Você está na página 1de 3

ALUNOS: CAMILA INGRID E RAIQUE LUCAS

RESENHA CRÍTICA 2

A matéria do G11 de 21/09/2020, escrita em Brasília, por Pedro Henrique Gomes


e Fernanda Calgaro, traz em seu título uma afirmação feita pelo presidente da Câmara
dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que “aqueles que ocupam cargos públicos
não têm a opção de negligenciar a preservação do meio ambiente. ” De fato, não existe
essa escolha, para às pessoas que fazem parte do ‘ecossistema político’, pois a
constituição traz em seu escopo, determina no artigo 225 que:

Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem


de uso comum dos povos2 e essencial à sadia qualidade de vida,
impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de preservá-lo
para as presentes e futuras gerações. 3

Diante disso, ao regressarmos para a matéria do G1 que traz o levantamento do


Observatório do Clima que “Ministério do Meio Ambiente não gastou nem 1% da verba
para preservação” percebe-se que de acordo com os números, não houve investimentos
em razão da preservação do clima, portanto, se faz necessário compreender o sentido
dessa palavra para o Direito Ambiental, “Prevenção é termo polissêmico, mas cuja
principal significação traz ínsita a ideia de antecipar-se, chegar antes, de ação que
impede a ocorrência de um mal, de tomar medidas antecipadas contra algo ou alguém.” 4
Encontrando-se neste ponto, com o crescimento populacional e industrial – sem
medidas sustentáveis – , e o meio ambiente fruindo em constante ameaça, em relação
aos problemas ambientais, a proteção desse direito difuso se estabelece de modo vital
para a natureza, logo o princípio da prevenção vai atuar para evitar o dano ambiental,
esse foi o intuito do Ministério do Meio Ambiente com a criação do Fundo Clima, afim
de atenuar os efeitos das mudanças climáticas contribuindo assim com preservação do
1
GOMES, Pedro Henrique. Quem tem mandato não pode 'negligenciar' preservação do meio
ambiente, diz Maia: presidente da câmara fez a declaração durante audiência do stf para debater ações
que questionam medidas do governo em relação ao fundo clima.. Presidente da Câmara fez a declaração
durante audiência do STF para debater ações que questionam medidas do governo em relação ao Fundo
Clima.. 2020. Disponível em: https://g1.globo.com/politica/noticia/2020/09/21/quem-ocupa-mandato-
nao-tem-opcao-de-negligenciar-obrigacao-de-preservar-ambiente-diz-maia.ghtml. Acesso em: 15 out.
2020.
2
Adaptado
3
OLIVEIRA, Sonia de. O princípio da prevenção à luz do Direito Ambiental. 2015. Disponível em:
https://jus.com.br/artigos/39942/o-principio-da-prevencao-a-luz-do-direito-ambiental. Acesso em: 15 out.
2020.
4
idem

1
ALUNOS: CAMILA INGRID E RAIQUE LUCAS

meio ambiente, mas, quando não utilizado os recursos destinados, contribui para o
desequilíbrio ambiental. Contudo, quando já evidenciado esse risco, é o princípio da
precaução que nos ensina com seus quatro componentes básicos:

(i) a incerteza passa a ser considerada na avaliação de risco;


(ii) o ônus da prova cabe ao proponente da atividade;
(iii) na avaliação de risco, um número razoável de alternativas ao
produto ou processo, devem ser estudadas e comparadas;
(iv) para ser precaucionária, a decisão deve ser democrática,
transparente e ter a participação dos interessados no produto ou
processo.5

Assim, deverá haver um equilíbrio entre a efetivação dos princípios sustentáveis,


afinal, torna-se inalcançável pôr em prática os mandamentos constitucionais citados
acima – que deve ser a possibilidade de uma vivência digna para os povos – é preciso
haver uma simetria entre “o desenvolvimento econômico e a proteção ambiental para a
efetivação do princípio do desenvolvimento sustentável. ”6
De acordo com o doutrinador Celso A. P. Fiorillo:

[...] devemos compreender o que seja essencial, adotando um


padrão mínimo de interpretação ao art. 225 em face dos dizeres do art.
1º, combinado com o art. 5º da Constituição Federal, que fixa o piso
vital mínimo. Com efeito, um dos princípios fundamentais da
República Federativa do Brasil é o da dignidade da pessoa humana, e,
para que uma pessoa tenha a tutela mínima de direitos constitucionais
adaptada ao direito ambiental, deve possuir uma vida não só sob o
ponto de vista fisiológico, mas sobretudo concebida por valores
outros, como os culturais, que são fundamentais para que ela possa
sobreviver, em conformidade com a nossa estrutura constitucional. E é
exatamente por conta dessa visão que apontamos o critério de
dignidade da pessoa humana, dentro de uma visão adaptada ao direito
ambiental, preenchendo o seu conteúdo com a aplicação dos preceitos
básicos descritos no art. 6º da Constituição Federal. 7

Conclui-se aqui essa Resenha Crítica sobre a matéria do G1, onde o Presidente da
Câmara se mostra preocupado com a inutilização dos recursos que estão no Fundo
5
AMBIENTE, Ministério do Meio. Princípio da Precaução. 2016. Disponível em:
https://www.mma.gov.br/clima/protecao-da-camada-de-ozonio/item/7512. Acesso em: 15 out. 2020.
6
GOMES, Pedro Henrique. Quem tem mandato não pode 'negligenciar' preservação do meio
ambiente, diz Maia: presidente da câmara fez a declaração durante audiência do stf para debater ações
que questionam medidas do governo em relação ao fundo clima.. Presidente da Câmara fez a declaração
durante audiência do STF para debater ações que questionam medidas do governo em relação ao Fundo
Clima.. 2020. Disponível em: https://g1.globo.com/politica/noticia/2020/09/21/quem-ocupa-mandato-
nao-tem-opcao-de-negligenciar-obrigacao-de-preservar-ambiente-diz-maia.ghtml. Acesso em: 15 out.
2020.
7
idem

2
ALUNOS: CAMILA INGRID E RAIQUE LUCAS

Clima e que são destinados ao meio ambiente, sendo de total relevância para a nossa
sociedade e o ecossistema brasileiro, pois como visto, trata-se de uma pauta que envolve
direitos fundamentas, composto no rol de cláusulas pétreas que devem ser respeitadas e
seguidas para o bom funcionamento do sistema, e também porque todos devem acatar a
constituição, essa que está acima de todos os poderes. “No dia-a-dia convivemos com
acontecimentos que revelam o profundo desrespeito que o ser humano tem com o meio
ambiente. ” No entanto, existem ações importantíssimas na sociedade de pessoas
naturais e empresas no combate a hábitos que desagrada à natureza, ações
coletivas/individuais que fazem a diferença na humanidade, atitudes simples como não
jogar óleo de cozinha no sistema de esgoto, racionamento no uso da água potável, são
exemplos. Por isso se faz mister a magnitude dos princípios, pois com as ciências de
prevenção e precaução, sobretudo, os interesses se mantem em torno de “quanta
contaminação pode ser evitada enquanto se mantém certos valores? Quais são as
alternativas para a atividade? Qual a necessidade e a pertinência da atividade? ” 8 A
questão da preservação do meio ambiente não é apenas do poder Público, cada um de
nós, enquanto povos devemos cuidar, amar e respeitar a Natureza.

8
AMBIENTE, Ministério do Meio. Princípio da Precaução. 2016. Disponível em:
https://www.mma.gov.br/clima/protecao-da-camada-de-ozonio/item/7512. Acesso em: 15 out. 2020.

Você também pode gostar