencionaremos os recursos humanos e os variados


jogos, voltado para o processo ensino aprendizagem, com o auxilio de excelentes
equipamentos eletrônicos.

Ainda, quanto aos recursos humanos da mesma, possui um quadro de


profissionais qualificados, dentre os quais, enfatizaremos a presença de duas
coordenadoras pedagógicas, e não deixando de citar, a grande carência que um
psicopedagogo faz durante os turnos.

De acordo com informações que nos foram repassadas pelo núcleo gestor, o
atendimento educacional, beneficia cerca de novecentos e dez crianças (previsão para o
ano 2011), necessitando de uma intervenção constante entre família e escola.

Por diversas vezes viu-se a extrema importância de se trabalhar com parceria,


acrescentando assim, ao quadro de funcionário, um psicopedagogo, que nada mais é,
que um dos muitos, desejosos de auxiliar no processo de ensino aprendizagem,

24
detectando através da ANAMNESE as possíveis dificuldades, fazendo as devidas
intervenções.

Finalizaremos com uma visão otimista dessa pós graduação, que vem colaborar
e muito para o nosso crescimento humano e profissional, convictas de que podemos
fazer a diferença em qualquer esfera social, tendo a sensibilidade de ver nas dificuldades
futuros acertos e soluções.

25
BIBLIOGRAFÍA CONSULTADA

BOSSA, N. A.. Fracasso escolar: um olhar psicopedagógica. Porto Alegre: ARTES


MEDICAS , 2002.

BOSSA, N. A. A Psicopedagogia no Brasil: Contribuições a partir da Prática. Porto


Alegre: ARTES MÉDICAS, 1994.

FAGALI, E.Q. e VALE, Z.R.. Psicopedagogia institucional aplicada: a prendizagem


escolar dinâmica e construção na sala de aula.Petrópolis. Rio de Janeiro: Vozes, 1994.

FONSECA, V. D.. Introdução ás Dificuldades de Aprendizagem. 2 Ed.- Porto Alegre:


ARTES MÉDICAS, 1995.

PAIN, S. Diagnóstico e tratamento dos problemas de aprendizagem. 2 ed. Porto


Alegre: ARTES MÉDICAS, 1988.

PORTO, O.. Bases da Psicopedagogia: diagnóstico e intervenção nos problemas de


aprendizagem. 4. Ed.- RIO DE JANEIRO: WAK Ed., 2009.

PORTO, O.. Psicopedagogia Institucional: teoria pratica e assessoramento


psicopedagógica. 2 Ed. – RIO DE JANEIRO: WAK Ed., 2007

SCOZ, B.. Psicopedagogia e Realidade Escolar: o problema escolar e de


aprendizagem. Petrópolis, RIO DE JANEIRO: VOZES, 1994

VASCONCELOS, C. dos S.. Planejamento Projeto de Ensino Aprendizagem e Projeto


Político Pedagógico. 7 Ed - SÃO PAULO: LIBERT, 2000.

VEIGA, I. P. A. (org.). Projeto Político-Pedagógico da Escola: uma construção


possível. 28ª Ed, Campinas, SP: PAPIRUS, 2010. ISBN: 85-308-0370-1 (PARTE DO
LIVRO)

WEISS, M. L. L. PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA – uma visão diagnóstica dos


problemas de aprendizagem escolar. 13ª edição. Rio de Janeiro: Lamparina, 2008. 1ª
reimpressão. 2010.

SAMPAIO, S. DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM - A Psicopedagogia na relação


sujeito, família e escola. RJ: WAK EDITORAS, 2005

26
OUTRAS FONTES E DOCUMENTOS CONSULTADOS

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, acessado em 09 /02/2011:


http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constitui%C3%A7ao.htm

Estatuto da Criança e do Adolescente, LEI 8.069/1990, acessado em 08 /02/2011:


http://www.planalto.gov.br/ccivil/LEIS/L8069.htm

Educação Básica L.D.B 9.394/96, acessado em 07 /02/2011: [Link]


Programa Dinheiro Direto na Escola – PDDE, acessado em 12/02/2010: [Link]

Plano Nacional de Educação (PNE), Lei nº 10.172/01, acessado em 07 /02/2011:


[Link]

Programa “MAIS ESCOLA”, acessado em 09/12/2009: [Link]

Programa Municipal de Desenvolvimento Escolar – PMDE. acessado em 07 /02/2011:


[Link]

Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil, acessado em 08 /02/2011:


[Link]

27