Você está na página 1de 6

DIA MUNDIAL DO FADO – 27 de novembro

_______________________________________________________________

ATIVIDADE

O Fado foi elevado à categoria de


Património Cultural e Imaterial da
Humanidade pela UNESCO, numa declaração
realizada a 29 de novembro de 2011.

Os peritos desta organização mundial


distinguiram o Fado enquanto tradição e
expressão da identidade da cultura de
Portugal e avaliaram o processo de
candidatura português como exemplar.

1. Lê, com atenção, o seguinte texto.

O Fado é um dos tradicionais cartões de visita do país. Canção tipicamente


portuguesa, as suas origens permanecem obscuras, embora seja indiscutível a sua raiz
urbana.

Para uma aproximação rápida à história do Fado, assim como a algumas figuras e
espaços emblemáticos1 da canção de Lisboa, o sítio Turismo de Lisboa oferece elementos
úteis. Para uma introdução igualmente breve, pode consultar-se também o sítio Fado – A
Alma de um Povo, elaborado por estudantes da Faculdade de Engenharia da Universidade
do Porto. Este sítio dedica, igualmente, alguma atenção ao acompanhamento instrumental
à guitarra.

É nos bairros históricos de Lisboa, Alfama, Mouraria e Bairro Alto, sobretudo – que
se continuam a calar todas as noites os ruídos das conversas, perante esta frase
poderosa: “Silêncio, que se vai cantar o Fado”. Para conhecer alguns dos locais onde se
pode ouvir cantar o fado, o Terreiro do Fado propõe um roteiro que inclui um conjunto de
ligações. No coração de Alfama fica um museu que vale a pena visitar, a Casa do Fado e
da Guitarra Portuguesa.

1
Ao longo dos anos, foram muitos os nomes que engrossaram os capítulos da
história do Fado em Portugal.

No sítio dedicado a Alfredo Marceneiro podemos ficar a conhecer uma das figuras
mais carismáticas2 do fado e ouvir alguns registos áudio.

Em Amália Rodrigues, por seu turno, podemos descobrir a figura que até hoje mais
profundamente marcou o Fado e o seu imaginário 3. O Museu do Teatro dedica-lhe também
uma página, baseada na exposição que esteve patente no próprio museu. Começou a
cantar na rua, mas a sua voz expressiva e poderosa fez-se ouvir pelo mundo inteiro.
Através da sua voz, ouviram-se também poemas de Camões, David Mourão-Ferreira, José
Régio e Alexandre O’Neill. Amália tornou-se a grande divulgadora do Fado, levando
consigo Portugal e a Língua Portuguesa. O Portugal de Amália é, principalmente, o
Portugal da fatalidade, do sofrimento e da saudade.

Na última década, uma nova geração tem trazido outro impulso à arte do fado.
Mariza, Mafalda Arnauth, Cristina Branco e Camané são alguns desses artistas que já têm
provas dadas. Nos seus sítios próprios na internet podemos encontrar variada informação
sobre as suas biografias, carreiras e discografias. Alguns excertos dos seus discos podem
ser ouvidos, também, na secção Sons Lusófonos do Centro Virtual Camões.

Texto disponível em http://cvc.instituto-camoes.pt/percursos-tematicos/o-fado.html#.X63Blsj7TI


(adaptado)

Vocabulário:
1. Que representa emblema; simbólico. 2. De grande prestígio. 3. Que só existe na imaginação.

1.1. Assinala as afirmações como verdadeiras (V) ou falsas (F). No fim, corrige as
que consideraste falsas.
(A) As origens do Fado remontam à poesia popular de tradição oral.
(B) Quando se inicia um espetáculo de Fado, apela-se à participação dos
ouvintes.
(C) Há sítios virtuais, tais como Fado a Alma de um Povo ou o Terreiro do Fado,
que disponibilizam informação sobre locais onde se pode ouvir cantar,
roteiros, espaços emblemáticos e fadistas de renome.
(D) Para conhecer Alfredo Marceneiro, podemos consultar a sua obra
discográfica na internet.
(E) Pela sua voz e pela forma de cantar a alma portuguesa, Amália Rodrigues foi
uma verdadeira embaixatriz de Portugal no mundo.
(F) Amália Rodrigues interpretou textos poéticos de grandes autores
estrangeiros.
(G) Desde a sua origem aos nossos dias, tem havido uma evolução significativa,
em termos de interpretação, na arte de cantar o Fado.

