Você está na página 1de 3

VI – PERORAÇÃO

ORIENTAÇÕES DE LEITURA:

1. Capítulo VI é a peroração ou o epílogo do sermão. O que fica sobretudo na


memória dos ouvintes são as últimas palavras. Por isso, o orador serve-se dos
recursos mais eficazes para convencer e sobretudo para mover as
consciências, ou seja, deixar o auditório disposto a converter-se. No caso
presente, o Padre António Vieira socorre-se de forma directa do discurso
bíblico e dos recursos retóricos já conhecidos.

1.1. Preencha o esquema com as afirmações do orador, baseadas no Levítico:

Animais Peixes Homens

1.1.1. Qual a intenção do orador?

1.2. O sujeito da anunciação passa bruscamente para sujeito do enunciado.


Traça um paralelo entre o orador e os peixes.

1.3. Mostre o valor das repetições, reclamações, gradações e interrogações.

2. O último parágrafo inicia-se pelo Benedicite, um cântico de louvor retirado


dos Salmos bíblicos.

2.1. Destaque:

• A gradação de intensidade sonora;


• A repetição das palavras Louvai e Deus;
• A função apelativa da linguagem;
• O tom festivo, conveniente porque se tratava da festa de Santo António;
• O significado da palavra Ámen;
• O significado do quiasmo: glória … graça/ graça … glória
CORRECÇÃO

Cenários de resposta
1.1.
animais peixes homens

- foram escolhidos - não foram escolhidos - os homens também


para os sacrifícios para os sacrifícios chegam mortos ao
- estes podiam ir vivos - só poderiam ir altar porque vão em
para os sacrifícios mortos. Deus não quer pecado mortal. Assim,
- ofereçam a Deus o que lhe ofereçam coisa Deus não os quer.
ser sacrificado morta
- ofereçam a Deus o - ofereçam a Deus não
sangue e a vida ser sacrificados
- ofereçam a Deus o
respeito e a obediência
1.1.1.
O orador quer que os homens imitem os peixes, isto é, guardem
respeito e obediência a Deus. Numa palavra, pretende que os homens
se convertam.

1.2. orador peixes


- têm mais vantagens do que o
- ofende a Deus com palavras pregador:
- tem memória . a sua bruteza é melhor que a
- ofende a Deus com o pensamento razão
- ofende a Deus com a vontade . não ofendem a Deus com a
- não atinge o fim para que deus o memória
criou . o seu instinto é melhor qu o
livre arbítrio do orador;
. não falam
. não ofendem a Deus com o
pensamento
. não ofendem a Deus com a
vontade
. atingem sempre o fim pata que
Deus os criou

1.3.
As interrogações têm por objectivo atingirem preferencialmente a
inteligência, enquanto as exclamações visam mais o sentimento dos
ouvintes. As repetições põem em realce o paralelismo entre o orador e
os peixes; as gradações intensificam um sentido.

2.1. A escolha do Benedicite cumpre o objectivo de terminar o sermão com


um tom festivo, adequado à comemoração do dia de santo António.
A palavra Ámen significa “assim seja” “que todos louvem a Deus”.
O quiasmo realizado na colocação em ordem inversa das palavras
glória e graça sugere a transposição dos peixes para os homens: já
que os peixes não são capazes de nenhuma dessas virtudes, sejam-
no os homens. Sugere também uma mudança: a conversão.