2
Hip-hop e Fado são dois géneros com origens urbanas, inicialmente renegados, e
cujo reconhecimento só chegaria à posteriori. Com efeito, constata-se uma empatia
musical, nesta geração recente de letristas, ao traduzir a vida e os sentimentos.

2. Observa o dueto intitulado “Alguém me ouviu (Mantém-te Firme)”,


interpretado por Boss AC e pela fadista Mariza.
Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=rxFTb4aZe8g
Expressões/palavras-chave para a pesquisa: Boss AC featuring Mariza; Alguém me ouvi; Mantém-te Firme

2.1. Depois de ouvires a música uma segunda vez, associa as expressões


apresentadas, proferidas por cada intérprete, à coluna correta, tal como no
exemplo.
“Não me resta nada”; “Chorei mas não sei se alguém me ouviu”; “Começar a reagir”;
“Sou prisioneiro de mim”; “Vou ser forte e vou-me erguer”;
“Sou um mendigo que aparenta ser um rei”; “Ter coragem de querer”;
“Ao espelho vejo o fracasso”; “Hoje a tristeza é rainha”; “Busquei nas palavras o conforto”;
“Sinto lágrimas nos olhos, mas ninguém as vê; “Não ceder nem desistir, eu prometo”

BOSS AC MARIZA
“Não me resta nada” “Chorei mas não sei se alguém me ouviu”

2.2. No final do vídeo, pode ler-se “HINO À VONTADE DE RECUPERAR/ VIVER”.


2.2.1. Dá a tua opinião sobre este dueto, relacionando esta frase e o contéudo da
canção com a situação pandémica que vivemos atualmente.

3
3. Para concluir, vais ouvir uma nova versão de “Fado Português”,
interpretada por Sara Correia.
Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=mT2KcWp_5qg
Expressões/palavras-chave para a pesquisa: Sara Correia; Fado Português

3.1. Seleciona as afirmações verdadeiras.


(A) No início do poema, faz-se referência às origens muito antigas do Fado.
(B) Ao longo do poema, o Fado surge associado ao mar e aos marinheiros.
(C) O sujeito poético faz referência à sua mãe, Maria, de quem tem muitas
saudades.
(D) De acordo com o poema, o destino dos marinheiros é navegar e sofrer com a
ausência, chorando.

3.2. Seleciona dois versos de que gostes. Explica o porquê da tua escolha.

4
SUGESTÕES DE RESOLUÇÃO

1.1.
(A) F. As origens do Fado remontam ao quotidiano urbano, porém não há certezas sobre o
assunto.

(B) F. Quando se inicia um espetáculo de Fado, apela-se ao silêncio.


(C) V.
(D) V.
(E) V.
(F) F. Amália interpretou textos poéticos de grandes autores portugueses.
(G) V.

2.
BOSS AC MARIZA
“Não me resta nada” “Chorei mas não sei se alguém me
“Sou prisioneiro de mim” ouviu”
“Sou um mendigo que aparenta ser um rei” “Vou ser forte e vou-me erguer”
“Ao espelho vejo o fracasso” “Ter coragem de querer”
“Hoje a tristeza é rainha” “Não ceder nem desistir, eu prometo”
“Sinto lágrimas nos olhos, mas ninguém as “Busquei nas palavras o conforto”
vê” “Começar a reagir”

2.2.1. Resposta pessoal. Exemplo: O poema tem uma mensagem forte de esperança. Fala
da força que devemos ter para enfrentar e ultrapassar momentos mais difíceis da nossa
vida. Alguns desses momentos são inesperados, como, por exemplo, a pandemia (COVID-
19) que atualmente vivemos e que tem condicionado a normalidade do nosso dia a dia e
do convívio com as pessoas de que mais gostamos.

3.1. A; B.
3.2. Resposta pessoal. Exemplo: De todo o poema, gosto dos versos “No peito dum
marinheiro / Que estando triste cantava”. À semelhança de outros versos, estes dois fazem
alusão ao mar e à vida dos navegadores. No segundo verso, está ainda presente o “cantar
da tristeza”, característico do fado português.

5
6

Você também pode gostar